Como Fazer Com Que Uma Mulher Tenha Um Orgasmo?

Como Fazer Com Que Uma Mulher Tenha Um Orgasmo?

Foto: Getty Images

O orgasmo feminino infelizmente ainda é um tabu para a sociedade em geral e ainda mais triste é constatar que em muitas relações ele não é considerado com a devida importância. Embora o orgasmo não seja o único critério que determina o sucesso de uma relação sexual ou de qualquer atividade sexual, ele é definitivamente um recurso poderoso de prazer.

E para que ele receba a devida atenção, nós mulheres precisamos nos conhecer e estimular nossas sensações, além de orientar os parceiros para que eles não se esqueçam de que a mulher também goza e merece que seu orgasmo também seja algo esperado na relação sexual.

Seja na masturbação ou na relação com penetração, é importante que a mulher se sinta a vontade e que os pontos certos sejam estimulados, por ela ou pelo parceiro. E como ninguém “nasce sabendo”, toda prática é válida e a comunicação entre o casal sobre o assunto deve ser constante.

A seguir, você confere dicas de ouro e informações preciosas da Dra. Márcia Mathias, consultora e sexóloga do site AshleyMadison.com que vão te ajudar a conhecer melhor o seu corpo e a analisar a sua vida sexual para que você consiga buscar o prazer que toda mulher merece sentir.

Qual a diferença entre orgasmo vaginal e clitoriano?

Como Fazer Com Que Uma Mulher Tenha Um Orgasmo?

Foto: Getty Images

Segundo a Dra. Márcia, a diferença está no ponto que será estimulado. O orgasmo mais fácil de ser atingido é o clitoriano, pois seu estímulo é feito em um órgão externo de fácil acesso e de grande sensibilidade ao toque por ser muito enervado – o clitóris.

  • “Algumas mulheres tem dificuldade de atingir o orgasmo vaginal, pois, neste caso, a região mais sensível e que leva ao clímax está em um ponto interno e que necessita de estímulos contínuos em diferentes pontos da vagina para ser atingido.
  • Sendo assim, é interessante que se a mulher não sentir o orgasmo vaginal, que ela procure estimular ou orientar o parceiro a estimular o clitóris durante a penetração, o que permitirá que a mulher tenha prazer clitoriano, mesmo durante a penetração, e não dependa apenas do orgasmo vaginal.
  • Inclusive, uma boa dica é orientar o parceiro a fazer sexo oral com bastante estímulo clitoriano nas preliminares, a fim de deixar a região da vagina bem preparada para a penetração, umedecida e mais “inchada”, além de mais sensível e propensa a ter mais orgasmos além do que o seu parceiro pode proporcionar com o sexo oral.
  • O clitóris é um órgão poderoso e que permite acesso ao prazer com mais facilidade, por isso ele nunca deve ser deixado de lado no sexo.

Quais são as principais maneiras de estimular o corpo a ter mais orgasmos?

Como Fazer Com Que Uma Mulher Tenha Um Orgasmo?

Foto: Getty Images

“O orgasmo fica mais fácil de ser atingido quando a mulher conhece o seu corpo e entrega-se à emoção com foco” garante a especialista. Em alguns momentos, para estimular e acelerar as regiões mais sensíveis é possível usar alguns recursos, como aponta Dra. Márcia:

Nesse sentido, a masturbação é uma excelente ferramenta para você se conhecer e descobrir quais pontos, quando estimulados, mais te dão prazer e usar isso no sexo a dois ou na masturbação. Lembrando que a masturbação não precisa deixar de existir quando você passa a ter relações sexuais, ambas atividades podem coexistir e se complementam muito bem, uma estimulando a outra.

Não consigo ter orgasmo, e agora?

A Dra. Márcia Mathias esclarece que nesses casos é preciso enfatizar as preliminares. Uma ideia interessante que ela cita é utilizar a técnica de auto hipnose para diminuir a ansiedade.

“É preciso também explorar mais o próprio corpo, acabando com as culpas religiosas, estimulando a libido e, ao detectar alterações do desejo sexual, buscar ajuda médica e psicológica para realizar tratamento se for necessário” orienta a profissional.

Ela ainda adiciona que não devemos nos esquecer de que algumas medicações podem afetar a vida sexual, diminuindo a libido e o prazer.

Orgasmo a dois: existe fórmula para que o sexo seja prazeroso para ambos?

Como Fazer Com Que Uma Mulher Tenha Um Orgasmo?

Foto: Getty Images

“Usufruir da intimidade com conversas e carícias, criar um ambiente apropriado, realizar fantasias, sair da rotina, comunicar ao companheiro (a) como gosta de ser tocado, investir em preliminares para chegar ao clímax juntos, ousar em descobrir novas posições que dê prazer ao casal levando em conta a qualidade e não a quantidade. É preciso lembrar sempre que o sexo é parceria”, diz a especialista.

Quando o casal pratica o sexo sem criar expectativas irreais e sendo transparentes um com o outro, falando o que realmente gostam e sentem e o que não gostam também, é mais fácil que haja uma sintonia. É válido apostar na comunicação, pois só assim vocês saberão como dar prazer um ao outro e ambos estarão felizes e satisfeitos com o sexo.

Dúvidas frequentes das mulheres sobre o orgasmo

A sexóloga Márcia Mathias esclarece algumas dúvidas em relação ao orgasmo feminino, confira:

  1. Para sentir orgasmo é necessário gemer e sentir tremores? A resposta é não! Pode-se saborear o prazer quietinha sem precisar agir como atriz de filme pornô.
  2. O tempo para atingir o orgasmo feminino e masculino é igual? Não! Geralmente o orgasmo feminino é mais lento.
  3. Orgasmos múltiplos existem? Sim, mas eles dependem do nível de estimulação. Se você ficar estimulando o clitóris um bom tempo antes da penetração, é possível que consiga o feito.

Se você tem alguma dúvida, não hesite em nos enviar para que possamos esclarecê-la com auxílio da sexóloga.

Blog

Você sabia que o orgasmo pode ser aprendido? Ainda bem né?!. Para iniciar esse processo de maturidade emocional e amor próprio é necessário que a mulher rompa com tabus e mitos que impedem as mulheres de conhecerem o próprio corpo e de serem felizes sexualmente.

Segredo número 1: Amar e estimular a vagina

Você olha sua vagina? Com orgulho? Com alegria? Com curiosidade? Com nojo? A vagina tem zonas internas agradáveis de sensibilidade e prazer por vezes ignoradas. Um segredo que pouquíssimas mulheres sabem é que uma parte do clitóris se estende para dentro das paredes da vagina.

Sim! Ele é bem maior do que você pensa, e possui duas “perninhas’’ ou “raízes” chamadas de corpos cavernosos que envolvem as paredes laterais da entrada da vagina. O ponto G é uma zona geralmente do tamanho de uma moedinha na parede anterior da vagina, onde o toque é mais agradável e excitante.

Supõe-se que, nesta região ocorra a ramificação ou divisão do corpo clitoriano em seus ramos. De fato, o que interessa é desbravar esse mapa íntimo e pessoal, conhecer a profundidade da vagina, suas sensações e buscar o seu ponto G. Será mais fácil ter um orgasmo com penetração se estiver com a sensibilidade da vagina mais “aguçada” .

No consultório além de explicar essa anatomia, prescrevo um lubrificante com vasodilatador que aumenta ainda mais a sensibilidade da região e facilita a vida do casal nesse processo.

Segredo número 2: Seja honesta com o parceiro, fale a verdade

Lembre-se que durante o sexo você precisa estar conectada com a outra pessoa. Eu sei… eu sei… que a gente não queria ter que falar nada… toda mulher sonha mesmo com um príncipe que adivinhasse seus desejos, e seu mapa corporal do prazer.

Vamos acordar para realidade meninas e trabalharmos para ter o nosso final feliz e gostoso. Falar do que gosta e do jeito que gosta é muito importante nesse processo.

Minha dica é conversar abertamente, e, acredite, só de falar sobre isso, a intimidade aumenta e o clima já esquenta.

Como Fazer Com Que Uma Mulher Tenha Um Orgasmo?

Segredo número 3: Não tenha pressa!

A resposta sexual feminina é muito mais lenta. Para chegar ao clímax durante a penetração, você precisa se sentir à vontade e estimulada no percurso inteiro. Um sexo mecânico não contribuirá para alcançar orgasmo nenhum.

O pênis precisa de 50 ml de sangue para ficar ereto (duro) o suficiente e garantir uma penetração. Já a mulher necessita de 500 ml, ou seja, dez vezes mais fluxo sanguíneo para promover a vasocongestão pélvica.

Já percebeu que fica tudo “gordinho” e “inchadinho”?!

Quanto mais caprichada as preliminares, mais irrigada e sensível fica a vagina e, mais intenso o orgasmo.

Segredo número 4: o fio condutor

Já que temos esse presente chamado clitóris cuja única finalidade é proporcionar prazer, vamos utilizá-lo como “fio condutor” do orgasmo vaginal.

Isso pode ser feito de duas maneiras: a primeira é deixando o “rala e rola” acontecer intensamente com dedos, boca, cheiros etc, e segurar a penetração para o momento quase próximo ao orgasmo. Assim, quando orgasmo acontecer você estará tão sonhadoramente penetrada.

Ah… e se depois de você, o homem demorar mais um pouquinho para gozar? Não tem problema…. porque para ele vai acontecer… é só persistir nos movimentos por mais alguns instantinhos e com certeza será ainda mais intenso após observar os gemidos de prazer do orgasmo da parceira.

A mulher consegue permitir e usufruir da penetração mesmo já tendo tido orgasmo clitoriano ou vaginal, e ainda existe a chance de ter orgasmos múltiplos como bônus! Já pensou? Deu até calor né?! KKKK.

Segredo número 5: estimular o clitóris enquanto ocorre a penetração até que ocorra o orgasmo vaginal

Isso pode ser feito através de um ajuste dos corpos.

O homem se posiciona um pouco mais acima do que normalmente ocorre durante a penetração, fazendo com que a base do pênis e o osso da região púbica pressione o clitóris de forma mais direta, aumentando os estímulos e, consequentemente, aumentando o prazer da parceira para um orgasmo mais fácil e intenso.

Outra maneira é a utilização de um “brinquedinho”, chamado anel peniano. É um anel mesmo, feito de silicone, com uma protuberância (as vezes em forma de gatinho… ou de qualquer outro bichinho) que tchan… tchan… tchan ….vibra! Então, ao ser colocado no membro masculino, vibrará e estimulará o clitóris durante a penetração.

Segredo número 6: sua vez!

Assumir uma posição sexual, na qual a mulher fica por cima do parceiro.

Essa posição facilita o orgasmo pois permite que a mulher tenha controle sobre a profundidade, velocidade e ângulo da penetração buscando maior prazer.

Segredo número 7: 

Você sabia que temos músculos, não só nas paredes da vagina, como no útero, no clitóris, na uretra e no ânus? A contração muscular é uma arma para atingir e intensificar o orgasmo porque aumenta e acelera o fluxo sanguíneo.

Então, quando sentir que a excitação está grande e o ápice pode estar perto, força na musculatura e contrai tudo que conseguir, até o fio do cabelo se possível kkkkkkk.

Além de ajudar a alcançar o orgasmo com a penetração, ainda vai enlouquecer o parceiro com essa apertadinha.

Espero que esses 7 segredos sejam apenas o começo de uma lista não numerada que com certeza será aprimorada pelas suas próprias experiências e descobertas. Meu desejo é muito sucesso e muito prazer nessa jornada!

  • Dra. Ellen Carvalho
  • Ginecologista especialista em Cirurgia Plástica íntima.
  • Atendimento em Uberlândia e Brasília.

Como tornar o orgasmo feminino mais fácil?

Como Fazer Com Que Uma Mulher Tenha Um Orgasmo?Sexo oral e beijos demorados estão entre as preferências das mulheres na cama. Foto: Pexels / Divulgação

Recentemente na minha coluna, eu fiz um texto que foi muito discutido entre os leitores: as diferenças entre os homens e as mulheres em relação ao sexo. É claro que as diferenças são gritantes e uma delas, com certeza, é chegar no auge do prazer em uma relação sexual, o famoso orgasmo. As mulheres funcionam de maneira diferente em comparação aos homens para chegar no grande êxtase e, por isso, decidi agrupar algumas informações interessantes para que esse assunto seja difundido e desmistificado de uma vez por todas. Toda atenção aí rapaziada, porque esse assunto vale a pena!

Entender o corpo da mulher é essencial

Pra começar, você deve entender sobre o funcionamento do corpo feminino. É uma regra básica. Você deve “estudar o campo em que você vai colocar o seu time em campo”, não é mesmo.

O entendimento da anatomia é essencial.

Muitos homens ainda acham que as mulheres são mais excitadas pela penetração e esquecem de uma estrutura primordial, na parte de fora, que tem função exclusivamente ligada ao prazer: o clitóris.

Há também outros dois pontos que, quando excitados de maneira correta, põem deixar sua parceira nas nuvens: o Ponto G. Ele está situado a aproximadamente 5 cm para dentro da vagina na parte superior.

Geralmente a anatomia do pênis impede que esse ponto seja estimulado em toda sua potencialidade. Por isso, nós homens devemos parar de achar que tamanho é documento, porque ainda que você seja superdotado, ele não estimulará num dos pontos de maior prazer.

Para isso a dica é usar brinquedinhos ou até o toque com dedos, de maneira delicada.

Leia também:  Como Pedir Dinheiro A Quem Nos Deve?

Então estudar um pouquinho antes do jogo começar não vai fazer mal a ninguém.

A importância das preliminares

Para nós homens, tudo é uma questão de segundos. Basta um toque, ou as vezes até mesmo um olhar, para que garantimos aquela ereção desejada na hora do sexo. Já estamos prontos.

Com as mulheres, tudo precisa de calma! Não adianta ir afobado, porque ela não estará a ponto de bala como você. Elas precisam de carinhos, beijos, precisam sentir aquela tensão que precede o fogo, precisa sentir a química, a libido em suas veias.

Estimula-las através dos cinco sentidos e investir em toques certeiros pode facilitar e muito a conquista do orgasmo feminino.

Uma dica importante: não focar nos órgãos genitais já de começo. Estimule o corpo inteiro. Cabelos, boca, nuca, peito, umbigo, coxas, pés… tenha um toque firme, mas com carinho. Percorra todos os centímetros e a faça sentir desejada! Passar desejo e segurança podem transformar o início da sua relação.

Sexo oral: elas adoram

A grande maioria das mulheres adoram sexo oral. Isso porque, como já falei anteriormente, grande parte da sua sensibilidade na hora H está na parte externa ou muito próximo a entrada do seu órgão reprodutor.

O estimulo do clitóris, por exemplo, é o segredo nessa prática. Esse órgão é extremamente sensível e precisa de toques leves e úmidos.

Não adianta botar força e gerar muito atrito aí, porque você não vai conseguir excitá-lo da maneira como ele merece.

Invista nas posições que elas gostam mais

O homem sempre tem aquela vontade de mudar de posições a toda hora, experimentar virar de um lado, para o outro e se deixar quer fazer de ponta cabeça e plantando bananeiras. Calma! Pra elas, uma coisa é muito importante: constância! Manter aquele contato constante, as vezes, poucas trocas de posições garante uma maior excitação da sua parceira.

Em determinadas posições elas conseguem sentir melhor a sensibilidade do seu corpo e se conectar com o prazer de maneira mais fácil. Uma das posições que mais excitam as mulheres é elas por cima, comandando os movimentos. Isso dá uma maior liberdade para que ela sinta o estimulo do seu clitóris, chegando ao apse! Deixa ela dominar um pouco.

Garanto que ela vai gostar também e você pode se surpreender!

Sexo é o ato de maior intimidade entre duas pessoas. A química entre os dois é algo imprescindível na hora do sucesso da relação. Quando se há doação entre ambas as partes, quando os dois investem no prazer de forma igualitária e alcançam juntos, essa conexão se torna forte, segura e muito prazerosa. Espero ter te ajudado com algumas questões. Tenta aí e depois me conta como foi!

  • Leia mais:
  • 5 curiosidades masculinas sobre o sexo que as mulheres não sabiam
  • Coisas que as mulheres odeiam nos homens
  • Como conquistar a mulher dos seus sonhos? Cinco passos infalíveis

Por que chegar ao orgasmo é difícil para tantas mulheres? Explicamos em sete pontos

O orgasmo feminino segue um mistério para a ciência, e embora as mulheres falem cada vez mais sobre seu prazer, ele é raramente lembrado em discussões coletivas sobre sexualidade e intimidade. Explica-se.

A ciência tem estudado o orgasmo masculino por mais de um século, mas foi apenas em 1992, por exemplo, que o Instituto Nacional de Saúde dos EUA iniciou um programa de estudos sobre a saúde vaginal e a sexualidade das mulheres. Pasmem.

O Sistema de Saúde Britânico (NHS, na sigla em inglês) define o orgasmo com a sensação de prazer intenso que acontece durante a atividade sexual. Nada mais básico.

Muitos países, entre eles o Brasil, não colocam a educação e a saúde sexual e reprodutiva no currículo escolar.

Desejo sexual feminino:entenda como funciona e por que ele às vezes desaparece

Como resultado dessa discrepância no debate público, muitas mulheres navegam no escuro quando o assunto é sua anatomia, o que, para muitas, torna o sexo menos prazeroso do que poderia ser.

Aquelas que se esforçam para atingir o orgasmo muitas vezes pensam que há algo de errado com elas, uma culpa que é fruto do machismo estrutural, que também impede os homens de conhecerem o funcionamento do corpo e do desejo feminino.

Entrevista:‘Não dá mais para trepar sem gozar’, diz Maria Flor

A ciência divide a dificuldade em atingir o orgasmo em dois tipos: o primário, que é quando uma mulher nunca chegou ao clímax, e o secundário, quando ela já atingiu o orgasmo, mas deixa de conseguir fazê-lo. Há até mesmo um termo para a dificuldade de chegar ao orgasmo: a anorgasmia.

Consumo de álcool e cigarros

O excesso de álcool pode afetar o fluxo sanguíneo para o clitóris, que é, para a maioria das mulheres, a parte da vulva que requer estimução para que elas cheguem ao orgasmo, explica a ginecologista britânica Shree Datta, para quem o cigarro também pode ter um impacto. “Se você tem dificuldades para chegar ao orgasmo, pense na quantidade de álcool ou de tabaco que consome.”

Comunicação com o parceiro ou parceira

Falar ao parceiro ou parceira sobre o que você gosta e quer fazer no sexo é fundamental para uma boa experiência sexual e para o orgasmo, diz a terapeuta sexual Kate Moyle:

“Seu parceiro ou parceira não lê mentes e não vai saber o que você quer se você não falar. Seja direta e clara, não ambígua, dê instruções ou mostre o que lhe dá prazer, guie as mãos dele ou dela pelo seu corpo.”

Entre mulheres:os cuidados necessários com a saúde sexual de lésbicas e bissexuais

O corpo

Muitas mulheres não se sentem seguras ou confortáveis com o próprio corpo, e isso pode atrapalhar. Pensamentos negativos impedem que as pessoas se soltem e se permitam sentir o prazer físico.

As mulheres são as principais vítimas de transtornos de imagem, muitas se cobram o corpo perfeito e se sentem constrangidas pelos quilos a mais, celulite, estrias…

O excesso de imagens de corpos magros na cultura de massa está relacionado a esse tipo de cobrança. Esqueça isso, aceite o seu corpo e foque no seu prazer.

Artigo:O corpo ideal para transar: que corpo é esse?, por Anna Carolina Lementy

Condições de saúde

Há uma série de condições de saúde que podem dificultar o prazer sexual. Há também medicamentos que atrapalham o orgasmo. Se você tem uma condição clínica particular ou toma remédios regularmente, consulte o seu médico sobre o impacto deles no prazer sexual.

“Antidepressivos e antihistamínicos podem afetar os orgasmos”, explica a Dra. Datta.

Leila Diniz:coragem, liberdade e o privilégio que é dar para quem se tem vontade

Estimulação sexual

Uma explicação simples para a dificuldade de uma mulher atingir o orgasmo está na falta de estimulação durante o sexo. Uma dica é conhecer o próprio corpo para entender melhor as suas preferências. Não se trata apenas dos genitais, mas de perceber as partes do corpo e os toques, por exemplo, que lhe dão sensações prazerosas.

Prazer:Como a repressão à sexualidade feminina transformou a masturbação em tabu

É importante considerar que a maioria das mulheres precisa de estimulação clitoriana para atingir o orgasmo, elas não chegam ao clímax apenas com a penetração. É importante entender se esse é o seu caso e comunicar ao parceiro ou parceira.

Investa nas suas fantasias e desejos. Tentar posições diferentes e se masturbar ou guiar o parceiro ou parceira na masturbação são ideias. A sexualidade feminina é sofisticada, e isso é bom.

Brinquedinho:Quase tudo que você sabe sobre a invenção do vibrador está errado

Pressão social

Estresse, problemas financeiros ou no trabalho podem afetar o prazer sexual. Problemas no relacionamento, sobretudo falta de confiança no parceiro ou parceira e conflitos não resolvidos entre o casal, podem ser causas da dificuldade em atingir o orgasmo.

É melhor conversar ou buscar aconselhamento profissional, como um terapeuta sexual ou de casais.

Bem-estar emocional

O equilíbrio emocial tem a ver com a habilidade de chegar ao clímax sexual. Depressão e ansiedade são fatores a serem levados em consideração. Se você (ou seu parceiro ou parceira) sofre de alguma delas, converse com a ginecologista.

Amor e sexo na quarentena:muito vibrador e pouco poliamor

Lembre-se, o período de isolamento social necessário para conter a pandemia de Covid-19 pode ser difícil. As dificuldades emocionais afetam a todos nós. Não se cobre nem se julgue. Vai passar.

6 dicas para alcançar o orgasmo múltiplo

  • WhatsApp
  • Facebook
  • Twitter
  • Pinterest
  • Linkedin
  • Copiar Link

Dicas para ter mais prazer (Foto: Think Stock)

Orgasmos múltiplos, também denominados multiorgasmia, correspondem a “ocorrência de vários orgasmos durante uma única relação sexual. Algumas mulheres podem experimentar 3,4,5 ou mais”, diz a terapeuta sexual Marjorie Cambier.

Um prazer (quase) exclusivamente femininoSe a multiorgasmia parece estar ao alcance de muitas mulheres, os homens geralmente não têm a sorte de aproveitar esse fenômeno.

Isso pode ser explicado pelo fato de que um homem e uma mulher não reagem da mesma maneira à relação sexual.

“Após o orgasmo e a ejaculação, os homens experimentam uma fase de resolução – durante a qual o pênis se torna suave – então um período refratário”, continua Marjorie.

saiba mais

“Após o gozo, eles não podem mais ser sexualmente excitados por um tempo determinado, o que aumenta ao longo dos anos, saúde, etc. e não pode mais ter ereção.

Eles precisam esperar alguns minutos até várias horas – ou mais, para alguns – para poderem ficar ansiosos novamente e ter uma ereção. As mulheres não conhecem esse período refratário, já que o prazer e a excitação não caem imediatamente.

Elas podem, portanto, experimentar um primeiro orgasmo, depois um segundo, etc.”

Note-se também que as mulheres experimentam diferentes tipos de orgasmos e, portanto, uma maior capacidade de experimentar multiorgasmia: “aqueles através da estimulação do clitóris, aqueles através do ponto G, etc. A resposta sexual particular, bem como os diferentes modos de orgasmo feminino, explicam assim essa faculdade feminina de orgasmo múltiplo.”

A única maneira de os homens experimentar múltiplos orgasmos é aprender a separar o orgasmo e a ejaculação.

“Técnicas que podem ser encontradas em tantra ou tao, permitem que os homens desfrutem várias vezes sucessivamente, enquanto controlam a ejaculação.

Isso permite que eles não conheçam a fase de resolução e o período refratário mencionado acima, mas também para preservar sua energia”, acrescenta a especialista.

6 dicas para ter orgasmos múltiplosInfelizmente, não existe uma receita mágica para um orgasmo, muito menos um orgasmo múltiplo. No entanto, alguns métodos podem facilitar o aumento do prazer e assim aumentar a possibilidade de multiorgasmia.

Confie e deixe ir“Deixar ir e confiar em um parceiro é essencial”, lembra Marjorie Cambier.

“Também é necessário que a mulher aceite plenamente seu prazer, sem culpa, que conheça bem seu corpo, suas zonas erógenas e que possa comunicar tudo isso ao parceiro”.

Uma declaração que só pode confirmar Catherine, que acrescenta “amizade, a confiança em seu parceiro é essencial. Acho que é isso que perdi com meus outros parceiros. Hoje, tudo parece mais simples, incluindo prazer.”

Varie as zonas erógenas“As localizações variáveis ​​(clitóris, ponto G …) e modos de estimulação (carícias, penetrações mais ou menos fortes e mais ou menos profundas, etc.) podem permitir que as mulheres conheçam vários tipos de prazer”, lembra Marjorie Cambier. Não hesite em variar os prazeres … e os orgasmos!

Não tenha medo dos prazeres solitáriosAproveite o período de descanso de seu parceiro para variar também as práticas: “a masturbação durante a relação sexual, ou o recurso a sextoys pode contribuir para a ocorrência de outros orgasmos. Em outras palavras, não é apenas a penetração, uma grande variedade de carícias são possíveis.

Fortalecer seu períneoPara viver qualidade (e múltiplos!) orgasmos, faça de seu períneo seu aliado.

Como Marjorie Cambier explica: “O fortalecimento do períneo e, em particular, o músculo pubococcígeo pode aumentar ou mesmo acertar o gozo em mulheres e homens, porque o orgasmo é acompanhado por uma batida no ritmo desses músculos.

Um períneo tônico é a garantia de uma sexualidade satisfatória, bem como a ocorrência de múltiplos orgasmos.”

Controle a ejaculação“Controlar a ejaculação nos homens pode fazer a relação durar mais, aumentando a probabilidade de outros orgasmos ocorrerem nas mulheres”, diz Marjorie Cambier.

Leia também:  Como Me Afastar De Alguém Que Amo?

Várias técnicas podem retardar a ejaculação, incluindo algumas questões de Tao, “uma filosofia chinesa que oferece métodos para controlar a ejaculação masculina e dar o máximo prazer às mulheres”.

Não exerça pressão sobre você mesmoO orgasmo não é apenas físico, também é (ou mesmo mais) psicológico. É claro que é o mesmo para o orgasmo múltiplo. Iniciar a relação sexual com a única esperança de alcançar a multiorgasmia vai arruinar seu prazer. Como Marjorie Cambier salienta, “a corrida ao orgasmo é totalmente contraproducente!”

9 dicas para ter o seu primeiro orgasmo – ISTOÉ Independente

Em uma cultura que fala tanto sobre sexo – e, cada vez mais, empoderamento feminino entre quatro paredes – é fácil afirmar que não apenas todo mundo está praticando, como também tendo orgasmo a todo o momento.

Mas de acordo com um estudo recente do periódico internacional Archives of Sexual Behavior, apenas 65% das mulheres conseguem atingir o ápice durante a relação sexual. Ou seja, 25% delas não conseguem ter orgasmos com sexo.

  Além disso, muitas delas nunca chegam ao clímax.

“Se você nunca teve um orgasmo, examinar potenciais inibidores pode ser extremamente útil”, afirma Kat Van Kirk, Ph.D.

, especialista certificada em sexo e relacionamento e autora do livro “The Married Sex Solution: A Realistic Guide to Saving Your Sex Life” (“A solução para o sexo no matrimônio: um guia realista para salvar a sua vida sexual”, em tradução livre).

Isso pode partir de algum tipo de insegurança, problemas de intimidade até efeitos de medicamentos que impactam a libido. (Se você está lidando com algum tipo de trauma sexual, ou sente alguma dor física, converse com um médico ou terapeuta).

Para te ajudar a descobrir como finalmente ter um orgasmo, conversamos com especialistas no assunto. Siga essas dicas para um fim certeiro.

Comece sozinha

“Você pode aprender muito sobre você se masturbando”, afirma Ian Kerner, terapeuta especialista em sexo e relacionamento e autor do livro “She Comes First” (“Ela goza primeiro”, em tradução livre).

Se nunca atingiu o orgasmo, comece se conhecendo sozinha. Mas não faça do clímax o seu objetivo.

Em vez disso, “use o tempo para se tocar, se dar prazer e perceber o que está acontecendo fisicamente, emocionalmente e mentalmente”, aconselha o especialista.

Explore e fantasie

Não vá direto ao ponto. Tente explorando diferentes partes do seu corpo com as suas mãos, brinquedos eróticos ou acessórios, como penas e vendas para os olhos, sugere Van Kirk. O mesmo vale para quando estiver com um parceiro.

Ao mesmo tempo, tente também imaginar diferentes fantasias sexuais, para ver o que funciona para você. “Esteja aberta para fantasiar, ler algo erótico, assistir filmes pornôs”, afirma Kerner. “Crie as condições corretas para criar sua excitação física e mental.”

Aproxime-se do seu clitóris

“Quase 80% das mulheres respondem a estímulos no clitóris”, afirma Van Kirk. “Não é tanto a questão de encontro o clitóris, mas de descobrir quais tipos de estímulos nessa região funcionam melhor para você.” De acordo com Van Kirk, pesquisas mostram que a maioria das mulheres sente mais prazer com a estimulação indireta do clitóris.

“Na realidade, o clitóris continua abaixo de cada lado dos lábios, como o formato de um ossinho da sorte”, diz Van Kirk. “Estimular essa área, bem como a parte de cima ou ao redor da glande do clitóris pode ser mais prazeroso para a maioria das mulheres.

” Ela afirma ainda que se o clitóris não for o caminho, pode ser o ponto G ou a estimulação da vagina.

Leia mais sobre orgasmo

Estudo aponta nova forma de estimular mulheres a atingirem o orgasmo
4 orgasmos que toda mulher deveria ter
Acredite: ter orgasmos múltiplos pode ser mais fácil do que você pensa

Escute o seu corpo

Enquanto você explora, repare no que, exatamente, funciona ou não. Por exemplo, se um vibrador não te faz sentir nada, exceto uma sensação estranha, descarte essa opção e tenta algo que estimule o clitóris gentilmente.

“É pela prática que a gente aprende formas de repetir bons resultados”, afirma Van Kirk. Quando estiver pronta para tentar um orgasmo com o seu parceiro, vocês vão querer descobrir como funciona.

“Seu parceiro pode ser apto para te ajudar, mas cabe a você saber a que estímulos você responde.”

Repense as suas angústias

A ansiedade geralmente tem envolvimento com a incapacidade para o orgasmo – mesmo se for um problema físico, o estresse para atingir o orgasmo só vai dificultar ainda mais o processo. “Entenda a ansiedade que envolve esse momento e o que isso está desencadeando.

Você está preocupada de não ser boa o suficiente na cama? Acha que será egoísta? Que atingir o orgasmo vai demorar muito? Repense essa ansiedade. A sua excitação precisa ser maior que a ansiedade”, diz Van Kirk.

Se for muito difícil refletir sobre isso, procurar um terapeuta pode ajudar a chegar à raiz do problema.

Peça o que você quer

Quando conseguir atingir o prazer sozinha, comunique seu feito ao parceiro. “Se não for um papo fora da cama, use estratégias verbais curtas (como “mais forte” ou “mais rápido”), dê pistas físicas, como gemidos. Também vale arquear as suas costas ou com as suas mãos. Você precisa comunicar seus desejos”, ela explica.

Seja fiel aos seus valores

Segundo Kerner, saber o que te faz bem vai além das questões físicas. “Você tem que ser fiel aos seus valores a respeito do sexo.

” Isso abrange tudo vocalizando desde a maneira como gosta de ser tocada (estimulação interna e externa) até defender o tipo que sexo que você quer ter.

Por exemplo, se o seu valor sexual é fazer sexo com um parceiro que você ame e que te ame também, pode ser mais difícil atingir o orgasmo com sexo casual.

Não se esqueça do lubrificante

“Lubrificante pode ser o diferencial entre ter um orgasmo ou não”, afirma Van Kirk. “Nunca se esqueça de um bom lubrificante, mesmo se acha que tem lubrificação por conta própria.”

Pare de tentar ter um orgasmo

“Quanto mais você está focando para que algo aconteça, menor a probabilidade disso acontecer”, afirma Kerner. Então tente relaxar e eliminar a ideia “tenho que ter um orgamos” da sua lista de metas.

“Isso é fácil de dizer, mas se puder praticar, isso permitirá que você se concentre na sensação e se divirta”, pontua Van Kirk. “Estresse por não ter orgasmo não vai te ajudar a ter um.

Veja também

+ Receita simples de bolo Red Velvet + Yasmin Brunet comemora vitória de Gabriel Medina + Receita de panqueca americana com chocolate + Receita rápida de panqueca de doce de leite + Contran prorroga prazo para renovação da CNH + Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa + 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer + Cinema, sexo e a cidade + Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais + Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz + Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago + Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS

Dia do Orgasmo: Por que você tem dificuldade para alcançar o orgasmo?

Atualmente, 60% da população feminina mundial têm anorgasmia –nome dado para a dificuldade de chegar ao orgasmo. É o que afirma um estudo americano publicado recentemente no “Journal of Sex and Marital Therapy”.

A pesquisa também sinalizou que esta é a disfunção sexual mais comum que acomete mulheres. Além disso, muitas sequer têm certeza se um dia já tiveram realmente um orgasmo.

É muito comum encontrar em algumas matérias, ou até mesmo na fala de profissionais na área da saúde, que se você teve um orgasmo, com certeza saberá. Todas as vezes que me deparo com este tipo de frase lamento muito, pois faz com que mulheres que tiveram orgasmos acreditem que nunca vivenciaram esta sensação.

Para ajudar você a descobrir esta resposta, é importante entender que o orgasmo está definido dentro de um ciclo sexual (veja a figura abaixo).

Assim, para ter um orgasmo é preciso:

> Haver o desejo sexual: quando você sente vontade de fazer sexo.

> Ter excitação: quando seu corpo responde a esse desejo e começa a demonstrar sinais, como: esquentar a região pélvica, arrepiar, lubrificar, coração disparar, respiração ficar ofegante, entre outros. Cada pessoa demonstra sinais diferentes, além dos prováveis citados.

> Vivenciar o platô de prazer: este prazer não precisa vir necessariamente no decorrer do sexo propriamente dito, pois o orgasmo pode acontecer com a masturbação. Em alguns casos mais raros, a pessoa pode ter orgasmo sem nem mesmo se tocar.

Usando como exemplo a relação sexual, o platô é o prazer que ocorre no sexo –em alguns momentos fica mais intenso, em outros diminui para aumentar novamente. Quando o prazer atinge seu auge é quando o orgasmo acontece.

Depois disso, vem um relaxamento, nem que depois a mulher continue o sexo depois, para viver todas essas etapas novamente.

Entendendo isso, é possível afirmar que orgasmo é um prazer que vai aumentando e atinge o seu ápice, mesmo que seja fraco, seguido de um relaxamento. Isso já aconteceu? Sim, então você teve um orgasmo!

USO DE ALGUNS MEDICAMENTOS: Existem remédios que diminuem sua libido e dificultam o orgasmo, como alguns antidepressivos, ansiolíticos e bloqueadores adrenérgicos. Além disso, radioterapia na área da pelve, altas doses de narcóticos e uso abusivo de álcool também prejudicam o prazer sexual.

Dica: uma forma de desintoxicar um pouco seu organismo do uso excessivo de medicamentos é usar um composto vibracional chamado “Desintoxicação”. Basta pingar 3 gotas em copo de água e ingerir 1 vez ao dia.

MUITO ESTRESSE: O estresse lhe impede de perceber os estímulos externos que podem levar você ao desejo sexual. Portanto, se levar em conta o ciclo sexual fisiológico, isso já começa errado, pois para uma boa atividade na cama é preciso que o desejo venha em primeiro lugar.

Quando estamos estressados, precisamos de doses muito altas de prazer, alegria e relaxamento, para que a serotonina liberada pelo corpo seja maior que o nível de cortisol gerado pelo estresse. Só assim o corpo terá níveis químicos possíveis de alcançar o orgasmo –que é uma descarga adrenérgica e liberação de diversos hormônios de prazer, felicidade e relaxamento.

Além disso, o estresse impede a concentração na pessoa parceira durante o sexo. Afinal, quando estamos com a cabeça cheia, temos mais dificuldade de nos permitir sentir os prazeres do ato e nos entregarmos ao outro e aos nossos instintos e desejo.

Dica: a Aromaterapia pode ser uma aliada para lidar com o estresse e a ansiedade. Um dos óleos que mais traz relaxamento é o de Lavanda ou ainda os cítricos, como o de Laranja e Bergamota. E aqui você confere todos os óleos que podem ser usados para aliviar a ansiedade.

MEDO DE ENGRAVIDAR: Atualmente, é comum que alguns casais ou a mulher, em especial, tenham um grande medo de engravidar.

Isso acontece por diversos motivos, como condição econômica do nosso país, relacionamento instável, carreira e muitos outros.

Algumas vezes, até mesmo conscientemente, as pessoas admitem que esse medo as impossibilita de se concentrar e se entregar de forma tranquila e relaxada ao prazer.

Esse, portanto, pode ser o único motivo que impede a mulher, em especial, de alcançar o orgasmo. Minha dica, para esse caso, é compreender melhor o seu ciclo menstrual, percebendo que é impossível você engravidar se não estiver no período fértil ou próxima de ficar.

Além disso, converse com o seu médico ginecologista sobre as melhores formas de se prevenir. Depois disso, apenas relaxe, pois você sabe que está protegida de uma gravidez indesejada.

Dica: neste caso, o mais indicado é tentar relaxar, esvaziar a mente e viver o momento. Para isso, o mais indicado é usar óleos essenciais cítricos, combinados com o óleo essencial de Ylang Ylang. Use 2 gotas de cada um dos óleos em um difusor elétrico e deixe no ambiente.

MEDO DE URINAR DURANTE A RELAÇÃO SEXUAL: Isso é muito comum e com certeza um empecilho para alcançar o clímax.

Antes de mais nada, é preciso que você saiba a diferença entre urinar durante o sexo e ter uma ejaculação feminina.

Leia também:  Mulher Que Gosta De Mulher Como Chama?

Se você não tem nenhum episódio de perda de urina durante o dia, já é provável que isso também não aconteça durante o sexo –o que praticamente descarta a possibilidade de ser xixi o líquido que você sente perder.

Outra coisa comum é que a sensação de estar chegando ao orgasmo é parecida com a de urinar. Ao confundirem isso, muitas mulheres se travam e não conseguem atingir o clímax.

Algumas mulheres realmente sentem vontade de urinar durante o sexo, mas se permitem ao orgasmo e não é por isso que fazem xixi durante a relação. Isso acontece porque o nervo pélvico – que emite o estímulo do orgasmo –é o mesmo que encosta na uretra, dando a sensação de que a pessoa vai urinar ao atingir o clímax.

Por fim, o mais comum é você estar ejaculando e não saber. Para isso, vou explicar o que é ejaculação feminina: ao lado da uretra existe uma região chamada “esponja uretral” e, como o próprio nome diz, ela tem textura de esponja e se incha de líquido enquanto você está excitada.

Conforme a mulher está tendo prazer, sua musculatura vaginal se contrai involuntariamente e essas contrações apertam a esponja, o que faz o líquido vazar e parecer urina. No entanto, isso não é xixi, pois o líquido possui os mesmos elementos encontrados no líquido seminal do homem, exceto o espermatozoide.

Há pouco tempo muitas pessoas defendiam a ideia de que não existia ejaculação feminina e “ponto G” (descubra o seu). Mas isso caiu por terra após a comprovação da “glândula de Skene” na mulher, que mantém armazenados cerca de 25 ml de líquido mucoso, espesso, parecido com o sêmen.

Ao ser jorrado para fora, esta substância pode se apresentar mais líquida, semelhante ao xixi, mas incolor e sem cheiro. Além disso, não possui ureia, comprovando mais uma vez que não é urina.

Algumas mulheres jorram a ejaculação semelhante ao homem, outras simplesmente vazam este líquido e ainda há aquelas que parecem ter mais lubrificação na vagina. Tudo isso depende da produção da sua glândula e da sua força muscular, mas tudo é ejaculação.

Além disso, diferente do homem, que normalmente ejacula junto com o orgasmo, com a mulher pode ocorrer antes ou durante o clímax, depende da força das contrações vaginais na hora do prazer.

MEDO DE CHEIRAR MAL: O medo de exalar um odor ruim pela vagina impede a mulher de se entregar ao sexo, ou de permitir que a pessoa parceira faça um sexo oral, por exemplo, ou, ainda, que o outro se aproxime demais de sua genital, mesmo que ela sinta desejo por isso.

Todos esses medos interferem, obviamente, que a mulher se entregue aos instintos e prazeres, travando o orgasmo. Minha dica é que você ande sempre com um sabonete, lenço umedecido e desodorante íntimo na bolsa. Assim, se perceber que reação sexual pode acontecer, terá como fazer uma higiene completa, de modo que fique bem à vontade e cheirosa.

Dica: neste caso, uma boa opção é utilizar um sabonete líquido feito com óleos essenciais –como o de Lavanda ou Tea Tree– que podem encontrados em lojas de produtos naturais. Este produto pode ser usado, inclusive, na lavagem das suas peças íntimas.

O uso de um spray feito com estes mesmos óleos essenciais vibracionais também é bem-vindo. Para isso, pingue 12 gotas do óleo essencial de Lavanda em 40 ml de álcool de cereais, misture bem e acrescente 20 ml de água mineral. Misture e coloque num vidro ou pet com válvula spray. Borrife nas peças íntimas.

Mas lembre-se que a qualquer sinal de alergia o uso deve ser suspenso, pois cada pessoa reage de forma diferente e pode ter uma sensibilidade maior aos produtos, especialmente na região íntima.

VERGONHA DE MOSTRAR O CORPO: Isso é de praxe entre as mulheres, normalmente elas sempre estão incomodadas com alguma parte do corpo.

Sabe aquela frase clichê de que “você tem que se amar do jeito que é”? Sei que chegar nesse auge de aceitação é, na verdade, um processo.

Portanto, vou lhe dar uma dica para que essa vergonha não seja o impedimento de você se entregar ao prazer.

Você pode, por exemplo, dizer à pessoa parceira que se sente mais à vontade se ficar com alguma peça de roupa durante o sexo. Assim, se sentirá mais à vontade e poderá aproveitar melhor o momento.

Afinal, a escolha é sua de decidir fazer sexo com determinada pessoa, não existe regra para o seu sexo, quem faz a regra é você. Já tive diversas pacientes, casadas há anos, que só faziam sexo no escuro, ou não deixavam os maridos as virem nuas.

Mas se para você o conceito é que sexo precisa ser feito com o corpo nu, encostado e sentindo o calor do outro, então pode optar por posições sexuais que escondam as partes que você não quer chamar a atenção – e quem sabe até destacar aquelas que você se orgulha.

Dica: neste caso, o mais indicado é trabalhar a autoestima. Para isso, basta usar, em um difusor pessoal, 2 gotas dos óleos de Petitgrain, Ylang Ylang, Jasmim ou Gerânio.

Todos ajudam a mulher a se sentir mais poderosa e confiante para conversar com a pessoa parceira e mostrar que se sente nervosa ou insegura em relação ao corpo.

CONSTRANGIMENTO PELO BARULHO EMITIDO: Esse barulho semelhante a uma flatulência ocorre por fraqueza do musculo pubococcígeo (que vai desde o osso púbico até a base da coluna). Ao fortalecer a musculatura vaginal (também chamada de MAP) com exercícios específicos, como, por exemplo, os de pompoarismo (veja aqui como fazê-los em 15 minutos), esses sinais desaparecem.

É comum dizer que esse “pum vaginal”, como é conhecido popularmente, ocorre com todas as mulheres, mas isso não é verdade. Isso só acontecerá se sua musculatura estiver fraca ou se você tiver grande habilidade dessa musculatura, como é o caso das pompoaristas, e fizer propositalmente.

EDUCAÇÃO REPRESSORA: Essa é uma das causas mais comuns, que levam a disfunções e bloqueios sexuais na fase adulta. Geralmente as mulheres que são frutos desta criação aprendem que tudo relacionado ao sexo é sujo e feio. Portanto, se ela se masturba, o faz com culpa.

Se faz sexo, costuma se ater ao básico e fica envergonhada de ceder aos seus desejos, assumir o controle do ato ou permitir que a pessoa parceira faça tudo com ela na cama. Além disso, pode sentir dor durante o sexo, porque a vagina se contrai, ou ela própria a tensiona, por conta do receio de se entregar ao momento.

Mas não se preocupe, veja ao lado como mudar isso, através de vivências e terapias que ressignifiquem seu conceito sobre o sexo.

TRAUMAS DE ABUSO SEXUAL: No útero e canal vaginal são guardados todos os registros referentes à sexualidade, amor, autoestima e maternidade.

Portanto, se houver qualquer tipo de bloqueio sexual ali guardado – seja algo bastante forte, como um estupro, ou um pouco mais ameno, como uma ofensa verbal – a mulher não consegue viver a sexualidade em sua plenitude. Confira uma técnica para liberar esses traumas.

Dica: neste caso, a Aromaterapia pode funcionar como um complemento do trabalho terapêutico. O óleo essencial de Vetiver e o de Benjoim podem ajudar a trabalhar algum tipo de trauma relacionado à sexualidade. Como cada caso é particular e individualizado, o uso desses óleos deve ser feito com acompanhamento profissional.

DOENÇAS: Alguns problemas de saúde podem diminuir a libido e dificultar o orgasmo, como: traumas na medula espinhal, lesões nos nervos pélvicos ou genitais, episiotomia em parto (corte cirúrgico feito no períneo, entre a vagina e o ânus), esclerose múltipla, mielite, diabetes, neuropatias, lesões de vasos da região pélvica ou genital e neoplastia (plástica estética para diminuir os lábios da vulva, que pode diminuir um pouco a sensibilidade, já que é uma região extremamente irrigada e com terminações nervosas).

EXPERIÊNCIA TRAUMÁTICA EM RELACIONAMENTO ANTERIOR: Se você sofreu muito no relacionamento anterior, ou passou por grande sofrimento, proveniente, por exemplo, de uma traição ou perda, então a consequência disso pode ser a diminuição do desejo sexual e a dificuldade de chegar ao orgasmo.

Nesse caso, você pode estar bloqueando a entrega completa ao parceiro, com medo de se apaixonar demais, de perder esse amor ou de sofrer novamente. Você deve descobrir então quais crenças mais sabotam sua vida amorosa e aprender a se livrar de determinados conceitos limitantes.

Dica: neste caso, o mais indicado também é trabalhar a autoestima. Para isso, basta usar, em um difusor pessoal, 2 gotas dos óleos de Petitgrain, Ylang Ylang, Jasmim ou Gerânio. Todos ajudam a trabalhar sua autoconfiança e autoimagem, além de lhe deixar mais forte para seguir seu caminho e buscar uma nova pessoa parceira.

> Conheça seu corpo e crie um vínculo de amor com ele.

Vamos ser realistas? É muita hipocrisia querer se entregar completamente para alguém, se nem para você mesma é capaz de entregar, não é mesmo? Se evita se olhar no espelho, como vai deixar o outro lhe ver, sem que isso gere algum tipo de incômodo? Portanto, vou ensinar uma prática que realizo em minhas consultas íntimas e trazem ótimos resultados, cujo nome é “Espelho Terapia”.

> Você ficará sozinha em um ambiente que possa ficar à vontade na frente de um espelho, retirar toda a roupa e se observar durante longos minutos.

Perceba as sensações que terá ao longo desse tempo, o que sente ao se observar de imediato, quais são as autocriticas ou satisfações que lhe vêm à mente, o quanto você vai se acostumando com aquela imagem.

A ideia é ir se aceitando com suas imperfeições e exercitar um sentimento de amor por aquele reflexo que vê no espelho.

> Outra variação de “Espelho Terapia” que também sugiro que faça é olhar sua genitália no espelho. Faça a mesma avaliação de sentimentos e críticas em relação ao que fez com o seu corpo. Neste caso, vá além e reconheça cada estrutura da sua vulva. Identifique o clitóris, a vagina, os lábios menores e maiores, o ânus, a uretra e, por fim, também a aceite com amor.

> A Aromaterapia pode ajudar você a relaxar e se sentir confortável em contato consigo mesma e com seu corpo.

Para isso, utilize algum aromatizador de ambiente que tenha um dos óleos a seguir na composição ou ainda pingue 5 gotas de um deles em um difusor elétrico.

Você pode utilizar os óleos de Lavanda (que traz equilíbrio ao corpo e a mente), Laranja com o de Hortelã (que podem esvaziar sua mente, dar foco e fazer você sentir o momento).

> No momento que se entregar ao sexo com a pessoa parceira ou ao sexo consigo mesma (masturbação), se atente e se policie para não desviar seus pensamentos a qualquer outra coisa que não seja o momento de prazer em si. Concentre-se no agora, no envolvimento e nas sensações que seu corpo trás.

Perceba os desejos que sente e, como se fosse uma encenação, faça seu cérebro acreditar que seu desejo é mais forte do que aquele que sente. Aos poucos, você atingirá um nível maior de prazer, pois nosso corpo reage como desejamos.

Isso sugere que fingir orgasmo e prazer não é de todo mau, pois nosso corpo reage quimicamente a isso, proporcionando um maior prazer real.

> Para ter mais concentração na hora do sexo e também mais consciência do seu corpo e das sensações que experimentará, use 3 gotas dos óleos essenciais de Limão e Cardamomo no difusor elétrico e deixe no ambiente.

> Por fim, minha última dica é que leve bastante em consideração o ciclo sexual, no qual o desejo é a primeira etapa de um sexo completo.

Sendo assim, se a pessoa parceira não realiza muitas preliminares ou se mostra afoita, por exemplo, converse com ela para que aumente o tempo de conquista.

Outra opção é que vá a um local mais privado –ou mesmo ao lado do par, se você se sentir à vontade– e comece a se masturbar, para que o seu desejo aumente e prepare seu corpo para um ciclo sexual completo, com direito a um gostoso orgasmo

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*