Como Parar A Menstruação Que Ja Desceu?

Como Parar A Menstruação Que Ja Desceu?

Você necessita cortar a menstruação rápido por algum motivo esporádico? É possível que você tenha planos como ir à praia ou um encontro especial marcado e de repente, desce o período e te pega de surpresa. Você deve saber que intervir neste processo natural não é recomendável, pois o sangramento da menstruação é vital para que o ciclo da mulher se complete de forma saudável. No entanto, existem alguns métodos que podem ajudar a interromper o sangramento de forma momentânea para que você possa ficar tranquila durante algumas horas, sendo que cada um deles funciona de forma diferente para cada mulher. Neste artigo do ONsalus, explicamos como parar a menstruação de imediato com truques e remédios que serão uma grande ajuda.

Antes de explicar como parar a menstruação de imediato, é importante que sublinhar que esse não é um procedimento saudável para o seu corpo.

Todos os meses, as mulheres necessitam expulsar o sangue proveniente da ovulação, por isso, interromper este processo é algo que é totalmente contra natura.

Por este motivo, no ONsalus, queremos deixar bem claro que, embora existam alguns métodos que vão ajudar você a parar a menstruação, o certo é que você não deve abusar deles e apenas recorrer aos mesmos de forma pontual.

Procure recorrer a estes métodos que indicamos em seguida em casos muito pontuais e de forma muito espaçada no tempo. A interrupção repetida pode provocar graves problemas de saúde a longo prazo.

Além disso, tenha em conta que a eficácia de cada método varia de acordo com a resposta de cada organismo. Enquanto que um dos métodos pode dar certo para uma pessoa, ele pode não funcionar no seu caso. Continue lendo para saber como parar a menstruação imediatamente com soluções seguras.

Se a sua menstruação desceu antes do tempo, confira o artigo Menstruação adiantada: causas.

Iniciaremos este artigo com dicas para que você fique sabendo como parar a menstruação imediatamente. Falamos de alguns truques básicos que você pode usar de forma simples e que podem ajudar a parar o sangramento. Essas são algumas dicas para

  • Beber álcool: embora pareça algo disparatado, o certo é que o álcool pode ajudar a segurar o sangramento da menstruação durante algum tempo. Além disso, não é necessário que você beba de forma abundante, mas apenas bebendo um copo você pode começar a sentir os efeitos. O seu efeito será mais forte se, com a bebida, você coma também uma fatia de limão, já que esta fruta também tem propriedades ideais para diminuir o sangramento e ajudar quem quer saber como parar a menstruação.
  • Ibuprofeno: outro método muito conhecido que ajuda a parar a menstruação é a toma de ibuprofeno a cada 6 ou 8 horas, já que este medicamento tem a capacidade de diminuir o sangramento do corpo e, portanto, o período. Isso sim: para evitar que você se sinta mal, nunca tome ibuprofeno de estômago vazio, tome sempre depois das refeições e, em caso de dúvida, consulte o seu médico ou especialista;
  • Banho de água quente: um outro truque mais simples que ajuda a cortar a menstruação é tomar um banho ou um duche de água quente, por que tanto a água como a temperatura conseguem parar a menstruação.

Como Parar A Menstruação Que Ja Desceu?

Em seguida, explicaremos como cortar a menstruação de imediato com remédios caseiros que ajudam a reduzir a quantidade de sangue que é expulsa pelo corpo. Confira essa lista com os remédios para parar a menstruação mais populares:

Gelatina para parar a menstruação

A gelatina para parar a menstruação é um dos remédios populares mais famosos. Trata-se de um método muito simples e eficaz que vai ajudar você a parar o sangramento de forma momentânea. Para isso você apenas vai necessitar de:

  • Um copo de água;
  • 1 gelatina.

Você deve bater os ingredientes até obter um bebida fácil de digerir. Depois disso, você apenas necessita tomar a mistura como se fosse um refresco e, em poucas horas, a sua menstruação será interrompida por algumas horas.

Vinagre corta a menstruação

Outro remédio natural para quer saber como interromper a menstruação é o vinagre de maçã. É um produto que não vai segurar a menstruação de forma completa mas vai reduzir o fluxo para que não seja tão incômodo. Para fazer este remédio você vai precisar:

  • 2 colheres de vinagre de maçã;
  • 1 copo de água.

Você apenas necessita diluir o vinagre de maçã, misturar bem e beber esta mistura 2 ou 3 vezes ao dia.

Infusão de tomilho para parar a menstruação

Outra das forma de parar imediatamente a menstruação é através de uma infusão de tomilho que ajuda a reduzir o sangramento de forma rápida e efetiva. Para isso, prepare um infusão com esta erva medicinal e tome depois das refeições. Se você desejar, adicione um pouco de mel para adoçar o chá para parar menstruação.

Limão corta a menstruação

O limão possui as propriedades ideais para parar a menstruação. Para você usar este remédio natural, apenas necessita fazer um suco com 2 limões e beber durante o dia para que o sangramento seja reduzido de forma considerável. Não abuse da sua ingestão por que o limão é uma fruta ácida e o seu consumo excessivo pode machucar o seu estômago.

Chá de canela para menstruação

E por fim, outro dos remédios mais conhecidos para quem deseja saber como suspender a menstruação de forma natural consiste em preparar um infusão de canela e ir tomando ao longo do dia em que você queira reduzir o sangramento. A canela é adstringente e, por isso, ajuda a fechar os vasos sanguíneos, fazendo com que a menstruação diminua, o que faz dela o ingrediente perfeito para preparar um chá para parar menstruação.

Compressa de gelo para menstruação

O último dos remédios naturais para baixar o fluxo menstrual e, finalmente, parar a menstruação é o uso de compressas de gelo. O gelo ou mais concretamente o frio atua no seu corpo como vasoconstritor. Isto é, faz com que o vasos sanguíneos se contraiam, travando a menstruação.

O método de aplicação é muito simples, você apenas necessita colocar compressas de gelo na parte inferior do ventre durante intervalos de 15 minutos a cada 4 horas. Com o passar do tempo, você notará a quantidade de menstruação reduzindo até que finalmente para.

Como Parar A Menstruação Que Ja Desceu?

Cada vez que você quer solucionar uma condição física de imediato, a primeira solução que surge são os medicamentos, não é mesmo? Existe algum comprimido que me pode ajudar de forma imediata? No caso de cortar a menstruação, existem algumas alternativas, cada uma com as suas características,por isso explicamos tudo em seguida. Antes de mais, você tem de saber que jamais deve tomar um medicamento por si própria, é necessário que você fale com um médico para que ele aconselhe a sua adequabilidade. Confira algumas opções de medicamento para cortar menstruação:

Anticoncepcional para cortar menstruação

As pílulas anticoncepcionais são um bom método para cortar a menstruação por um mês, não obstante, o método para usá-las vai variar dependendo de se você já estava tomando a pílula ou se é a primeira vez que você toma.

Se você começou a tomar anticoncepcional oral agora, deve fazer o seguinte:

  1. Comece por determinar quantos dias você quer adiar a menstruação;
  2. Uma vez que a menstruação desceu e já passaram 5 dias, comece a tomar a pílula;
  3. No mês seguinte, a menstruação vai descer 5 dias depois do que era habitual para você.

Se você já toma:

  1. Antes que a menstruação desça, não faça o descanso;
  2. Continue tomando a pílula do novo ciclo e, nesse mês, a menstruação não vai descer;
  3. Não esqueça que isto deve ser algo excepcional, e não um método regular.

Existem também pílulas de uso contínuo que permitem cortar a menstruação por alguns meses, já que possuem um carga hormonal baixa e podem ser tomadas de forma continua.

Como não existe pausa, a mulher não menstrua.

O DIU hormonal também é uma opção para não menstruar, converse com o seu ginecologista sobre o tema e confira mais informação no artigo DIU: para que serve, vantagens e desvantagens.

Aspirina não para a menstruação

Existe muita gente que fala da aspirina como um método para cortar a menstruação, mas se o escrevemos nesse artigo não é para dar força para que você o faça, bem pelo contrário.

A aspirina não vai fazer com que a menstruação pare.

Se você tiver em conta que este medicamento é fabricado à base de ácido acetilsalicílico, algo que evita a formação de coágulos, o que vai fazer não é cortar a menstruação mas sim aumentar o sangramento menstrual.

Primosiston corta a menstruação

Para quem pretende cortar a menstruação imediatamente ou ainda atrasar ou antecipar o sangramento menstrual por alguns dias, é possível tomar um medicamento chamado Primosiston. Este remédio apenas está disponível com receita médica, pelo que você deve falar com o seu ginecologista sobre o tema antes de ir correndo na farmácia.

Os componentes do medicamento impedem a produção hormonal e a ovulação, sendo assim capazes de parar a menstruação. Ele também pode ser usado para cessar hemorragias uterinas. Este medicamento é contraindicado na gravidez e lactância, em mulheres com câncer de mama, doenças cardíacas, problemas hepáticos, anemia ou infartos ou derrames prévios.

Este artigo é meramente informativo, no ONsalus.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos médicos nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como parar a menstruação imediatamente, recomendamos que entre na nossa categoria de Sexualidade.

chá para a menstruação descer: será que é mesmo uma boa ideia? vem descobrir

Seu fluxo atrasou e você foi procurar opções de chá para a menstruação descer? Ok, amiga, muuuitas meninas fazem isso e nem sempre é um problema. Mas, antes de ir para a cozinha preparar o chá de canela, é importante pesquisar o máximo possível sobre o assunto e conferir as contraindicações.

Leia também:  Ninguem Como Tu Quem Matou O Antonio?

Tomar chá para a menstruação descer nem sempre é tão simples quanto parece. Você já sabe que o seu corpo é sua casa, seu amigo, e precisa de muito cuidado e atenção, certo? Por isso, nós, da pantys, buscamos saber se o consumo de chá nesses casos é mesmo uma boa ideia. Ficou curiosa? Então vamos juntas entender melhor tudo isso!

consumo de chá para menstruação atrasada x comprovação científica

Direto ao ponto, amiga: não há comprovações científicas de que tomar chá para menstruar seja mesmo efetivo. O que se sabe, por ora, é que o consumo de determinadas ervas em alta concentração pode provocar contrações uterinas e, possivelmente, estimular o seu fluxo menstrual.

Além disso, a ginecologista Denise Fernandes ressalta que “ao contrário do que muita gente pensa, mesmo sendo completamente natural, os chás têm efeitos medicinais e por isso mesmo não devem ser usado indiscriminadamente.”

Também é importante ter em mente que a quantidade ingerida de chá para descer a menstruação deve ser concentrada. No entanto, a comunidade científica ainda não pode apontar uma dosagem precisa por falta de estudos conclusivos sobre o assunto.

chá para a menstruação descer x suspeita de gravidez

Chá para a menstruação descer pode ser uma boa ideia quando você sabe que está tudo bem com o seu organismo ou quando não há suspeita de gravidez. Mas, se você teve relações sexuais nos últimos dias e acha que o atraso do fluxo pode estar ligado a uma possível gestação, o melhor é evitar o consumo das ervas.

A razão é exatamente a mesma que leva algumas meninas a tomarem chá para a menstruação descer: um possível aborto espontâneo. No entanto, é importante ter em mente que isso pode colocar sua saúde em risco, por isso, o melhor é evitar.

menstruação atrasada: possíveis causas além da gravidez

Além de uma gravidez, há diversas outras causas que podem resultar no atraso menstruação. Por isso, antes de procurar qual chá faz a menstruação descer mais rápido, é importante ficar atenta a todos os sintomas que o seu corpo pode estar desenvolvendo.

Problemas emocionais, como estresse e ansiedade, podem mexer (e muito!) com o seu ciclo. Isso acontece porque o cérebro é afetado por essas emoções, principalmente na região onde é produzido o folículo hormônio estimulante (FSH), fundamental para a sua ovulação.

A síndrome do ovário policístico também aparece como uma possível causa para o atraso da menstruação. Nesse caso, é super importante ficar atenta aos demais sintomas, que podem envolver ganho de peso, aparecimento de acne e queda de cabelo, por exemplo.

procurando ajuda médica

Se a sua menstruação atrasou e você desconfia de uma possível gravidez, o melhor é fazer um teste. Se não houver chances de ser uma gestação e o fluxo atrasar por meses seguidos, é importante ficar de olho nos outros sintomas e marcar uma consulta com o seu ginecologista de confiança.

Somente o médico poderá descobrir o real motivo para o atraso da sua menstruação e indicar a melhor opção de tratamento. E caso não seja detectada nenhuma razão específica, é válido bater um papo com ele sobre o melhor caminho para regular o seu ciclo e até mesmo sobre a possibilidade de tomar chá para a menstruação descer.

Caso ele autorize o consumo, o melhor é pesquisar quais são as opções de chá para a menstruação descer. Abaixo, exemplificamos dois sabores e o modo de preparo. Vem ver:

Chá de canela

A canela possui propriedades que estimulam a circulação sanguínea, os batimentos cardíacos e o aumento da pressão e a contração uterina. Por isso, é uma das opções mais comuns de chá para descer a menstruação.

Para prepará-lo, basta encher uma chaleira com água, inserir canelas em pau e levá-las ao fogo. Depois que a água alcançar o ponto de fervura, você pode servir em uma xícara ou caneca e adoçar como preferir.

Chá de boldo

Assim como o chá de canela, o chá de boldo faz a menstruação descer porque também possui propriedades que beneficiam a circulação sanguínea e, consequentemente, estimulam o fluxo menstrual.

Na hora de prepará-lo, adicione folhas de boldo em uma chaleira, complete-a com água e aguarde o ponto de fervura. Feito isso, basta coar e adoçar com açúcar ou adoçante.

Menstruação e verão: Pode atrasar ou parar menstruação? E o absorvente na água? – ISTOÉ Independente

Menstruação e verão: Com o verão e as férias de fim de ano, tudo que a gente quer é curtir uma piscina/mar e poder relaxar sem preocupações. Contudo, pode ser que seu ciclo menstrual não esteja com as mesmas intenções que você e você menstrue bem no seu momento de relaxamento. Mas o que é possível fazer?

Veja também

+ Esfoliação capilar: como e quando fazer?
+ Primeira vez: 7 situações sexuais que vão além da perda da virgindade
+ 6 razões pelas quais você está fazendo cocô verde

Menstruação e verão: É possível atrasar ou parar a menstruação?

“A resposta é sim, caso a mulher já faça uso de anticoncepcional. É possível realizar emendas eventualmente para que não apresente fluxo menstrual.”, diz a ginecologista obstetra e mastologista, Dra. Fernanda Torras.Mas é importante sempre conversar com seu ginecologista para saber se o tipo de pílula que usa é adequada para este tipo de conduta.

Já para mulheres que não usam métodos hormonais, infelizmente, não é possível interromper a menstruação.

Outra saída para quem toma pílula, também pode fazer com que o ciclo desça antes do previsto, se a questão for poucos dias. “Neste caso, é possível interromper a cartela alguns dias antes e fazer a pausa menstrual antecipadamente”, diz Torras.

Já estou menstruada. Tudo bem se eu for para praia ou piscina menstruada?

Para ir à praia ou piscina menstruada, é necessário prestar atenção e escolher corretamente a roupa de banho, evitando cores claras e calcinhas cavadas.

É indicado o uso de absorvente interno ou coletor menstrual para evitar possíveis “acidentes”: “É incomum haver sangramento na água, pois a pressão impede os vazamentos, mas logo após, ele pode ocorrer.

Portanto, se existe fluxo, devem ser utilizados os métodos acima. E quando sair da água o absorvente interno deve ser trocado”, orienta a especialista.

Lembrando das trocas frequentes a cada 3 horas dos absorventes internos e período maior no uso dos coletores, de acordo com a intensidade de fluxo, higienizando obrigatoriamente a cada 12 horas.

Se seguir este padrão de trocas e cuidados, não ocorrerá vazamentos ou desconfortos pelo fluxo menstrual.

Há ainda calcinhas de biquíni absorventes para uso em conjunto com absorventes internos e coletores, que garantem absorção em caso de vazamento acidental!

Veja também

+ Receita de bolinho de costela com cachaça + Gabriel Medina torna-se alvo de sites de fofoca + Cientistas descobrem nova camada no interior da Terra + Receita de panqueca americana com chocolate + Receita rápida de panqueca de doce de leite + Contran prorroga prazo para renovação da CNH + Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa + 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer + Cinema, sexo e a cidade + Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais + Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz + Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago + Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS

Menstruação prolongada: conheça as principais causas

O fluxo menstrual está presente na vida de toda mulher, desde a puberdade até a menopausa. Ela sinaliza o início da ovulação feminina que, em resumo, significa que o corpo já está preparado para uma gestação.

Quando o ciclo apresenta-se regular e com duração de 3 a 7 dias no mês, é um forte indicativo de que a saúde da mulher está em dia. Agora, o que pouca gente costuma prestar atenção, é na chamada menstruação prolongada.

Já ouviu falar sobre isso?

Em um primeiro momento, você pode até acreditar que esse fenômeno é comum e não deve ser motivo de preocupação. Mas não se engane: por trás da irregularidade do fluxo, há grandes chances de existir uma doença grave e que precisará de um intenso acompanhamento com um médico especializado no assunto: o ginecologista.

Pensando nisso, e para deixá-la antenada, criei um post com tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Na leitura de hoje, explico as causas da menstruação prolongada e as principais formas de tratamento. Acompanhe e saiba mais!

Tudo sobre a menstruação irregular

Antes de descobrir o que é a menstruação prolongada, que tal entender, de fato, o que é um fluxo menstrual considerado saudável? Como falei, o ciclo menstrual tem início ainda na puberdade, que costuma ocorrer dos 10 até os 17 anos. Ainda assim, existem mulheres que menstruam antes ou após essa faixa etária.

A menarca — nome que se dá à primeira menstruação — é o indicativo que o corpo feminino começou a ovular e está pronto para uma gravidez. Contudo, caso não ocorra a fertilização, o endométrio (a mucosa que reveste o útero e foi formada para receber o embrião) se solta e provoca um sangramento: o famoso fluxo menstrual.

As menstruações regulares apresentam duração de 3 a 7 dias e devem ocorrer uma vez por mês.

Mas também é importante ter em mente que nem sempre esse é o cenário entre a maioria das mulheres.

Boa parte do público feminino apresenta menstruação irregular, o que dificulta o acompanhamento do período fértil e que, inclusive, pode ser uma consequência de sérias complicações de saúde.

Leia também:  Como Saber Qual A Placa Grafica Do Pc?

A seguir, falo com mais detalhes sobre isso. Confira.

A menstruação prolongada

Normalmente, as mulheres estão acostumadas com o atraso da menstruação ou, até mesmo, a ausência do fluxo no mês. Fato este, responsável por deixar muitas pessoas desesperadas, uma vez que tal acontecimento, pode ser o anúncio de uma gestação inesperada ou uma complicação ginecológica.

Por outro lado, há situações em que o fluxo menstrual, simplesmente, se torna prolongado, ou seja, dura muito mais tempo do que o normal.

Para ser considerada prolongada, a menstruação precisa se estender por mais de 8 dias, esteja ela apresentando fluxo intenso, moderado ou leve. Nesses casos, é importante prestar atenção tanto na quantidade de sangue que vem sendo expelido, quanto na sua tonalidade. Juntos, esses detalhes ajudarão o médico a compreender melhor o que está acontecendo com o seu organismo.

Outro ponto que vale a pena ser considerado, é o número de vezes que a mulher troca de absorvente por dia. Caso passe de 6 trocas, isso pode significar que o fluxo está muito alto. O mesmo vale para a cor do sangue que, se estiver escura ou clara demais, o ideal é acionar imediatamente o ginecologista.

Consequências

Além do grande incômodo causado pela menstruação prolongada, essa complicação pode causar outros problemas. Esse é o caso da anemia, que surge em mulheres que apresentam um fluxo menstrual intenso e de longa duração.

Se a menstruação se estender por muito tempo, a paciente pode começar a apresentar tontura, fraqueza, indisposição, mal estar e deficiência de ferro no organismo necessitando, assim, uma intensa reposição do nutriente. Esse tratamento deve ser realizado por meio da alimentação e também pela ingestão de suplementos específicos.

As causas da complicação

Pouca gente sabe, mas há inúmeras causas por trás de uma simples menstruação prolongada. Essas razões podem variar muito, desde um problema hormonal até algo mais sério, como o câncer. Entre os fatores que mais contribuem para esse cenário, podemos destacar:

  • estresse e ansiedade;
  • alterações hormonais e distúrbios na tireoide;
  • alterações na ovulação;
  • mioma uterino;
  • erros de cálculo;
  • gravidez;
  • interrupção da pílula anticoncepcional;
  • pólipos no útero;
  • câncer;
  • doenças hemorrágicas;
  • uso de DIU, em especial, o de cobre.

Atenção: há situações em que a menstruação fica irregular ou leva mais tempo para acabar por razões simples. O mais comum é que isso aconteça após o uso de medicamentos (como a pílula do dia seguinte), entre mulheres que estão entrando na menopausa ou, também, entre adolescentes que ainda não estão com o ciclo menstrual regularizado.

Por conta disso, é de extrema importância investir no acompanhamento médico para identificar a real causa do problema.

Diagnóstico

Para identificar o que está causando a menstruação prolongada, o médico precisará avaliar a região genital por meio do exame do toque. Já para um resultado mais apurado, muitos especialistas têm o costume de solicitar a realização de alguns exames de análise, sendo a colposcopia e o papanicolau os principais deles.

Os tratamentos para menstruação prolongada

Após identificada a causa da menstruação prolongada, o ginecologista pode recomendar diferentes tratamentos. Tudo dependerá da gravidade do problema e das alternativas disponíveis. As opções mais indicadas da atualidade são:

  • o uso de pílula anticoncepcional para equilibrar os índices de hormônios presentes no organismo;
  • a ingestão de medicamentos anti-inflamatórios, que ajudam a diminuir o sangramento;
  • dilatação e curetagem do útero, nos casos mais graves. Aqui, também é possível remover o endométrio ou o colo do útero, dependendo da situação da paciente.

Lembre-se: ao identificar a menstruação prolongada, evite a automedicação ou o uso de remédios caseiros que prometem contornar o problema. A melhor saída é recorrer a um especialista, que tem estudo e experiência suficientes para indicar a melhor solução.

E então, gostou de saber mais a respeito da menstruação prolongada, bem como as suas formas de tratamento? Espero que sim!

Se você deseja continuar se informando sobre a saúde feminina e os cuidados que o seu corpo merece, aproveite o momento e confira, agora, os 6 motivos para procurar uma clínica ginecológica!

Não encontrou aqui todas as informações que buscava? Deseja ser atendido por um de nossos especialistas? Clique no link abaixo e agende sua consulta:

Menstruação: interromper ou não?

Os dias marcados pela menstruação mudam um pouco (ou muito) a rotina das mulheres.

Há quem evite usar determinadas roupas ou não se sinta à vontade para frequentar praia, piscina e academia. Fora que uma parcela considerável sofre com as cólicas.

Ainda assim, em uma pesquisa do Datafolha, das 2 004 participantes de 18 a 35 anos entrevistadas, 45% relataram gostar de passar por esse processo.

Mas qual a razão por trás desse curioso apreço pelo fluxo sanguíneo mensal? Para 39% delas, o fenômeno é um sinal de que o organismo está saudável. Será mesmo?

“A menstruação regular sugere o bom funcionamento de vários órgãos e sistemas. Quando a mulher não menstrua na idade esperada ou tem seus ciclos interrompidos sem intenção, é preciso descobrir o motivo e tratar o problema”, explica o ginecologista e obstetra Fernando Reis, coordenador do setor de Reprodução Humana do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

A questão é que esses desajustes tendem a ser puramente hormonais. “Agora, a hipótese de que a perda de sangue seja, por si só, necessária ao equilíbrio fisiológico da mulher nunca foi confirmada”, pondera o médico.

No levantamento do Datafolha, também é interessante notar que, independentemente de gostar ou não de menstruar, 74% das participantes disseram que decidir sobre o próprio ciclo menstrual daria mais controle sobre suas vidas.

A busca por acabar com a inconveniência do sangramento periódico é compreensível para mulheres cujas profissões exigem se submeter a condições atípicas, como astronautas e soldadas, mas passou a ser desejada por aquelas com rotinas bem mais comuns.

“Com os métodos contraceptivos atuais, é possível espaçar e programar a data das menstruações. E sem prejuízo para a saúde”, avalia Reis. “Se há necessidade de suprimir a menstruação, existem opções seguras”, completa.

O lado bom de interromper a menstruação

Perceba que, até aqui, falamos de necessidade. Para muitos especialistas, a interrupção da menstruação não só combateria os sintomas típicos do período – cólica, dor de cabeça e por aí vai – como amenizaria certas doenças.

Uma defensora desse raciocínio é Paula Hillard, professora de ginecologia e obstetrícia da Universidade Stanford, nos Estados Unidos. “Mulheres com problemas que causam menstruações muito dolorosas ou anemia vão ter efeitos positivos com a supressão. Isso também pode beneficiar portadoras de algumas condições, como epilepsia, enxaqueca e diabetes”, justifica a médica.

Novamente, a chave está nos hormônios. No caso do diabetes, as alterações que acompanham o ciclo aumentam o nível de açúcar no sangue. Já a epilepsia é agravada pela maior presença de estrogênio no organismo.

No Brasil, a paralisação do ciclo menstrual tem sido pregada com afinco pelo ginecologista baiano Elsimar Coutinho, autor do livro Menstruação, a Sangria Inútil, publicado em 2000. Seu argumento contra o fenômeno se baseia no fato de que, historicamente, as mulheres menstruavam muito menos do que hoje, já que tendiam a emendar uma gravidez na outra.

Estima-se que, em gerações anteriores, a média de ciclos menstruais ao longo da vida era inferior a 100, ante cerca de 350 atualmente. Sangrar com tanta frequência, portanto, nada teria de “natural”, na visão de Coutinho.

De olho nessa história e no apelo da conveniência, a farmacêutica Bayer lançou uma pílula de ciclo flexível, que permite à usuária escolher quando e com que frequência deseja menstruar. A promessa é que os ciclos possam ser reduzidos a um mínimo de três vezes por ano.

O produto é considerado mais seguro para períodos prolongados (de até 120 dias) do que as pílulas tradicionais, cujas cartelas até podem ser “emendadas”, embora muitos médicos não aconselhem isso. A verdade é que não existe consenso de por quanto tempo ou com que periodicidade é possível recorrer a essa estratégia.

E os lados negativos

Se o sangramento menstrual por si só não é um indício de saúde geral, recorrer a pílulas ou a outro tratamento hormonal para modificar o ciclo exige indicação e acompanhamento médico – principalmente quando é uma opção adotada por conforto e não prescrição. “Não existe motivo para interromper a menstruação de pessoas saudáveis”, acredita Reis.

Apesar de ser considerado um método seguro para quem está em idade fértil, o uso prolongado da pílula anticoncepcional é associado a efeitos colaterais, como eventuais prejuízos na fertilidade.

“Ela provoca uma pequena descamação no útero, tanto que o sangramento a cada ciclo vai diminuindo.

E há o risco de o endométrio atrofiar até o ponto em que não se tem mais fluxo sanguíneo”, explica a endocrinologista Elaine Frade Costa, do Hospital das Clínicas de São Paulo.

Por falar nisso, o sangue que surge ao final da cartela nem é menstruação de verdade, já que não inclui o óvulo não fecundado. Ou seja, quem toma pílula – mesmo sem emendar – não menstrua de fato.

No longo prazo, isso pode causar a chamada deficiência ovariana prematura. “Como o eixo hormonal reprodutivo fica bloqueado por muito tempo, existe a possibilidade de ele não voltar a funcionar normalmente ao se interromper o tratamento”, avisa Elaine. Aí é preciso fazer reposição hormonal.

Fora isso, nenhum método de supressão menstrual é infalível. “Há um intervalo em que sangramentos inesperados podem ocorrer”, aponta Paula Hillard. De acordo com a médica, o número de mulheres que conseguem chegar ao bloqueio total do sangramento ao final de um ano gira em torno de 60%.

Leia também:  Como Recuperar Cartão Sd Que Não Reconhece?

“A supressão hormonal da menstruação não é perfeita, mas, para uma fatia expressiva da população, é capaz de trazer alívio significativo em relação à dor e a problemas médicos”, diz. Menstruar ou não deve, sim, ser uma escolha da mulher – só que bastante ponderada dentro do consultório do ginecologista.

O que mais colocar na balança

Conforto: Não menstruar permite à mulher fazer suas atividades habituais sem sentir cólicas ou dores decorrentes do ciclo. Mas a suspensão com a pílula também pode acarretar incômodos, viu? Eles vão desde dores de cabeça até inchaços.

Financeiro: se a mulher tem um fluxo curto, de três dias, o valor desembolsado com absorventes dificilmente será maior do que o necessário para bancar métodos de interrupção do ciclo. Contudo, se o sangramento for prolongado e intenso, convém fazer as contas.

Indicação médica: não se incentiva interferir no ciclo menstrual a não ser que a mulher tenha uma doença específica ou sofra muito durante o ciclo. Até porque menstruar garante a descamação e renovação do endométrio, a camada interna do útero, para uma futura gravidez.

Riscos: ainda que incite desconfortos em alguns casos, menstruar, em geral, não traz perigos. Por outro lado, decidir parar de sangrar pode ocasionar efeitos colaterais atrelados ao método utilizado, como maior risco de trombose, além de aumento da pressão arterial.

Métodos para não menstruar

DIU hormonal: é opção só para quem já iniciou atividade sexual. O dispositivo intrauterino libera, aos poucos, pequenas doses do hormônio levonorgestrel. Mas 30% das usuárias seguem menstruando porque a função ovariana não é bloqueada.

Pílula anticoncepcional: tomá-la sem interrupção é a forma mais utilizada hoje em dia para cessar o fluxo sanguíneo. Em geral, indicam-se pílulas apenas com progesterona, e o sangramento de escape é relatado em menos de 10% dos casos.

Implantes subcutâneos: trata-se de um pequeno tubo de silicone colocado no glúteo ou no braço, com duração de, em média, três anos. O acessório solta hormônios diretamente no sangue – e eles impedem a função do ovário.

Anticoncepcional injetável: tem a mesma ação da pílula. A diferença é que os hormônios são injetados no músculo da nádega e circulam por um determinado período de tempo, que fica entre 30 e 90 dias.

Continua após a publicidade

História manchada de polêmicas

De origem da vida a causa de doenças: como a menstruação foi encarada através dos séculos

– Ilustração: Veridiana Scarpelli/SAÚDE é Vital

400 a 300 a.c.

Havia a crença de que a menstruação, misturada ao sêmen, dava origem ao embrião. Portanto, menstruar sem “fertilizar” era considerado um assassinato infantil, o que levava meninas a se casarem antes do primeiro sangramento.

– Ilustração: Veridiana Scarpelli/SAÚDE é Vital

Século 6 d.c.

O arcebispo de Roma Cesário de Arles afirma que, ao contrário do que se pensava no passado, fazer sexo com uma mulher menstruada não era interessante, pois causaria doenças sérias aos filhos, como lepra, epilepsia ou possessão pelo demônio.

– Ilustração: Veridiana Scarpelli/SAÚDE é Vital

Séculos 18 e 19

Descobre-se que o sangue da menstruação é diferente daquele das veias. Mais: o fenômeno ocorreria em poucas espécies, sendo praticamente restrito a primatas. Com a popularização da teoria evolucionista, menstruar passa a ser encarado como um processo absolutamente natural.

1930

Surge o primeiro absorvente interno comercial, nos Estados Unidos. Não havia sequer uma corda, mas era melhor do que os panos usados até então. Vinham com avisos de que não interferia na hora de urinar e era apropriado para “garotas não casadas”.

1946

A Disney lança um vídeo em que explica o ciclo menstrual e dá dicas de alimentação e exercícios durante o período andar a cavalo não seria prudente. Sem muito dinheiro na época, a produtora fazia películas patrocinadas pelo governo americano.

– Ilustração: Veridiana Scarpelli/SAÚDE é Vital

1964

Um relatório da Nasa coloca em xeque a admissão de astronautas mulheres em decorrência de uma “alteração de humor durante a menstruação”. Por uma década, elas foram proibidas de ir a missões no espaço por causa dos ciclos que, sabe-se, não se alteram sem a presença da gravidade.

2011

Uma pesquisa americana revela que células-tronco encontradas no sangue menstrual podem ser utilizadas em tratamentos para esclerose lateral amiotrófica e AVCs. Já existem até bancos de sangue menstrual nos Estados Unidos.

Continua após a publicidade

Da pílula ao orgasmo: como encurtar ou interromper o fluxo menstrual

Você sabia que há maneiras de encurtar ou parar os períodos menstruais? Os métodos ainda não foram completamente desvendados pela ciência, mas estão disponíveis e têm sido cada vez mais usados pelas mulheres.

Entre os alguns dos métodos mais utilizados estão as pílulas anticoncepcionais e outros métodos contraceptivos hormonais.

É seguro?

Segundo a Rede Nacional de Saúde da Mulher (NWHN, na sigla em inglês), não há evidências de que os períodos de abandono do uso de anticoncepcionais sejam prejudiciais à saúde. No entanto, as mulheres podem experimentar alguns efeitos colaterais ao utilizarem por muitos anos.

 A American Cancer Society, por exemplo, alerta para o fato de que o uso a longo prazo pode aumentar o risco de câncer de mama e câncer cervical. No entanto, a entidade informa que também podem diminuir os riscos de câncer no endométrio, no ovário e no colo.

Portanto, a escolha certamente fica nas mãos das mulheres.

Além disso, não há maneiras infalíveis de interromper o período, mas alguns métodos podem aumentar a velocidade com que o sangue menstrual deixa o útero ou impedir que ele venha. O site especializado Medical News Today preparou uma lista das técnicas mais conhecidas para controlar a menstruação.

1. Sem absorvente

Os absorventes podem bloquear a saída do fluxo de sangue, o que muitas vezes prolonga a duração do sangramento. Ainda assim, como absorventes higiênicos não devem impedir o fluxo menstrual, algumas pessoas acreditam que seu uso pode, na verdade, ajudar o período a terminar mais cedo.

2. Orgasmo

Atividades sexuais, como sexo e masturbação, estimulam contrações uterinas, o que pode causar maior fluxo menstrual em um tempo mais curto. Embora não haja evidências científicas para apoiar esse método, não há efeitos colaterais adversos, por isso não é arriscado tentar.

3. Atividade física

O movimento muscular resultante do exercício físico pode aumentar o fluxo de sangue que deixa o corpo, reduzindo potencialmente a duração de um período. No entanto, ainda não há muitos estudos a respeito. Mas exercitar-se regularmente traz muitos outros benefícios para a saúde.

Continua após a publicidade

3. Pílula combinada

As mulheres que tomam a pílula anticoncepcional combinada –  que mistura hormônios de estrogênio e progestina – ajudam a suprimir a ovulação e a manter o revestimento do útero fino.

 Durante seu uso, as mulheres tomam pílulas ativas por três semanas; na semana seguinte, ficam sem pílulas ou ingerem pílulas placebo (sem efeito), momento no qual devem ficar menstruadas; por causa disso é possível saber quando o fluxo menstrual chega.

No uso da pílula é possível encurtar e/ou suprimir o período. Para ambos os casos, a forma é a mesma: basta começar a nova cartela assim que chegar às pílulas ‘placebo’, no caso de quem as têm; ou iniciar a nova cartela no momento em que não deveriam estar tomando nada.

Esse recurso simples mantém os níveis de hormônio contantes e pode impedir que a menstruação ocorra. As estimativas indicam que esse método funciona em 80% das vezes, no caso da interrupção.

Para encurtar o período não existem estimativas e pode não funcionar para muitas mulheres.

Também existem outras opções de pílulas  – sob prescrição médica – que só permitem a vinda da menstruação a cada três meses. No entanto, essa opção deve ser discutida com o ginecologista.

Interrupções de longo prazo

Também é possível interromper a menstruação por um longo período de tempo, técnica conhecida como supressão menstrual. Um dos métodos mais utilizados é o contraceptivos hormonal. Veja abaixo alguns do mais conhecidos.

1. Dispositivo intrauterino (DIU)

O DIU é uma solução contraceptiva de longo prazo que é inserida no útero da mulher, podendo durar de três a dez anos, dependendo do modelo.

Esse método contraceptivo é encontrado na forma hormonal – que pode interromper o período em até 80% do tempo – e não hormonal.

 O dispositivo pode ser removido a qualquer momento, informação útil para quem pensar em engravidar no futuro ou não conseguir se adaptar ao DIU.

2. Injeções hormonais

A injeção de progesterona contém progestina – composto sintético que tem efeitos similares aos da progesterona – e é administrada sob a pele ou no músculo a cada três meses. Ao fim do primeiro ano de uso, estima-se que 70% das mulheres não menstruem mais.

3. Implante contraceptivo

Assim como a injeção de progesterona, o implante contraceptivo contém progestina, que ajuda a inibir a ovulação e a prevenir o desenvolvimento folicular, resultando em períodos menores ou ausentes. Por ser um dispositivo pequeno, pode ser colocado abaixo da pele do braço. Esse método funciona para suprimir períodos em até 41,25% das mulheres após três anos de uso.

As opções para interromper ou encurtar o período são muitas, mas devem ser escolhidas com o auxílio de um especialista, que deve mostrar os prós e os contras de cada técnica e se realmente vale a pena adotá-la.

Continua após a publicidade

  • Atividade Física
  • Câncer
  • câncer de mama
  • Menstruação
  • Métodos Contraceptivos

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*