Como Fica O Nariz De Quem Cheira?

Compartilhe este conteúdo

Cocaína é o nome da planta de cujas folhas é obtido o cloridrato de Cocaína, vendido ilegalmente em diferentes graus de pureza e que também pode aparecer nas ruas como crack. Mas o que acontece com quem cheira pó?  

As consequências para quem usa cocaína ou crack são terríveis, e falaremos sobre este assunto no post de hoje. 

O ingrediente ativo é sempre a cocaína básica, que é liberada em uso. Existem várias maneiras de liberá-lo. 

: cloridrato de cocaína, geralmente utilizado por quem cheira o pó diretamente. Além dos danos causados à saúde, do vício e de um possível óbito, destrói o pulmão e causa desvios de septo. 

Crack: surgiu inicialmente na Califórnia em 1981 e depois se espalhou gradualmente para a Europa na segunda metade da década de 1980.

Ele é produzido a partir do cloridrato de cocaína e pode chegar a cristais puros de cocaína básica, que são separados e quebrados. Dessa maneira, um grama de cocaína pode ser convertido em seis porções de crack. 

Cocaína base livre: é outra maneira de produzir cocaína base a partir de cocaína-HCl. A única diferença do crack é a maneira como é feita. 

O que acontece com quem cheira pó, e quais são as maneiras mais comuns de os dependentes usarem essa droga? 

Cheirar: a ingestão nasal é o método mais popular entre os usuários de cocaína. Dessa forma, a substância atinge seu pico entre 15 e 60 minutos. 

Injeção intravenosa: geralmente ocorre de forma combinada com heroína. Por via intravenosa, o dependente sente os sintomas de forma muito mais rápida. Acontece quase instantaneamente. 

Você está procurando uma boa clinica? Clique aqui.
Se deseja conversar diretamente com um terapeuta sobre clinicas Clique aqui.

Tabagismo e inalação: a base de cocaína é fumada ou inalada a partir de papel alumínio previamente aquecido. Através deste uso, os efeitos também são sentidos de forma extremamente rápida.  

A dose letal é de cerca de 1-1,2 gramas. Se um usuário chegar a usar isso de uma única vez, pode ser fatal. 

Efeitos colaterais de quem cheira pó 

Como Fica O Nariz De Quem Cheira?

  • Tradicionalmente, os efeitos psíquicos da cocaína no sistema nervoso central são resumidos em quatro estágios de gravidade variável, dependendo da dose e frequência de uso. Eles são: 
  • 1- Euforia, melhor desempenho cognitivo e motor, anorexia e insônia; 
  • 2- Disforia, caracterizada por tristeza, melancolia, apatia, dificuldade de atenção e concentração, anorexia e insônia; 
  • 3- Paranoia, caracterizada por suspeita, alucinações e insônia; 
  • 4- Psicose, caracterizada por anedonia, alucinações, comportamento estereotipado, paranoia, insônia, perda de controle de impulso, desorientação. 
  • O aumento da liberação de substâncias como dopamina, adrenalina e noradrenalina, desencadeia uma reação de alarme no organismo, com a ativação do sistema cardiovascular e consequente taquicardia e hipertensão.  
  • Ocorrem também tremores, contrações musculares, acompanhados por atraso no esvaziamento da bexiga e intestino. 

Mecanismo de ação 

  1. A ação recompensadora da cocaína é expressa através da ativação dos neurônios dopaminérgicos do sistema nervoso.  
  2. A cocaína potencializa a transmissão dopaminérgica, aumentando a concentração de dopamina.

     

  3. O aumento da dopamina ocorre devido ao bloqueio dos transportadores que normalmente a recapturam (recaptação) do espaço sináptico.

      

  4. O uso constante leva à função dopaminérgica prejudicada, com uma redução na concentração sináptica da dopamina e na hipersensibilidade dos receptores pós-sinápticos observados no tratamento crônico. 
  5. Sendo assim, esse é um dos sintomas de quem cheira pó, mas o processo não acaba aí.

      

  6. Isso porque a cocaína também exerce uma ação inibidora sobre a recaptação de outros neurotransmissores, como a noradrenalina e a serotonina.

     

  7. Isso significa que o usuário começa a apresentar grandes dificuldades para se sentir feliz e ter sensação de prazer que não seja causada pelos efeitos da droga. 

Relacionados:  As 12 melhores clínicas de São Paulo e Grande São Paulo

Afinal, a serotonina é um hormônio liberado durante a prática de exercícios físicos que causa relaxamento e sensação de prazer.  

As consequências da cocaína no organismo de quem cheira pó 

Como Fica O Nariz De Quem Cheira?

  • Pequenas quantidades de coca, menos de 10%, são excretadas na urina.  
  • Portanto, ela pode ser encontrado na urina por 8 horas após uma pessoa cheirar cerca de 1,5 mg/kg, até um limite máximo de 12 horas.  
  • A benzoilecgonina, o principal metabólito da cocaína, pode ser administrada em até 144 horas após a ingestão. 

A tolerância à droga se desenvolve de forma bem rápida no corpo.  Isso faz com que a tolerância se reflita na redução de efeitos prazerosos, que se tornam menos intensos e são superados apenas pelo aumento das doses e pela redução dos intervalos entre as doses.  

Desse modo, o desejo de tentar novamente o prazer inicial e escapar da ansiedade leva ao uso compulsivo da substância, levando a compulsões reais durante as quais o dependente não se alimenta, não dorme, fica cada vez menos eufórico, mais disfórico, agitado e agressivo. 

Portanto, esses picos geralmente duram de 2 a 3 dias e são interrompidas por um colapso físico do sujeito que cai em um estado de dormência ou apatia ou quando entra no início de um estado psicótico real. 

Complicações e perigos do uso da Cocaína 

  • Vasoconstrição e espasmos podem levar a ataques cardíacos. 
  • A arteriosclerose também é acentuada pela cocaína. 
  • As convulsões hipertensivas, causadas pela ingestão de cocaína, podem levar ao sangramento cerebral. 
  • Devido aos efeitos vasoconstritores da substância, a ingestão por via nasal pode levar a necrose e perfuração do septo. 
  • Hipertensão pulmonar e edema também podem acontecer. Inclusive, deu-se um nome popular para isso: o crack pulmonar. 

Sendo assim, o uso crônico de cocaína, diminuindo o suprimento de dopamina, também pode causar hiperprolactinemia com ginecomastia (desenvolvimento das mamas nos homens), galactorréia e amenorréia.

Relacionados:  10 sinais de que seu filho está viciado em drogas

  1. Além disso, a libido diminui com desempenho sexual reduzido, causando impotência nos homens e anorgasmia nas mulheres. 
  2. Sem contar, claro, quem cheira pó está sujeito a desenvolver convulsões com uma frequência muito maior. 
  3. Portanto, se você conhece alguém que sofra com o vício em cocaína, saiba que o processo é completamente reversível se essa pessoa receber os devidos cuidados em uma clínica especializada. 

Compartilhe este conteúdo

Quais os Malefícios dos Efeitos da Cocaína?

Como Fica O Nariz De Quem Cheira?

Qualquer droga tem efeitos significativos no corpo e alguns deles são irreversíveis. A cocaína é considerada uma das drogas mais perigosas que existem, por isso, seus efeitos e malefícios quase que triplicam se comparados a outros tipos de substâncias.

Essa droga é, comumente, consumida por aspiração nasal, mas também pode ser injetada. Por aspiração, o efeito da cocaína demora 10 minutos, aproximadamente, para acontecer. Já por via intravenosa ela é instantânea e, em ambos os casos, costumam durar 30 minutos.

Infelizmente, essa droga é muito consumida nas estradas brasileiras por motoristas de caminhão que desejam ter uma “resistência” maior para encarar os longos períodos de viagem. Porém, muitos desses profissionais não conhecem os riscos e malefícios dos efeitos da cocaína.

Como Fica O Nariz De Quem Cheira?

Os efeitos de quem aspira ou injeta o pó (Cocaína) já é perceptível nos momentos iniciais ao consumo, agindo instantaneamente no corpo humano. Ela afeta principalmente as atividades cerebrais e influencia na capacidade motora e sensorial do corpo de um motorista. Isso resulta em sintomas como:

  • Nervosismo extremo
  • Delírios,
  • Insônias,
  • Alucinações
  • E constipação.

A cocaína também aumenta a frequência cardíaca, elevando a chance de infarto, mesmo em pessoas jovens.

Com a persistência no uso de cocaína, é possível que ocorra:

  • Sangramentos pelo nariz,
  • Náuseas,
  • Perda de controle,
  • Euforia
  • E agressividade.

Além disso, a dependência começa a se tornar inevitável.

Quando o uso da droga já se tornou contínuo, as reações se transformam em perda de memória, hemorragias, depressão, nervoso excessivo, comportamento descontrolado e isolamento.

Os malefícios se tornam ainda mais sérios, como a destruição dos neurônios, lesões no fígado, como câncer hepático, grande chance de infarto, esquizofrenia, mau funcionamento dos rins e dos nervos, doenças psíquicas e muito mais.

Não é incomum que isso aconteça, porque muitos motoristas acreditam poder controlar o vício, porém o uso da cocaína resulta em dependência.

O que acontece com o nariz de quem aspira a cocaína

  • Depois do uso frequente e prolongado da inalação da cocaína, o nariz do usuário pode ser severamente comprometido, ocasionando em diversos problemas, como por exemplo, a perfuração do septo nasal, provocando inúmeras infecções difíceis de serem tratadas.
  • Outras regiões próximas que podem ser afetadas pelo uso constante da cocaína, e que podem ser extremamente prejudicial, são:
  • – Céu da boca– Cartilagem Nasal– Gengivas
  • – Dentes.

Conheça também outros tipos de Drogas pesquisadas no Exame Toxicológico

  1. A Cocaína é apenas uma das diversas drogas pesquisadas no Exame Toxicológico.

  2. Infelizmente, outros tipos de drogas também são utilizadas pelos motoristas, como a Maconha e seus derivados (Skunk, Haxixe), Anfetaminas, Ecstasy, Metanfetaminas, Opiáceos (Morfina, Heroína, Oxicodine) entre outros.

  3. Para conferir a lista completa de drogas analisadas pelo Exame Toxicológico, acesse a página: Quais Drogas são pesquisadas no Exame Toxicológico?

Informações Gerais Sobre o Exame Toxicológico

Se você deseja saber mais informações a respeito de como funciona o Exame Toxicológico, Quanto tempo após o consumo da droga é detectado pelo Teste, Prazo de emissão do resultado e entre outros, confira a nossa página principal que responderá essa e as demais dúvidas: Saiba Tudo! Exame Toxicológico.

Por que realizar o exame toxicológico é importante

Foi essa realidade que fez nascer, em 2015, a lei 13.103. Percebeu-se que grande parte dos acidentes sofridos e causados por motoristas de caminhão eram resultado do uso de drogas.

Atualmente, a realização do exame toxicológico é obrigatória e, extremamente, importante para prevenir casos de acidentes nas estradas, prezar pela saúde do motorista de caminhão e aumentar a segurança.

A análise feita pelo exame toxicológico é indolor e não deixa marcas.

No laboratório, será retirada uma pequena amostra de cabelo, pelo ou unha, e o teste poderá detectar drogas ilícitas consumidas nos últimos 90 ou 180 dias, dependendo do material coletado.

Agora que você já conhece os efeitos da cocaína, sabe como os malefícios poderão reagir em seu corpo. Se você é um motorista de caminhão prestes a emitir ou renovar sua CNH, conte com o laboratório líder em exame toxicológico no mundo!

Se estiver com alguma dúvida ou se precisar de qualquer ajuda, conte com a Toxicologia Pardini!

Entre em contato pelos canais abaixo:

Uso da cocaína pode levar a fraturas dos ossos do nariz e das órbitas- Artigos de saúde para você | Boasaúde

NEW YORK, Dec 29 – O uso da cocaína aspirada por muitos anos pode resultar em obstrução dos ductos lacrimais, o que eventualmente poderá ocasionar infecções oculares sérias e a destruição dos ossos das órbitas (onde se encontram os olhos), de acordo com pesquisadores da Flórida.

Os médicos por muitos anos já sabiam que o uso da cocaína destroi as narinas.

Entretanto, um estudo publicado este mês na revista Archives of Ophthalmology é o primeiro a demonstrar que a inalação da cocaína a longo prazo causa uma doença chamada de Obstrução Adquirida do Ducto Nasolacrimal (NLDO).

Se não for tratada, esta condição pode ocasionar sérias infecções oculares e eventualmente até a fratura da cartilagem e do osso do nariz, tanto como a fratura óssea das órbitas.

“Existem muitas causas deste tipo de obstrução dos ductos lacrimais,”, disse à Reuters Healtho Dr. Davis Tse, oftalmologista e co-autor do estudo. “Mas, pelo que sei, o abuso da cocaína nunca foi identificado como uma causa antes, e para se ter uma suspeita clínica deve-se examinar o interior das narinas”.

Os pesquisaddores avaliaram 6 anos de prontuários médicos do Bascom Palmer Eye Institute da Universidade de Miami. Eles encontraram 5 mulheres e dois homens que procuraram o Instituto devido a lacrimejamento nos olhos, e, em alguns casos, por dor intensa e edema ao redor dos olhos.

Todos os pacientes, inicialmente, negaram o uso de cocaína mas após o exame clínico ter revelado destruição nas narinas, eles admiram usar o cocaína por períodos que variaram de 5 a 20 anos.

Os pacientes eram portadores de inflamações crônicas com cicatrizes que obstruíram os ductos lacrimais, sendo que alguns deles apresentavam destruição óssea intensa nos seios da face e nas órbitas oculares.

Tres dos pacientes apresentavam celulite das órbitas, uma infecção ocular grave. Os pacientes foram tratados com antibióticos e, em algumas situações, com cirurgia, para tratar as lesões.

Em um dos pacientes foi necessário o uso de retalho de tecido da fronte de um paciente para proteger o olho do ar da cavidade nasal.

Os pesquisadores concluíram que oftalmologistas examinando pacientes adultos com lacrimejamento crônico e secreção consistente com NLDO adquirida devem procurar verificar se o problema é causado pelo uso crônico da cocaína. “Se não ocorrer modificação do comportamento dos pacientes (abandonando a cocaína) , não há como tratar o problema,” diz Tse. “Se a mudança não ocorrer, o tratamento irá falhar e um problema mais sério irá surgir.” Fonte: Archives of Ophthalmology 1999;117:1617-1622.Publicado em Bibliomed Saúde em 03/01/2000

Copyright © 2002 Bibliomed, Inc.

Como Reconhecer Sinais de Uso de Cocaína – Clínicas Reset Prime Reabilitação em Dependência Química Alcoolismo e Psiquiatria em Taubaté/SP

  • Como Reconhecer Sinais de Uso de Cocaína

A cocaína é uma droga altamente viciante e que é utilizada em todo o mundo.

Segundo dados publicados em junho de 2015 pelo Escritório de Drogas e Crimes da Organização das Nações Unidas (UNODC), 1,75% da população adulta do Brasil consome a droga, mais do que os 1,6% dos Estados Unidos e quatro vezes mais que a média mundial.

Geralmente, a cocaína é aspirada pelo nariz, mas pode ser também injetada e fumada, com todos os métodos de administração carregando certos riscos e efeitos adversos. Aprender os sinais e sintomas do uso de cocaína poderá ajudá-lo a determinar se um amigo ou ente querido está viciado na droga, ajudando-o a saber como intervir.

1-)Veja se as pupilas estão dilatadas. O uso de cocaína faz com que as pupilas dos olhos dilatem devido ao efeito estimulante da droga.

  • Veja se as pupilas (círculo escuro interior do olho) estão dilatadas até mesmo em cômodos bem iluminados.
  • As pupilas dilatadas podem ou não estar acompanhadas de vermelhidão nos olhos.

2-)Procure por sinais de desgaste nasal. Como é frequente a administração de cocaína aspirando-a pelas narinas, um dos indícios do consumo da droga é quando o nariz parece desgastado e vermelho. Procure pelos seguintes sinais:

  • Nariz escorrendo. 
  • Sangramento nasal. 
  • Danos na parte interna das narinas. 
  • Dificuldade em deglutir. 
  • Menor capacidade em sentir e distinguir odores. 
  • Traços de pó branco em volta das narinas. 

3-)Veja se os batimentos cardíacos estão rápidos. Como a cocaína é um estimulante, um dos sintomas físicos mais comuns do uso de cocaína é o ritmo cardíaco acelerado; em alguns casos, isto pode levar à arritmia cardíaca (batimentos irregulares), hipertensão e morte cardíaca.

  • Uma frequência cardíaca normal, na maioria dos adultos, fica entre 60 a 100 batimentos por minuto.
  • Saiba que a frequência cardíaca pode ser afetada por outros fatores não associados com o uso de narcóticos, como a temperatura do ar, a posição do corpo, atividade física, estado emocional e até medicamentos lícitos.
  •  Por esta razão, o ritmo cardíaco nunca deve ser considerado um indício definitivo de uso de drogas.

4-)Identifique os sinais de uso de crack. Outro método comum de administração de cocaína é fumando a droga em pedra (crack), formada da mistura da cocaína em pó com água e bicarbonato de sódio.

  • Os indícios de uso de crack são dedos ou lábios queimados devido ao fogo ao acender e fumar a droga através de um cachimbo de crack.

5-)Identifique sinais de uso de cocaína via intravenosa. Alguns usuários injetam a cocaína diretamente na veia utilizando uma seringa, fazendo com que os efeitos da droga sejam imediatos.

No entanto, existem ainda mais riscos nesta forma de administração, como endocardite (inflamação cardíaca), doença cardiovascular, abcessos e infecções, além de chance aumentada de overdose.

O uso de cocaína via intravenosa também eleva muito a possibilidade de contrair uma doença transmitida pelo sangue, como hepatite e AIDS.

  • Infecções de pele ou alergias causadas pela mistura dos aditivos com a cocaína, além da marcas de injeção no braço, são os sinais mais comuns de administração intravenosa do entorpecente.

5-)Saiba mais sobre a ingestão oral. Um dos métodos de administração de cocaína é deglutindo via oral a droga, produzindo sinais externos bem menos evidentes do que ao aspirar, fumar ou injetá-la.

No entanto, há relatos de que a deglutição de cocaína causa gangrena grave nos intestinos e no trato gastrointestinal, devido à circulação sanguínea reduzida e à sensibilidade do sistema gastrointestinal à droga.

Nos casos de ingestão oral, os indícios mais visíveis do uso de droga serão os típicos do uso de estimulantes, como:

  • Agitação. 
  • Animação incomum. 
  • Hiperatividade. 
  • Diminuição do apetite. 
  • Paranoia. 
  • Alucinações e delírios. 
  • Procurando por sinais comportamentais do uso de cocaína

1-)Encontre “pistas” durante conversas. O uso de cocaína e outros estimulantes faz, em muitos casos, com que o comportamento do usuário seja extremamente agitado e enérgico. Alguns dos sinais mais comuns do uso de cocaína no comportamento da pessoa são:

  • Falar em excesso.
  • Falar de forma rápida. 
  • Mudar rapidamente de um assunto para outro. 

2-)Verifique se a pessoa adota comportamentos de risco. A cocaína geralmente dá ao usuário a sensação de que é “invencível”. Isto pode levar ao aparecimento de comportamentos de alto risco, incluindo atividades sexuais desprotegidas, tendências violentas – como arrumar brigas, violência doméstica, homicídios e suicídios.

  • Atividades sexuais arriscadas podem levar à gravidez, doenças e DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis).
  • O comportamento de alto risco pode levar a problemas com a lei, lesões graves e até à morte.

3-)Note outras mudanças de comportamento. Indivíduos que consomem cocaína de forma consistente podem acabar usando tempo e energia para comprar o entorpecente. Além disto, eles poderão:

  • Fugir de responsabilidades e obrigações. 
  • ”Desaparecer” com frequência, indo ao banheiro, saindo do quarto e voltando com um comportamento ou humor diferente.

4-)Analise se há alterações bruscas de humor. Como a cocaína é um estimulante, ela pode fazer com que ocorram mudanças repentinas no humor do usuário, como irritabilidade, mas também “ataques de euforia”, sensação de que ele está descuidado e irresponsável ou alteração de um extremo a outro do humor.

5-)Verifique se o usuário evita socializar. Uma característica comum de pessoas que se drogam é evitar manter relacionamentos sociais, ficando sozinho ou com outros usuários de entorpecentes.

  • Outros fatores podem levar ao comportamento “antissocial”, como ansiedade ou depressão, mas também pode indicar o uso de drogas.

6-)Note se há “perda de prazer”. Vários dos usuários, de todos os tipos de drogas, apresentam perda de prazer em atividades e interesses que antes possuíam, mas este é um problema ainda maior em relação à cocaína. Isto ocorre porque esta droga prejudica os circuitos do cérebro humano responsáveis pelo prazer.

  • Veja se há indícios de depressão e uma falta de prazer com as atividades do dia a dia, que é um sintoma do uso de cocaína em longo prazo.

Encontrando provas do uso de drogas

1-)Procure por canudos e tubos. Dependendo do método de administração da cocaína, é possível encontrar vários “equipamentos”. Como a aspiração da droga é a maneira mais comum, os itens mais frequentes de serem encontrados são:

  • Canetas sem carga. 
  • Canudos. 
  • Dinheiro enrolado ou que parece ter sido enrolado. 
  • Lâminas e cartões com resíduo de pó nas bordas. 

2-)Identifique os itens utilizados para fumar a pedra de crack. O “equipamento” mais fácil de ser encontrado é o cachimbo, que pode ser feito de vidro ou até de papel alumínio. Procure também:

  • Pequenos cachimbos de vidro. 
  • Papel alumínio. 
  • Isqueiros.
  • Sacolas plásticas vazias, incluindo saquinhos pequenos com crack. 

3-)Saiba quais os indícios de uso intravenoso de drogas. Apesar de ser menos frequente que aspirar ou fumar a droga, a injeção intravenosa da cocaína também é comum. Desconfie ao encontrar os seguintes itens:

  • Seringas. 
  • Qualquer coisa que possa criar um torniquete, como cintos e cadarços. 
  • Colheres, que podem apresentar marcas de queimaduras na parte inferior. 
  • Isqueiros. 

Como identificar um usuário de pó?

A cocaína é uma das drogas que tem sido bastante utilizada, sendo um estimulante que tem uma carga viciosa muito grande, trazendo diferentes problemas para a saúde, que podem ser de overdose até mesmo morte. Sendo cada vez mais frequente, muitos devem se perguntar como identificar um usuário de pó?

Os sinais de que uma pessoa está usando essa droga são bem parecidos com outros problemas de saúde, por isso, fica mais complicado saber se uma pessoa está daquele jeito por usar cocaína. Caso haja a suspeita de alguma pessoa próxima esteja viciada, é importante conhecer os sinais comportamentais e físicos do uso de cocaína.

Sinais físicos

Alguns sinais físicos podem ser percebidos para conseguir saber como identificar um usuário de pó. É possível que haja cocaína nos pertences da pessoa ou nas narinas, assim como em outras partes do rosto. Mesmo que a pessoa tenha se limpado, pode sobrar um pouco de pó nas roupas ou em objetos pessoais.

Por isso, conferir se há algo embaixo da cama, poltrona, que possa ter sido também como superfície para conseguir cheirar a droga. A pessoa também pode justificar dizendo que é qualquer outro pó branco, mas ao identificar a substância novamente em um local improvável, é possível que seja droga.

Há também outros sinais, como a pessoa fungar com maior frequência ou ficar com o nariz escorrendo sempre. A cocaína acaba prejudicando o sinus, o que faz o nariz escorrer o tempo todo. Os usuários recorrentes vão acabar fungando como se fosse gripe, mesmo sem ter os outros sintomas.

Tocar ou limpar o próprio nariz com maior frequência é um dos sinais que podem indicar o uso de cocaína. Depois de um tempo usando a droga, é possível que o dependente tenha sangramentos, assim como outros danos internos no nariz, por isso, prestar atenção nisso pode ser importante.

A cocaína é um estimulante, por isso, as pessoas acabam ficando com olhos avermelhados e as veias saltados, lacrimejando também. Essas características podem ser percebidas ao longo do dia. Além disso, a droga causa insônia, assim, os olhos vermelhos pela manhã também são um sinal.

Esse é um detalhe bem importante também para saber como identificar um usuário de pó, verificando a pupila das pessoas. Em ambientes iluminados, é possível verificar se as pupilas estão dilatadas, por isso, a pessoa também pode acabar usando óculos escuros para se proteger disso.

Sinais comportamentais

As pessoas também podem parecer anormalmente hiperativa, visto que a droga causa sensação de euforia, velocidade e confiança. A pessoa fica muito feliz sem nenhuma razão ou estão em um ritmo acelerado. O sujeito pode falar mais rápido ou rir o tempo todo, mas em alguns casos, podem ficar agressivos ou violentos.

O efeito da cocaína não dura muito tempo, por isso, as pessoas acabam usando a droga com frequência para manter o mesmo estado de euforia inicial. Assim, esse tipo de pessoa vai se retirar o tempo todo do ambiente para conseguir consumir a droga novamente. Se a cada 20 ou 30 minutos a pessoa se ausenta, por ser um sinal do uso da cocaína.

Outro ponto, é a que cocaína faz tudo ser acelerado, o que vai dificultar no sono, mas também na diminuição do apetite. A pessoa quando usa a droga acaba perdendo a fome, por isso, essas mudanças também podem ser percebidas como um sinal.

O que fazer com um usuário de pó?

Usuários frequentes de cocaína acabam se tornando dependentes, por isso, eles precisam estar constantemente atrás de uma nova chance de usar a droga. A tolerância a substância é maior, fazendo com que a dosagem para consumo também seja maior, precisando de uma frequência maior para usar novamente.

As variações de humor também podem ser percebidas com maior facilidade, tendo um comportamento bem negativo. Os cuidados pessoais e as próprias responsabilidades também acabam sendo deixados de lado, contando com um novo grupo de amigos, possivelmente aqueles que também fazem uso ou incentivem o uso.

Falar abertamente com o usuário de cocaína para saber como identificar um usuário de pó, demonstrando que há uma necessidade de procurar o apoio e superar esse vício. É melhor agir rapidamente antes que a situação fique pior, pois essa é uma droga muito perigosa.

Se você está precisando de orientação e conhecer os procedimentos, locais de atendimento e valores para um tratamento na Clínica de Recuperação Brasil entre em contato agora mesmo.

5 sintomas de pessoas que usam drogas para ajudar a identificar

Se alguém próximo a você se tornou agressivo, isolado ou está se inserindo em círculos de amizades duvidosas, convém ficar de olho e tentar ajudar. Geralmente, mudanças repentinas de comportamento podem ser sintomas de pessoas que usam drogas.

O fácil acesso a entorpecentes e a convivência com pessoas que usam tóxicos são fatores que favorecem o abuso dessas substâncias. A dependência química é um mal que atinge sutilmente um indivíduo, principalmente quando o primeiro contato com as drogas ocorre ainda na juventude.

Dada à complexidade que envolve essa questão, vamos ajudar a identificar os sintomas dos dependentes químicos e falar sobre como ajudar alguém que usa drogas. Acompanhe!

Como identificar os sintomas de pessoas que usam drogas?

Um dos pontos relevantes é saber identificar os sintomas de pessoas que usam drogas. Logo, a observação do comportamento para perceber se houve a adoção de novos hábitos e costumes é essencial.

Familiares e amigos precisam estar atentos às mudanças muito radicais na personalidade e, mediante essas evidências, buscar formas de auxiliar seus entes queridos.

Vamos entender agora quais são os sinais e sintomas de pessoas que usam drogas. Acompanhe!

Mudanças de humor ou de comportamento

Um dos primeiros sinais de que uma pessoa está abusando das drogas é uma mudança radical em seu humor ou em seu comportamento. Ela pode se tornar mais reservada, introspectiva e até apresentar sinais de culpa, depressão ou tristeza.

Dependendo do tipo de entorpecente consumido, o dependente também pode se tornar impaciente ou assumir posturas extremamente agressivas sem motivo aparente.

Os hábitos de alguém que se torna dependente de uma substância química costumam ser repetitivos e padronizados devido ao efeito das substâncias ilícitas. Assim, uma pessoa pode passar a ter hábitos noturnos ou passar a ter conflitos em sua vida social por consequência do abuso desses compostos.

Amizades ou companhias suspeitas

Salvo exceção, um dependente químico procura se aproximar das pessoas que lhe oferecem drogas. Por isso, ele pode passar a ter companhias diferentes e que antes não pertenciam ao seu círculo social.

Se você é próximo de uma pessoa que apresenta alguns dos sinais descritos aqui, procure observar quem são os amigos dela e como é a relação com essas pessoas. Desconfie de amizades muito recentes e que aparentam certo nível de confiança.

Evidências no corpo

Para ajudar a perceber os sintomas de pessoas que usam drogas, é bom  ficar de olho nos sinais ou evidências no corpo delas. Os mais comuns são arranhões, ferimentos, manchas e hematomas. De acordo com o tipo de substância consumida, pode até haver sangramentos ou marca de agulhas.

Além disso, as roupas também podem denunciar essa prática: o cheiro característico ou a mudança no estilo são fortes evidências. Outro sinal é o uso de itens estranhos como cachimbos, canudos, espelhos, garrafas vazias e objetos perfurantes. Essas evidências são importantes para iniciar um diálogo ou um questionamento para ajudar os dependentes químicos.

Alterações na rotina

Um dependente químico pode apresentar alterações também em seu metabolismo. Assim, sinais do abuso de drogas podem aparecer na alimentação: os mais evidentes são a falta ou o excesso de apetite.

O semblante de um dependente químico também costuma refletir o abuso de drogas. Olhos vermelhos, inchados ou mucosas do nariz irritadas também são indícios do uso de substâncias químicas.

Alterações no sono também devem ser consideradas. Problemas como insônia, sonambulismo ou uma inversão de hábitos podem surgir como efeito do abuso de tóxicos.

Distúrbios psicológicos

O abuso de drogas também pode desencadear transtornos mentais. As substâncias químicas usadas com fins recreativos, como as drogas psicoativas ou psicotrópicas, causam graves alterações no sistema nervoso. Em longo prazo, os danos podem ser irreversíveis.

Um usuário de drogas pode demonstrar desequilíbrio mental de diferentes formas. As alterações comportamentais dependem do nível de uso e do tipo de substância consumida. Irritabilidade, ansiedade patológica e depressão são os mais comuns.

Como ajudar alguém que usa drogas a superar esse problema?

O jornal O Globo divulgou uma pesquisa de um instituto ligado ao IBGE afirmando que o uso de drogas está aumentando entre os adolescentes brasileiros.

Os resultados das pesquisas mostram que o percentual de jovens de 13 a 15 anos que experimentaram bebidas alcoólicas subiu. Em 2012 o percentual era de 50,3% e passou para 55,5% em 2015.

Isso sugere a urgente necessidade de intervenções mais adequadas para conter os impactos negativos resultantes desse problema.

Enumeramos algumas sugestões para ajudar alguém que usa drogas. Confira!

Conversar sobre o assunto

Uma das melhores armas contra os impactos negativos decorrentes do uso de tóxicos é o diálogo aberto e honesto. Agir com paciência, sabedoria e utilizar palavras de incentivo é fundamental para obter êxito diante de situações delicadas como a suspeita do abuso de entorpecentes.

Adotar uma postura mais branda torna mais fácil a abordagem e a transparência durante a conversa. Isso ajuda a evitar que o questionamento sobre as razões que levaram a esse tipo de diálogo não  seja visto como uma ofensa ou ameaça à moral.

Conquistar a confiança do dependente químico

Ter mais confiança nos pais, irmãos, tios ou parentes próximos é muito importante para lutar contra a questão das drogas e vencer o vício. Logo, familiares e amigos devem evitar julgamentos ou juízos de valor em relação ao problema ou ao comportamento do dependente químico.

Se o usuário de drogas for ouvido e compreendido, isso será interpretado como uma motivação a mais para enfrentar esse problema. O equilíbrio nas relações familiares contribui bastante para fortalecer a pessoa e ajudá-la a crescer diante das adversidades.

Confiar nas pessoas próximas influencia diretamente o estado emocional e ajuda a preparar a pessoa para lutar contra o vício. Ter a certeza de que não está sozinho incentiva o compartilhamento de experiências e dos sentimentos mais difíceis.

Demonstrar que a família quer ajudá-lo

É muito difícil ver um ente querido sofrer ou fazer escolhas equivocadas que impactam negativamente sobre sua vida pessoal, afetiva, acadêmica ou profissional. Por isso, os familiares precisam demonstrar interesse em ajudá-lo.

Em algum momento, o usuário de drogas precisa perceber que a família está preocupada com a saúde, o futuro e o bem-estar dele. De certa forma, a certeza de que ele está sendo observado pode contribuir positivamente para fortalecer os laços familiares e, juntos, procurarem a melhor solução para o caso.

Como é o tratamento para a dependência química?

Ajudar uma pessoa a abandonar o vício em drogas não é uma tarefa fácil. Isso exige tempo e paciência para fazer com que a pessoa se conscientize a respeito de sua situação em relação às drogas.

Reconhecida a necessidade de iniciar um tratamento, é preciso buscar um diagnóstico correto que direcione à intervenção mais adequada. Em alguns casos, o estágio da dependência é tão avançado que compromete outras questões relacionadas à saúde do paciente, como distúrbios físicos ou mentais.

Para reverter esse quadro é preciso buscar o tratamento adequado, de forma que a recuperação seja eficaz e não haja recaídas no futuro. Além da desintoxicação, pode ser necessária a prescrição de medicamentos para regular as funções do organismo e controlar as emoções negativas.

O acompanhamento psicológico do paciente também é altamente recomendado. O ideal é buscar instituições que ofereçam um tratamento integrado por meio de intervenção multidisciplinar. O apoio de médicos clínicos, psicólogos e psiquiatras são imprescindíveis ao sucesso do tratamento.

Todo esse processo se torna mais fácil, se aliada à intervenção terapêutica, há o apoio familiar e dos amigos. Esse suporte fortalece a decisão em abandonar o vício e ajuda a evitar que a pessoa volte ao estado de dependência química.

Quando buscar ajuda profissional?

Saber como ajudar alguém que usa drogas é um dos aspectos mais relevantes nesse processo de luta contra o abuso dessas substâncias. Isso requer habilidades e técnicas que, nem sempre os familiares ou pessoas próximas possuem.

Tendo isso em vista, antes que o problema se transforme em algo irrecuperável, a busca de um tratamento especializado contra as drogas torna-se uma das melhores alternativas.

A intervenção médica varia de acordo com o nível de dependência do organismo. É necessário realizar um processo de desintoxicação gradual. Mas não é recomendado que uma pessoa em grau mais avançado de dependência interrompa o consumo dessas substâncias.

A interrupção brusca pode até oferecer um risco à saúde da pessoa, uma vez que a expõe a crises de abstinência. Por isso, o tratamento hospitalar é o mais seguro para ajudar alguém que usa drogas.

Dependendo do estado de saúde e do nível de comprometimento mental, a internação do paciente pode ser necessária. Ela pode ser feita de forma voluntária, ou seja, com o consentimento do dependente.

Nos casos mais graves, ela também pode ser feita de forma involuntária ou compulsória. Essa alternativa é a mais indicada quando a situação do dependente oferece risco a integridade dele ou a das pessoas de seu círculo social.

Igualmente relevante é compreender que a própria dependência química impõe uma condição muito complexa sobre a vida da pessoa. Por conseguinte, os usuários de drogas ficam completamente dominados pelo vício e transtornados pela falta de força emocional para lutar contra esse quadro.

Os sintomas variam de uma pessoa para outra, mas o padrão de dependência e os danos à saúde mental e física são, praticamente, os mesmos. Nesse sentido, a busca por ajuda em instituições especializadas em reabilitação mental, como o Hospital Santa Mônica, garante que haja meios para reverter os sintomas de pessoas que usam drogas, além de promover o bem-estar e a qualidade de vida.

Aprendeu com o nosso conteúdo? Então, você não deixe de ler também de aprender sobre como identificar um usuário de drogas?

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*