Como Lidar Com Pessoas Que Nos Desprezam?

Segundo o dicionário Michaelis, desprezo significa a falta de apreço ou de consideração, desdém, sentimento de desapego, desprendimento ou repulsa por alguém. O fato é que, o desprezo é um sentimento forte baseado na convicção da inutilidade de alguém ou no julgamento de uma pessoa como inferior.

Esse sentimento geralmente vem em forma de palavra que tem como o objetivo ferir e desmoralizar, e pode ser transpassado por meio de um gesto, como uma sobrancelha que altera a feição do rosto, arqueando-se para cima e demonstrando rejeição diante de uma pessoa ou do que se vive no momento.

Poucos sabem, mas o desprezo é um sentimento que se torna um tipo de comportamento extremamente prejudicial ao psicológico. Quem é desprezado se sente humilhado e até mesmo se coloca em posição de humilhação, não só diante de quem age com desprezo, mas diante de outras situações da vida também.

Se sentir diminuído e incapaz de conviver em determinados ambientes é uma consequência que pode até anular alguém de um convívio social. Por outro lado, quem age com desprezo tem com clareza a intenção de ridicularizar o outro.

É como se ficasse esperando a hora certa para humilhar alguém, e assim evidenciar opiniões maldosas que são proferidas simplesmente para ferir e aumentar o próprio ego (pois quem diminui alguém, com certeza se sente superior).

Como Lidar Com Pessoas Que Nos Desprezam?

Como lidar com o desprezo?

Como já sabemos, ser desprezado faz com que fiquemos cabisbaixos e desanimados, até mesmo desacreditados, o que pode desencadear problemas mais sérios como depressão. A questão é que, se você está sendo desprezado nesse momento da sua vida, é preciso parar e analisar algumas atitudes.

Não que a culpa seja sua, mas é preciso parar e pensar em todas as ações para tentar entender um pouco o porquê dessa “raiva” gratuita que você está recebendo. Se souber que não tem nada a ver com alguma atitude sua, a melhor opção é não agir da mesma forma.

Vamos te dar algumas dicas para lidar com este sentimento, atente-se!

1- Olhe para si mesmo e reconheça as suas qualidades, tirando aprendizados dos seus defeitos e não se culpando por nada. Se você tiver dificuldade em encontrar qualidades em si, pergunte a algum amigo e peça ajuda para analisar os seus pontos fortes.

Muitas vezes nós possuímos uma certa dificuldade em nos avaliarmos de forma positiva, então pedir ajuda pode ser uma boa opção! E ao evidenciar as suas qualidades, permita-se sentir especial por cada ponto que é só seu, não pense que será arrogância ou prepotência da sua parte.

2- Se você se sente com muitos problemas, lembre-se que todos nós temos problemas, e nenhum é mais importante do que o outro. Cada um é cada um, e apenas nós sabemos do que sentimos, e mesmo assim, podemos ouvir e tentar ser conforto para alguém. Ninguém precisa ficar sozinho!

3- Seja paciente e não desconte em ninguém. Não reaja com desprezo, pois nunca sabemos o que o outro está pensando. Por muitas das vezes no calor de um momento, o desprezo pode chegar até você como reflexo da insegurança de alguém. Se você agir da mesma forma, alimentará este sentimento no outro, mas se agir de forma diferente, pode ter certeza que o rumo das coisas mudará.

Como Lidar Com Pessoas Que Nos Desprezam?

4- Valorize as pessoas que estão à sua volta e esteja sempre atento à forma de lidar com todos. Cada pessoa tem a sua singularidade e pode nos ensinar algo diferente, não julgue ninguém!

5- Converse com alguém sobre o que sente, como já foi dito anteriormente, ninguém precisa ficar sozinho. Sentimentos guardados uma hora transbordam e precisamos desabafar e ouvir palavras de um amigo que tenha uma visão diferente da nossa. Desabafe!

6- Quando se sentir confortável, converse com a pessoa que te despreza, inicie o diálogo com um sorriso e tente mostrar que você sente. Se ela não quiser falar e insistir em te humilhar, insista no amor e não retribua ódio.

7- Se ame! Você é um ser único e especial! Por mais que o que os outros digam te atinja, não se deixe afetar, pois ninguém pode invadir o seu interior, só se você permitir!

Como Lidar Com Pessoas Que Nos Desprezam?

Se mesmo com estas dicas, você ainda sentir que está difícil lidar com o que vem acontecendo, vamos te ensinar uma prática da filosofia havaiana contra a mágoa, que é a prática de oração ” Ho’oponopono”, que no dicionário havaiano significa “higiene mental”. A prática consiste em focar no que te faz mal, eliminando tais sentimentos ruins por meio da consciência de que a única pessoa que pode anular todas as ações negativas da sua vida é você!

Tudo o que já vivemos fica guardado na nossa memória, e na maioria das vezes guardamos mágoas e nem percebemos. O Ho’oponopono tem como finalidade liberar essas memórias que podem criar alguns obstáculos na sua vida ou simplesmente ser uma fonte de sofrimento.

Você também pode gostar

  • A banalização do Amor
  • As duas mortes
  • Te amo! Deixei você ir!

A prática mais moderna dessa filosofia consiste em quatro principais frases: sinto muito; me perdoe; eu te amo e sou grato.

Insira estas frases na sua rotina, por mais difícil que seja no início.

Pratique a oração a seguir e desprenda-se de qualquer mágoa gerada pelo desprezo e emane boas vibrações para quem age dessa forma tão ruim! Pratique o perdão e mude o rumo das situações que te incomodam, mostre que você tem somente o bem à oferecer. Você pode fazer a diferença!

Faça a oração original Ho’oponopono e liberte-se de qualquer vínculo de mágoa. Tenha a certeza de que o melhor caminho é o perdão e o peito leve!

Como Lidar Com Pessoas Que Nos Desprezam?

“Divino Criador, Pai, Mãe, Filho, todos em Um.Se eu, minha família, meus parentes e antepassados, ofendemos sua família, parentes e antepassados, em pensamentos, fatos ou ações, desde o início de nossa criação até o presente, nós pedimos o seu perdão.

Deixe que isso se limpe, purifique, libere e corte todas as memórias, bloqueios, energias e vibrações negativas.Transmute essas energias indesejáveis em pura luz e assim é.Para limpar o meu subconsciente de toda carga emocional armazenada nele, digo uma e outra vez, durante o meu dia, as palavras-chave do Ho’oponopono:Eu sinto muito. Me perdoe.

Eu te amo. Sou grato.Declaro-me em paz com todas as pessoas da Terra e com quem tenho dívidas pendentes.Por esse instante e em seu tempo, por tudo o que não me agrada em minha vida presente:Eu sinto muito. Me perdoe. Eu te amo. Sou grato.

Eu libero todos aqueles de quem eu acredito estar recebendo danos e maus-tratos, porque simplesmente me devolvem o que fiz a eles antes, em alguma vida passada:Eu sinto muito. Me perdoe. Eu te amo. Sou grato.Ainda que me seja difícil perdoar alguém, sou eu que pede perdão a esse alguém agora.

Por esse instante, em todo o tempo, por tudo o que não me agrada em minha vida presente:Eu sinto muito. Me perdoe. Eu te amo. Sou grato.Por esse espaço sagrado que habito dia a dia e com o qual não me sinto confortável:Eu sinto muito. Me perdoe. Eu te amo. Sou grato.Pelas difíceis relações às quais só guardo lembranças ruins:Eu sinto muito.

Me perdoe. Eu te amo. Sou grato.Por tudo o que não me agrada na minha vida presente, na minha vida passada, no meu trabalho e o que está ao meu redor, Divindade, limpa em mim o que está contribuindo para minha escassez:Eu sinto muito. Me perdoe. Eu te amo. Sou grato.

  • Se meu corpo físico experimenta ansiedade, preocupação, culpa, medo, tristeza, dor, pronuncio e penso: “Minhas memórias, eu te amo”.
  • Eu te amo por ser quem você é”.

Estou agradecido pela oportunidade de libertar vocês e a mim.Eu sinto muito. Me perdoe. Eu te amo. Sou grato.Neste momento, afirmo que te amo.Penso na minha saúde emocional e na de todos os meus seres amados. Te amo.Para minhas necessidades e para aprender à esperar sem ansiedade, sem medo, reconheço as minhas memórias aqui neste momento:Sinto muito, eu te amo.Minha contribuição para a cura da Terra:Amada Mãe Terra, que é quem eu sou: se eu, a minha família, os meus parentes e antepassados te maltratamos com pensamentos, palavras, fatos e ações, desde o início da nossa criação até o presente, eu peço o teu perdão.Deixa que isso se limpe e purifique, libere e corte todas as memórias, bloqueios, energias e vibrações negativas.Transmute essas energias indesejáveis em pura luz e assim é.Para concluir, digo que esta oração é minha porta, minha contribuição à tua saúde emocional, que é a mesma que a minha.Então esteja bem, e na medida em que vai se curando, eu te digo que:Eu sinto muito pelas memórias de dor que compartilho com você.Te peço perdão por unir meu caminho ao seu para a cura, te agradeço por estar aqui em mim.

Como Lidar Com Pessoas Que Nos Desprezam?

Após esta oração, pense somente no bem. Os sentimentos ruins primeiramente fazem mal a você.

Leia também:  O Que Significa Em Portugal Medidas Como Longo E Alto?

Pode ter a certeza de que quem despreza possui um buraco enorme no peito, e o seu papel em situações como essa, pode ser preencher o peito de quem te machuca, com toda a gratidão e amor que existe dentro do seu ser.

Lembre-se sempre que ninguém é de ferro e a má comunicação por muitas das vezes é o que promove a distorção de ideias. Se comunique mais com todos, repare no seu próprio jeito de agir e analise se você não age com desprezo no seu dia a dia. Assim como dói em você, vai doer no outro também.

Faça uma autoanálise e pratique o perdão. Faça orações e seja sempre positivo, não seja tão ruim com você. Acredite se quiser, a partir do momento em que você se amar e entender o quão único e especial você é, a única coisa que você terá pra oferecer e transpassar para todos ao seu redor é gratidão e amor!

Pare por apenas 1 minuto, ou alguns segundos para pensar nas pessoas felizes e bem sucedidas que você conhece.

Elas são completamente diferente de tudo que já vimos, não concorda? As reações, os pensamentos, as atitudes, comportamento, cultura e educação. Tudo isso é diferente nessas pessoas.

Aproveitando e organizando o relacionamento com seus clientes para vender mais e melhor

  • OBS: Preparamos uma apresentação com as principais dicas desse artigo. Confira a apresentação clicando na imagem abaixo
  • 9 coisas que as pessoas felizes preferem ignorar from Agendor
  • Confira o artigo na íntegra abaixo:
  • Podemos até acreditar, se quisermos, que elas são pessoas de outro mundo, porque não se parecem em nada com a grande maioria de pessoas que estão ao nosso redor.

Será que não é por isso que as pessoas felizes e bem sucedidas são minorias? Porque elas são completamente diferentes de todo o resto?

Essas pessoas ignoram os estereótipos, a negatividade, os problemas e nadam contra a maré para fazer a diferença em suas vidas. E não é só isso. Elas decidem ignorar algumas coisas também.

Aqui estão elas.

#1. O julgamento de outras pessoas

Tudo bem em ouvir os outros, mas não precisamos ceder ou nos preocupar com tudo que eles pensam, falam e acreditam.

Ao longo da sua vida, haverá muitos momentos em que o mundo vai calar e o que conta é a batida do seu coração. Então é melhor você conhecer muito bem o som da batida, porque é o que você precisa aprender a escutar.

Quando passamos muito tempo preocupado com o que os outros vão pensar, acabamos nos esquecendo de quem realmente somos.

Nós não temos que ser outra pessoa apenas para agradar os outros. Deixe as pessoas ficarem impressionadas e inspiradas por quem você realmente é.

Como Lidar Com Pessoas Que Nos Desprezam?

Não ceda ao julgamento de terceiros.

#2. Problemas do passado

Nem você, nem ninguém pode mudar o que já aconteceu. Então olhar em frente é a única opção que temos.

Não se estresse. Dê o seu melhor. Esqueça o resto. Nossos erros servem para nos ensinar, para guiar nossa intuição, não para nos definir.

Lembre-se que,  muitas vezes quando as coisas estão caindo aos pedaços, elas ainda continuam caindo em algum lugar. Só porque você não está onde quer estar hoje, não significa que você não estará lá algum dia.

#3. As pequenas frustrações

Um dia ruim é apenas um dia ruim. Ele vem e vai. Escolha aceitar isso, porque quanto mais rápido esse dia for embora, mais rápido um novo dia vem chegando.

É necessário deixar algumas coisas irem simplesmente pela razão de que elas vão pesar o seu coração e sua alma. Vá em frente e esqueça essas frustrações.

Atrás de cada belo dia, há algum tipo de luta. Atrás de todo dia ruim também. A gente cai, se levante, cometemos erros, vivemos e aprendemos. Somos humanos, não perfeitos. Podemos ter nos ferido, mas estamos vivos.

Pense no privilégio precioso que é estar vivo hoje. Às vezes, há tristeza em sua jornada, mas também há muita beleza. Você deve caminhar colocando um pé na frente do outro, mesmo quando doer, pois você nunca vai saber o que está esperando por você ao virar a curva.

#4. A dor do trabalho duro

Existem 2 tipos de dor na vida: a dor que te machuca, e a dor que te faz mudar. Mas quando você aprende com elas, as 2 são a mesma coisa. Se você quer algo, deve suportar a dor e trabalhar para isso.

Você pode não ser capaz de mudar o seu destino em 1 dia, mas você pode mudar a sua direção agora.  Lembre-se, a força não vem do que você pode fazer. Ela vem de superar as coisas que você não pode.

Situações difíceis constroem a força das pessoas bem sucedidas. Não importa o quanto dói agora, você tem que manter a cabeça erguida, ranger os dentes e continuar.

Como Lidar Com Pessoas Que Nos Desprezam?

Não deixe que o trabalho duro amedronte você.

#5. Ocupação insignificante

No início, você precisa dizer “sim” para um monte de coisas para descobrir e estabelecer seus objetivos.

Mais tarde, você precisa dizer “não” para um monte de coisas e se concentrar em seus objetivos.

Como Bruce Lee disse uma vez: “não é um aumento diário, mas uma diminuição diária. Corte fora tudo que não for essencial“.

Muitos de nós perdemos muito tempo com o que é urgente e não temos tempo suficiente para o que é importante. Não faça isso. Não é o que nós reivindicamos que são as nossas prioridades, mas como nós gastamos o nosso tempo a cada dia que revela a verdade.

#6. Pensamentos impacientes

A paciência não é sobre a espera. É a capacidade de manter uma boa atitude enquanto se trabalha duro no que você acredita. É a vontade de manter o foco, confiar dando um pequeno passo de cada vez, sabendo que a maneira que você move uma montanha é movendo uma pedra de cada vez.

Cada pedra que você move, não importa quão pequena, é um progresso.  Se você está trabalhando para melhorar a sua saúde, aprendendo uma nova habilidade. Você não pode esperar a gratificação instantânea.

Em vez disso, você deve dedicar-se a dar o melhor de sua capacidade e compreender que a verdadeira mudança leva tempo.

#7. Coisas que não podem ser controladas

Nunca force nada. Faça o seu melhor, deixe que as coisas aconteçam. Se for para ser, as coisas serão.

Não se abata com as coisas que você não pode controlar. Pare de falar sobre o problema e comece a pensar sobre a solução. Esqueça o que poderia dar errado por 1 segundo e pense no que já está certo.

Lembre-se, a mudança acontece por uma razão. Problemas e imprevistos são males necessários que nos empurra para frente, porque, eventualmente, acabam, mas as lições e maturidade que você ganha a partir disso dura uma vida.

#8. Receios infundados

A vida é sobre superar o medo e assumir riscos. Parece simples, mas nem tanto. Se você não arrisca nada, você arrisca tudo.

Verdade seja dita, nada na vida é para ser temido, é apenas para ser compreendido. Agora é a hora de expandir sua zona de conforto para que você possa experimentar coisas e entender mais.


A realidade, é claro, é que todo mundo fica com medo às vezes. Não se trata de não ter medo, mas o que você faz quando você se sente assim.

Quando você sentir dúvida, medo, ansiedade ou frustração, saiba que deixar fluir é tão bom quanto você puxar a sua mão para longe de uma chama de fogo.

Mantenha sua mente focada na bondade, sobre as possibilidades e em seus objetivos mais preciosos. O que começa em sua mente acaba em sua vida.

Como Lidar Com Pessoas Que Nos Desprezam?

Cuidado com os medos que te impedem de seguir em frente.

#9. Uma mentalidade cheia de amargura

Acredite em si mesmo em tempos difíceis. Acredite em sua capacidade para ter sucesso. Acredite que seu relacionamento vale a pena o esforço. Acredite que as pessoas cometem erros em seu caminho para a grandeza. Acredite que as pessoas podem ser insensatas e inteligentes, egoístas e generosas, estressadas e felizes ao mesmo tempo.

Acredite que pouquíssimas pessoas ferem as outras de propósito. Acredite que há muitos caminhos para o que é certo. Acredite em sua intuição, especialmente quando você tem que escolher entre 2 bons caminhos.

Acredite que as respostas estão lá fora esperando. Acredite que a vida irá surpreendê-lo novamente. Acredite que a viagem é o destino. Acredite que tudo vale a pena.

Mantenha distância desses pensamentos e atitudes

Problemas, situações difíceis e falta de incentivo sempre vão existir. Pessoas brilhantes enfrentaram problemas, julgamentos, falta de dinheiro e inspiração.

Mas lembre-se que, você pode internalizar tudo isso, e contaminar a sua saúde que, aí sim vai afetar para sempre a sua maneira de agir, ou você pode simplesmente levantar a cabeça e, continuar caminhando, mesmo quando as coisas estiverem te puxando pra trás.

Leia também:  Como Saber Qual A Especie Da Minha Tartaruga?

As coisas podem não estar fazendo sentido agora. Mas, certamente, quando você enfrenta as coisas e segue em frente, tudo se encaixa. Uma mente positiva e obstinada é o segredo de qualquer sucesso.

Como Lidar Com Pessoas Que Nos Desprezam?

9 coisas que as pessoas felizes preferem ignorar

Blog: Como lidar com o desprezo da pessoa amada? | Sociedade Brasileira de Inteligência Emocional

Como Lidar Com Pessoas Que Nos Desprezam?© Depositphotos.com / AntonioGuillemF Para lidar com o sentimento de desprezo é preciso saber se valorizar, mudar o foco e não tentar controlar o que não depende de você.

A maioria das pessoas já teve que lidar com o desprezo amoroso em algum momento da vida — seja por uma relação que terminou por iniciativa do parceiro, por conta de sentimentos que não são correspondidos, uma traição ou até mesmo por falta de interesse ou compatibilidade. Este é um momento muito difícil e doloroso, mas que pode ser superado a partir do entendimento de sua história de vida e de suas relações primárias. É necessário ressignificar possíveis interpretações e traumas que estão registrados no inconsciente, especialmente os associados à mãe.

Rodrigo Fonseca, fundador e presidente da Sociedade Brasileira de Inteligência Emocional (SBie), explica que rejeição é um dos maiores temores da humanidade. Segundo ele, este medo nasce ainda na vida intrauterina: “Os sentimentos, pensamentos e emoções da mãe são transferidos para a criança ainda no útero.

Isso significa que, se em algum momento o indivíduo sentiu ou interpretou que não era amado, pode carregar a crença de que não merece receber amor e levar esse padrão para seus relacionamentos da vida adulta.

Essa é uma situação que costuma ocorrer em casos de gravidez não planejada, tentativas de aborto ou abandono materno”, explica Fonseca.

Como lidar com o sentimento de desprezo?

A origem das emoções humanas está nos pais e em todas as experiências vivenciadas durante a primeira infância: as pessoas são como folhas de papel em branco, e todas as experiências da gestação e dos primeiros sete anos de vida ficam registradas nesta folha, que é chamada de subconsciente. Além de entender o histórico familiar para poder identificar possíveis crenças limitantes, você pode seguir as dicas a seguir para lidar da melhor maneira com a rejeição amorosa:

Valorize-se

Faça o seguinte questionamento: é possível ser amado e valorizado por outra pessoa, sem aprender a amar e valorizar a si próprio? Pense sobre suas realizações, virtudes e características positivas e faça um esforço consciente para não esquecer de suas qualidades mesmo nos momentos de dor. Perceba que você é uma pessoa especial e que merece ser amada da mesma forma que consegue amar o outro.

Não tente controlar o que não depende de você

É impossível controlar os desejos e sentimentos das outras pessoas. Portanto, ficar remoendo e lamentando algo que não pode ser mudado é um grande desperdício de tempo e energia. Para superar a dor da rejeição, é fundamental aceitar o que não depende de você.

Mude o foco

Quando alguém está sofrendo por um amor não correspondido, é natural que seu foco esteja na pessoa amada. Porém, isso pode ser muito prejudicial e só prolongará o sofrimento. Da mesma maneira que é importante viver essa dor durante um determinado tempo, é fundamental saber a hora de seguir em frente.

Invista em ações positivas e que trarão benefícios para a sua vida, tais como: fazer um curso sobre algum tema que desperte interesse, focar na vida profissional, aprender uma nova língua ou fazer uma viagem. Atitudes como essas movimentam sua rotina, podem te distrair da dor e ajudam a aumentar a autoestima

Desenvolva sua Inteligência Emocional

Investir no desenvolvimento da sua Inteligência Emocional traz consciência sobre os padrões dos seus relacionamentos, além de revelar crenças limitantes e comportamentos que prejudicam sua vida e suas relações. Com o Método LOTUS você encontrará a força necessária para superar a dor da rejeição e irá desenvolver sua coragem para recomeçar.

8 atitudes que você deve evitar ao lidar com pessoas deprimidas

Quando a depressão se instala, o apoio e a compreensão de amigos e familiares é primordial.

Acontece que, na ânsia de ajudar, muita gente acaba cobrando ações ou reações que o deprimido é incapaz de ter; ou ainda, mesmo sem perceber, repercutindo preconceitos e ideias equivocadas que só geram culpa e atrapalham o tratamento da doença, piorando o estado psíquico do paciente. Confira, a seguir, atitudes a evitar:

1. Forçar uma postura “good vibes”

“Sai dessa”, “pense positivo”, “seja forte”… Se for para proferir frases assim, melhor não dizer nada. Tudo bem que, em alguns casos, a intenção pode ser boa e o objetivo, incentivar. Porém, muitas vezes a pessoa deprimida está destruída internamente e, mesmo assim, tentando lutar.

A insistência em encorajá-la e em levá-la a ver o lado positivo das coisas pode ser não só desrespeitosa, mas inútil. Quem tem depressão vê a vida na cor cinza, ou seja, quase sem cor. É uma visão distorcida da realidade.

Com o tratamento adequado, é possível retomar o interesse pelas coisas e notar cores mais alegres.

2. Questionar sorrisos

Falar à pessoa que “nem parece” que ela está doente, pois a viu sorrindo, é uma besteira sem tamanho. Uma gargalhada diante de um meme divertido ou demonstrar alegria por algum acontecimento são reações e estados de ânimo passageiros, e não um diagnóstico do humor total de quem sofre de depressão. Isso não quer dizer que a pessoa vem se sentindo feliz.

As pessoas deprimidas podem ter oscilações de humor: ora parecem menos tristes, ora ficam irritadas e em outros momentos tudo indica que estão bem.

E mais: dizer para um deprimido sorrir ou se animar pode ser bom quando ele está bem no início da doença ou já em franco tratamento, pois rir produz serotonina (neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar).

No entanto, a depressão afeta a produção dessa substância e exige o uso de medicamentos adequados.

Rir não é algo necessariamente vinculado à felicidade e ao prazer. Muitas vezes as pessoas reagem de modo não condizente com o que estão sentindo.

Aliás, em certas situações o riso pode significar ansiedade pelo fato de alguém não saber lidar com o que está ocorrendo.

Questionar uma risada é uma forma de acusação muito desconcertante e inadequada que sugere, inclusive, fingimento por parte do paciente.

3. Comparar a depressão com situações tristes

Imagem: iStock Se você convive com alguém deprimido, evite fazer comparações com situações ruins como “pense na fome na África” ou “pelo menos você não perdeu ninguém para o covid-19”. Saiba que uma pessoa deprimida já se sente imensamente culpada por não conseguir ativar os mecanismos cerebrais para lidar com tais eventos. Desvalorizar o sofrimento imposto pela depressão não ajuda em nada, pelo contrário, só atrapalha, pois pode gerar mais culpa. O fato é que a dor vivenciada é profunda e desqualificá-la é um erro gravíssimo.

4. Dizer que sabe como a pessoa se sente

Apesar de ser uma tentativa de mostrar empatia, essa atitude só é válida —e mesmo assim com ressalvas, pois cada caso tem suas particularidades — se incluir o relato de uma vivência pessoal da doença.

Caso contrário, agir assim pode induzir na pessoa deprimida um sentimento de impotência ou culpa por não conseguir lidar com os sentimentos como o interlocutor. Falar “eu sei como você se sente” é uma afirmação que pode soar como desprezo. Somos seres individualizados, não sentimos as coisas da mesma forma.

O mesmo fato terá uma repercussão e um significado diferente na vida de duas pessoas que o estiverem vivenciando ao mesmo tempo. Portanto, não, ninguém sabe como o outro se sente.

5. Contestar o uso de medicamentos

Raramente o uso de remédios para diabetes, hipertensão ou algum mal cardíaco é questionado – inclusive, parentes, amigos e colegas de trabalho costumam cobrar o comprometimento e a continuidade de sua ingestão. Por mais que as informações sobre a depressão e seus desdobramentos, como o risco de suicídio, sejam discutidas e divulgadas à exaustão, muita gente ainda revela preconceito em relação à doença.

Não são poucas as pessoas que se dispõem a criticar alguns efeitos colaterais iniciais dos antidepressivos, como tontura e dor de cabeça, ou a reclamar sem conhecimento de causa sobre sua eficácia ou necessidade.

É fundamental frisar que a medicação atua nas alterações bioquímicas da doença e que, em certas situações, é preciso combinar os remédios, já que existem mais de 70 tipos de depressão com todas as suas condições associadas.

Só o psiquiatra deve prescrever e supervisionar o uso de antidepressivos, cujos efeitos variam de paciente para paciente.

6. Insistir para a pessoa a sair de casa ou realizar alguma atividade

A depressão tem aspectos químicos que impactam na motivação e na disposição e roubam a energia. Um de seus sintomas é o isolamento.

Leia também:  Como Saber Qual O Centro De Saude?

E, para quem tem a doença, a sensação de fraqueza e cansaço pode ser muito grande, associada à vontade nula de sair da cama de manhã para mais um dia —ainda mais se envolver interações sociais.

Teimar para que a pessoa saia ou faça atividades pode causar sentimento de culpa por não encontrar forças dentro dela. E incentivar alguém deprimido a sair de casa somente será produtivo se o interlocutor participar, acolhendo e valorizando cada pequeno progresso.

7. Falar para a pessoa procurar “ocupar a cabeça”

Imagem: iStock A depressão conta com alterações cerebrais e fisiológicas que independem de fatores externos. Um de seus sintomas mais limitantes é a falta de foco, que acontece em diferentes níveis e muda de pessoa para pessoa. Essa dificuldade em se concentrar adiciona um obstáculo a mais para o depressivo ser ativo. Por essa razão, pedir para quem tem depressão “ocupar a cabeça” pode ser entendido como uma crítica por ele “ser preguiçoso”, fazendo com que se sinta pior por perceber que não consegue agir de modo diferente.

Além do mais, “ocupar a cabeça” é uma expressão vaga que pressupõe cabeça vazia. Acontece que na depressão os pensamentos negativos já ocupam a mente por serem impositivos e repetitivos. O que faz a diferença é se o paciente está preenchendo a mente qualitativamente ou não, sendo que muitas vezes ele sequer consegue livrar-se do pessimismo e da negatividade que povoam os seus pensamentos.

8. Comentar algo como “você está assim porque não se cuidou”

Essa colocação aumenta o sentimento de culpa, que naturalmente acomete os pacientes deprimidos. Eles já costumam se responsabilizar pelo quadro que os aflige. Ao contrário de outros transtornos nos quais o mal é percebido fora de si, no caso da depressão o problema é situado internamente, o que pode promover situações autoagressivas e até mesmo o suicídio.

Muitos têm em sua genética a predisposição para o desenvolvimento da doença, e por mais que “se cuidem”, ainda assim adoecem. Por exemplo: uma associação entre queda de hormônios devido à idade, momento da aposentadoria e predisposição genética são diferentes fatores que, associados, podem levar ao adoecimento.

Depressão não é tristeza, mas sim um quadro psíquico que exige tratamento e outros cuidados especiais.

Dicas para ajudar com empatia

  1. Em vez de tentar contribuir com sugestões, proponha ajuda real. Perguntas como “posso acompanhar você ao seu médico?” ou “quer conversar sobre isso?” podem fazer total diferença;
  2. Mostre-se disponível para ouvir a pessoa. Exercite a escuta sem cobranças e ofereça suporte e acolhimento sem julgamentos.

    Ficar ao lado sem dizer nada muitas vezes tem um grande valor e transmite a mensagem de que você se importa;

  3. Se não puder fazer nada, dê um abraço e diga o quanto gosta da pessoa;
  4. Faça-se presente.

    Estar perto é a melhor ajuda, mesmo que seja para fazer nada;

  5. Compreender e validar o que a pessoa está sentindo é fundamental;
  6. Tenha paciência e mantenha a calma, principalmente quando há oscilações de humor.

    Saiba lidar objetivamente com os sintomas e aceitar as limitações apresentadas pelo paciente;

  7. Não minimize nem ignore comentários alarmantes ou suicidas;
  8. Cada progresso deve ser reforçado positivamente, por mais que para você seja algo simples como fazer a barba, por exemplo.

    Diante de metas simples e alcançáveis, o paciente não se sente culpado e amplia progressivamente o seu repertório até ter condições de executar atividades de maior complexidade.

Fontes: Alfredo Toscano, psiquiatra, psicoterapeuta e docente da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo; Elaine Di Sarno, psicóloga especializada em Avaliação Psicológica e Neuropsicológica e em Terapia Cognitivo-Comportamental, ambas pelo Ipq-HCFMUSP (Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), onde trabalha como pesquisadora e colaboradora do PROJESQ (Projeto Esquizofrenia); Flávia Teixeira, psicóloga pós-graduada em Psicossomática Contemporânea e docente do curso de pós-graduação em Psicologia Hospitalar da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro); e Sérgio Tamai, coordenador científico do Departamento Científico de Psiquiatria da APM (Associação Paulista de Medicina).

O desprezo causa danos psicológicos

O desprezo tem a forma de uma palavra que fere e desmoraliza. Ele também é um gesto, uma sobrancelha arqueada que reflete a rejeição por aquilo que se diz ou se faz em um dado momento.

Poucos comportamentos são tão prejudiciais para a integridade psicológica como esses que, gradualmente, acabam rompendo um relacionamento de casal, ou marcam para sempre o desenvolvimento de uma criança.

Apesar de estarmos mais acostumados a falar e ler sobre os aspectos relacionados com o ódio e a indiferença, cabe indicar que o desprezo é, sem dúvida, a emoção mais letal.

Ela é uma arma de destruição em massa que requer um pouco mais de sofisticação. Desse modo, enquanto a raiva ou a indiferença podem ser reações pontuais e momentâneas, o desprezo se origina em um território subterrâneo muito mais obscuro.

Quem despreza tem a clara intenção de humilhar o outro. Procura ridicularizar, diminuir e, inclusive, anular a outra pessoa de maneira aberta e evidente. Faz isso buscando a oportunidade perfeita, e a consegue praticando diariamente até deixar uma ferida na mente, uma fratura no amor próprio e rompendo para sempre com o laço da confiança.

Pais, mães, casais, colegas de trabalho, etc. O desprezo pode ser escancarado ou surgir de maneira discreta e enigmática. Seja como for, existe algo que nós devemos ter em conta: quem despreza mostra um comportamento covarde que se alimenta do ressentimento e da falta absoluta de maturidade emocional.

“Se você conseguir não desprezar ninguém, terá se livrado do perigo de muitas fraquezas”.
– Charles Dickens –

O desprezo cotidiano que rompe os relacionamentos

Todos, de algum modo, temos em mente a lembrança de uma situação em que sentimos a ferida do desprezo. Talvez tenha sido na infância, quando alguém não compreendeu o nosso esforço ao fazer aquele desenho, aquele detalhe que, em um dado momento, foi criticado e até ridicularizado.

Pode ser que algum dos nossos pais tivesse, inclusive, essa peculiar capacidade de menosprezar cada coisa realizada, dita ou desejada.

Também existe a possibilidade de nós termos passado por um relacionamento afetivo em que o nosso companheiro tinha esse hábito. A mania de criticar os nosso gostos, de menosprezar as opiniões, de implicar com cada coisinha que fazíamos ou deixávamos de fazer.

Não é casualidade que John Gottmann, um psicólogo e famoso especialista em relações amorosas, tenha anunciado depois de uma pesquisa de quase quatro décadas que o desprezo é um dos fatores que anuncia a maioria das separações.

Vejamos em profundidade quais são as dimensões que costumam definir o ato de desprezo.

A anatomia do desprezo

  • O desprezo é o lado oposto da empatia.
  • Enquanto a empatia é a capacidade de se abrir ao outro e se conectar com a sua realidade e necessidades, o desprezo faz o contrário. Primeiro ele constrói um muro, e depois se ergue sobre ele em uma atitude de poder para humilhar e diminuir o outro.
  • Desse modo, as crianças que crescem em ambientes caracterizados pelo desprezo e a humilhação têm uma probabilidade maior de desenvolver uma baixa autoestima, sentimentos de culpa, vergonha e até transtorno de estresse e a ansiedade.
  • As pessoas habituadas a desprezar os outros costumam ter certos pontos em comum. São perfis que não toleram a desavença e não se conectam, nem percebem as necessidades alheias. Além disso, outra característica delas é que não são muito hábeis se comunicando, por isso adotam as caretas faciais, emitem suspiros, mostram o seu profundo desprezo com a postura e o olhar.
  • Por trás desses perfis costumam existir certas dimensões psicológicas. Elas são pessoas cheias de frustração e até mesmo de ira soterrada. O exercício do desprezo serve a elas para projetar e jogar nos outros as suas próprias emoções negativas, a sua insatisfação pessoal.

O desprezo e o dano psicológico

O desprezo contínuo cria não só o dano psicológico, mas também prejudica a própria saúde. A Universidade da Pensilvânia realizou um estudo em uma série de centros escolares e descobriu alguns fatos interessantes.

O primeiro deles foi o efeito que esta dimensão tem sobre a autoestima: todos aqueles alunos que haviam sido vítimas das humilhações e do desprezo tinham uma visão mais fraca e negativa de si mesmos.

Desse modo, o desprezo e as situações repetitivas de estresse e vulnerabilidade têm um sério efeito em nossa imunidade. É comum que tenhamos mais resfriados, alergias, problemas digestivos, infecções, etc.

Devemos entender que o desprezo é a dimensão mais prejudicial que nós podemos receber e oferecer aos outros. É um maneira de invalidar, é uma falta absoluta de compaixão e empatia, é causar dor em outras pessoas e alimentar a semente da preocupação e do medo.

Esta atitude acaba rompendo com as nossas relações afetivas e faz com que as nossas crianças cresçam com medo e com um autoconceito fragmentado e fraco.

Vamos refletir sobre isso, lembrando aquilo que Honoré de Balzac disse a respeito desse mesmo assunto: “As feridas incuráveis são aquelas infringidas pela língua, os olhos, a chacota e o desprezo”.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*