Como Lidar Com Pessoas Que Nos Fazem Mal?

Como Lidar Com Pessoas Que Nos Fazem Mal?

Proteja-se das pessoas tóxicas em sua vida. Leia o nosso texto e aprenda a identificá-las e a lidar com elas.

Pessoas tóxicas existem em todos os lugares. Devemos nos precaver de pessoas tóxicas na medida em que não nos contaminemos com seus vícios psicológicos e emocionais. Neste texto orientaremos você a reconhecer pessoas tóxicas e como se livrar delas.

O que são pessoas tóxicas

O comportamento do ser humano pode ser considerado como “tóxico” quando ele toma a forma indesejável de atitudes de desagrado, de violência psíquica, física e emocional, crueldade, negativismo, manipulação, egoísmo, vitimismo etc.

Identificados estes elementos, a lista pode se tornar maior, na medida em que vamos prestando mais atenção às pessoas ao nosso redor.

Nem sempre pessoas tóxicas farão a vida de outras insuportável de forma consciente. Isso porque, às vezes, elas mesmas já se encontram em conflitos internos que necessitarão de ajuda de um psicólogo.

Sinais de alerta para pessoas tóxicas

Conheça alguns dos sinais de alertas em que você pode reconhecer uma pessoa tóxica.

1. Comparação entre você e a pessoa

As relações são muitas vezes complexas. Um tende a influenciar o outro e vice-versa.

Comparar-se é importante para que você perceba quando é a sua forma pessoal de agir e quando suas atitudes são influenciadas pelo outro.

No entanto, nem sempre é possível fazer esta comparação, já que, muitas vezes, a relação já entrou em um misto confuso de influências negativas sem você se dar conta.

Esta seria a primeira forma de reconhecer e saber distinguir ou separar o seu comportamento do outro. Mas não a única.

  • ANSIEDADE
  • ESTRESSE
  • DEPRESSÃO

FAZER O TESTE

2. Desafio das relações

Em geral, as pessoas tóxicas costumam desafiar as relações pessoais, de forma consciente e, às vezes, inconsciente. Algumas até sentem prazer em criar desordens e desestruturar a vida alheia.

3. Nível de estresse e negatividade

O estresse e a negatividade são sinais muito evidentes de pessoas tóxicas e que podem “contaminar” ambientes e pessoas. Isso, no sentido de incentivar sempre os aspectos ruins das pessoas, falando mal delas, enfatizando o lado negativo das emoções, como raiva, inveja, ciúme, impaciência etc.

Sabendo lidar com pessoas tóxicas

Conheça os psicólogos do nosso consultório, área de atuação, abordagens e especializações.

EQUIPE DE PSICÓLOGOS

Primeira coisa a saber: não é responsabilidade sua de querer “desintoxicar” uma pessoa. Tudo tem seu contexto e seu preço. Pessoas tóxicas possuem comportamentos distintos e que merecem a atenção de profissionais da saúde mental.

Por outro lado, podemos conseguir filtrar certas condições que somos levados pelo comportamento tóxico. É possível rejeitar sentimentos e pensamentos negativos, palavras, ações, comportamentos que podem nos influenciar no dia a dia.

Agora, confira dicas de ouro de como lidar com pessoas tóxicas.

1. Crie Limites

A relação com uma pessoa tóxica deve ser reconhecida e desestimulada, porque mesmo durante o tratamento, ainda é possível não perceber os limites de aceitação do outro. Para uma pessoa tóxica, tudo é permitido.

Tome cuidado de não fazer um movimento radical, como de exclusão, por exemplo, porque a pessoa sentirá que a sua influência não faz mais efeito. Busque o meio-termo.

2. Necessidade de ajuda

Uma relação saudável é impossível estabelecer neste momento. Ajude-a a procurar pessoas da área da psicologia que podem orientá-la neste sentido, falando sobre suas ansiedades, de seus pensamentos negativos constantes, estresse, mau-humor, etc. Evite falar que ela é uma pessoa negativa ou tóxica.

3. Reconheça as relações de poder

Coloque limites no que chamamos de relações de poder, já que ela sente a necessidade de estar por cima sempre. Seja assertivo em relação à pessoa, evitando, por um lado, estimular o seu lado negativo, e por outro, não desrespeitá-la.

4. Não revide com o mesmo veneno

Uma pessoa tóxica tem problemas, mas você não. Então saiba que o revide a alguém na mesma moeda não diminui sua violência nem ajuda em nada. Na verdade, pode ocorrer o contrário do previsto.

Se você é daqueles que gosta de entender tudo nos mínimos detalhes, então esse guia é para você! No guia completo você vai conhecer todo o processo desde onde procurar e selecionar um psicólogo, como é a primeira consulta, como se preparar para a terapia, como é o processo terapêutico e até como avaliar os resultados.

COMO SELECIONAR O SEU PSICÓLOGO

O poder de manipulação ou violência de uma pessoa assim pode ser desconhecida. Não há necessidade de manter sempre a defesa em alta, ou argumentar constantemente. Apenas deixe mais evidente seus limites.

Na defensiva, a presa é reconhecida. Ao traçar limites, está estabelecendo regras. Muito especificamente às pessoas tóxicas, é comum encontrar quem não sabe lidar com elas e assim, pode ocorrer dois casos: ou fogem ou se sentem vulneráveis a elas.

No entanto, segundo os psicólogos, este comportamento de medo pode, em relação a estas pessoas, nos ensinar a conviver com certos tipos de violência e manipulação.

Seguindo as dicas acima, de como lidar de forma inteligente com pessoas tóxicas, será possível amenizar, reconhecer e trabalhar com a capacidade de autocontrole das emoções e de neutralizar os efeitos.

Assim, se existe um segredo para lidar da forma mais correta possível, está no quanto você se permite influenciar negativamente. Não ceda lugar ao medo, à manipulação, à violência, à tristeza. Quando elas convivem em espaços íntimos, o risco de ser invadido é sempre maior e, com isso, virá o desconforto ou a dependência emocional.

Nem sempre será possível ou fácil cortar os laços com pessoas tóxicas. Então não hesite em buscar ajuda profissional para isto!

Gostou deste artigo? Leia também o artigo: 7 sinais de manipulação emocional.

Quem leu esse texto também se interessou por:

  • Como Lidar Com Pessoas Que Nos Fazem Mal?Pessoas controladoras são fáceis de identificar. Elas necessitam de outras para agir desta forma, para que seu domínio sobre elas faça algum sentido. Para o psicólogo, entender o mecanismo mental de uma pessoa controladora é fundamental afim de estabelecer um diagnóstico preciso.
  • Como Lidar Com Pessoas Que Nos Fazem Mal?Conviver com pessoas difíceis sem machucar e ser machucado é uma tarefa que requer muito jogo de cintura e compreensão, muitas vezes é necessário se colocar no lugar do outro para assim entender o seu comportamento.
  • Como Lidar Com Pessoas Que Nos Fazem Mal?7 dicas de psicólogo para evitar que problemas pessoais no trabalho prejudique sua carreira e de forma geral no ambiente de trabalho

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

COMO CONVIVER COM PESSOAS QUE NOS FAZEM MAL?

Como Lidar Com Pessoas Que Nos Fazem Mal?

CONVIVENDO COM PESSOAS QUE NOS FAZEM MAL, não é uma tarefa simples e fácil de fazer. Escrever aqui é bem fácil, mas conviver com pessoas que fazem mal só quem esta na pele é que pode nos narrar alguma coisa, mas existe uma luz e vou compartilhar um texto da Monja Coen, vamos a ele?

Mas o que é fazer mal? Como se convive com pessoas que nos fazem mal?

Quais emoções? Quais sentimentos a outra pessoa gera em você? Se ela te provoca emoções e sentimentos ruins, COMO CONVIVER COM PESSOAS QUE NOS FAZEM MAL? Já parou para se perguntar da seguinte forma:

É esta pessoa que provoca algo em mim ou sou eu que carrego estes sentimentos dentro de mim?

Sinto lhe dizer que é você que carrega estes sentimentos em você. Não existe lá fora, mundo externo. Portanto, é necessário você saber que “o outro” é apenas um gatilho, pois, é uma coisa que está em você, portanto, o problema nunca é a outra pessoa, mas a sociedade nos educou a acreditar que o inimigo é externo.

Tanto que o grande psicólogo Carl Jung é claro dizendo:

“Sua visão se tornará clara somente quando você olhar para dentro do seu coração, pois, quem olha para fora, sonha! quem olha para dentro, acorda.”

Mas, como você muda esta pessoa já que você não quer se afastar dela? Como você transforma esta pessoa em seu mestre?

Bom…havia um monge antigo que quando ele acordava dizia pra si mesmo:

“Você está aí? Sim! então não seja enganado por ninguém”.

Este é o compromisso do monge todas as manhãs, então, você pode fazer isto, também. Enfim, não seja controlado por ninguém, não permita que nenhum ser humano provoque suas emoções e sentimentos, mas que faça dela uma mestra para você, por qual internamente diga:

“Nossa! como você provocou uma situação adversa pra mim! como sinto mal!”.

Portanto, já que você não quer se afastar desta respectiva pessoa, faça dela seu mestre! pare que com o tempo você possa dizer: “Nossa! você provoca situações ruins em mim, que maravilha!” 

Ao dizer isto acontece uma mágica: Você tirou o poder do outro!

E tirando este poder, você está livre das garras de qualquer ser humano que esteja, internamente, controlando você. Moral da história: Conviver com pessoas que nos fazem mal pode ser um caminho de grande evolução mental e espiritual, depende da maneira que você vai olhar pra isto.

(Monja Coen) 

Leia também:  Como Ficam Os Olhos De Quem Usa Drogas?

Como Lidar Com Pessoas Que Nos Fazem Mal?

Sete maneiras inteligentes de lidar com pessoas tóxicas

…há um tipo de comportamento temperamental e negativo: o do indivíduo que usa suas oscilações de humor como pretexto para intimidar e manipular os outros.

Por MARC CHERNOFF

A convivência com os altos e baixos de uma pessoa e com sua constante flutuação de humor pode ser um desafio e tanto.

Mas é importante ter em mente que esta pessoa temperamental e negativa talvez esteja passando por uma fase difícil da vida – que pode envolver uma doença, um estado de ansiedade crônica, ou mesmo a carência de amor e apoio emocional.

Tal pessoa precisa de alguém que a ouça, que lhe dê apoio, e que cuide dela (mesmo assim, seja qual for a motivação deste comportamento temperamental e negatividade, haverá momentos em que você terá necessidade de se proteger disso tudo).

Porém, há outro tipo de comportamento temperamental e negativo: o do indivíduo que usa suas oscilações de humor como pretexto para intimidar e manipular os outros. Esta tendência à flutuação de humor acaba perpetuando um clima propício aos abusos e à infelicidade.

Observando esta pessoa com atenção, você notará que a atitude dela é completamente autocentrada. A prioridade dos relacionamentos que ela mantêm estará associada ao modo como as pessoas de seu convívio podem servir para atender às suas necessidades egoístas.

É neste tipo de relacionamento tóxico que eu gostaria de centrar o foco, neste texto.

Estou convencido de que ninguém tem o direito de impor suas nocivas oscilações de humor (tais como e-mails com “correntes” de mensagens ameaçadoras) a outrem, sob quaisquer circunstâncias. Portanto, como lidar bem com as consequências nocivas do implacável veneno destilado por estas pessoas?

1. Afaste-se desta pessoa

Se você convive com alguém que sempre tenta criar um clima emocional destrutivo, não tenha dúvidas: esta pessoa é tóxica. Se o comportamento dela lhe causa sofrimento, e a compaixão, a paciência, os conselhos e a atenção que você lhe dedica não parecem surtir efeito – e, além disso, ela não parece dar a mínima –, é o momento de você se perguntar: “Preciso desta pessoa em minha vida?”

Quando você se afasta de uma pessoa tóxica num determinado ambiente, o ar fica muito mais arejado.

Sempre que a situação lhe permitir, ignore-a e siga em frente com sua vida. Tome uma atitude enérgica, e identifique o momento de dar um basta.

Afastar-se de uma pessoa tóxica não significa que você a odeia, ou que você lhe deseje algum mal; isso simplesmente quer dizer que você dá valor ao seu próprio bem-estar.

Uma relação saudável envolve reciprocidade; deve haver espaço para dar e receber, sem que uma das partes esteja sempre doando, e a outra sempre recebendo. Se, por um motivo qualquer, você tiver de conviver com uma pessoa tóxica, leve em consideração os aspectos abaixo.

2. Pare de fingir que o comportamento desta pessoa não é nocivo

Se você descuidar, a pessoa tóxica poderá recorrer a atitudes temperamentais com o objetivo de receber tratamento preferencial, já que… bem… acalmá-la pode parecer mais uma tarefa mais fácil do que ter de ouvir resmungos. Mas não se engane: no longo prazo, quem vai sofrer com isso é você.

Uma pessoa tóxica não mudará de comportamento se estiver obtendo recompensas pelo fato de não mudar. Tome a firme decisão de não se deixar influenciar pelo comportamento desta pessoa. Pare de “pisar manso” quando estiver ao lado dela, e deixe de ser condescendente com seu comportamento agressivo.

O esforço de tolerar uma pessoa negativa, e que sempre cria drama diante das situações, nunca é compensador. Se uma pessoa com pelo menos 21 anos de idade não é capaz, de modo geral, de ter o comportamento de um adulto sensato e confiável, é chegada a hora de adotar a recomendação a seguir.

3. Diga a ela o que você pensa, de modo claro e sem rodeios!

Defenda-se. Há pessoas dispostas a qualquer coisa para obter ganhos pessoais às custas dos outros – furar fila, furtar dinheiro ou bens, praticar bullying, menosprezar alguém ou fazê-lo sentir-se culpado etc. Não tolere esse tipo de comportamento.

Na maioria dos casos, estas pessoas sabem que estão agindo de modo errado e, se colocadas contra a parede, tendem a recuar em suas atitudes nocivas.

Em muitas interações sociais, as pessoas tendem a tolerar os indivíduos tóxicos, até o momento em que alguém toma uma atitude, e diz o que pensa, com clareza. Você pode muito bem assumir este papel!

A pessoa tóxica poderá usar a raiva como uma estratégia para influenciar você, não lhe dar ouvidos quando você está tentando dizer algo, ou mesmo interromper o que você está dizendo, e começar a dizer coisas negativas a respeito de algo a que você dá valor. Se você disser claramente o que pensa, e enfrentar diretamente este comportamento temperamental, ela poderá ficar surpresa, ou mesmo chocada, por você ter invadido o “território” dela. Seja como for, é importante ser claro e direto, sem fazer rodeios.

Se, ao relacionar-se com esta pessoa, você jamais fizer qualquer referência a este comportamento tóxico, corre o risco de enredar-se nas manipulações dela.

Por outro lado, se você contesta abertamente estas atitudes, ela poderá eventualmente se dar conta do impacto negativo de tal comportamento. Por exemplo, você pode dizer:
 “Você parece zangado(a).

Tem algo te incomodando?”
 “Você parece entediado(a). O que eu estou dizendo soa desnecessário pra você?”

 “Você está me aborrecendo com seu comportamento. Era esta a sua intenção?”

Frases diretas como estas podem desarmar a pessoa, caso ela realmente esteja usando seu comportamento temperamental como um modo de manipulação. Tais comentários podem também servir de porta de entrada para que você possa ajudá-la, caso ela esteja realmente enfrentando um problema sério.

Ainda que a pessoa lhe pergunte: “O que você quer dizer com isso?”, e negue a própria atitude, pelo menos você a alertou que este comportamento já é um problema bem conhecido de todos que a cercam, e que não é somente uma estratégia que ela pode usar para manipular os outros sempre que quiser.

Mas se ela continuar negando, talvez seja o momento de…

4. Ser mais enérgico(a)

A sua dignidade poderá ser ridicularizada e violentamente atacada, mas ninguém poderá tirá-la de você, a menos que você permita. Trata-se, aqui, de encontrar energia para defender os limites do seu território.

Deixe muito clara a sua recusa a insultos ou a atitudes de menosprezo. Para ser sincero, nunca tive bons resultados no enfrentamento com uma pessoa realmente tóxica (o pior tipo de gente que existe), enquanto ela me agredia.

A melhor reação que já tive foi a seguinte frase, dita em tom irritadiço: “É uma pena que você tomou meu comentário de modo pessoal”. Uma estratégia muito mais eficaz foi abortar a conversa, num tom de “delicadeza nauseante”, ou de modo simplesmente abrupto.

A mensagem será clara: não haverá recompensa para as “alfinetadas” desta pessoa, e você se recusa a participar de um jogo de manipulações.

A pessoa realmente tóxica tende a envenenar todas as pessoas ao redor; se você o permitir, será afetado por este veneno. Se você já recorreu à argumentação, e isso não surtiu efeito, não hesite em afastar-se desta pessoa e ignorá-la, até que ela perceba a necessidade de mudança de atitude.

5. Não tome este comportamento tóxico de maneira pessoal

O problema é deste indivíduo, não seu. LEMBRE-SE DISSO.

Há grandes chances de que esta pessoa tente insinuar que, de algum modo, você é quem agiu errado. E, já que o sentimento de culpa tende a ser um peso considerável para a maioria das pessoas, a mera insinuação de ter feito algo errado poderá abalar sua autoconfiança e minar sua determinação. Cuide para que isso não aconteça com você.

Lembre-se: se você não toma nada de maneira pessoal, isso lhe dá uma enorme liberdade. A maioria das pessoas tóxicas age de modo negativo não apenas com você, mas com todos ao redor.

Mesmo quando a situação parece ser de natureza pessoal – mesmo que você se sinta diretamente insultado(a) –, em geral, isso não tem nada a ver com você.

As coisas que esta pessoa diz e faz, e as opiniões dela não passam de um reflexo dela própria.

6. Exercite a compaixão

Há momentos em que vale a pena demonstrar empatia pela pessoa tóxica que claramente está enfrentando situações difíceis, ou sofrimentos por causa de uma doença.

Leia também:  Como Saber Que Esta Em Trabalho De Parto?

Não resta dúvida de que algumas destas pessoas estão, de fato, angustiadas, deprimidas, ou até mesmo doentes mental ou fisicamente; ainda assim, é preciso distinguir entre problemas legítimos e a maneira como esta pessoa o trata.

Se você seguir justificando e relevando atitudes de uma pessoa pelo fato de ela estar angustiada, fisicamente doente, ou mesmo deprimida, isso servirá de estímulo para que ela use a própria circunstância infeliz como um meio para atingir os fins.

Há alguns anos, trabalhei como voluntário num hospital psiquiátrico para crianças. Atuava como orientador para Dennis, um garoto que recebera o diagnóstico de transtorno bipolar. Às vezes, Dennis se revelava um menino difícil, e, no momento em que seus conflitos vinham à tona, xingava a todos, com palavras obscenas.

Ninguém nunca o advertia sobre suas explosões; àquela altura, eu tampouco fazia isto. Afinal, ele é clinicamente “louco”, e não tem controle sobre isso, não é mesmo?

Certo dia, levei Dennis a um parque, e começamos a brincar com uma bola. Uma hora depois, ele teve uma de suas crises, e começou a me xingar. Em vez de ignorar, eu lhe disse: “Pare de me agredir, e de me xingar.

Sei que você é um menino legal, e que pode ser bem mais legal do que está sendo agora”. Ele ficou de queixo caído, e tinha uma expressão atônita no rosto.

Segundos depois, voltou a si e me disse: “Desculpe por ter sido agressivo, sr. Marc”.

A lição que tirei deste episódio: não é possível “ajudar” uma pessoa por meio do perdão incondicional a tudo que ela faz só porque ela tem problemas.

Há muita gente passando por extremas dificuldades, mas que evita envenenar as pessoas com quem convivem. Só é possível agir com verdadeira compaixão quando se consegue impor limites.

No longo prazo, uma postura de excessiva tolerância e condescendência não é saudável nem sensata para nenhuma das partes.

7. Reserve um tempo para si mesmo(a)

Caso você tenha de viver ou trabalhar com uma pessoa tóxica, e não lhe restar alternativa, lembre-se sempre da importância de reservar um tempo para si mesmo, para descansar e recarregar as baterias.

Viver sempre o papel de um “adulto centrado e sensato” diante de uma pessoa temperamental e tóxica pode ser uma tarefa exaustiva; se você não tomar cuidado, este veneno pode infectá-lo.

Lembre-se que mesmo as pessoas que estão enfrentando problemas legítimos e doenças clínicas conseguem compreender que você também tem problemas – o que significa que você também pode “sair de cena”, sempre que for necessário.

Você merece este distanciamento. Para poder refletir em paz, livre de pressões externas e de comportamentos nocivos.

Sem ter de resolver quaisquer problemas, lutar pela preservação de seu território, ou agradar a ninguém.

Há momentos em que você precisa simplesmente achar um tempo para si mesmo(a), longe do mundo agitado em que vive – mundo em que o tempo individual de cada pessoa não é uma prioridade.

  • Imagem de capa: Ana Blazic Pavlovic/shutterstock
  • Do original: 7 Smart Ways to Deal with Toxic People, de MARC CHERNOFF.
  • TRADUZIDO exclusivamente para CONTI outra pelo tradutor e revisor LUIS GONZAGA FRAGOSO

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.

RECOMENDAMOS

LIVRO NOVO: FABÍOLA SIMÕES

Como Lidar Com Pessoas Que Nos Fazem Mal?

COMENTÁRIOS

Como lidar com pessoas negativas? – Portal

Como Lidar Com Pessoas Que Nos Fazem Mal?

Lidar com pessoas negativas pode ser um verdadeiro desafio, e é importante saber se manter positivo para não acabar prejudicado.

Ao longo da vida nos deparamos com indivíduos de diversos perfis diferentes. Por mais que seja natural que todos enfrentem dias de mais ânimo ou desânimo, existem aqueles que se mostram mais frequentemente em um estado do que outro. Lidar com pessoas negativas é um tanto quanto delicado, pois precisamos cuidar para que a negatividade delas não nos afete.

Sabe quando você vai contar sobre um projeto ou sonho seu e a pessoa logo encontra algum defeito ou empecilho no seu plano? Essa é uma característica comum daqueles que dão maior ênfase para o lado ruim das coisas, perdendo grandes oportunidades de valorizar o lado bom.

Siga a leitura e confira dicas de como lidar com pessoas negativas sem se deixar afetar pela energia ruim delas.

5 Atitudes comuns às pessoas negativas

Por mais que uma pessoa negativa possa ser facilmente identificada, ver uma lista com características comuns a esse perfil é interessante para se certificar se é realmente esse o caso.

Afinal, às vezes pode ser apenas alguém que está vivendo uma fase mais delicada, algo passageiro.

Então, para evitar cometer uma injustiça, observe se a pessoa em questão tem alguns dos comportamentos a seguir com frequência.

1 – Estão sempre antecipando acontecimentos

Como a pessoa negativa está sempre com o foco voltado para as coisas ruins, está sempre antecipando acontecimentos, claro, com os piores desfechos possíveis. O cliente não irá aprovar o projeto, os sentimentos não serão correspondidos, a meta não será alcançada. Esse pensamento, muitas vezes, faz com que ela deixe de tentar algo por deduzir que dará errado.

2 – Esperam o pior das coisas

Talvez, como forma de proteção para evitar decepções, as pessoas negativas esperam sempre o pior de tudo e de todos. As expectativas raramente são boas, pois o pessimismo é um dos pontos mais marcantes de seu temperamento.

3 – Reclamam muito

A reclamação é uma atitude bastante problemática porque a pessoa que reclama com frequência sente como se estivesse tomando uma atitude, mas na realidade não está. Ela se coloca como vítima e acha que todos estão contra ela, repetindo isso o tempo todo.

4 – Não tomam atitudes

O excesso de reclamação faz com que essas pessoas se tornem inertes, vítimas de sua própria negatividade. Então, dificilmente elas saem da zona de conforto, permanecendo nesse lugar em que se sentem protegidas, mas mergulhadas em um mar de insatisfação.

5 – Sugam a energia dos outros

Toda essa negatividade faz com que essas pessoas se tornem vampiros emocionais. Quando o caso é mais severo, passar algumas horas ao lado de alguém assim se torna extremamente cansativo, pois é como se o outro sugasse nossa energia.

Dicas para lidar com pessoas negativas

É possível se relacionar com pessoas negativas sem entrar na mesma frequência que eles. Entretanto, para conseguir isso é preciso se blindar e manter a sua mente convicta em relação às suas crenças e objetivos. Confira as dicas a seguir e saiba como agir nessa situação.

1 – Desvie o foco do negativo

Sem agressividade ou indiferença, tente mostrar para a pessoa que todas as situações têm um lado bom e que pensar positivamente pode atrair mais coisas boas. Se ela reclama do clima, do preço da gasolina ou do trânsito, mostre as coisas boas que tudo isso pode representar ou proporcionar.

2 – Veja o lado bom da história

Está quente? Combine com os amigos um dia no clube. O combustível está caro? Que tal uma carona? Mostre como ela poderá economizar com a gasolina, fazer uma amizade nova e ainda se distrair no trânsito com uma conversa saudável.

Chegou atrasado ao trabalho? Fique um tempo a mais no final do dia e, de quebra, evite congestionamentos. Tudo é uma questão de perspectiva e, ao fazer esse exercício na presença da pessoa, poderá inspirá-la a seguir pelo mesmo caminho.

3 – Mude sua rota

Ouvir aquela pessoa falar dos problemas e tentar ajudá-la mostrando o lado bom das coisas não resolveu? Mude a estratégia e troque o assunto.

Mostre uma pequena preocupação com o problema em questão, seja breve e pegue outro caminho: fale de coisas boas, pergunte como será o final de semana, ou se ela tem planos para o próximo feriado.

Instigue essa pessoa a pensar em coisas boas e extraordinárias.

4 – Mostre que negatividade faz mal à saúde

Se a pessoa em questão é um amigo próximo ou alguém da sua família, tente mostrar que pensar e agir negativamente pode fazer mal à saúde, provocar estresse, baixa autoestima e levar até a um estado de depressão. Assim, incentive-o a mudar de atitude. Caso seja um colega de trabalho com o qual não tem tanta intimidade, talvez essa dica não seja uma boa, já que ele pode achar que está se intrometendo.

5 – Veja as possibilidades

Uma vez que a pessoa negativa consiga enxergar que está com problemas e precisa se cuidar, inúmeras chances e possibilidades são consideradas para a recuperação.

O Coaching, por exemplo, é um processo que pode auxiliar na busca por um comportamento melhor e ampliação da visão do positivo.

Essa técnica é capaz de trazer motivação, aprimorar a performance no trabalho e promover o autoconhecimento.

Leia também:  Como Dizer Aos Pais Que Estou Gravida?

6 – Evite absorver os problemas do outro

Pessoas negativas estão o tempo todo falando de seus problemas e reclamando da vida. Se você permitir acabará absorvendo essas questões e abrindo espaço para que te afetem. Sendo assim, por mais que goste dela e queira ajuda, faça isso mantendo um distanciamento emocional. Esse cuidado é fundamental para evitar que questões alheias comecem a te prejudicar.

7 – Selecione bem as informações que irá compartilhar

Se você já percebeu que a pessoa coloca defeitos em tudo o que você conta, comece a selecionar as informações que compartilha com ela. Vai participar de um processo seletivo, está poupando para realizar um sonho, se apaixonou por alguém? Guarde esse segredo e prefira compartilhar com amigos que vão te incentivar e não te colocar para baixo.

8 – Fale de soluções em vez de remoer problemas

Pessoas que são negativas tendem a passar horas do seu dia reclamando de problemas.

Enquanto elas fazem isso perdem a oportunidade de usar esse tempo para tomar uma atitude e, de fato, resolver a questão.

Dessa maneira, sempre que a pessoa negativa do seu convívio começar a remoer um problema, fale sobre as possíveis soluções. Quem sabe isso não a inspira a tomar uma atitude, não é mesmo?

9 – Tenha consciência de quem você é

Para se blindar e evitar entrar na onda de uma pessoa negativa e que está o tempo todo colocando defeitos em tudo, tenha consciência de quem você é. Saiba quais são suas qualidades, seus pontos a melhorar, suas conquistas, seus sonhos. Quanto mais certeza tiver em relação a isso, menos os outros conseguirão te afetar com comentários negativos.

10 – Repense o relacionamento

Por fim, caso não note nenhuma melhora e perceba que a negatividade está te prejudicando, procure repensar esse relacionamento.

Se for um colega de trabalho e não houver opção de escolha, mantenha o respeito, mas evite se aproximar demais. Se for um amigo ou familiar, decida o que achar melhor.

Lembrando que não é necessário romper os laços totalmente, basta se distanciar emocionalmente mantendo sempre o respeito e a consideração.

Quem nunca conviveu com uma pessoa negativa? Você tem um amigo assim? Conte para nós sua experiência e compartilhe o artigo em suas redes sociais para levar a reflexão adiante!

Imagem: Vladimir Gjorgiev / Shutterstock

*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Conheça os 10 tipos de pessoas que fazem mal à saúde

Comportamentos

Conheça os 10 tipos de pessoas que fazem mal à saúde

  • Todos sabemos que as pessoas com quem convivemos influenciam o nosso estado de espírito e qualidade de vida.
  • Não é por acaso que nos sentimos muito bem perto de algumas pessoas e, há outras que nos provocam um mau-estar tão grande que só nos apetece provocar o afastamento.
  • Somos todos diferentes uns dos outros e, por isso temos necessidades distintas, ainda assim, a Revista Mais Saúde resumiu os perfis mais conhecidos como sendo tóxicos para a nossa saúde em geral, por isso, esteja atento e saiba colocar nos devidos lugares quem se lhe apresentar com uma destas performances.
  • 1 – O tipo de pessoa que gosta de uma fofoca ou de falar sobre os outros:

A pessoa que apresenta este perfil, não é boa companhia! Este tipo de pessoas quer saber mais acerca da vida dos outros para se divertir com a desgraça alheia. É incapaz de ajudar quando um amigo tem um problema porque o quer ver mesmo mal.

Este tipo de pessoa, pode ser homem ou mulher, gosta de julgar, de avaliar, de condenar os outros para se sentir superior. Na realidade, tem problemas de auto-estima, mas quer combate-los descarregando sobre aqueles que o rodeiam.

Estas pessoas não têm sentimentos e acabam por falar, na maioria das vezes, sem conhecimento de causa, sem fundamento, apenas pelo prazer de levar e trazer informação destrutiva para alguém. O seu cérebro alimenta-se desse “veneno” para viver.

A solução é afastar-se desse tipo de pessoa, pois hoje ela fala de alguém, amanhã é você o alvo das conversas!

2 – A pessoa temperamental:

Todos nós temos emoções diferentes ao longo do dia, mas algumas pessoas não conseguem lidar com o que sentem e, por causa disso, atacam outras pessoas sem o mínimo autocontrole. Estar na companhia desse tipo de gente é sempre desagradável, e ninguém gosta de viver com medo desses rompantes de fúria, que podem acontecer a qualquer momento.

  1. 3 – A vítima:
  2. Esse tipo de pessoa é mais difícil de identificar.
  3. Por norma, este tipo de pessoa gera empatia com relativa facilidade, mas em pouco tempo, acaba por enrolar os outros nos seus problemas, nos seus dramas e chamadas de atenção.

Este tipo de pessoas reclama sempre do mesmo, porque já se habituou a falar dos seus problemas com todas as pessoas que encontra na vida, razão pela qual não altera o comportamento, muito menos resolve os seus problemas para se libertar daquilo que diz causar-lhe sofrimento. Usa esses dramas para ser o centro das atenções e manipular os outros. Perde a força quando a outra pessoa deixa de ser a mera ouvinte e começa a falar também dos seus problemas. Nesse caso, normalmente afasta-se.

4 – A pessoa “autoabsorvida”:

Este é o tipo de pessoa que passa completamente ao lado das outras na maior parte das situações. Está sempre envolvida nos seus pensamentos e não liga a ninguém. Não cria qualquer tipo de relação ou ligação com os outros.

5 – A invejosa:

É aquela criatura que está sempre a comparar-se com outras pessoas e a procurar ter o que os outros têm.

Estas pessoas querem o que é dos outros e consideram que, “se tivessem o mesmo” seriam muito melhores do que os outros! Essa é a razão pela qual querem tudo até à exaustão e, não são só bens materiais, são também traços de personalidade que são cobiçados, casamento e daí por diante. O afastamento deste tipo de pessoas é a solução, já que, mais cedo ou mais tarde, isto vai gerar conflitos, por vezes, perigosos.

6 – O manipulador:

É aquele cidadão que dá um jeitinho para conseguir sempre tudo o que quer, que enche alguém de elogios antes de pedir um favor, que faz chantagem emocional, que coloca uma pessoa contra a outra e que sempre, sempre consegue o que quer. Estas pessoas são um verdadeiro perigo em sociedade e, ainda mais nas relações interpessoais, pois onde elas estão, há conflitos seguramente, há interesses e falsas palavras e/ou promessas.

7 – Os dementadores:

Quando JK Rowling criou os dementadores,  pensou naquelas pessoas que, quando entram numa sala, roubam a energia do local, ou seja: pessoas altamente negativas.

São aqueles pessimistas que nunca dizem nada positivo, que se fecham em si mesmas e não ligam a ninguém, que só pensam no lado mau da realidade e, ainda se dão ao luxo de produzir profecias para destruir a vida de quem os escuta, pois dizem tantas coisas más que, uma ou outra acaba por acertar em cheio no outro. É importante estar longe deste tipo de influencia!

8 – O sádico:

Por mais bizarro que pareça, algumas pessoas são maldosas a ponto de se sentirem satisfeitas quando sabem que alguém se deu mal.

Desfrutar da dor e da miséria das outras pessoas é, certamente, uma forma cruel de levar a vida, e com certeza você não precisa de gente assim por perto.

Ao reconhecer que alguém se diverte com o sofrimento de quem quer que seja, o melhor que tem a fazer é se afastar dessa pessoa.

9 – O juiz:

As pessoas têm sempre o direito de concordar ou não com alguma coisa e, quando discordam, devem fazer isso de forma sensata e educada. Aquela criatura que dita regras e julgamentos sobre a vida alheia, como se estivesse sempre com a razão, é geralmente incapaz de conviver com o que é diferente dela e, esse tipo de gente é das mais fáceis de dispensar.

10 – O arrogante:

Não desperdice o seu tempo com gente arrogante. Para esse tipo de pessoa, tudo o que possa fazer é um desafio pessoal, e, psicologicamente falando, a arrogância nada mais é do que uma falsa confiança.

Qualquer coisa falsa uma hora ou outra é descoberta, e por trás do arrogante há sempre alguém com baixa auto-estima e muita insegurança.

A solução é não ir muito para além do mero cumprimento e formalidade pontual, já que tudo o que acrescentar a isso, é tempo perdido.

Fátima Fernandes

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*