Como Fica A Gengiva Do Bebe Quando Vai Nascer Dente?

Os primeiros dentes do bebê normalmente surgem a partir dos 6 meses de idade e pode ser facilmente notado, uma vez que pode deixar o bebê mais agitado, com dificuldade para comer ou dormir, por exemplo. Além disso, é comum que quando os dentes começam a surgir, o bebê comece a colocar todos os objetos que vê pela frente, na boca e tente mastigá-los.

  • Apesar de ser mais frequente que os primeiros dentes surjam a partir dos 6 meses, em alguns bebês os primeiros dentinhos podem aparecer logo a partir dos 3 meses ou perto do 1º ano de idade, por exemplo.
  • Como Fica A Gengiva Do Bebe Quando Vai Nascer Dente?
  • Os primeiros dentes do bebê geralmente surgem por volta dos 6 ou 8 meses de idade e, enquanto alguns bebês podem não apresentar qualquer alteração no comportamento, outros podem apresentar sinais como:
  1. Agitação e irritabilidade;
  2. Salivação abundante;
  3. Gengivas inchadas e doloridas;
  4. Vontade de mastigar todos os objetos que encontra;
  5. Dificuldade em comer;
  6. Falta de apetite;
  7. Dificuldade para dormir.

A febre e a diarreia também podem surgir e o bebê pode ficar mais chorão. Para aliviar a dor e o inchaço do nascimento dos primeiros dentes, os pais podem fazer uma massagem com as pontas dos dedos nas gengivas ou dar brinquedos frios para o bebê morder, por exemplo.

O que fazer no nascimento dos primeiros dentinhos

Com o nascimento dos primeiros dentinhos do bebê, os pais podem aliviar a dor do bebê massageando as gengivas com as pontas dos dedos, utilizando pomadas anestésicas específicas, como a Camomilina, ou dando objetos e brinquedos frios para o bebê morder, como os mordedores ou palitinhos de cenoura depois de os colocar na geladeira.

Se o bebê ficar com o queixo vermelho e irritado por causa da baba, pode-se colocar o creme que se utiliza para as assaduras porque contém vitamina A e zinco, que ajudam a proteger e a regenerar a pele. Veja como aliviar o desconforto do nascimento dos primeiros dentinhos do bebê.

Como cuidar dos primeiros dentinhos

Os primeiros dentinhos do bebê devem começar a ser cuidados antes de nascerem porque os dentes de leite preparam terreno para os dentes definitivos, dando forma à gengiva e criando espaço para os dentes definitivos. Para isso, os pais devem limpar as gengivas, bochechas e a língua com um pano ou uma gaze úmida pelo menos 2 vezes ao dia e, principalmente, antes de colocar o bebê para dormir.

Depois do nascimento do primeiro dente, deve-se começar a escovar os dentes do bebê com uma escova e apenas com água, pois só se deve usar creme dental apenas a partir de 1 ano de idade, pois tem flúor. A primeira consulta do bebê no dentista deve ser logo após o aparecimento do primeiro dentinho. Saiba quando começar a escovar os dentes do bebê.

Ficou alguma dúvida? Clique aqui para ser respondido.

Quando aparecem os dentes aos bebés: primeiros sintomas, remédios e cuidados a ter

Este período também é desgastante para os pais principiantes. No início, muitos não sabem de onde vêm os gritos dos seus filhos.

Será que são os dentes a nascer? Nessa fase, muitos bebés sofrem as primeiras infeções, sendo que a febre ou a diarreia estão associadas ao aparecimento dos dentes.

Embora seja provavelmente um momento stressante para a pequena família, também é algo muito importante.

Afinal, quando o bebé tem os primeiros dentinhos, começa a interessar-se pelos alimentos sólidos.

Quando começam a aparecer os dentes e em que ordem?

Antes do nascimento, os dentes de leite estão ocultos no osso dos maxilares e, geralmente, começam a sair por partes a partir do sexto mês.

Os primeiros dentes que geralmente aparecem são os incisivos centrais do maxilar inferior. Em seguida vêm os superiores e, depois, os incisivos laterais. Caninos e molares são os últimos a aparecer.

Os dentes de leite não ficam completos com os seus 20 dentes antes dos 20/30 meses.

Como Fica A Gengiva Do Bebe Quando Vai Nascer Dente?

Dentição

Este processo de tempo representa apenas uma orientação aproximada, já que há crianças que começam a dentição a partir do quarto mês enquanto outras celebram o seu primeiro aniversário com apenas quatro dentes. No entanto, se após os 12 meses ainda não lhe tiver nascido nenhum dentinho é aconselhável consultar um dentista.

Sintomas típicos da dentição

Embora muitos pais se sintam um pouco inseguros com o primeiro filho, aqueles com mais experiência interpretam com frequência os sinais inconfundíveis do aparecimento dos primeiros dentes. Nem todos os bebés se comportam da mesma forma. Nalguns casos, os primeiros dentes fazem o seu percurso quase sem efeitos colaterais, enquanto noutros provocam fortes dores.

Portanto, os seguintes sintomas podem aparecer individualmente ou em conjunto, e com maior ou menor intensidade:

  • O bebé não para de colocar a mão ou levar objetos à boca para os mastigar.
  • Ao fazê-lo, baba-se muito e acaba por criar feridas à volta da boca.
  • As bochechas estão vermelhas e quentes.
  • As gengivas estão inchadas e vermelhas.
  • O bebé tem menos fome do que o habitual.
  • Choraminga e grita com mais frequência do que nos últimos meses e não dorme bem.
  • Procura constantemente o contato físico, algo que pode indicar o surgimento dos primeiros dentes.

Alguns bebés também têm febre e diarreia. O rabinho fica vermelho e irritado. Por outro lado, esses sintomas também podem ocultar uma leve infeção, pois, à medida que os dentes saem, o sistema imunológico do bebé fica temporariamente debilitado. É por isso que as infeções costumam aparecer juntamente com os dentes.

A isto, acrescentamos a mudança de alimentação do leite materno ou de fórmula para alimentos sólidos, algo que, geralmente, coincide com a fase de dentição, e que pode causar mais problemas ao seu pequeno organismo. Se o bebé tiver febre alta e diarreia intensa, os pais devem levá-lo ao pediatra.

Como é que os pais podem ajudar o bebé durante a dentição?

Para o bebé sofrer menos, a maioria dos pais pode ajudar ativamente, dependendo do nível de dor:

  • Com os dedos limpos ou umas luvas de silicone especiais (vendidas na farmácia), os pais podem massajar suavemente as gengivas do bebé. Dependendo de como a criança reage, saberá se está a fazer a massagem corretamente ou não.
  • Massagens de reflexologia podal também são úteis. Amassar e acariciar delicadamente as pontas dos dedos do bebé alivia a dor.
  • Como o fluxo da baba aumenta durante a dentição isto faz com que o peito e o pescoço do bebé fiquem imediatamente molhados. Quando está frio pode-lhe provocar uma constipação, por isso é recomendável colocar-lhe fraldas de tecido, babetes ou lenços para manter a roupa seca.
  • Se o bebé criar feridas nos cantos da boca e nas bochechas de tanto se babar, existem cremes especiais para bebé que funcionam muito bem.
  • Além disso, para evitar que o rabinho fique irritado, os pais podem mudar a fralda com mais frequência e aplicar um pouco de creme para proteger a pele. Os cremes com extrato natural de calêndula são adequados para esta situação.
  • O carinho e as distrações são uma excelente forma de ajudar o bebé durante a difícil fase da dentição. Os bebés inquietos e chorões gostam muito de ser mimados e pegados ao colo. Além disso, brincar e passear mais tempo com ele também lhe ajuda a esquecer a dor por momentos.

Remédios que aliviam a dentição

Os objetos que o bebé morde massajam-lhe as gengivas, algo que a maioria das crianças adora. Portanto, os pais devem-lhe oferecer recursos diferentes para o ajudar. Com o tempo, o bebé descobrirá quais são os seus favoritos.

1. Mordedor

Assim que o bebé começa a colocar o plástico da chupeta na boca, em vez da tetina, para o morder, é hora de lhe comprar um mordedor. Os mordedores não têm cantos e são fáceis de lavar.

Os que estão cheios de água, e que se colocam no frigorífico, são muito adequados para a dentição pois o frio reduz a circulação sanguínea da gengiva, ajuda a desinflamar e a diminuir a dor.

O bebé pode mastigar o mordedor sem ter medo de se magoar.

Ao escolher um mordedor os pais devem, em primeiro lugar, priorizar a qualidade comprovada. Mordedores suaves, sem PVC e feitos sem plastificantes. Desta forma, não se desprenderá nenhuma substância nociva nem existe perigo em caso de o mordedor se partir durante o uso. Certificados de qualidade como a certificação TÜV oferecem segurança.

2. Colar de âmbar

Muitas mães confiam nestes colares de material natural. Outras, no entanto, não atribuem ao âmbar qualquer eficácia na dentição e a maioria dos especialistas rejeitam o seu uso como um remédio para aliviar a dor.

No entanto, diz-se que o âmbar contém muitos óleos etéreos que podem ser benéficos para o corpo do bebé. É por isso que o óleo de âmbar é usado em massagens, pois tem um efeito positivo na circulação sanguínea e é calmante. Assim sendo, o bebé não deve mastigar o âmbar, mas sim sentir o efeito dos óleos que se libertam quando usa o colar. Além disso, os colares de âmbar são muito bonitos.

No entanto, ao comprar um colar de âmbar tem de escolher um que seja adequado para bebés. Estes encontram-se em lojas infantis especializadas e não em joalharias.

Infelizmente, não há uma lei sobre isso, mas, por razões de segurança, um colar de âmbar que ajude a dentição do bebé deve ter as seguintes propriedades: – Deve ter um fecho tipo clip, por exemplo, e abrir apenas quando o puxamos e deve ser resistente (um valor de referência: 90°N, no mínimo). – As pedras de âmbar devem ser atadas individualmente. – Se o colar se romper, dever soltar-se apenas uma pedra.

Uma opção alternativa são estes colares e pulseiras em silicone sem BPA, PVC e ftalatos que o seu bebé pode morder com total segurança.

Leia também:  Como Se Chama O Momento Em Que A Noiva Atira O Ramo?

3. Luva de banho fria

Alguns bebés preferem mastigar coisas moles quando os dentes estão a nascer. Por isso, os pais podem calmamente dar-lhes uma luva de banho molhada e bem torcida. Por razões de higiene, tem de ser mudada várias vezes ao dia.

4. Alimentos duros

Especialmente os avós acreditam que o melhor para a criança morder é pão duro, fatias de maçã ou cenouras.

Estes produtos não apresentam nenhum problema, mas é necessário estar sempre a vigiar o bebé para que não se engasgue.

Além disso, o pão, os legumes e as frutas contêm açúcar, por isso, se o bebé os mastigar continuamente pode desenvolver cáries. Portanto, é melhor recorrer a esses alimentos apenas de vez em quando.

Remédios homeopáticos

Muitos naturopatas, e até mesmo alguns pediatras, recomendam remédios homeopáticos que podem ser muito eficazes durante a dentição. Os glóbulos mobilizam o poder curativo da criança. Estas são algumas preparações de glóbulos que provaram a sua eficácia na dentição:

  • Camomila
  • Fosfato de cálcio
  • Magnésio fosfórico
  • Creosoto
  • Beladona

Um médico especializado ou um naturopata pode-lhe dar mais informações sobre a indicação adequada e a dosagem. Importante: Assim que as dores diminuírem, a administração de glóbulos deve reduzir-se, a menos que o médico indique uma aplicação mais longa.

Mordedor de raiz de violeta com precauções

Naturalmente, os pais e as mães sempre querem o melhor para o bebé, mas as raízes naturais de violeta não são necessariamente melhores que os mordedores industriais.

As raízes podem contaminar-se com bactérias muito rapidamente e, embora sejam regularmente esterilizadas, isto não é suficiente.

No entanto, se os pais quiserem ajudar o filho durante o aparecimento dos dentes apenas com meios naturais, e recorrerem às raízes de violeta devem prestar muita atenção à sua higiene.

O primeiro dente já exige cuidados

No início basta limpar o dente regularmente com um pano ou um cotonete de algodão. Também funcionam muito bem as escovas de dentes de dedo.

Estas têm a vantagem de as poder continuar a usar ao longo da dentição e depois do aparecimento do primeiro dente, massajando suavemente as gengivas.

Antes de começar a usar uma escova de dentes infantil, depois de algum tempo, pode começar a usar uma escova de treino para cuidar dos primeiros dentes do bebé.

Atenção! Se a dentição provocar dores muito intensas e os pais não tiverem a certeza de que a razão é o aparecimento dos dentes, então, o melhor é levar o bebé ao pediatra.

Normalmente, a dentição desenvolve-se sem complicações e o aparecimento dos primeiros dentes do bebé é um momento que se vive com muita alegria e em família.

Dentição aos 3 meses: como descobrir se estão a nascer | Colgate®

Determinar o que há de errado com um bebê inquieto é uma tarefa árdua quando somos pais. Se ele continuar irritado mesmo depois de você garantir que esteja saudável, alimentado e trocado, considere a possibilidade de que o dente do seu filho esteja nascendo. Procure por estes sinais e sintomas para identificar a causa.

Esfregar a gengiva e babar

Os bebês, em geral, adoram colocar objetos na boca, mas quando começa o processo de dentição, o comportamento de esfregar coisas em sua gengiva pode se tornar excessivo.

Colocar um mordedor na boca para esfregar o tecido gengival é um sinal claro de que o dente está despontando.

Certifique-se de manter longe do seu bebê objetos perigosos que causam risco de asfixia e ofereça a ele brinquedos macios para mastigar.

Junto com este processo, por volta dos 3 meses de vida, você pode perceber que o seu pequeno passa a salivar muito, a ponto de deixar suas roupas ensopadas e desenvolver irritações nas bochechas e no queixo.

Isto ocorre pois é o momento em que seus primeiros dentes começam a nascer. Para mantê-lo confortável e livre de irritações na pele, enxugue o queixo dele gentilmente e troque suas roupas no decorrer do dia.

Irritabilidade

Alguns bebês passam peloprocesso de dentição sem grandes incômodos, mas, para outros, pode ser algo difícil e doloroso. Se o seu bebê aparenta estar irritado ou chorando com frequência, mesmo estando saudável, pode ser um sinal de que o dente está para nascer.

Insônia

Se o seu bebê costumava dormir bem e passou a acordar durante a noite ou se nega a cochilar durante o dia, pode ser um sintoma de que o dente está nascendo.

Até mesmo adultos têm dificuldade para dormir quando estão sentindo algum desconforto, e o mesmo ocorre com o seu bebê.

Vocês dois podem perder algumas horas de descanso, mas tenha certeza de que o seu pequeno voltará ao antigo padrão de sono uma vez que o dente tenha nascido.

Perda de apetite

Se o seu bebê não estiver mamando normalmente, pode ser um sinal de que a gengiva esteja doendo. A ação de sugar a mamadeira ou o aleitamento podem irritar a gengiva que já está dolorida. Continue tentando alimentá-lo até a dor diminuir. Se você estiver preocupada que seu bebê não esteja se alimentando o suficiente, consulte seu pediatra.

Sintomas graves

Sintomas como febre e diarreia também fazem com que você se pergunte se a dentição do seu bebê já começou. Embora alguns pais acreditem que esses sinais estejam relacionados com a dentição, não há evidência científica que fundamente isso. Se o seu bebê estiver com febre alta ou diarreia, é importante que você consulte seu médico.

Primeiros dentes do bebê: nascimento, sintomas e higiene

  • Incisivos inferiores: geralmente são os primeiros a aparecer, em torno de cinco a sete meses de idade.
  • Incisivos superiores: tendem a nascer entre os seis e oito meses.
  • Incisivos laterais superiores: entre nove e 11 meses.
  • Incisivos laterais inferiores: entre 10 e 12 meses.
  • Primeiros molares: entre 12 e 16 meses.
  • Caninos: entre 16 e 20 meses.
  • Segundos molares: entre 20 e 30 meses.

Durante a dentição, alguns bebês ficam mais agressivos do que o habitual por causa da dor e inchaço nas gengivas.

Os sintomas geralmente aparecem cerca de três a cinco dias antes do dente nascer (mas há casos em que duram semanas), e desaparecem assim que  os dentes rompem a pele. Mas há alguns bebês sortudos que não sofrem absolutamente nada com o nascimento dos primeiros dentinhos.

Os sintomas mais comuns são:

  • Chorar ou choramingar mais do que o comum.
  • Vermelhidão e dor na gengiva, no local onde o dente vai nascer.
  • Uma bochecha mais corada do que a outra.
  • Babar mais do que o usual.
  • Roer e mastigar muito as coisas.
  • Irritabilidade e mau humor.
  • Se recusar a comer e beber.
  • Acordar mais vezes durante a noite.
  • Pequeno sangramento da gengiva, no local onde o dente deverá nascer.

Os sintomas são normais e desaparecem conforme os dentes vão nascendo. Caso sejam muito severos ou não desapareçam, consulte o médico. Muita gente acredita que febre e diarreia são sintomas da dentição, mas não há comprovação científica. Leve o bebê ao pediatra sempre que algo estiver fora do normal.

Como aliviar os sintomas

Caso o bebê esteja sofrendo muito durante o nascimento dos primeiros dentinhos, é possível tomar algumas medidas para ajudá-lo. Uma delas é lavar bem suas mãos e esfregar um dos dedos na gengiva da criança por cerca de dois minutos. Muitas se sentem aliviadas com a massagem.

Dar carinho e afago também pode oferecer alívio. Como o bebê pode ficar irritado e manhoso, é preciso ser paciente e dar atenção. O melhor remédio, no entanto, é mastigar. Objetos como anéis de dentição, chocalhos e outros brinquedos flexíveis ajudam o bebê a aliviar a dor e coceira. Eles têm que ser seguros e aprovados pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia)

Em casos extremos, o bebê pode tomar um analgésico, desde que receitado pelo médico.

Cuidados com os dentes

Assim como você passa fio dental e escova os dentes após cada refeição, é preciso cuidar da saúde bucal do bebê. Para que ele cresça com um belo sorriso saudável, pode-se tomar alguns cuidados:

  • Mamar no peito é a primeira e melhor forma de estimular o bom desenvolvimento dos dentes e da face, de acordo com a Organização Mundial da Saúde e a Sociedade Brasileira de Pediatria
  • Quando aparecerem os primeiros dentes da frente, sua limpeza deve ser feita com um tecido macio e limpo, umedecido em água limpa.
  • Quando surgirem os outros dentes, a limpeza já pode ser feita com uma escova de dente macia e sem pasta de dente, apenas molhada em água limpa.
  • Limpar sempre os dentes após a ingestão de alimentos e medicamentos.

Dúvidas comuns sobre dentição dos bebês

O Ministério da Saúde esclarece dúvidas comuns sobre o nascimento dos primeiros dentes e a saúde bucal dos bebês:

É preciso limpar a boca do bebê antes do nascimento dos primeiros dentes?

Sim. Existem escovas de dente que são dedeiras, encaixadas diretamente no dedo do adulto para que possa esfregar a gengiva e limpar todo o resto da comida. Na ausência da escova, pode-se utilizar uma gaze ou cotonete.

Quando usar pasta de dente?

A pasta de dente pode começar a ser utilizada quando o bebê tiver todos os dentes de leite. Durante a infância, é recomendável que use a pasta infantil, pois possui flúor em quantidade recomendada para a idade.

Leia também:  Como Fazer Com Que A Barba Cresça?

Mamadeira, chupeta e chupar o dedo fazem os dentes nascerem tortos?

Sim, isso pode acontecer. Hábitos como esses podem entortar tanto os dentes quanto a arcada dentária (parte óssea da mandíbula).

Mordedores ajudam os dentes a crescer mais rápido?

Não, isso é um mito. O mordedor serve apenas para causar sensação de conforto no bebê quando a gengiva está sensível e irritada. O ato de morder ajuda a mucosa a ficar mais preparada para a erupção dos dentes.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Ministério da Saúde (“Caderneta de Saúde da Criança – Passaporte da Cidadania”)
Site oficial do sistema de saúde do Reino Unido (“Baby teething symptoms”)
WebMD Medical Team (“Teething – Topic Overview”)
Ministério da Saúde (“Saúde bucal: nascimento de primeiros dentes pode até causar febre nos bebês”)

Cuidados com o dente do bebê

O dente do bebê precisa de cuidados especiais. Todos eles são necessários para garantir a saúde de dentes e gengivas desde cedo.

Além de saber quais são esses cuidados é preciso entender o que ocorre antes e durante o surgimento dos primeiros dentinhos.

Quando começa a nascer os dentes do bebê?

Os primeiros dentes do bebê começam a surgir por volta dos 6 meses de vida.
Em média, esse processo dura até os 30 meses de idade, quando a dentição primária dos pequenos fica completa.

No entanto, é possível que os dentinhos iniciais surjam antes ou depois desse período. Em algumas crianças, os dentes aparecem aos 3 meses de idade. Já em outras, isso ocorre com a idade de 1 ano.

  • A princípio, tais situações são comuns e não significam que existe algum problema na dentição.
  • Com relação à sequência de erupção dos dentes, também são observadas diferenças de uma criança para outra.
  • Esse fator precisa ser observado com maior atenção, já que diferenças significativas quanto a essa sequência podem indicar alterações.
  • A situação que precisa de maior cuidado é quando um dente surge e o seu correspondente (que fica do outro lado na arcada) não nasce.
  • Ao notar qualquer problema quanto ao surgimento ou sequência de nascimento dos dentes do bebê é preciso consultar o odontopediatra para averiguar as causas da alteração.
  • Inclusive, quanto mais cedo a criança iniciar o acompanhamento odontológico, melhor.
  • Esse fator é fundamental para garantir plena saúde e estética bucal por toda vida.

Sinais de que os dentes do bebê estão nascendo?

  1. Quando os primeiros dentinhos das crianças estão nascendo, os bebês apresentam diversos sinais, que devem ser observados pelos pais.
  2. Essas mudanças no comportamento da criança ocorrem devido ao desconforto e coceira que afeta as gengivas antes e durante o nascimento dos dentes.

  3. Esses sinais são:
  • Dificuldade para comer ou falta de apetite;
  • Irritabilidade e agitação;
  • Gengivas doloridas e inchadas;
  • Salivação excessiva;
  • Desejo de mastigar tudo que encontra;
  • Dificuldade para dormir;
  • Choro constante.

Como fica a gengiva do bebê quando vai nascer o dente?

  • Conforme mencionamos, antes e durante o nascimento dos dentes de leite os bebês sofrem grande desconforto na gengiva.
  • Neles, a estrutura gengival é ainda mais sensível e o nascimento dos dentes provoca uma mistura de dor com coceira que causa bastante desconforto e irritação.
  • Vejamos quais os sintomas que ocorrem na gengiva no período em que os dentes de leite estão nascendo.
  • Inchaço;
  • Manchas vermelhas ou arroxeadas;
  • Vermelhidão e dor no local onde o dente vai nascer;
  • Pequenos sangramentos na região de nascimento do dente.

Além dessas alterações gengivais, os bebês podem apresentar:

  • Febre baixa;
  • Uma bochecha mais corada do que a outra;
  • Necessidade de morder o peito da mãe na hora de mamar.

Como aliviar a dor e coceira na gengiva?

Para aliviar os terríveis desconfortos que os bebês sofrem na gengiva, os odontopediatras indicam os seguintes cuidados:

  • Refrigerar o mordedor (específico para bebês) e deixar a criança mordendo esse objeto por alguns minutos.

Pelo fato de estar refrigerado, essa temperatura baixa reduz o inchaço, dor e alivia a coceira.

Além disso, é suprida a necessidade da criança de aliviar o desconforto gengival.

  • Higienizar bem as mãos, enrolar uma gaze na ponta do dedo e massagear suavemente a gengiva do bebê.

A gaze deve ser umedecida com água fria (filtrada ou fervida). Esse processo simples ajuda na higienização da gengiva e alivia a coceira.

Como escovar os dentes do bebê?

  1. Depois de vermos tudo que ocorre na gengiva dos pequenos quando os dentes estão nascendo é preciso saber quais cuidados adotar depois que eles nascem.
  2. Saber como escovar os dentes do bebê é um dos cuidados básicos para que no futuro os dentes e gengivas deles permaneçam fortes e saudáveis.

  3. Logo que os primeiros dentinhos começam a crescer, é o momento de adotar uma escovinha própria para bebês, de acordo com os modelos e marcas disponíveis nas farmácias.
  4. Não deixe buscar apoio com um odontopediatra (Clique aqui e agende sua consulta Odontopediátrica na 021 Dental).

     

  5. Com relação ao creme dental, o mais recomendado é usar um que tenha flúor em quantidades mínimas (adequada para os dentes dos bebês).

Esse cuidado é essencial para evitar cáries e proteger a saúde da gengiva.

Há variadas marcas de cremes dentais específicos para bebês e crianças, com a quantidade certa de flúor.

  • No entanto, sempre é preferível pedir a orientação de um odontopediatra para indicar a melhor opção para cada bebê.
  • É importante frisar que os primeiros cuidados com a saúde bucal do bebê começam antes de os primeiros dentes nascerem.
  • Essa higienização precisa começar antes mesmo de o primeiro dentinho surgir.
  • O recomendado é higienizar a boca e gengiva com uma fralda de pano bem limpa ou gaze embebidos em água (filtrada ou fervida).

O que acontece quando os dentes dos bebês não são escovados?

Há diversos riscos para a saúde bucal dos bebês quando os dentes de leite não são escovados.

Um dos principais é a formação de cáries. Esse problema, além de prejudicar a saúde do dente e gengiva, pode deteriorar a estrutura dos dentes permanentes (que surgirão no futuro).

Outra consequência é o acúmulo de bactérias que podem causar uma série de problemas nas gengivas e dentinhos.

Por isso, é indispensável que os dentes sejam escovados e o bebê tenha acompanhamento do odontopediatra para avaliar a saúde bucal como um todo.

Ter um bom plano odontológico também pode ajudar. Veja aqui como escolher o melhor plano. 

Bons hábitos desde cedo

  1. O fato de começar a escovar os dentes do bebê desde cedo estimula a adoção de bons hábitos pelas crianças.
  2. O cuidado diário com os dentes é essencial para evitar uma série de problemas futuros, tais como cáries, placas bacterianas, tártaro, gengivite, periodontite etc.

  3. Além disso, quando já nos primeiros anos de vida as crianças são acompanhadas por um especialista, é possível prevenir ou tratar rapidamente problemas que podem se agravar com o passar do tempo.

Ficou com alguma dúvida sobre os cuidados com os dentes dos bebês? Compartilhe conosco e envie este artigo para seus amigos e familiares que também precisam ver essas informações.

Quer saber mais sobre saúde bucal? Veja nosso Blog ou deixe seu comentário.

Assistência Médica Integrada

O aparecimento dos dentes não é um daqueles marcos que acontecem de uma só vez. A mudança do sorriso desdentado para uma boca cheia de dentinhos é um rito de passagem que pode se estender pelos três primeiros anos de vida do seu filho.

A história começa dentro do útero. Durante a gravidez, o bebê adquiriu os chamados botões dentários, as fundações dos dentes-de-leite (ou dentes decíduos, no termo técnico).

Esses botões começam a romper a superfície da gengiva em algum momento entre os 3 e os 12 meses.

O mais comum é o primeiro dentinho — um sinal inegável de que seu bebê está crescendo — por volta dos 6 meses, que é também o momento em que a dieta dele passa a incluir alimentos sólidos. 

Quando tiver 3 anos, a criança terá muitos dentes, e já poderá escová-los sozinho de vez em quando (com um pouco de ajuda) — um passo importante no caminho da independência.

Quando acontece

Talvez você não saiba, mas um em cada 2.000 bebês já nasce com um dente — ou até dois! Mas a grande maioria das crianças tem o primeiro dentinho aos 6 ou 7 meses de idade.

Os mais precoces podem romper o primeiro dente (normalmente o incisivo central inferior) já com três meses, enquanto outros podem ter de esperar até quase 1 ano.

Os últimos dentes (os segundos molares, no fundo da boca) costumam já ter nascido no segundo ano de vida. Com 3 anos, seu filho deve ter o conjunto completo: 20 dentes-de-leite.

Como acontece

Para muitos bebês (e seus pais), a chegada do primeiro dentinho não é lá muito divertida. Pode ser um processo longo e exaustivo. Os primeiros sintomas — entre eles muita babação e uma boa dose de dor — começam um mês ou dois antes do grande evento.

Isso pode representar noites e noites em claro consolando a criança. Para aliviar o sofrimento, seu bebê pode começar a morder, mas não por hostilidade.

Para melhorar o incômodo, você pode dar a ele alguma coisa para morder, como mordedores ou coisas geladas, ou massagear a gengiva dele com seu dedo.

As gengivas também podem ficar inchadas quando os dentes vão romper, e as bochechas do seu filho parecerão um pouco maiores.

Embora os especialistas afirmem categoricamente que o nascimento dos dentes não causa febre nem diarréia, a maioria dos pais diz observar esse tipo de sintoma.

Como nessa fase também são comuns resfriados, gripes ou desarranjos intestinais, é melhor ficar de olho nos sintomas e levar a criança ao médico se ela não melhorar.

Para os mais sortudos (que não são tão poucos assim, felizmente), o nascimento dos dentes pode ser uma experiência quase indolor. Mas não deixa de ser uma transformação radical: numa semana seu neném tem um sorrisão desdentado, e na seguinte o branquinho já desponta na gengiva. Comemore o primeiro dentinho tirando muitas fotos, e anote a data do aparecimento como recordação.

A partir daí, os dentes vão surgindo um atrás do outro: primeiro os dois incisivos centrais de baixo, depois os dois de cima, em seguida os que ficam ao lado, e dali para o fundo. O desenvolvimento dos dentes é hereditário, por isso se você teve dentes cedo é provável que a mesma coisa aconteça com seu filho.

O que vem pela frente

Os dentes-de-leite só vão cair quando os permanentes estiverem prontos para irromper, por volta dos 6 anos de idade.

O que você pode fazer

Não há nada que se possa fazer para apressar o surgimento dos dentes, mas dá para aliviar o incômodo do bebê. Primeiro, dê à criança alguma coisa para morder, como um mordedor. Se ele estiver gelado, o alívio será maior. Alimentos frios também podem ser benéficos, como frutas e iogurte direto da geladeira. 

Se a dor for evidente, você pode dar ao seu filho a dose indicada de um analgésico infantil como o paracetamol, sempre seguindo as orientações prévias do pediatra. Caso seu filho esteja com febre, ou não consiga se acalmar, é melhor levá-lo ao médico — ele pode estar com alguma outra coisa, como por exemplo uma otite.

Quando os dentes aparecem, é preciso mantê-los limpos. Durante o primeiro ano de vida do seu filho, você não vai escovar de verdade os dentes dele, mas tente passar uma fraldinha limpa ou uma gaze neles pelo menos uma vez por dia — uma sugestão é incluir o hábito na rotina de antes de dormir. Existem também dispositivos para encaixar no dedo, exclusivamente para essa operação. 

Por falar em dormir, muitas vezes as crianças se acostumam a adormecer mamando. Tente evitar esse costume, porque os açúcares do leite (mesmo no leite materno ou no leite em pó sem adição de açúcar) podem fermentar, corroendo o esmalte dos dentes. Adiante a última mamada da noite um pouco, a fim de desvincular o leite do ritual de dormir.

A água do sistema público de abastecimento, ou seja, a água tratada que sai da torneira, já contém flúor. O bebê vai ingerir esse flúor nos alimentos que você preparar.

Como a quantidade de flúor nas águas minerais não é regulamentada, é preferível dar água filtrada e fervida ao seu filho, seja para beber pura ou para preparar a fórmula láctea em pó.

No caso de você só ter acesso a água de poço, pode ser necessário administrar flúor ao bebê. Pergunte ao médico se é o caso.

Quando tiver 1 ano e meio, seu filho pode começar a aprender a escovar os dentes. Você ainda terá que acompanhá-lo nessa operação por vários anos, mas é bom ele ir adquirindo o hábito. Você pode até dar uma escova extra para ele “brincar” de escovar enquanto você escova de verdade. 

Use uma escova macia e uma quantidade bem pequena de pasta de dente (mais ou menos equivalente a um grão de arroz). Não é preciso escovar em uma direção específica, já que a criança nem sempre colabora. Só tente retirar fragmentos de alimentos e limpar a superfície dos dentes e das gengivas.

Se seu filho não gostar do creme dental, tente outra marca.

É importante que a quantidade do creme dental seja mínima, para evitar que a criança engula o flúor, o que pode provocar uma condição chamada fluorose, que causa manchas nos dentes.

Os cremes dentais infantis já têm menos flúor que os adultos, mas todo o cuidado é pouco até que seu filho esteja maiorzinho e com maior capacidade de cuspir excesso de pasta.

Quando a criança exagerar nos doces, como numa festa de aniversário, por exemplo, tente fazê-la escovar os dentes logo depois de comer, ou então a incentive a comer alguma coisa salgada por último.

Especialistas sugerem que a primeira consulta no dentista aconteça perto do primeiro aniversário, para orientação.

O importante, no entanto, é encarar a ida ao dentista como uma prevenção, e não como solução quando os problemas e as cáries já tiverem aparecido.

Só depois de examinar a boquinha do seu filho e de conversar com você sobre histórico da família e hábitos alimentares é que o dentista poderá fazer recomendações específicas, como uso ou não de pasta com flúor e complementação de flúor no consultório.

Quando se preocupar

Os dentes de bebês prematuros podem demorar alguns meses a mais para nascer. Se seu filho fez 1 ano e não há nenhum sinal de dente, fale com o pediatra na próxima consulta. Caso seu bebê esteja com todos os sinais de que os dentinhos estão vindo — babando, com a gengiva inchada –, mas parece estar com uma dor excessiva (chorando inconsolavelmente, por exemplo), leve-o ao médico. 

Fonte: Baby Center

Primeiros dentinhos: entenda o processo de dentição do bebê – Mãe que ama

É claro que cada bebê é único e o seu desenvolvimento, assim como o nascimento dos seus dentinhos, pode variar, mas existe uma linha do tempo típica indicada como referência que pode ajudar os pais a passarem por esse período. A primeira dentição completa do bebê tem 20 dentinhos, 10 em cima e 10 em baixo, e todos eles já devem ter nascido até os 5 anos, fase em que os dentinhos de leite podem começar a cair, sendo trocados pelos definitivos.

O desenvolvimento dos dentes já começa antes mesmo do bebê nascer. Durante a oitava semana de gestação, os botões dentários começam a se formar debaixo da gengiva, permanecendo nesse estado ao longo do restante da gravidez e depois do nascimento.

A erupção deles inicia-se geralmente quando o bebê deixa de mamar exclusivamente, por volta dos 6 meses, sendo um marco de desenvolvimento importante. O processo tem início quando as raízes começam a crescer e empurram os dentes para cima.

Isso pressiona a gengiva do bebê, por isso pode causar algum desconforto.
O primeiro dentinho do bebê pode nascer entre os 6 e os 9 meses de vida, no entanto, alguns bebês podem chegar a 1 ano e ainda não ter nenhum dentinho.

Esses casos devem ser avaliados pelo pediatra e também pelo dentista.

Essa ordem ocorre de acordo com as alterações do tipo e consistência do alimento dado ao bebê. Os dentes incisivos cortam os alimentos, os caninos são responsáveis por furar e rasgar os alimentos e os molares por esmagar.

Sintomas

A erupção dos dentes do bebê pode causar dor nas gengivas e inchaço e por isso a criança pode apresentar alteração do sono, aumento da salivação, coceira nas gengivas e irritabilidade.

É possível observar no mesmo período, diarreia, infecções respiratórias e febre, sintomas que que, em geral, não estão relacionados com o nascimento dos dentes mas sim com os novos hábitos do bebê, como colocar as mãos e objetos sempre na boca, ou estar na fase em que tem mais contato com outras crianças.

Como aliviar o desconforto?

Os mordedores são ótimas opções, já que que ajudam a criança a coçar a gengiva. Alguns modelos podem ser colocados na geladeira. A baixa temperatura reduz a inflamação e o inchaço das gengivas, diminuindo o mal-estar e ajudando a amenizar a dor.

Também pode-se dar ao bebê alimentos frios, como maçã ou cenoura frias, cortadas em formato grande para que não engasgue de maneira que ele consiga segurar, sempre sob vigilância.

Pomadas com anestésicos não são recomendadas, pois podem causam efeitos adversos.

Como cuidar?

Deve-se limpar a boca do bebê antes mesmo do nascimento dos dentes. Recomenda-se a limpeza da gengiva, bochecha e língua com fralda ou gaze umedecida em água filtrada ou fervida, com a finalidade de criar hábitos de higienização.

Quando começarem a nascer os dentes de leite da frente, a limpeza deve ser feita com gaze ou fralda umedecida em água limpa.

Logo que começarem a nascer os dentes de trás, a limpeza dos dentes e da língua deve ser feita com escova de dente pequena, macia, sem pasta de dente, apenas molhada em água filtrada ou fervida. A escova deve ser trocada quando estiver gasta.

Recomenda-se também o uso do fio dental. Os adultos devem escovar os dentes das crianças até que elas aprendam a escová-los corretamente.

Importante:

A primeira consulta do bebê no dentista deve acontecer logo após o aparecimento do primeiro dentinho. ????

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*