Como Fazer Com Que O Teste De Gravidez De Positivo?

O teste caseiro de gravidez que se compra na farmácia é confiável, desde que seja feito corretamente, após o primeiro dia de atraso menstrual. Estes testes medem a presença de hormônio beta hCG na urina, que só é produzido quando a mulher está grávida, e que vai aumentando ao longo das primeiras semanas de gestação. 

É importante que a mulher não faça este teste ante do atraso, porque pode dar um falso negativo, já que a quantidade de hormônio na urina ainda é muito pequeno e não é detectado pelo teste.

Como Fazer Com Que O Teste De Gravidez De Positivo?

O teste de gravidez que se compra na farmácia pode ser feito a partir do 1º dia do atraso menstrual.

 No entanto, se o resultado desse primeiro teste for negativo e a menstruação ainda estiver atrasada ou se existirem sintomas de gravidez, como leve corrimento vaginal cor de rosa e mamas doloridas, o teste deve ser repetido dentro de 3 a 5 dias, já que os níveis do hormônio beta HCG podem estar mais elevados, sendo facilmente detectados.

Veja quais são os 10 primeiros sintomas de gravidez.

Como fazer o teste de gravidez em casa

O teste de gravidez deve ser feito, de preferência, com a primeira urina da manhã, porque esta é a mais concentrada e, por isso, contém uma maior quantidade de hormônio hCG, mas normalmente o resultado também é confiável se for realizado em qualquer hora do dia, depois de aguardar cerca de 4 horas sem urinar.

Para fazer o teste de gravidez que se compra na farmácia, deve-se urinar em um recipiente limpo, colocando em seguida a fita do teste em contato com a urina por alguns segundos (ou durante o período de tempo indicado na caixa do teste) e retirar a seguir. A fitinha do teste deve ser posicionada na horizontal, segurando com as mãos ou colocando em cima da pia do banheiro, e aguardar entre 1 a 5 minutos, que é o tempo que pode demorar a aparecer o resultado do teste.

Como saber se deu positivo ou negativo

Como Fazer Com Que O Teste De Gravidez De Positivo?

Os resultados do teste caseiro de gravidez podem ser:

  • Duas riscas: resultado positivo, indicando a confirmação da gravidez;
  • Uma risca: resultado negativo, indicando que não há gravidez ou que ainda é muito cedo para ela que seja detectada.

Geralmente, após 10 minutos, o resultado pode ser alterado por fatores externos, por isso, não se deve levar em consideração, caso esta mudança aconteça.

Além destes testes, existem ainda os digitais, que indicam no visor se a mulher está ou não grávida e, alguns deles, já permitem saber o número de semanas de gestação.

Além dos resultados positivo e negativo, o teste de gravidez também pode dar um resultado falso negativo,porque apesar do resultado ser aparentemente negativo, quando um novo teste é feito após 5 dias, o resultado se mostra positivo. Veja porque razões o teste de gravidez pode dar negativo.

Nos casos em que o teste deu resultado negativo, mesmo quando refeito após 3 ou 5 dias, e a menstruação continuar atrasada, deve-se marcar uma consulta com o ginecologista, para verificar a causa do problema e iniciar o tratamento adequado. Confira algumas causas da menstruação atrasada que não estão relacionadas com a gravidez.

Teste online para saber se está grávida

Em caso de suspeita de gravidez, é importante observar o surgimento de sintomas característicos, como aumento da sensibilidade das mamas e leve cólica abdominal. Faça nosso teste online e veja se pode estar grávida:

Outros testes caseiros de gravidez funcionam?

Testes caseiros de gravidez conhecidos popularmente, em que se utiliza uma agulha, pasta de dente, cloro ou água sanitária, não devem ser feitos porque não são confiáveis.

Para garantir o resultado, a melhor escolha para confirmar a gravidez é fazer o teste da farmácia ou o exame de sangue feito em laboratório, porque permitem avaliar a quantidade de beta hCG no sangue ou na urina, possibilitando a confirmação da gravidez.

E se o homem fizer o teste de gravidez? 

Se o homem fizer o teste de gravidez, usando sua própria urina, existe a possibilidade de se observar um resultado 'positivo', o que indica a presença do hormônio beta hCG em sua urina, que não está relacionado com a gravidez, mas sim com uma grave alteração de saúde, que pode ser câncer. Nesse caso, deve ir ao médico o quanto antes para realizar exames que possam indicar o seu estado de saúde e iniciar o tratamento prontamente.

Meu teste de gravidez deu positivo. E agora?

Em um primeiro momento, uma enxurrada de emoções acontece ao receber a notícia de uma gestação, por meio de um teste de gravidez positivo, inclusive naqueles casos em que a gravidez foi planejada em mínimos detalhes.

A chegada de um bebê é sempre uma surpresa e pode causar reações diversas não só nas mães, mas também nos companheiros e em toda a família.

A melhor forma de lidar com a novidade é tentar controlar as emoções e curtir os meses que vêm pela frente.

É importante ter em mente que, a partir desse momento, sua vida vai mudar completamente de forma positiva. Para que a situação se mantenha em ordem, é preciso alinhar tudo o que deve ser preparado para a chegada do bebê. O segredo está em manter a calma para agir de modo confiante e otimista.

Depois da receber a notícia, é importante relaxar e já ir pensando no rumo mais apropriado para seguir com os próximos passos. Compartilhar a novidade com os familiares que estão no seu ciclo social e que são de confiança é uma ótima opção para começar. 

Após a mistura de sentimentos envolvidos na hora da descoberta, chegou o grande momento de começar a se preparar para a imersão no universo da maternidade!

Contar para a família, primeiros exames, preocupação com a saúde do bebê, a escolha do médico, a aparição dos primeiros sintomas. Essas e outras questões são comuns de serem questionadas. Para saber mais sobre os passos iniciais após o teste de gravidez positivo, acompanhe até o final do artigo.

Como Fazer Com Que O Teste De Gravidez De Positivo?

Contar para a família

Muito se fala sobre aguardar até o final do primeiro trimestre gestação para poder contar a novidade para família. Os médicos orientam as pacientes de seguir essa instrução pois é comum acontecer abortos espontâneos logo nas primeiras semanas. E, com o passar das semanas, a mulher têm menos chances de perder o bebê.

Às vezes, depois de uma resposta de um teste de gravidez positivo, é preciso de um conforto humano. Escolha quem está no seu convívio e que seja de confiança para compartilhar esse momento especial e delicado com você.

Assim, contar, em primeiro instante, para pessoas próximas, pode parecer reconfortante, visto que torna-se complicado guardar a novidade da gravidez por muito tempo. 

Descoberta dos sintomas iniciais

O principal e o mais enfático sintoma de gravidez é o atraso menstrual. Além disso, é muito comum, logo nas primeiras semanas, os enjoos e vômitos.Os hormônios liberados durante o começo da gravidez ainda não estão estabilizados, e isso faz com que o organismo esteja em constante mudança.

Mal-estar no estômago, sonolência, inchaço das mamas, manchas da pele,aumento da produção de saliva e cólicas também entram na lista. 

Escolher o médico

Logo após o atraso menstrual e o teste positivo de gravidez, é essencial que a mulher agende um horário com um profissional para fazer o seu acompanhamento. Dessa forma, torna-se viável já iniciar o pré-natal.

O médico ideal para atender a paciente que está gestante é aquele especializado em obstetrícia. Lembre-se de uma questão: é essencial se sentir confortável com o médico que irá fazer o acompanhamento de sua gestação.

Pode ter certeza que a agenda de uma mulher grávida é repleta de compromissos médicos. Consultas, avaliações físicas, inúmeros exames em clínicas e laboratórios compõem o cenário durante os nove meses de gestação.

De acordo com recomendação feita pelo Ministério da Saúde, uma mulher grávida deve ir visitar o médico, pelo menos, seis vezes antes do nascimento do bebê.

Por outro lado, alguns especialistas preferem fazer um acompanhamento de modo mais participativo.

Por meio de uma frequência maior aos consultório, torna-se possível ter uma relação mais próxima com o profissional, de modo a criar um vínculo de confiança e afinidade.

Fazer os primeiros exames

É muito recorrente a gravidez ser descoberta por um teste de gravidez de farmácia. Logo após o atraso menstrual, diversos testes rápidos asseguram a veracidade da informação e são muito confiáveis. Com apenas algumas gotas de urina, é possível ter o resultado em mãos.

São raros os casos em que testes de gravidez, aqueles vendidos em farmácias, alertam para um sinal falso positivo.

Porém, por vezes, isso pode acontecer caso a gravidez esteja em seus primeiros dias, ou até mesmo pela mulher estar fazendo o uso de medicamentos para fertilidade, que são compostos por hCG.

Outra alternativa possível, que pode variar o resultado, é por meio de uma condição médica excepcional, em que o organismo produz hCG.

Para entender melhor como funcionam os exames primários de gravidez, é importante deixar claro que uma série de hormônios vão começar a ser produzidos em larga escala em seu corpo. Ou seja, irão ocorrer inúmeras modificação no metabolismo. Diversas mudanças serão notadas ao longo de todos os meses de desenvolvimento do feto, até mesmo durante a fase do parto e pós-parto.

Beta hCG

Com o intuito de identificar mais precisamente a gravidez, é fundamental fazer o exame de sangue conhecido por Beta hCG. Ele é mais sensível do que os testes de farmácia e pode, até mesmo, detectar a gestação antes do atraso menstrual. Além disso, ele pode também mostrar os níveis do hormônio presente no sangue, que podem ser analisados por meio de uma avaliação médica.

Vale destacar que o hormônio hCG, gonadotrofina coriônica humana, é produzido pela mulher, na maior parte dos casos, quando é detectada uma gravidez a caminho. Ele pode ser identificado logo no começo, antes mesmo do atraso menstrual. A sua função é de não deixar com que a camada do endométrio se desfaça e, dessa forma, manter a gestação.

Leia também:  Como Sei Que O Meu Leite E Bom?

Após a confirmação da gravidez, a gestante será encaminhada para fazer os primeiros exames de pré-natal. Veja quais são eles e quais são as suas funcionalidades:

  • Sangue: para identificar o tipo de sangue da mãe, dosar hormônios da tireoide, detectar possíveis infecções (como sífilis, HIV, hepatite A, B e C), definir se a gravidez será ou não de risco, verificar se a gestante tem anemia. O exame deve ser realizado a cada três meses, mas pode ser solicitado pelo médico em casos excepcionais;
  • Urina: para detectar uma eventual infecção de urina e a presença de proteínas — que podem demonstrar tendências a desenvolver pré-eclâmpsia. O exame é também é fundamental para gestantes com diabetes;
  • Fezes: para investigar a presença de parasitas que possam estar presentes no intestino — que podem provocar a anemia, por exemplo.

Semana de gestação: entre a 5ª e a 8ª 

Entre a 5ª e a 8ª semana de gravidez, é recomendado fazer o exame de Ultrassonografia Intravaginal. O procedimento permite visualizar o saco gestacional. Tal fator possibilita a contagem precisa do tempo de gestação e a data provável do parto. Realizado normalmente depois da sexta semana, torna-se possível ouvir o batimento do coração do bebê.

Semana de gestação: entre a 11ª e a 14ª

O exame de Ultrassonografia da Translucência Nucal é comum ser realizado entre a 11ª e a 14ª semana. O seu procedimento envolve fazer uma medição em relação à espessura de um fluido presente na nuca do feto.

Por meio desse exame, é possível identificar alguma malformação, anomalia ou síndrome, como por exemplo a síndrome de Down.

Entre outras finalidades estão: medir o bebê, analisar os ductos venosos e atestar a sua vitalidade.

Semana de gestação: entre a 20ª e a 22ª

A partir da 20ª semana de gestação, torna-se possível realizar um exame chamado Ultrassonografia Morfológica. O seu principal objetivo é medir o feto, estimar o seu peso e analisar os órgãos. É possível também descobrir o sexo. Caso o aparelho for de tecnologia 3D ou 4D, os traços da face e o formato do corpo são visíveis.

Para concluir…

A gestação é uma fase única para a mulher e, quando bem orientada, pode repercutir em sensações agradáveis. Tanto aquelas programadas minuciosamente, como aquelas surpresas, podem ser precursora de um turbilhão de emoções. Felicidade, ansiedade, alegria, choro ou até mesmo todas essas sensações podem acontecer juntas. 

A grande chave para lidar com a situação é tentar controlar todas as emoções. Desse modo, você consiga dar os próximos passos. Após alguns dias da grande notícia, ter um tempo para reflexão é ideal para absorver a novidade.

Fazer os exames iniciais, contar para a família, escolher o médico para fazer o acompanhamento da gestação, ter conhecimento sobre a saúde do bebê e estar atenta aos primeiros sintomas. Essas ações são as preliminares após o descobrimento da gravidez. Agora que você já sabe como dar os próximos passos após receber a grande notícia, chegou a hora de se preparar e estar em alerta. Boa sorte!

Nessa fase, é essencial começar a se organizar para a chegada do bebê. Uma boa dica é começar a fazer uma lista de itens primordiais. 

Tô grávida, e agora? o resultado positivo

Por escrever e ler bastante sobre o assunto, por conta da profissão, eu até tinha alguma noção sobre os primeiros sintomas da gravidez. Entretanto, sabia que eles variam muito de mulher para mulher. Mais adiante eu comprovei isso, ao conversar com outras mulheres já mães.

Os meus sintomas foram basicamente muita fome (nada me saciava). Eu comia além do normal e tinha desejos.

E foi justamente depois de comer um pote enorme de açaí, meu alimento preferido, e enjoar bastante, é que eu decidi fazer o exame Beta HCG, que mede a quantidade do hormônio gonadotrofina coriônica humana, o teste de gravidez mais exato. 

Exame positivo, pensamentos e emoções a mil. Não era exatamente uma surpresa, porque eu sabia que podia acontecer, mas, mesmo tendo sido planejado, o medo também tomou conta. Medo do que viria, especialmente de como tudo vai acontecer. 

Depois de contar ao noivo, aos pais, sogros, amigos e família, eu procurei logo o atendimento de saúde. Aqui em Brasília, fui à Unidade de Saúde mais próxima de casa com o exame de sangue em mãos. Saí com a consulta agendada para a semana seguinte.

No dia, passei por uma consulta inicial feita por uma enfermeira, que já me entregou a Caderneta da Gestante, publicação familiar para mim, porque já havia feito muitas reportagens com base nela.

No meu caso, parece que a ficha só caiu ali: eu estava mesmo grávida! 

Pelo SUS, as consultas são intercaladas entre médico e enfermeiro. A primeira foi com uma enfermeira. Muito atenciosa, ela fez testes rápidos, como os de HIV e Sífilis, me pesou, mediu a pressão, fez algumas perguntas, esclareceu dúvidas, e me orientou sobre hábitos para minimizar o enjoo [além do ácido fólico, comum para qualquer gestante] e solicitou alguns exames.

Meu noivo recebeu um elogio por estar me acompanhando e foi convidado para todas as consultas e exames. A enfermeira enalteceu a importância de um parceiro durante toda a gestação. Inclusive, o SUS também oferece o pré-natal do parceiro, com exames e consultas para cuidar da saúde do futuro pai.

Ao término, fomos convidados a voltar dias depois para uma palestra com a nutricionista e a assistente social da UBS.

Antes da palestra, um susto. No dia seguinte à estreia do pré-natal, eu senti uma cólica muito forte. Esse já era um sintoma que me preocupava, mas a cólica vinha e passava em pouco tempo. Naquele dia não foi assim. Ela só piorava e cheguei a ter fortes pontadas na barriga. Assustada, fui levada ao hospital.

Nestes casos, a gente tem que procurar a emergência e não a UBS. Meu medo era de estar em processo de aborto e a médica que me examinou também pensou que fosse isso. Esse diagnóstico foi logo descartado porque eu não apresentada sangramento. Por cautela, fiquei em observação por algumas horas até que os exames comprovassem que estava tudo bem.

Medicada, fui para casa descansar e me recuperar.

A palestra, que faz parte do pré-natal do SUS, foi bem esclarecedora. A nutricionista trouxe uma lista de alimentos recomendados e outros que devem ser evitados.

Falou sobre sobrepeso, diabetes gestacional e os cuidados com a alimentação pelo bem da futura mãe e do bebê. Já a assistente social enumerou os direitos das gestantes, como os trabalhistas, por exemplo.

E mesmo conhecendo parte daquelas informações, sai dali bem elucidada sobre tudo.

Enquanto espero pela próxima consulta, fiz a primeira ultrassom e ouvi, pela primeira vez, um coração bater dentro de mim. As lágrimas descrevem a emoção!  Serei mãe, vem um mundo novo por ai.

Estou tentando me alimentar da melhor forma possível, tive cólicas que me assustaram, mas passaram com o medicamento indicado pela enfermeira. Os enjoos, por muitas vezes, são bem fortes e a noite não é mais tão tranquila, tenho acordado algumas vezes.

Os banheiros são visitados com mais frequência, por conta da bexiga (quase sempre cheia), o humor oscila e minha pele e cabelos estão mudando. Tudo isso tem sido enfrentado com pensamento positivo. E novamente: cada gravida têm sintomas diferentes. Estes são os meus.

Fora isso, ainda há muitas experiências a serem vividas e estou ansiosa por elas. Que aconteça cada uma em seu tempo.

 Erika Braz, para o Blog da Saúde

Tô grávida, e agora?: o resultado positivo

A descoberta da primeira gestação pode ser tão mágica quanto assustadora. O corpo da mulher começa a trabalhar na gestação de outro corpo e isso transforma a vida dela e de outras pessoas.

A proposta do Blog da Saúde é esclarecer, informar e tirar dúvidas sobre tudo o que envolve a saúde das pessoas. Sou Erika Braz e faço parte da equipe de repórteres responsáveis pelos textos publicados aqui.

E, a partir de uma experiência pessoal, a minha primeira gestação, tive a ideia de transformar cada momento em texto, para compartilhar com os leitores do Blog da Saúde, e quem sabe ajudar outras mulheres que se encontram nesta importante etapa da vida: a geração de uma vida.

A série Tô grávida, e agora? será como um diário das minhas vivências nestes meses que antecedem ao parto. E, como se dará meu pré-natal, feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Tenho 29 anos e há uns quatro eu já sonhava com a maternidade. Numa conversa franca com meu noivo, que também tinha este desejo, nós resolvemos fazer a tentativa.

Há pouco menos de um ano, eu havia feito uma reeducação alimentar e estava fiel à prática regular de atividades físicas. Como resposta, eu estava muito bem de saúde e a fertilidade respondeu à altura.

Engravidei nas primeiras tentativas. 

Por escrever e ler bastante sobre o assunto, por conta da profissão, eu até tinha alguma noção sobre os primeiros sintomas da gravidez. Entretanto, sabia que eles variam muito de mulher para mulher. Mais adiante eu comprovei isso, ao conversar com outras mulheres já mães.

Os meus sintomas foram basicamente muita fome (nada me saciava). Eu comia além do normal e tinha desejos.

E foi justamente depois de comer um pote enorme de açaí, meu alimento preferido, e enjoar bastante, é que eu decidi fazer o exame Beta HCG, que mede a quantidade do hormônio gonadotrofina coriônica humana, o teste de gravidez mais exato.

Exame positivo, pensamentos e emoções a mil. Não era exatamente uma surpresa, porque eu sabia que podia acontecer, mas, mesmo tendo sido planejado, o medo também tomou conta. Medo do que viria, especialmente de como tudo vai acontecer.

Leia também:  Como É Que Se Faz Pudim?

O pré-natal

Depois de contar ao noivo, aos pais, sogros, amigos e família, eu procurei logo o atendimento de saúde. Aqui em Brasília, fui à Unidade de Saúde mais próxima de casa com o exame de sangue em mãos. Saí com a consulta agendada para a semana seguinte.

No dia, passei por uma consulta inicial feita por uma enfermeira, que já me entregou a Caderneta da Gestante, publicação familiar para mim, porque já havia feito muitas reportagens com base nela.

No meu caso, parece que a ficha só caiu ali: eu estava mesmo grávida!

Pelo SUS, as consultas são intercaladas entre médico e enfermeiro. A primeira foi com uma enfermeira. Muito atenciosa, ela fez testes rápidos, como os de HIV e Sífilis, me pesou, mediu a pressão, fez algumas perguntas, esclareceu dúvidas, e me orientou sobre hábitos para minimizar o enjoo [além do ácido fólico, comum para qualquer gestante] e solicitou alguns exames.

Meu noivo recebeu um elogio por estar me acompanhando e foi convidado para todas as consultas e exames. A enfermeira enalteceu a importância de um parceiro durante toda a gestação. Inclusive, o SUS também oferece o pré-natal do parceiro, com exames e consultas para cuidar da saúde do futuro pai.

Ao término, fomos convidados a voltar dias depois para uma palestra com a nutricionista e a assistente social da UBS.

Antes da palestra, um susto. No dia seguinte à estreia do pré-natal, eu senti uma cólica muito forte. Esse já era um sintoma que me preocupava, mas a cólica vinha e passava em pouco tempo. Naquele dia não foi assim. Ela só piorava e cheguei a ter fortes pontadas na barriga. Assustada, fui levada ao hospital.

Nestes casos, a gente tem que procurar a emergência e não a UBS. Meu medo era de estar em processo de aborto e a médica que me examinou também pensou que fosse isso. Esse diagnóstico foi logo descartado porque eu não apresentada sangramento. Por cautela, fiquei em observação por algumas horas até que os exames comprovassem que estava tudo bem.

Medicada, fui para casa descansar e me recuperar.

Mais do que consultas

A palestra, que faz parte do pré-natal do SUS, foi bem esclarecedora. A nutricionista trouxe uma lista de alimentos recomendados e outros que devem ser evitados.

Falou sobre sobrepeso, diabetes gestacional e os cuidados com a alimentação pelo bem da futura mãe e do bebê. Já a assistente social enumerou os direitos das gestantes, como os trabalhistas, por exemplo.

E mesmo conhecendo parte daquelas informações, sai dali bem elucidada sobre tudo.

Enquanto espero pela próxima consulta, fiz a primeira ultrassom e ouvi, pela primeira vez, um coração bater dentro de mim. As lágrimas descrevem a emoção!  Serei mãe, vem um mundo novo por ai.

Estou tentando me alimentar da melhor forma possível, tive cólicas que me assustaram, mas passaram com o medicamento indicado pela enfermeira. Os enjoos, por muitas vezes, são bem fortes e a noite não é mais tão tranquila, tenho acordado algumas vezes.

Os banheiros são visitados com mais frequência, por conta da bexiga (quase sempre cheia), o humor oscila e minha pele e cabelos estão mudando. Tudo isso tem sido enfrentado com pensamento positivo. E novamente: cada gravida têm sintomas diferentes. Estes são os meus.

Fora isso, ainda há muitas experiências a serem vividas e estou ansiosa por elas. Que aconteça cada uma em seu tempo.

Erika Braz, para o Blog da Saúde

Gravidez química: teste deu positivo e depois, negativo. O que fazer?

O processo de engravidar, muitas vezes, pode ser desgastante para a mulher que espera realizar o sonho de ser mãe. A demora e a ansiedade acabam contribuindo para que a expectativa fique ainda maior para o resultado positivo aparecer. 

Quando a mulher recorre ao teste de gravidez, o resultado em algumas situações pode não ser assertivo, deixando a mulher confusa quanto ao resultado ser positivo ou negativo. E esse tipo de situação pode estar diretamente ligada a uma gravidez química. Você já ouviu falar nesse termo?

Para explicar as razões pelas quais esse tipo de cenário pode acontecer, resolvemos preparar um texto esclarecendo o que seria gravidez química.

Desejamos uma excelente leitura!

Gravidez química: o que é?

A gravidez química não é muito conhecida popularmente, mas talvez seja pelas pessoas que estão tentando engravidar. Esse tipo de gravidez ocorre quando o embrião consegue se implantar no endométrio e acaba produzindo o hCG, hormônio da gravidez. Esse hormônio é o responsável por apontar a gravidez em exames de farmácia.

Porém, isso não quer dizer que a mulher esteja grávida. Para que isso ocorra, é necessário que o óvulo seja fecundado pelo espermatozóide, para que assim o mesmo seja liberado no útero. 

A gravidez química ainda fará com que a mulher venha a menstruar no período normal, dando mais um indício de que não ocorreu a gestação.

Para entender melhor, a gravidez química ocorre porque no exame foi possível detectar o hormônio da gravidez no organismo da mulher, porém, sem que o processo de fecundação tenha ocorrido corretamente, a gravidez não acontece e nem se desenvolve. 

As causas da gravidez química ainda são incertas para a medicina. Alguns médicos chegaram à conclusão que ela pode ocorrer por alguma insuficiência genética do embrião, que pode fazer com que ele não consiga se fixar devidamente no útero.

Sintomas da gravidez química 

Os sintomas da gravidez química são muito parecidos com os da gravidez normal, porém se diferenciam de forma clara. Confira abaixo quais são essas diferenciações:

  1. Atraso da menstruação por um curto período de tempo;
  2. Pouco hormônio hCG no sangue;
  3. Teste de gravidez com resultado positivo e beta com negativo;
  4. Menstruação acontecendo pouco tempo depois.

A gravidez química pode ainda ser recorrente em algumas mulheres. Há casos onde a mulher poderia passar pela gravidez química até 3 vezes no mesmo ano, por conta de problemas em relação ao organismo que não consegue dar início ao desenvolvimento do feto ou por causas que precisam ser investigadas a fundo.

Identificar a gravidez química é sempre um desafio, mas é uma possibilidade e a mulher precisa estar atenta aos sinais e buscar fazer o exame de sangue, pois ele aponta com precisão se a gravidez está acontecendo ou não.

Tratamentos para gravidez química

  • Não existe um tratamento que seja direcionado para a gravidez química, mas sim uma investigação que pode ser feita por meio de exames para entender as causas que podem ter levado à mulher a esse quadro.
  • Exames voltados a medir as taxas de hormônio, além de exames para checagem de anormalidades uterinas são os mais indicados para a mulher entender sobre seu quadro. 
  • A idade também é outro ponto relevante, pois quanto mais longe da idade fértil, maiores são as probabilidades que uma gravidez química venha a ocorrer.

Alguns médicos podem chamar a gravidez química de micro aborto de repetição. Caso constatado, o médico pedirá exames para saber o que pode ter causado esse quadro. 

  1. Nesse caso, não existe necessidade de fazer curetagem, que seria realizar a retirada de materiais que possam ter ficado em seu organismo. 
  2. Muitas vezes, a mulher nem chega a perceber o que aconteceu, pois é um processo que pode ocorrer rapidamente, não apresentando riscos ou diferenças alarmantes em seu organismo. 
  3. A gravidez química, entretanto, não impossibilita que a mulher tenha sucesso na próxima tentativa. 
  4. Porém, é importante que, caso esse tipo de gravidez aconteça com frequência, ela busque ajuda de um especialista para uma avaliação e possíveis alternativas para conseguir a tão sonhada gestação. 

Tentativas para engravidar

Existem diversos motivos que podem fazer com que uma mulher não consiga engravidar, mesmo que apresente uma saúde impecável.

Por isso, para dar continuidade ao assunto, indicamos a leitura do material “Sou saudável, mas não consigo engravidar, por quê?” para que você busque algumas informações iniciais sobre o que  pode estar causando esse quadro. Salientamos que a busca por um especialista é indispensável.

Esperamos que goste!

Considerações finais

  • A gravidez química pode ser o motivo de frustração de algumas mulheres que estão esperando ansiosamente engravidar. 
  • Porém, esse tipo de gravidez não deve ser motivo de desânimo, pois até pode acontecer antes que uma gestação finalmente se desenvolva da maneira correta, mas não representa um impedimento sem solução. 
  • Por isso, se você ainda tem dúvidas acerca desse tema, não hesite em entrar em contato com médicos especializados que possam explicar da melhor forma possível o seu caso. 
  • Se você está em busca de profissionais altamente qualificados e alternativas que te ajudem a engravidar com saúde, clique aqui e conheça as melhores técnicas de medicina reprodutiva do Brasil.
  • O nosso compromisso maior é gerar possibilidades para a vida.

Como funcionam os testes de gravidez de farmácia

O método é simples: basta colocar o produto em contato com o xixi que em até cinco minutos a mulher sabe se está grávida – ou não. Para chegar a esse resultado, que geralmente tem precisão superior a 99%, os exames medem o beta HCG, fração do hormônio gonadotrofina coriônica humana (HCG), produzido durante a gestação.

Esse hormônio, que aparece na urina, é secretado pelo trofoblasto, estrutura do embrião responsável pela sua interação com o útero e que, depois, dará origem à placenta.

“O HCG começa a ser secretado no momento da implantação do embrião no útero, o que ocorre cerca de cinco dias depois da fecundação”, explica Renata de Camargo Menezes, ginecologista especialista em reprodução humana, diretora da Clínica Engravide, em São Paulo.

Leia também:  Como Impedir Que O Pc Hiberna?

A partir daí, os níveis dele sobem exponencialmente: dobram a cada 48 horas. Por exemplo, se estiverem em 15mUI/mL no final da terceira semana de gravidez, dali a dois dias deverão estar em 30mUI/mL e assim por diante. Para se ter uma ideia, por volta da quinta semana os níveis já estão acima de 1000mUI/mL. A quantidade varia ligeiramente de mulher para mulher.

O mecanismo do teste

Os testes de farmácia contêm anticorpos que encontram o HCG presente na urina em uma fita de papel absorvente. Nesse caso, ela deve ser coletada em um potinho ou na caneta, que possui na ponta o mesmo tipo de papel e dispensa os potes: pode ser colocada em contato direto com o jato.

Nas duas situações, o processo é o mesmo. Os anticorpos detectam o hormônio e se unem a ele, formando um novo composto. É essa reação que dá a cor à segunda listra e o sinal de positivo. Já se o teste for negativo, só uma listra aparece, graças ao contato do papel com a urina, o que significa que a análise ocorreu adequadamente.

Para garantir a precisão, vale usar o primeiro xixi do dia. “Se o teste for bom, tanto faz o horário, mas, como não sabemos, o ideal é usar a primeira urina da manhã, que tem uma concentração maior de HCG”, aponta Renata.

Depois de alguns minutos, o resultado aparece em um mostrador que varia de acordo com o produto: pode ter símbolos de + e – ou apenas listras paralelas, como as da imagem abaixo. Há, ainda, versões digitais, daí o resultado aparece como GRÁVIDA ou NÃO GRÁVIDA.

Geralmente, o mostrador está em branco até que o xixi entre em contato com o papel. Uma listra indica que o teste deu negativo, duas que ele é positivo. Se a segunda listra aparecer mais fraquinha, é muito provável que a gravidez exista, mas ainda esteja bem no começo. Oksana Filenkova/Thinkstock/Getty Images

Como interpretar os resultados

Os testes são, em geral, confiáveis, mas alguns são mais sensíveis a níveis menores de beta HCG, enquanto os menos sensíveis podem apresentar falsos negativos se a gravidez estiver muito no começo. A partir das quatro semanas de idade gestacional, contudo, todos são capazes de detectar o HCG.

Continua após a publicidade

É nesse período que ele deve ser feito porque atinge o máximo da eficácia. Para saber se está na hora, a dica é contar quatro semanas depois do primeiro dia da última menstruação.

“Mas se o ciclo for irregular, mais longo ou mais curto que o de 28 dias, a mulher pode calcular cerca de 14 dias após a provável concepção”, afirma Luciana Taliberti, ginecologista e obstetra do Hospital e Maternidade São Luiz, de São Paulo.

Os falsos positivos são raros, mas acontecem. Apesar de ser praticamente exclusivo da gestação, o HCG é também produzido por alguns tumores de ovário, caso raríssimo, e injetado como método de emagrecimento, além de entrar em alguns tratamentos de fertilidade.

Se o exame deu negativo, mas a suspeita persiste, repita o teste em dois a sete dias. Como os níveis de HCG sobem rapidamente na gestação, ele deverá dar positivo na próxima vez se houver mesmo um bebê a caminho.

O teste que mede as semanas

Ele funciona da mesma maneira, mas tem uma fita de papel extra, de alta sensibilidade, e é capaz de quantificar o HCG relativo a três períodos após a concepção: 1 a 2 semanas, acima de 3 semanas e mais de 5 semanas. Vale lembrar que esse número não vai bater com o que o obstetra vai indicar posteriormente, pois o tempo de concepção é diferente da idade gestacional, que é calculada a partir do primeiro dia da menstruação.

O mostrador é digital e esse produto, assim como outros, encontra o HCG até quatro dias antes da data esperada da menstruação. Mas, nesse caso, a eficácia de quase 100% cai para cerca de 65%.

Exames de sangue

Em termos de eficácia, o de farmácia é praticamente igual ao de sangue. A diferença aqui é que a análise feita no laboratório consegue quantificar o HCG de maneira precisa, o que determina a idade gestacional verdadeira.

Por isso, esse exame sempre é solicitado, mesmo que a gravidez já esteja confirmada. “A partir dele, também conseguimos saber se a gestação está evoluindo ou não”, aponta Luciana. Os laboratórios hoje em dia conseguem detectar taxas baixíssimas de HCG, alguns acima de 2UI/mL, mas os especialistas recomendam que o período ideal seja respeitado.

Mas atenção: a ansiedade pelo resultado pode não interferir no resultado do teste, mas com certeza não fará bem à saúde da mulher, esteja ela tentando ou não engravidar.

Continua após a publicidade

  • Fertilidade
  • Gravidez
  • Maternidade

Teste de gravidez: como e quando fazer

  • WhatsApp
  • Facebook
  • Twitter
  • Pinterest
  • Linkedin
  • Copiar Link

Quem está tentando engravidar ou desconfia que algo está diferente, geralmente corre para a farmácia em busca de um teste de gravidez. Nesta repostagem, reunimos tudo o que você precisa saber sobre o assunto para não sobrar nenhuma dúvida. Veja quais são os tipos e quando fazer. 

+ Posso estar grávida mesmo quando o exame de sangue dá negativo? Comente com outras mães sobre o assunto no FÓRUM CRESCER

QUAIS TIPOS DE TESTE DE GRAVIDEZ EXISTEM?Existem dois tipos: de urina e de sangue. Os dois detectam o hormônio gonadotrofina coriônica humana (que tem como sigla HCG) e é produzido pela placenta, quando a mulher está grávida.

QUAL É O TIPO DE TESTE MAIS CONFIÁVEL?O teste mais confiável e que consegue detectar a gravidez mais cedo é o exame de sangue. Nesse caso, existem ainda dois tipos: o qualitativo, que detecta a presença do hormônio, ou quantitativo, que mede a concentração do hormônio no sangue.

O quantitativo permite que o médico faça uma melhor estimativa da época da gestação. Mas atenção: se você fizer o quantitativo, pode ser que o resultado venha em números, apontando a concentração de HCG (por exemplo, 30 mUI/mL). Geralmente, ao lado do número vem uma tabela, indicando a partir de qual concentração há probabilidade de gravidez.

Para saber exatamente de quantas semanas você está grávida, só mesmo conversando com seu médico.

+ O que acontece com seu bebê na terceira semana de gravidez

Teste de gravidez (Foto: Reprodução)

POSSO FAZER O TESTE DE GRAVIDEZ ANTES DE A MENSTRUAÇÃO ATRASAR?O HCG começa a ser produzido cerca de 10 dias após a fecundação. Após este intervalo, o teste de sangue já é capaz de detectar a gravidez.

O teste de urina necessita de mais tempo para ser confiável. Alguns testes de farmácia mais atuais detectam a gravidez até 4 dias antes da data prevista da menstruação, mas o ideal é esperar pelo primeiro dia de atraso.

PRECISO FICAR EM JEJUM PARA FAZER O EXAME DE GRAVIDEZ?Não existe nenhum cuidado ou recomendação específica para a realização do exame de sangue.

saiba mais

PRECISA TER PEDIDO MÉDICO PARA FAZER O EXAME DE SANGUE?O exame de sangue custa, em média, R$ 50 e pode ser realizado sem pedido médico. Caso o exame seja feito por meio do plano de saúde da mulher, é necessário apresentar o pedido.

PARA FAZER O TESTE DE FARMÁCIA, PRECISA SER A PRIMEIRA URINA DA MANHÃ?Sempre que o teste for feito precocemente (antes do atraso da menstruação), o ideal é utilizar a primeira urina do dia, pois isso aumenta a chance de detectar a presença do hormônio. Se o teste está sendo feito com a menstruação já atrasada, não é necessário usar a primeira urina.

PODE ACONTECER DE O TESTE DAR POSITIVO E A MULHER NÃO ESTAR GRÁVIDA? E O CONTRÁRIO, DAR NEGATIVO E ELA ESTAR GRÁVIDA?A mulher pode produzir o HCG durante o ciclo menstrual, mas em concentrações muito baixas, que geralmente não são detectadas pelos testes.

Há também alterações hormonais e doenças que levam o corpo a produzir mais HCG. Portanto, quando o teste de urina ou de sangue estão positivos, há uma pequena possibilidade da mulher não estar grávida.

No caso do resultado negativo, principalmente no exame de urina, também não é possível confiar 100%, pois nos primeiros dias de gestação a concentração do hormônio pode estar abaixo do detectável pelos testes. Ou seja, você pode estar grávida e o teste não acusar.

Vale lembrar que, no caso do teste de farmácia, é preciso verificar sua validade e garantir que ele está devidamente lacrado e estocado. O contato com a umidade e o calor pode alterar as características do teste e afetar o resultado.

+ Método Billings: técnica natural para engravidar ou evitar gestação

APÓS QUANTO TEMPO A MULHER PODE REPETIR O TESTE DE FARMÁCIA?Se o teste veio negativo, a mulher deve esperar pelo menos três dias antes de repeti-lo.

QUAIS OS ERROS MAIS COMUNS QUE PODEM COMPROMETER O RESULTADO?Quanto custa um teste de farmácia? O primeiro erro é não esperar o atraso da menstruação para fazer o teste.

Se você tiver uma relação sexual e realizar o teste três ou quatro dias depois, o resultado será negativo de qualquer modo. Outro erro comum é não seguir à risca as instruções da bula, o que pode levar a um resultado equivocado.

Os preços dos testes de farmácia variam de R$ 10 a R$ 50.

+ Tem alguma dúvida? Pergunte no FÓRUM CRESCER

OS TESTES DE GRAVIDEZ MAIS CAROS SÃO MELHORES?Alguns testes de farmácia mais caros possuem uma sensibilidade maior, ou seja, podem detectar a gravidez mais cedo. Outros tentam associar a dose do hormônio com o tempo de gravidez em semanas. Se o teste for realizado com atraso menstrual, não há grande diferença entre eles.

Fonte: Paulo Nowak, ginecologista e obstetra da Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo  

saiba mais

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*