Como Fica O Umbigo Do Bebe Depois Que Cai?

Saiba quais são as principais preocupações com o umbigo do bebê, especialmente dias após o nascimento.

O nascimento do bebê é um dos momentos mais esperados pelos futuros pais e mães; afinal, uma vida está para chegar, pavimentando um caminho cheio de descobertas.

Logo após o deixar o ventre, o pequeno tem seu cordão umbilical cortado. No entanto, um pedaço dele ainda permanece no umbigo. Então, os pais precisam saber como cuidar do umbigo do bebê adequadamente.

Como cuidar do umbigo do bebê?

Embora todas as informações necessárias sejam fornecidas pelo pediatra, é natural que os pais fiquem com receio ao agir, já que esta é uma área sensível e precisa ser higienizada de forma correta para evitar infecções. 

Na realidade, o umbigo é apenas de um pedaço do cordão umbilical que, ao ligar o feto à placenta dentro do útero da mãe, fornecia todos os nutrientes para o bebê, sendo responsável pelo transporte de oxigênio e por manter a circulação sanguínea entre a mãe e o bebê durante toda a gestação.

Assim, após o nascimento, corta-se o cordão umbilical, pois ele perde a função descrita acima. Dessa forma, sobram apenas 2 ou 3 cm no bebê, mais conhecido como coto umbilical.

Coto Umbilical: o que é

Apesar desse corte parcial na hora do parto, os cuidados com o cordão umbilical não devem parar ali, justamente devido ao coto umbilical.

O coto umbilical é aquele pedacinho de pele que fica no umbigo do bebê após o nascimento. Trata-se de um resíduo do cordão umbilical, e sua permanência ali é completamente  natural.

No entanto, é preciso tomar alguns cuidados em relação à limpeza dessa área.

De acordo com a caderneta de Saúde da Criança, do Ministério da Saúde, recomenda-se que todos os dias, depois do banho e após a troca de fralda, os pais devem limpar o coto umbilical do bebê.

Para isso, o ideal é utilizar álcool 70% (aplicando-o com algodão), fralda de pano ou cotonete. Não é aconselhável usar nenhum objeto que abafe ou tampe a região do umbigo, como moedas ou qualquer outra substância. Abafar o local impede que o coto umbilical seque, impedindo sua queda.

Como Fica O Umbigo Do Bebe Depois Que Cai?

Higienizando o coto umbilical 

Para que o coto umbilical caia com naturalidade após a primeira semana de vida do bebê, é preciso realizar uma limpeza simples – mas cautelosa – diariamente na região. Por isso, antes de iniciar a tarefa, lave bem as suas mãos, higienizando-as das unhas aos punhos, de preferência com sabonete neutro.

Primeiro, limpe o umbigo do bebê durante o banho. Lave com cuidado o bebê como um todo, dada sua alta sensibilidade nos primeiros meses de vida. Ao final do banho, nunca esfregue o local com a toalha; encoste-a suavemente até secar a região do umbigo.

Ato contínuo, pegue uma toalha ou algodão e molhe com um pouco de álcool 70%. Cuidado para não exagerar na quantidade. Depois, enrole o objeto escolhido no seu dedo indicador e passe por toda a área de contato. 

Para garantir uma boa higienização do umbigo do bebê, você pode levantar o coto umbilical, permitindo limpá-lo em sua totalidade. Não se esqueça de secar bem o local, evitando, assim, infecções.

Apesar da simplicidade da ação, a limpeza do umbigo e do coto umbilical deixam os pais de primeira viagem bastante receosos, temendo que o bebê sinta dores. No entanto, os médicos e pediatras afirmam que não há incômodo aos pequenos. Por se tratar de um pedaço cortado, as células do coto umbilical estão mortas; portanto, não causam dores. 

A orientação após a limpeza é proteger o coto umbilical por dentro da fralda, e não apertar para fechá-la. Não há restrições quanto a nenhuma roupinha, ou seja, qualquer uma pode ser usada de acordo com a estação climática. 

  • Além disso, alguns pais de primeira viagem acreditam que a posição do bebê no berço influencia na cicatrização do umbigo, mas, na verdade, tanto faz a posição escolhida.
  • À medida que o coto umbilical for cicatrizando, é normal que o umbigo escureça até cair sozinho quando o bebê tiver entre 10 e 15 dias.
  • Depois, se o coto não cair, a mãe deve procurar o pediatra, pois existem doenças, como o hipotireoidismo congênito, e um de seus sintomas é o atraso na queda do coto umbilical. 

Os médicos e pediatras explicam que essa queda deve ocorrer entre a primeira e segunda semana de vida. No entanto, os cuidados na hora de limpar e secar bem são primordiais para o avanço desse processo.

É preciso atenção. Porém, caso o coto umbilical demore a cair, o próximo passo é marcar uma consulta com o pediatra do bebê para investigar as possíveis causas.

Como Fica O Umbigo Do Bebe Depois Que Cai?

Doenças relacionadas ao umbigo do bebê

É raro o bebê demonstrar incômodo durante a limpeza do coto umbilical; mas, caso isso aconteça, leve-o ao médico. 

Além disso, a ida ao pediatra também se aplica quando há secreção de cor amarela, odor forte e vermelhidão ao redor da área. Esses sintomas podem, inclusive, fazer com que o bebê sinta febre e mame menos, indicando uma provável inflamação no local. 

Tanto as dores quanto o odor e vermelhidão podem indicar o surgimento de alguma doença infecciosa na região do umbigo do bebê. Um dos males mais comuns é a Hérnia Umbilical, podendo afetar não só os pequenos, mas também os adultos, principalmente mulheres. 

Hérnia umbilical

  1. A hérnia umbilical no bebê é uma alteração benigna que aparece como uma saliência no umbigo.

     

  2. Ela ocorre quando uma parte do intestino – que ainda está se desenvolvendo – consegue atravessar o músculo abdominal, geralmente na região do anel umbilical, local por onde o bebê recebia oxigênio e nutrientes ao longo da sua evolução no útero da mãe.

     

  3. A hérnia no bebê normalmente não é motivo para grande preocupação, e, na maioria dos casos, não requer tratamento, pois ela desaparece sozinha até os 3 anos de idade.

     

  4. Também não são gerados sinais ou sintomas, sendo notada apenas a tal saliência durante a avaliação do pediatra, ou quando o bebê chora ou evacua, por exemplo. 

No entanto, outros tipos podem provocar inchaço na região do umbigo, dor e vômitos. Diante disso, é fundamental levar o bebê ao médico para fazer exames que indiquem qual o tratamento mais eficaz a seguir. Em alguns casos, a melhor opção é um pequeno procedimento cirúrgico. 

A hérnia umbilical pode ser percebida quando o bebê ri, tosse, chora ou evacua devido ao aumento do volume na região do umbigo. Assim, ela volta ao normal quando a criança se deita ou relaxa. 

  • Contudo, se a hérnia aumentar de tamanho – e caso o bebê apresente algum dos sintomas como dor local quando apalpado, desconforto abdominal, grande inchaço na região, descoloração do local, vômitos, diarreia ou prisão de ventre – é fundamental buscar atendimento médico de urgência, já que pode se tratar não apenas de uma hérnia umbilical. 
  • O diagnóstico da hérnia umbilical é feito por meio de exame realizado pelo próprio pediatra, que apalpa a região do umbigo e observa se há aumento do volume no local quando a criança faz esforços.
  • Em alguns casos, o médico também pode solicitar ultrassonografia abdominal para avaliar a extensão da hérnia e a probabilidade de complicações. 

Onalfite

Outra doença frequente no umbigo do bebê, a onfalite é uma infecção da cicatriz umbilical e das partes circundantes, que aparece entre o quinto e o nono dia de vida. 

É, portanto, um mal predominantemente de recém-nascidos. Caso não seja tratada, ela pode atingir uma área ainda maior da parede abdominal, além de tecidos mais profundos, ou causar infecção disseminada.

A onalfite caracteriza-se por drenagem de pus ou cheiro fétido através do coto umbilical. Também está associada a edema, eritema e maior sensibilidade cutânea na região periumbilical.

Ainda, em casos mais graves, pode ocorrer hemorragia do coto umbilical devido ao atraso na obliteração dos vasos umbilicais.

Além da onalfite, vale destacar o hipotireodismo congênito – que não surge no umbigo, mas cujos sintomas se relacionam a ele. Essa doença consiste em uma alteração metabólica, na qual a tireoide do bebê perde a capacidade de produzir as quantidades adequadas dos hormônios tireoidianos (T3 e T4), podendo comprometer o desenvolvimento da criança. 

Dessa forma, um dos sintomas é justamente o surgimento de hérnia umbilical; por isso, atenção às transformações da região do umbigo do bebê.

Como Fica O Umbigo Do Bebe Depois Que Cai?

Diante disso, fica clara a importância dos cuidados com o umbigo do recém-nascido, especialmente nos seus primeiros dias de vida. 

Os pais precisam ficar atentos na hora de higienizar o local, para que o coto umbilical seque e caia naturalmente. Fique alerta também aos sinais de incômodo apresentados pelo bebê durante a limpeza, pois isso pode significar uma doença inflamatória. 

Primeiras semanas do bebê: esclareça suas dúvidas

Como Fica O Umbigo Do Bebe Depois Que Cai?

Foto: Agastecheg

Os cuidados com os bebês nos primeiros dias são muito importantes. Eles precisam de muita atenção e carinho da mãe, do pai, da família, da comunidade e também do serviço de saúde. Para tirar as principais dúvidas sobre essa fase inicial da vida, confira a entrevista com Regina Reinaldin, enfermeira da Coordenação Nacional da Pastoral da Criança.

Quando sai uma pequena secreção dos olhinhos do bebê, isso significa problema? Que cuidados se deve ter?

A saída dessa secreção dos olhinhos do bebê nos primeiros dias é natural. Umedeça um chumaço de algodão ou uma fraldinha limpa com água morna e passe na pálpebra, em direção aos cílios. A limpeza dos olhos deve ser feita uma vez ao dia, durante o banho.

Lidar com o umbigo do bebê é sempre motivo de muita preocupação. Como cuidar dele?

  • Esta entrevista é parte do Programa de Rádio Viva a Vida da Pastoral da Criança. Ouça o programa de 15 minutos na íntegra
  • SulYour browser does not support the audio element.
  • NorteYour browser does not support the audio element.

O cordão umbilical costuma cair nos primeiros 14 dias de vida. É preciso fazer a limpeza do umbigo todos os dias.

Não se deve colocar esparadrapos, faixas ou umbigueiras no coto umbilical.

Como deve ser o banho do bebê nos primeiros dias?

A higiene é muito importante, pois protege o bebê de doenças e faz com que ele se sinta bem. Para facilitar na hora do banho, é bom que esteja tudo preparado antes. A toalha, a banheira, o sabonetinho.

É bom verificar também a temperatura da água, que esteja confortável para o bebê.

O rosto e a cabecinha devem ser lavados antes de colocar o bebê na água, isso vai evitar que os restos de xixi e de cocô contaminem a água e causem uma inflamação nos olhos.

E que cuidados as mães devem ter com as fraldas?

Todas as vezes que a fralda estiver molhada, ela precisa ser trocada. Isso evita assaduras e infecções. A bundinha do bebê deve ser lavada e enxugada a cada troca de fraldas.

Como alimentar o bebê recém-nascido?

A alimentação do bebê deve ser sempre o leite materno. Se a mãe tiver dificuldade para amamentar, ela deve pedir ajuda no posto de saúde.

Como Fica O Umbigo Do Bebe Depois Que Cai?

 Regina Reinaldin – Enfermeira da Pastoral da Criança

E quanto às roupinhas do bebê, Regina?

Devemos vestir as crianças com roupas bem confortáveis e que não prendam seus movimentos. Onde faz calor, deixar as crianças com roupas leves. Onde faz mais frio, agasalhar bem as crianças.

Que vacinas o bebê deve receber nos primeiros dias de vida?

O bebê deve receber ainda no hospital a vacina contra hepatite B. Logo depois, podemos até os sete dias da criança, levá-la a um centro de saúde para receber a vacina da BCG, que vai proteger contra a tuberculose.

E o teste do pezinho?

O teste do pezinho é feito com gotas de sangue colhidas do calcanhar do recém-nascido. O ideal é que a coleta seja feita entre o terceiro e o quinto dia de vida. O teste do pezinho descobre doenças que, quando tratadas cedo, evitam problemas graves para o bebê.

Tudo deve estar anotado no cartão da saúde da criança?

Sim, a criança deve ter apenas um cartão de saúde. É um documento importante, por isso, é preciso cuidar bem dele.

Regina, o bebezinho dorme muito, não é? Como é o sono do bebê recém-nascido?

O bebê recém-nascido dorme a maior parte do tempo. Dormindo, ele acumula energia necessária para mamar e para crescer. O importante é ter um lugar sem barulho, sem muita luz, para que ele possa dormir tranquilamente.

A Pastoral da Criança insiste que o bebê deve sempre dormir de barriga pra cima. Por que isso?

Porque é possível reduzir em mais de 70% a morte súbita de bebês. Em muitos casos, ela acontece porque o bebe está dormindo de lado ou de barriga para baixo, uma posição incorreta para dormir. Dormir de barriga pra cima é mais seguro, é a posição correta. A criança respira melhor e tem menos riscos de engasgo.

Qual é o perigo do bebê dormir junto com os pais, na mesma cama?

A chance de um bebê morrer sufocado é maior quando ele dorme na cama dos pais. Aumenta em três vezes o risco de morte súbita. Por isso, é importante o bebê dormir no bercinho, ao lado da cama dos pais, e não na cama com os pais.

Tem bebês que choram demais. Por que acontece isso?

O choro é a maneira que o bebê usa para se comunicar. Ele vai chorar porque está com fome, porque tem algum desconforto, porque está com dor, porque está com cólica. Então, temos que ficar muito atentos ao choro do bebê.

E as cólicas do bebê, Regina?

Nos primeiros dias, é muito comum o bebê ter cólica. Isso acontece porque o intestino do bebê está se adaptando ao leite. Para aliviar as cólicas, a mãe pode fazer massagens circulares na barriga do bebê. O pai que tem uma mão maior, pode colocar o bebê de bruço em sua mão e fazer massagem com os dedos. Isso vai aliviar muito a cólica.

Se o bebê chora muito, há sempre o perigo da mãe dar chupetas e as mamadeiras, não é?

Sim, é verdade. Quando o bebê chora muito, a mãe pode se desesperar, querer dar chupeta, mamadeira. Mas, o mais importante é tentar acalmar o bebê, dar um banho, colocar uma música, fazer massagem, dar o peito, pois, o uso da mamadeira e da chupeta tem grandes chances de prejudicar mais tarde a fala, a dentição e até mesmo o desenvolvimento emocional da criança.

Outro medo das mães é a febre

Sim, a gente pode dizer que a criança tem febre quando a temperatura do corpo está acima de 38°. É um sinal de perigo. Febre é um sintoma que pode significar desde um simples resfriado até uma infecção grave. Os recém-nascidos devem ser levados ao serviço de saúde imediatamente.

Quanto às visitas ao pediatra, como devem ser?

  1. As visitas vão ser uma continuidade do pré-natal, mas é necessário levar o seu filho ao pediatra todos os meses, para saber se ele está crescendo, se desenvolvendo.
  2. Leia também:Mitos e verdades sobre os primeiros cuidados com o recém-nascido Orientação e dedicação: o papel do líder nos primeiros dias do bebê O bebê na primeira semana de vida
  3. Foto2: Marcello Caldin

Saiba como cuidar do umbigo do bebê!

Não é incomum que as futuras mamães, especialmente as de primeira viagem, recebam uma infinidade de dicas, orientações e conselhos — muitas vezes conflitantes — sobre a melhor maneira de cuidar do novo membro da família. Entre tantas novidades, um dos aspectos que mais costuma causar dúvidas entre as gestantes é como cuidar do umbigo do bebê.

Afinal, é preciso mesmo enfaixar a barriga da criança, como faziam as nossas avós? É verdade que devemos colocar uma moeda na região depois que o umbigo cair para que ele não fique saltado?

Pensando em esclarecer essas e outras questões comuns, elaboramos um guia para você aprender a cuidar do umbigo do bebê de maneira prática e simples. Acompanhe!

Como Fica O Umbigo Do Bebe Depois Que Cai?

Que cuidados devo tomar com o umbigo do bebê logo após o nascimento?

Assim que o bebê nasce, o cordão umbilical é cortado. No entanto, um pedaço dele, que mede entre 2 e 3 centímetros, fica ligado à barriga da criança. É o chamado coto umbilical. Em média, esse pequeno pedaço de pele resseca, escurece e cai entre 10 e 21 dias após o nascimento.

No entanto, até que o coto caia, é importante mantê-lo seco e limpo para evitar infecções. Por isso, a cada troca de fraldas, é preciso passar um cotonete ou gaze com álcool 70% na região e deixar secar naturalmente.

Só limpe a região com água e sabão durante o banho ou se o coto tiver contato com as fezes ou urina do bebê. Em qualquer um dos casos, certifique-se de que o local está bem seco antes de colocar a fralda e procure dobrá-la para que ela fique posicionada abaixo do umbigo.

Ao contrário do que muita gente imagina, não há a necessidade de colocar nenhuma faixa ou qualquer outro tecido que comprima a barriga do bebê. Além de não ter nenhuma utilidade, a medida pode abafar a região, dificultando a cicatrização e aumentando o risco de infecções.

A que sinais devo estar alerta ao cuidar do umbigo do bebê?

Normalmente, cuidar do umbigo do bebê é um procedimento simples e que não costuma trazer complicações. No entanto, é importante procurar um pediatra se você notar alguns desses sintomas:

  • sangramento além do normal;
  • mau cheiro, vermelhidão ou pus, que são indicativos de infecção;
  • se o coto umbilical demorar mais de 21 dias para cair.

Como cuidar do umbigo do bebê depois do coto cair?

  • Quando o coto umbilical do bebê cai, é normal que em seu lugar fique uma pequena ferida, que costuma cicatrizar em cerca de 10 dias.
  • Durante esse período, em que é comum encontrar uma pequena quantidade de sangue na região, o procedimento de higienização deve ser o mesmo: limpe o umbigo com um cotonete ou gaze com álcool 70% e deixe secar naturalmente.
  • Além disso, ao cuidar do umbigo do bebê, nunca coloque qualquer tipo de artefato, como moedas ou elásticos, com o objetivo de evitar que a região fique protuberante.

Se após a queda do coto o umbigo ficar alto, existe a possibilidade de que se trate de uma hérnia umbilical.

O problema não é incomum e costuma se resolver naturalmente, sem a necessidade de qualquer tipo de intervenção.

Ainda assim, é importante que você converse com o pediatra sobre o assunto.  Dessa maneira, ele poderá acompanhar a questão e verificar se há ou não a necessidade de algum tratamento.

Gostou de entender melhor como cuidar do umbigo do bebê? Não se esqueça de compartilhar esse post em suas redes sociais para que outras futuras mamães também possam saber mais sobre o assunto!

umbigo | Blog do Unificado Kids

Como limpar o umbigo do bebê

A orientação básica é limpar o coto umbilical com hastes flexíveis e álcool 70% sempre que tiver secreção. “Ou pelo menos três vezes ao dia. É comum haver um pequeno sangramento pouco antes da queda do coto ou após a queda.

A secreção deve ser removida com álcool sempre que estiver presente”, a limpeza do umbigo não dói e sequer machuca o bebê, pois o coto não tem terminações nervosas. “O recém-nascido pode sentir o frio do álcool, mas não sente dor.

O procedimento deve ser realizado com delicadeza e não causa dano”.

 Cicatrização após a queda do coto

Após a queda do coto umbilical a limpeza deve seguir a mesma rotina. Normalmente, a cicatrização final ocorre em sete dias. “Algumas vezes pode haver cicatrização anômala e formando o que chamamos de granuloma umbilical”.

O granuloma umbilical produz uma secreção que incomoda o bebê e pode levar cerca de 28 dias, ou o período neonatal, para finalização natural.

Para o tratamento, algumas aplicações de nitrato de prata em bastão são suficientes para resolver o problema.

 Umbigo inflamado: o que fazer?

Alguns incômodos são sinais de que o bebê está sentindo mais do que um simples desconforto. “Se houver secreção purulenta (esbranquiçada), eritema (vermelhidão) ou se a região tiver edema (inchaço) pode ser que haja infecção local”.

Nesses casos, é preciso levar o bebê ao pediatra – e alguns procedimentos jamais devem ser feitos. “Antigamente era comum ser usado urina e teia de aranha para ajudar a cicatrização, quando era comum o tétano umbilical, comumente chamado de mal dos sete dias.

Está prática, ainda bem, não é mais usada”.

 Umbigo ‘estufado’ é normal?

O estufamento é causado, na maioria das vezes, devido à formação de uma hérnia umbilical.”Quando o cordão umbilical mumifica, o local fica mais frágil. Se o bebê faz força para evacuar ou chora, aumenta a pressão intra-abdominal. Com a região mais frágil em relação a outras áreas da parede abdominal, pode haver a formação da hérnia”.

 Sintomas da hérnia umbilical e como curar o umbigo do bebê

É fácil desconfiar  quando a hérnia umbilical se formou no bebê: com a força para evacuar ou ao chorar, o umbigo incha, a cicatrização demora e o desconforto aumenta. E o choro também. “Em média, pode fechar espontaneamente até os seis meses de idade. Se não desaparecer espontaneamente, a correção cirúrgica é indicada. A hérnia umbilical dificilmente complica”.

 Fonte: http://zip.net/byk556

Adaptador por Profª Ana Paula Petroski

Por mais que o pediatra forneça todas as instruções necessárias, é impossível não sentir certo receio ao chegar em casa e ter que enfrentar sozinha a limpeza do umbigo do bebê.

Ele é apenas um pedaço do que restou do cordão umbilical, que liga o feto à placenta dentro do útero e é responsável por manter a circulação sanguínea entre ele e a mãe, com transporte de nutrientes e oxigênio, durante toda a gestação.

Logo que a criança nasce, o cordão umbilical é cortado, num procedimento indolor, e um pedacinho de 2 a 3 centímetros, mais conhecido como coto, ainda fica ligado à barriga do recém-nascido.

De acordo com a médica pediatra Cláudia Tanuri, do Hospital e Maternidade Santa Joana, em São Paulo, o processo de cicatrização desse coto exige cuidados. “É preciso fazer uma higienização perfeita do local, com auxílio de haste de algodão e álcool 70%, três vezes ao dia, para evitar traumas, dores e sangramento”, explica.

Apesar de assustar, a limpeza é simples, deve ser feita após o banho e a cada troca de fraldas, para o cordão não ficar molhado de urina. “O coto resseca e cai após a primeira semana de vida. A cicatriz que fica no local deverá receber os mesmos cuidados até que também ela seque totalmente”, alerta a profissional. Selecionamos outras dúvidas frequentes e buscamos informações com quem entende do assunto…

1 – Qual o procedimento adequado para cuidar do umbigo logo após o nascimento do bebê?

Logo após o parto, o cordão umbilical é pinçado e cortado pelo obstetra, ainda na sala de parto. Uma parte de aproximadamente 3 centímetros permanece na criança e é chamada de coto umbilical. Ainda na sala de parto, o neonatologista e a enfermeira avaliam o bebê, dão conta dos cuidados iniciais e colocam um clamp (uma espécie de grampo) no coto umbilical.

2 – Como é o aspecto do coto umbilical?

Nas primeiras horas de vida do bebê, o coto umbilical tem aspecto gelatinoso, amolecido e de cor branca–azulada.

3 – Quanto dias após o nascimento o umbigo costuma cair? Pode haver alguma variação no prazo?

Em geral, o processo leva de 7 a 15 dias de vida. Em alguns casos, esse prazo pode aumentar ou diminuir, sem que isso represente um problema. E também é normal que ocorra um pequeno sangramento, seguido da queda do coto umbilical.

4 – Como limpar o umbigo em casa?

Os cuidados com o coto realizados no hospital devem continuar em casa, até a queda do coto. Deixe  a caixa de cotonete e o frasco de álcool a 70% próximos ao pacote de fraldas. Isso ajuda a lembrar de realizar  procedimento a cada troca.

5 – O que deve ser observado, em relação ao aspecto do umbigo? Quando a mãe deve recorrer ao pediatra?

A presença de secreção, alteração de odor ou vermelhidão na pele próxima ao coto é um sinal de alerta e, se isso acontecer, procure o pediatra. Em alguns casos, após a queda do coto, o tecido local fica granuloso. Se isso acontecer, o pediatra poderá aplicar um bastão de nitrato de prata para favorecer a cicatrização.

6 – No caso de infecção, alguma receita caseira funciona?

Não é recomendado o emprego de qualquer receita caseira devido ao risco de infecção local. Lembre-se de que o bebê é um ser frágil e que tem dificuldade em combater infecções, portanto, o uso de qualquer medicamento ou produtos deve ser sempre orientado pelo médico.

  • Saiba mais em:
  • Fonte: http://migre.me/e3i5C
  • Adaptado pela Profª Heloisa Moser Bittencourt

Como Fica O Umbigo Do Bebe Depois Que Cai?

Uma das perguntas mais frequentes na primeira visita ao consultório pediátrico é sobre os cuidados com o umbigo do recém-nascido. Os pais de primeira viagem ficam assustados e até impressionados com a aparência do coto umbilical, como é chamado esse pedacinho do cordão que fica preso ao bebê nos primeiros dias de vida.

Um dos maiores medos é machucar o bebê durante a limpeza. Então, vai aí uma informação preciosa: o umbiguinho não dói porque não tem terminações nervosas. Vencido o medo, o próximo passo é saber como lidar com ele.

O coto umbilical é uma porta de entrada para infecções e por isso, deve ser mantido bem limpinho até que caia. “No banho, deve-se lavar bem com água e sabão. O importante é o cuidado pós-banho.

Deve-se enxugar bem o bebê e no umbigo passar álcool a 70% em movimentos circulares, retirando toda a sujeira que possa ali se acumular”, ensina a enfermeira Ana Paula Ferreira, da UTI neonatal do Hospital e Maternidade Santa Joana.

Essa higiene deve ser feita até que ocorra sua queda, geralmente uns 15 dias depois do nascimento. A queda é resultado do processo de cicatrização do umbigo, que começa de dentro para fora.

Antigamente, o uso de faixas e gazes na região do umbigo era comum, hoje esses curativos fechados, assim como os banhos a seco, não são mais usados, pois mantém alta a umidade do local, propiciando maior prazo para a queda do coto.

É bom inclusive que o umbigo fique por fora da fralda. Atualmente, várias maternidades usam fraldas descartáveis com área de exposição em “U”, para o umbigo cair mais rapidamente.

Inchaço, vermelhidão, dor e secreção nessa região podem ser sinal de alguma infecção e nesses casos o bebê deve ser examinado por um pediatra. Os pais também precisam ficar atentos à cicatrização do umbigo após a queda do coto para ter certeza que ocorreu o fechamento completo.

Fonte: Guia do bebê

 Profª Ana Paula Petroski

Passo a passo de como cuidar do umbigo do bebê recém-nascido – Kinedu Blog

outubro 3, 2019

• por: Kinedu

A área do coto umbilical necessita de cuidados especiais até que ele caia e cicatrize. Descubra no texto a seguir como cuidar do umbigo do bebê recém-nascido!

Seu filho enfim está em seus braços e você precisa se habituar a muitas coisas novas! Como dar banho, como trocar as fraldas e como cuidar do umbigo do bebê são alguns dos questionamentos que irão surgir nos próximos dias. Cuidar do coto umbilical pode ser fonte de insegurança para muitas mães de primeira viagem, mas esse não precisa ser um motivo de preocupação.

Você sabe como cuidar do umbigo do bebê? Sabe quais produtos devem ser utilizados no local? Confira algumas informações sobre o assunto no texto a seguir!

Qual a melhor forma de limpar o coto do cordão umbilical?

O cordão umbilical garantia nutrição e oxigenação para o bebê quando ele estava no útero. Sendo assim, ele era um importante meio de ligação entre a mãe e o bebê. O coto umbilical nada mais é do que um pedacinho com cerca de 2 centímetros do que era o cordão umbilical.

Baixe GRÁTIS o Kinedu e acesse +2.200 atividades em vídeo e artigos sobre o desenvolvimento dos bebês!

A limpeza do coto umbilical é necessária, pois previne infecções e garante uma boa cicatrização. O bebê não sente dor nessa região, por isso, você não precisa ter medo ou receio de mexer no local.

A limpeza deve ser feita a cada troca de fraldas. A indicação é usar algodão ou fralda de pano para higienizar toda a região com água limpa ou álcool 70%.

Lembre-se de secar bem o coto umbilical depois de limpá-lo. Para isso, você pode abanar a região ou utilizar gaze e fazer movimentos suaves, como pequenas batidinhas, para evitar machucar o seu bebê.

Quais cuidados tomar além da limpeza do local?

Como há um risco de infecção, é recomendado lavar bem as mãos antes dos cuidados com o umbigo do bebê. Então, esfregue bem as unhas, o punho e entre os dedos com sabão neutro e água corrente antes de iniciar a assepsia.

Outra dica de como cuidar do umbigo do bebê é manter o coto dentro da fralda, pois, dessa forma, ele permanecerá protegido do atrito das roupas e de possíveis traumas. Contudo, não deixe a fralda muito apertada, já que isso também pode causar lesões.

Existe possibilidade de complicação?

Geralmente, o coto escurece e cai naturalmente em até quatro semanas. A infecção é bastante incomum, contudo, se o seu filho apresentar secreção amarelada com mau cheiro, vermelhidão ou desconforto quando você encostar no local, o indicado é que ele passe por uma avaliação médica para averiguar melhor o caso.

Antigamente, as pessoas costumavam utilizar faixas, moedas e pó de café no coto umbilical, mas essas práticas não são recomendadas pelos especialistas, pois aumentam o risco de infecções.

Um bebê requer muitos cuidados – especialmente quando é recém-nascido. Saber como cuidar do umbigo do bebê é importante, pois garante uma cicatrização saudável e livre de infecções.

Gostou do nosso artigo? Confira neste vídeo como dar um banho de esponja no seu bebê:

Baixe GRÁTIS o Kinedu e acesse vídeos tutoriais e artigos sobre o desenvolvimento e a saúde dos bebês!

Como cuidar do umbigo do recém-nascido?

Muitas mães ficam em dúvida sobre como cuidar do umbigo do recém-nascido, entretanto, o procedimento é simples e necessita basicamente de higiene.

Quando o bebê nasce, muitas mães não sabem lidar com o coto umbilical (parte do cordão umbilical que fica aderida ao bebê). Cuidar do umbigo do bebê, no entanto, é bastante simples, mas necessita de muita higiene. A seguir listaremos alguns pontos importantes sobre o coto umbilical e sobre a limpeza dessa região.

O coto umbilical e sua queda

Após o parto, uma pequena porção do cordão umbilical ainda fica ligada ao recém-nascido. Essa porção, de aproximadamente 3 cm, é denominada de coto umbilical. Inicialmente o coto umbilical apresenta coloração branca azulada, mas, com o tempo, torna-se escuro.

À medida que essa estrutura escurece, também fica mais dura, até que, após 5 a 15 dias, cai. Vale frisar que a queda do coto varia de criança para criança e é importante nunca puxá-lo, mesmo que ele esteja quase solto.

Cuidados com a limpeza do coto umbilical

Antes de iniciar a limpeza do coto umbilical, é importante lavar bem as mãos para evitar qualquer tipo de contaminação. Após a limpeza das mãos, inicie o processo:

  1. Primeiro, com uso de cotonete embebido em álcool 70%, limpe a região em torno do coto, realizando movimentos circulares;

  2. Depois limpe, com o uso de um cotonete embebido em álcool 70%, a região do coto propriamente dito;

    Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉

  3. Seque toda a região com cotonete, evitando deixar o local úmido.

É importante frisar que a limpeza do coto deve ser feita várias vezes por dia. Após a limpeza, é importante não cobrir o coto umbilical, nem mesmo com a fralda, que deve ficar abaixo dessa região. Em caso de vermelhidão, secreção e/ou mau cheiro no local, procure imediatamente ajuda médica.

→ “O mal de sete dias” ou Tétano Neonatal

O “mal de sete dias” é um nome dado ao tétano neonatal. Essa denominação foi dada porque, normalmente, o problema manifesta-se no recém-nascido após a primeira semana que sucede o nascimento. O tétano neonatal foi um grande problema de saúde pública até a década de 1970, entretanto, com os avanços na política de vacinação, os casos foram reduzidos.

O bebê com tétano neonatal, normalmente, deixa de mamar, apresenta choro intenso, febre e contraturas musculares. Para prevenir-se da doença, é importante cuidar adequadamente do coto umbilical e garantir que as grávidas estejam imunizadas. Toda mulher grávida deve estar com a vacinação em dia e, caso tenha sido vacinada há mais de cinco anos, uma dose de reforço deve ser aplicada.

Por Ma. Vanessa dos Santos

O recém-nascido apresenta parte do cordão umbilical aderido ao seu corpo (coto umbilical)

Por Vanessa Sardinha dos Santos

Cuidados com o coto umbilical do bebê

Quando o bebê está dentro do útero, o cordão umbilical liga-o à placenta e é o responsável pelo transporte dos nutrientes e do oxigênio necessários à sua sobrevivência.

Quando o bebê nasce, o cordão umbilical é cortado, num procedimento indolor e um pedacinho (o coto), cerca de 2 a 3 centímetros, ainda fica ligado à barriga do recém-nascido.

E este pedacinho você vai cuidar quando chegar em casa com seu bebê.

O umbigo do recém-nascido precisa de algum cuidado especial?

O coto umbilical tem que ser mantido limpo e seco para evitar infecções. As bactérias que vivem naturalmente em nossa pele podem provocar infecções no coto.

Em regiões sem condições de higiene a contaminação do coto umbilical pode levar ao tétano, uma infecção muito perigosa para recém-nascidos.

A forma correta para higienizar o coto umbilical é: em todas as trocas de fraldas e após os banhos, secar o coto com uma toalha macia e passar a Haste Flexível Isababy molhada com álcool 70% (vendido nas farmácias), deixar secar naturalmente. Jamais assoprar! O bebê não sente dor, às vezes ele vai chorar, pois o álcool é gelado.

Não há problemas em dar banho no bebê enquanto estiver com o coto. O banho é necessário, além de ser uma medida de higiene também conforta e relaxa o bebê.

Você pode cobrir o coto com a fralda quando ele estiver bem sequinho, mas não coloque nenhum tipo de faixa.

Lave sempre as mãos antes de cuidar do coto. Também lave as mãos antes e após a  troca de fralda.

Se o coto ficar sujo de cocô ou xixi, limpe-o bem com água e sabão e depois aplique o álcool.

Com o que devo me preocupar em relação ao coto umbilical?

Se por acaso você observar que o coto está vermelho, inchado, quente, com cheiro ruim ou com presença de secreção purulenta, entre em contato com um Pediatra.

O umbigo caiu, mas ficou uma feridinha. O que faço?

Depois que o coto cai, demora de sete a 10 dias para o umbigo cicatrizar completamente. Mas, pode ser que apareça um pouquinho de sangue na fralda, o que é normal.

Continue limpando com o álcool 70%, pelo menos 3 vezes ao dia. Se o umbigo continuar sangrando, fale com o Pediatra, porque ele pode cauterizar o local.

Depois que o coto caiu, o umbigo ficou alto. O que é isso?

Quando o umbigo da criança fica saltado, é provável que se seja uma hérnia umbilical.
As hérnias umbilicais são muito comuns e podem afetar até 20% dos bebês. Normalmente não exigem tratamento e se resolvem sozinhas.

  • Converse com o Pediatra do bebê, ele vai acompanhar a hérnia nas consultas até depois do primeiro aniversário da criança, para aí sim decidir se é necessário ou não algum tratamento.
  • Nunca coloque nada sobre o umbigo do bebê para “deixá-lo para dentro”!
  • Qualquer dúvida entre em contato com o Pediatra da sua confiança.
  • Abraços.
  • Wanessa Sales
  • Enfermeira materno-infantil
  • Consultora em aleitamento Materno e Laserterapeuta
  • Sócia e uma das fundadoras da Engravidei Consultoria Materna
  • Instagram: @engravidei

Aprenda como cuidar do cordão umbilical do recém-nascido

Promoção da Saúde

A Caderneta de Saúde da Criança de Meninas e Meninos, documento elaborado pelo Ministério da Saúde e entregue aos responsáveis ainda na maternidade, recomenda que a região umbilical seja limpa com o álcool 70%, facilmente encontrado em drogarias. Também é aconselhado que os cuidadores não usem faixas, moedas ou qualquer outro objeto ou substância sobre o umbigo. Não se pode abafar o local, pois o coto umbilical precisa secar para cair.

A pediatra e coordenadora-geral dos Bancos de Leite Humano do Distrito Federal, Miriam dos Santos, explica que não é preciso ter medo de limpar a região, porque o bebê não sente dor alguma. Ela também dá algumas orientações para depois do banho da criança.

“Durante o banho, o umbigo irá molhar e é fundamental manter a região seca e limpa, para que cicatrize bem. Por isso, depois de cada banho, seque bem. Na hora da limpeza, é preciso levantar o coto umbilical e limpar toda a região em volta do umbigo”, esclarece.

Para limpar, use algodão, uma fralda de pano ou uma haste com algodão. Qualquer um deles consegue retirar bem as secreções. “Lave bem as mãos com sabão neutro, esfregando bem punhos e unhas, antes de higienizar o local”, aconselha a pediatra.

Com cuidado e sem medo de machucarA dona de casa Erica Patrícia Basso, de 29 anos, tem três filhos: Miguel de 11 anos, César de 7 e Lavínia de 10 meses.

Agora, é uma experiente na limpeza do coto umbilical, mas no primeiro filho teve medo de machucá-lo. “Os médicos falam que são células mortas, que eles não sentem dor ali, mas mesmo assim achava que doía”, conta.

Ela lembra que recebeu orientações da enfermeira ainda na maternidade e em seguida na consulta com o pediatra.

No caso dos três filhos, ela aproveitava a troca de cada fralda para higienizar também o umbigo com álcool 70%, assim como o indicado. A experiência adquirida de um filho para outro a deixou mais tranquila.

“O do primeiro filho demorou muito para cair, pois a limpeza era feita com muito cuidado, daí demorou para descolar.

Na verdade, só caiu depois que fomos em uma consulta com o pediatra e ele mexeu com vontade”, relembra.

InfecçõesO bebê precisa ser examinado por um profissional de saúde caso o umbigo apresente secreção de cor amarela com mau cheiro e purulenta ou vermelhidão ao redor da região umbilical. Mas não há motivos para desespero. “Observe se o bebê está com algum desconforto durante a limpeza, porque isso geralmente não acontece”, esclarece Miriam dos Santos.

Segundo a pediatra, caso o umbigo não cicatrize, algumas doenças precisam ser avaliadas. Nesse caso, é importante que a criança passe por uma avaliação médica.

“Para os profissionais de saúde, é importante que exista um cuidado para ensinar as mães sobre esses temas. Precisamos lembrar que quando nasce uma criança, nasce também uma mãe. O profissional de saúde precisa entender e compreender essa mãe.

Ele tem o papel de ensinar como deve ser feito e é um papel que pode ser feito por todos os profissionais”, ressalta.

  • Tem outras dúvidas sobre o recém-nascido? Acesse também:
  • Cuidados com os pequenos nos primeiros meses de vida
  •  Erika Braz, para o Blog da Saúde

Como cuidar do umbigo do bebé | CUF

Desde o nascimento até, no máximo, à terceira semana de vida, cabe aos pais cuidar da higiene do umbigo do bebé e reconhecer sinais de que algo não está bem.

Após o corte do cordão umbilical inicia-se um processo de desidratação que leva à mumificação do coto umbilical. Com o passar dos dias, este torna-se mais endurecido, seco e escuro, até que, por fim, se separa do umbigo.

Esta queda ocorre espontaneamente e não deve ser forçada. A queda do coto umbilical ocorre geralmente na primeira semana de vida, mas pode demorar até à terceira semana.

Até lá, há vários cuidados a ter, nomeadamente quanto à sua higiene.

Cuidados de higiene

A higiene do coto umbilical e região periumbilical é muito importante, pois previne o desenvolvimento de infeções, devendo ser diária e cuidada. “Limpo” e “seco” são as palavras-chave para uma boa higiene.

Este procedimento não é doloroso nem desconfortável para o bebé, pois no coto umbilical não existem terminações nervosas.

A limpeza do umbigo do bebé

  • Quando fazer? Durante o banho do bebé, sempre que se observe que está sujo (com fezes ou urina) e sempre que for necessário.
  • O que usar? Água tépida com sabão suave, não perfumado, e com pH neutro. A utilização de antisséticos (por exemplo, álcool etílico 70%) ou antibióticos não melhora a higiene e atrasa a queda do cordão umbilical.
  • Como fazer? Antes e depois da limpeza deve fazer uma lavagem correta das suas mãos com água e sabão. Para a limpeza deve elevar o coto umbilical com uma das mãos, segurando-o com uma compressa, e com a outra mão limpar o coto, a sua base de inserção e região periumbilical, utilizando uma compressa seca.

Como se faz a secagem

  • O coto umbilical deve permanecer sempre seco.
  • Deve secá-lo bem no sentido da base para a periferia, após o banho ou limpeza, usando uma compressa de preferência esterilizada ou uma toalha limpa.
  • Pela mesma razão, não deve colocar emolientes (hidratantes) no coto umbilical nem na sua base de inserção.
  • Por fim, o cordão umbilical não deve ser abafado com faixas ou pensos fechados e a fralda deve ser apertada abaixo deste para permitir o arejamento daquela região. Assim, deve ser mantido exposto ao ar ou estar livremente coberto com roupas limpas.
  • Os cuidados de higiene do cordão devem ser mantidos por mais 3-5 dias após este ter caído, visto que o tecido umbilical ainda está em cicatrização.

Sinais de alarme

Deverá vigiar a evolução da cicatrização e estar atento aos seguintes sinais de alarme:

  • Presença de zona “avermelhada” em redor do umbigo
  • Odor desagradável
  • Corrimento
  • Sangramento (pequenas quantidades de sangue na fralda ou compressa durante a mumificação e dois ou três dias após a queda do coto umbilical são normais e não constituem um sinal de alarme)

Atenção!

Na presença destes sinais de alarme deve procurar de imediato cuidados médicos.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*