Como Fazer Com Que O Periodo Nao Venha?

  • A menstruação atrasada nem sempre é sinal de gravidez, pois outras situações como o estresse em excesso, emoções muito fortes, alterações hormonais ou mesmo o consumo exagerado de cafeína ou de bebidas alcoólicas, podem levar ao atraso da menstruação.
  • Geralmente, este atraso na menstruação pode durar desde 1, 2, 3 ou 5 dias até 1 a 2 meses, sendo recomendado consultar o médico se a menstruação continuar atrasada por mais de 3 meses, para que a causa possa ser identificada e tratada.
  • Porém, se houve contato íntimo desprotegido alguns dias antes, existe a probabilidade de gravidez, sendo recomendado fazer um teste, que pode ser comprado nas farmácias.
  • Como Fazer Com Que O Periodo Nao Venha?
  • Se a menstruação está atrasada e a mulher já realizou pelo menos 2 testes de gravidez no último mês, com 7 dias de intervalo entre a realização do teste, e o resultado tenha dado negativo, é muito provável que não seja gravidez e o atraso na menstruação possa estar a ser causado por outras situações, como:

1. Excesso de atividade física

O excesso de atividade física, como acontece com atletas ou pessoas que estão em preparação para alguma prova ou competição esportiva, por exemplo, podem levar a alterações hormonais, como é o caso do aumento da prolactina, que pode levar ao atraso da menstruação. Porém, é importante que a pessoa saiba que é importante praticar atividade física regular, desde que não seja em excesso.

2. Dietas muito restritivas

Algumas dietas muito restritivas, podem levar a oscilações hormonais que causam alterações na menstruação. Além disso, a redução de aporte de nutrientes faz com que o organismo aproveite a pequena quantidade de nutrientes para funções mais importantes, o que se pode refletir em atrasos ou mesmo ausência na menstruação.

3. Alterações no sistema reprodutor

Alterações no sistema reprodutor, como endometriose, síndrome dos ovários policísticos ou a presença de miomas no útero, também podem causar oscilações nos hormônios sexuais femininos, podendo levar a alterações na menstruação.

4. Alterações do hipotálamo e hipófise

O hipotálamo e a hipófise são glândulas que estão localizadas no cérebro e que são responsáveis pela regulação dos hormônios sexuais. Doenças que causam alterações nestas glândulas podem levar a oscilações no ciclo e, consequentemente, atrasos ou antecipação da menstruação.

5. Pílula de uso contínuo

A pílula ou outros anticoncepcionais de uso contínuo, como fornecem hormônios ao organismo diariamente e sem pausas, impedem que ocorra a menstruação. Porém, podem ocorrer pequenos sangramentos ocasionalmente, mas em diferentes dias do ciclo.

6. Pré menopausa

Quando a fase da menopausa se começa a aproximar, é normal começarem a ocorrer atrasos ou mesmo falhas na menstruação. Algumas mulheres podem entrar na menopausa numa idade precoce e não perceber que é essa a causa dos atrasos da menstruação.

Saiba quando pode surgir a pré-menopausa e como identificar.

7. Pós-parto

No pós-parto, a menstruação só poderá voltar após a mulher parar de amamentar. Porém, é necessário usar métodos contraceptivos durante a amamentação, para evitar uma gravidez.

Entenda quando é normal que a menstruação volte depois do parto.

8. Uso de anticoncepcional

Em algumas mulheres que deixam de usar anticoncepcional como a pilula, implante ou injeção anticoncepcional, o ciclo menstrual pode demorar cerca de 6 meses a voltar a ser regular, o que é perfeitamente normal, não havendo motivo para preocupação.

9. Estresse e ansiedade

O estresse pode influenciar a regulação hormonal, realizada pelo hipotálamo, no cérebro, levando a alterações na menstruação.

Algumas destas situações podem levar à ausência de menstruação por mais de 3 meses (amenorreia), sendo recomendado consultar o médico caso isso aconteça. Conheça outras causas que podem levar ao atraso da menstruação. 

Também se deve ter em atenção a situações de adolescentes que já tenham completado 16 anos de idade e ainda não menstruaram pela primeira vez.

Nesse caso, o ginecologista pode diagnosticar uma amenorreia primária, que deve ser investigada.

Esse atraso da menstruação pode estar relacionado a problemas como traumatismo craniano, prematuridade ou a defeitos no aparelho reprodutor, como hímen imperfurado, septo vaginal ou ausência de útero.

Como Fazer Com Que O Periodo Nao Venha?

Se a mulher tiver a menstruação atrasada, o primeiro passo é fazer um exame de gravidez de farmácia. Se a menstruação estiver atrasada por mais de 3 meses, e não for possível identificar a causa, deve-se ir ao ginecologista, para que ele possa identificar a causa e tratar o problema, podendo em alguns casos ser recomendado o uso de remédios para descer a menstruação.

O médico pode pedir exames, como o teste do progestágeno e a dosagem da prolactina, para conseguir identificar o motivo desse atraso e indicar o tratamento mais adequado.

Além disso, dependendo do que está a provocar o atraso na menstruação, também é importante:

  • Reduzir a intensidade do exercício físico;
  • Reduzir o estresse;
  • Manter uma alimentação equilibrada, evitando dietas muito restritivas;
  • Manter o peso ideal;
  • Tomar a pílula anticoncepcional, se recomendado pelo ginecologista, para regular o ciclo menstrual.

Além disso, também é recomendado fazer consultas médicas regulares, para identificar possíveis problemas de saúde ou doenças como ovários policísticos, endometriose, anorexia, bulimia, hipertireoidismo ou hipotireoidismo, que podem provocar alterações no ciclo menstrual.

Remédios Caseiros para Descer a Menstruação

Existem alguns remédios caseiros que podem ajudar a descer a menstruação, porém estes apenas devem ser tomados quando não existem suspeitas de gravidez.

1. Chá de Canela

Para preparar este chá, é necessário:

Ingredientes

  • 2 canelas em pau;
  • 1 xícara de água fervente.

Modo de Preparo

Adicionar a canela em pau à água fervente, tapar e deixar repousar durante 10 a 15 minutos. Passado esse tempo, retirar os paus de canela e beber quando estiver morno. Este chá deve ser bebido 1 a 2 vezes por dia até a menstruação descer e, se necessário, pode ser adoçado com um pouco de mel ou açúcar.

  1. Como Fazer Com Que O Periodo Nao Venha?
  2. Para preparar este chá, é necessário:
  3. Ingredientes
  • 5 gramas de flores secas de agoniada;
  • 500 ml de água fervente.

Modo de Preparo

Adicionar as flores de agoniada à água fervente e deixar repousar durante 10 a 15 minutos e coar antes de beber. Deve beber 2 a 3 xícaras deste chá por dia até a menstruação descer.

Estes chás são opções naturais para quando a menstruação está atrasada em alguns dias e apenas devem ser tomados durante 5 a 10 dias, sendo recomendado consultar o médico caso a menstruação não venha durante esse tempo. Além disso, não há comprovação científica de que funcionem na regulação da menstruação. 

Quando deve vir a sua menstruação 

Insira seus dados a seguir e saiba quando deve vir a sua menstruação:

Controlar a data da menstruação é possível e até benéfico, afirmam médicos – Emais – Estadão

Como Fazer Com Que O Periodo Nao Venha?

O ciclo estendido, sem menstruar todo o mês, não é prejudicial para a saúde, garantem os ginecologistas Foto: Hey Paul Studios / Flickr.com/hey__paul

Sessenta anos depois da aprovação da primeira pílula anticoncepcional do mundo, o método segue imitando um ciclo menstrual de 28 dias. A mulher toma o medicamento por 21 dias e faz uma pausa de sete, quando normalmente tem sangramento. 

Mas não precisa ser assim. “É um problema meramente religioso”, explica José Bento, ginecologista e obstetra dos hospitais Albert Einstein e São Luiz.

Depois de décadas de rejeição a métodos de contracepção oral desenvolvidos por pesquisadores como Margaret Sanger e, posteriormente, pelo cientista Gregory Pincus, a indústria percebeu que imitar o ciclo menstrual da mulher seria uma forma mais fácil de convencer a sociedade  – e a Igreja  – a aceitar o medicamento.

Além de não ter motivo científico, a pausa de sete dias na cartela não deixa muitas mulheres felizes. Enquanto 85% das brasileiras menstruam mensalmente, 55% delas dizem que não gostam de ter que passar por isso.

Os dados são da pesquisa Saúde Feminina, do Datafolha, realizada pela Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), em parceria com a Bayer. Foram entrevistadas 2.

004 mulheres na faixa dos 18 aos 35 anos em oito capitais brasileiras.

Se você é mulher, provavelmente sabe por experiência própria que a maioria se incomoda muito “naquela semana” do mês. Mesmo assim, 45% das entrevistadas afirmaram que gostam de menstruar. A maioria justifica essa preferência por considerar a menstruação algo natural (25%), que mostra que estão saudáveis (39%) e que não estão grávidas (24%). 

Portanto, a pausa para o sangramento ainda é considerada importante por quase metade das mulheres, apesar de desnecessária por motivos médicos. “As mulheres não querem menstruar, mas foram ensinadas que é uma coisa boa”, pondera Bento.

César Fernandes, presidente da Febrasgo, explica que o sangramento das mulheres que tomam pílula na verdade nem menstruação é. O útero não se prepara para a chegada da gravidez e a proliferação do endométrio não ocorre da mesma forma. Há uma descamação que é chamada de sangramento de privação.

Os especialistas garantem que, com orientação médica, a paciente não terá problemas ao emendar as cartelas de anticoncepcional. “Eu acho que esse processo de liberdade da mulher não tem volta, e não menstruar é um grande avanço para a mulher”, opina Regina Navarro Lins, psicanalista e escritora. 

Como Fazer Com Que O Periodo Nao Venha?

Fernanda Souza e Karol Conká estiveram presentes no evento Foto: Divulgação/Bayer

A atriz Fernanda Souza concorda. Ela revelou durante a coletiva de imprensa da campanha Sou Eu no Controle, da Bayer, que sofreu muito com cólicas – problema que afeta 62% das mulheres – e conseguiu controlar a dor quando começou a tomar pílula anticoncepcional.

“Eu acho importante a gente escolher o momento de não sentir dor. Quando você tem dor, não consegue trabalhar direito, não consegue dar o seu melhor como ser humano.

Eu digo isso porque já fui algumas vezes para o hospital tomar remédio na veia, já faltei a gravação, já perdi aulas aos 15, 16 anos.”

Já a cantora Karol Conká disse no evento que planeja passar para um método de ciclo estendido em breve. “Sou muito desregulada e não sei que dia menstruo. Fui fazer um show e tinha um look super cavado. Só que fiquei menstruada dois dias antes do esperado e tive que amarrar uma blusa na cintura, fiz o show com um look nada a ver”, disse.

Sem pílula. Bento pondera que algumas pacientes resistem à ideia principalmente por causa do recente movimento de rejeição à pílula anticoncepcional. Elas apontam que preferem se ver livres dos efeitos colaterais, como diminuição da libido e aumento no risco de trombose. “Como médico, você tem que respeitar.

Leia também:  Como O Homem Demonstra Que Sente Saudades?

Eu explico para elas quais são os riscos, sem a pílula, do aumento de estrogênio toda vez que ela ovula. Isso pode a longo prazo trazer problemas para engravidar, como aparecimento de miomas, endometriose, cistos no ovário, pólipos”, diz.

Ele ainda explica que, no passado, essas doenças eram menos comuns porque as mulheres engravidavam com mais frequência.

O médico ainda ressalta que cada paciente precisa conversar com seu ginecologista sobre as possibilidades de contracepção. “Uma mulher que está acima dos 35 anos, é obesa, sedentária e fumante não deve tomar pílula. E pílula anticoncepcional tem que ser orientada por médico.”

Novidade. No mesmo evento, a Bayer anunciou o lançamento de uma pílula anticoncepcional de ciclo estendido, a YazFlex.

O produto é vinculado a um aplicativo no celular que ajuda a mulher a lembrar de tomar a pílula e planejar uma pausa de quatro dias a cada 120 (ou mais pausas, se preferir).

Essa recomendação serve para garantir que, se houver algum sangramento por descamação de endométrio, a mulher terá planejado a data.

Dicas práticas para ciclos menstruais mais confortáveis

Desde muito novas, mesmo antes de menstruarmos pela primeira vez, já escutamos que menstruar é ruim, que dói, que usar absorvente é um saco e que junto da menstruação vêm mais dores, inchaço, o “combo” ódio/amor/estresse/depressão/compulsão/ansiedade e sempre aos extremos.

Muitas vezes, as ideias negativas que construímos sobre a menstruação têm grande peso na forma com a qual nos relacionamos e vivenciamos nosso período menstrual.

Conheça as calcinhas absorventes menstruais Herself e viva o seu ciclo com mais conforto, saúde e liberdade!

Mas, além disso, há muitas formas de termos ciclos menstruais mais saudáveis e tranquilos, com menos (ou nenhuma!) cólica, TPM e outros desconfortos supostamente relacionados a ‘hormônios, útero, ovários & cia’.

Bora ver umas dicas práticas?

Durante o ciclo menstrual inteiro: faça exercícios físicos

Praticar exercícios físicos com regularidade libera endorfina, conhecido como o “hormônio do bem estar” e não à toa: as endorfinas reduzem a ansiedade, aliviam a dor e melhoram a disposição e o sistema imunológico.

A prática de exercícios físicos também melhora a circulação sanguínea e estimula a produção de outros hormônios benéficos à nossa saúde. Juntamente com um estilo de vida saudável, ser ativa e fazer pelo menos 30 minutos de alguma atividade física diariamente é uma ótima estratégia para vivenciar um período menstrual mais confortável e com menos cólicas.

Durante o ciclo menstrual inteiro: alimente-se bem

Parece uma dica óbvia e já manjada, mas não subestime o poder da alimentação em te proporcionar ciclos menstruais incríveis ou tenebrosos. O impacto que a alimentação durante o ciclo inteiro (período entre uma menstruação e outra) tem na TPM e nas cólicas durante o período menstrual, para a maioria das mulheres, é surpreendente.

Leia o texto detalhado sobre a relação entre alimentação e ciclo menstrual

Ter uma alimentação balanceada, com todos os macronutrientes (gorduras, proteínas e carboidratos), é fundamental para produzir hormônios saudáveis, e por consequência, ovular de forma saudável – no caso de quem não utiliza contraceptivos hormonais.

Assim, produzimos, dentro do próprio ‘corpitcho’, outros hormônios benéficos que reduzem a TPM e a dor. Estas, muitas vezes, são sintomas de deficiências nutricionais ou, de forma mais abrangente, da falta de tempo de sermos mais cuidadosas com nosso organismo. Algumas formas de melhorar a qualidade da alimentação são:

  • Priorize comida de verdade. Comida de verdade é, basicamente, o que sua tataravó reconheceria como comida. A comida de verdade não vem numa embalagem com uma lista extensa de ingredientes; ela existe por si só, e na maioria das vezes poderíamos encontrá-la in natura. Reduza a quantidade de processados e ultraprocessados (alimentos produzidos em indústria) e aumente a quantidade de comida simples no seu dia a dia. Experimente novos sabores, conheça as feiras perto de você. Certamente a saúde como um todo agradece – e, dependendo das suas escolhas, o bolso também!
  • Consuma alimentos ricos em ômega 3 para cólicas. O ômega 3 é uma gordura encontrada em sementes e na pele de alguns peixes e possui ação anti-inflamatória, sendo um importante auxiliar na redução ou até eliminação das cólicas menstruais. Alguns alimentos ricos em ômega 3 são sementes de linhaça, sementes de chia, nozes e sardinha.
  • Consuma vitaminas do complexo B para sintomas de TPM. As vitaminas são substâncias que nosso corpo não produz sozinho, mas que são necessárias para a regulação de várias atividades fisiológicas do nosso organismo. É por meio da alimentação que as obtemos. As vitaminas do complexo B são um grupo de vitaminas essencial para várias funções, entre elas o humor e a disposição. Arroz integral, aveia, semente de girassol, gema de ovo e folhas verdes são excelentes fontes de vitamina B1 e B6, por exemplo, intimamente relacionadas com a sensação de bem estar e a melhora de enjoos e dor de cabeça que podem ocorrer no período anterior à menstruação.
  • Capriche no cálcio, zinco e magnésio. Estes três minerais podem ajudar bastante na redução de cólicas menstruais e na regulação hormonal. O zinco, particularmente, também é um grande aliado no combate a acne. Além das fontes de origem animal (carnes, ovos e alguns laticínios), encontramos esses nutrientes em vegetais e folhas verde-escuras, castanhas, levedo de cerveja e sementes de abóbora.
  • Evite frituras, açúcares e cafeína antes de menstruar. Geralmente, estes são alimentos que se tornam um problema quando consumidos nas cerca de duas semanas anteriores à menstruação, por intensificarem as cólicas e/ou os desconfortos. É importante testar o que não faz tão bem para você e evitar ao máximo. Pra mim, por exemplo, a cafeína é indiferente, ao passo que comer ‘friturinhas inocentes’ de óleo de cozinha provocam uma guerra de espadas no meu útero. Algumas mulheres sentem melhora quando cortam laticínios ou trigo. Se você sente muitas dores no período menstrual e tem consumido em excesso estes alimentos, pode ser uma boa reduzir/cortar durante uns dias para ver se melhora.

Se você tem TPM e/ou cólicas fortes sem nenhuma condição ou patologia envolvidas (falaremos um pouco mais logo abaixo), experimente tentar estas dicas. Garanto que sentirá diferença!

Como Fazer Com Que O Periodo Nao Venha?

Durante a menstruação: calor!

A boa e velha bolsa de água quente (ou um pano quentinho) traz bons resultados no alívio da cólica.

Pode ser uma boa alternar entre a região do ventre e a região das costas, próximo à lombar, dependendo de onde estiver a dor.

Esquentar os pés e tomar bebidas quentes, como chás, também podem ajudar. Eu, particularmente, tive bons resultados com chá de folha de amora (que é rico em magnésio!) e com chá de orégano.

Leia sobre as 9 maneiras para diminuir as cólicas ????

Durante a menstruação: aproveite a oportunidade para fortalecer o autocuidado

Entendemos que a rotina às vezes é exaustiva e até maçante. Acaba sendo inevitável negligenciarmos os cuidados com a nossa saúde em função de sermos produtivas. Somos cíclicas, e pelo menos durante o início do ciclo menstrual, há uma tendência de a nossa energia e disposição estarem lá embaixo, devido à queda hormonal.

Seu fluxo é muito intenso? Veja as dicas para lidar com ele

Neste caso, naturalmente gostaríamos de ficar, às vezes, um pouco mais “quietas”. A impossibilidade de colocar isso em prática pode piorar e muito a nossa relação com a menstruação.

Mas talvez, pela própria sobrevivência, seja necessário analisar quais cuidados básicos são possíveis de acrescentar na nossa rotina para vivenciarmos este período com maior conforto.

Considerando isso, é muito importante ressaltar:

Investigue situações mais complexas!

Não é normal sentir dores incapacitantes, que te impedem de levantar da cama, que causam desmaios e/ou que não passam utilizando medicamentos.

Não é normal ter oscilações de humor extremamente severas, que te prejudiquem de forma profunda nas relações pessoais e no trabalho.

Estas situações exigem uma investigação aprofundada com um profissional de confiança.

Dores pélvicas principalmente durante a menstruação podem ser um sintoma de endometriose, um distúrbio que provoca o crescimento do endométrio fora do útero e que acomete milhões de mulheres no Brasil. A endometriose causa dores, sangramentos e pode provocar até infertilidade.

Já as oscilações de humor severas durante o período da TPM, que se “estendem” do “comum”, podem ser um sinal de um tipo mais grave de TPM, a TDPM – Tensão Disfórica Pré-Menstrual, cujo tratamento é feito com auxílio médico e psicológico.

Como sempre reforço, não podemos naturalizar a dor e o sofrimento feminino como algo normal e natural. A dor é a forma que nosso organismo nos comunica que algo não está ok. Tenhamos em mente, então, que não naturalizar a dor como algo intrínseco à menstruação e a ter útero e ovários é essencial para promovermos o autocuidado e a boa relação com os nossos ciclos.

Abraço!

Afinal, existe alguma forma de fazer a menstruação vir mais rápido? – ISTOÉ Independente

Não tem erro: a menstruação adora aparecer nos momentos mais inoportunos. Quem nunca ficou menstruada um dia antes de sair para uma semana de férias?

Em momentos como esses, você poderia pensar “droga, se eu pudesse fazer minha menstruação vir quando quisesse…”. Mas será que isso é possível? Definitivamente parece loucura, mas existe alguma maneira de acelerar as coisas se você quer que sua menstruação venha?

Espere, como é um ciclo normal de menstruação?

Os ciclos menstruais geralmente duram 28 dias, mas qualquer coisa entre 24 e 38 dias é considerada “regular”. Contudo, é bom saber que períodos irregulares de vez em quando não são algo para se preocupar.

“Agora, se ele sempre varia, você deve ver seu ginecologista”, diz Dalia Davood, ginecologista no Advocate Lutheran General Hospital em Park Ridge, de Illinois (EUA).

“Dessa forma, seu médico pode descartar desequilíbrios hormonais causados pela síndrome do ovário policístico, a transição da menopausa (perimenopausa), menopausa, estresse ou um distúrbio da tireoide”, completa ela.

Mas regular ou irregular, às vezes você quer que sua menstruação apenas chegue antes. Mas isso é possível?
Primeira coisa: pergunte-se por que está tão ansiosa para a menstruação vir logo. Se é porque você tem férias planejadas, desculpe, mas você não está com sorte.

Leia também:  Como Ver Quem Usa A Minha Net?

Leia mais

Por que meu sangue da menstruação está preto?
4 motivos que te levam a engordar durante a menstruação

Sim, uma pesquisa rápida na internet te mostrará uma longa lista de remédios que alegam induzir seu período.

suplementos de vitamina C, aspirina, gengibre, açafrão, chá de canela, técnicas de relaxamento, sexo ou uma compressa quente ou banho, para citar apenas alguns.

Mas, embora você provavelmente encontre alguém que possa atestar que cada um desses métodos funciona, para a ciência não é bem assim.

“Não há dados científicos que mostrem que qualquer um desses métodos induzirá seu período”, diz Davood. De fato, a profissional desaconselha tentar fazer com que sua menstruação venha mais rápido sem antes ser avaliada por um profissional qualificado.

Mas a resposta final é: sim, dá para antecipar sua menstruação. “Existem alguns medicamentos hormonais que podem ser usados para induzir a menstruação. Contudo, eles só devem ser usados se forem considerados necessários pelo seu médico em situações muito específicas”, diz ela.

Leia mais

Afinal, é possível engravidar durante a menstruação?

Veja alguém com síndrome do ovário policístico, por exemplo. O médico pode prescrever um medicamento para induzir um período para fins de saúde. “Podemos considerar que induzir um ciclo (como períodos prolongados sem menstruação) pode aumentar os riscos de espessamento anormal do revestimento”, diz Davood. Mas, novamente, isso é algo que precisa ser discutido com seu ginecologista.

Ah, uma última coisa: teoricamente, a profissional diz que se você parar sua pílula anticoncepcional aleatoriamente no meio do caminho, sua menstruação provavelmente virá mais cedo do que o normal devido à mudança hormonal.

Veja também

+ Receita simples de bolo Red Velvet + Yasmin Brunet comemora vitória de Gabriel Medina + Receita de panqueca americana com chocolate + Receita rápida de panqueca de doce de leite + Contran prorroga prazo para renovação da CNH + Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa + 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer + Cinema, sexo e a cidade + Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais + Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz + Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago + Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS

O que pode causar um atraso menstrual?

Atrasar a sua menstruação pode ser estressante. Você fica preocupada se está ou não grávida ou se há algo errado com você.

Embora gravidez e doença possam fazer com que a menstruação atrase ou simplesmente não venha, também há outros fatores, como estresse ou a variação natural do ciclo menstrual, que podem fazer com que a menstruação atrase” for “causar o atraso na menstruação. Continue a leitura para aprender tudo sobre as causas do atraso menstrual.

  • Se você tiver tido relações sexuais sem proteção e sua menstruação está atrasada, faça um teste de gravidez caseiro para descobrir se está grávida ou não.
  • Você também pode estar com a menstruação atrasada ou não menstruou devido a estresse, perda de peso repentina, excesso de atividade física, excesso de peso, amamentação, proximidade da menopausa ou uso de alguns contraceptivos.
  • Algumas condições médicas de longo prazo, como hipertireoidismo, síndrome do ovário policístico, diabetes e doença cardíaca, também podem fazer com que a menstruação cesse ou se torne irregular.
  • Muitas mulheres têm ciclos irregulares devido à variação natural.

Atrasos menstruais e gravidez

Se você tiver tido relações sexuais sem proteção, o atraso menstrual pode ser devido ao fato de você estar grávida. Primeiro, é recomendável fazer um teste de gravidez para descartar essa possibilidade, ou você pode conferir se precisa fazer um teste com nosso quiz “Estou grávida?”. 

Fique atenta aos sintomas precoces de gravidez; por exemplo:

  • seios sensíveis ao toque
  • enjoo matinal
  • frequência urinária
  • fadiga

Esses sintomas, juntamente com o atraso menstrual, podem significar que você está grávida.

Não estou grávida; então, por que minha menstruação está atrasada?

O teste de gravidez deu negativo, e sua menstruação ainda não veio. E agora? Há muitas razões possíveis para menstruação atrasada ou ausente ou, ainda, para que tenha cessado por completo. 

Se a possibilidade de gravidez não puder ser descartada com um resultado do teste negativo, a menstruação pode estar atrasada ou ausente devido a: 

  • Estresse: essa pode ser uma das principais razões de menstruação atrasada ou ausente. Tire um tempo para relaxar, fazer atividades físicas regulares ou até exercícios de respiração para controlar o estresse.
  • Perda de peso repentina: isso pode fazer com que a menstruação cesse, pois distúrbios alimentares ou restrição rigorosa de calorias podem cessar a produção dos hormônios necessários para ovulação.
  • Excesso de atividade física: atividade física em excesso ou intensa pode causar desequilíbrios hormonais.
  • Hipertireoidismo: a doença da tireoide pode interferir no ciclo.
  • Condições médicas de longo prazo: algumas condições, como doença cardíaca ou diabetes, podem causar atrasos menstruais ou menstruações irregulares. 
  • Excesso de peso ou obesidade: excesso de peso ou ganho de peso podem fazer com que o organismo produza estrogênio demais, o que pode afetar o ciclo menstrual.  
  • Síndrome do ovário policístico (SOP): os ovários policísticos possuem muitas bolsas subdesenvolvidas nas quais os óvulos crescem e, muitas vezes, eles são incapazes de liberar um óvulo, o que impede a ovulação. A SOP afeta uma em cada dez mulheres no Reino Unido e é responsável por um a cada três casos de menstruação irregular.
  • Proximidade da menopausa ou perimenopausa: com a proximidade da menopausa, que ocorre normalmente entre os 45 e 55 anos, os níveis de estrogênio começam a diminuir, e a ovulação pode ser menos frequente. Algumas mulheres, cerca de 1 em 100, enfrentam menopausa prematura, que ocorre antes dos 40 anos. Se sua menstruação não vem há 3 meses e você tem menos de 45 anos, consulte seu(sua) médico(a).
  • Amamentação: se você está em período de amamentação, suas menstruações podem ser irregulares ou não ocorrer.  Sua menstruação pode não vir até que você encerre o período de amamentação, mas isso não significa que você não esteja fértil; por isso, certifique-se de usar contraceptivo caso ainda não queira engravidar novamente. 
  • Contraceptivos: alguns tipos de contraceptivos, como a pílula anticoncepcional apenas com progesterona, a injeção contraceptiva ou o sistema intrauterino (SIU), podem fazer com que as menstruações cessem por completo. 

Há muitas razões para o atraso ou a ausência da menstruação, e a maioria delas, como estresse, não é motivo para alarme; as menstruações podem voltar ao normal com algumas mudanças saudáveis no estilo de vida. 

No entanto, para descartar qualquer motivo de preocupação, se você tiver mais de um atraso menstrual, é recomendável consultar seu(sua) médico(a) para aconselhamento médico. 

Estou atrasada realmente?

Você pode achar que sua menstruação está atrasada, mas isso pode ser uma variação natural do seu ciclo normal.

Muitas mulheres passam por alguma variação de mês em mês nos seus ciclos, normalmente cerca de dois ou três dias; por isso, sua menstruação pode vir no 27º dia em um mês e no dia 33º dia em outro.

No entanto, para algumas mulheres, a variação é ainda maior: 46% dos ciclos podem ter um desvio de 7 dias ou mais; e 20%, 14 dias ou mais. 

Cada mulher tem um ciclo diferente; e, com a idade e a proximidade da menopausa, você pode notar que seus ciclos também se tornam mais irregulares. Caso ainda não faça isto, monitorar seus ciclos menstruais pode ajudá-la a descobrir o que é normal no seu caso e qual é a variação. Se você tem alguma preocupação, converse com seu(sua) médico(a). 

Menstruação e Ciclo Menstrual

A menstruação ou cataménio, por vezes, também chamado período, é resultado da descamação do interior do útero, sendo composto de sangue e células endometriais.

Com a diminuição das hormonas (sobretudo progesterona), no final do ciclo menstrual anterior, diminui a estimulação desta camada uterina (endométrio), que se desintegra parcialmente, saindo pelo colo do útero e vagina, dando origem ao “período” ou fluxo menstrual. 

O período menstrual ou ciclo menstrual é o intervalo de tempo desde o início de uma menstruação até à menstruação seguinte.

A este intervalo também se dá o nome de interlúnio. Trata-se do conjunto de mudanças cíclicas que permitem a gravidez.

Envolve o equilíbrio de vários órgãos e um conjunto de hormonas cuja sincronia é fundamental para que o ciclo se desenvolva normalmente.

Fases do ciclo menstrual

Por convenção, o ciclo menstrual começa com a menstruação ou cataménio, que se pode entender como um reinício de todo o sistema, na ausência de gravidez no ciclo anterior.

Depois um novo folículo é desenvolvido enquanto se “reconstrói” o endométrio.

Chegando a altura da ovulação, iniciam-se alterações da estrutura endometrial, que voltam a desaparecer na ausência de gravidez, reiniciando o ciclo.

Habitualmente distinguimos duas fases do ciclo, separadas pela ovulação.

A primeira fase, proliferativa, ou fase folicular, relaciona-se com o crescimento de um novo folículo e espessamento gradual do endométrio.

No final desta fase dá-se a ovulação e depois, o conjunto de hormonas em circulação torna o endométrio recetivo a um possível embrião. Esta segunda fase, lútea ou secretora, termina quando a mulher menstruar, iniciando-se o novo ciclo.

Quantos dias tem um ciclo menstrual?

Os ciclos de mulheres adultas saudáveis têm entre 21 e 35 dias, sendo 28 dias a média. Mulheres dos 25-35 anos aproximam-se mais do intervalo 28-35 dias. Em adolescentes pode ter entre 21 e 45 dias.

Os ciclos regulares têm uma variação inferior a 7-9 dias de ciclo para ciclo. Ou seja, a diferença entre os ciclos mais curtos e mais compridos é menor que cerca de 7 dias.

Várias teorias foram sendo apontadas para a duração média do ciclo, mas não existe evidência clara que esta esteja relacionada, nomeadamente, com o ciclo lunar, que tem 29,5 dias. As marés foram relacionadas, por serem resultado da proximidade lunar. A luz proporcionada pela lua também foi apontada como influenciadora.

Ainda relacionado com a lua, uma explicação evolucionária, de eco genético dos nossos antepassados caçadores coletores: estes usariam o ciclo lunar para medir o tempo e caçariam mais durante a lua cheia e menos durante a lua nova, pelo que existiria vantagem evolutiva para as mulheres que ovulassem numa altura específica de menor atividade, por exemplo a lua nova.

Isso levaria a uma seleção dos humanos com esse tipo de ciclos, mais próximos do “calendário” usado.

Leia também:  Como Evitar Que O Pc Aqueca?

Apesar de evidência pontual e argumentos terem aparecido ao longo dos anos para as teorias referidas, nenhuma delas foi confirmada em estudos maiores, pelo que não são, geralmente, aceites.

A lua não tem, hoje, nenhum efeito provado na fisiologia humana.

Dizemos hoje porque numa altura sem iluminação elétrica teria certamente um efeito na atividade (ou ausência desta) dos humanos à noite, o que por sua vez poderia ter efeitos na fisiologia.

A variação da duração do ciclo relaciona-se sobretudo com a variação da fase folicular. A fase lútea é relativamente constante.

Quantos dias dura a menstruação?

Numa mulher saudável, com ciclos espontâneos (sem medicação ou pílula), o cataménio (período) tem habitualmente uma duração menor que 8 dias. Dentro deste intervalo, existe grande variação entre mulheres, mas menos variação de ciclo para ciclo, numa mulher com ciclo regulares.

Sinais e sintomas no ciclo menstrual 

Um ciclo menstrual normal dá origem a variações identificáveis objetivamente e percetíveis pela mulher. Começando pela menstruação, que é um sinal objetivo do início do ciclo novo.

Esta é muitas vezes acompanhada por dores menstruais, que por vezes começam ainda antes da menstruação. Não raras vezes, pode ser necessária medicação para aliviar a dor.

Dismenorreia é o termo clínico para menstruação dolorosa, que pode ser debilitante em alguns casos.

As mudanças identificáveis continuam com as alterações do corrimento, que se torna progressivamente mais claro e transparente. Chegando a altura da ovulação, estas características são máximas e o corrimento poderá ser “esticado” entre dois dedos. Também podem ser sentidas dores durante a ovulação.

A ovulação determina mudanças hormonais que, por sua vez, levam a novos sintomas. Tensão mamária, corrimento mais espesso, entre outras alterações variáveis entre mulheres podem ser sentidas, de forma cíclica, nesta fase (fase lútea).

O sangramento antes da menstruação, especialmente se recorrente, merece uma avaliação. É, no entanto, uma queixa habitual e raramente associada a patologia, se aparecer apenas numa ocasião ou raramente.

Síndrome pré-menstrual

A síndrome pré-menstrual é um conjunto de alterações físicas, psíquicas e de humor que normalmente aparecem dias antes do cataménio (menstruação). Devem ser distinguidas de outras patologias, nomeadamente do foro psiquiátrico.

Habitualmente envolvem mudanças de humor e irritabilidade.Esta síndrome varia desde pequenas alterações, que são desvalorizadas pelas próprias mulheres, durante dois ou 3 dias, até sintomatologia severa e limitante que pode durar até duas semanas.

O tratamento, depois de bem caracterizada a situação e feito o diagnóstico, poderá passar pelo uso de fármacos, sendo a pílula um dos mais comuns. Exercício físico, diminuição da cafeína e álcool podem ajudar nos casos leves a moderados e são recomendáveis a todas as mulheres.

Qual o período fértil para engravidar?

A gravidez pode ocorrer sempre que existe fecundação do ovócito (que é gerado em cada ciclo menstrual) por um espermatozoide. Este ovócito poderá ser fecundado em cerca de 12 horas após a ovulação.

O período fértil é de cerca de 6 dias, incluindo o dia da ovulação e os 5 dias anteriores.

A probabilidade aumenta, se existiu uma relação sexual nos cerca de dois dias precedentes à ovulação, e no dia da ovulação.

Com ciclos regulares, será possível calcular a ovulação como cerca de 14 dias antes da próxima menstruação esperada.

De uma forma geral, relações cada dois a três dias poucos dias após cessação do fluxo menstrual aumentam a probabilidade de gravidez, mesmo sem uma precisa identificação da ovulação.

Menstruação irregular

Já vimos, acima, em que consiste um ciclo regular. O ciclo menstrual pode ser irregular por diversos motivos. Interessa, por isso, caracterizar as queixas e um calendário menstrual, em que são registadas as perdas menstruais. A menstruação irregular, dita como tal, tem de ser objetivada.

É frequente, depois de uma análise, explicar que as supostas irregularidades do ciclo se devem a desconhecimento da fisiologia normal. Algumas mulheres queixam-se de “menstruação desregulada” ou período irregular porque atrasam sempre (no dia do mês) quando isso pode significar que têm ciclos regulares e normais de, por exemplo, 34 dias.

Assim, uma menstruação vem sempre mais tarde no dia do mês do que a anterior.

Entre as causas mais frequentes de irregularidades menstruais podemos referir a imaturidade hormonal, (comum na adolescência), alterações estruturais do útero, como miomas ou pólipos, alterações dos ovários, como quistos ou alterações da ovulação.

Saiba, aqui, tudo sobre irregularidades do ciclo menstrual.

Alterações no cataménio (período ou menstruação)

O fluxo menstrual normal dura até 8 dias, com perda de sangue entre 5-80ml, e aparece com regularidade (ver Quantos dias tem um ciclo menstrual?). A cor varia desde que começa até acabar, e entre mulheres. A menstruação prolongada tem mais de 8 dias e deve ser estudada, se habitual.

Algumas mulheres têm um corrimento antes da menstruação diferente, que pode ter características como cor acastanhada.

A menstruação, para além do vermelho em várias tonalidades, pode ser castanha (marrom), por vezes mais escura, raras vezes quase preta, com aspeto “borra de café”.

Estas cores escuras aparecem mais vezes quando o fluxo é em menor quantidade, sendo resultado da decomposição do ferro presente no sangue.

Uma menstruação “adiantada” ou atrasada depende, como vimos, de uma correta interpretação do ciclo menstrual da mulher, e uma análise dos vários ciclos (meses) precedentes.

Tendo em conta que o fluxo menstrual total pode ser de apenas de 5ml, esta pode ser erradamente interpretada como pouca. Nestes casos, é também, como vimos, mais castanha ou escura. Da mesma forma, a menstruação abundante é difícil de objetivar.

Uma menstruação que vaze pensos grandes em pouco tempo (menos de 3 horas), que use mais de cerca de 20 pensos, que vaze habitualmente durante a noite, com coágulos grandes, que cause anemia, ou que de outra forma interfira física, psíquica ou socialmente na qualidade de vida da mulher merece avaliação.

As alterações do fluxo menstrual são interpretadas no contexto do ciclo menstrual da mulher. Daí que a sua normalidade dependerá de uma série de fatores, como a duração, timing previsto da ovulação (e se esta ocorre), idade, etc.

Nunca esquecer que a pílula e outras medicações hormonais alteraram todas estas características, na medida em que, na maioria das vezes, o ciclo menstrual é interrompido e a “menstruação” (mais corretamente chamada de hemorragia de privação), se existente, terá características em relação com o(s) fármaco(s) usado(s).

Menstruação atrasada

Uma menstruação atrasada é causa de grande ansiedade na mulher, quer deseje ou não uma gravidez. Já vimos que a variabilidade normal do ciclo pode ir até 7 dias entre os ciclos mais curtos ou longos. Se a menstruação não for regular, esta diferença pode ser muito superior.

Um atraso menstrual significativo (mais de uma semana num ciclo regular) pode ser um sinal de gravidez, mas nem sempre. Um simples teste de gravidez da farmácia poderá confirmar ou excluir gravidez com enorme certeza em poucos minutos. Atualmente, qualquer teste de urina é extremamente fiável, quando existe um atraso menstrual.

A minha menstruação será normal?

Já vimos que existe grande variabilidade naquilo que se pode considerar normal. Na dúvida, deve consultar o seu médico para esclarecer as suas dúvidas em relação a este aspeto da sua fisiologia.

Alguns sinais que deverão suscitar esclarecimento e/ou acompanhamento, serão:

  • Ausência de menstruação aos 14 anos sem desenvolvimento das características sexuais secundárias (por exemplo, crescimento mamário);
  • Ausência de menstruação aos 16 anos, independentemente do restante desenvolvimento;
  • Ausência de menstruação regular e espontânea;
  • Dores muito fortes durante a menstruação (dismenorreia), especialmente se aparecerem sem nunca as ter tido (ou com essa intensidade) e/ou não cederem facilmente a medicação;
  • Menstruações muito abundantes ou muito prolongadas (mais de uma semana);
  • Perdas sistemáticas ou abundantes de sangue fora do cataménio (período) sem uso de medicação que o justifique.

Primeira menstruação

A primeira menstruação (menarca) acontece em média entre os 12-13 anos, e normalmente até aos 15 anos. Amenorreia primária é o nome para a ausência de menstruação numa jovem que ainda não menstruou aos 16 anos, ou dois anos após o desenvolvimento das suas características sexuais secundárias, como o desenvolvimento mamário.

Puberdade, ou aparecimento de sinais sexuais secundários (desenvolvimento das mamas e pelo púbico) antes dos 8 anos numa menina poderá não ser normal. Ausência da puberdade aos 14 anos merece também estudo.

Qual a idade normal da menopausa?

A menopausa é definida por cessação permanente da menstruação, sem outra causa patológica ou fisiológica. Diagnostica-se 12 meses após a última menstruação. A idade média da menopausa é de cerca de 51 anos, sendo habitual entre os 43 e os 57 anos.

Antes dos 40 anos merece avaliação e estudo, pois nesta faixa define-se como insuficiência ovárica primária (antes chamada falência ovárica prematura).

O diagnóstico da menopausa é clínico, pelo que as análises e exames servirão apenas para avaliar dúvidas clínicas em relação à causa da amenorreia (ausência de menstruação), ou estudo de uma menopausa precoce.

A menopausa ou, mais precisamente, a peri-menopausa ou climatério pode causar várias irregularidades menstruais. Este período de transição pode durar até 5 anos ou mais, sendo altamente variável. As alterações incluem irregularidades da duração do ciclo, intervalos crescentes de amenorreia (ausência de menstruação) e cessação da ovulação.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*