Como Fazer Um Curriculo Quando Não Se Tem Experiencia?

Você está em busca de recolocação no mercado de trabalho ou pensa em mudar de área para conquistar melhores oportunidades, mas não possui experiência? Então você deve estar se perguntando qual a melhor forma de aplicar para processos seletivos sem muita bagagem. Mas saiba que existem várias dicas sobre o que colocar no currículo quando não se tem experiência.

O currículo – ou curriculum vitae, como também é conhecido – é considerado um documento fundamental para quem está em busca de trabalho, servindo não apenas como um resumo do que você já fez profissionalmente, mas uma carta de apresentação sobre quem você é e o que almeja conquistar na carreira. Deixar claro para onde você quer ir no mercado de trabalho é essencial na corrida pela tão sonhada recolocação.

Você sabia que é possível enriquecer o seu currículo com estágios, voluntariado e até mesmo projetos extras que você tenha se envolvido durante o colégio ou a faculdade? O mais importante é mostrar aos recrutadores todas as suas experiências prévias, independentemente de já ter trabalhado na área que você deseja.

No texto de hoje, vamos ajudar você a montar um currículo interessante para quando não se tem experiência na área, com dicas e técnicas que funcionam! Vamos nessa?

Como Fazer Um Curriculo Quando Não Se Tem Experiencia?

Escreva algumas linhas de apresentação

A base de um currículo profissional sempre começa com uma breve apresentação, e nela você colocará seus dados básicos: nome, idade, telefone, e-mail e a cidade onde reside atualmente. Apresente-se para o recrutador como se estivesse em uma entrevista cara a cara. Faça um resumo de no máximo quatro linhas sobre as suas habilidades e pretensões de carreira.

A etapa de apresentação serve como um resumo do que será apresentado mais detalhadamente a seguir.

Você pode até mesmo incluir alguma curiosidade sobre a sua formação, habilidades que considere relevantes para a sua formação.

Você gosta de ensinar outras pessoas sobre algum tema específico? Então pode ser que você seja ótimo em trabalhos coletivos e de ajuda mútua. Ressalte suas qualidades!

Se você optar por criar um currículo digital, ainda pode incluir no topo, junto da apresentação, alguns links que direcionam para o seu e-mail pessoal, para um portfólio de materiais ou até mesmo para a sua rede social profissional – o Linkedin é hoje a mais utilizada para este fim.

Destaque sua formação acadêmica e extracurricular

Para fazer um currículo quando não se tem experiência na área, antes de apresentar suas experiências profissionais propriamente ditas, é recomendado que você entregue um breve resumo de toda a sua formação. E aqui você não precisa limitar-se apenas ao universo acadêmico: cursos, aulas de idiomas, projetos pessoais, participação em eventos e atividades extracurriculares também ganham pontos para os recrutadores.

Aliás, a dica sobre os cursos livres é uma das que mais enriquecem o currículo de quem não possui muita experiência profissional. Recrutadores valorizam muito aqueles que buscam especializações e atualizações sobre a área que desejam aplicar, ou mesmo que se arriscam em aprender para além do alcance da sua formação.

Caso você deseje mudar de área, mas ainda não tenha experiência prática na profissão, comece por enriquecer os seus conhecimentos técnicos.

Um exemplo: se você é formado em Geografia, mas deseja mudar sua área para Direito, que tal um curso relacionado à área da Geografia Jurídica? Dessa forma, você pode fazer a transição de carreira de forma gradual.

Como Fazer Um Curriculo Quando Não Se Tem Experiencia?

E se a grana estiver apertada, não se preocupe! Hoje, com a internet cada vez mais amiga de quem deseja aprimorar seus conhecimentos, é possível encontrar diversos cursos online gratuitos para fazer sem sair de casa – e com emissão de certificado!

Na hora de organizar os cursos no currículo, lembre-se de listá-los sempre na ordem do mais recente para o mais antigo, de preferência neste formato: Nome do curso + Instituição + Ano de formação + Horas de curso – caso possua.

Coloque experiências em atividades profissionais relacionadas

Muita gente pode pensar que essa é a parte principal de um currículo, mas como você pode ver anteriormente, há diversas outras etapas igualmente importantes.

Se o seu objetivo é montar um currículo pela primeira vez sem nenhuma experiência profissional, a dica para esta etapa é focar em estágios que você tenha aplicado durante a faculdade ou mesmo projetos relacionados.

Lembre-se de ser verdadeiro na montagem do currículo, mesmo quando você não tem experiência.

Inventar cargos e atividades que não exerceu pode gerar uma bola de neve de mentiras mais para a frente.

Independentemente do recrutador descobrir ou não, você pode acabar sendo exigido de acordo com o que foi citado e gerar um clima ruim para si mesmo e para a empresa que confiou no seu trabalho.

Os recrutadores e supervisores valorizam – e muito – a honestidade do candidato, logo caso não tenha experiência na área almejada, seja transparente sobre, e use como recurso a sua enorme vontade de aprender e crescer na profissão. Se você já possui experiência em uma área, mas deseja mudar de carreira, não deixe de valorizar as suas conquistas anteriores.

Caso possua experiências profissionais, liste-as na mesma formatação que as experiências acadêmicas: sempre da mais recente para a mais antiga.

Como Fazer Um Curriculo Quando Não Se Tem Experiencia?

Adicione experiências em trabalhos voluntários

Essa é uma excelente dica, tanto para quem está ingressando no mercado de trabalho como para quem procura novos desafios.

Você já realizou algum trabalho voluntário? Se sim, vale muito a pena citar aqui.

E se você nunca participou de algum projeto voluntário, saiba que essa é pode ser uma oportunidade incrível para você adquirir vivência e ainda ajudar quem mais precisa.

Você pode entrar em contato com a Prefeitura da sua cidade para se informar sobre centros comunitários e/ou campanhas que necessitam de ajudantes. Existem diversas áreas que recrutam voluntários: eventos municipais, projetos sociais, aulas de ensino básico para crianças carentes, campanhas de arrecadação, cuidados com animais resgatados e muitos outros.

Destaque outras habilidades correlatas

Depois de descrever as suas experiências profissionais – estágios, empregos ou mesmo projetos voluntários –, você pode enriquecer seu currículo com habilidades e domínios que tenha adquirido ao longo da vida.

Fique ligado nessa dica: as famosas soft skills estão em alta no mercado de trabalho.

Ao contrário das habilidades técnicas, essas estão mais relacionadas à maneira como você se comporta perante os outros e fortalece o seu desenvolvimento pessoal.

Como você lida com a ansiedade durante uma negociação com o seu chefe? Você consegue agir com inteligência emocional perante uma situação de nervosismo no ambiente de trabalho? Desenvolver habilidades como empatia, criatividade, oratória e liderança abre portas no mercado. Muitas vezes, saber se comunicar de maneira persuasiva, além do tato para negociar, vale mais do que uma experiência profissional propriamente dita.

Como você avaliaria a sua produtividade para lidar com as demandas de trabalho? Uma pessoa bem organizada pode fazer uma enorme diferença em ambientes de trabalho de ritmo frenético. As soft skills são habilidades que adquirimos não apenas no ambiente corporativo, mas durante o nosso dia a dia.

E na sua vida pessoal, como é a comunicação com familiares e amigos? Como você resolve situações de apuro com as crianças em casa? Você sabe organizar bem o seu tempo para trabalhar, cuidar da família e aproveitar momentos de lazer? Note que essas habilidades pessoais podem servir de grande valia para a sua carreira profissional.

Liste no seu currículo algumas habilidades pessoais que você considera importantes para o seu desenvolvimento. E não esqueça de investir nesse campo de maneira constante.

Nosso sucesso no mercado de trabalho começa com uma boa preparação interna.

Aprimore sua oratória, fortaleça a empatia e cuide do seu bem-estar pessoal para o trabalho não se tornar um fardo no seu dia a dia.

Dicas para fazer um bom currículo quando não se tem experiência

Agora que você já conhece todos os elementos que devem fazer parte de um currículo de quem não tem experiência, é preciso atentar-se a algumas regras ortográficas e de formatação para deixá-lo visualmente bem apresentável. É importante que você organize as informações de maneira legível, pensando sempre em atrair uma boa compreensão por quem for analisá-las.

Por isso, separamos algumas dicas para você escrever o seu currículo da melhor maneira e conquistar uma boa oportunidade de emprego no mercado de trabalho.

Como Fazer Um Curriculo Quando Não Se Tem Experiencia?

Cuidado com as informações

Lembra-se da apresentação lá do início do texto? Essa é a primeira etapa do seu currículo, e por isso é importante que você não exagere nas informações. Evite divulgar dados muito específicos, como documentos pessoais, fotos que não sejam 3×4 ou mesmo um e-mail, digamos, não muito profissional.

Nada de divulgar aquele endereço eletrônico engraçadinho que você utilizava na época da adolescência, hein? Por via das dúvidas, crie um e-mail sólido para utilizar de maneira corporativa, de preferência no formato [email protected] + o servidor que preferir – Gmail, Outlook etc.

Você pode basear-se em alguns modelos encontrados online para montar seu currículo de maneira personalizada. Há diversos templates disponíveis na internet, basta escolher o mais adequado e preenchê-lo com as suas informações.

Menos é mais

Preencher dezenas de folhas com informações não torna o seu currículo mais atraente; pelo contrário. Um bom currículo é aquele que consegue sintetizar a sua carreira acadêmica e profissional de maneira limpa e bem distribuída. Há quem diga que o ideal é não passar de duas páginas.

Leia também:  Como Organizar Músicas Na Ordem Que Quiser Em Seu Pendrive?

Pretensão salarial só no momento da entrevista

  • Se você está em busca de um trabalho, divulgar a sua pretensão salarial no currículo pode limitar suas opções, afinal o mercado é abrangente e as empresas se baseiam em critérios diferentes para estabelecer o pagamento de seus funcionários.
  • Se a ideia é enviar currículos para vários lugares diferentes, você não quer ser eliminado do processo seletivo por pedir um valor fora da realidade daquela empresa, não é mesmo?
  • Deixe para negociar o salário na etapa da entrevista, após ser apresentado à realidade da empresa que está contratando e até mesmo de entender se essa vaga é mesmo o que você procura.

Revise o português

Essa etapa é fundamental! Antes de sair enviando o seu currículo para as vagas pretendidas, lembre-se de revisá-lo de acordo com as regras gramaticais vigentes no Brasil, para não cometer nenhuma gafe ortográfica.

Currículo sem experiência: veja 5 coisas para deixá-lo atrativo!

Ter um CV bem elaborado e caprichado é fundamental para conquistar boas oportunidades de emprego. Mas será que um currículo sem experiência consegue despertar a atenção dos recrutadores?

Se você está tentando montar o seu, mas ainda não trabalhou e não sabe o que colocar, fique tranquilo. Saiba que existem diversas maneiras de deixar o documento atraente. Ou seja, um currículo sem experiência pode, sim, ser diferenciado e interessante.

Pensando em aumentar as suas chances de conseguir o primeiro estágio ou emprego, preparamos este post com dicas de o que colocar no currículo sem experiência.

Vamos conferir?

Dê destaque máximo ao seu curso de graduação

A formação acadêmica é uma das primeiras informações que os recrutadores observam em um currículo. Ao cursar uma graduação, você deixa evidente que está buscando qualificação profissional para lidar com as demandas das empresas. Além disso, mostra que tem ou está desenvolvendo habilidades muito bem-vistas pelo mercado de trabalho.

Quando se trata de um currículo sem experiência, ter uma graduação em andamento ou concluída se torna ainda mais importante. Afinal, sabemos que um curso de nível superior já não é um diferencial, mas uma exigência básica para certas áreas.

A escolha da instituição de ensino também faz toda a diferença em qualquer currículo. Por isso, busque cursar a graduação em uma faculdade que foca o sucesso do aluno e facilita seu ingresso no mercado de trabalho. Aqui na Unopar, temos o Canal Conecta, portal de vagas exclusivo. Interessante, não é mesmo?

Enfatize seu objetivo profissional

O campo “objetivo profissional” é um dos mais importantes do currículo diferenciado. Seguindo o modelo básico de um CV, ele deve estar localizado logo abaixo dos seus dados pessoais e de contato — nome completo, idade, estado civil, endereço, telefone e e-mail.

Como você ainda não tem experiência de trabalho, preste bastante atenção nesta etapa. Um bom currículo deve apresentar um direcionamento para o cargo ou setor desejado, de forma em que a empresa entenda qual é sua área de interesse e consiga aproveitá-lo do melhor modo possível. Aqui, uma dica é fazer um exercício de autoconhecimento.

Analise as suas habilidades para compreender qual cargo é o mais apropriado para você. Por exemplo, caso tenha facilidade em lidar com o público, pode ser que uma posição de assistente de vendas combine com seu perfil. No entanto, se prefere ficar “nos bastidores” e lidar com números e documentos, por exemplo, pode ser um bom auxiliar administrativo.

Por fim, uma dica de ouro é ser claro e direto, sem enrolar nesta seção. Um exemplo de objetivo profissional para carta de apresentação ou currículo para vaga sem experiência seria:

Meu objetivo é integrar a equipe do setor (x). Com as habilidades desenvolvidas ao longo da minha formação, acredito que poderei colaborar com os resultados da empresa.

Liste cursos e certificações relevantes

Para um currículo sem experiência, todas aquelas atividades e certificações que têm a agregar pessoal e profissionalmente fazem a diferença, acredite! Caso ainda não tenha certificados para listar no CV, não se preocupe. É completamente possível reverter essa situação e investir nas seguintes atividades:

  • cursos livres — são opções práticas e interessantes de enriquecer o currículo e adquirir conhecimento. Como a maioria é ofertada na modalidade EAD, fica muito mais fácil adaptá-los à rotina e estudar de acordo com o tempo que tem disponível;
  • cursos de idiomas — ter proficiência em uma segunda língua, sobretudo o inglês, se tornou uma exigência de mercado. Sendo assim, aposte em um curso de idiomas e potencializar suas oportunidades de conquistar um bom emprego;
  • intercâmbio — hoje, existem tipos de experiências internacionais para os mais diversos orçamentos e objetivos. Você pode fazer um intercâmbio work and study (trabalhe e estude) para custear parte do programa, um curso de idiomas de curta duração, entre outras opções. O melhor de tudo é que, ao final, conquista não só experiência, mas um certificado que certamente abrirá muitas portas futuramente;
  • eventos — palestras, workshops, seminários, oficinas… a participação em eventos profissionais relacionados com a sua área de atuação conta muitos pontos em um currículo sem experiência. Sendo assim, fique de olho na agenda de sua cidade para não perder nenhuma oportunidade.

Conte sobre trabalhos voluntários

Além de realização e satisfação pessoal em ajudar ao próximo, os trabalhos voluntários são muito bem-vistos pelos empregadores. Afinal, em meio a rotinas atribuladas de trabalho e estudo, quem utiliza do próprio tempo para fazer o bem e auxiliar determinadas causas demonstra empatia, proatividade, organização, entre outros tipos de habilidades.

Lembre-se de que, mesmo não remunerado, você está prestando um serviço. Sendo assim, conte em seu currículo sobre todos os trabalhos voluntários que participa ou participou.

Caso ainda não tenha ajudado nenhuma causa, dê uma olhada nas redes sociais e peça indicação a amigos e conhecidos.

Há sempre algum lugar de portas abertas para receber a sua ajuda — como ONGs, casas de repouso, lar de animais abandonados, orfanatos etc.

Mostre suas habilidades

Para quem não tem nenhuma experiência no mercado, listar suas habilidades no currículo é mais que essencial. Este já é um campo muito importante do documento. Porém, quando se está em busca do primeiro emprego, é algo que os recrutadores redobrarão a atenção, de modo a entender se você tem o que é necessário para preencher a vaga naquela empresa.

Lembra que comentamos que você deve dar destaque à sua graduação? Pois, aqui, mais uma vez a importância do curso superior entra em cena, já que muitas habilidades e competências são desenvolvidas ao longo de uma formação. Pense: o que você sabe fazer de melhor? Quais são os seus pontos fortes?

Algumas habilidades apreciadas em um currículo incluem:

  • boa comunicação;
  • facilidade em trabalhar em equipe;
  • bom relacionamento interpessoal;
  • proatividade.

No entanto, lembre-se de que esses são exemplos. Inclua em seu currículo apenas aquilo que for verdadeiro, combinado?

Separe um tempo para essa atividade!

Viu só como montar um currículo sem experiência não é algo tão complicado quanto parece? Seguindo as dicas do post e, acima de tudo, sendo sincero nas informações que inserir no documento, você tem tudo para despertar o interesse dos recrutadores e ser chamado para uma entrevista de emprego.

Por falar nisso, se preparar para esse momento nunca é demais. Por isso, confira agora mesmo nosso post com dicas para escolher a roupa para entrevista de emprego.

Não tem experiência de trabalho? Veja dicas para fazer seu 1º currículo

A busca por trabalho quase sempre começa pela elaboração do currículo. A situação, porém, pode ser mais difícil para quem procura o primeiro emprego e vive um dilema: empresas querem candidatos com experiência, mas, para ter experiência, é preciso que alguém os contrate.

Especialistas consultados pelo UOL dizem que há maneiras de contornar o espaço em branco no campo “experiência” do currículo, valorizando sua formação educacional e citando bicos, por exemplo. Confira o passo a passo.

Imagem: Getty Images

O campo de dados pessoais deve conter apenas nome completo, data de nascimento, estado civil e contatos (telefone e e-mail).

O contato é muito importante e, nesse caso, quanto mais, melhor, segundo Luciana Koyama, coordenadora do Espro, empresa de ensino profissionalizante para jovens.

Ela sugere colocar, além de telefone fixo e celular pessoal, pelo menos dois telefones de pessoas próximas que possam receber recados, como familiares.

Isso pode ajudar no caso de o recrutador não conseguir falar diretamente com o candidato.

É preciso escrever o nome dessas pessoas no currículo, para o recrutador saber com quem irá falar, além de avisá-las de que estão sendo indicadas para receber possíveis recados em seu nome.

Ainda sobre os dados pessoais, a recomendação é colocar a data de nascimento em vez da idade, porque o recrutador pode ficar com seu currículo por um tempo, chamando para oportunidades futuras. Assim, o currículo continua atualizado.

Objetivo: seja direto e claro

Imagem: Getty Images

Escreva um parágrafo curto e direto, mostrando áreas em que deseja atuar e seu objetivo profissional. O cuidado nessa parte é não ser muito específico, perdendo possíveis oportunidades, nem muito amplo ou variado, mostrando falta de foco na carreira.

Formação: valorize cursos e habilidades

Imagem: Arte/UOL

Sem experiência profissional, o jovem deve ter atenção especial ao campo de formação, onde descreve seu nível acadêmico e cursos que fez. Nesse caso, vale colocar tudo, como cursos de idiomas e informática, profissionalizantes e especializações. É possível também descrever habilidades que aprendeu.

Leia também:  Como Se Chama O Liquido Que Sai Antes Da Ejaculaçao?

“Todo mundo coloca que tem conhecimento de pacote Office. Descreva experiências. Exemplo: 'realização de apresentação em Power Point apresentando projeto de marketing de empresa fantasia', por exemplo”, afirma Eduardo Bahi, consultor de carreira da Thomas Case & Associados, empresa de recrutamento.

Trabalho de conclusão de curso (TCC) e trabalhos que desenvolveu na faculdade ou em outros cursos também podem ser destacados, como forma de demonstrar habilidades aprendidas. “É muito válido. Um TCC, dependendo de como é feito, dá uma baita visão sobre determinado assunto”, diz Patrícia Sampaio, especialista em RH do site Vagas.com.

Experiência: bicos também contam

Imagem: Stefan/Arte UOL

Estar em busca do primeiro emprego não significa, necessariamente, que não teve experiências profissionais válidas para colocar no currículo.

“Pode falar de experiências informais, como bicos, ou até ajuda em empresas de parentes. Trabalhos que fez sem carteira assinada, coisas que, em um currículo de alguém mais experiente, não seria aconselhável colocar”, afirma Ricardo Karpat, especialista em recursos humanos e marketing.

Experiência em empresa júnior da faculdade também pode ser citada, assim como trabalhos voluntários que praticou (ou buscar trabalhos voluntários, caso não tenha feito, como forma de ganhar experiência).

Para quem teve oportunidade de fazer um intercâmbio ou morou fora do país, é importante descrever o que fez e viveu, citando habilidades que desenvolveu ou experiências que teve e possam ser relevantes profissionalmente.

Nunca minta ou enrole

Imagem: Doki/Arte UOL

  • O medo de entregar um currículo muito vazio pode levar à tentação de enrolar ou, pior, mentir, o que pode ser facilmente identificado pelo recrutador.
  • Escrever informações irrelevantes ou não ser objetivo nas descrições também é ruim, porque o selecionador não gasta muito tempo analisando cada currículo e precisa identificar o que é importante rapidamente.
  • Outro problema comum são os erros de português, que devem ser eliminados.

5 tipos de currículo para quem não tem experiência

Olá, leitor(a)!

O mercado de trabalho, muitas vezes, exige tanta experiência que nem sabemos direito o que devemos colocar no currículo. E, quando não se tem experiência, as dúvidas ficam ainda maiores.

É certo que um currículo bem montado pode ser o ponta pé inicial para abrir a porta das oportunidades para quem não tem experiência, mas é preciso ser objetivo e não colocar informações desnecessárias apenas para ocupar espaço. Existem muitos modelos de currículos que podem ser utilizados nesse momento. Leia o artigo e confira cada um deles.

Fazer um currículo nem sempre é fácil, ainda mais quando não se tem experiência para descrever e preencher um currículo, mas é importante lembrar que hoje com a internet podemos encontrar muitas alternativas e dicas de como montar um currículo para quem ainda não tem experiência.

Cada currículo pode ter uma finalidade diferente e conhecer o melhor tipo de acordo com a oportunidade que está buscando é a melhor maneira quando não se tem experiência, alguns modelos de currículos mais utilizados são:

  • Currículo profissional para Word: esse modelo de currículo é um dos mais utilizados seja por quem tem experiência ou para quem não tem, nele é detalhado desde dados pessoais até mesmo especificações relacionadas a pessoas que possam dar referências sobre a sua pessoa, é um currículo muito fácil de preencher;
  • Currículo para estágio: é um currículo que pode ser feito no Word e que é direcionado a quem busca uma oportunidade de trabalho na área de atuação e muitas pessoas não possuem experiência, esse currículo tem 8 campos para ser preenchido, mas nem sempre todos são preenchidos em caso de falta de experiência, o importante é sempre ser sincero e objetivo;
  • Currículo em inglês: muitas pessoas possuem boa formação, mas nenhuma experiência e mesmo assim tem a oportunidade de tentar oportunidades fora do país através de um currículo elaborado especificamente para esse tipo de pessoa, esse tipo de currículo é bem complexo e precisa tem fluência no idioma, todos os dados inseridos são importantes para análise de um recrutador americano;
  • Currículo para Desenvolvedores: esse tipo de pessoa geralmente está saindo da faculdade ou ainda estudando e nem sempre com experiência, sendo um currículo bem mais básico de apenas uma página e com dados necessários para contato, cursos e objetivos profissionais;
  • Curriculum vitae: esse currículo apesar de parecer bastante com outros ele é mais completo, levando informações mais detalhadas direcionadas em especial para setores de RH´s que geralmente são bem mais rigorosos, é importante colocar todas as informações necessárias e opções de contatos, cursos, e bicos como experiência, idiomas, carta de apresentação e etc., mas sem exageros.

+ Conheça o “Curso Emprego pela Internet” e aumente em 70% suas chances de ser contratado. Neste curso, você vai aprender como usar a internet para conquistar um emprego.

Dicas para montar um bom currículo para quem não tem experiência

Para quem não possui nenhuma experiência, montar um currículo profissional nem sempre é uma tarefa fácil, afinal o intuito é sempre impressionar ainda mais quando não se tem experiência, mas é preciso tomar certos cuidados para não exagerar.

Depende da finalidade do seu currículo é importante seguir algumas dicas ao preencher para entregar em uma determinada empresa, algumas dicas do que realmente é necessário colocar em um currículo podem ajudar a montar um bom currículo que venha gerar oportunidades imediatas, veja:

  • Defina o tipo de currículo que está montando, estágio, profissional;
  • Coloque os seus dados pessoais e até mesmo links para redes sociais, isso pode ajudar em determinadas áreas;
  • Não é preciso informar documentos como RG e CPF;
  • Defina em poucas linhas a área de atuação que tem interesse em atuar;
  • Informe cursos ou formação que tenha;
  • Seja objetivo;
  • Se fez bicos ou estágios relacionados a área é bom colocar como experiência.

Veja 8 Modelos de Currículo para Você Baixar grátis!

Até logo!

5 dicas para montar um currículo sem experiência

Quando surge o momento de procurar o primeiro emprego, muitos jovens se questionam: “Como conseguir uma oportunidade de trabalho sem ter experiência profissional?” Se você está passando por esse dilema, relaxe! Nem sempre é fácil conseguir um emprego sem bagagem profissional, mas ingressar no mercado de trabalho pode ser muito mais fácil por meio de um bom currículo.

Pensando em ajudá-lo nesse importante momento da sua vida, hoje selecionamos 5 dicas para montar um currículo sem experiência profissional. Com elas, você certamente estará preparado para abrir as primeiras portas da sua carreira. Confira!

1. Seja verdadeiro ao montar o seu currículo

Sem experiência, fica difícil conseguir um emprego, e sem emprego fica ainda mais difícil adquirir experiência. Esse é um dos impasses mais clássicos na busca do primeiro emprego na vida de muitos jovens, e é o que acaba levando algumas pessoas a cometerem um dos piores erros ao montar um currículo: mentir!

Mentir é uma atitude pouco inteligente na hora de elaborar o seu currículo. Por mais que você precise trabalhar, cedo ou tarde você poderá ser descoberto ocultando ou inventando informações, seja durante uma entrevista de emprego ou na realização de exames práticos aplicados por algumas empresas.

Ser honesto, absolutamente sincero e confiar na sua capacidade podem ser características consideradas muito mais importantes para uma empresa do que algumas informações contidas no seu currículo. Comece com o pé direito, seja honesto no seu currículo e evite passar por situações constrangedoras ou ser pego na mentira na busca por um lugar no mercado de trabalho.

2. Destaque o seu objetivo profissional

Sem experiência no mercado de trabalho, pode parecer difícil destacar algum objetivo profissional em seu currículo. Contudo, todos nós possuímos alguma qualidade ou habilidade que pode ser muito bem aproveitada dentro de uma empresa, e esse é o ponto que deve ser explorado ao preencher o campo de objetivos profissionais do seu currículo.

Se você tem facilidade no trato com as pessoas, por exemplo, que tal direcionar o seu objetivo profissional para a área de vendas ou atendimento ao cliente? Ou então, caso você seja um expert com números, mostre à empresa que possui interesse em atuar em áreas que envolvam essa habilidade, como o departamento financeiro.

Além disso, um currículo vago e pouco objetivo deve ser evitado a todo custo. Evite mencionar expressões do tipo “sou uma pessoa criativa” ou “sou curioso”. Fazer com que os outros saibam o que você quer é muito importante.

3. Cite as suas experiências profissionais

Mesmo que você tenha apenas realizado um “bico” em algum comércio da sua cidade, trabalhado em alguma empresa da família ou comercializado produtos de forma autônoma, coloque tudo isso em seu currículo. As empresas consideram essas experiências na hora de avaliar um candidato e estimam pessoas que gostam de desafios, têm força de vontade, são interessadas e sempre dispostas a aprender.  

Mesmo algumas experiências não profissionais ou relacionadas ao mercado informal, como um intercâmbio fora do país e trabalho voluntário, podem e devem ser mencionadas em seu currículo. Além de válidas, essas experiências são muito valorizadas pelas empresas por se tratarem de poderosos diferenciais em relação aos demais candidatos.

Em cada caso, especifique aquilo que desempenhou durante esses períodos ou o que aprendeu, como por exemplo um novo idioma, além de outros detalhes que possam dar ao recrutador uma noção melhor das habilidades e conhecimentos que você adquiriu em cada uma das suas experiências.

Leia também:  Como Evitar Que O Peixe Agarre Na Grelha?

4. Aponte os cursos que você possui

Já que você não conta com experiência profissional, é necessário mostrar às empresas que existe um diferencial em você e que ele poderá ser utilizado no exercício de suas atribuições, caso seja contratado.

Cursos de informática, idiomas, cursos técnicos, graduação ou quaisquer outros cursos que você já tenha realizado e que sejam pertinentes ao universo profissional poderão se tornar um bom diferencial no seu currículo. Mesmo que você ainda não tenha concluído um curso de graduação, por exemplo, vale mencionar no seu currículo a sua área de estudos e a previsão de término do curso.

Atente-se apenas para não encher o seu currículo com informações desnecessárias, como notas escolares ou premiações de honra ao mérito do ensino médio. Lembre-se que recrutadores de empresas geralmente têm uma pilha enorme de currículos em mãos para analisar, e quanto mais objetivo e sucinto for o seu, mais chances ele terá de chamar a atenção de seu possível empregador.

5. Cuidado com algumas gafes

Na tentativa de suprir a falta de experiência, muitas pessoas costumam inserir em seus currículos informações desnecessárias e em alguns casos prejudiciais para uma seleção de emprego. Veja alguns exemplos e evite-os ao montar o seu currículo:

  • Título: Não é necessário escrever “curriculum vitae” ou “currículo” no topo da página. O recrutador já conhece a natureza do documento;
  • Pretensão salarial: Esse ponto pode ser conversado no momento da entrevista, mas inserir a sua pretensão salarial no corpo do currículo não é recomendado;
  • Dados pessoais: Não existe a necessidade de mencionar números de documentos pessoais, dados do cônjuge ou parentes;
  • Certificados e diplomas: Eles podem acompanhá-lo em uma entrevista, e então, caso o recrutador queira conhecer melhor algum detalhe da sua formação, você pode apresentá-los. Mas a cópia desses documentos não precisa acompanhar o seu currículo;
  • Menos é mais: Mantenha o seu currículo o mais formal possível. Nada de desenhos, fundos coloridos, letras com fontes “exóticas” ou fotografias (exceto se for uma exigência da empresa, no caso das fotos). As empresas ainda preferem um currículo tradicional, sem inovações. 

Evitando essas e outras possíveis gafes, você torna o seu currículo mais profissional, aumentando as chances de ser convocado para um entrevista e ser efetivamente contratado.

Esperamos que com essas dicas simples você consiga otimizar o seu currículo e se dar bem nas entrevistas de emprego. Lembre-se sempre de manter a perseverança, confiança nas suas habilidades e persistir na busca dos seus objetivos que você estará no caminho certo para o sucesso.

Siga-nos também nas redes sociais e fique por dentro de todas as nossas novidades e informações!

Saiba como montar o seu primeiro currículo (mesmo sem experiência)

Você quer começar a trabalhar e conquistar sua independência pessoal e financeira, mas sente que não tem as habilidades e experiências necessárias para a vaga que deseja? Ou tem receio de entregar um currículo vazio e dele ser descartado pelos recrutadores?

Você não está só. Saiba que esses são medos comuns na vida dos jovens em busca do primeiro emprego. Pensando nisso, preparamos 8 dicas de como criar o seu primeiro currículo, mesmo sem experiência. Acompanhe e se destaque no mercado de trabalho!

Comece pelas informações pessoais, mas sem exagero

Ao receber um currículo, a primeira coisa que o recrutador vê são os dados pessoais do candidato, que devem ser vir como um cartão de visita, informando de forma direta e rápida:

  • nome completo;
  • estado civil;
  • idade;
  • endereço, incluindo CEP;
  • formas de contato, como telefone residencial, celular, e-mail;
  • endereços de redes sociais.

Porém, é importante ter atenção nessa etapa para não exagerar ou colocar itens desnecessários, que farão o seu currículo ser descartado. Por isso, evite:

  • números de documentos pessoais, como CPF e RG;
  • fotos, a não ser se solicitado no anúncio. Nesse caso, ela deve ser em formato 3×4;
  • endereços pouco profissionais de e-mails, como [email protected] Prefira [email protected]

Defina um objetivo profissional

O segundo passo na elaboração do seu primeiro currículo é definir qual o seu objetivo profissional. Mas, o que escrever? O ideal é que você tenha clareza e direcione o objetivo à vaga. Evite escrever coisas como:

  • Desejo conquistar a minha independência pessoal em um ambiente de trabalho que traga oportunidades de crescimento.

Um texto assim soa vago, não diz nada. Supondo que você esteja tentando uma vaga de vendas em uma loja, você pode escrever algo como:

  • Desejo atuar na área de vendas, aprimorando as minhas habilidades comerciais e ganhando experiência em lidar com o público.

Destaque a sua formação acadêmica e extracurricular

O próximo passo é destacar a sua formação acadêmica. Não se contente apenas em informar onde você cursou o ensino médio ou o curso superior.

Por exemplo, se você estuda Letras, um curso extracurricular em Linguagem de Sinais (LIBRAS) ou Criatividade na Escrita contam como importantes diferenciais que complementam a sua formação acadêmica. O mesmo vale para Palestras e Workshops relacionados à vaga desejada.

  • Esse é um momento de mostrar que, mesmo que lhe falte experiência profissional, você está sempre em busca de aprendizados e tem um foco de carreira definido, isso enriquecerá bastante o seu primeiro currículo e vai diferenciá-lo dos concorrentes.
  • Ao preencher esse campo, você deve começar da formação mais recente para baixo, sempre preenchendo o nome do curso, da instituição e o ano de conclusão ou previsão de término.
  • Não se esqueça também dos conhecimentos de idiomas, sendo realista em seu domínio da língua. Por exemplo:
  • Inglês — Ípsilon Idiomas —  2015Nível Intermediário em Leitura, com facilidade em escrever pequenos parágrafos. Nível básico em conversação.

Mencione sua experiência com trabalhos voluntários

Caso você já tenha feito trabalho voluntário ou pequenos serviços, mesmo que informalmente, como ajudar em um comércio local, é importante destacar essas informações em seu currículo. Os recrutadores valorizam candidatos que demostram aproveitar as oportunidades que surgem para se desenvolverem pessoal e profissionalmente.

Destaque suas qualificações profissionais

Ao escrever o primeiro currículo, o campo “Experiência Profissional” pode ser substituído pelas suas qualificações, as características e conhecimentos que você acumulou ao longo dos anos e que o ajudarão na vaga pretendida.

Assim, você precisa fazer um exercício de autoconhecimento. Pense nas atribuições da vaga que você está disputando, quais as habilidades e competências que ela exige e que você possui?

Por exemplo, uma vaga como “Estágio em Social Media” exige candidatos que tenham afinidade com redes sociais, facilidade em escrever para públicos distintos e conhecimentos em métricas como engajamento, entre outros. E você percebe que possui as seguintes qualificações, se:

  • é heavy user das redes sociais
  • relaciona-se bem com as pessoas;
  • tem conhecimentos em ferramentas como Photoshop e Corel, que o ajudarão a criar as artes necessárias para as redes sociais;
  • tem senso de organização, essencial para o planejamento de conteúdo;
  • tem criatividade para escrever para públicos diversos;
  • pensa rápido há hora de produzir um conteúdo novo.

São itens que você pode destacar como qualificações profissionais, aumentando a chance de conseguir a vaga.

Informe sobre certificações e hobbies

Outra forma de valorizar ainda mais o seu primeiro currículo é destacar eventuais certificados e hobbies que ajudam a demostrar o seu perfil e seus conhecimentos.

No exemplo do tópico anterior, além de ter algumas qualificações-chave, você também possui os seguintes certificados:

  • Inbound Marketing —  Escola X – 2016
  • Produção de Conteúdo WEB — Escola Y – 2017

Além disso, ter na fotografia, por exemplo, um Hobby ajuda a mostrar que você tem um olhar criativo e é atento a detalhes, coisas que farão a diferença para seus avaliadores.

Não esqueça das informações complementares

Muitas vezes existem informações que não cabem nos tópicos anteriores, mas são essenciais para o seu primeiro currículo ou para aumentar a chance de conseguir a vaga, tais como:

  • Disponibilidade de viagem ou mudança: se você está tentando um emprego em outra cidade. Se você tem família no outro endereço, por exemplo, você pode destacar essa informação.
  • Se você possui alguma deficiência, como auditiva, você pode indicar que “tem perda auditiva moderada, faz uso de aparelho e se comunica bem verbalmente” e apontar se há alguma necessidade de adaptações ou não.

Saiba o que evitar na hora de escrever o seu primeiro currículo

Por fim, é necessário tomar alguns cuidados para não deixar o seu currículo muito extenso ou difícil de ler. Confira abaixo o que deve ser evitado.

Formatação e Ortografia

  • seja direto, escreva somente o que for necessário e de forma simples;
  • evite erros ortográficos;
  • evite ultrapassar mais de duas folhas A4;
  • evite fontes cursivas ou de difícil leitura ao escrever o currículo. Prefira a Arial ou Times New Roman, mais tradicionais e de fácil leitura;
  • evite assinar e datar o currículo;
  • evite encher o currículo de cores, no máximo use o Negrito para destacar os tópicos e as informações relevantes.

Dados Pessoais e Referências

  • evite colocar documentos, nomes dos pais e agregados;
  • contatos de referências só devem ser passados quando solicitados em uma eventual entrevista;
  • o mesmo serve para foto e pretensão salarial, só devem constar no currículo se for solicitado no anúncio da vaga.

Conhecimentos e Habilidades

  • Não exagere em seus conhecimentos e habilidades de informática e idiomas, serão detalhes facilmente descobertos em uma entrevista, caso não sejam verídicos.

Como você pode ver, criar o primeiro currículo sem ter experiência profissional não precisa ser complicado.

Seguindo as nossas dicas, você conseguirá montar um currículo atraente e que reforçarão as suas habilidades e conhecimentos, aumentando ainda mais as suas chances.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*