Como Fazer Com Que O Bebe Durma A Noite Toda?

É normal que nos primeiros meses de vida o bebê demore para dormir ou não durma a noite toda, pois pode acordar a cada 2 ou 3 horas para se alimentar ou por se sentir desconfortável e desprotegido, o que pode ser desgastante para os pais, que estão acostumados a descansar durante a noite.

Assim, é importante criar um ambiente acolhedor para o bebê, com iluminação e temperatura adequados, deixar o bebê numa posição confortável, usar roupas que não o apertem e criar uma rotina para dormir.

O número de horas que o bebê deve dormir depende da idade e do seu grau de desenvolvimento, mas o recomendado é que o recém-nascido durma entre 16 a 20 horas por dia, distribuídas em períodos de poucas horas ao longo do dia. No entanto, com o crescimento, é possível que o bebê durma a noite toda e sozinho. Entenda a partir de quando o bebê pode dormir sozinho. 

Assista o vídeo com dicas rápidas, simples e infalíveis para o bebê dormir melhor e a noite toda:

Como Fazer Com Que O Bebe Durma A Noite Toda?

O que fazer na hora de dormir

Algumas dicas para fazer antes da hora de dormir e que ajudam o bebê a se sentir mais relaxado e seguro, para dormir a noite inteira são: 

1. Reproduzir o ambiente do útero

Para bebês de 1 a 3 meses, reproduzir o ambiente que tinham quando estavam no útero pode ser uma grande ajuda para dormir por mais tempo e melhor.

Isto porque nesta fase, o bebê ainda não tem noção de que não está dentro do útero e, por isso, colocar o bebê junto ao corpo da mãe, ou do pai, ou pegar o bebê no colo e embalar, fazendo movimentos suaves de balanço, ajudam o bebê a sentir como se ainda estivesse dentro da barriga, fazendo-o dormir calmo e tranquilo.

2. Embrulhar o bebê

Do nascimento até à idade de 4 ou 5 meses, os bebês possuem um reflexo de sobressalto que pode acontecer durante o sono, no qual sentem como se estivessem caindo, e essa sensação de queda pode levar o bebê a acordar algumas vezes durante o sono. 

Uma boa forma de garantir que o bebê se sinta seguro é mantendo-o na posição em que estava dentro da barriga, encolhido. Para fazer isso, deve-se embrulhar o bebê em uma manta ou fralda, mas sem apertar, e evitar colocar roupas que deixem o bebê muito esticado ou que atrapalhem seus movimentos. Assim, evita-se que o bebe tenha o reflexo de sobressalto e acorde assustado. 

3. Reproduzir um ruído branco

O ruído branco é um som consistente e suave que abafa qualquer outro som que possa perturbar o sono do bebê, como ruídos pela casa ou barulhos vindos de fora, como conversas, carros na rua ou latido de cachorros, por exemplo. 

Esse tipo de ruído é especialmente importante para acalmar o bebê pois recria o mesmo tipo de som que o bebê escutava quando estava na barriga da mãe, o que deixa o bebê mais calmo e seguro, permitindo um sono mais tranquilo e duradouro. Além disso, um ambiente muito silencioso pode assustar o bebê, ativando o córtex cerebral, o que pode fazer o bebê acordar assustado à noite.

Para criar o ruído branco pode-se usar um ventilador, desde que o vento não fique voltado para o bebê, comprar aparelhos eletrônicos de ruído branco ou utilizar aplicativos no celular.

Como Fazer Com Que O Bebe Durma A Noite Toda?

4. Criar um ambiente confortável no quarto

Manter o quarto com uma temperatura confortável, nem muito quente, nem fria, e com iluminação adequada, mantendo o quarto mais escuro e desligando luzes fortes pela casa, pode ajudar o bebê a dormir melhor por toda a noite.

Outra dica importante, é fechar a janela para evitar os barulhos externos e as cortinas para reduzir a iluminação que vem da rua. No entanto, pode-se deixar uma luz de presença indireta, como uma lâmpada de tomada, para que a criança, caso acorde, não se assuste com o escuro.

5. Deitar o bebê no berço

O bebê deve dormir no berço desde que nasce, para se acostumar com a sua cama e conseguir dormir mais facilmente, em um ambiente que ele aprenda a reconhecer como um lugar seguro. Assim, os pais devem colocar o bebê no berço ainda acordado para reconhecer que é hora de dormir, facilitando o sono tranquilo e por toda a noite. 

Além disso, o berço é o local mais confortável e seguro para o bebê dormir, pois dormir no chiqueirinho ou na cadeirinha é desconfortável e provoca dor no corpo e, na cama dos pais pode se tornar perigoso, porque os pais podem machucar o bebê durante o sono. 

6. Dar de mamar antes de dormir

Outra forma de ajudar o bebê a pegar no sono mais rápido e a dormir por mais tempo é colocar o bebê para mamar antes de dormir, pois deixa o bebê saciado e com mais tempo até sentir fome novamente. 

No entanto, com o crescimento do bebê, deve-se estimular o desmame noturno, para que o bebê durma por mais tempo à noite. Saiba como e quando fazer o desmame. 

Como Fazer Com Que O Bebe Durma A Noite Toda?

7. Vestir um pijama confortável

Quando colocar o bebê para dormir, mesmo que seja para fazer uma soneca, deve-se sempre vestir um pijama confortável para que o bebê aprenda qual a roupa que veste na hora de ir para a cama.

Para garantir que o pijama é confortável é importante preferir uma roupinha de algodão, sem botões ou fios e sem elásticos, para não machucar nem apertar a criança.

8. Oferecer um ursinho para dormir

Alguns bebês gostam de dormir com um brinquedo para se sentirem mais seguros e, geralmente, não existe problema algum a criança dormir com um bichinho de pelúcia pequenininho. Porém, deve-se escolher brinquedos que não sejam muito pequenos porque existe chance de o bebê colocar na boca e engolir, assim como bonecos muito grandes que podem sufocar a criança.

No entanto, crianças com problemas respiratórios, como alergias, asma ou bronquite, não devem dormir com bonecos de pelúcia, pois por acumularem poeira, podem piorar a doença respiratória. 

9. Fazer uma massagem

Alguns bebês ficam sonolentos após uma massagem nas costas e pernas, por isso, esta pode ser uma forma de ajudar o bebê a pegar no sono mais rápido e por mais tempo, sendo também uma excelente opção para criar a rotina para o sono do bebê. Vejo como fazer massagem relaxante no bebê. 

10. Trocar a fralda antes de dormir

Quando os pais vão colocar o bebê para dormir devem trocar a fralda, limpando e lavando a região genital para que a criança se sinta sempre limpa, seca e confortável, pois a fralda suja pode incomodar e deixar o bebê desconfortável e atrapalhar o sono, além de poder provocar irritação na pele.

Como Fazer Com Que O Bebe Durma A Noite Toda?

O que fazer ao longo do dia

Algumas dicas para fazer ao longo do dia podem ajudar estimular o sono do bebê à noite e fazê-lo dormir a noite toda, e incluem: 

1. Limitar a duração das sonequinhas

As sonequinhas durante o dia são muito importantes para o desenvolvimento do bebê e o número de horas varia de um bebê para o outro. No entanto, uma das formas de fazer o bebê dormir a noite toda é limitar a duração das sonequinhas durante o dia. 

Por exemplo, pode-se estipular de 2 a 3 horas para as sonequinhas, e passado esse tempo, acordar o bebê para amamentar ou trocar a fralda, manter o bebê acordado por um tempo e depois colocar o bebê para dormir novamente. 

Ainda assim, é importante que a mãe ou o pai observem se o bebê precisa de cochilos mais longos, desta forma, deve-se aumentar o tempo das sonecas. 

2. Estimular o bebê durante o dia

Estimular o bebê durante o dia, aproveitando o tempo em que está acordado, desde os primeiros meses, pode ajudar o bebê a dormir melhor pois a interação e os estímulos provocam cansaço e um sono mais profundo. Veja como estimular o bebê entre os 0 e 12 meses. 

No entanto, deve-se ter atenção para não cansar em excesso o bebê, pois nesse caso, ocorre um aumento do cortisol, o hormônio do estresse, que pode deixar o bebê muito agitado, com sinais como coçar os olhos ou pegar e puxar as orelhas, que significam que o bebê vai demorar mais para dormir. 

Como Fazer Com Que O Bebe Durma A Noite Toda?

3. Identificar os sinais de sono

Saber identificar os sinais de sono no bebê é importante para entender qual o melhor momento para colocar o bebê para uma soneca ou para dormir.

Geralmente, os sinais de que o bebê está com sono são: ter um olhar mais distante e parado ou ficar mais lento. É neste momento que deve-se pegar o bebê no colo, embalar, levá-lo para o quarto, criar o ambiente confortável e ligar o ruído branco, para permitir que o bebê adormeça de forma calma e tranquila a noite toda.

4. Criar uma rotina para dormir

  • Alguns estudos mostram que criar uma rotina é fundamental para sinalizar ao bebê que é hora de dormir, deixando-o mais relaxado.
  • Esta rotina deve ser fácil e simples de fazer todas as noites e por todas as pessoas da casa.
  • Algumas formas de criar uma rotina para dormir são:
  • Fazer uma massagem relaxante;
  • Dar um banho antes de dormir;
  • Amamentar à meia-luz;
  • Reduzir a luz do quarto;
  • Ligar o ruído branco;
  • Cantar uma canção de ninar;
  • Contar uma historinha.

A rotina da hora de dormir pode ajudar a criar associações positivas de sono para o bebê, fazendo-o dormir no horário certo de forma tranquila, relaxada e por toda noite. 

Como fazer o bebê dormir a noite toda? 10 dicas de ouro para colocar o sono do seu filho em dia – Pais&Filhos

Os primeiros dias com o bebê em casa são repletos de descobertas e envolvem a adaptação à nova realidade e os (muitos) cuidados com o recém-nascido. E um dos principais motivos de cansaço dos pais nessa fase é a falta de sono. São 3 horas da manhã e o bebê ainda está acordado, chorando e você não sabe mais o que fazer.

Tirá-lo do berço e balançar? Deixá-lo chorar e apenas dar aquela conferida para ver que está tudo bem? Amamentar? Se você conseguiu visualizar a cena, chegou à matéria certa. E só para te confortar: essa situação é muito mais comum do que você imagina.

Mas fique tranquila que vamos te ajudar: existem algumas dicas e truques para fazer o bebê dormir bem a noite toda. 

Antes de tudo, é importante saber que dormir “a noite inteira” para os bebês significa, no máximo, 6 horas de sono, e isso vai acontecer quando eles já tiverem alguns meses de vida.

Recém-nascidos não têm um sono contínuo porque precisam se alimentar a cada 3 horas, mais ou menos. Com 3 meses, é perfeitamente possível que o o bebê esteja dormindo como um anjo e você poderá dar adeus às olheiras.

Consultamos especialistas de sono para ajudar você e seu bebê a terem uma ótima noite de sono:

Como Fazer Com Que O Bebe Durma A Noite Toda?Fique atento a tudo! (Foto: Getty Images)

Sem dormir no colo

Nas primeiras semanas, o bebê costuma dormir logo depois de arrotar, o que implica em quase sempre adormecer no colo. Mas é preciso ir mudando essa prática aos poucos. O bebê que adormece no colo espera acordar no colo.

O sono é formado por ciclos, que podem durar em média 60 minutos. Se o bebê dormir no colo, quando estiver passando de um ciclo para o outro, pode se assustar ao reparar que não está no mesmo lugar onde adormeceu.

Esse é um dos motivos dos bebês acordarem tanto à noite. Então, nada de ficar com a criança no colo até que ela caia no sono. É muito importante que você coloque-a para dormir no berço ainda acordada.

A gente sabe que não é fácil, mas isso também evita que seu filho se acostume a dormir apenas com a mãe ou o pai ao lado.

O sono diurno leva a um melhor sono noturno. Uma criança cansada muitas vezes não consegue dormir direito –  o bebê pode se sentir superestimulado, fazendo com que chore em vez de dormir.

Anote aí: bebês com menos de 6 meses precisam de quatro a cinco sonecas por dia, enquanto os mais velhos precisam de duas a três. Mas lembre-se que cada criança tem um jeito de tirar as sonecas e isso pode mudar ao longo do tempo.

Se antes o bebê tirava só dois cochilos curtos e agora dorme três ou quatro vezes por 45 minutos, não se preocupe e siga o estilo dele.

No geral, as sonecas ocorrem em quatro momentos (uma ao acordar, outra antes do almoço, a seguinte depois do almoço e a última ao final da tarde) e vão diminuindo até que reste apenas a depois do almoço que dura em média 60 minutos. 

Leia também:  O Que É Uma Revisão De Literatura E Como Fazer?

Evite as comparações

Cada bebê é de um jeito. A quantidade de horas de sono varia de organismo para organismo: os bebês que dormem pouco vão dormir pouco a vida toda.

E claro, as sonecas vão depender também de como foi o dia, agitado ou mais tranquilo.

Por isso, se a filha da sua amiga dormia muito mais que a sua, ou se a sua mãe conta que você dormia a noite toda, ao contrário do seu bebê, não entre em pânico. 

Como Fazer Com Que O Bebe Durma A Noite Toda?(Foto: iStock)

Confira a média de horas que um bebê costuma dormir no total por dia:

  • 3 meses: por volta de 15 horas
  • 6 meses: por volta de 14 horas
  • 9 meses: por volta de 14 horas
  • 12 meses: por volta de 13 horas
  • 18 meses: por volta de 13 horas e meia
  • 24 meses: por volta de 13 horas

Crie uma rotina com seu filho

Estabelecer uma rotina de sono faz toda a diferença na vida do bebê (e da família), além de dar segurança, conforto e confiança à criança e garantir um descanso saudável. A partir da sexta semana, o bebê já está consegue a entender como a rotina.

Ainda que ele não durma a noite toda, consegue saber que existe um horário “oficial” para dormir. Manter um ritual do sono significa fazer, dia após dia, a mesma coisa na hora de colocar seu filho para dormir. O certo é adaptar o bebê à sua rotina, e não o contrário.

Devemos respeitar o relógio biológico das crianças, claro, mas é possível adotar algumas estratégias para que ela vá se encaixando aos poucos nos horários da família.

Você pode diminuir as luzes de 30 minutos a uma hora antes de colocar seu filho para dormir – isso ajuda a reduzir os níveis de cortisol. Em seguida, dê um banho no bebê e a última refeição do dia, seguido por uma história para dormir e uma música calma, por exemplo.

Na hora de colocar seu filho no berço, procure não fazer brincadeiras agitadas e se certifique de que as condições estão adequadas para o bebê dormir, como temperatura certa e fralda limpa.

A massagem é uma boa opção para induzir o sono, além de ajudar nas cólicas. Luminárias com lâmpadas azuis também podem contribuir para um sono tranquilo.

Alguns pais mantêm seus filhos acordados até tarde da noite para aproveitar o tempo junto, mas isso pode acabar com a rotina de sono biológico do bebê. Quando a criança dorme tarde, fica cansada demais. A partir daí, eles levam mais tempo para adormecer e acordam com mais frequência.

Para um bebê de 3 a 6 meses, a hora ideal para dormir é bem cedo – tente não passar das 19h. Uma dica é levar em consideração que o bebê tem um intervalo de cerca de três horas entre seus cochilos. Nesses casos, a qualidade de tempo passado com o bebê é melhor do que quantidade.

Seu filho vai aproveitar muito mais aquela meia hora de leitura ou brincadeira do que passar horas acordado enquanto você faz as tarefas de casa. 

Acompanhe as refeições

Sabia que ter refeições regulares ajuda na hora de dormir? Um bebê que se alimenta bem durante o dia, te dará a certeza de que ele pode dormir à noite sem precisar mamar ou tomar uma mamadeira. Se você ainda amamenta, fique de olho para conseguir diferenciar quando seu filho passa a fazer seu seio de chupeta e procure alternativas.

Não tenha medo do choro

Claro que você sempre vai querer confortar seu filho quando ele choramingar. E nos primeiros 6 meses é isso que devemos fazer mesmo, para que o bebê saiba que está amparado e se sinta mais seguro. Mas conforme fica mais velho, seu filho descobre que pode usar as lágrimas como aliadas nessa hora.

Por isso, é importante entender porque o bebê está chorando. Cheque os itens: ele está com fome? Com sede? Molhado? Doente? Se está apenas chorando porque você saiu do lado dele, tente esta técnica: ao deixar o quarto, volte em cinco minutos e, se o bebê ainda estiver chorando, certifique-se de que ele está realmente bem.

Faça isso até que ele durma e, nas próximas noites, aumente o intervalo de tempo.

Muita calma nessa hora

Nem todo som que seu bebê faz à noite significa que ele precisa de colo ou ser alimentado. Os suspiros e gemidos podem significar que ele está apenas se acomodando durante o sono – e mexer no bebê pode piorar o problema.

“Depois que o bebê passa dos 4 meses costumamos ensinar aos pais que respirem e tenham calma antes de decidirem entrar no quarto e pegar o bebê”, conta Jennifer Waldburger, cofundadora do Sleepy Planet, um serviço de treinamento de sono em Los Angeles.

Ou seja, antes de tomar alguma atitude, dê uma olhadinha na babá eletrônica para ter certeza de que seu filho está bem ou ainda com os olhos abertos. Se ele estiver chorando por causa de uma dor ou desconforto real, você saberá pelo volume do choro, que aumentará em vez de se acalmar.

Entendendo a cólica

Nos três primeiros meses, muitos bebês têm cólicas, acompanhadas de uma crise de choro que parece não ter fim e costuma ser mais alto e estridente do que o normal. Ele ainda pode seguir a Regra dos Três: dura três horas por dia, três dias por semana, por três semanas.

Perceba os sinais de dores físicas, como a flexão das pernas e a contração do abdômen – eles ajudam a identificar se é ou não é cólica. É muito importante também investigar se o bebê não tem nenhum tipo de alergia ou intolerância a algum alimento que pode ser transmitido através do leite materno.

Se este não é o caso, temos boas notícias: a cólica costuma sumir no terceiro mês de vida do bebê. Mas enquanto isto não acontece, a principal dica é descobrir o que realmente tranquiliza o seu filho.

Há bebês que se acalmam ao ouvir uma música, por exemplo, ou com o barulho de um ventilador — o negócio é descobrir o que funciona melhor para o seu filho.

Não duvide de você mesma

Não é egoísmo da sua parte querer dormir mais. Então, não se sinta culpada e acredite que ensinar seu bebê a dormir por longos períodos à noite é bom para ele também. Além disso, quando você estiver descansada, tudo será melhor para você e o seu filho. Uma mãe tranquila, feliz e com o sono em dia, resultará em um bebê feliz e tranquilo também!

  1. Consultoria: Renata Soifer Kraiser, mãe de Nicole e Laura, autora do livro “O sono do meu bebê”; Gustavo Moreira, pediatra e pesquisador  do Instituto do Sono, filho de Marília e Cláudio; Carlos Augusto Takeuchi, pai de João Pedro, Luis Felipe e Marco Antonio, neuropediatra do Hospital Infantil Sabará.
  2. Leia também:
  3. 10 coisas que você não sabia sobre o sono do seu filho
  4. Não é sonho! 3 dicas para fazer seu bebê dormir a noite inteira
  5. 10 dicas para colocar em ordem o sono das crianças

Meu bebê não dorme: o que fazer? | Blog Leiturinha

Meu bebê não dorme: essa costuma ser uma queixa comum entre os pais e responsáveis.

Mas, afinal, existe alguma fórmula mágica para lidar com isso? Como vencer a privação de sono e aprender a dormir junto com o seu bebê? Embora as noites em claro sejam constantes durante os primeiros meses de vida dos recém-nascidos, é importante estar alerta às noites mal dormidas e ao sono agitado dos bebês. Afinal, essa fase deve ser temporária. Pensando nisso, o que fazer para ajudar os bebês a dormirem melhor? Veja nossas dicas!

Meu bebê não dorme: o que fazer?

Se fizeram noites infinitas desde que o meu bebê nasceu. Quando ele estava prestes a completar um ano de vida, nós já havíamos experimentado fórmulas e incansáveis rituais do sono.

Hora em hora, noite adentro, eu e meu companheiro usamos de técnicas para tentar fazer com que o menino adormecesse… E nos privilegiasse com o descanso necessário para seguir a dura rotina que é cuidar de um bebê! Algumas vezes funcionou.

Mas, em grande parte das vezes, as tentativas apenas fizeram com que a noite se tornasse mais dolorosa e cansativa.

Por isso, depois de tanto ler, estudar sobre o desenvolvimento na infância e buscar nos livros receitas mágicas para que ele dormisse em paz, finalmente, cheguei a algumas conclusões que podem te ajudar se esse for o seu caso. Acompanhe!

1. Bebês muito pequenos precisam acordar mais vezes

Se o processo de amadurecimento já é difícil para nós, adultos, imagine para os bebês que acabaram de nascer! Aprender a dormir, driblando os incômodos do desenvolvimento, é muito difícil. E assim como alguns de nós possuem mais habilidades para encarar os desafios da vida, existem sim alguns bebês que lidam com tudo isso com mais facilidade. E dormem melhor!

Além disso, nos primeiros meses de vida os bebês precisam mamar com maior frequência. No entanto, dar um super banquete antes do seu bebê dormir não irá resolver essa situação. A tarefa costuma ser cíclica mesmo.

Por isso, na maioria das vezes, as noites dos primeiros anos de vida são sim turbulentas. E o seu leite não está fraco: enquanto uns mamam mais, outros precisam se alimentar com menor frequência.

Bebês também possuem necessidades diferentes uns dos outros!

Nesse sentido, é a nossa expectativa que mais nos frustra nessa época. Afinal, esperar um bebê que durma a noite toda, faz com que o nosso bebê agitado seja visto como imperfeito. Contudo, eles são mesmo diferentes uns dos outros.

E tudo bem! Nesta fase, é importante esquecer a frase “meu bebê não dorme” e mentalizar o mantra “vai passar”. E para o bebê dormir melhor vale tudo, até colocar o “som do útero” para embalar o sono dos pequenos e pequenas, por exemplo.

Uma hora ou outra, mais cedo ou mais tarde, isso se ajeita. Mas lembre-se de que existem dicas para ajudar a educar o sono do bebê, que podem contribuir para o estabelecimento de uma rotina de sono e ajudar a diminuir os incômodos causados pela privação de sono.

2. Saiba como funciona o sono do bebê

O sono do bebê possui alguns ciclos. E compreender como funciona cada um deles pode ajudar bastante! Por isso, esteja atento(a) aos movimentos dos pequenos e pequenas em cada um desses momentos.

O primeiro ciclo é conhecido como o sono ligeiro. Nessa fase do sono, o bebê ainda não dorme profundamente.

Geralmente, ele está com as mãozinhas fechadas e reage quando você tenta tirar o peito da sua boca, por exemplo. Além disso, é possível notar que a sua respiração é irregular: ora acelerada, ora lenta.

E há também a fase do sono profundo, na qual o bebê está totalmente relaxado e tranquilo. Ou seja, dormindo profundamente.

No entanto, essas duas fases se revezam e, durante a noite, o bebê transita entre os estágios de sono ligeiro e profundo. Ainda, é provável que, em alguns momentos do sono ligeiro, ele acorde e chore, pedindo cuidado.

3. Se possível, estabeleça uma rotina de sono e bons hábitos

De forma geral, uma rotina transmite segurança. Logo, bebês adoram rotinas! Por isso, é importante que, aos poucos, horários e rituais sejam definidos para que o bebê se acostume com o momento de dormir. Diversos teóricos e estudiosos do desenvolvimento infantil desenvolveram teorias que contribuem para o estudo do sono, e é quase unânime a defesa de uma rotina na hora de dormir.

Leia também:  Quem Nao Pode Comer Glúten Como Se Chama?

Nesse sentido, o primeiro passo é definir quais serão os horários dedicados ao sono na noite da família. Por exemplo, das 23h às 6h da manhã. Então, duas horas antes desse período, inicie o ritual do sono. Às 21h, você deve começar a diminuir a luz e também os sons do ambiente, de forma gradual.

Vá falando mais baixo e desligando os eletrônicos, por exemplo. Próximo às 22h, você pode começar a amamentar, caso o faça, ou a dar a mamadeira. Em seguida, leia uma história, comece a ninar o bebê ou coloque uma canção específica.

Por fim, coloque o bebê no berço e permaneça ali fazendo carinho, para que ele adormeça na sua presença.

Além disso, durante o dia, olhe para seu bebê com atenção: alguém o estimula muito durante à noite? Ele tem tirado as sonecas corretamente durante o dia? Vocês usam telas no fim da tarde? Para além da rotina do sono, experimente incentivar também a autorregulação do seu bebê. Ou seja, é importante que ele durma na hora que ele quiser dormir. Assim como é importante aprender a mamar quando ele tiver fome. Afinal, a autorregulação é um aprendizado para toda a vida.

4. Esteja presente e dê segurança ao bebê

Deixar o bebê chorando sozinho não costuma ser uma boa opção. O momento de dormir já representa uma separação, pois é necessário se ausentar da presença do pai, da mãe ou responsável para adormecer. E isso pode ser difícil para os bebês. Imagine você acordar, sozinho, em um mundo que você mal conhece, sem suas figuras de referência?

Por isso, mesmo que você prefira não pegar o bebê no colo ou amamentá-lo, coloque sua mão sobre ele e fale baixinho, usando poucas palavras. Assim, ele saberá que você estará ali sempre e, aos poucos, sentirá mais segurança em adormecer.

5. Esteja confortável no momento de dormir

Nós sabemos o quanto é difícil levantar diversas vezes à noite para pegar o bebê no colo ou amamentá-lo. Por isso, coloque-o para dormir em um lugar que seja de fácil acesso para vocês.

Lá em casa, nós optamos pela cama compartilhada, mas a fizemos de forma extremamente segura. Então, caso essa opção não seja possível para a sua realidade, opte por acoplar o berço à cama, por exemplo.

Ou, então, coloque-0 no mesmo quarto ou em um cômodo próximo.

6. Pare de tentar receitas que te angustiam

Ver o nosso filho ou filha chorando não é legal. Por isso, se você estiver tentando alguma fórmula ou receita que está te angustiando, pare já. Siga seu coração! Por mais que pareça que essa situação irá te enlouquecer, não se esqueça que isso também vai passar.

Invista, então, em uma rede de apoio e comunique a sua dor para o seu companheiro ou para alguém que possa te ajudar. Além disso, durante o dia, invista em manter a sua mente sã, fazendo coisas que te dão prazer.

Assim, será mais fácil enfrentar essa fase. E lembre-se de que não existe prova de amor maior do que deixar quem você ama dormir um pouquinho mais no sábado ou domingo, depois de incessantes despertares na madrugada.

Por fim, faça o seu melhor, sem se preocupar em acostumar mal a criança ou algo do tipo. Faça o que você acredita que é melhor para você, sua família e o seu bebê!

7. Cuide da sua saúde mental e, se preciso, procure ajuda profissional

Existem diversos profissionais bastante sérios e extremamente capacitados, que estudam o sono durante toda uma vida.

Não estamos falando de pessoas que usam apenas métodos de extinção, baseados em cursos breves de treinamento para o sono.

De fato, existem pessoas que realmente se dedicam à compreensão dos processos de sono na primeira infância e que podem te ajudar muito. Então, não receio ou mesmo vergonha de procurar por ajuda profissional, caso seja necessário.

Como a literatura pode ajudar?

Que tal ler um livro com o seu bebê antes de dormir? Ouvir uma história ajuda a relaxar e pode embalar o sono dos pequenos e pequenas. Além disso, esse momento de afeto e carinho pode ser importante para a troca entre adulto e bebê. Então, confira algumas sugestões da Leiturinha para que a hora de dormir seja mais tranquila!

Hora do Soninho

Como Fazer Com Que O Bebe Durma A Noite Toda?

O livro Hora do Soninho, da editora Todolivro, é um livro de pano. Com uma narrativa simples e lúdica, e ilustrações coloridas e contrastantes, é ideal para os primeiros meses de vida do seu bebê. Além disso, o livro aborda o ritual de sono, sendo perfeito para esse momento do dia!

Por isso, leia o livro com o bebê, mostre as ilustrações, as ações dos personagens e aproveite para ensiná-lo sobre a hora de dormir.

Para comprar o livro Hora do Soninho, acesse o site da Loja Leiturinha. Para isso, clique aqui!

Hora de Dormir: Meu Primeiro Pop-Up

Como Fazer Com Que O Bebe Durma A Noite Toda?

Chegou a hora de dormir e o urso já se prepara para descansar. Para isso, ele toma um banho, escova os dentes e coloca o seu pijama! Que tal apresentar essa rotina de sono para o seu bebê através de um livro cheio de interatividade?

O livro Hora de Dormir: Meu Primeiro Pop-Up é um livro brinquedo, cheio de abas para as crianças descobrirem. Por isso, além de divertido, o livro estimula a imaginação dos pequenos e pequenas!

Se você gostou e quer levar o livro Hora de Dormir: Meu Primeiro Pop-Up para a sua casa, é só clicar aqui.

A Loja Leiturinha possui a melhor seleção de livros para bebês e crianças! Navegue pelas categorias e descubra livros incríveis sobre alimentação, emoções e sentimentos e clássicos literários para todas as idades!

Leia mais: 

Como fazer uma criança dormir a noite toda

Para algumas famílias, fazer a criança dormir é um processo tranquilo. Em compensação, para outras, um verdadeiro pesadelo.

Seja porque os bebês têm cólicas, seja por que a criança vai para a cama dos pais, ou ainda, quando a criança acorda várias vezes no meio da noite pedindo mamadeira. No dia seguinte, os pais vão trabalhar acabados, cansados e até irritados.

E o pior: o problema se repete nas noites seguintes. Mas, afinal, o que os pais devem fazer para que a criança durma a noite toda?

Conversamos com a psicóloga Deborah Moss. Especialista do programa “Doces Sonhos” do canal a cabo Discovery Home and Health, há três anos ela orienta famílias sobre como fazer as crianças dormirem. Para isso, ela vai pessoalmente à casa das pessoas com problemas.

“Vou sempre à noite, em um horário em que o pai já voltou do trabalho, pois é muito importante conversar com o casal. Desta maneira, conheço um pouco da rotina, vejo o que está sendo feito de errado, proponho as modificações e depois vou acompanhando por e-mail ou telefone.

Os ajustes são feitos conforme a resposta da criança”, diz Deborah.

A psicóloga conta que os problemas com o sono são mais freqüentes em bebês a partir dos dois meses (geralmente por causa de cólica) e estende-se até os três anos. No caso de bebês muito pequenos, Deborah Lembra que não há como garantir que eles durmam a noite toda, mas que é preciso tentar estabelecer uma rotina para que eles acordem a cada três horas para as mamadas.

Além disso, os pais também são orientados a diferenciar os tipos de choro do bebê e perceber se trata-se de cólica, fome ou até mesmo sono.

“Ás vezes o bebê está caindo de sono, mas fica irritado e não consegue dormir. Já atendi uma mãe que nunca tinha colocado o filho no berço. Aonde ela ia, levava ele junto e colocava no carrinho, no moisés.

O bebê estava confuso, sem referência”, lembra a especialista.

“Quando a criança entra na escolinha, às vezes até organiza o relógio biológico dela. O problema é que em casa estas crianças só pegam no sono com estratégias, como mamadeira, ou dormir no carrinho, ou no colo dos pais.

E depois, acordam de hora em hora e isso estressa todo mundo. Os pais sabem como fazer os filhos pegarem no sono, mas é um sono que não se mantém. No final das contas, o trabalho é com os pais.

Todo mundo sabe o que deve fazer, mas na hora de colocar em prática, é diferente”, avalia Deborah.

Dica de ouro

“Acho que o mais importante é criar referências para estas crianças. Elas precisam ter um único lugar para pegar no sono. Se é um bebê que dorme no berço, os pais podem colocar um móbile, um paninho, ou uma chupeta.

As crianças maiorzinhas podem dormir com um bichinho. É importante que ela tenha os objetos dela por perto. Assim, se ela acordar no meio da noite, vai se sentir segura e automaticamente voltará a dormir sozinha”.

Os erros mais comuns que os pais cometem e que podem ser evitados

“Criança pequena precisa de rotina para que ela possa antecipar o que vai acontecer com ela. Não é certo a criança dormir um dia no sofá e no outro, no carrinho.

Tem mães que reclamam que a criança dorme na escola e não dorme em casa.

Não significa que ela dorme demais na escola, pelo contrário O que ocorre é que na escola é todo dia a mesma coisa: ela brinca, come, dorme, brinca de novo… Ela se habitua com aquela rotina e começa a seguir”.

“As mães se assustam quando digo que a criança deve ir acordada para o berço, mas é verdade. Nós vamos acordados para a cama, não é? Se a criança dorme no sofá e os pais a colocam no berço sem que ela perceba, ela poderá acordar no meio da noite e se sentir assustada, desamparada. Ela vai pensar: ‘onde é que eu estou’?”

“Não pode criar estratégias para a criança dormir que não se mantém a noite toda, como dar a mamadeira para a criança dormir, por exemplo. Primeiro por questão de saúde. A criança dorme sem escovar os dentes e depois fica com cárie de mamadeira. E depois, porque precisa dissociar a mamadeira do sono.

Mamadeira é alimento, não é ela que dá sono. Se você acordar no meio da noite e for assaltar a geladeira para poder dormir, seu marido vai achar no mínimo estranho. Criança é a mesma coisa. Não tem que comer para dormir.

Se ela é acostumada deste jeito, ela vai acordar a noite toda e pedir mamadeira o tempo inteiro”.

Os prejuízos de uma noite mal dormida

“O fato de a criança não dormir a noite toda, afeta até o relacionamento do casal. Um se sente mais sobrecarregado que o outro e fica sem energia. Quando a criança dorme, o casal sai correndo para dormir.

Conheci um casal que, quando o filho dormia, a mulher corria para a cama e o pai não podia nem assistir TV para não fazer barulho e acordar a criança.

Isso é muito estressante para os pais e afeta a intimidade do casal”.

“A criança se desenvolve dormindo. E durante a noite que age o hormônio do crescimento, portanto, ela precisa de uma boa noite de sono para se desenvolver. Uma noite mal dormida pode interferir até no apetite da criança. A criança que mama a noite toda, não come no dia seguinte. Quando melhora o sono, ela também melhora para comer”.

Fonte: Pediatria em foco

7 dicas para que seu bebê durma a noite toda

O cansaço aparece, principalmente, porque a criança não dorme a noite toda. Portanto, a mãe também não pode descansar por longas horas de maneira ininterrupta.

  • O fato de que o bebê não durma a noite toda é um mecanismo de sobrevivência.
  • Os bebês estão constantemente em alerta, acordam muitas vezes se estão desconfortáveis, com fome ou somente para comprovar que você está por perto.
  • A boa notícia é que, conforme vão crescendo, seus ciclos de sono se tornam cada vez mais longos, quase como os de um adulto.
Leia também:  Como Se Sabe Que Uma Tartaruga Morreu?

Durante os primeiros 6 meses, você notará grandes mudanças. A partir dessa idade, os bebês têm um desenvolvimento significativo que fará com que um sono noturno seja mais contínuo e tranquilo.

Apesar disso, nem todas as crianças se desenvolvem e se comportam da mesma forma. Algumas dormirão a noite toda desde os 6 meses. Outras farão isso quando tiverem completado 2 anos ou mais.

O que fazer para que seu bebê durma a noite toda

Estabeleça rotinas

  1. Os especialistas recomendam que, na medida do possível, é preciso estabelecer um horário e cumpri-lo todos os dias.

  2. Isso serve para criar, pouco a pouco, um bom hábito de sono que favoreça o maior tempo de descanso possível.

Coloque-o no berço antes que adormeça totalmente

A ideia disso é que o bebê desenvolva a consciência de que adormece no berço e acorda no mesmo lugar.

Se ele adormece no seu quarto, na sala ou em qualquer parte da casa e, em seguida, é levado para o berço, existirão grandes possibilidades de que ele perceba a mudança ao ser colocado em outro lugar. Portanto, irá acordar.

Deixe passar um tempo entre a última mamada e o berço

Não deite o bebê imediatamente após tomar a mamadeira ou mamar no peito. Isso porque pode provocar regurgitações, gases ou cólicas.

Certifique-se de que se passaram, pelo menos, 20 minutos para evitar que esses incômodos não o deixem dormir.

Geralmente, as mães vão imediatamente ao resgate de seu pequeno assim que ouvem que ele acordou ou chorou um pouco.

A recomendação é que você tenha um pouco de paciência. Fique perto do quarto da criança, mas em silêncio e espere para ver se ela volta a dormir sozinha.

Se, em todo caso, seu filho não consegue adormecer sozinho, vá ao lado dele e tente acalmá-lo docemente, com carícias ou canções e sem acender a luz.

Principalmente, evite tirá-lo do berço. Console-o, mas ao lado dele, para que ele compreenda que deve continuar dormindo.

Se você ainda amamenta, ofereça seu leite

Talvez a criança não esteja com fome. Mas está comprovado que em seu peito, a criança não somente busca alimento. Ela também se reconforta e se acalma.

Ouvir as batidas do seu coração é um dos métodos mais eficazes para que a criança consiga se acalmar. Se ela estiver calma, será fácil conciliar o sono.

Se seu bebê está saudável e tem um bom peso, não precisa de mamadas noturnas

Se seu bebê tem mais de 8 meses, está saudável e ganha peso com o passar do tempo, não é necessário que você faça a mamadeira para a noite.

Muitas vezes, o que as crianças têm é sede em vez de fome. Portanto, ofereça-lhe uma mamadeira, mas com água.

A simples sensação de estar sugando pode relaxar seu bebê e fazê-lo adormecer novamente.

Certifique-se de que o bebê durma o necessário durante o dia

Os cochilos nessa idade são muito importantes. Não acredite que ele dormirá melhor se dormir menos horas durante o dia.

Não é recomendável interromper os cochilos para evitar que o bebê tenha sono na hora acostumada. Isso porque o próprio cansaço pode impedi-lo de conciliar bem o sono à noite.

É importante que os bebês durmam em um ambiente confortável e em um quarto com um clima agradável.

Antes de fazer qualquer mudança na rotina da criança, é necessário saber que um bom hábito de sono se tornará uma base sólida para que, no futuro, seu filho não desenvolva nenhum problema de saúde, como, por exemplo, insônia, dores de cabeça, alterações de humor, falta de concentração e inclusive distúrbios de apetite.

Pode interessar a você…

Como acalmar bebês com dificuldade para dormir

Tempos atrás, a apresentadora de TV Rafa Brites apareceu exausta em seu Instagram. No texto, ela contou que estava há dois anos e quatro meses sem dormir — a idade de seu filho, Rocco, na época.

Segundo ela, eram de cinco a seis despertares por noite. O post gerou mais de 13 mil comentários, muitos com dicas de quem já passou (ou passa) pela situação. E não é pouca gente.

Falamos de uma das queixas mais recorrentes entre os pais, especialmente os de primeira viagem.

Vale dizer que, até certo ponto, isso é normal. O problema começa quando o bebê dá sinais de irritação, cansaço e agitação durante o dia, e a família toda se sente prejudicada pela falta de sono. Além da tensão instaurada na casa, o descanso de má qualidade na primeira infância pode impactar negativamente o futuro dos filhos.

Uma equipe da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, avaliou mil crianças e percebeu que as que dormiam menos na fase pré-escolar tinham maior risco de apresentar problemas sociais e no boletim aos 7 anos.

“No início da vida, o sono está intrinsecamente relacionado à maturação do sistema nervoso central e ao desenvolvimento de mecanismos de memória, regulação emocional e atenção”, explica a neurologista Rosana Cardoso Alves, diretora da Associação Brasileira do Sono.

O repouso influencia inclusive o crescimento físico — não é crendice, não.

Acontece que, nos primeiros meses, o sono é polifásico mesmo, ou seja, dividido em ciclos mais curtos do que os do adulto. Assim, é esperado que o pequeno fique dormindo e acordando. Por volta dos 6 meses, a tendência é que o bebê desperte menos de madrugada. Só que esse período de transição varia de acordo com cada um, e seu sucesso depende muito da família.

“Ambientes com bastante barulho, falta de rotina e uso de estratégias equivocadas são os fatores que mais atrapalham”, aponta a pediatra Regina Terse, do Departamento de Medicina do Sono da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).

E o que não falta é tática duvidosa sendo repassada por aí. É o caso de treinamentos milagrosos que prometem que um bebê de meses dormirá oito horas seguidas — isso dificilmente acontece — ou a prescrição de melatonina, o hormônio do sono, que é fabricado naturalmente pelo organismo e raramente precisa ser suplementado.

Acontece que não há fórmula mágica para garantir tranquilidade: é preciso ter paciência, dedicação, apoio e persistência. Conheça as orientações fundamentadas a seguir:

A criança chorou. E agora?

É um campo polêmico, mas as evidências atuais indicam que não há impacto negativo em deixar a criança chorar um pouco. Claro que isso não quer dizer largar o filho aos berros. Mas, por volta dos 6 meses, não é preciso atendê-lo correndo.

Verificadas as necessidades básicas, como troca de fralda, fome, temperatura corporal ou barulho e luz excessivos, tente esperar para ver se ele volta a dormir sozinho. Ou tente confortá-lo sem pegá-lo no colo — use a voz e o toque.

Esse “treino” não pode ser traumático para ninguém, por isso o distanciamento ao consolar deve ser feito gradualmente e só se os pais desejarem.

Acorda, pai!

Especialmente nos primeiros meses, é comum que a mãe acorde mais que o pai sob a justificativa de que é ela quem amamenta. Mas manejar o próprio sono no meio dessa bagunça sem apoio é complicado e pode colocar em risco a saúde mental da mulher e do bebê.

O ideal é que o parceiro levante junto, coloque a criança para mamar, conforte, troque fralda e que a família conte ainda com outros pares de braços para auxiliar quando preciso.

Continua após a publicidade

Onde o bebê deve dormir?

Segundo estudos, filhos que dividem o quarto com os pais nos 6 primeiros meses de vida têm menor risco de morrer durante o sono — mas o descanso tem que ser no berço ou em cama acoplada. É que dormir no mesmo colchão pode provocar sufocamento e outros acidentes, além de deixar o sono da família mais leve por causa da tensão do espaço reduzido.

Para prevenir a morte súbita infantil, condição associada ao sono, há outras recomendações: deitar o bebê de barriga para cima, tirar travesseiros, cobertas e seguradores do berço e evitar que a criança durma por muito tempo na cadeirinha, no carrinho ou em outras superfícies inclinadas.

Ver desenho ajuda?

É altamente contraindicado. O uso de eletrônicos, sejam eles televisão, celular ou tablet, prejudica o descanso. Primeiro, por causa das luzes artificiais, que impedem a produção de melatonina — o hormônio do sono, liberado quando começa a escurecer.

Fora isso, há a questão da excitação mental. Filmes e desenhos podem estimular demais os pequenos. Nos mais velhos, são os jogos eletrônicos e as redes sociais que ativam o cérebro e geram ansiedade.

O certo é tirar as crianças da frente das telas pelo menos uma hora antes de dormir e, no período noturno, escolher atrações mais tranquilas.

Pode deixar no colo até dormir?

No início, quando as coisas estão se ajustando, não faz muita diferença. Só que, depois, há o risco de uma associação negativa. Ou seja, fica a impressão de que o neném precisa sempre dos embalos — ou de qualquer outra muleta, como chupeta e paninho — para capotar. O mesmo vale para o peito: se a criança dorme mamando, ligará o seio ao sono.

Para evitar isso, é possível agir preventivamente no primeiro trimestre. Por exemplo, o bebê pode ser embalado até parecer sonado e bem relaxado, mas, ainda com os olhos semiabertos, deve ser colocado no berço. Assim, aprende a adormecer já deitado. Essa é uma das práticas capazes de fazer a diferença no futuro.

A soneca da tarde atrapalha?

Até os 5 anos, os cochilos fazem parte do tempo de sono necessário para o desenvolvimento infantil pleno. Entre 1 e 2 anos, rolam até três sonecas ao dia. É indicado inclusive estabelecer uma rotina para elas, preparando o ambiente, diminuindo o ruído…

Depois disso, a maioria das crianças passa o dia todo acordada. Algumas até podem aderir à sesta caso esse seja um hábito da família, mas é preciso ficar atento aos horários e à duração do cochilo. Dormir das 4 às 6 da tarde, por exemplo, pode bagunçar o sono depois. Portanto, avalie se a soneca está afetando a qualidade do repouso noturno, que é o mais importante.

A quantidade de descanso esperada da primeira infância à adolescência

Idade Horas de sono
0 – 3 meses 14 – 17*
4 – 11 meses 12- 15*
1 – 2 anos 10 – 14*
3 – 5 anos 9 – 11*
6 – 12 anos 8 – 9
Adolescentes 7 – 9

*incluindo as sonecas

Tem que estipular uma rotina?

Ela é fundamental. A chamada higiene do sono preza boas práticas e a criação de um ritual que induza ao relaxamento. Por volta dos 6 meses, caso o bebê esteja se desenvolvendo bem, as mamadas noturnas já podem diminuir. Vale oferecer o seio, dar um banho quentinho, trocar a fralda, reduzir as luzes e cantar. Para os mais velhos, é bacana ler e fazer brincadeiras menos agitadas.

Ter uma rotina ao longo do dia também importa. Manter a organização da casa, dormir e acordar em horários parecidos e ter atividades frequentes dão à criança senso de previsibilidade e segurança para descansar sem medo de perder nada.

Fontes: Beatriz Kesselring, enfermeira obstetra, educadora do sono pelo FWII (Family Wellness Integrative Institute); Maria Laura Nogueira Pires, psicóloga aposentada da Universidade Federal de São Paulo, com pós-doutorado no Sleep & Mood Disorders Laboratory da Oregon Health Science University; Renatha El Rafihi Ferreira, psicóloga colaboradora do Ambulatório do Sono do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo.

Continua após a publicidade

  • Bebês
  • Comportamento – família
  • Criança
  • Distúrbios do sono

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*