Como Parar De Tremer Quando Ficar Nervoso?

Tremor essencial é mais do que apenas um tremor nas mãos, é uma condição que muda a vida. Devido a estereótipos e falta de conscientização, muitas pessoas com tremores nas mãos nunca procuram atendimento médico. Veja abaixo o que é, sintomas, causas e tratamento.

O que é tremor essencial? 

O tremor essencial é uma condição neurológica que mais comumente causa tremores rítmicos nas mãos durante a execução de uma tarefa como comer, escrever, vestir-se, beber ou manter uma postura, como os braços estendidos na frente do corpo.

O tremor costuma ser confundido com a doença de Parkinson, embora seja oito vezes mais comum, afetando cerca de 10 milhões de americanos e milhões a mais em todo o mundo.

Essa não é uma doença fatal, mas pode ser um distúrbio gerador de alterações nas condições de vida. Pessoas que sofrem de tremor essencial com frequência perdem a capacidade de desempenhar tarefas simples como dirigir ou ir ao trabalho. Pode ser muito difícil lidar com os sentimentos causados pelo isolamento.

Como Parar De Tremer Quando Ficar Nervoso?

A doença é caracterizada por um tremor rítmico que ocorre durante o movimento voluntário ou ao manter uma posição contra a gravidade. O tremor essencial é frequentemente diagnosticado de forma incorreta como mal de parkinson.

Os dois tipos de tremor incluem:

  • Tremor de ação – um movimento voluntário como levar um copo até a boca
  • Tremor postural – manter uma posição, de forma voluntária e contra a gravidade, como deixar um braço ou mão estendida ou levantada

Como Parar De Tremer Quando Ficar Nervoso?

A maioria das pessoas com tremor essencial tem sintomas tanto do tremor postural quanto do tremor de ação.

Causas e fatores de risco

O tremor essencial resulta da comunicação falha entre certas áreas do cérebro, incluindo o cerebelo, tálamo e tronco encefálico. A causa do tremor essencial é desconhecida, mas há provas de que para algumas pessoas o distúrbio é genético. No entanto, mesmo pessoas sem histórico familiar também podem desenvolver o tremor essencial.

Como Parar De Tremer Quando Ficar Nervoso?

Embora o tremor essencial não tenha cura, existem várias opções de tratamento.

Terapias medicamentosas

A maioria das pessoas com tremor essencial se beneficia de terapias medicamentosas.

A abordagem do tratamento precisa ser equilibrada, levando em consideração o histórico do paciente, a resposta aos tratamentos anteriores, enfermidades coexistentes e outros fatores.

O início do tratamento medicamentoso se baseia na avaliação dos benefícios e efeitos colaterais de medicamentos específicos.

Talamotomia

Um tipo de cirurgia cerebral que envolve a realização de uma lesão (destruição controlada do tecido cerebral) na região do cérebro que produz tremores. A talamotomia provou reduzir efetivamente o tremor em algumas pessoas. As possíveis complicações podem incluir problemas na fala, no equilíbrio e certa dormência.

Terapia de Estimulação Cerebral Profunda (DBS) para controle do tremor essencial

Como Parar De Tremer Quando Ficar Nervoso?

A terapia de Estimulação Cerebral Profunda para o tremor essencial é um tratamento cirúrgico que pode diminuir a gravidade do tremor nos braços e nas mãos, relacionado a esse tremor.

O tratamento usa um dispositivo médico implantado, semelhante a um marca-passo, que cria uma estimulação elétrica em regiões precisamente específicas do cérebro. Essa estimulação bloqueia os sinais cerebrais que causam os sintomas do tremor essencial.

Saiba mais sobre os benefícios do DBS no tratamento do tremor essencial

SUBMETENDO-SE À ESTIMULAÇÃO CEREBRAL PROFUNDA

????‍⚕Espero poder ajudar no seu tratamento. Qualquer outra informação é só ligar para (32) 3218-6797 ou 3215-8551

Endereço:Av. Itamar Franco, 4001 – Salas 616 e 617Cascatinha – Juiz de Fora/MG – 36033-318

*As informações contidas neste site não devem ser usadas no lugar de consultas médicas. Sempre converse com o seu médico para obter diagnósticos e informações de tratamento.

Sites de referência sobre a área médica, saúde e suas soluções tecnológicas:

– Neuromodulação.Abbot– Tricumed– Medtronic– Internetional Essential Tremor Foundation

Tremores no corpo: 7 principais causas e como tratar

  • A causa mais comum de tremor no corpo é o frio, situação que faz com que os músculos se contraiam rapidamente para aquecer o corpo, causando a sensação de tremedeira. 
  • Entretanto, existem outras causas para o aparecimento de tremor no corpo, tanto desencadeadas por momentos de ansiedade, consumo de substâncias estimulantes, ou provocadas por doenças neurológicas e musculares, sendo que as principais são a doença de Parkinson, o tremor essencial e o tremor fisiológico exacerbado.
  • Os principais locais do corpo afetados pelo tremor são as mãos, os braços, as pernas, a cabeça, o queixo ou o rosto, e podem ser tremores de tipos variados, como em repouso ou em movimento, unilateral ou bilateral, e podendo ou não estar relacionado a outros sintomas como desequilíbrio, lentidão e rigidez dos músculos. 
  • Como Parar De Tremer Quando Ficar Nervoso?
  • Assim, as principais causas de tremor incluem:

1. Crise de ansiedade

Quando se está ansioso, estressado ou com medo, o sistema nervoso é ativado para que o corpo esteja mais alerta para reagir a qualquer situação perigosa, sendo esta situação conhecida como ataque-fuga.

Assim, é liberada na corrente sanguínea uma grande quantidade de hormônios estimulantes, como a adrenalina, que provocam a contração de todos os músculos de forma a preparar o corpo para qualquer resposta.

Essa contração pode ser traduzida em diversas sensações, como dor, tremores, espasmos e cãibras.

Como tratar: para diminuir os tremores e outras reações derivadas da ansiedade, é necessário se acalmar, o que pode ser feito com respirações profundas, uma meditação ou se afastando da situação estressante.

Caso isso não seja possível, ou a reação seja muito intensa, é necessária uma avaliação médica, que pode indicar medicamentos ansiolíticos, como o Clonazepam, ou fitoterápicos, à base de valeriana ou camomila, por exemplo, a depender de cada caso.

No caso da ansiedade ser crônica, é recomendado acompanhamento psicoterapêutico para tentar mudar as ideias e pensamentos das situações que desencadeiam a ansiedade e mudar as respostas por meio de outras estratégias.

2. Diminuição do açúcar no sangue

A diminuição do açúcar pode acontecer tanto em pessoas diabéticas quanto em pessoas sem diabetes, sendo a principal causa em diabéticos a administração errada da dose de insulina ou jejum prolongado.

Nas pessoas sem diabetes, pode acontecer quando se passa muito tempo sem comer ou depois de ingerir grandes quantidades de álcool, por exemplo.

Além disso, os tremores da hipoglicemia podem ser acompanhados de sensação de fraqueza, palpitações, visão turva e convulsões.

Como tratar: é necessário comer ou beber algum alimento ou bebida açucarada e de fácil digestão, como um suco de laranja ou um doce, por exemplo.

Entretanto, as hipoglicemias devem ser evitadas, e para isto, é necessário não ficar mais de 3 horas sem comer, além de evitar alimentos ricos em carboidratos com digestão muito rápida nas refeições, preferindo alimentos com baixo índice glicêmico.

Veja como deve ser a dieta para evitar a hipoglicemia reativa.

3. Consumo excessivo de bebidas energéticas

  1. O consumo de sustâncias estimulantes, como a cafeína presente em chás e cafés, ou bebidas energéticas que contêm taurina, glucoronolactona ou teobromina, por exemplo, também ativa o sistema nervoso e estimula o corpo, pois imita a ação da adrenalina e provoca diversas reações, como o tremor.

  2. Como tratar: deve-se diminuir o consumo dessas substâncias no dia-a-dia, pois, além do tremor, podem induzir ao aumento da pressão arterial e acelerar os batimentos cardíacos, devendo-se optar por alternativas naturais para aumentar a energia e diminuir o sono.
  3. Veja nossas dicas de alimentos para ter mais energia.
  4. Como Parar De Tremer Quando Ficar Nervoso?
  5. Alguns medicamentos podem causar tremor de várias formas diferentes, sendo que o mais comum é que causem estímulo do sistema nervoso, como acontece com alguns antidepressivos, anticonvulsivantes ou broncodilatadores para a asma, por exemplo.
  6. Já outros tipos de medicamento, como o haloperidol e risperidona, por exemplo, podem causar o tremor ao intoxicar regiões do cérebro responsáveis pelos movimentos, e induzem uma condição semelhante ao Parkinson, sendo por isso é chamada de parkinsonismo, com tremor, rigidez dos músculos e desequilíbrio. 
  7. Como tratar: quando um remédio causa tremor, é necessário informar ao médico, para avaliar a possibilidade de mudança do medicamento usado.

Doenças que podem causar tremor

Quando os tremores não são provocados por nenhuma das situações anteriores, ou quando se tornam persistentes e intensos, podem ser sinal de doença neurológica, sendo importante uma consulta médica para correta avaliação. Nesses casos, as doenças mais comuns são:

Leia também:  Como Indicar En Linkedin Que Buscas Trabajo?

1. Tremor fisiológico exacerbado

O tremor fisiológico está presente em todas as pessoas, mas costuma ser imperceptível, entretanto, algumas pessoas podem ter esta situação de forma exagerada, o que faz com que haja tremedeiras durante a realização de movimentos, como escrever, costurar ou comer.

Pode haver piora dos sintomas em situações de ansiedade, cansaço, uso de algumas substâncias, como café ou bebidas alcoólicas, por exemplo.

Como tratar: caso não seja muito incômodo, este tremor não precisa ser tratado e não causa riscos à saúde, mas em casos mais graves, os sintomas podem ser controlados com o uso de um medicamento beta-bloqueador, como o Propranolol. O tratamento fará mais efeito se forem observadas e tratadas as causas que desencadeiam o tremor exacerbado, como uso de remédios ou ansiedade.

2. Tremor essencial

Este tipo de tremor também é muito comum, principalmente nos braços e mãos, mas também pode ocorrer na face, voz, língua e pernas, e acontece durante a realização de algum movimento ou ao permanecer em uma posição, como ao segurar um objeto pesado por muito tempo, por exemplo.

Sabe-se que o tremor essencial está relacionado à genética, mas a sua causa ainda não foi totalmente esclarecida, e pode acontecer em pessoas de qualquer idade, sendo mais comum em idosos. Os sintomas também podem piorar em situações de estresse, ansiedade e uso de algumas substâncias estimulantes, como bebidas com álcool.

Como tratar: os casos mais leves não precisam de tratamento, mas se houver interferência nas atividades cotidianas, como comer e escrever, deve ser tratada com o uso de remédios como o Propranolol e a Primidona, prescritos pelo neurologista. Já em casos muito graves ou que não melhoram com remédios, existem procedimentos como a aplicação de toxina botulínica ou instalação de estimuladores cerebrais, que podem ajudar a controlar os sintomas.

Saiba mais detalhes sobre o que é e como tratar o tremor essencial. 

3. Doença de Parkinson

A doença de Parkinson é uma condição degenerativa do cérebro, caracterizada por provocar tremor em repouso, que melhora com a realização de movimento, mas que é acompanhada de rigidez dos músculos, lentificação dos movimentos e desequilíbrio. Sua causa, apesar de não estar totalmente conhecida, é devido a um desgaste de regiões do cérebro responsáveis pela produção de dopamina, um importante neurotransmissor cerebral.

Como tratar: o principal medicamento utilizado é a Levodopa, que ajuda a repor a quantidade da dopamina cerebral, mas outros remédios que também são utilizados para melhorar os sintomas são Biperideno, Amantadina, Seleginina, Bromocriptina e Pramipexol. Também é importante a realização de fisioterapia e terapia ocupacional para aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida destas pessoas.

Saiba mais sobre como identificar e tratar o mal de Parkinson. 

Como Parar De Tremer Quando Ficar Nervoso?

Outras doenças que estimulam o sistema nervoso, e também podem desencadear momentos de tremor, são o hipertireoidismo, a intoxicações por metais pesados, como chumbo e alumínio, e a síndrome das pernas inquietas, que é um distúrbio do sono caracterizado pelo movimento involuntário dos pés e das pernas. Saiba reconhecer a síndrome das pernas inquietas.

Também há outras doenças cerebrais mais raras, que causam tremor ou outras alterações do movimento, em alguns casos podendo ser confundidas com o Parkinson, e alguns exemplos são demência por corpos de Lewy, sequelas de AVC, doença de Wilson, síndrome da múltipla disfunção dos órgãos, por exemplo.

Quando ir ao médico

Deve-se procurar ajuda médica quando o tremor é muito intenso a ponto de atrapalhar as atividades do dia-a-dia ou quando apresenta piora progressiva, se tornando persistente. 

Nestes casos é importante agendar uma consulta com o clínico geral, neurologista ou geriatra, para avaliação dos sintomas e realização de exame físico, e, se necessário, exames de sangue ou de tomografia computadorizada do cérebro ou de outras partes do corpo para determinar a causa do tremor.

É importante informar ao médico sobre a sua condição, isso porque no caso dos diabéticos os tremores podem acontecer devido a doses incorretas de insulina ou técnica errada de aplicação, e em outros casos pode ser devido ao uso de algum outro medicamento. Dessa forma, essa informação torna-se importante para o médico avaliar a relação entre o medicamento, a dose e o tremor e, assim, possa indicar a mudança ou suspensão do medicamento.

Crise nervosa: como controlar as reações emocionais?

19 de março de 2019

  |  Tempo de leitura: 8 minutos

Crise nervosa ou colapso nervoso, é o sinal de que algo está, literalmente, fora de controle, e é preciso estar atento, tanto às causas quanto às consequências desse mal.

Ocorre que, mesmo diante de tantos problemas, conflitos, e até quando lidamos com doenças como a depressão e a ansiedade, por exemplo, possuímos um certo nível de controle sobre nossas emoções. Mas quando chegamos ao ponto de passar por uma crise nervosa, isso demonstra que nossa mente foi gravemente afetada e alguns limites foram ultrapassados.

Por isso, é tão importante reconhecer quais são esses limites e o que pode estar causando um desequilíbrio emocional tão grave. Isso faz com que se perca o controle emocional e se chegue a uma crise de nervos.

Como Parar De Tremer Quando Ficar Nervoso?

Fatores desencadeantes da crise nervosa

Existem diversos fatores que podem levar o indivíduo a uma crise nervosa, e os principais são:

Uma das atitudes mais importantes, e talvez a mais difícil, seja aprender a desenvolver o autocontrole diante de uma crise. Porém, para isso é preciso primeiro aprender a reconhecer quando se está à beira de um colapso nervoso.

Neste artigo, vamos falar sobre como controlar as reações emocionais, além de mostrar de onde surgem as crises de nervos e como é possível identificar o problema, para evitá-lo ou tratá-lo corretamente. Acompanhe!

Qual a origem da crise nervosa?

Uma crise nervosa em si não se trata de uma doença, mas é a resposta do nosso corpo a uma situação de estresse de grande proporção, que acaba sendo muito difícil de ser controlada.

Portanto, ao chegar ao ponto de um colapso, nosso sistema nervoso está apontando o sintoma de algo grave, que pode indicar um problema emocional e mental a ser urgentemente tratado.

Todavia, um estado emocional alterado também pode ocorrer num indivíduo que esteja passando por um período de dificuldades. Isso gera ansiedade e preocupações por diversas questões, tanto pessoais quanto profissionais, e não significa, necessariamente, uma doença.

É por isso que a crise nervosa deve ser encarada como um alerta para que a pessoa busque ajuda e investigue a verdadeira causa desse sintoma, pois o tratamento dependerá muito desse diagnóstico.

Para ficar mais claro quais são as possíveis fontes de um colapso nervoso, listamos alguns dos principais fatores desencadeantes desse tipo de crise:

  • situações de estresse constantes ou permanentes;
  • perdas familiares ou financeiras;
  • uso de substâncias tóxicas;
  • transtornos de ansiedade;
  • problemas neurológicos.

Como Parar De Tremer Quando Ficar Nervoso?

Sinais de que uma crise se aproxima

A crise nervosa é um sintoma carregado de outros sintomas. Ao chegar no ponto máximo de uma situação de estresse e nervosismo, o corpo emite sinais de alerta para “desativar a bomba”. Quando estes sinais não são percebidos ou são ignorados, o resultado pode ser desastroso, acarretando na perda do controle emocional.

Os primeiros sintomas físicos de uma crise nervosa iminente são aumento da frequência cardíaca, tonturas, náuseas e respiração acelerada. Ao chegar no auge da crise, a pessoa pode chorar incontrolavelmente e até mesmo ter um ataque de raiva. Alguns indivíduos apresentam agressividade, outros apenas “travam” diante de uma sensação de medo e fraqueza.

No entanto, os sinais de sobrecarga podem apontar uma crise nervosa através de reações como alteração de hábitos alimentares e do sono. Ou seja, ao evitar compromissos sociais e buscar isolamento, e até mesmo a negligência de tarefas simples do dia a dia.

Por tudo isso, é importante reforçar que a busca por ajuda profissional, médica e psicológica, é a atitude correta a se tomar diante do aparecimento desses sintomas. E igualmente após a ocorrência de uma crise.

Como evitar uma crise nervosa?

Em quaisquer dos casos que possam ocasionar uma crise nervosa, é fundamental fazer uma auto-observação constante. Da mesma forma, tentar procurar ajuda antes de chegar ao ápice do problema.

Leia também:  Assim Como Viuva Que Rei Nao Tinha?

Como dissemos anteriormente, os sinais são claros, e não se deve negligenciar a presença deles. Infelizmente, muitas pessoas acabam passando por uma, duas… várias crises nervosas até tomarem a iniciativa de buscar a solução para o problema.

Contudo, mais importante do que tratar o problema depois de ocorrido, é saber de que maneira evitar que ele aconteça.

Parece clichê dizer que uma vida saudável, com alimentação equilibrada e exercícios físicos ajudam de forma eficiente no controle emocional. Mas essa é uma realidade que devemos reforçar.

A qualidade de vida e a saúde mental também passam pelos cuidados com a saúde física. Isso porque alterações hormonais, carência de minerais e vitaminas e sedentarismo alteram o funcionamento do organismo e facilitam o surgimento de doenças como ansiedade e depressão, por exemplo.

  • Da mesma forma, cuidar preventivamente das emoções e sentimentos através da terapia, também evitará que transtornos e crises sejam desencadeados.
  • Sabemos que a psicoterapia não precisa ser feita somente por quem passa por um problema de saúde mental, mas acima de tudo, como uma procura por autoconhecimento e prevenção de problemas mais graves.
  • O tratamento psicoterapêutico deve ser uma ser encarado como um exercício para a mente, da mesma forma que qualquer atividade física é um exercício para o corpo.

Como Parar De Tremer Quando Ficar Nervoso?

Crise nervosa no trabalho: e agora?

Infelizmente, o ambiente de trabalho é um dos lugares que mais prejudica a saúde mental de homens e mulheres. O ritmo frenético, a pressão pela produtividade e a velocidade com que é preciso dar respostas e soluções para os mais variados problemas é o que adoece tanta gente e faz com que as crises sejam cada vez mais frequentes.

  1. Isso sem contar que não são raras as vezes onde o próprio chefe é o algoz do funcionário, através da imposição de metas impossíveis, assédio moral ou excesso de rigidez.
  2. E quando nos deparamos com uma crise nervosa em pleno local de trabalho, demonstramos nossa fragilidade e deixamos explícita a existência de problemas emocionais, que expõem a necessidade imediata de solucionar o que quer que esteja nos afligindo.
  3. Por isso, ao sofrer uma crise nervosa no trabalho é necessário contar com a ajuda de colegas para cessar o quanto antes a situação e procurar restabelecer a calma e a irritação diante de uma situação incômoda.

Tentar sempre dialogar e expor de maneira civilizada os problemas e as discordâncias relacionadas ao trabalho podem ajudar a evitar um colapso nervoso. E após passar por uma situação de crise, vale a pena ter uma conversa aberta e franca com os responsáveis pela chefia para buscar auxílio e tentar achar uma saída que não prejudique nenhuma das partes.

O fato é que o próprio indivíduo precisa se reconhecer e exercer o auto controle, mesmo que muitas vezes essa pareça uma tarefa impossível. Acredite: não é!

Leia também >> Síndrome de Burnout: o estresse no trabalho pode deixar você doente

Primeiros socorros: o que fazer diante de uma crise?

Tanto para quem vive uma crise nervosa quanto para quem presencia uma, saber quais atitudes tomar e ter uma noção de primeiros socorros pode ser crucial para evitar uma consequência mais grave desse problema.

Mantenha a calma

O primeiro passo é manter a calma e ter uma dose de sangue frio, para tranquilizar a pessoa em crise. Falar pausadamente, com tom de voz calmo é fundamental.

Proporcione conforto

É importante dar à pessoa em crise algum conforto, tentando fazê-la sentar ou deitar, e oferecer água imediatamente. Compressas frias podem surtir um efeito calmante e diminuir a agitação.

Se, no ápice da crise nervosa, a pessoa vier a perder os sentidos, esta deve ser colocada em posição lateral de segurança e ser imediatamente acompanhada até um hospital.

Violência jamais!

  • Em hipótese alguma use de violência para tentar parar uma pessoa que esteja passando por uma crise nervosa com reações exageradas ou mesmo violentas.
  • Esbofetear a vítima, sacudir ou tentar prender seus movimentos são atitudes que jamais devem ser tomadas, pois isso pode potencializar os efeitos da crise e, até mesmo, causar um trauma.
  • Da mesma forma, gritos e xingamentos também não são a forma correta de abordar alguém no meio de uma crise de nervos.

Plataformas como a Vittude podem facilitar a busca por um psicólogo que atenda a requisitos específicos para atender a todos que precisem de acompanhamento.

Acesse nosso site e confira você mesmo todas as oportunidades oferecidas!

Outros artigos que podem interessar:

  1. Tripofobia: o medo excessivo de padrões geométricos
  2. Nomofobia: o vício em celular pode prejudicar sua saúde
  3. Simsimi: um app que pode prejudicar a saúde mental dos seus filhos

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental.

Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade.

Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta

Tremor – Distúrbios cerebrais, da medula espinal e dos nervos – Manual MSD Versão Saúde para a Família

Os médicos primeiramente fazem perguntas sobre os sintomas da pessoa e o histórico médico e, em seguida, fazem um exame físico. O que os médicos encontram durante o histórico e exame físico frequentemente indica uma causa e os exames que possivelmente precisarão ser realizados (consulte a tabela Algumas causas e características do tremor).

Os médicos perguntam sobre o tremor:

  • Se o tremor começou gradualmente ou repentinamente
  • Quais partes do corpo foram afetadas
  • O que o provoca (como movimento, repouso ou ficar em pé)
  • O que o faz aliviar ou piorar (como álcool, cafeína, estresse ou ansiedade)
  • Pequenas quantidades de álcool podem ajudar a aliviar alguns tipos de tremores, mas o alcoolismo crônico pode causar dano cerebral que resulta em um tremor.

Se o tremor começar de repente, os médicos perguntam sobre os eventos que possam tê-lo causado (como lesão recente ou uso de um novo medicamento).

Os médicos revisam o histórico médico da pessoa e procuram quadros clínicos associados ao tremor. Também perguntam sobre tremores em parentes próximos. Eles analisam os medicamentos tomados e perguntam sobre o uso de cafeína, álcool e drogas recreativas (particularmente se a pessoa parou de tomá-las recentemente).

Os médicos fazem um exame físico, prestando atenção especial ao exame neurológico (incluindo como a pessoa anda). Os médicos observam quais partes do corpo são afetadas pelo tremor. Observam a velocidade dos movimentos do tremor em várias situações:

  • Quando as partes afetadas do corpo estão em repouso e quando estão com apoio total (por exemplo, as mãos apoiadas na perna)
  • Quando a pessoa mantém certas posições (por exemplo, mantendo os braços esticados)
  • Enquanto a pessoa está caminhando ou fazendo tarefas com a parte afetada do corpo

A qualidade da voz da pessoa pode ser observada ao segurar uma nota longa.

Geralmente, os médicos conseguem identificar o tipo de tremor com base nas características e nos resultados do histórico médico e exame físico — por exemplo:

  • Tremores que se desenvolvem gradualmente: geralmente tremor psicológico ou essencial
  • Um tremor postural que começa de repente: possivelmente fatores psicológicos, um veneno, uma disfunção (como hipertireoidismo), parada de uso de álcool ou outro medicamento (como sedativo) ou uso de um medicamento conhecido por causar tremor
Tremor postural (quando um membro é mantido esticado)
Álcool ou sedativo (como benzodiazepina) quando o uso é interrompido. Agitação e um tremor leve começam 24 a 72 horas depois do último uso de álcool ou benzodiazepina. Às vezes, pressão sanguínea alta, frequência cardíaca rápida ou febre, principalmente em pessoas hospitalizadas.
  • Amitriptilina (um antidepressivo)
  • Medicamentos beta-adrenérgicos (usados para tratar asma)
  • Haloperidol (usado para tratar a esquizofrenia)
  • Lítio (usado para tratar transtorno bipolar)
  • ISRS (um tipo de antidepressivo)
  • Tamoxifeno (usado para tratar câncer de mama)
  • Valproato (um medicamento anticonvulsivante)
Histórico do uso de medicamento Parar o medicamento para ver se o tremor desaparece
Anomalias tóxicas, metabólicas e hormonais que afetam o cérebro: Um tremor além de um ou mais dos seguintes:

  • Coma ou letargia (sugerindo disfunção cerebral)
  • Contrações musculares rápidas, como se fossem relâmpagos (chamadas mioclonia)
  • Sintomas de uma doença subjacente, como hipertireoidismo

Para hipertireoidismo: Dificuldade em tolerar o calor, suor em excesso, aumento de apetite, perda de peso, olhos abaulados e movimentos intestinais frequentes

Exames para ajudar a identificar a causa, como exames de sangue

  • Avaliar o bom funcionamento do fígado, da glândula tireoide, dos rins e das glândulas paratireoides
  • Para medir o açúcar no sangue
  • Para verificar se há venenos
Tremor sutil, lento ou grosseiro que

  • Piora lentamente, ao longo de muitos anos
  • Geralmente, afeta os dois braços e, às vezes, a cabeça e a voz.
  • Ocorre geralmente em pessoas com histórico familiar de tremor

Nenhum outro sintoma de disfunção do sistema nervoso

Um tremor rápido e suave que

  • Ocorre em pessoas saudáveis
  • Pode se tornar mais perceptível quando tomam ou param de tomar certos medicamentos ou se sentem estressadas ou ansiosas
  • Geralmente diminui quando as pessoas bebem um pouco de álcool ou tomam doses baixas de sedativos.
O parkinsonismo estimulado por um medicamento, como certos antipsicóticos e aqueles usados para aliviar náusea Histórico do uso de medicamento Parar o medicamento para ver se o tremor desaparece
Tremor alternado lento que

  • Geralmente envolve mover o polegar contra o indicador, como se estivesse enrolando pequenos objetos (chamado “pill rolling”)
  • Às vezes, também afeta o queixo ou a perna
  • Geralmente, tem início em um lado
  • É acompanhada por outros sintomas, como rigidez dos músculos, grafia pequena e tremida, movimentos lentos e arraste dos pés

Normalmente, nenhum histórico familiar nem diminuição do tremor depois de ingerir álcool

Uso do medicamento levodopa para ver se ocorre alguma melhora
Paralisia supranuclear progressiva Algumas vezes, tremor grosseiro ou espasmódico que é frequentemente discreto Em pessoas idosas que apresentam dificuldade em olhar para baixo e, com menos frequência, para cima, rigidez muscular, dificuldade em se mover, quedas precoces e demência
  • Geralmente ocorre em um lado do corpo
  • É acompanhado pela falta de coordenação (ataxia), principalmente ao tentar tocar ou segurar um objeto ou realizar movimentos alternados rápidos
  • Afeta os músculos usados na fala, deixando a voz trêmula

Em algumas pessoas, um histórico familiar do problema (como ataxia de Friedreich ou ataxias espinocerebelares)

  • Medicamentos anticonvulsivantes (como fenitoína e valproato)
Histórico do uso de medicamento Parar o medicamento para ver se o tremor desaparece
Doenças que afetam muitos dos nervos do cérebro e da medula espinhal (polineuropatias):

  • Síndrome de Guillain-Barré
  • Varia em velocidade e largura
  • Geralmente ocorre quando as pessoas alcançam um objeto e piora quando chegam perto dele
  • Piora, geralmente, quando as pessoas mantêm um membro esticado
  • É acompanhado por outros sintomas de lesão nervosa, como fraqueza, sensação de formigamento e perda de sensibilidade
Eletromiografia (estimular os músculos e registrar sua atividade elétrica) Outros exames para identificar a causa
Tremor psicogênico (devido a fatores psicológicos)
  • Começa de repente ou pode parar subitamente
  • Varia em velocidade e largura
  • Diminui quando as pessoas estão distraídas
*As características incluem sintomas e resultados do exame médico. As características mencionadas são típicas, mas nem sempre estão presentes.
RM = imagem por ressonância magnética; ISRS = inibidores seletivos de reabsorção de serotonina (um tipo de antidepressivo).

TREMOR NAS MÃOS | AME

Talvez o tremor  tenha começado recentemente. Ou talvez esteja piorando. Provavelmente começou gradualmente. Pode ter acontecido quando você estava estressado ou com raiva. Ou a doença pode ter provocado.

Qualquer que seja a causa, “tremor ” é o nome que os especialistas dão às mãos trêmulas. Eles são mais comuns do que você poderia pensar, e as causas e os resultados podem ser bastante variados. Para quem tem EM, a causa pode ser ela e ter tratamento. Mas vamos conhecer as principais causas de tremor  nas mãos?

Tremor  essencial

De todas as razões para ter tremor , este é o mais comum. É a doença mais difundida do sistema nervoso. Começa geralmente em suas mãos, mas pode mover-se para seus braços, cabeça, voz, ou outras partes do corpo. O tremor  essencial acontece quando suas mãos estão se movendo. Já a maioria das outras formas de tremor acontecem quando você está parado.

Poder resultar de uma mudança em seus genes  (seu médico pode chamar isso de mutação). Isso significa que se um de seus pais tem um tremor, é mais provável que você tenha também.

Toxinas no ambiente também podem causar tremor essencial e a idade é outro fator de risco. Embora possa acontecer em qualquer idade, é mais provável em pessoas com mais de 40. As suas probabilidades sobem à medida que envelhecem.

Stress, fadiga e demasiada cafeína podem piorar. Em algum momento, comer, beber, escrever e todas as outras tarefas diárias que você faz com suas mãos pode se tornar um desafio maior.

Esta condição pode ser difícil de tratar. Existem medicamentos, mas nenhum funciona de forma consistente. Se seu tremor nas mãos é diagnosticado como tremor essencial, converse com seu/sua médico/a para testar tratamentos que possam ajudar.

Mal de Parkinson

Tremor é um sinal precoce da doença de Parkinson, que afeta 10 milhões de pessoas em todo o mundo. Nem todo mundo que tem esta doença tem tremor, mas a maioria das pessoas nos estágios iniciais terá ligeiro movimento em uma mão, pé ou mesmo um único dedo

Na maioria das vezes, o tremor afeta apenas um lado do corpo. Na maioria das vezes, isso acontece quando você relaxa seus músculos. É por isso que é chamado de tremor de repouso. Quando você se move, a agitação pára.

Esclerose Múltipla (EM)

A EM pode causar uma variedade de tremores. O mais comum é o tremor essencial, mas também podem acontecer tremores que tem origem na fadiga e/ou na fraqueza muscular. Converse o/a médico/a que cuida da sua EM para saber se qual a origem do tremor das suas mãos. Dependendo da origem, o tratamento será diferente.

Não é sempre uma doença

Mãos trêmulas nem sempre significam que você está doente. Às vezes um tremor é a resposta do seu corpo a algo:

Drogas: Os culpados mais comuns são medicamentos que bloqueiam um químico cerebral chamado dopamina. Move informações de uma parte de seu cérebro para outra. Estes medicamentos são utilizados para manter o seu humor mesmo. Os tremores desaparecerão quando parar de tomar a medicação.

Deficiência de vitamina B12 : Sem ela, seu sistema nervoso não vai funcionar como deveria. Você pode encontrá-la na carne, peixe, aves, ovos e produtos lácteos. Se você está com baixos níveis de B12, seu médico pode receitar um complemento.

Stress: De preocupações financeiras e de trabalho para problemas de relacionamento e preocupações de saúde, o stress piora os tremores. Raiva intensa, fome extrema ou privação do sono podem fazer tremer as mãos. Isso é conhecido como tremor fisiológico.

Baixo nível de açúcar no sangue: ou hipoglicemia. Ela aciona a resposta natural do seu corpo de estresse e faz você instável.

Uma tireóide hiperativa: Quando você apresenta hipertireoidismo, todo o seu corpo acelera. Você pode ter problemas para dormir, seu coração pode bater mais rápido, e suas mãos podem tremer.

Danos no nervo: Lesões, doenças ou problemas com o sistema nervoso central também podem causar tremores. A medicina chama isso de neuropatia periférica. Pode afetar suas mãos e pés.

  • Como as causas e tratamentos para os tremores nas mãos são inúmeras, é importante conversar com seu/sua médico/médica, contando não apenas seu sintoma, mas seu histórico e seu dia a dia.
  • Texto original em WebMD
  • Traduzido e adaptado por Redação AME – Amigos Múltiplos pela Esclerose

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*