Como Fazer Com Que O Periodo Acabar Mais Rapido?

Como Fazer Com Que O Periodo Acabar Mais Rapido? Imagem de Vladislav Muslakov, está disponível no Unsplash

A insônia é um tipo de distúrbio do sono. Indivíduos com insônia acham difícil adormecer, permanecer dormindo ou ambos. Além disso, essas pessoas geralmente não se sentem descansadas quando acordam. Isso pode levar à fadiga e prejudicar a qualidade de vida.

A insônia é o mais comum de todos os distúrbios do sono. Para ser diagnosticado como insônia, o problema geralmente envolve os seguintes sintomas:

  • Dificuldade para dormir que ocorre pelo menos três noites por semana durante um mínimo de três meses;
  • Dificuldade para dormir que causa problemas funcionais na vida da pessoa.

Causas da insônia

As causas da insônia dependem do tipo de insônia que acomete a pessoa. A insônia de curto prazo pode ser causada por estresse, um evento perturbador ou traumático, ou alterações nos hábitos de sono.

Já a insônia crônica dura pelo menos três meses e é geralmente secundária a outro problema ou uma combinação de problemas, incluindo:

  • Condições médicas que dificultam o sono, como artrite ou dor nas costas;
  • Questões psicológicas, como ansiedade ou depressão;
  • Uso de medicamentos ou outras substâncias.

Fatores de risco para insônia

A insônia pode ocorrer em qualquer idade e tem maior probabilidade de afetar mulheres do que homens. Fatores que aumentam o risco de desenvolver insônia incluem:

  • Transtornos emocionais, como depressão, ansiedade ou angústia relacionados a um evento de vida;
  • Viajar para locais com fusos horários diferentes do habitual;
  • Altos níveis de estresse;
  • Sedentarismo;
  • Mudanças nas horas de trabalho ou turnos noturnos de trabalho;
  • Disritmia circadiana;
  • Baixa renda.

Certas condições como menopausa, obesidade e doenças cardiovasculares também podem levar à insônia.

Sintomas de insônia

Pessoas que sofrem de insônia geralmente relatam pelo menos um destes sintomas:

  • Acordar cedo demais;
  • Sono que não promove descanso;
  • Dificuldade para adormecer ou permanecer dormindo.

Estes sintomas de insônia podem levar a outros sintomas, incluindo:

  • Fadiga;
  • Mudança de humor;
  • Irritabilidade;
  • Dificuldade de concentração.

O que é bom para insônia

Existem tratamentos farmacêuticos e não-farmacêuticos para a insônia. Seu médico ou médica pode conversar com você sobre quais tratamentos podem ser apropriados. Mas existem alguns comportamentos que facilitam o aparecimento de sono, tais como:

  • Evitar bebidas com cafeína, principalmente depois das 16h;
  • Evitar atividade física perto da hora de dormir;
  • Evitar a luz azul antes de dormir;
  • Evitar ficar na cama sem pretender dormir, por exemplo, para assistir TV ou mexer no celular.

Remédios caseiros para insônia

Muitos casos de insônia podem ser geridos de forma eficaz fazendo mudanças de estilo de vida ou utilizando remédios caseiros.

Chás

Suplemento de valeriana, passiflora (presente no maracujá) e erva-cidreira são alguns exemplos que melhoram o sono. Mas você também pode fazer os chás desses vegetais antes de dormir. Quanto mais concentrado, melhor o efeito.

  • Valeriana: para que serve, indicação e efeitos colaterais

O chá de camomila também é tradicionalmente utilizado para obter efeitos calmantes e estudos já mostraram que a camomila leva a uma melhora significativa na qualidade do sono. O cacau também ajuda a promover o sono. Um estudo feito com animais sugeriu que o cacau natural pode melhorar a insônia induzida pelo estresse.

Meditação

A meditação é um remédio natural e fácil para o tratamento da insônia. A meditação pode ajudar a melhorar a qualidade do seu sono, além de facilitar o processo de adormecer e permanecer dormindo.

A meditação também pode ajudar com sintomas de condições que podem contribuir para a insônia, tais como:

  • Estresse;
  • Ansiedade;
  • Depressão;
  • Problemas digestivos;
  • Dor.

Melatonina

O hormônio melatonina é naturalmente produzido pelo organismo durante o ciclo do sono. As pessoas geralmente tomam suplementos de melatonina na esperança de melhorar o sono.

Entretanto, os estudos sobre os efeitos da melatonina são inconclusivos.

Há algumas evidências de que os suplementos de melatonina podem diminuir um pouco o tempo que a pessoa leva para adormecer, mas mais pesquisas são necessárias.

A melatonina é geralmente considerada segura por um curto período de tempo, mas sua segurança a longo prazo ainda precisa ser confirmada.

Óleos essenciais

Óleos essenciais são naturais e podem ser muito benéficos para ajudar no tratamento da insônia por meio da aromaterapia.

Alguns óleos essenciais que ajudam no tratamento da insônia incluem:

  • Camomila romana;
  • Madeira de cedro;
  • Lavanda;
  • Sândalo;
  • Neroli ou laranja amarga.

Uma revisão de 12 estudos descobriu que a aromaterapia ajuda a promover o sono.

  • O que é aromaterapia e quais seus benefícios?

Outro estudo descobriu que a lavanda é especialmente útil na promoção e manutenção do sono. O estudo relatou que uma mistura de óleos essenciais reduziu o distúrbio do sono e aumentou o bem-estar em adultos mais velhos.

Os óleos essenciais geralmente não causam efeitos colaterais quando usados ​​conforme as instruções.

A maioria dos óleos essenciais foram classificados como GRAS (geralmente reconhecido como seguro) pela Food and Drug Administration (FDA) dos EUA.

No entanto, a aromaterapia não é regulamentada por lei e nenhuma licença é necessária para a prática. Portanto, é importante selecionar profissionais e produtos com cuidado.

Saiba mais sobre a aromaterapia e os óleos essenciais nas matérias: “O que é aromaterapia e quais seus benefícios?” e “O que são óleos essenciais?”.

Rotina para a hora de dormir

Manter uma rotina na hora de dormir pode favorecer o sono, ajudando o relógio biológico a manter um horário regular.

Nessa rotina, algumas práticas podem favorecer o organismo, tais como ir para a cama duas a três horas mais cedo do que o normal, tomar o café da manhã logo após acordar, almoçar no mesmo horário todos os dias e jantar no máximo às 19h e expandir os bons hábitos de sono para toda a família.

Nesse último caso, os pais podem trabalhar a rotina de sono com os filhos desde a infância, evitando problemas de insônia. Um estudo publicado na revista PLoS ONE feito por psicólogos definiu cientificamente o que constitui uma boa rotina para crianças entre as idades de dois a oito anos. As orientações se resumem em algumas ações que podem ser feitas uma hora antes de dormir:

  • Escovar os dentes;
  • Evitar comer e beber depois de escovar dente e limitar os lanches antes de dormir;
  • Ler ou compartilhar um livro com as crianças ou simplesmente contar uma história;
  • Evitar atividades estimulantes e dispositivos eletrônicos, como televisão e celular;
  • Interagir com a criança com calma, realizando atividades e brincadeiras relaxantes, tais como abraçar e cantar.

Insônia na gravidez

A insônia é comum durante a gravidez, especialmente no primeiro e terceiro trimestres. Hormônios flutuantes, náusea, dor, cãibras, desconforto nas costas e aumento da necessidade de urinar são algumas das alterações corporais que podem manter a gestante acordada.

Também é possível o aparecimento de fatores estressantes, como ansiedade em decorrência das crescentes responsabilidades que terá como mãe. Além disso, o corpo está passando por muitas mudanças, com um metabolismo ativo e aumento de progesterona, para acomodar a nova vida. Então é normal haver mudança nos padrões de sono.

Comportamentos que podem melhorar a insônia na gravidez incluem:

  • Manter-se ativa durante a gestação;
  • Manter uma dieta saudável;
  • Ficar bem hidratada;
  • Manter um horário de sono regular;
  • Praticar técnicas de relaxamento durante o dia;
  • Tomar um banho morno antes de dormir, se há ansiedade.

A boa notícia é que a insônia relacionada à gravidez geralmente passa – e ela não afeta o desenvolvimento do bebê.

Diagnóstico da insônia

Para chegar a um diagnóstico, a sua médica ou médico fará perguntas sobre:

  • Condições médicas;
  • Ambiente social;
  • Condição psicológica ou emocional;
  • Histórico do sono.

Essas informações podem ajudar o profissional a determinar as causas subjacentes à insônia. Para facilitar, você pode:

  • Manter um registro do sono;
  • Gravar quando você adormecer;
  • Observar o contexto quando você acorda repetidamente;
  • Relatar a que horas você acorda todos os dias.

Um registro do sono dará ao profissional da saúde uma imagem dos seus padrões de sono. O médico ou médica também pode solicitar exames médicos ou exames de sangue para descartar outros problemas médicos que possam ser as causas da insônia. Às vezes, é recomendado um estudo do sono.

Veja também:

Cadastre-se e receba nosso conteúdo em seu email. Comunicar erro

Sangramento livre: mulheres adotam técnica para eliminar menstruação sem absorventes

Abaixo absorventes! Um novo movimento da ginecologia natural, em prol de uma menstruação sem absorventes, começa a se popularizar e a ganhar adeptas pelo mundo. O objetivo é eliminar o fluxo menstrual naturalmente, condicionando o organismo a reter o sangue para liberá-lo no vaso sanitário.

Depois da tendência do copo coletor, muitas mulheres estão agora recorrendo ao sangramento livre, chamado de free bleeding, nos Estados Unidos, ou flux instinctif libre (FIL), na França.

O método consiste em condicionar o corpo para reter a menstruação a tempo de eliminá-la naturalmente.

Todo o segredo está no períneo, músculo da região pélvica, que pode segurar o fluxo temporariamente até o momento de liberá-lo.

Leia também:  Como Ajudar Alguem Que Bebe Demais?

Como Fazer Com Que O Periodo Acabar Mais Rapido? Em média, uma mulher utiliza entre 10 mil e 15 mil absorventes descartáveis da puberdade até a menopausa. – RFI

A naturopata francesa Jessica Spina, especializada no corpo feminino, é uma das precursoras da técnica na França. Praticante há vários anos do fluxo instintivo livre (FIL), ela também realiza uma pesquisa com um grupo de cerca de 30 mulheres adeptas à técnica.

Segundo ela, a possibilidade de retenção de sangue é possível graças a pequenas cavidades no colo do útero. “Quando contraímos a vagina, o sangue que deveria sair pelo colo do útero, fica nessas pequenas cavidades”, explica.

Entretanto, a especialista lembra que a retenção é possível durante alguns minutos: a eliminação da menstruação deve ser feita regularmente. “É preciso levar em consideração que quando o sangue deixa o útero, não é como uma torneira que jorra sem parar. A saída da menstruação é feita em etapas, gradativamente”, salienta.

Todo o conhecimento obtido com os anos praticando o FIL, Jessica Spina detalha no livro “Le Flux Instinctif Libre : l’Art de Se Passer de Protection Periodique” (O Fluxo Instintivo Livre: a Arte de Evitar Absorventes, tradução livre), um guia de como adotar a técnica.

“Transmito essa descoberta que, para mim, foi uma verdadeira revolução interior. É uma espécie de libertação de algumas crenças de que a mulher não pode controlar seu corpo.

Na verdade, é apenas uma questão de as mulheres se conhecerem, se estudarem e terem o domínio de seu organismo”, diz.

Apesar de o FIL ainda não ser adotado por um grande número de mulheres na França, ele vem se popularizando através das redes sociais. A YouTuber Claire relatou sua experiência de substituir os absorventes pelo fluxo instintivo livre em seu canal Bicar & Co.

Em entrevista à RFI, ela conta que a técnica foi adquirida há um ano e, pouco a pouco, à medida em que foi aprendendo a compreender como funcionava o fluxo menstrual. Para ela, tudo é uma questão de ouvir seu próprio organismo.

“O FIL é algo que aprendi com o tempo. É preciso vários ciclos para se adaptar e a reconhecer os sinais que o corpo nos envia para sabermos quando devemos ir ao banheiro. É por isso que chamamos de ‘instintivo’, porque aprendemos a identificar quando é hora de eliminar a menstruação”, afirma.

A experiência, segundo ela, é vivida de forma diferente por cada mulher. “Algumas vão saber que é hora de ir ao banheiro sentindo alguma dor no ventre; outras percebem uma espécie pressão no útero. Eu, por exemplo, não tenho nenhum sinal, mas eu sei quando a menstruação está descendo: às vezes acordo à noite porque sei que preciso ir ao banheiro eliminar meu fluxo”, diz.

A terapeuta especializada no corpo da mulher Apolline Compagnon, criadora do site La Gazette Bio, acredita que o domínio de FIL requer treinamento. “A motivação da mulher vai ter um papel essencial, assim como um períneo tônico. Penso que a prática de yoga também pode ajudar a sentir o corpo profundamente, estar mais à vontade com as sensações”, avalia.

Segundo a especialista, há duas grandes vantagens de adotar a técnica: econômica, para deixar de comprar absorventes, e ecológica, para evitar o descarte do material utilizado, raramente reciclável. Em média, uma mulher utiliza cerca de dez absorventes descartáveis a cada ciclo menstrual; entre 10 mil e 15 mil da puberdade até a menopausa.

Apolline Compagnon lembra, no entanto, que a mulher pode optar por outros métodos mais ecológicos: como os absorventes laváveis, a calcinha-absorvente (reutilizável) ou o copo coletor. A principal questão, para a terapeuta, é a possibilidade de a mulher poder dominar seu organismo.

“O FIL é um método natural porque não precisa de ‘material exterior’. O que a mulher deve se perguntar é se deseja controlar a menstruação, quando ela já deve ter um imenso controle de seu cotidiano. Nada impede que ela utilize diversos métodos: o FIL quando estiver em casa [ou mesmo à noite] e absorventes ou o copo coletor quando sair”, recomenda.

No Brasil, o FIL é conhecido como sangramento livre. Segundo a naturóloga Ana Arruda, especializada em ginecologia natural, o método não é novo, mas vem se popularizando entre as brasileiras nos últimos tempos.

Ana Arruda também é uma adepta do método que, para ela, vai além das questões econômicas e ecológicas.

“Há momentos, durante a menstruação, que não dá vontade de usar nada, nem mesmo uma calcinha absorvente ou um absorvente de pano.

A gente quer essa liberdade de fluidez, já que passamos muitos anos tendo a nossa feminilidade, nossa menstruação e nossos corpos dominados. Eu senti essa necessidade de deixar o sangue descer.”

Apesar de a medicina tradicional ser cética quanto ao método, Ana Arruda acredita que há muitas vantagens nas técnicas naturais para a eliminação da menstruação, como o conhecimento do corpo e a valorização da intuição feminina.

“Sinto que esse método, entre outras práticas da ginecologia natural, traz a gente de volta pra esse contato mais interno e profundo, com nossas vísceras, ventre e útero.

Além dessa experiência sobre o controle sobre nós mesmas, que é algo completamente possível e que a gente perdeu”, diz.

A naturóloga não acredita que o sangramento livre possa ser prejudicial, como alegam alguns ginecologistas.

“A ideia do sangramento livre não é ficar contraindo para sempre o útero, mas ter mais ingerência sobre essa musculatura, que vai ajudar inclusive a fortalecer a região pélvica, e que pode até ajudar a mulher no parto ou ter relações sexuais mais prazerosas.

O objetivo é ter contato com esses movimentos de contração e expansão do útero e, quando sentir que é necessário, fazer uma pausa, ir até o banheiro e fazer a eliminação deste sangue”, destaca.

A terapeuta francesa Apolline Compagnon também lembra que qualquer mulher pode realizar a experiência do FIL: “qualquer que seja sua idade não há nenhum impedimento para isso”. Mas, segundo ela, é preciso levar em consideração o cotidiano de cada uma. “Imagino que isso não deva ser prático para uma cirurgiã no meio de uma operação ou uma taxista…”, pondera.

Mas, para a especialista, não há dúvidas: o FIL ou sangramento livre não é apenas uma técnica para eliminar a menstruação, mas uma forma de celebrar e assumir uma faceta da feminilidade. “Antes se falava menos sobre o fluxo menstrual porque era tabu, para não mencionar ‘sujo’, ocultando o lado natural deste fenômeno. Hoje, é uma maneira de se reivindicar como mulher.”

Posso fazer meu período terminar mais rápido?

Ocorre ocasionalmente: férias, dias na praia ou ocasiões especiais coincidirão com o seu período. Em vez de deixar isso sair de seus planos, é possível finalizar o processo de menstruação mais rapidamente e reduzir o número de dias no seu ciclo.

Existem algumas técnicas que você pode tentar terminar seu período mais rapidamente. Algumas delas são seguras, mas outras requerem moderação ou aprovação de um médico.

  • A duração da menstruação varia de mulher para mulher e é afetada por muitas coisas, incluindo estresse, índice de massa corporal e hormônios. Um período médio pode durar de dois a sete dias, embora algumas mulheres tenham períodos mais longos. Muitas mulheres também experimentam uma redução natural de seu ciclo à medida que envelhecem. Se as mulheres tomam anticoncepcionais orais (a pílula), seus períodos geralmente diminuem e diminuem.

1. Tome controle de natalidade hormonal

Pílulas orais e injeções podem ser usadas para regular o seu ciclo. O controle de natalidade hormonal também pode diminuir as cólicas e diminuir o número de dias que você menstrua a cada mês. Se você está apenas iniciando o controle de natalidade hormonal, pode levar vários meses até que seus períodos se tornem mais curtos.

Alguns tipos de contracepção hormonal podem reduzir o número de ciclos menstruais que você tem a cada ano. Por exemplo, se você receber a injeção de Depo-Provera, poderá parar de ter períodos após o primeiro ano de injeções.

As pílulas anticoncepcionais e vacinas estão disponíveis apenas mediante receita médica. Você e seu médico podem determinar qual o melhor tipo para você, com base no seu estilo de vida e nas necessidades médicas.

Ter um orgasmo, seja através de relações sexuais ou masturbação, pode reduzir as cólicas e o fluxo menstrual. Isso ocorre porque os orgasmos geram contrações musculares uterinas, que ajudam a mover o sangue menstrual do útero.

Essas contrações ajudam o útero a derramar o sangue mais rapidamente.

3. Exercite-se regularmente

Manter uma rotina de exercícios cardiovasculares não apenas promove a saúde geral, mas também ajuda a aliviar o fluxo menstrual. Também pode reduzir o número de dias que você menstrua. E, o exercício pode diminuir a retenção de água, o que pode aliviar o inchaço e reduzir as cãibras.

Leia também:  Como Evitar Que A Pele Descasca Depois Do Sol?

Converse com seu médico sobre o melhor plano de exercícios para você. O exercício excessivo pode reduzir muita gordura corporal, o que pode diminuir o índice de massa corporal (IMC) para uma faixa não saudável.

Isso pode afetar adversamente sua saúde hormonal e fazer com que você pare de menstruar, o que tem um impacto negativo na sua saúde reprodutiva.

4. Mantenha um peso saudável

As flutuações de peso podem afetar seus períodos menstruais, tornando-os inconsistentes, como no caso de períodos perdidos e baixa gordura corporal. No lado oposto do espectro, também é possível ter fluxos mais pesados ​​se você estiver com sobrepeso ou se tiver dificuldades em manter seu IMC.

De fato, as mulheres obesas correm um risco maior de ter períodos mais pesados. Algumas mulheres podem até sentir sintomas pesados ​​e dolorosos por semanas a fio. Isso é atribuído ao aumento da produção de estrogênio a partir das células adiposas, o que pode tornar os ciclos mais pesados ​​e mais longos.

Se você passou por períodos difíceis, converse com seu médico sobre possíveis testes hormonais. Eles também podem ajudar a dar-lhe algumas dicas para perder peso com segurança e gradualmente, se necessário.

Embora isso possa não oferecer uma solução de curto prazo para terminar seu período mais rapidamente agora, tomar medidas para gerenciar seu peso será recompensado em futuros ciclos menstruais.

5)
Obtenha os nutrientes certos

Certos micronutrientes, como vitaminas do complexo B, são essenciais para sua saúde geral. Certos nutrientes podem até facilitar a menstruação e aliviar os sintomas da TPM.

A vitamina B6 é um dos nutrientes que podem afetar seus períodos. É encontrado naturalmente em alimentos como ovos, peixe e aves. Vitamina Verificou-se que o B6 aumenta a progesterona enquanto diminui o estrogênio no organismo. Isso pode ajudar a melhorar a função da glândula pituitária para normalizar os hormônios menstruais.

Um estudo descobriram que o zinco, um mineral essencial, era útil no alívio de cólicas menstruais dolorosas (dismenorréia). Pensa-se que o zinco tenha efeitos semelhantes aos anti-inflamatórios não esteróides (AINEs), como o ibuprofeno.

Os participantes do estudo relataram alívio das cólicas quando tomaram doses de 30 mg de zinco até três vezes por dia. Você também pode garantir bastante alimentos ricos em zinco em sua dieta, como carne, legumes e laticínios.

O magnésio é outro mineral que pode ajudar a aliviar períodos longos e dolorosos devido aos seus efeitos anti-cãibras. Um estudo descobriram que uma combinação de magnésio e vitamina B6 foi útil para aliviar os sintomas da TPM.

Converse com seu médico antes de tomar qualquer suplemento para tratar seus períodos. Enquanto isso, certifique-se de obter magnésio suficiente em sua dieta através de nozes, sementes, verduras e peixes.

6. Experimente ervas clinicamente comprovadas
remédios

Certos remédios à base de plantas também podem ajudar a aliviar a menstruação longa e dolorosa. São necessárias mais pesquisas para fazer backup dos remédios à base de plantas, mas vale a pena conversar com seu médico. Algumas das ervas mais promissoras para a menstruação incluem:

  • funcho, que possui propriedades analgésicas e anti-inflamatórias que podem reduzir os sintomas da TPM e diminuir o comprimento do fluxo sanguíneo durante o período menstrual
  • gengibre, que pode ajudar a aliviar sangramentos intensos
  • xarope de murta para reduzir a menstruação pesada
  • folha de framboesa, que possui propriedades relaxantes musculares que podem reduzir as contrações uterinas

Quando se trata de aliviar os sintomas da menstruação, é essencial manter-se hidratado.

Se a ingestão de água estiver abaixo dos oito copos por dia, dê um impulso durante o período menstrual – isso ajudará você a sentir menos cãibras e dores nas costas. Também pode ajudar a mover seu ciclo mais rapidamente. A água potável ajuda a impedir o espessamento do sangue.

Terminar o período mais rapidamente ocasionalmente não é grande coisa, se você fizer isso com segurança. Se você deseja se livrar de alguns dias do período menstrual porque parece ser mais longo do que você pensa que deveria ser todo mês, consulte seu médico.

Se seus períodos normalmente duram mais de uma semana, são muito pesados ​​ou causam cãibras dolorosas, você deve conversar com seu médico. Estes podem ser sintomas de uma condição médica subjacente.

Seu médico trabalhará com você para determinar o que está causando esses sintomas e a melhor forma de avançar.

É possível engravidar durante a menstruação?

Você já deve ter ouvido falar que não é possível engravidar durante a menstruação, mas isso não é totalmente verdade. Embora seja improvável que você engravide perto da ou durante a menstruação, ainda existe uma chance pequena de concepção nesse período do mês. Continue a leitura para aprender sobre as chances de engravidar e como o ciclo menstrual afeta a janela de fertilidade.

  • As chances de engravidar durante a menstruação são muito baixas.
  • No entanto, ainda é possível engravidar no caso de você ter relações sexuais sem contraceptivo.
  • Você fica mais fértil quando ocorre a ovulação, cerca de 10 a 16 dias antes da próxima menstruação.
  • A ovulação pode ocorrer mais cedo quando você tem um ciclo curto.
  • O espermatozoide pode sobreviver em seu organismo por até 5 dias e pode fecundar o óvulo assim que ele é liberado.
  • Os dias menos férteis são logo antes da menstruação, mas ainda existe um risco pequeno de gravidez.
  • Descubra o método certo de contracepção para você se não quiser engravidar.

Quais são as chances de eu engravidar na menstruação?

As chances de engravidar no caso de você ter relações sexuais durante a menstruação são muito baixas. No entanto, você ainda pode engravidar durante a menstruação no caso de você ter relações sexuais sem proteção.

Para entender como isso pode acontecer, você precisa saber como seu ciclo menstrual funciona. 

  • O ciclo inicia no primeiro dia da menstruação e dura até o primeiro dia da próxima menstruação.
  • Cerca de 10 a 16 dias antes do início da próxima menstruação, ocorre a ovulação, que é quando um dos ovários libera um óvulo.
  • Assim que a ovulação ocorre, você entra em uma fase lútea, quando o folículo ainda vazio desenvolve o corpo lúteo, que produz o hormônio progesterona. 
  • Seu revestimento uterino fica mais espesso em preparação para o implante de um óvulo fecundado.
  • Se não houver concepção, o óvulo então passará para o útero, os níveis hormonais cairão e o revestimento uterino será expelido com o início da próxima menstruação.

Você pode ler mais sobre ciclo menstrual e ovulação aqui. 

Você fica mais fértil perto do período de ovulação. Embora o óvulo dure apenas de 12 a 24 horas após ser liberado, você pode engravidar mesmo no caso de você ter tido relações sexuais dias antes da ovulação, pois o espermatozoide pode durar até cinco dias no seu organismo.

Então, quais são as chances de você engravidar durante a menstruação? Bem, isso depende de alguns fatores; por exemplo: 

  • se você usou ou não contraceptivo
  • a duração do seu ciclo menstrual
  • a duração da sua menstruação
  • quando você teve relações sexuais 

Geralmente, a duração do ciclo menstrual é entre 28 e 30 dias; então, normalmente você estará fértil entre os dias 11 e 21, embora isso possa variar entre ciclos e de mulher para mulher. Se a menstruação dura de 5 a 7 dias e você tem relações sexuais até ela terminar, você pode conceber no dia 11, pois o espermatozoide pode sobreviver até 5 dias após a relação sexual. 

Você também pode conceber depois de ter relação sexual durante a menstruação se você tiver ciclos menstruais curtos; ou seja, sua ovulação ocorre alguns dias mais cedo e mais perto do fim da menstruação.

Engravidar na menstruação é muito improvável. No entanto, há uma chance pequena de concepção nesse momento durante o ciclo.

Posso engravidar alguns dias depois que a minha menstruação terminar?

É possível, mas também improvável. De qualquer modo, sempre haverá risco de gravidez no caso de você ter relações sexuais sem contraceptivo.

Se a ovulação ocorre cedo – no caso de seus ciclos menstruais serem curtos – você pode engravidar nesse período do mês.

No entanto, assim que a menstruação termina, você passa para a próxima janela de fertilidade; ou seja, suas chances de engravidar aumentam com a proximidade da ovulação.  

Posso engravidar logo antes da minha menstruação?

A probabilidade de conceber no caso de você ter tido relações sexuais dois ou três dias antes da menstruação é extremamente baixa. Uma vez que o óvulo dura cerca de 12 a 24 horas após ser liberado, isso significa que a janela de fertilidade fecha logo após a ovulação. No entanto, sempre há risco de gravidez. Use nossa ferramenta para calcular as chances de engravidar.   

Leia também:  Como Se Chama O Pigmento Que Da Cor A Pele?

O que posso fazer para engravidar?

Se você quiser engravidar, é uma boa ideia conversar com seu(sua) médico(a).

Muitos médicos aconselharão algumas mudanças no estilo de vida se você estiver tentando ter um bebê; por exemplo, tomar ácido fólico ou suplementos vitamínicos pré-natais, evitar álcool, deixar de fumar e tentar manter um peso saudável. Também é recomendável usar um teste de ovulação para ajudar a identificar quais são os dias mais férteis.

Além disso, confira nossas dicas sobre como engravidar mais rápido. 

Não quero ter um bebê agora. O que devo fazer?

Se você não quer engravidar, não existe uma hora confiável para ter relações sexuais sem contraceptivo. Converse com seu(sua) médico(a) sobre as opções contraceptivas para descobrir qual é a certa para você. 

Dez dicas para acabar com o incômodo das cólicas menstruais

Como se não bastasse o incômodo e a irritação durante a TPM (Tensão Pré-Menstrual), algumas mulheres sofrem com cólicas durante o ciclo menstrual. Nesse período, a mulher pode sentir dores pélvicas, no baixo ventre.

Se a dor for muito forte ou persistir após o final da menstruação, as causas devem ser investigadas pelo médico.

Cerca de 50 % das mulheres podem sentir cólica menstrual em algum momento da sua vida, e as dores podem ser de fraca a forte intensidade, interferindo negativamente na qualidade de vida da mulher e prejudicando sua vida pessoal e profissional.

Segundo a ginecologista e obstetra Erica Mantelli, a cólica menstrual é uma dor aguda que vai e volta, sendo que quando é muito forte pode estar associada a outros sintomas como náuseas, vômitos e dor de cabeça.

– A dor é causada pela produção de prostaglandina, um hormônio responsável pela contração do útero nessa fase. Em algumas mulheres esse processo de contração é mais intenso e o fluxo menstrual maior – explica.

A cólica menstrual pode ser primária ou secundária. No primeiro caso, o mais comum, trata-se apenas de uma condição normal do ciclo menstrual, produzida pelas prostaglandinas, substâncias que provocam dolorosas contrações no útero.

Já a secundária ocorre devido a alguma patologia como miomas uterinos, alterações no ovário, cistos, infecção pélvica, endometriose, uso do DIU (dispositivo intrauterino) e pólipos, entre outras doenças que podem afetar o sistema reprodutivo.

Geralmente, quando as cólicas são mais intensas, provocam outros males. Na maioria dos casos, a dor pode estimular o enjoo e a diarreia porque o trânsito intestinal aumenta. Quando esses sintomas se tornam constantes é preciso ser feita uma avaliação médica mais precisa, pois a dor forte pode significar outras doenças, principalmente, a endometriose.

Sinal de alerta para a endometriose

A mulher deve ficar atenta à intensidade da cólica menstrual, principalmente as adolescentes, já que as dores costumam incomodar mais entre 17 e 34 anos.

– Trata-se de uma doença que pode ocorrer em qualquer momento da fase fértil, da primeira até a última menstruação. Algumas mulheres só descobrem que têm a doença quando tentam engravidar e não conseguem. É importante consultar o ginecologista sempre que sentir fortes dores no baixo ventre – avisa a ginecologista.

  • Cólicas nunca mais
  • Para driblar a dor, Erica Mantelli sugere dicas que podem minimizar o problema e contribuir para devolver o bem-estar à mulher nos dias em que estiver menstruada:
  • ? Descanse

Durante o período de menstruação, é natural sentir-se cansada e sem ânimo. E com dor fica ainda mais difícil ir trabalhar ou se divertir. A recomendação é relaxar e descansar.

– Procure deitar com a barriga para baixo, apoiada em um travesseiro, comprimindo-a. Isso já ameniza as dores e pode garantir uma boa noite de sono nos dias de cólica menstrual – aconselha.

? Faça exercícios físicos

Aposte em atividades como alongamento, ioga, caminhada ou andar de bicicleta. Feitos de forma regular e moderada, os exercícios liberam endorfina que tem a capacidade de diminuir a dor.

? Abuse dos alimentos certos

Na lista estão soja, banana, beterraba, aveia, tofu, couve, abobrinha, salmão, atum e castanha-do-pará. Eles servem como relaxantes musculares e têm poder anti-inflamatório natural.

? Esqueça os alimentos gordurosos

Evite comer frituras, hambúrgueres ou alimentos ricos em gorduras, pois aumentam a produção de hormônios que causam contração no útero. Evite alimentos embutidos e bebidas com cafeína, por exemplo café, chá preto e refrigerante.

? Fuja do estresse

Situações estressantes podem deixar a mulher mais irritada e sem paciência aumentando a intensidade da dor. Procure ficar relaxada e evite situações que podem causar estresse.

? Chás milagrosos

Beba chá de canela, pois esta age como analgésico amenizando a cólica. Além dele, os chás de hortelã e erva cidreira com propriedades calmantes também contribuem para o bem-estar.

  1. ? Use bolsa de água quente
  2. A bolsa de água quente pode ser uma forte aliada.
  3. – O calor emitido estimula a irrigação, relaxando a musculatura e amenizando o impacto das contrações do útero – diz a ginecologista.
  4. ? Aposte em massagens

Movimentos suaves no abdômen e nos pés podem amenizar a cólica. O vaivém das mãos alivia a tensão muscular, melhoram a circulação sanguínea e, consequentemente, diminui a dor. Comprimir essa região também pode ser uma forma de massagem.

  • ? Acupuntura
  • As agulhas aplicadas em pontos estratégicos, entre eles a região abdominal e lombar, podem auxiliar na liberação de endorfina e reduzir o incômodo causado pela dor abdominal.
  • ? Quando optar pelos medicamentos
  • Pode parecer um sintoma simples, mas só um médico pode recomendar o melhor medicamento para diminuir a cólica menstrual.
  • – Algumas mulheres recorrem ao analgésico, mas por ser uma inflamação que provoca contrações no útero, os anti-inflamatórios e antiespasmódicos são mais indicados para combater a cólica menstrual – recomenda Erica Mantelli.

A mulher deve ser avaliada periodicamente pelo seu ginecologista para descartar doenças graves que podem se manifestar com dores do tipo cólica. Apesar de muitas vezes ser intensa, a cólica pode sim ser tratada e praticamente passar despercebida, sem prejudicar o dia a dia da mulher.

Diminua os dias da Menstruação

Por Regina Racco

Diminuir os dias? Sim, você pode!

Menstruar tudo bem. Mas oito dias?! O médico diz estar tudo normal, essa é você. E não tem nada que se possa fazer… Outra se queixa de ficar menstruada cinco dias, outra, seis. As meninas que treinam a ginástica íntima param durante o período menstrual e perdem todos esses dias, todo mês. É a escravidão vermelha!

E não há nada que se possa fazer mesmo? Simpatia, vudú…

Qual seria o tempo correto para que o fluxo menstrual cumpra o seu papel e acabe?

Quando a mulher não engravida, o organismo expele o óvulo que não foi fecundado. Com ele, vai o endométrio, a camada que reveste o útero (espécie de ninho, preparado para receber o bebê), é o fluxo que começa. Primeiro dia.

No segundo, normalmente o fluxo fica bem mais forte. Do terceiro em diante o que sai são resíduos da menstruação. E é neste ponto que o tempo varia de mulher para mulher. Umas, terão neste dia a saída de todo o resíduo. Outras levarão mais seis dias até que consigam expelir tudo.

Pois conheço um truquezinho natural, sem contra-indicação capaz de diminuir esse tempo. Quer saber? Eu conto. Mas não guarde o segredo. Espalhe para todas as amigas, é a minha vingança contra o incômodo do incômodo. Algo que adoraria ter conhecido quando tinha vinte anos.

Trata-se de uma prática bem fácil, mas somente faça a partir do terceiro dia.

Quando for urinar, após soltar todo o xixi, faça uma contração rápida seguida de uma expelida longa (como se fosse fazer mais xixi). Pode repetir até três vezes e encerre. Pode acontecer ali mesmo ou minutos depois: Você sentirá que o fluxo ficará mais intenso, poderá sair pequenos coágulos, é normal. Paralelo a isso, o tempo até acabar essa saída de resíduo se tornará cada vez menor.

Repita sempre que for fazer xixi, sempre a partir do terceiro dia da menstruação, não antes.

Com a repetição, você diminuirá os dias da menstruação. Tenho alunas de ginástica íntima, as quais ensino esse “truquezinho” que conseguiram reduzir os dias até pela metade. Tenho relatos de alunas falando sobre ter sentido diminuir as cólicas, após começar a praticar esse exercício, mas o objetivo é a diminuição do tempo.

Importante: Não faça se estiver com hemorragia, somente menstruando normal. Repare que é para contrair apenas depois que soltou todo o xixi, não antes.

Tem dúvidas de como se contrai?

Entre neste link e veja, é grátis.

http://www.pompoarte.com.br/tecnica.asp

Regina Racco

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*