Como Passear Com Cachorro Que Puxa?

Como Passear Com Cachorro Que Puxa?

Passeios devem ser diários – Kit/Creative Commons

Quem nunca viu aquela cena do tutor sendo arrastado pelo cão? Parece que o cachorro é que está levando o humano para passear. Muitas pessoas deixam de passear com seus cães pelo incômodo dos puxões. Algumas tem até medo de cair durante o passeio. Mas com algumas dicas será possível ter um passeio tranquilo com seu cão, sem puxões e sem estresse.

Antes de sair de casa

Sabe aquela expressão “Costume de casa vai à praça”? Com cães não é diferente. Um cachorro ansioso em casa será um cachorro ansioso no passeio. Não adianta sair com o cão agitado de casa, pois será a fórmula perfeita para bagunça, agitação e descontrole na rua.

É muito importante oferecer mordedores, dispositivos recheados e fazer exercícios cognitivos dentro de casa. Se a rotina for pobre de estímulos, a única parte boa do dia será o passeio e o cão ficará extremamente ansioso por esse momento.

Outro ponto a prestar atenção é o momento de sair. A saída de casa só deve acontecer com o cachorro calmo. Eu sei que isso pode parecer impossível em um primeiro momento. Mas nada que um treino não resolva.

Vamos ao treino:

  1. Coloque a coleira no cachorro e aguarde até ele se acalmar. Não precisa falar para ele ficar calmo. Apenas deixe ele solto, brincando pela casa
  2. Clique a guia e deixe-o solto pela casa até se acalmar.
  3. Pegue a guia. Se ele ficar agitado, solte e espere até que ele se acalme.
  4. Nada de falar “Vamos passear”, “bora”, “rua”, “rolê”, etc. Associar uma palavra ao ato de sair só deixará o cão mais ansioso.
  5. Com o cachorro calmo, pegue a guia e saia pela porta.
  6. Se ele agitar, pare, olhe para o vento e aguarde até ele se acalmar. Nada de dar bronca, gritar, colocar sentado. Só espere até que ele se acalme (mesmo que isso demore) e siga o passeio.

Como Passear Com Cachorro Que Puxa?

Com treino, é possível passear sem o cachorro puxar -Sober Rabbit/Creative Commons

Antes de sair pelo portão

Um momento crucial no passeio é sair pelo portão. Seja o portão de casa ou o do prédio. Por isso, ensinar o senta pode ajudar muito na hora de abrir o portão (principalmente se for pesado ou for duplo), sem que o cachorro saia esbaforido.

Pode parecer difícil, chato e demorado. Mas a medida que o treino for feito diariamente, o cachorro ficará mais acostumado e o tempo de cada etapa irá diminuir. Até chegar ao ponto do cão não ficar mais ansioso para sair pelo portão.

Por isso, o passeio deve ser feito diariamente, mesmo que por cinco minutos. A persistência e frequência dos treinos e passeios farão toda diferença na agilidade de resposta e aprendizado do cão. Não adianta querer fazer o treino só aos finais de semana e durante a semana nem passear, por exemplo.

Mitos do passeio

Há uma escola antiga de adestramento que ainda perpetua alguns mitos.

  • Cachorro tem andar sempre ao lado. O passeio tem diversas funções. Entre elas a comunicação através do olfato, urina e fezes. Assim sendo, se o cão andar sempre ao lado do seu condutor, ficará tolhido de exercer alguns comportamentos naturais.
  • A guia deve ser curta. Quando a guia está tensa e curta, o cão tem menos campo de resposta. Isso pode facilitar a insegurança e até a agressividade no passeio, já que ele não tem para onde fugir, caso tenha medo.
  • Cachorro não pode sair antes do tutor. Há muitos anos, acreditava-se que a matilha possuía hierarquia. Assim, o “líder da matilha” tinha que estar sempre à frente. Porém, essa teoria caiu por terra. Hoje sabemos que não existe hierarquia em cães. Por isso, não há regras na hora da saída. Depende caso a caso.

Primeiros passos na rua

Finalmente, depois de todo treinamento, chegamos à rua. Muitos cheiros, pessoas, cães, pássaros, moto, caminhões, barulhos, etc. Há cães que ficam com medo, outros se agitam, latem, puxam e perdem o controle.

Todo o treinamento até aqui é muito importante para controlar o emocional do cão. Mas quando chega na rua, por mais que tenha sido tudo bem no treino, pode mudar de figura. Nessa hora, o foco é essencial.

Busque algo que o cão mais gosta, como uma árvore, moita ou poste para ele cheirar. Se ele sair com um objetivo (chegar até a árvore), terá menos chance dele sair descontrolado.

O mais importante é seguir uma regra de ouro: “Guia tensa, para. Guia frouxa anda”. Por isso, a guia curta é tão ruim. Pois sempre ficará tensionada. O ideal é que a guia seja longa (pelo menos 2 metros). Assim, terá maior chance de acerto e erro.

Como Passear Com Cachorro Que Puxa?

O passeio deve acontecer com a guia frouxa – Bruce Fingerhood/Creative Commons

Quando a guia estiver tensa, significa que o cão está puxando. Nesse momento deve-se parar e esperar o cão tranquilizar. Não precisa falar nada, nem dar bronca, nem pedir para sentar. É só esperar acalmar. Com ele calmo e a guia frouxa (com barriga), podemos voltar a andar.

A dica de ouro é: não puxe a guia na sua direção. Isso fará com que a guia ficar mais tensa e não será consequência de um comportamento do cão. Dessa forma, o aprendizado pode demorar mais.

Se você quiser que o cão volte na sua direção, basta chama-lo de forma festiva. Nada de puxá-lo pela guia. A não ser que seja uma emergência.

Condução, treino e comando no passeio

O passeio é muito mais do que gasto energético. O passeio é um super enriquecimento ambiental, no qual o cão poderá ter contato com coisas e pessoas diferentes. É um espaço de aprendizado, interação e comunicação. Por isso, a guia deve ser mais longa, para propiciar esses comportamentos.

Deixe o cachorro cheirar e fazer xixi a cada 10 centímetros. Ele está sendo cachorro e expressando comportamentos naturais.

Como Passear Com Cachorro Que Puxa?

Deixe o cachorro cheirar tudo o que quiser – Zach Stern/Creative Commons

O ideal é que o passeio seja específico para o cão. Evite aproveitar esse momento para que você faça exercício, como corrida. Se o cachorro gostar de corrida, por exemplo, você pode iniciar o passeio permitindo que ele exerça seus comportamentos naturais e depois faça a atividade com você.

A interação entre cães na guia deve ser evitada. Isso porque o cão está sem espaço para fugir ou se esconder, caso se sinta acuado. A brincadeira deve ser estimulada em parques e praças cercados, com os cães sem coleira.

Como Passear Com Cachorro Que Puxa?

Cachorro tenso no passeio pode gerar agressividade – Thomas Altfather Good/Creative Commons

Qual a melhor coleira para passear?

Existe um mito que a coleira que resolve os puxões no passeio. Mas o que faz com que um cachorro não puxe é o treino e tudo que já foi falado. A coleira é um mero acessório.

Veja quais os melhores tipos de coleira aqui.

O passeio deve ser divertido para cães e humanos. Não se esqueça de passear com seu peludo diariamente.

10 Dicas sobre Passeio com Cães que todo dono precisa saber

Todos sabem que devemos fazer pelo menos um passeio com nossos cães por dia. Entretanto, estudos mostram que 20% dos donos não fazem isso todos os dias.

Por isso, se você quer começar a passear com seu cachorro todos os dias, tenha em mente que se resume a motivação e tornar um hábito. Lembre-se de que andar não é apenas um bom exercício para você e seu cachorro, é importante para o bem-estar geral do seu cão.

Diante disso, fizemos uma lista com 10 dicas para o passeio com seu cão ficar mais agradável e seguro.

1. Use peitoral com a guia frontal se o seu cão puxar

Seu cão constantemente puxa durante o passeio? Tente usar um peitoral com o engate da guia na parte frontal do corpo do pet. Coleiras e peitorais que prendem nas costas incentivam mais puxões.

Esses peitorais/coleiras com a guia partindo da frente do cão realmente ajudam a treiná-lo a parar de puxar. Isso acontece porque quando você puxa a guia para tentar ganhar algum controle, ela direciona a atenção do cão para você e ele não chega aonde estava querendo.

Leia também:  Como Fazer Com Que A Menstruação Acabar Mais Rapido?

O Peitoral estilo Easy Walk da K9 Spirit funciona muito bem, geralmente os resultados são instantâneos. A Coleira Cabresto e a Canny Collar também têm a mesma função. Mas, tenha em mente que o peitoral/coleira ideal não resolve tudo. Você ainda precisa dedicar tempo para treinar seu cão para caminhar do jeito correto. Reforçar e recompensar o comportamento adequado sempre ajuda!

Como Passear Com Cachorro Que Puxa?

2. Deixe seu cão farejar

Você sabia que passeios são mais do que apenas exercícios físicos? O passeio é para os cães (geralmente) a única vez que eles saem e exploram cada dia.

Por isso, dê-lhes um pouco de tempo extra para farejar e explorar. Se você não quiser parar a cada 5 segundos ou se você não quer que seu cão vá farejar no quintal de vizinhos, tudo bem.

Você decide quais áreas são apropriadas (e seguras) para serem exploradas.

Quando você quiser dar uma folga no seu cão, solte a coleira por alguns minutos e dê a eles a chance de absorver todos esses cheiros. Também vale usar comandos como “cheirar” e “vamos andar” para quando é hora de seguir em frente.

Todos esses cheiros proporcionam estímulo e informações ao seu cão, é a maneira deles de acompanhar o que está acontecendo ao redor.

Muitas vezes nos concentramos apenas no aspecto físico da caminhada, mas tenha em mente que a estimulação mental extra que o seu cão obtém farejando realmente agrega muito.

Alguns cientistas argumentam que devemos reconhecer a importância do olfato para o bem-estar dos cães. Você pode fazer caminhadas mais significativas e enriquecedoras para o seu cão apenas permitindo que ele vá farejar alguns minutos.

3. Cuidado com o uso de guias retráteis

Quando se trata de usar a guia certa para passeio com cães, é melhor evitar as guias retráteis. Guias retráteis causam muitos riscos desnecessários em comparação com as tradicionais.

Elas são mais convenientes quando o lugar é livre de tráfego, como praia, parque. Já que, o comprimento da maioria das guias retráteis dificulta a manutenção do controle do seu cão.

E além disso, cães podem facilmente correr para a rua e as travas geralmente libertam sob pressão.

Guias retráteis também são conhecidas por causar ferimentos em cães e humanos. Por exemplo, agarrar a fita para obter mais apoio enquanto seu cão está em movimento pode causar queimaduras graves e até cortes. Também é perigoso quando o cão atinge o final da guia, esse movimento repentino pode fazer com que você caia.

Se o seu cão já tiver o hábito de puxar enquanto anda, uma guia retrátil só piorará esse comportamento. Por que ele iria parar? Ele está sendo recompensado com mais liberdade toda vez que ele puxa.

É melhor usar uma guia normal ao passear com seu cachorro em qualquer área com tráfego. Já que é muito mais fácil manter o controle do seu cão (especialmente quando ele está puxando) usando uma guia tradicional em vez de uma retrátil.

Como Passear Com Cachorro Que Puxa?

4. Sempre recolha a caca do seu cão

Importante lembrar sempre: recolha o cocô do seu cão. Além disso, é mais do que apenas um gesto de educação e boa vizinhança. O cocô de cachorro que não é coletado causa grandes preocupações à saúde de humanos e animais de estimação.

Os resíduos podem conter organismos prejudiciais, como giárdia, E. coli, lombrigas, ancilostomídeos e salmonela, que podem se espalhar para outros animais e seres humanos.

E quando os restos de animais de estimação são deixados no chão, essas doenças, patógenos e bactérias penetram no solo e poluem o suprimento de água.

As fezes de animais podem ser catastróficas para o lençol freático local, contaminando lagos próximos, rios e água potável. Esses organismos desagradáveis ​​podem viver muito tempo no solo. Larvas de ancilostomídeos, por exemplo, podem viver por várias semanas no solo. Segundo estudos, 20 a 30% das bactérias em bacias urbanas são causadas por resíduos de cães.

Apesar de não ser glamouroso ou agradável catar cocô, é fundamental para ser um dono responsável. Não é apenas falta de educação deixar o cocô de cachorro por perto, é um risco potencial à saúde. Você pode comprar cata cacas que são fáceis de carregar nos passeios. Vale sempre levar saquinhos extras.

5. Leve água para o seu cachorro

Se você estiver andando por mais de meia hora ou se for um dia quente, leve bastante água para o seu cão. Visto que cachorros têm mais dificuldade em regular sua temperatura do que nós, é fácil superaquecer.

Como os cães usam a boca para regular a temperatura, eles podem facilmente ficar desidratados durante o exercício, especialmente em climas quentes.

Você pode comprar bebedouros portáteis ou levar em uma garrafinha convencional.

Como Passear Com Cachorro Que Puxa?

6. Certifique-se de que seu cão esteja usando uma identificação adequada

Toda vez que você sair de casa com seu cachorro, certifique-se de que ele esteja usando tag de identificação. Infelizmente, você não pode controlar tudo o que acontece e, às vezes, os cães se perdem. Inclusive, certifique-se de que seu cachorro esteja usando os dados atualizados.

Além disso, é possível usar uma coleira personalizada com o número de telefone, já que tags podem se perder mais facilmente. Ainda mais garantido, é colocar um microchip no cão, converse com o seu Veterinário a respeito. Se você obter um microchip para o seu cão não se esqueça de registrar suas informações.

Desde que sua informação esteja atualizada, qualquer um que escaneie seu cão pode entrar em contato com você.

7. Cuidado com o piso quente no verão

Quer saber se o pavimento é quente demais para o seu cão? Em primeiro lugar, coloque a mão ou os pés descalços na calçada por 5 segundos. Se estiver muito quente (ou desconfortável) para a sua pele, então está muito quente para as patas do seu cão.

Além disso, o piso quente não é apenas desconfortável, também pode causar ferimentos graves aos cães. Nestes dias realmente quentes, procure horários mais frescos (de manhã cedo ou fim de tarde e noite) para passear, e se possível ande pela grama.

Se o seu cão é muito adepto à acessórios, você pode até mesmo colocar sapatos nele para ajudar a proteger suas patas.

Como Passear Com Cachorro Que Puxa?

8. Mantenha o foco de seus cães levando petiscos favoritos dele

Sobretudo, não importa onde você passeie, sempre haverá distrações pelo caminho. Qualquer bichinho, resto de comida, objetos pelo chão se tornam um grande evento.

Portanto, nessas situações que o cão quer pegar “porcaria”, atraia de volta a atenção dele com petiscos.

Além disso, carregar alguns petiscos que seu cão adora pode ajudar a recuperar a atenção dele caso ele queira alguma porcaria e também para recompensar boas atitudes. Faça você mesmo uma receita de petisco fácil para o seu Cão!

9. Pergunte antes de se aproximar de outros cães

Embora o seu cão seja bonzinho, isso não significa que todos os cães também serão. Evite qualquer risco desnecessário, perguntando antes de deixar o seu cão se aproximar de outro cão.

Nem todos os cães são sociáveis, por isso, se você encontrar alguém andando com cachorro, por favor, peça permissão antes de abordá-lo.

Caso o seu cachorro seja reativo e não se dê bem em conhecer outros cães, procure um adestrador para te ajudar a corrigir esse comportamento.

10. Use coleira/guia reflexivo se você andar durante a noite

Em locais com baixa iluminação, usar coleira/guia reflexivas ajuda a tornar seu cão mais visível e assim, mais seguro. Além disso, acidentes devido à pouca visibilidade acontecem no transito frequentemente. Portanto, certifique-se de dar aos motoristas a capacidade de vê-lo à distância.

Você tem alguma dica adicional para passear com Cães? Você deixa seu cão farejar em caminhadas? Conte pra gente nos comentários!

Leia também:  Como Saber A Quem Pertence Um Automovel Pela Matricula?

Comentários

Cachorro que puxa no passeio

Aprenda a solucionar esse problema tão comum e torne o momento mais esperado do dia divertido para você e para o pet

Luciene Cagiano

Como Passear Com Cachorro Que Puxa?Foto: K_Thalhofer/iStock.com

É muito comum ver cães que (literalmente) levam os seus donos para passear, o que normalmente torna o passeio desagradável para ambos.

Ensinar o cachorro a andar sem puxar a guia não é uma tarefa fácil, mas não porque o pet não seja capaz de compreender como ele deve agir – talvez ele não esteja sendo sinalizado de forma clara.

Muitas pessoas não são consistentes, ou seja, sentem dificuldade em passar sempre a mesma informação para o cão, algo que faça sentido para ele. Essa falta de consistência é o que dificulta o sucesso nos treinamentos. 

Quando falamos em passear sem puxar, muitos pensam que o cachorro precisa estar em uma posição específica no passeio. Outras, no entanto, consideram suficiente só o fato de o pet não puxar a guia, independentemente do lado em que ele estiver caminhando. Não importa o que você acredita ser o passeio ideal, o importante é passar sempre a mesma informação para o cão.

Papel da guia

Para que o cachorro ande sem puxar precisamos ter uma guia, que vai informá-lo sobre o limite que ele pode andar distante de nós. As guias devem ser leves e resistentes, com no mínimo 1,5 m de comprimento.

As coleiras contra puxões também são uma maneira gentil de conduzir e controlar o cão (no mercado pet existem muitos modelos). Esse tipo antipuxão tem o engate frontal e deve ser preso na frente do peito do cachorro, assim, toda vez que ele tentar puxar, acabará se virando para o condutor e redirecionando a atenção.

Isso evita que o animal se machuque, como no caso do uso de enforcadores. 

Quando o cachorro já puxa a guia no passeio, é preciso evitar o uso de peitorais até que o pet aprenda a andar corretamente. O peitoral faz com que o cão ganhe mais força para puxar, pois ele terá um apoio no peito, como os cães que puxam trenó.

É muito comum tutores terem uma relação baseada na guia. Nesse caso, o cachorro não fica ao lado do dono porque ele compreende que isso é o certo, mas porque tem uma guia que o segura.

Isso acontece quando não há uma boa comunicação entre tutor e cão (e não estou nem dizendo que exista agressão ou algo do tipo).

É uma relação em que o cão gosta de estar perto do dono, e não a procurar uma oportunidade de se afastar para buscar outras coisas interessantes para ele, como cheirar e interagir com outros cães. Contudo, somente a guia não é suficiente para fazer com que o cão pare de puxar.

Até porque o animal não entende que a distância final da guia é o seu limite.

Temos que imaginar que se uma guia tem 1,5 m, esse seria o limite aonde o cachorro poderia chegar – o pet deveria entender que tudo o que ele tem acesso é o que está a uma distância de 1,5 m somente, e ele só irá chegar ao que estiver fora dessa medida se você der o aval. O que não fica claro para o cão é que muitas vezes que ele puxa a guia para chegar onde quer, a guia cede. No momento em que o tutor cede um centímetro, está passando a informação para o cachorro de que a guia não é um limitador definitivo e que puxá-la é a forma correta de chegar onde ele deseja.

Como ensiná-lo?

O correto seria que os passos listados a seguir já fossem estabelecidos desde a primeira vez que a guia fosse colocada no cão.

Mas quando ele já é adulto e tem o hábito de puxar, corrigir o erro fica mais complicado,pois já existe um comportamento estabelecido.

Mas independentemente disso, o critério e a consistência do treino devem ser mantidos. Vamos às dicas:

Foto: monkeybusinessimages/iStock.com

Recompense o cão sempre que ele estiver perto, sem esticar a guia

Passo 1

Ande em linha reta e incentive o cão a caminhar. Quando ele se mantiver perto sem esticar a guia, recompense-o. Se ele puxar, pare o passeio e assim que ele afrouxar a guia reinicie. Repita várias vezes até que ele entenda que o passeio será interrompido toda vez que ele puxar.

Passo 2

Incentive o cão a andar e se ele começar a puxar a guia mude a direção fazendo uma volta de 180 graus no sentido oposto. O animal vai perceber que o passeio muda de direção quando ele puxa a guia.

Postura do tutor

O tutor deve ser claro e manter a calma para ensinar o seu cachorro. Isso fará com que o treinamento seja mais eficiente e que o pet confie no tutor.

Cada cão tem o seu tempo para aprender. Aproveite o treino para conhecer o do seu animal e veja em quais pontos ele se sai melhor e quais ele tem mais dificuldade.

Ajude-o a acertar – esse é o segredo do bom treinamento.

Comece o treinamento dentro de casa e vá aumentando o nível de exigência e estímulos gradativamente.

O passeio deve ser uma atividade física e mental, e o cachorro muitas vezes vai prestar atenção em outras coisas que são naturais para ele, como cheirar e explorar.

Por isso temos que estar atentos: recompense o cão sempre que ele estiver ao seu lado, seja com carinho ou petiscos, pois ele precisa ser parabenizado por isso!

Um cachorro que se comporta bem na guia tem uma vida muito melhor. Aproveite esse momento do passeio para treinar e aumentar o vínculo com o seu melhor amigo. Preste atenção nos sinais que ele demonstra e como ele se comunica com você e com o ambiente. E bom passeio! 

LUCIENE CAGIANO,  Franqueada e adestradora da Cão Cidadão, de Cotia, SP

Truques para evitar que o cão puxe a coleira

Como evitar que o cão puxe a coleira é um tema que perturba muitos donos na hora do passeio. Daremos a você alguns truques para evitar estes episódios de tensão e para que você consiga desfrutar plenamente de uma boa caminhada com o seu cão.

Ensinando o seu peludo a desfrutar de um divertido passeio

Vamos partir do princípio que o peludinho deverá associar, em um primeiro momento, o passeio com algo divertido e prazeroso. A correia é uma parte essencial dessa atividade.

Por isso, é indispensável que os puxões da correia não sejam parte desta rotina. Para conseguir esse objetivo, você deverá lhe ensinar a caminhar corretamente junto a você.

Mas, como em todo treinamento canino, lembre-se que as coisas não são aprendidas imediatamente. Tudo leva seu devido tempo. Assim, você deve se armar de paciência e utilizar sempre o reforço positivo: ignore o mau comportamento e premie os avanços de seu amigo de quatro patas.

Escolha a coleira adequada

Primeiro e principal: é muito importante escolher uma correia adequada. Isso dependerá de cada cão. De qualquer forma, as menos recomendáveis nos momentos em que estamos tentando ensinar ao peludo para que não puxe, são as extensíveis.

Além disso, em nenhum caso você deverá utilizar coleiras de punição. Por exemplo:

  • Colares enforcadores;
  • Coleiras de pontas agudas;
  • Coleiras de impulsos elétricos.

Alguns modelos de peitorais também podem ser úteis nesses casos, sobretudo para tirar a tensão do pescoço do animal quando ele puxa.

Não deixe de consultar um especialista no assunto para que ele lhe aconselhe sobre as melhores opções. Também é bom que não fique só com uma opinião a respeito.

Caminhe a um bom ritmo. Mostre-se calmo e tranquilo. Faça ele saber que você controla a situação. E, principalmente, não puxe a correia.

O pior que você poderá fazer quando o seu cão puxa a correia, é puxar mais forte. A única coisa que você ganhará com isso é machucar o pescoço de seu peludo e tornar o passeio uma experiência traumática para ambos.

Para tentar eliminar os puxões, tente:

  • Premiá-lo com partes de alguma comida de seu agrado antes de que comece com os puxões. Assim o cão ficará mais próximo de você e caminhará bem perto. Quando ele se acostumar a andar ao seu lado, você deverá ir espaçando as recompensas comestíveis e substituindo-as por carícias ou palavras de afeto.
  • Pare a caminhada quando o seu cão começar a puxar a correia. Retome-a quando ele se tranquilizar.
  • Caminhe a bom ritmo. Os cães tendem a andar mais rápido que nós. Se você for muito lento, certamente ele começará com os puxões.
  • Demonstre sempre calma e segurança, para que ele entenda que quem controla a situação é você e não ele.
Leia também:  Como Descobrir Qual O Ascendente Do Meu Signo?

Permita a ele ser cão

Para eliminar a ansiedade de seu cão e fazer com que o passeio seja um momento prazeroso para ambos, você deve deixá-lo que se comporte como o cão que é. Isto implica, entre outras coisas, que:

  • Marque territórios com sua urina;
  • Fareje diversos locais;
  • Procure se relacionar com seus pares.

Dê a ele tempo para essas atividades. Estes são os momentos em que você deverá se abster de puxar a coleira, deixe sua ansiedade um pouco de lado e permita que o seu cão explore tudo tranquilamente.

Outros truques para evitar que o cão puxe a coleira

Em seu esforço para obter um passeio agradável com o seu peludo, poderá tentar também com estas opções:

  • Acostume-o ao uso da correia antes de levá-lo à via pública. Ele pode ficar com ela dentro de casa para que se familiarize.
  • Antes de levá-lo para passear, brinque por um momento com ele dentro de seu lar, para que ele se canse um pouco. Às vezes os puxões acontecem devido a necessidade do animal de realizar maior atividade física.
  • Não faça com que ele note que a hora de sair se aproxima. Assim você evita a ansiedade da situação.
  • Nunca cruze a porta da rua se o animal se mostrar muito alterado ou ansioso. Espere que ele se acalme.

Assim, não se dê por vencido. Embora pareça difícil, com paciência e amor tudo se obtém. Incluído que o seu peludo deixe de puxar a correia.

Problemas para passear com seu cachorro?

Um passeio com seu melhor amigo pode não ser tão simples e tranquilo quanto parece. Muitas pessoas tem dificuldade em levar seu peludo para passear. E os motivos dessas dificuldades vão desde o cão não gostar de passear até agressividade com outros cães ou pessoas.

Muitas vezes nos esforçamos para levá-los para um passeio, com a expectativa de que será tranquilo e saudável, porém a realidade é que você volta para casa mais frustado e desanimado. Passeando cada vez menos com seu cãozinho.

Então, vamos explicar aqui o porquê dos principais motivos de seu cachorro não aproveitar o passeio tão bem quanto ele poderia.

1) Porque seu cachorro puxa guia

Porque seu cachorro puxa a guia durante os passeios.

Cães que puxam a guia durante o passeio é o motivo mais comum pelo qual os tutores tem problemas em conduzir um passeio tranquilo. Sobretudo quando se trata de um cachorro de porte médio ou grande, podendo inclusive levar o tutor para o chão se o “tranco” for muito forte.

Alguns tutores acham que a solução para esse tipo de comportamento é trocar a coleira tradicional ou peitoral por um enforcador. Se você pensa da mesma maneira, recomendo que você leia este post bem curtinho que mostra, através de uma pesquisa científica, os resultados a curto e longo prazo de usar um colar enforcador no seu peludo.

Em contrapartida, muitos tutores de cães de porte pequeno tem esse problema, porém não se incomodam pelo fato de eles não terem tanta força assim. Mas ao permitir esse comportamento, você está “abrindo portas” para outros comportamentos que podem e vão te incomodar muito mais no futuro.

Mas por que seu cachorro puxa a guia durante os passeios? 

Seu peludo provavelmente adora sair para passear, e só de ouvir a palavra “passeio” ou ver você se aproximando da guia já começa a pular e latir de tanta felicidade. Quando você coloca a guia, a excitação toma conta dele e ele só dá atenção para o que está na sua frente, e acha que ao forçar a guia ele chegará onde ele quer mais rápido.

2) Porque seu cachorro late para tudo

Porque seu cachorro late tanto durante os passeios

  • Casos de cachorros que latem para estímulos sem necessidade também são bastante comuns, principalmente em cães agitados – Se seu cachorro é agitado não só durante o passeio, mas também dentro de casa, leia a série de 3 posts que nós fizemos sobre cães agitados, no primeiro post explicamos Porque seu cachorro não para quieto.
  • A razão de seu pequeno ter esse tipo de comportamento pode estar relacionada a diversos fatores, porém os motivos mais prováveis são:
  • 1 – Porque ele não consegue se aproximar desse estímulo devido a limitação da guia
  • 2 – Porque a pessoa, cachorro ou qualquer outro estímulo o incomoda e está se aproximando. Acontece bastante quando alguma pessoa está se aproximando de bicicleta ou skate

É importante lembrar que punir seu peludo, só irá agravar ainda mais o comportamento indesejado. Pois ele já associa tal estímulo a algo negativo, se você o punir, será ainda pior. Ele vai pensar que sempre que alguém aparece de bicicleta, por exemplo, ele é punido. Então ele vai latir para evitar que o estímulo se aproxime.

3) Porque seu cachorro é agressivo durante os passeios

Porque seu cachorro é agressivo durante os passeio

Outro fator que desanima qualquer tutor a levar seu peludo para um passeio é agressividade. Além de ser incômodo para você, pode ser perigoso para as pessoas ao redor. Casos de agressividade em geral, são mais delicados e é sempre recomendado contar com o apoio de um profissional.

O principal motivo de seu cachorro ser agressivo durante os passeios, é a falta de socialização. Cães que não foram acostumados com a companhia de outras pessoas e/ou animais, podem reagir de maneira agressiva.

Por isso é importante que você comece a socialização de seu peludo quando ele ainda é filhote. Veja Como criar um filhote de cachorro socializando-o desde filhote pode trazer benefícios a curto e longo prazo.

4) Porque seu cachorro tem não gosta de passear

Porque seu cachorro não gosta de passear

Enquanto alguns cães puxam a guia e não conseguem conter sua emoção de tão animados e felizes que estão ao perceberem que estão prestes a passear, existem cães que não se mostram tão animados assim ou até mesmo parecem não gostar de passear. Apesar de ser menos comum, estes casos podem ser delicados.

Se seu peludo estiver parecendo não gostar muito de passeios, fique atento, esse desinteresse pode ser um sinal de alguma doença que o deixa menos disposto. Leve-o ao veterinário para garantir que esteja tudo certo com a saúde dele.

Caso o veterinário não encontre nenhum problema de saúde, é provável que o motivo esteja ligado questões comportamentais. Procure por um veterinário especialista em comportamento animal para que vocês possam aproveitar o passeio felizes e juntos ???? !

5) Porque seu cachorro não faz suas necessidades durante o passeio

Porque seu cachorro não faz suas necessidades durante os passeios

Outro problema recorrente com alguns cães é o fato de eles não fazerem xixi ou cocô durante os passeios. Ele não fazer suas necessidades na rua pode não significar que ele tenha algum problema, ele pode simplesmente não estar com vontade.

Porém se ele não fizer suas necessidades em nenhum passeio, pode significar que ele não se sente confortável. Os cães geralmente fazem suas necessidades quando se sentem a vontade, se ele não faz as necessidades na sua frente, pode significar que ele não está se sentindo tão confortável ao seu lado.

Ao perceber esse comportamento, é uma ótima oportunidade de você estreitar os laços com seu peludo.

Como ajudar seu peludo

Se algumas dessas situações fazem parte da rotina do seu pet, veja  Como resolver esses problemas e aqui 5 Dicas para ter um passeio tranquilo.

Temos uma equipe pronta para te ajudar, nos conte mais sobre o seu pet ????????

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*