Como Os Pombos Correios Sabiam Onde Ir?

Nesse segundo episódio da saga sobre A Evolução dos Meios de Comunicação, vamos falar sobre os Pombos-correios

Por Matheus Lima

Atualmente, com os nossos sistemas de comunicação sofisticados podemos enviar mensagens imediatamente para qualquer lugar do mundo, é muito difícil pensar que um dos meios mais rápidos de transmissão e comunicação de informações foi através da utilização de pombos. No entanto, muito devemos a capacidade destas aves, que, durante séculos, viajaram longas distâncias para transportar mensagens que não estávamos esperando.

Os pombos-correio se diferenciam dos demais, porque eles têm um excelente senso de direção e um corpo mais atlético, podendo viajar até mil quilômetros em um único dia a uma velocidade de 90 quilômetros por hora.

O uso de pombos-correio na história

O uso dos pombos para fins de comunicação tem sido historicamente muito variado. Por exemplo, eles tiveram importância vital durante os períodos de guerras na idade média, onde o transporte de mensagens, normalmente, era feito através destes animais, embora sua história remonte a muitos anos.

Há registros de que já se utilizavam pombos como correio em 2.800 A.C.

Na mitologia e na literatura, temos vários relatos nos quais podemos ver o trabalho destes pequenos voadores, por exemplo, em “As mil e uma noites”, onde se referem a eles como tendo grande importância, vejamos este trecho: “… temos de capturá-los, os quarenta pombos do califa, colocá-los em uma gaiola e trazê-los também!”.

Eles têm sido um símbolo significativo para representar a entrega de mensagens, se revisarmos textos antigo, como a Bíblia, por exemplo, vemos que o Espírito Santo vem através de uma pomba e, igualmente, uma pomba anunciou o nascimento de Jesus à Maria. Uma pomba também deu a Noé um raminho de oliveira, como uma mensagem sobre o que havia em terra, nas proximidades. Além disso, nas antigas civilizações grega e romana, temos encontrado referências da utilização de pombos para fins de comunicação.

Como Os Pombos Correios Sabiam Onde Ir?

Por exemplo, eram os pombos que informava os nomes dos vencedores dos Jogos Olímpicos nos confins do Império. Já na Roma antiga, as tropas romanas tinham pombos-correio que transportavam diversas campanhas militares. No entanto, seu uso não é exclusivo da história clássica.

Durante a Primeira Guerra Mundial era um privilégio ter estes amigos emplumados e, mesmo durante a Segunda Guerra Mundial, eles eram utilizados para evitar que as conversas fossem interceptadas. Em ambas as guerras foram importantes à formação de diferentes animais, como cães e gatos.

Até se chegou a pensar na utilização de morcegos.

  • Como Os Pombos Correios Sabiam Onde Ir?
  • Os pombos não transportavam exclusivamente mensagens, eles também foram utilizados para entregar pequenos objetos que estavam em outro lugar e que precisavam chegar com urgência, com, por exemplo, tubos de sangue de hospitais ou laboratórios.
  • Alguns exércitos modernos continuam mantendo o treinamento de pombos-correio, a fim de manterem um plano de contingência no caso de surgir algum conflito que faça os sistemas modernos de comunicação entrar em colapso.

Os pombos-correios na atualidade

Enquanto a columbofilia (que se refere à criação e treinamento dos pombos) ainda é implementada, eles são utilizados principalmente em eventos esportivos, principalmente na Espanha.

Há um número considerável de clubes de criadores, a fim de manterem a tradição de treinamento de pombos, bem como para incentivar o esporte e a competição saudável. No esporte, visa fazer com que um pombo retorne ao seu pombal depois de algum tempo de voo.

A ideia é que dois ou mais pombos sejam liberados e que estes retornem aos seus pombais.

Como Os Pombos Correios Sabiam Onde Ir?

Dentre eles existem os chamados pombos-ladrões, que tentam conquistar ou arrastar os pombos adversários (por isso são chamados de pombos-ladrões) para o pombal adversário.

O dono do pombo que estiver em vantagem, mantém o pombo do adversário.

Outra forma de competição consiste em soltar os pombos em um espaço aberto, ou em um diferente do qual eles estão acostumados, ganha aquele que conseguir identificar e retornar ao seu respectivo pombal mais rápido.

“O que o Júlio César teve haver com o surgimento do jornal? Para que finalidade eram usados? Como eram feitas? Essas e outras perguntas você vai descobrir no próximo capítulo”

Fontes:

 https://meusanimais.com.br/pombos-correios-passaros-que-fizeram-historia/

www.columbofilia.net/

Capítulo 1 – Comunicação: O início de tudo

Como o pombo-correio sabe para onde ele deve levar a mensagem?

Como Os Pombos Correios Sabiam Onde Ir? Pombo-correio do criador Brasilio Marcandoro Neto, diretor da Federação  Paulista de Columbofilia. 

Foto: Fernando Moraes

O pombo-correio não leva uma mensagem espontaneamente a um determinado destino, como muita gente pensa. Ao invés disso, ele é transportado de seu local de origem até um certo ponto de partida, de onde ele saberá como retornar à sua casa. “É um mecanismo natural que ele tem. Trata-se de uma estratégia adaptativa, ou seja, um resultado da seleção natural.

Alguns animais são nômades, outros, migratórios.

Já os pombos-correio possuem uma moradia fixa e procuram sempre voltar para esse abrigo, onde encontram proteção, alimento e os membros de seu bando”, diz o professor Ronald Ranvaud, que ministra as disciplinas de Neurofisiologia e Ciências Cognitivas no Departamento de Fisiologia e Biofísica do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP). “Na etologia, que engloba os estudos de comportamento, isso é chamado de fidelidade ao sítio de origem”, complementa. Ele conta que, além dessa característica, esses animais apresentam também um comportamento gregário, o que significa que não são solitários e, por isso buscam estar sempre juntos a um bando.

Os pombos-correio são da mesma espécie dos pombos comuns que se veem nas ruas, mas pertencem a uma raça diferente. Seu porte é maior e possuem uma carúncula mais acentuada na base do bico. Durante a Primeira e a Segunda Guerra Mundial, eles foram bastante utilizados para o envio de mensagens, como um recurso alternativo de comunicação.

“Documentos da época mostram caminhões que serviam como pombais móveis. Mesmo que eles fossem levados a lugares diferentes a cada dia, desde que não muito distantes do local de origem, os pombos conseguiam voltar”, conta o professor. Ronald explica que as mensagens ou encomendas são geralmente amarradas na perna do animal, ou colocadas em um tipo de mochila especial.

Hoje em dia, essas aves ainda são utilizadas como mensageiras. “Até recentemente, o exército russo mantinha uma 'divisão' para pombos-correio. Na Inglaterra, há cerca de dez anos, um hospital os usava para levar amostras ao seu laboratório, por ser um transporte mais rápido, que não precisa enfrentar o trânsito.

E faz parte do folclore que elas também sejam usadas no contrabando de drogas e diamantes”.

Mas não é qualquer pombo que se pode usar como mensageiro. Se pegássemos um exemplar na rua e o levássemos para um local desconhecido, ele provavelmente conseguiria voltar para casa – mas existe uma limitação. “Se o animal for afastado cerca de 15 km de onde vive, por exemplo, ele certamente saberia encontrar o caminho de volta.

Mas se essa distância exceder uns 50 km, ele dificilmente voltaria, pois precisaria ter um porte de atleta”, diz Ronald Ranvaud. Por isso, os pombos-correio são treinados desde pequenos a voar longas distâncias para ganhar resistência e não se perderem.

O treinamento começa a ser realizado a partir do momento em que o animal aprende a voar, geralmente aos 30 a 45 dias de vida. “Inicialmente, ele faz voos livres todos os dias, não se afastando muito do pombal. A partir dos três meses de idade, já se pode afastá-lo uns 30 km de sua casa que ele saberá voltar”, conta o professor.

Aos poucos, as distâncias vão aumentando e as direções para onde é levado também são diversificadas. “Cada uma dessas ocasiões representa um aprendizado”, explica o professor.

Para se guiar no caminho de volta, os pombos possuem três habilidades fundamentais: a visão, pela qual localiza o Sol e identifica sua posição (leste, oeste e norte); o relógio interno, por meio do qual identifica o período do dia (manhã, meio-dia, tarde, noite); e a memória, que ele utiliza para aprender a relação entre a posição do Sol e o horário.

“O Sol muda de lugar ao longo do dia: de manhã, indica o leste; ao meio-dia, o norte (no hemisfério sul); de tarde, oeste. Funciona como uma bússola”, diz Ronald. “Mas para usar o astro como bússola, é essencial ter um relógio para saber qual a sua posição a cada hora do dia”.

Para comprovar a importância dessa relação, o professor cita um experimento onde um pombal é colocado dentro de um laboratório sem janelas durante uma semana. A luz é ligada todos os dias na posição onde nasce o Sol, mas com seis horas de atraso, ou seja, ao meio-dia, e desligada também seis horas depois que ele se põe, à meia-noite.

“Se depois disso, o pombo for levado a uma distância pequena e liberado ao meio-dia, a ave vai olhar para o Sol e achar que são seis da manhã, porque seu relógio interno está atrasado. Então interpretará que a posição indicada pela luz é o leste, quando na verdade é o norte. Então é como se ele virasse o mapa 90 graus para a esquerda”, comenta.

Leia também:  Como Tirar A Musica Do Celular Quando Alguem Liga?

Apesar disso, alguns conseguem voltar, mesmo que levem alguns dias, pois, aos poucos, seu relógio e sua bússola internos vão se ajustando. “É como o jet lag, a gente leva uns dias para se adaptar”, diz Ronald.

Atualmente, além de transportadores de mensagens e encomendas, os pombos-correio são usados em competições chamadas columbofilia. Esses torneios mostram que é muito difícil definir a distância máxima que esses animais conseguem percorrer no caminho de volta para seu abrigo.

“Há uma prova na Europa em que eles partem de Barcelona e chegam à Bélgica, percorrendo quase mil quilômetros. No Brasil, há uma em que saem de Brasília e chegam a São Paulo, ou seja, são mais de 900 quilômetros e tem pombo que voltou no mesmo dia. Alguns deles voam direto, sem paradas. Outros até param para beber água, por exemplo, depende da condição de cada um”.

E muitos deles não voltam: ou porque se perdem, ou porque são capturados por predadores, como o gavião.

Além dos pombos, outros animais também possuem essa capacidade. “Praticamente todos eles conseguem encontrar o caminho de volta para casa, em maior ou menor grau”, diz Ronald. “As abelhas fazem isso o tempo todo. Os gatos também conseguem.

Se o seu dono tenta abandoná-lo levando-o para longe, depois de alguns dias ou semanas ele estará de volta em casa.

Foi feita uma experiência com albatrozes no sul do Havaí, levando-os para regiões como Califórnia, Alaska e Japão, e a maioria retornou, de distância de 3 mil até 6 mil quilômetros”.

Como o pombo-correio sabe para onde levar a encomenda?

Como Os Pombos Correios Sabiam Onde Ir? pombo-correio

Existem algumas teorias sobre a capacidade de orientação dos pombos-correio, mas nenhuma delas é 100% comprovada. O que se sabe é que eles sempre voltam para onde nasceram. E é só para lá – e não para qualquer lugar – que levam a encomenda. As explicações mais comuns são:

– Os pombos têm um “instinto natural” parecido com o de aves migratórias;- A visão privilegiada permite que localizem pontos de referência com facilidade;- Eles se orientam pela posição do Sol;- Eles possuem uma “bússola natural”, formada por partículas de magnetita no bico. O mineral apontaria o norte da Terra.

Os pombos-correio são uma raça diferente dos pombos comuns. Usados há muito tempo, inclusive na Primeira Guerra Mundial, quando não havia comunicação por rádio, levavam recados entre os batalhões.

CARTEIRO ALADO
Como o pombo Cher Ami salvou 194 vidas

Cher Ami – que em francês significa “Querido amigo” – nasceu e foi criado em uma base do exército americano próximo à cidade de Binarville, na França. Depois de treinado, ele foi doado ao comandante da 77ª Divisão de Infantaria Americana.

Esse grupo ficou conhecido como o Batalhão Perdido por ficar preso em uma depressão na floresta de Argonne, ali perto. O Batalhão Perdido avançou rumo ao norte, enquanto o resto dos americanos ficou no sul.

Assim, o grupo acabou cercado por inimigos alemães e também sob fogo amigo dos americanos, que não sabiam que havia aliados ali. O comandante do batalhão mandou uma mensagem aos compatriotas por meio de Cher Ami.

Após ter percorrido 40 quilômetros em 25 minutos, atravessando a região ocupada pelos alemães, o pombo chegou à artilharia americana gravemente ferido.

Alvejado pelos alemães, acabou ficando cego de um olho, teve o peito atravessado por uma das balas e uma de suas pernas foi arrancada! Apesar dos ferimentos, ele entregou a mensagem aos destinatários: o texto indicava a localização do batalhão e pedia que cessassem o fogo. Os 194 soldados do Batalhão Perdido sobreviveram.

O voo de Cher Ami ocorreu em outubro de 1918 e foi a última missão do pombo. Depois da façanha, ele teve que se aposentar, mas ganhou a Cruz de Guerra francesa em homenagem ao seu heroísmo.

Foto Fernando Moraes

Continua após a publicidade

Descubra como o pombo-correio é capaz de entregar mensagens

Hoje, com um único clique podemos em enviar uma mensagem para qualquer lugar do mundo. Mas nem sempre foi assim. Quem já nasceu em uma época repleta de tecnologia, dificilmente consegue imaginar como era a vida antes dela.

Antes que toda a facilidade a que temos acesso fosse inventada, as mensagens eram enviadas de diferentes maneiras, sendo o uso dos pombos-correio uma das mais usadas e eficientes.

Há indícios de que ele seja usado desde a Grécia Antiga. Entretanto, foi na Primeira Guerra Mundial, entre os anos 1914 e 1918, que o envio de informações por meio de pombos foi amplamente difundido.

Algumas histórias relatam que eles foram responsáveis, inclusive, por salvar a vida de muitos soldados em campo de batalha. Uma das mais conhecidas é a do pombo Cher Ami, “quero amigo” em francês, que livrou 194 vidas em Verdun, no ano de 1918.

Durante a guerra ele fez 12 missões, porém a última foi a mais significativa delas. Por conta de uma movimentação errada em campo, o major Whittlesey, líder da 77ª Divisão e seus homens acabaram cercados pelos alemães.

Não se sabe ao certo se foi por um erro de cálculo ou má sorte, mas o fato é que, para evitar o encontro dos inimigos com os norte-americanos, os superiores de Whittlesey ordenaram um bombardeio. Entretanto, estas começaram a atingir os soldados norte-americanos.

Naquele momento, era impossível mandar um homem de volta para a base. E é aí que entra o pombo-correio Cher Ami. Ele era o único animal que restava, pois os soldados alemães já tinham matado todos os outros. Munido da mensagem, ele seguiu de volta ao quartel general.

Mas engana-se quem pensa que ele fez um voo tranquilo. Assim que subiu ao céu foi fortemente alvejado pelo inimigos. A ave foi atingida, mas conseguiu comprir sua missão e salvou os soldados que ainda estavam em campo.

Mesmo muito machucado, os médico conseguiram salvá-lo. Ainda na França, foi condecorado com a Cruz de Guerra , uma das maiores honrarias da nação. Assim que se recuperou, foi levado aos Estados Unidos, onde foi recebido como um verdadeiro herói pelos norte-americanos.

Como os pombos se orientam

Com toda essa história, você deve estar se perguntando como o pombo-correio sabe para onde ele deve levar a mensagem. Mas antes de tudo, é preciso esclarecer que não é qualquer pombo que possui habilidades para o transporte de mensagens. As aves comuns que encontramos pelas ruas são diferentes das usadas com a função de correio.

Essas últimas, apesar de visualmente muito parecidas, possuem uma estrutura corporal maior e mais resistente. Este é um dos motivos pelos quais elas conseguem voar a longas distâncias e com grande velocidade.

Apesar das muitas hipóteses levantadas pela ciência, ainda não há um consenso para a resposta dessa pergunta. Entretanto, uma informação é certa: eles conhecem apenas o caminho de casa. Portanto, a ideia de que eles podem ir a qualquer lugar não é totalmente verdadeira.

Uma das teorias levantadas pela ciência, é de que isso acontece porque eles possuem certa quantidade de partículas de ferro no bico, o que funciona como uma bússola natural, sempre indicando-o para o Norte.

Há também quem defenda que eles possuem o mesmo senso de localização que as aves migratórias. Outros, alegam que eles possuem uma certa pressão no ouvido interno que permite que eles tracem mapas da rota a ser seguida.

Uma outra teoria, é de que eles se orientem pela posição do sol, lua e constelações. Seja qual for a hipótese, é fato que a visão aguçada que possuem corrobora com essa facilidade de localização.

Geralmente os papéis contendo as mensagens são enviados em um uma pequena estrutura presa às patas dos pombos-correio.

Crimes envolvendo pombo-correio

Responsáveis por grandes feitos em toda história, há alguns anos, em 2008, um caso curioso chamou a atenção aqui no Brasil. No interior de São Paulo, mais especificamente na cidade de Marília, presos estavam usando os pombos para ter acesso a drogas e celulares.

Na época, o diretor do presídio concedeu uma entrevista informando que alguns visitantes foram flagrados tentando sair do local com as aves. A teoria levantada é de que por serem treinados, eles poderiam regressar à penitenciária levando os itens proibidos. Em 2017, novas apreensões foram feitas.

Como o pombo-correio sabe o caminho? – Diário do Grande ABC

Bruna GonçalvesEspecial para o Diário

O pombo-correio sempre volta para o lugar onde nasceu. Mesmo que tenha sido retirado do ninho quando saiu do ovo, saberá onde é seu local de origem. Assim, caso o criador queira que leve uma mensagem para outro lugar terá de ensinar o novo caminho, levando-o até lá e soltando-o para que aprenda voltar para casa.

Os estudiosos encontraram explicações para essa capacidade. Como tem excelente visão, quando o destino é próximo ao local de origem e o voo ocorre pela manhã, a ave consegue se localizar por pontos de referências, como montanhas. Quando a distância é maior, se orienta pela posição do Sol; à noite, é guiada pela Lua e estrelas.

Leia também:  Como É Que Os Romanos Integram Os Povos Conquistados No Imperio?

Em grandes distâncias, se baseia pelo eixo magnético da Terra. Acredita-se que o pombo tem no bico partículas de ferro que funcionam como a agulha de uma bússola, servindo de orientação. Essa agulha indica sempre para o Norte, como toda bússola.

Estudos da Universidade Federal de Pernambuco indicam que em locais onde há muito ferro no solo, esse minério interfere no voo e o pombo se perde. Mas ele é tão esperto que, em geral, consegue identificar a área e desvia o caminho.

QUAL É O BICHO? – O pombo-correio é da mesma espécie do pombo doméstico que vive nas praças. Não é originário do Brasil. Chegou aqui com os colonizadores portugueses, a partir de 1560, e já naquela época era usado para a comunicação.

O pombo-correio pode voar a 80 km/h e é muito forte. Pesa entre 425 e 525 gramas.

AVE SALVOU VIDAS NA GUERRA – O uso de pombo-correio é muito antigo. Desde 42 a.C, era usado para levar mensagens a lugares distantes, em razão da falta de comunicação na época. Um dos primeiros registros é do imperador Marco Antonio, que invadiu a Gália (atual França) e tinha de informar os romanos sobre isso. Usou o pombo para transmitir a notícia.

Nas duas grandes guerras mundiais, essa ave teve papel importante, mesmo com a existência do rádio, para transmitir mensagens.

Na Primeira Guerra (de 1914 a 1918), o pombo Cher Ami ajudou um batalhão americano, que ficou cercado pelos inimigos alemães, a avisar outros americanos que não sabiam desse grupo perdido.

Foi enviado um pombo-correio informando que havia americanos naquele lado e não deveriam atacar. O pombo chegou ao destino ferido e não resistiu. Mas a mensagem salvou a vida de 194 pessoas.

SAIBA MAIS

– Hoje seu uso é, praticamente, voltado ao esporte. No Brasil, a Federação Columbófila Brasileira reúne 1.700 integrantes, que criam e treinam essa ave para participar de competições.

–  Os criadores se distanciam até um ponto inicial e lançam os pombos para que voltem ao local de origem, ou seja, onde vivem. As distâncias e o tempo de percurso são computados por uma chapinha que leva na pata.

–  O lado ruim é que alguns estão sendo usados para o transporte de drogas e até peças de celular para os presídios, como os casos que ocorreram recentemente em cidades do interior paulista.

Os presidiários criam pombos e os entregam aos visitantes, já que na saída do presídio não precisam mais ser revistados pelos policiais. Assim, as aves voltam para lá carregando o que foi pedido.

(Supervisão Teresa Monteiro)

Como os pombos-correios sabem aonde levar suas mensagens?

Você já parou para pensar como os pombos agiam antigamente ao levar e trazer as mensagens? Como os pombos-correios entregavam estas, afinal? Será que erravam o destino e pousavam em quintal alheio? Parece curioso e talvez esteja se perguntando: Como espantar pombos do seu quintal? Parece complexo, mas, não acontecia assim.

Saiba que eles não agiam espontaneamente, como muita gente pensa. Os pombos são aves migratórias, e isto é um sentido natural destas aves, que se orientam através do próprio campo magnético da Terra, o que faz muito sentido, afinal, conseguiam ir e vir, levando suas mensagens, sem problemas.

Raramente estes pombos-correio falhavam com suas obrigações. Enquanto uns se preocupavam apenas em saber como espantar pombos do telhado, outros simplesmente utilizam mecanismos naturais destas brilhantes aves para conseguirem se comunicar em longas distâncias. A prática era bastante comum.

Como o pombo-correio levava sua mensagem?

O processo é mais simples do que você possa imaginar. Baseia-se em fazer a ave voltar ao seu ponto de origem. Para tanto, ela era retirada do seu ponto original, o de partida, de onde saberia facilmente retornar, pois era a sua casa original. É um simples mecanismo adaptativo.

Simples para nós, mas pensando nas aves, é bastante complexo. Os pombos não são aves nômades e ao contrário do muitas pessoas pensam, elas possuem uma moradia fixa.

Além disso, são aves monogâmicas, o que intensificava ainda mais o retorno para o ponto de origem, para o seu bando. A comunicação era baseada neste princípio: ponto de origem e de partida.

Ficou claro o entendimento?

Nas navegações marítimas, principalmente do século XVI, estas aves eram utilizadas com frequência. Saiam nas embarcações, deixando muitas vezes suas parceiras em um local fixo, até com um ninho. As mensagens eram enviadas através deste mecanismo, ou seja, ao serem libertadas, migravam/retornavam para o ponto de partida.

Seu direcionamento era sempre baseado, como já dito, no campo magnético da Terra, o que é um mecanismo natural da ave. Além disso, sabiam que encontrariam um “porto seguro” e por isto sempre voltavam, afinal, iriam encontrar abrigo, proteção, alimento e os outros membros de seu bando.

Não só no século XVI, mas também no século XX, mais exatamente na Primeira e na Segunda Grande Guerra, estas aves ainda foram utilizadas em larga escala. Com certeza, muitos militares de espionagem não imaginavam no começo que comunicações secretas podiam estar sendo feitas através de pombos.

Provavelmente se soubessem, iriam pensar logo em como espantar pombos definitivamente para brecar estas comunicações. Mas tiveram mesmo que fazer esta pergunta: como fazer para espantar pombos? Ou mesmo como interceptá-los em sua trajetória?

Espantar os pomboscorreio passou a ser um grande desafio na época. Hoje, também pensamos muito em como espantar pombos no forro, como espantar os pombos do telhado, como espantar pombos da minha janela, etc., mas os motivos são bem diferentes.

Todos os pombos são iguais?

Os chamados pombos-correio em nada se parecem com os pombos que conhecemos hoje. Eles pertencem à uma raça diferente dos conhecidos “pombos comuns” ou “pombos urbanos”, estes que vemos nas ruas e que, algumas vezes, nos faz perguntar a nós mesmos de “como espantar pombos para sempre”.

porte do pombo-correio é maior e possui uma carúncula bem mais acentuada na base do bico, diferente dos demais pombos. Outro ponto crucial é que, com esta envergadura, o pombo-correio consegue voar grandes distâncias sem a necessidade de pousar.

Isto quer dizer que se pegássemos qualquer pombo comum e o tirássemos de seu habitat, levando-o para um local desconhecido, é bem provável que ele retornasse ao local de partida, mas existe uma limitação de distância para este pombo, limitação esta que o pombo-correio não tem.

Geralmente, os pombos comuns, conseguem voar muito bem em uma distância de até 15Km. Voar 50Km ou mais, é coisa para pombo-correio mesmo e os pombos comuns provavelmente necessitariam pousar para descansar e, provavelmente ainda, perderiam o rumo.

Pode não parecer, mas apesar de muitas pessoas hoje em dia, principalmente em grandes metrópoles, estarem preocupadas em como espantar pombos do ninho, como espantar pombos da lavoura, como espantar pombos da igreja e, enfim, como espantá-los, outras ainda utilizam estas aves para comunicar-se. Isso mesmo!

Muito recentemente, o próprio exército da Rússia possuía um departamento exclusivo para pombos-correio.

Na Europa, a Inglaterra também mantinha um hospital que utilizava estas aves para levar amostras para os laboratórios, pois tratava-se de um transporte extremamente rápido, diante do trânsito da cidade.

Deste modo, é fácil perceber a confiabilidade depositada nos pombos-correio, tanto nos de antigamente, quanto os de hoje também.

Está preocupado em saber o que fazer para espantar pombos da janela? Pois saiba então que tem muita gente no mundo querendo é ter muitos pombos perto de suas janelas e prédios

Claro que as aves são de espécies diferentes e uma praticamente em nada têm a ver com a outra, mas é interessante perceber os mecanismos naturais e específicos dos pombos, independentemente da espécie.

Aqui você vai encontrar muitas informações, dicas relevantes e curiosidades sobre os pombos. Quem sabe não vai mudar qualquer ideia que tenha sobre essas aves.

Quer saber mais como o pombo-correio consegue utilizar o campo magnético da Terra?  Acompanhe o artigo e descubra como

Você gostou dessas informações? Compartilha com outras pessoas, pode ser interessante para elas também.

Com a tag avesespantar pombosmensagempombospombos-correio

Categoria: Videos

Henderson, Nevada – As mãos que já causou tanto medo, que uma vez misturados os cérebros de homens altamente treinados, o que causou profissionais de elite para se esconder com medo, agora suavemente, com ternura, carícia um pombo .

Mike Tyson, ex-campeão dos pesos pesados ​​do mundo, o homem mais malvado de um tempo no planeta, é agora apenas um trabalho duro que hustles biscates para ganhar a vida.

A vida é mais simples agora, mais tranquila. Ele está fazendo o que ama, cercado por pessoas e coisas que ele ama. O doido, fora de controle lutador, que já roeu orelha de um oponente fora, que mordeu um outro adversário na perna durante uma coletiva de imprensa, que disse que queria comer crianças de um oponente, é muito longe. Pombos não são do mundo aves mais populares, mas Mike Tyson espera seu show novo Planeta Animal, vai mudar a percepção. Isso foi Iron Mike, e este Mike Tyson não quer fazer parte desse cara.

Leia também:  Como Perceber Que Ele Gosta De Mim?

Ele se autodenomina um “cara Nevada” e agora diz que não quer ter nada a ver com viver em Brooklyn, onde ele nasceu e cresceu. “Nem mesmo em um apartamento”, diz ele, rindo nervosamente.

Ele está em casa no deserto, com sua nova esposa, dois de seus filhos e seus preciosos pombos . Ele é um viciado em recuperação agora, lutando diariamente para evitar as tentações das drogas que quase descarrilou ele apenas alguns anos atrás.

A área de Las Vegas não é geralmente o lugar para as pessoas com dependências, como Tyson. E a partir do quintal de sua casa, as luzes da famosa Las Vegas Strip acenam como uma canção da Sereia.

Tyson, no entanto, insiste que ele encontrou a paz, porque ele veio a uma realização que levou mais de 40 anos para aceitar.

“Eu costumava pensar que ninguém gostava de mim e ninguém queria me ajudar”, disse Tyson. “Não.

As pessoas estavam esperando por mim para fazer a coisa certa. Uma vez que você ajudar a si mesmo, as pessoas vão ajudá-lo. É assim que vai, e eu descobri tarde.

 As pessoas estão apenas esperando para que você mude para que possam participar em cultivar sua vida.

 Ou, eles estão esperando por você para matar a si mesmo e ver você de auto-destruição “E o que eu finalmente aprendi é que as pessoas dizem, ‘Então, o que vamos fazer? Eu não vou ajudá-lo a auto-destruição. Se você é auto-destrutivo, eu vou ficar longe.

Mas uma vez eu vejo que você está tentando cultivar a sua vida e de mudança e jogue fora os maus hábitos, eu vou me envolver em sua vida e tentar ajudar. Fora isso, eu não estou envolvido.”

Ele faz uma pausa e suspira. “Eles estão certos, é claro, mas é o que eu não percebi”, disse ele. “Ela só levou tanto tempo para eu perceber que as pessoas não me odeia. Eles odiavam o comportamento que viu e eles queriam me ajudar, se pudesse, se eu lhes deu uma chance e tentar começar ajudando a mim mesmo. ”

Tyson faz o dinheiro fora do seu nome, mas ele insiste que ele está longe de ser o homem que ele já foi. Ele encontrou projetos que mantê-lo ocupado e pagar-lhe dinheiro e ele achou que, surpresa, surpresa, as pessoas realmente gostam dele e gostar de ouvir o que ele tem a dizer.

Ele está estrelando uma série docudrama para o Animal Planet canal a cabo chamado “Levando em Tyson”, que começa em 6 de março, às 10 pm ET e PT. O show é de cerca de pombos-correio e Tyson desafia alguns dos melhores pombos pilotos do mundo. O ex-campeão há muito tempo tem um fascínio com os pombos . Ele lutou nas ruas pela primeira vez como um 12-year-old quando um valentão do bairro na seção resistente Brownsville, gritty de Brooklyn agarrou seu favoritopombo e agarrou seu pescoço, jogando o pássaro morto para ele, o seu sangue salpicando-o em seu rosto.
Ele agora tem um galinheiro em sua casa e tem pombos como seus animais de estimação.

“Eu looooooove essas coisas”, ele arrulha, suavemente.

Os pombos não são no topo da lista da maioria das pessoas de peluches, animais de estimação afetuosos.Em muitas áreas, eles são considerados um incômodo. Tyson, no entanto, vê as aves de maneira diferente.

Eles são animais majestosos com personalidades distintas, diz ele, os melhores animais que ele já possuía.

Tyson teve uma história rica com animais, incluindo espécies exóticas. Nada, porém, pode coincidir com um pombo em seus olhos.
” Os pombos são os melhores “, disse ele. “De todos os animais que eu tive – tigres, leões, ursos – Ah, não, nenhum deles está sequer perto de mesma liga como os pássaros.”

Tyson diz: “Oh não, não, não”, quando perguntado se ele tem uma compreensão especial dos pássaros que os outros não possuem. É a sua vontade de aceitar os que lhe dá qualquer visão que ele tem em sua natureza, diz ele.

“Se você acha que tem algum tipo de nível diferente de compreensão dos animais, que é quando você acha que você é especial e é aí que você se machucar por eles”, disse Tyson. “Isso é quando você perdê-lo. Estes animais não entendem. Pombos são o primeiro amigo do homem de penas, mas eles precisam de nós na vida. Nós temos um relacionamento, nós e os pombos , especialmente os de raça pombos . Pessoas cuidar deles muito bem, mas você sabe o quê? Eles vivem apenas dois anos na rua, se tiverem sorte. E isso é, se tiverem sorte. “

Tyson enganado muita gente por sobreviver a uma vida selvagem, muito do que passou nas ruas, e tornando-se o passado de seu aniversário de 40 anos ainda está vivo. Ele é 44 agora e fazer melhor do que ele já tem, diz ele.

Ele ainda ama o jogo de luta – ele gosta tanto de boxe e artes marciais misturadas – mas não é tão próximo do esporte que fez dele uma das figuras mais conhecidas do mundo como ele era antes.

 Apenas alguns dias antes de um ataque altamente antecipado bantamweight entre Nonito Donaire Jr.

e Fernando Montiel no Mandalay Bay Events Center que está apenas a uma curta distância de sua casa, Tyson pergunta se as partidas boas estão chegando.

Mas quando a luta Donaire Montiel é mencionado, Tyson está confuso.

“Eles são bons?”, Pergunta ele. “Desculpe-me por perguntar, mas eu não estou familiarizado com eles. Será que vai ser uma luta boa? ”

Tyson ainda é uma constante nas lutas em Las Vegas, mas diz que acredita que o Ultimate Fighting Championship já ultrapassou o boxe por causa da maneira que promove e encena seus eventos.

“É mais divertido do que ir a uma luta de boxe agora”, diz Tyson de ir a um cartão de UFC. “Quando você vai para uma luta de boxe, uma vez que a luta acabou, você está esperando por outro jogo e não há nada acontecendo.

Estamos ali, sentado com um anel de vazio e nada está acontecendo. Nós também podemos ficar de pé, porque o público é o show lá. Se você ir para o UFC, “Boom, boom, da, da, da, da,” é como se estivéssemos em um clube, nós estamos festejando.

 Todo mundo está passando suas bebidas e é uma festa.

“Quando os lutadores saem, há música mais e construir uma história até sobre os lutadores e, em seguida, há a luta. As lutas são incríveis – eles são incríveis, realmente – e, em seguida, ‘Boom’, a luta acabou e então não há mais música. É uma festa e uma luta ao mesmo tempo. Eu sei que parece loucura, mas é o que é. ”

Ele ri e explica o que ele faria se fosse um promotor. Ele claramente foi prestando atenção, porque tudo que ele diz faz sentido.

Ele não tem um MBA, mas ele tem uma noção do que move as pessoas.

“Você sabe, as pessoas vão gastar seu último centavo para se divertir”, diz Tyson. “Eles vão roubar uma refeição e pagar para o seu entretenimento. Quando eu estava lutando, as pessoas assistiram, porque eles achavam que eu estava louco.

 Eles não sabiam o que poderia acontecer a seguir. Havia um aspecto de entretenimento a isso, que eles queriam ver o inesperado, por assim dizer. Eles não sabiam o que poderia acontecer, mas eles achavam que seria algo e queriam vê-lo.

“Com esse show, sim, as pessoas vão vê-lo por causa de mim e porque eles querem me ouvir falar e descobrir o que tenho a dizer. Isso é parte dela. Mas esses outros personagens desse programa são fascinantes.

 Eu não quero dizer os seus negócios pessoais, mas quando você vê esses caras, eles são pouco atarracado homens brancos de gordura, e outras coisas. Mas se você nunca chegar a conhecê-los, eles são destemidos. Eles não tem medo de ninguém, com uma arma ou sem.

 Eles não se parecem com esse tipo de gente, porque não é carimbado na testa como se fosse comigo. Mas você assistir e você vai ver. ”

Ele está ansioso para ver a reação ao show e acredita que será um sucesso, embora não por causa de sua presença. As aves, ele prevê, serão as estrelas.

Como você pode não amar pombos , ele pede? Eles são uma grande parte da sua vida nestes dias e muitas vezes ele passa o tempo acariciando seus pássaros, conversando com eles, calmamente assistindo-los subir acima dele.

“Todos eles têm suas próprias personalidades e há alguns que você gosta mais do que outros”, disse Tyson.”Mas você sabe o quê? Existem algumas pessoas que você gosta mais do que outros.

 Às vezes, por causa do que você faz, ou quem você é, você é obrigado a associar com as pessoas e você pode não gostar deles ou você não pode querer estar ao seu redor, mas você tem que por causa da situação você se encontra dentro.

Fonte Yahoo Esportes

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*