Como Me Acalmar Quando Estou Com Raiva?

22 de julho de 2020

  |  Tempo de leitura: 9 minutos

Saber como controlar a raiva diante da situação que tirou você do sério pode não ser tarefa fácil. Quando alguém fura a fila na sua frente ou te dá uma fechada no trânsito, o sangue parece ferver e a reação é tão rápida que parece escapar do controle.

Embora a raiva geralmente seja uma emoção interpretada de forma negativa, também pode ser positiva. Devido à grande intensidade, no entanto, as pessoas possuem dificuldade de controlá-la. Na verdade, poucos sabem que isso é possível!

As pessoas costumam expressar a raiva por meio de gritos, xingamentos, brigas físicas e, agora com a internet, em comentários ofensivos. Vemos esses comportamentos em todo lugar, não é? Mas é possível expressá-la de forma boa, saudável para o corpo e a mente.

Como Me Acalmar Quando Estou Com Raiva?

O que é a raiva?

Segundo Charles Spielberger, PhD e psicólogo especializado em estudos da raiva, ela é um estado emocional que varia em intensidade. Pode ir de irritação moderada à fúria cega.

Além de modificar o humor, a raiva aumenta a frequência cardíaca e a pressão sanguínea bem como os níveis de hormônios da energia, como a adrenalina e a noradrenalina.

Uma pessoa que vive enraivecida com a vida tem mais chances de desenvolver pressão alta e ter um ataque cardíaco. O aumento nos níveis de adrenalina também aumenta a pressão arterial, além de causar tontura, dor de cabeça, taquicardia e sensação de morte iminente (comum na prática de atividades radicais, como bungee jumping).

Por conta desses efeitos colaterais, não é nada saudável se entregar aos impulsos raivosos e sair por aí brigando com o mundo. A raiva é uma resposta às ameaças e serve para um indivíduo ter força e energia para se defender.

Hoje, já existem formas pacíficas, civilizadas e livres de estresse para isso. Logo, esse instinto é raramente necessário na vida moderna. É por isso que as pessoas costumam dizer que alguém enfurecido “perdeu a razão” ou “perdeu a cabeça”. É como dizer que esse alguém “só pode ter ficado louco para agir dessa maneira”.

Os efeitos da raiva descontrolada

Quem está sempre irritado, brigando com a TV ou internet, ou abordando assuntos que lhe causam raiva propositalmente, costuma afastar as pessoas próximas. Os amigos e familiares se cansam deste comportamento e buscam estar na presença de indivíduos bem humorados.

No trabalho, a situação é semelhante. Os colegas de trabalham passam a evitar a pessoa enfezada, convivendo apenas porque é necessário, mas não a incluem em saídas e churrascos.

Esse isolamento social involuntário não é agradável nem faz bem para a saúde mental, especialmente em situações fora do controle das partes envolvidas. A quarentena em decorrência da pandemia da Covid-19, por exemplo, causou demissões em massa e restrições da liberdade.

É esperado que uma situação como essa desperte diversos sentimentos negativos, porém, eles não podem se acomodar no interior das pessoas. A exaltação constante em resposta aos fatores além do nosso controle, como a ausência de uma cura ou a imprudência alheia, é capaz de deixar qualquer um (e as pessoas à sua volta) doente.

Os efeitos da raiva acumulada

Quem tem dificuldade de expressar sentimentos costuma internalizar a raiva. Em vez de ser assertivo sobre as suas emoções e necessidades, prefere guardar tudo dentro de si. Não saber como controlar a raiva, neste caso, leva a expressões patológicas.

Atitudes e palavras passivo-agressivas são direcionadas ao objeto da irritação, como se vingar de um colega de trabalho indiretamente ou se afastar de um amigo em resposta a um comportamento não aprovado sem dizer o porquê. Os conflitos não são resolvidos e ainda podem causar outros, prejudicando a relação delicada entre os indivíduos.

Como Me Acalmar Quando Estou Com Raiva?Acumular raiva pode ser muito prejudicial à sua saúde mental

O cinismo também é uma forma ineficiente de expressão da raiva. Uma pessoa cínica é desagradável, crítica e coloca os outros para baixo. Consequentemente, os demais se afastam e os relacionamentos não vão para frente.

Como controlar a raiva?

Você deve estar se perguntando se aprender como controlar a raiva não é ineficaz. Não é mais útil evitá-la por completo?

Quando a raiva passa a morar dentro de nós, causa uma série de problemas, como doenças cardiovasculares, estresse e depressão. Portanto, assim como as demais emoções humanas, ela deve ser externalizada.

É possível reservá-la para situações mais sérias ou fazer a sua gestão de forma a coibir atitudes impulsivas, mas não preveni-la totalmente. O cenário ideal é o redirecionamento da emoção no momento em que a irritação surge.

Esse cuidado deve ser diário para que as mudanças reflitam em todas as áreas da sua vida.  Para ajudá-lo a encontrar esse equilíbrio, a Vittude separou algumas dicas!

1.      Invista em autoconhecimento

Reflita sobre os momentos que você se irrita. A raiva está relacionada a um assunto específico? Política, futebol ou religião? Ou tem a ver com determinadas situações ou pessoas? Perguntar-se sobre as próprias atitudes é a melhor maneira de aprofundar-se nas suas emoções e crenças.

As respostas podem demorar a surgir, mas, com a prática diária desse exercício, você vai perceber o quanto os seus pensamentos se tornarão claros.

O autoconhecimento funciona assim: de pouco em pouco, você encontra mais respostas. Invista em técnicas e práticas para se autoconhecer e descobrir aspectos escondidos de sua personalidade.

Como Me Acalmar Quando Estou Com Raiva?

2.      Entenda como você expressa a raiva

Além de descobrir os seus gatilhos, é importante também refletir sobre como você exterioriza o que sente. A raiva é expressa através de gritos, gestos exasperados (como levantar os braços e apontar o dedo), e palavras ásperas?

Para evitar danificar relacionamentos, quando a irritação ameaçar tomar conta, respire fundo para acalmar a mente e livrar-se da tensão. Contar até 100 ou escrever os seus sentimentos também ajudam. A ideia é concentrar-se em algo além da raiva.

Se estiver em um ambiente público, procure um local mais calmo e escreva o que está sentindo. Retirar-se da situação, ao contrário do que se pensa, não é um sinal de fraqueza ou desistência. Neste caso, não deixe o orgulho vencer.

3.      Desenvolva a empatia através de reflexões

Quando você não tem a empatia desenvolvida, é incapaz de compreender comportamentos alheios. Assim, quando alguém toma uma atitude que você não concorda ou acha desagradável, a reação é ficar com raiva.

Entenda as razões do outro para agir daquela maneira. Todos nós possuímos construções diferentes devido às nossas experiências de vida únicas. Você não precisa concordar nem discordar, apenas entender. A compreensão acalma a irritação. Logo, você entenderá o porquê das pessoas ou das situações serem do jeito que são.

Caso esteja tendo problemas com alguém, seja colega, amigo ou parente, converse com essa pessoa. Deixe os seus sentimentos claros para evitar criar “implicância”. Mesmo se ela não estiver interessada em ouvir, você terá feito a sua parte. A partir de então, é só ignorar as condutas que lhe irritam.

4.      Aceite a realidade

Uma das maiores causas de infelicidade, tristeza e raiva é a negação. Infelizmente (ou talvez felizmente), não temos o controle de muitas coisas que acontecem conosco e com o mundo. A pandemia de Covid-19 é um exemplo. Não há como você ou qualquer pessoa reverter a situação nem acelerar o tempo para quando o cotidiano estiver de volta ao normal.

Preocupar-se ou irritar-se excessivamente apenas o deixará mais frustrado. Portanto, aceite a realidade como é. Só assim você será capaz de buscar alternativas para lidar com o desagradável ou o doloroso. O mesmo é válido para as pessoas, viu?

Leia também:  Inflação O Que É E Como Funciona?

5.      Cuide de você

O nosso cérebro tem mania de focar mais no negativo, não é? O otimismo nem sempre vem naturalmente. Para a maioria das pessoas, é uma questão de escolha. Só que, ao focarmos nos compromissos e obrigações rotineiras, raramente temos essa percepção.  

Ao optar pela leveza, você opta por cuidar de você, ou seja, a pessoa mais importante em sua vida! Afinal, vale a pena ficar irritado por causa daquele comentário ou daquela buzinada no trânsito? Em vez de projetar tanta energia nas coisas negativas, passe mais tempo cuidando do seu emocional.

Você pode meditar, praticar exercícios físicos ou adquirir um hobby. Essas atividades vão ajudá-lo a aprender como controlar a raiva já que promovem um estado emocional bastante positivo.

6.      Procure a psicoterapia

Se você tentou e não conseguiu, ou acredita que há elementos maiores por trás da sua raiva, como questões do passado, a psicoterapia pode ajudá-lo a encontrar um mecanismo de controle. Até os ataques de fúria mais autodestrutivos podem ser controlados com o acompanhamento psicológico.

Durante a piscoterapia, o profissional da saúde mental vai buscar as causas para as manifestações ineficientes da emoção, bem como desenvolver estratégias para você praticar (sim, como um treino) a ser uma pessoa mais zen.

Como Me Acalmar Quando Estou Com Raiva?

O trabalho é feito com calma, respeitando os seus limites, mas também buscando encorajá-lo a enfrentar os seus problemas com a raiva. Ressalta-se que o profissional mais adequado é o que te deixa confortável para ser você mesmo durante a consulta.

Se você não sabe por onde começar ou tiver vergonha de buscar ajuda, não se preocupe. Conte com a Vittude para ajudá-lo a encontrar o psicólogo ideal para você!

Leia também:

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental.

Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade.

Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta

Veja 13 formas de lidar com a raiva e sentir-se bem

Todos sentem raiva em determinado momento da vida. Mas se você tem depressão, outros sintomas como tristeza, medo, dificuldade em dormir, e mudanças no apetite são bem comuns.

De acordo com a psiquiatra Carol Bernstein, professora da Escola de Medicina em Nova York, se a pessoa achar que está muito mal-humorada, irritada, rabugenta e com o pavio curto, pode estar com depressão.

O primeiro passo é procurar uma terapia para tratar do problema. No entanto, outras coisas podem fazer você se sentir melhor e também diminuir a raiva, mesmo se seu quadro não for de depressão.

Veja a seguir o que fazer, segundo o site Health.com.

Contar até 10 (ou 100)Thomas Jefferson disse a famosa frase: “Quando se está zangado, conte até 10 antes de falar. Se estiver muito irritado, vá até o 100”.

Segundo o professor de comunicação e psicologia da Universidade de Ohio, Brad Bushman, pessoas irritadas ficam altamente excitadas e acabam dizendo coisas que mais tarde vão se arrepender.

Ao contar lentamente, a sua pressão arterial e cardíaca têm a chance de voltar ao normal, diminuindo a excitação.

PerdoeMesmo se você não esquecer o incidente, em última análise, perdoar uma pessoa que o tenha provocado é uma excelente maneira de dominar a raiva.

O perdão pode ajudá-lo a parar de ruminar, quando os pensamentos não saem da sua cabeça como um pesadelo.

“Isso não significa que você tenha de achar que o que o outro lhe fez é bem, apenas vai ajudar você a parar de se consumir pela raiva.

Tente se distrairOutra maneira de aplacar a raiva é buscar uma distração. Podem ser palavras cruzadas, desenhar, cozinhar, andar com o cachorro.

Antes te tentar resolver o problema, o diretor de medicina comportamental Kueny, da Universidade de Nebraska, afirma que a pessoa deve avaliar o quanto está irritada.

Se numa escola de 1 a 10 ela considerar valores entre 5 e 10 o melhor é se distrair antes de tomar uma decisão.

Respire profundamenteRespirar de forma profunda é uma boa maneira de acalmar-se, já que respirações lentas vão abrandar o ritmo cardíaco.

De acordo com a Sociedade Americana e Psicologia, o ideal é fazer respirações por meio do diafragma, e não aquelas pequenas somente que enchem o peito com pouco ar.

Ouvir música calma e praticar exercícios de relaxamento muscular também podem ajudar.

Não negue que está irritadoPessoas que são capazes de discernir que estão com raiva e que lidam com esse sentimento são menos propensas a recorrer à agressividade ou violência.

Quem consegue colocar suas emoções em categorias distintas estão em mais sintonia com seu interior.

Assim, quando esses indivíduos estão bravos, são mais rápidos para lidar eficazmente com as emoções negativas e distrair-se menos com ineficientes estratégias de enfrentamento, como consumo excessivo de álcool ou abusar de outras substâncias.

Escreva sobre o problemaEscrever permite que você abrande o sentimento ruim e ajude a pensar qual a melhor forma de lidar com o problema. Quando você reage imediatamente a algo, a decisão é baseada na emoção. Mas quando para pensar um pouco escrevendo, a chance de resolver da melhor forma é muito melhor.

Não faça tempestade em copo d'águaEm vez de sair gritando, tente se acalmar no quarto e fazer algo para dissipar a raiva, como ler um livro, escutar uma música. Depois que você estiver se sentindo mais calmo, é hora de conversar e colocar tudo em pratos limpos.

Faça exercíciosO exercício aeróbico, incluindo caminhada rápida ou corrida, pode ser uma ótima maneira de lidar com a raiva.

Quando você pratica exercício libera adrenalina, sua, respira de forma mais ofegante, sensações bem parecidas com a raiva. No entanto, vai perceber que tais sintomas não estão ligados a um sentimento ruim, mas a algo bom.

A atividade física também libera endorfinas, substâncias químicas no cérebro que ajudam a nos acalmar e a gerir as nossas emoções.

Pratique a compaixãoFazer algo de bom para alguém de quem você está com raiva parece incompatível. No entanto, pesquisas mostram que a compaixão pode também dissipar a raiva da outra pessoa. Um estudo recente descobriu que responder solidariamente quando um colega lhe trata de forma ríspida é uma boa forma de resolver uma situação tensa.

Não envie e-mail quando você está com raivaNunca, jamais, envie um e-mail quando você está realmente chateado. Se você quer escrever algo para a pessoa deixe o e-mail pelo menos 24 horas na sua caixa de rascunhos. Depois releia-o. Você vai ver que isso lhe dá tempo para elaborar uma resposta sensata e racional para a situação.

Tente ser gratoPesquisas mostram que o simples fato de mostrar gratidão por algo faz com que a pessoa fique mais feliz e contente. Claro que isso parece impossível quando se está bravo.

Você não precisa ser grato a quem lhe ofendeu, mas você poderia ser grato por outras coisas na sua vida, grandes e pequenas.

Pesquisadores da Universidade da Califórnia dizem que praticar a gratidão constante pode até melhorar a saúde.

Espere para falarMedir o quão intensa está a sua raiva antes de começar a despejar sua ira é uma boa forma de evitar entrar numa discussão. Você não deve falar quando está com raiva. É melhor parar e dar um tempo. Quando você achar que sua raiva é gerenciável e você pode efetivamente expressá-la sem ser destrutivo, está na hora de lidar com a situação.

Leia também:  Como Se Designa A Via De Trânsito À Minha Direita E Que Permite A Entrada Na Auto-estrada?

Faça uma oraçãoPesquisadores mostram que se a pessoa conseguir rezar pelo outro que a deixou com raiva, acaba conseguindo abrandar um sentimento ruim. A oração faz com que você dissipe seus pensamentos negativos. Se você não gosta de rezar, tente gastar alguns minutos pensando de forma sensata sobre aquilo que lhe deixou com ódio.

Saber lidar com a raiva é uma ótima forma de preservar a saúde e, sobretudo, os relacionamentos
Foto: Getty Images

1 de 8

Chega um momento na vida em que as mulheres passam a ser confiantes sobre seus sentimentos, corpo e atitudes. A autoestima é o que faz dela uma mulher verdadeira e pronta para enfrentar qualquer problema do mundo. Por isso, o Madame Noire listou alguns pontos que nenhuma mulher bem decidida deve fingir

Foto: Getty Images

Fonte: Ponto a Ponto Ideias Ponto a Ponto Ideias

Como controlar a raiva com 11 dicas

Saber como controlar a raiva pode ser importante para sua saúde.

Esperar longas filas, lidar com comentários maliciosos de pessoas tóxicas, conviver com maridos e filhos que não colaboram com os serviços domésticos são situações que podem trazer a sensação de raiva.

Embora sentir raiva por esses motivos seja uma resposta normal ao estresse, gastar todo o seu tempo com isso pode ser destrutivo.

Não é segredo que deixar a raiva tomar conta de si ou ter explosões de raiva prejudica seus relacionamentos pessoais e profissionais. Mas isso também afeta seu bem-estar. Focar nas coisas que trazem frustração pode levar a reações físicas e emocionais, incluindo pressão alta e ansiedade.

A boa notícia é que você pode aprender a gerenciar e canalizar sua raiva de forma construtiva. Um estudo mostrou que ser capaz de expressar sua raiva de maneira saudável pode reduzir a probabilidade de desenvolver doenças cardíacas.

1. Respire fundo

No calor do momento, é fácil esquecer a respiração. Mas esse tipo de respiração superficial que você faz quando está com raiva o mantém no modo de luta ou fuga. Para combater isso, tente respirar devagar e controladamente, inspirando pela barriga e não pelo peito. Isso permite que seu corpo se acalme instantaneamente.

Para isso, encontre uma cadeira ou local onde possa sentar-se confortavelmente, permitindo que o pescoço e os ombros relaxem completamente. Em seguida, respire profundamente pelo nariz e preste atenção ao aumento da barriga. Então expire pela boca. E tente fazer esse exercício pelo três vezes ao dia por cinco a dez minutos ou conforme necessário.

2. Repita um mantra

Repetir uma frase calmante pode facilitar a expressão de emoções difíceis, incluindo raiva e frustração. Tente repetir lentamente: “Acalme-se” ou “Tudo vai ficar bem”, na próxima vez que você se sentir sobrecarregado por uma situação. Você pode fazer isso em voz alta, se quiser, mas também pode dizê-lo em voz baixa ou mentalmente.

Você também pode manter uma lista de frases no telefone para lembrá-lo rapidamente antes de uma apresentação estressante do trabalho ou de uma reunião desafiadora.

3. Tente visualizar

Encontrar seu lugar feliz em meio a um atraso de voo ou problema no trabalho pode ajudá-lo a se sentir mais relaxado no momento. Ao lutar contra a tensão, tente imaginar algo bom para se acalmar. Pense em um lugar real ou imaginário que faça você se sentir feliz, em paz e em segurança.

Pode ser aquela viagem de acampamento para as montanhas que você tirou no ano passado ou uma praia exótica que você gostaria de visitar algum dia. Concentre-se nos detalhes sensoriais, imaginando-se lá.

Quais são os cheiros, imagens e sons? Esteja ciente de sua respiração e mantenha essa imagem em sua mente até sentir sua ansiedade começar a diminuir.

4. Mova seu corpo conscientemente

Às vezes, ficar parado pode fazer você se sentir ainda mais ansioso ou nervoso. Mover o corpo conscientemente, como na ioga ou em outras formas de se exercitar, pode liberar a tensão nos músculos.

Na próxima vez em que você se deparar com uma situação estressante, tente dar um passeio ou até dançar um pouco para afastar sua mente do estresse.

5. Reveja seu ponto de vista

Momentos estressantes podem distorcer sua percepção da realidade, fazendo com que você sinta que o mundo está fora do seu alcance. Na próxima vez em que sentir raiva, tente rever seu ponto de vista.

Todo mundo tem dias ruins de tempos em tempos, e amanhã será um novo dia.

6. Expresse sua frustração

As explosões de raiva não farão nenhum favor a você, mas isso não significa que você não pode desabafar suas frustrações com um amigo, terapeuta ou membro da família de confiança após um dia particularmente ruim. Além disso, permitir-se espaço para expressar um pouco de sua raiva impede que ela borbulhe por dentro.

7. Controle a raiva com o humor

Encontrar um motivo para rir em um momento estressante pode ajudá-lo a manter o equilíbrio. Isso não significa que você deva simplesmente rir de seus problemas, mas olhar para eles de uma maneira mais alegre pode ajudar.

Na próxima vez que sentir sua raiva borbulhando, imagine como esse cenário pode parecer para alguém de fora? Como isso pode ser engraçado para eles?

Ao não se levar muito a sério, você terá mais chances de encontrar soluções para pequenos aborrecimentos.

8. Tire um tempo para si

Faça uma pausa tirando um tempo para si mesmo. Se a sua casa estiver cheia e for um ambiente estressante, faça um passeio ou uma longa caminhada. Você provavelmente descobrirá que estará melhor para resolver a bagunça quando voltar.

9. Conheça seus gatilhos e encontre alternativas

Se o trajeto até o trabalho te causa raiva e frustração, tente encontrar uma rota alternativa ou sair mais cedo ou mais tarde para o trabalho. Tem um colega de trabalho barulhento que constantemente bate no pé? Use fones de ouvido com cancelamento de ruído.

A ideia é identificar e entender as coisas que desencadeiam sua raiva. Quando estiver mais consciente do que são, você pode tomar medidas para evitar ser vítima delas.

Se você não tem certeza de onde vem sua raiva, tente se lembrar de um momento da próxima vez que sentir raiva. Use esse tempo para fazer um balanço do que aconteceu nos momentos que antecederam sua raiva. Você estava com uma pessoa em particular? O que você estava fazendo? Como você estava se sentindo até aquele momento?

10. Foque no que você gosta

Embora insistir nos infortúnios do seu dia possa parecer algo natural, não o ajudará a curto ou longo prazo. Em vez disso, tente se concentrar nas coisas que correram bem.

11. Procure ajuda profissional

É totalmente normal e saudável sentir-se chateado de vez em quando. Mas se você não sabe como controlar a raiva e o mau humor, talvez seja hora de pedir ajuda.

Se sua raiva está afetando seus relacionamentos e bem-estar, conversar com um terapeuta qualificado pode ajudá-lo a trabalhar com as fontes de sua raiva e a desenvolver melhores ferramentas de enfrentamento e canalização para tarefas produtivas.

Leia também:  Ao Passar A Vida Eu Sei Que Nem Tudo Vai Ser Como Sonhei?

Fonte: Cindy Lamothe – Healthline

Veja também:

Cadastre-se e receba nosso conteúdo em seu email. Comunicar erro

7 meios eficientes para acabar com a raiva

Tem sempre uma frase pronta que a gente ouve com certa frequência, não dá muita importância, mas que, no fundo, tem lá a sua verdade.

Sempre fui esquentadinha e, quando alguma coisa não saía da maneira como eu queria, eu esperneava e me jogava na cama da minha mãe, como se aquilo fosse resolver alguma coisa.

E aí alguém me disse uma vez que a raiva é um veneno que a gente mesmo toma esperando que faça mal para outra pessoa.

Não foi uma frase daquelas que parecem abrir um portal para o céu em conexão direta com criaturas celestiais, mas me fez pensar muito sobre raiva, ódio e tantos sentimentos ruins que, de vez em quando, tomam conta de nossas entranhas e nos fazem mal.

Ainda hoje, quando sinto raiva, sinto também uma espécie impotência, afinal geralmente me enraivece aquilo que não posso resolver. O Huffington Post publicou uma série de atitudes que podem nos ajudar a acabar com a raiva rapidinho – vou tentar todas elas.

Tente você também:

1 – Praticar atividades físicas

Não me interpretem errado, mas, às vezes, depois de uma crise de raiva e ódio e depois de socar pobres travesseiros inocentes e nocautear cobertores dobrados, sentimos alívio. Isso acontece porque, assim como qualquer outro sentimento, a raiva e o ódio se manifestam através do nosso corpo por meio de energia, de descargas elétricas.

Quando estamos furiosos, nossos músculos ficam mais tensos e nossa mente só pensa em brigar, em gritar, em nocautear a primeira pessoa que passar pela frente e por aí vai. Evitar discutir e tomar decisões importantes durante momentos de raiva é crucial, e uma das formas de voltar ao seu estado normal é se mexer um pouco.

Se a questão é algum problema com a academia em si – completamente compreensível, não se culpe –, busque outras maneiras de se movimentar: caminhe, compre uma bike, limpe sua casa, faça aulas de dança. Exercitar-se é importante porque, dessa forma, seu corpo libera hormônios capazes de deixar você feliz da vida, o que acaba com aquela raiva toda rapidinho.

Movimente-se!

2 – Transforme raiva em motivação

Até o padre Fábio de Melo, que entende profundamente das questões humanas além ainda da religiosidade, sente raiva de vez em quando, então você, mero mortal, tem todo o direito de sentir também.

A questão não é sentir, mas sim o que você faz com essa raiva toda. Eu, quando era criança, me jogava na cama e ficava esfregando a cabeça contra o colchão, como se isso fosse capaz de, de repente, trazer a Xuxa para minha casa em sua saudosa nave.

Na verdade, depois de tanto chororô, eu cansava, levantava e ia fazer alguma coisa.

Em perspectivas mais adultas e realistas, devemos pensar no ódio como um potencial fator de mudança.

O ódio não nos deixa acomodados, e detestar do fundo da sua alma alguma coisa em sua vida faz com que você acabe resolvendo o problema, mais cedo ou mais tarde.

Se você odeia o curso que faz na faculdade ou o seu emprego, por exemplo, use esse ódio para pensar em como mudar a situação. Ódio incomoda, e às vezes é de incômodo que a gente precisa para sair da mesmice.

Você consegue!

3 – Assista a alguma coisa divertida

Hoje estou realmente usando minha vida como experiência, e essa é uma das coisas que mais amo no meu trabalho, inclusive.

No meu caso, rir é fundamental, e eu tenho a sorte de ter alguns amigos que me fazem rir e com quem posso conversar sobre qualquer besteira.

Às vezes é disso que a gente precisa mesmo: falar mais bobagens, fazer uma maratona de Friends, ler uma série de crônicas do Mario Prata. Vale tudo.

Rir relaxa o corpo e, ainda por cima, é algo que melhora nosso sistema imunológico e libera endorfina, que é uma substância maravilhosa que nos dá a sensação de bem-estar.

Se a sua praia é mais musical, aposte em estilos mais animadinhos. Pode ser Diogo Nogueira, Anitta, Avicii, Xuxa (sim, segunda citação da Rainha dos Baixinhos no mesmo texto, mas Xuxa é muito bom), Naldo…

Pode ser o que você quiser.

É aquela coisa: rir é o melhor remédio.

4 – Redirecione seu foco

Você faz um trabalho, qualquer que seja ele, e dez pessoas vão elogiar o resultado, vão dizer que foi bem executado, que você merece um Oscar, um Grammy e um Nobel, mas, de repente, uma pessoa surge e fala que achou seu trabalho ruim.

À noite, quando sua cabeça deita no travesseiro, você vai pensar no quê: nos elogios de várias pessoas ou na crítica de apenas uma delas? Na crítica, se você for como a maioria dos humanos.

Aí o jeito é fazer um exercício mental inicialmente complicado, mas promissor em longo prazo: mudar o foco e, basicamente, parar de ver aquilo que está irritando você.

Em vez disso, enxergue as coisas boas na sua vida – pelo menos uma tem que ter.

Faça uma lista das coisas de mais legais que já aconteceram com você e escreva todas as suas conquistas, as grandes, as médias e as pequenas, por exemplo quando você quebrou um ovo sem furar a gema e enchê-la de micropedacinhos de casca. Focar em conquistas e em eventos positivos vai fazer com que sua raiva vá embora fácil, fácil.

Veja as coisas de outra maneira.

5 – Medite

Eu tenho raiva quando me mandam meditar, e o pior de tudo é que não apenas as pessoas me falam para meditar como eu sou uma pessoa que escreve a respeito dos benefícios da meditação com frequência. Acontece que, de tanto ler, escrever e ouvir sobre o assunto, acabei dando uma chance à dita cuja, e olha… funciona.

A base prática da meditação é basicamente fechar os olhos, sentar-se confortavelmente em um ambiente tranquilo e prestar atenção apenas no ar que entra e sai dos pulmões. Dessa forma, os pensamentos se acalmam e, claro, a raiva e a vontade de explodir o mundo vão deixando o corpo ao qual não pertencem. Meditar é quase como resetar a mente. Vale a pena de vez em quando.

É possível!

6 – Faça alguma coisa produtiva

Aqui o negócio funciona de maneira parecida com os exercícios. É uma questão de canalizar energias em algo positivo. Pode ser arrumar seu armário de livros, fazer algum trabalho de jardinagem, limpar a caixa de maquiagens, arrumar os armários da cozinha…

Lembre-se sempre de que raiva é um tipo de energia, então é só você aplicar essa energia em algo que traga algo positivo, e não em uma discussão ou em uma briga mais séria.

Quem nunca?

7 – Coloque no papel

Essa eu sei que funciona – cof, cof. A verdade é que escrever é um exercício realmente terapêutico que nos ajuda a colocar para fora sentimentos e pensamentos que, às vezes, nem sabíamos que estavam dentro de nós.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*