Como Matar Bichos Que Estão Nas Plantas?

Como Matar Bichos Que Estão Nas Plantas?Foto: iStock

Conhecidos como grandes “pragas” da agricultura brasileira, os nematoides são vermes cilíndricos e alongados, com cerca de 3cm. De acordo com o especialista em agricultura orgânica Thiago Tadeu Campos, os nematoides são abundantes no solo e na água doce e salgada, alguns se alimentam de fungos e bactérias importantes na ciclagem dos nutrientes e outros das raízes de plantas.

Estes últimos representam uma grande preocupação no cultivo de diferentes culturas, dentre elas, algodão, laranja, milho, café, cana-de-açúcar, e demais plantas essenciais para agricultura de exportação e consumo do país.

No entanto, em uma plantação assolada pelos nematoides, os primeiros sintomas podem demorar a aparecer, dificultando sua identificação e prejudicando lentamente o desenvolvimento das plantas.

No Brasil, as espécies mais conhecidas são o nematoide-das-galhas, nematoide do cisto e o nematoide das lesões, os quais podem atacar praticamente todas as espécies de hortaliças folhosas, bem como leguminosas.

Os nematoides são fito-parasitas que se alojam no sistema radicular, bulbos e tubérculos das plantas. Quando presentes nas plantas, os nematoides causam engrossamentos nas raízes, as chamadas galhas, as quais enfraquecem as raízes e dificultam a absorção de nutrientes pelas plantas, que por sua vez podem desenvolver também sintomas na parte aérea, como nanismo e amarelecimento das folhas.

O controle de nematoides é uma preocupação não só para cultivos no Brasil, mas também ao redor do mundo. Quando infestadas, as plantas sofrem uma redução exponencial de sua produtividade, que podem atingir 100% da produção a depender do tipo de nematoide, da área infestada, da cultura e também das condições ambientais da região.

Além dos problemas associados ao sistema radicular, os nematoides também podem induzir a outros prejuízos, devido ao enfraquecimento das plantas que se tornam mais susceptíveis ao ataque de demais pragas e doenças.

Os nematoides se movem de forma muito lenta no solo e a contaminação de novas áreas se dá por meio de sementes, mudas, água contaminada e transposição de solo e, apesar de bastante estudados e conhecidos no meio agrícola, ainda não existem formas conhecidas e eficazes no combate 100% dos nematoides. Dessa forma, a melhor forma de combate continua sendo a prevenção que consiste em evitar a entrada dos nematoides na área de produção.

Dessa forma, o agricultor orgânico deve certificar-se da procedência de suas sementes e mudas, bem como evitar o plantio em épocas muito quentes e úmidas, já que a maioria dos nematoides se multiplicam nessas condições.

Além disso, em ambientes nos quais já foi identificada a presença de nematoides, o agricultor pode trabalhar com medidas mitigadoras, como a manutenção da qualidade do solo e o controle de plantas invasoras hospedeiras, como por exemplo o arrebenta cavalo (Solanum aculeatissimum), erva-macaé (Leonurus sibiricus) e caruru de espinho (Amaranthus sp.).

A importância do solo fértil no combate de nematoides

Uma das maneiras mais eficientes para prevenção e controle de nematoides, é a manutenção na nutrição do solo, ou seja, utilizar-se de adubos orgânicos como esterco, torta de mamona e cobertura vegetal para suprir as necessidades do solo e assim proporcionar plantas mais fortes e mais resistentes.  Além disso, a matéria orgânica estimula o aumento da população de microrganismos benéficos de solo, em especial de inimigos naturais dos nematoides.

Uma planta posicionada em um solo pobre não terá resistência para lutar contra infestações de nematoides, pulgões , besouros e até mesmo as tradicionais intempéries que ocorrem ao longo do cultivo.  Dessa maneira, um solo fértil proporcionará a estrutura necessária para que a planta cresça saudável, criando um ambiente sustentável, no qual a planta consiga se proteger de pragas e doenças.

Além da manutenção da nutrição e qualidade do solo, outra técnica que auxilia na prevenção e combate aos nematoides é o alqueive, que consiste em manter o terreno limpo por meio de arações e gradagens periódicas em intervalos de aproximadamente 20 dias. O alqueive reduz a população não só dos nematoides, como de outras pragas pela ação dos raios solares, visto que a luz solar apresenta efeito nematicida.

Outra importante prática no controle de nematoides é a utilização de rotação de culturas.

O agricultor orgânico que deseja combater o nematoide da soja, por exemplo, pode realizar a rotação com plantas consideradas antagonistas, ou seja, plantas que atraem os nematoides, mas que não incentivam seu desenvolvimento.

A crotalária, o cravo-de-defunto e a mucuna, por exemplo, são plantas bastante utilizadas para esse tipo de manejo, pois são de fácil aquisição e possuem propriedades altamente tóxicas aos nematoides.

Controle biológico e suas vantagens para o produtor orgânico

Uma vez que os nematoides já estão instaurados no cultivo, o produtor deve buscar métodos orgânicos e combate e controle biológico de pragas, como a introdução de predadores naturais.

Os nematoides possuem mais de duzentas espécies, animais e até mesmo vegetais, que podem ser utilizadas no controle biológico, sem interferir no cultivo principal.

Alguns fungos, bactérias e até mesmo outras espécies de nematoides predadores podem ser utilizados no controle biológico.

O controle biológico tem como principal objetivo erradicar pragas de forma orgânica e natural, ou seja, sem desequilibrar o ecossistema e utilizando o mínimo de recurso possível.

O uso de produtos orgânicos pode ser uma alternativa ao agricultor, mas o controle biológico de nematoides é vantajoso em longo prazo, pois mantém as propriedades do solo e auxilia diretamente no controle de nematoides em sua horta.

Mantenha sua horta sempre saudável e livre de pragas: previna-se!

A presença de pragas em uma plantação é inevitável, principalmente em cultivos orgânicos, uma vez que o uso de inseticidas e agrotóxicos é proibido. O produtor orgânico deve possuir o conhecimento acerca das estratégias de cultivo e das ferramentas que lhe estão disponíveis.

Os nematoides podem destruir uma plantação de forma silenciosa e imperceptível. Dessa forma é essencial a prevenção e o cuidado diário com a horta orgânica.

Realizar a rotação de culturas e inserir plantas antagonistas e predadores naturais são as melhores formas de prevenir a entrada de nematoides em sua plantação, além de garantir que o solo esteja sempre bem nutrido, irrigado e livre de ervas daninhas.

A prevenção também facilita o manejo diário e evita a aproximação de outras pragas, deixando o cultivo mais saudável e reduzindo a necessidade de inseticidas ou pesticidas orgânicos.

Como Matar Bichos Que Estão Nas Plantas?

Aprenda a fazer inseticida natural e controle de pragas na horta

Como Matar Bichos Que Estão Nas Plantas? Imagem: monjardimmamaison

Fazer o controle de pragas e aplicar inseticida natural são passos básicos para obter uma horta orgânica bem bonita e suculenta! Quem ainda não teve a horta atacada por pragas também pode aprender métodos de prevenção. Confira as melhores dicas que o Portal eCycle separou para você. Mas se você ainda não começou sua horta veja porque essa é uma boa prática na matéria: “Agricultura urbana orgânica: entenda por que é uma boa ideia”. E se você já sabe que é legal começar uma horta orgânica mas não sabe como, dê uma olhada na matéria: “Oito passos para fazer sua horta orgânica”.

Métodos de controle de pragas

Folhas protegem

Muitas hortaliças como repolho, couve-flor, brócolis, entre outras, possuem grandes folhas (na parte mais externa) que muitas vezes não são consumidas.

Você pode utilizar essas folhas mais externas desse tipo de hortaliça (sem retirá-las do pé) para cobrir e tampar o repolho, a cabeça do brócolis. da couve-flor ou de outro tipo de vegetal.

Dessa forma, você evitará o contato direto do seu alimento com insetos e, caso eles venham, se alimentarão das folhas externas não utilizadas, e não a parte que você quer protegida.

Mãos à horta

Se sua horta não é de grande porte e ela já está infestada de pequenos insetos como pulgões, por exemplo, você pode passar de folha em folha retirando esses animais indesejados com as próprias mãos utilizando o auxílio de um pano úmido, certificando-se de não manter esses insetos vivos. Alguns dizem que além de ser uma forma de controle de pragas, esse método funciona como terapia.

Quanto mais misturado, melhor

Para fazer o controle de pragas com eficácia nada melhor que esquecer aquele padrão de plantação com vegetais todos iguais e separados simetricamente. As plantas também funcionam como barreira física para insetos.

Se você quer proteger seu pé de couve do pulgão verde, por exemplo, que tal colocá-la próxima de uma folhagem de lírio-da-paz ou outro tipo de planta que os pulgões não gostam? Quanto mais misturada e intercalada a posição de seus vasos mais segurança para seus cultivos.

Se você quiser intercalar os plantios no mesmo espaço de terra certifique-se apenas de colocar plantas de raízes com formatos diferentes (para uma não sufocar a outra) ou sem efeito tóxico sobre outra, para saber mais sobre isso pesquise como funciona a alelopatia.

Ervas daninhas ou não tão daninhas assim?

É importante conhecer como se dá a interação entre os diversos tipos de plantas. Algumas plantas, se crescidas no mesmo local, emitirão substâncias tóxicas e sugarão água e nutrientes do seu cultivo, o que acaba prejudicando as defesas dele contra insetos.

Leia também:  Como Saber Quem Usa Meu Wifi?

Entretanto, outras plantas podem até funcionar como auxiliadoras de crescimento ajudando a fixar nitrogênio no solo ou até mesmo atuando como proteção física (como abordado no tópico anterior). Por isso antes de tirar tudo o que nasceu espontaneamente sem você querer, confira se não é algo benéfico para sua planta.

Levar essa ideia em consideração certamente o auxiliará no controle de pragas da sua horta.

Controle de umidade

Não são só insetos que podem se tornar pragas para suas plantas, fungos também têm esse potencial. Por isso é importante verificar se o cultivo não está com umidade em excesso.

Se você encontrar manchas inesperadas nas folhas, troncos ou caules, confira se não há regas em excesso ou se a planta está em local sombreado demais. Mas cuidado, muito sol também pode acabar matando sua plantinha.

Para evitar esse tipo de coisa dê uma pesquisada na internet, em livros, ou converse com pessoas com mais experiência.

Barreira física

Se você não dispõe de outras plantas para funcionarem como barreira física ou sombreamento, você pode utilizar objetos para exercerem essa função.

A tela de sombreamento ou o “sombrite” é uma alternativa para fazer o controle de pragas. Elas são feitas de material leve, permeável, de polipropileno ou de poliéster.

Podem ser apoiadas por aros de arames fincados no solo para obter uma cobertura de proteção firme ou simplesmente são deixadas soltas em cima das plantas.

Atraia joaninhas

As joaninhas são amigas fiéis dos agricultores, elas cuidam das plantas comendo pulgões, moscas brancas e outros insetos prejudiciais. Mas ela também precisam de pólen e proteção. Para atraí-las, cultive plantas que têm flores em forma de campânula (formato de sino) assim como tulipas e lírios.

Esse tipo de vegetal funciona como um armazém de umidade e frescor para as joaninhas, as quais constroem casas nesses ambientes durante o verão. A joaninhas também gostam de erva-doce (Pimpinella anisum L.), coentro (Coriandrum sativum L.

), cominho (Cominum cyminum), angélica (Angelica Officinalis), cenoura (Daucus carota sativa), milefólio (Achilea millefollium L ), cosmos (Cosmos bipinnatus), coreopsis (Coreopsislanceolata), gerânio perfumado (Pelargonium sp) e dente-de-leão (Taraxacum officinale L).

Para saber mais sobre o dente-de-leão, confira a matéria “Dente-de-leão: planta é comestível e traz benefícios à saúde?”.

Além de atraí-las com essas plantas, cuidado para não destruir seus ovinhos. Eles são minúsculos, amarelos, ovais e costumam ser encontrados em grupos de dez a 15 ovos, levando até cinco dias para eclodirem. As joaninhas costumam depositá-los onde já existem colônias de pulgões; dessa forma, se encontrá-los, evite utilizar inseticida para fazer o controle de pragas, mesmo que seja natural.

Inseticidas caseiros

Chorume orgânico

O chorume orgânico, diferentemente do chorume tóxico produzido em aterros, é um ótimo biofertilizante e, dependendo do uso, também pode ser um bom inseticida natural.

O chorume orgânico é o líquido produzido pela decomposição dos alimentos por meio do processo de compostagem com minhocas (para saber mais sobre esse tema confira a matéria: “O que é compostagem e como fazer”; e pode ser feito em casa.

Se ele for diluído em dez partes de água e aplicado nas folhas (no período de sol baixo) e solo, fornecerá micronutrientes que auxiliarão o crescimento e defesa das plantas.

Se cada parte de chorume for diluída numa parte de água na proporção meio a meio, a mistura terá potencial inseticida e poderá ser aplicada com um borrifador diretamente nas partes atingidas por pragas. A propriedade inseticida do chorume orgânico pode ser utilizada tanto como forma de combate quanto prevenção a pragas. Mas lembre-se de aplicá-lo somente durante o sol baixo, caso contrário, poderá queimar as folhas do cultivo.

Sabão de coco

O sabão de coco também pode ser um aliado do controle de pragas.

Mas antes de utilizá-lo verifique se em sua composição foram utilizados apenas óleos vegetais e soda cáustica (que não é prejudicial à saúde depois que reage e se transforma em glicerina e sabão).

Muitos sabões incluem óleos derivados do petróleo e outras substâncias prejudiciais, evite-os. Para saber mais sobre esse tema, confira a matéria: “Sabões, detergentes e seus impactos no meio ambiente”.

Para utilizar o sabão de coco misture uma colher dele numa xícara de óleo de coco, despeje essa mistura num borrifador contendo 500 ml de água e aplique diretamente sobre as plantas ou insetos indesejados.

Mas cuidado, não confunda pragas com insetos polinizadores como abelhas, que são essenciais para o desenvolvimento das plantas. Saiba mais sobre esse tema na matéria: “A importância das abelhas para a vida no planeta”.

Lembre-se também que o sabão de coco está previsto na legislação como orgânico, entretanto não é um produto 100% natural.

Alho e cebola

Alho e cebola também podem funcionar como inseticida natural. Para isso, deixe ferver cinco dentes de alho e metade de uma cebola em um litro de água por aproximadamente dez minutos. E, após esfriar, pulverize a mistura nas plantas afetadas durante o sol baixo.

Urtiga

Colha 200 gramas de urtiga e deixe descansando num recipiente com dez litros de água durante cinco dias. Após esse período, coe a mistura e pulverize o líquido diretamente nas plantas durante o sol baixo.

Folha de tomate

Se você já teve cultivos de tomate sabe que essas plantas nascem muito facilmente e têm um ciclo de vida bem curto; após a primeira leva de tomates, ela acabam morrendo naturalmente.

Uma forma de aproveitar suas folhas antes de morrerem é fazer inseticida natural. Para isso, preencha dois copos com folhas de tomate picadas e adicione água.

Deixe essa mistura descansando por uma noite, acrescente mais dois copos d'água e pulverize nas plantas durante o sol baixo.

Pimenta

A pimenta não faz mal às plantas e funciona como um ótimo inseticida natural contra pragas. Para isso, bata no liquidificador cinco a dez pimentas com dois copos de água e deixe a mistura descansando durante uma noite. Pronto! Já pode borrifar nas plantas. Mas cuidado com os olhos e lave bem as mãos após o uso.

Ao utilizar essas técnicas fáceis para se livrar de pragas, certifique-se de não estar eliminando plantas ou bichinhos que são benéficos para a sua horta orgânica

Veja também:

Cadastre-se e receba nosso conteúdo em seu email. Comunicar erro

Saiba o que é cochonilha e como eliminá-la do seu jardim

A cochonilha é uma das pragas mais prejudiciais às plantas que você tem na sua casa, seja no jardim, seja em vasos internos. Trata-se de um inseto que não mede mais que 3,5 milímetros, suga a seiva e os nutrientes e, além de parasita, secreta uma cera adocicada que facilita o ataque de fungos, diminui a capacidade fotossintética da planta e atrai formigas doceiras.

A coloração dela varia bastante e pode ser marrom, verde ou preta, o que costuma dificultar a identificação dessa praga. Às vezes, o bicho aparece com um tom avermelhado ou branco, o que acaba facilitando, porque você pode avistá-lo como algo parecido com bolinhas de algodão na folha. Quando for assim, vale olhar mais de perto e analisar como está o estado de saúde da planta.

Em geral, a ação da cochonilha dá, inicialmente, um tom lustroso às folhas, como se elas estivessem enceradas, por causa daquele líquido que ela libera e que falamos antes. Depois, a planta começa a perder vigor, a começar pelas folhas, que ficam quebradiças e sem vida, com feridas enegrecidas e partes secas.

Como tratar uma planta infestada de cochonilha

A boa notícia é que tratar de qualquer plantação alvo de cochonilhas não é difícil, nem caro. Com algumas receitas caseiras é possível eliminar essa praga facilmente. Na sequência, basta cuidar da base nutricional da sua planta ou do seu jardim e usar algumas técnicas simples para proteger a sua plantação dessa e de outras pragas.

Um método bem interessante para matar as cochonilhas é usar uma calda de fumo, pois este ingrediente é um poderoso antifúngico e bactericida, capaz de cicatrizar as feridas causadas por esse inseto e eliminar outras infecções secundárias. No entanto, é preciso fazer um preparo para aplicar esse remédio, caso contrário, o efeito esperado pode não acontecer.

A receita é prática: basta acrescentar 100 gramas de fumo de corda cortados em pedacinhos em meio litro de álcool e meio litro de água. Essa mistura deve curtir por aproximadamente 15 minutos.

Depois, corte 100 gramas de sabão em pedra neutro e dissolva em 10 litros de água.

Misture um pouco dessa água de sabão na calda de fumo de corda e pronto! É só borrifar no jardim ou na planta infestada.

Leia também:  Como Ver A Quanto Tempo A Pessoa Esteve Online No Facebook?

Com esse método, o líquido preparado vai matar as cochonilhas por asfixia, já que ele cria uma película protetora sobre elas que impede a respiração do inseto. O melhor é que essa mistura não prejudica a planta, nem é tóxica para quem aplica. 

A água com sabão, aliás, pode ser usada sozinha em caso de infestações menos graves de cochonilha. Nos dois casos, a pulverização deve acontecer no início da manhã ou no finalzinho da tarde, quando o sol não está muito forte. Caso contrário, pode ser prejudicial para o seu cultivo.

Outra receita boa é uma calda com a erva-de-santa-maria. Com 200 gramas dessa erva amolecidas em 1 litro d’água fria durante seis horas, você tem um substrato poderoso contra a cochonilha. Após esse tempo, aperte bem as folhas para extrair o suco e dilua o extrato em 5 litros de água limpa, pulverizando em seguida nas partes atacadas.

Se a praga estiver acontecendo em uma região muito pequena da planta ― como na pontinha de uma folha ―, você pode tentar uma ideia ainda mais simples, que é limpar a área com um cotonete embebido em vinagre ou álcool etílico. Caso a quantidade de cochonilhas for intermediária, é recomendado fazer a limpeza com uma esponja ou escova seca e depois borrifar água com sabão.

Porém, vale um alerta: como a cochonilha é muito pequena e pode se esconder em lugares inacessíveis das plantas, é fundamental não se limitar à limpeza das regiões afetadas.

Aplicar pelo menos o borrifo de água com sabão vale a pena e não custa muito.

Em todo caso, tanto este tratamento quanto o da calda de fumo ou o da calda de Santa Maria precisam ser feitos uma vez por semana até a infestação acabar, sempre sob sol ameno.

Como cuidar da planta e do jardim depois da limpeza

Depois de semanas borrifando algumas dessas soluções que indicamos e após perceber uma boa melhora na condição do seu jardim ou das suas plantas ornamentais, é hora de pensar em algum escudo protetor contra uma nova infestação, não é mesmo?

Comece, então, podando as partes danificadas e remova tudo do jardim. Se for possível, queime esses resíduos em local adequado. Se isso não for viável, ponha em um saco plástico e mande para o lixo para evitar uma infestação em sua casa ou em qualquer outro lugar. 

Para fazer um curativo nas áreas podadas e evitar que a planta sofra com ataque de outros fungos ou vírus, aplique canela nas partes cortadas, pois ela ajuda a cicatrizar e ainda espanta as formigas. Ao redor do canteiro, faça um cerco de alho, plantando os dentes de uma cabeça de alho em volta das plantas.

Em seguida, cuide com as condições nutricionais da sua planta e do seu jardim. A deficiência de algum elemento torna o seu canteiro suscetível ao ataque de pragas. Portanto, verifique constantemente o solo (ele não pode estar adubado nem de mais, nem de menos) e a quantidade de água que as plantas recebem (evite excessos ou déficit hídrico). Também observe as condições de exposição à luz. 

Lembre-se que luz e água são necessidades que diferem de uma planta para outra. Assim, é indicado estar a par das necessidades de tudo o que você cultiva para dar a cada planta os elementos corretos em quantidade adequada. Além disso, tenha o cuidado de monitorar ao menos semanalmente seu jardim e as plantas que você cultiva para descobrir qualquer problema precocemente.

Por fim, cuide para que percevejos, joaninhas, moscas e até formigas estejam por perto do seu jardim. A aplicação de inseticidas pode afastar esses predadores naturais da cochonilha, além de danificar as suas plantas. No caso das formigas, apenas as graúdas e as cortadeiras oferecem perigo. As demais podem ser benéficas à sua plantação.

Esperamos que este artigo tenha sido esclarecedor para que você consiga cuidar ainda melhor do seu jardim. Caso tenha ficado alguma dúvida, é só deixar o seu comentário aqui embaixo e continuar acompanhando o nosso blog. Nós sempre postamos dicas valiosas para ajudar no trato com as suas plantas!

Conheça as pragas mais comuns em plantas e como combatê-las

Quando se fala em praga de jardim, quase sempre se culpa o vilão errado.

Respondo pessoalmente a mais de mil mensagens por semana só no Instagram do Minhas Plantas e posso dizer que alguém deveria fazer a defesa dos fungos.

Quedê o advogado desses caras, gente? Se você acha que tudo o que dá ruim com suas plantas é culpa de “fungo branco” ou das formigas, aqui vão, de cara, duas informações chocantes.

A primeira: fungos raramente são brancos, aliás, como uma frieira nos pés, a gente não vê o fungo e, sim, o sintoma da doença.

O que a maioria das pessoas chama de fungo branco é, na verdade, um bichinho bem visível, a cochonilha-farinhosa.

Você nunca terá sucesso em acabar com um problema, seja uma praga, uma doença fúngica ou mesmo a frieira nos pés, se não souber contra o quê está lutando.

Segunda informação chocante: formigas raramente são as vilãs, exceto, é claro, se estiver falando de formigas-cortadeiras, mas raramente é delas que reclamamos.

Quase sempre, as pessoas se incomodam com aquelas formiguinhas pequenas, de açúcar, que aparecem nas plantas adivinha só atrás do quê? Errou se falou flor, folha, raiz. Essas formigas querem, mesmo, é cochonilha.

Pá! Taí a danada de novo! Vem cá entender quais são as três pragas mais comuns, pra lutar com as armas certas.

Cochonilha

Imagem: iStockphoto 1. Cochonilha

Aparece em grupo, quase sempre no verso das folhas, perto do cabinho, da haste floral, nas nervuras ou do tronco – gosta de sugar as partes duras da planta. Pode ser branca e grudenta, como a cochonilha-farinhosa, com a aparência de verruguinhas marrons, igual à cochonilha-cerosa, ou mesmo em outros formatos.

Como saber se é isso mesmo: passe a unha, se a verruguinha sai, é cochonilha. Se tiver muita formiga pequena na planta, também pode ser um indício de começo de infestação. Partes grudentas da folha também indicam que essa praga está presente.

Como combater: com uma escovinha velha molhada em água e sabão de coco, retire as partes mais atacadas. Se estiverem no substrato, submerja o vaso por umas horas em água com umas gotas de detergente. Passe cotonete com álcool isopropílico (procure na internet) nos lugares de difícil acesso.

Como evitar: não deixe faltar cálcio nas suas plantas. É a deficiência desse nutriente que torna a verdinha suscetível a cochonilhas.

Pulgão

Imagem: iStockphoto 2. Pulgão

Amarelo, verde ou preto, também surge em bando, mas, olhando de perto, se parece com um besourinho sem casca: tem olhos e perninhas bem perceptíveis. Como acontece com as cochonilhas, pulgões são pragas sugadoras, mas, ao contrário delas, eles preferem as partes macias da planta, como brotos, folhas novas, pétalas e botões.

Como saber se é isso mesmo: mais uma vez, olhe bem de perto, eles se mexem, são muito mais ativos do que as cochonilhas. Se tiver muita formiga pequena ao redor deles, elas também denunciam a presença de pulgões.

Como combater: embora seja uma praga que se multiplica depressa, ela pode ser removida até com um jato forte de esguicho. Mate o que sobrar com óleo de nem, uma substância natural, encontrada em qualquer garden ou floricultura, até mesmo em hipermercados. Siga as instruções da embalagem quanto à diluição do produto.

Como evitar: cuide pra não exagerar nos adubos nitrogenados, que induzem deficiência de outros nutrientes e, ao mesmo tempo, atraem pulgões.

Formigas-cortadeiras

Imagem: iStockphoto 3. Formigas-cortadeiras

Mais comuns em quintais do que em apartamentos, são pretas ou vermelhas, bem maiores do que as formiguinhas de açúcar, e podem depenar uma planta pequena em poucas horas. Muitas têm hábitos noturnos, o que dificulta a sua detecção a tempo. Curiosamente, elas não comem as folhas e flores que cortam: levam pro formigueiro e usam esses pedacinhos pra cultivar o fungo do qual se alimentam.

Como saber se é isso mesmo: deixam as bordas das folhas cortadas de forma bem geométrica (nunca fazem furos!) e, quando estão trabalhando, criam longas fileiras de cortadeiras carregando as folhas no alto, uma cena bem fácil de identificar.

Como combater: espalhe gergelim cru no entorno do vaso e perto do formigueiro, envolva os pés das plantas arbustivas com lã bem felpuda, que dificulta a passagem das formigas. Se não tiver bichos de estimação nem crianças, tente formicidas.

Como evitar: cortadeiras sinalizam que a terra está muito compactada e pobre em molibdênio. Como resposta natural, elas e os cupins surgem pra cavar túneis e descompactar esse solo.

Além de adubar com macro e micronutrientes, sempre acrescente matéria orgânica ao solo, essa é a única forma realmente durável de melhorar a terra profundamente e não apenas na sua característica física.

Lagarta

Imagem: iStock Outras pragas comuns

  • tripes
  • lesmas e caracóis
  • lagartas
  • besouros
  • gafanhotos
  • mosca-branca
  • larva-minadora
  • mosca-de-fruta
  • nematóide

Use o Detox de Pragas pra combater a maioria dessas, catação manual contra as lagartas (use luvas!), iscas de chuchu pra caçar lesmas e caracóis e adesivos entomológicos contra as moscas como um todo (à venda na internet).

Estimular a diversidade de predadores naturais faz parte da solução: aranhas, passarinhos, besouros-carnívoros, sapos, lagartixas e vespas podem ser ótimos inseticidas.

Plante espécies repelentes perto das plantas infestadas por pragas, como arruda, tagetes e boldinho. E não se esqueça de que manter as plantas regularmente adubadas evita a maioria dos problemas, de pragas a doenças.

Receitas caseiras e naturais para livrar o jardim das pragas

  • WhatsApp
  • Facebook
  • Twitter
  • Pinterest
  • Linkedin
  • Copiar Link

Receitas caseiras e naturais para livrar o jardim das pragas (Foto Costas Picadas/Divulgação)

Não importa a época do ano. É sempre bom prevenir o jardim contra pragas. A verdade é que, se as plantas estiverem saudáveis e com a adubação em dia, esses seres indesejáveis passarão bem longe do seu jardim.

Mas desequilíbrios térmicos, insolação ou ventilação inadequada, excesso ou escassez de água, uso de tesouras mal esterilizadas e lixo acumulado abrem caminho para a proliferação de lesmas, cochonilhas, pulgões, caracóis e formigas.

leia mais

Limpeza dos vasosO primeiro passo preventivo é fazer uma boa limpeza nos vasos, canteiros e jardineiras, recolhendo galhos e folhas secas. É importante também dar uma olhada de perto nas suas plantas: verifique folha por folha e não se esqueça de checar o verso delas.

Essa vistoria detalhada deve ser feita uma vez por semana, pelo menos. “Nós só ficamos doentes quando existe algum desequilíbrio interno, e com as plantas acontece a mesma coisa.

É preciso prestar atenção aos sinais que elas dão”, afirma a jornalista Carol Costa, idealizadora do portal de jardinagem Minhas Plantas.

saiba mais

Idenfificação das pragasDepois, é preciso saber comoreconhecer cada tipo de praga e, assim, definir a melhor receita para combatê-las.

As lesmas e caracóis costumam aparecer em solos úmidos e gostam de atacar durante a noite, furando e devorando folhas, caules e botões florais. Já as formigas costumam ser injustiçadas: não são todas as espécies que atacam as plantas.

Antes de eliminá-las, observe se elas voltam ao formigueiro com folhas cortadas. “As saúvas e as cortadeiras são as que costumam causar mais estragos”, conta Carol.

saiba mais

Pragas sugadoras: como lidarAtente também para as duas pragas sugadoras mais comuns no jardim: as cochonilhas e os pulgões.

Se você notar que as folhas estão enrugadas e com casquinhas pretas, é sinal de que a planta está sendo atacada por um destes dois insetos. Além de roubar nutrientes, eles liberam um tipo de cera doce que facilita o ataque de fungos e atrai formigas.

Não bastasse isso, algumas cochonilhas têm uma espécie de carapaça dura, mais difícil de combater, e há alguns pulgões que apresentam asas.

Durante a vistoria, tome cuidado para não se enganar: centopeias e joaninhas são muito bem-vindas no jardim.

“Ao usar inseticidas, você pode acabar matando alguns aliados naturais, como os marimbondos, que gostam de comer lagartas, ou as joaninhas, que adoram pulgões.

Tenha cautela na hora da aplicação e avalie se é mesmo necessário”, afirma a herborista Sabrina Jeha, do viveiro Sabor de Fazenda.

leia mais

  • Receitas caseiras

Apesar de parecer assustador, todos esses problemas podem ser resolvidos com receitas caseiras fáceis de preparar. Além de não poluírem o planeta, os inseticidas naturais podem ser usados em plantas comestíveis e não são tóxicos para os seres humanos. Siga as indicações a seguir e garanta um jardim lindo, florido e sem pragas.

PIMENTA E ALHOBons para | Repelir insetos que atacam o jardim.Ingredientes | 100 g de alho + 100 g de pimenta + 2 l de álcool.

Modo de preparo | Bata no liquidificador o alho e a pimenta. Despeje a mistura em uma garrafa escura junto com o álcool e deixe curtir por sete dias.

Dilua 100 ml dessa mistura a cada 10 l de água e pulverize as plantas que precisam ser protegidas.

COENTROBom para | Combater ácaros e pulgões.Ingredientes | 10 folhas inteiras de coentro + 1 l de água.Modo de preparo | Cozinhe as folhas e a água por dez minutos. Espere esfriar, coe e pulverize a solução sobre as plantas doentes.

CAMOMILABoa para | Combater fungos.Ingredientes | 50 g de flores  de camomila + 1 l de água.Modo de preparo | Misture tudo e deixe a solução em repouso durante três dias, agitando-a quatro vezes ao dia. Coe a mistura e pulverize-a sobre a espécie doente.

SABÃO EM BARRABom para | Combater cochonilhas, percevejos e ácaros.Ingredientes | 5 l de água + 3 kg de sabão de coco picado + 2 l de óleo mineral.

Modo de preparo | Leve os ingredientes ao fogo até que o sabão esteja completamente dissolvido. Misture o preparado com óleo mineral na proporção de 1,5 l de calda de sabão para cada 2 l de óleo.

Pulverize as plantas até que a infestação cesse.

CEBOLABoa para | Combater pulgões, cochonilhas sem carapaça e lagartas.Ingredientes | 200 g de cebola + 2 l de água.Modo de preparo | Bata os ingredientes no liquidificador e deixe curtir durante dez dias. Após o período de descanso, dilua 330 ml da mistura em 1 l de água.

COMBINAÇÃO PODEROSABoa para | Acabar com pulgões e cochonilhas.Ingredientes | Pedaço de sabão de coco + 500 ml de água + 1 cebola grande + muitas pimentas + uma cabeça inteira de alho.

Modo de preparo | Bata todos os ingredientes no liquidificador. O resultado é uma pasta bem forte, com cheiro ardido. Coe e guarde a calda concentrada.

Quando precisar, dilua uma parte da calda para dez partes de água e borrife a planta toda.

leia mais

PRESTE ATENÇÃO NESTES DETALHES

O MELHOR HORÁRIO DE CUIDAR DAS PLANTAS | Para um melhor aproveitamento das receitas, cuide das suas plantas durante a manhã ou no final da tarde, quando a temperatura é mais fresca e os estômatos (estruturas minúsculas localizadas nas folhas, responsáveis por regular a fotossíntese, a respiração e a absorção de nutrientes) estão abertos. Além disso, não se esqueça de usar equipamentos de proteção, como máscara e luvas, ao preparar e borrifar as misturas.

CINZA DE LAREIRA VIRA ADUBO | Tem lareira  em casa? Espalhe as cinzas de lareiras e fogueiras pelos vasos, canteiros e jardineiras. Além de funcionarem como adubo, elas também são fertilizantes naturais.

CASCA DE OVO É FONTE DE CÁLCIO | Não jogue mais as cascas de ovos no lixo. Ricas em cálcio, elas são ótimas para melhorar o crescimento das raízes. Deixe as cascas secarem por dois minutos no forno quente e bata no liquidificador. Retire este pó branco bem fino e espalhe pelos vasos e jardineiras.

ARMADILHA PARA LESMAS E CARACÓIS | Para se livrar desses visitantes incômodos sem matá-los, espalhe pelo jardim pedaços de chuchu ou sacos de estopa embebidos em cerveja.

As pragas serão atraídas por essas armadilhas e, após algumas horas, poderão ser facilmente recolhidas.

Para eliminá-los, polvilhe sal, bicarbonato de sódio ou canela em pó ao redor do vaso, o que cria uma barreira também para as formigas.

O RESULTADO PODE DEMORAR | “Nunca faça uso dessas receitas em dias de sol forte ou com muito vento. E insista bastante! O ideal é borrifar as plantas uma vez por semana, por pelo menos um mês.Se chover, reaplique”, explica Carol Costa.

PARA MATAR COCHONILHAS E PULGÕES | Um chumaço de algodão embebido em uma mistura de água e álcool, ou vinagre, em partes iguais ajuda a retirar os pulgões das folhas. Isso pode ser feito semanalmente. Em casos mais graves, a solução é pulverizar a planta atacada com receitas naturais à base de sabão de coco.

FUNGOS | Misture uma parte de vinagre em duas partes de água e borrife nas plantas para se ver livre dos fungos. Trocar o ingrediente por leite de magnésia também resolve o problema.

TCHAU, FORMIGAS | Para espantar saúvas e cortadeiras, espalhe sementes de gergelim em torno dos canteiros. Ao contrário do que muitos pensam, os pedaços vegetais que elas carregam não servem para alimentação da colônia, mas sim para alimentar uma espécie de fungo que, por sua vez, será o alimento das formigas.

CANELA CICATRIZA A PLANTA | Quando descartar uma folha ou um galho, passe um pouco de canela em pó ou de extrato de própolis no local do corte. Os ingredientes são ótimos cicatrizantes naturais e ajudam a evitar a entrada de pragas e doenças.

leia mais

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*