Como Evitar Que Um Cachorro Morda?

Passear o seu cão nem sempre é fácil, pois alguns têm comportamentos indesejáveis, como puxar ou morder a trela. Saiba o que fazer para o evitar aqui.

Como Evitar Que Um Cachorro Morda?

Tomás Magalhães

Veterinário

28 nov4 min de leitura

Os passeios ao exterior são dos momentos mais entusiasmantes do dia para um cão, representando o contacto com diferentes estímulos visuais, sonoros e, principalmente, olfativos. Dada a excitação e curiosidade subjacentes, alguns cães tendem a manifestar comportamentos indesejáveis, tais como puxar ou morder a trela.

O meu cão “não sabe passear”, nem “andar ao lado”. Qual a solução?

  • Muitos tutores debatem-se com este problema com os seus cães: durante o passeio, não conseguem mantê-los ao seu lado, nem acompanhar o seu ritmo de caminhada.
  • Trata-se de um comportamento de desobediência, que coloca em causa a qualidade e segurança do passeio.
  • A solução passa por fazer com que o cão perceba que o passeio é uma experiência a dois e que existem regras a serem cumpridas no exterior:
  •  Sempre que o cão puxa a trela, o tutor deverá parar de imediato o passeio, até que o cão interrompa este comportamento e a trela fique de novo folgada. Esta técnica deverá ser realizada de forma sistemática até que o cão estabeleça a associação de que se puxar, não passeia e de que se parar de puxar, pode continuar o passeio.
  • Alterar frequentemente o trajeto do passeio, inclusive durante o mesmo, de modo a que o cão perceba que é o tutor que “comanda” o passeio, guiando e não sendo guiado.

Como evitar que o meu cão esteja constantemente a morder a trela?

Este é outro comportamento que o cão pode exibir como resultado da excitação do passeio (não se esqueça que a trela é o objeto mais representativo deste momento!). Há alguns cuidados que deve ter para impedir que isto aconteça:

  • Nunca deixar a trela disponível ao acesso do cão em casa: a trela deverá ser colocada apenas no momento de sair para o exterior e deverá estar apenas associada a este período de tempo. O cão nunca deverá ter contacto com a trela noutra altura que não esta, para perceber que não se trata de um brinquedo com que pode brincar.
  • Parar de imediato o passeio, assim que o cão comece a morder a trela. A lógica é a mesma explorada acima: desconstruir esta manifestação comportamental e estabelecer uma associação positiva no passeio.
  • Ignorar este comportamento. A maioria dos tutores perante a exibição deste comportamento, tendem a puxar a trela para si e a punir verbalmente o cão. Isso só irá aumentar o seu grau de ansiedade e excitação, aproximando-se de uma situação de brincadeira com uma corda.
  • Leve biscoitos para o passeio de forma a premiar bons comportamentos durante o passeio (técnica de reforço positivo).

Qual a opção mais recomendada para o passeio?

Apesar de, durante muitos anos, a coleira ter sido a opção mais frequentemente utilizada, atualmente, os peitorais são os que reúnem maior consenso. As vantagens dos peitorais são:

  • Maior sustentação e controlo: o cão quando puxa, experiencia a força oposta de tração na zona do tórax, sendo imobilizado de forma mais eficaz. Além disso, muitos dos peitorais têm uma pega atrás que permitem ao tutor aproximar ou segurar o seu cão junto a si.
  • Maior segurança: ao exercer a força no peito do animal, não acarretam o risco das coleiras, que por exercerem pressão na região cervical, podem traumatizar as estruturas anatómicas daquela região.
  1. Existem também peitorais/ arneses com argola à frente, que são uma excelente opção para cães que puxem, pois obrigam a que o cão se “vire” quando a trela fica sob tensão.
  2. Em relação às trelas, se tem um cão que puxa, evite o uso das extensíveis, que aumentando a liberdade de movimentos, diminuem o controlo.
  3. Para mais informações acerca das diferenças entre coleiras, trelas e peitorais, aconselho a leitura deste artigo acerca do tema.
  4. Lembre-se que quem lidera o passeio é o tutor e não se deixe ser “puxado”… Boa sorte e bons passeios! ????
  5. Tomás Magalhães     
  6. Médico Veterinário

Como evitar que seu cão morda seus sapatos

Como Evitar Que Um Cachorro Morda?Por que os cães comem seus sapatos

Você está sonhando com esses sapatos há meses … Você imaginou o que usaria … E finalmente conseguiu comprá-los. A pele é muito fina e macia ao toque, e a partir de agora eles irão com você para qualquer evento que a mereça.

Hoje de manhã, quando o alarme tocou, você ouviu seu novo filhote de cachorro ao pé da sua cama esperando por você. Ele faz isso todos os dias e, quando você se levanta, abre a porta para ele sair para o jardim. Você até pensou em como é inteligente ter aprendido tão cedo a fazer suas coisas lá fora.

Até quando você se levanta da cama para cumprimentá-lo, encontra o salto de seus sapatos novos saindo da boca dele. Depois de alguns segundos olhando para o calcanhar e sem o seu cérebro querer aceitar a dura realidade, você suspira e, embora queira voltar no tempo e não deixar os sapatos ao lado da porta, renuncia. Você não pode voltar no tempo.

E seu filhote comeu “os sapatos da sua vida”.

Por que os cães comem seus sapatos

Cães mordiscam para entreter. Provavelmente é um comportamento herdado de seus ancestrais, quando a comida era escassa e eles precisavam tirar algo da barragem que haviam comido dias atrás, porque não havia nada melhor.

Eles exploram o mundo, suas texturas e sabores pela boca.

Como uma criança pequena, o primeiro impulso de um filhote será morder: suas mãos, trela, sapatos … Com tempo e maturidade, a maioria dos cães para de morder naturalmente, mas alguns, se não são corrigidos Com o tempo, eles farão isso a vida toda.

Como impedir que os cães mordam os sapatos

A primeira solução, e muito óbvia, é fácil de executar. Mantenha os sapatos fora do alcance do seu cão. Obviamente, essa solução nem sempre é viável e existem coisas, como pernas de móveis, que não podem ser armazenadas.
A solução para esse problema generalizado depende da causa. Existem muitas razões pelas quais os cães mordem objetos e existem muitas soluções possíveis:

Causa 1: Ele se cansou de seus brinquedos

Isso é algo com o qual todos podemos nos identificar. Você mesmo comprou esses sapatos porque gostava muito deles, quando na verdade não precisava deles e tem o sapateiro cheio de outros sapatos.

Se o seu cão é um daqueles que se cansam de brinquedos, não os deixe à sua disposição o tempo todo. A cada poucos dias, guarde o que ele tem e coloque os outros.

Então ele terá a sensação de novos brinquedos a cada momento.

Causa 2: O objeto que se tornou seu novo “mordedor” tem um sabor ou textura muito atraente para ele

Se você notar que seu cão sempre mordendo objetos de textura, tamanho ou sabor semelhante, tente substituí-lo por um brinquedo com as mesmas características. Portanto, se ele sempre morde o controle remoto, dê-lhe um brinquedo termoplástico; se ele morde os fios, forneça uma corda; e se ele morde sapatos, compre um brinquedo semelhante.

Causa 3: Deseja obter atenção

Se o seu cão perceber que toda vez que ele morde algo, você mostra algum tipo de reação a ele, ele repetirá esse comportamento repetidamente. Para o cachorro, mesmo que você esteja gritando com ele, é atenção.
Quando você pegar seu cachorro mordendo algo que não quer que ele morda, tente não fazer uma cena. Silenciosamente, corrija-o dizendo “não” e dê a ele um de seus brinquedos.

Quando ele continuar mordendo seu brinquedo, parabenize-o efusivamente. Repita essa sequência desde o início até aprender. Infelizmente, se você não estivesse em casa quando aconteceu e foi o ato, há pouco que você pode fazer. Não adianta castigá-lo ou repreendê-lo mais tarde. O cão pensará que você está punindo ou brigando pelo que quer que esteja fazendo naquele momento.

Lembre-se disso sempre quando for brigar com ele. Tem que ser no momento que ele estiver fazendo é esse momento preciso. A famosa frase: “Ele se mostra culpado porque sabe o que fez” é um equívoco, embora muito comum. Nesses casos, seu cão está simplesmente respondendo à sua linguagem corporal.

Ele sabe que o chefe do bando está com raiva e demonstra sua submissão, mas ele não sabe o motivo da raiva.

Causa 4: Morder um item pessoal faz com que ele se sinta próximo quando você não estiver

Se você acha que isso é o problema, consulte um especialista em comportamento canino. A ansiedade de separação é tremendamente estressante para os animais, e geralmente também para os proprietários quando eles vêem seus animais de estimação sofrerem. Se o seu cão teme ficar sozinho, procure soluções.

Causa 5: Norde compulsivamente

As vezes o cão tem distúrbio alimentar, segundo o qual o animal come compulsivamente coisas não comestíveis. Alguns cães até comem fezes de outros animais ou deles próprios.

Corrija-o quando você o ver praticar esse tipo de comportamento e voltar sua atenção para outra coisa.

Não permita que ele tenha acesso às coisas que ele morde compulsivamente, mantenha-o entretido durante o dia e tente fazer exercícios suficientes para que, quando chegar em casa, ele só queira dormir.

Você pode até usar um spray repelente em certos objetos que você não pode esconder como uma perna de móveis ou a parede. A idéia de todas essas ações é cortar o círculo, porque uma vez que o cão para de morder compulsivamente esse objeto, nunca mais o fará. Em casos extremos, você pode precisar visitar um profissional.

Os cães, apesar de muito inteligentes, ainda são animais. Não explique as coisas para o seu cão. Não brigue horas depois. Não fique zangado por dias.

Leia também:  Embreagem O Que É E Como Funciona?

A única maneira de ensinar algo a um cachorro, seja ele qual for, é a constância. Os cães aprendem por repetição.

Alguns precisam que a ordem seja repetida mais vezes do que outros, mas se você for paciente, seu cão acabará aprendendo que sapatos, principalmente os caros, não deve mordem.

Meu cachorro morde

Como Evitar Que Um Cachorro Morda?Photo by Mircea Lancu from pexels

Qualquer cachorro pode morder. Filhote ou adulto; grande ou pequeno; macho ou fêmea, srd ou de raça.

Ouço várias pessoas dizendo que o seu cão nunca mordeu. Mas, se for provocado, até mesmo o cão mais fofo, mais bonito e bonzinho pode morder.

Lembre-se, não é a raça de um cão que determina se vai morder, mas sim a história e o comportamento individual de cada cão.

A maioria das mordidas dos cães é evitável; e há algumas coisas que você pode fazer dentro e fora de casa para ajudar a evitar as mordidas.

Vários são os motivos que levam os cães a morder:

Um filhote pode mordiscar durante uma brincadeira. Morder durante uma brincadeira pode ser divertido para o cão, mas pode ser perigoso para as pessoas. Uma sugestão que considero boa é evitar brincadeiras do tipo lutas ou brincadeiras que simulam brigas com o seu cão. Esses tipos de atividades podem deixar seu cão excessivamente excitado, o que pode levar a uma mordida mais forte.

  • Em uma situação de estresse ele pode morder para se defender ou defender seu território.
  • Ao serem surpreendidos ou quando estão com medo, nesses casos podem mordem porque se sentem ameaçados.
  • Podem morder para proteger seus filhotes, comida ou algum objeto.

Podem morder porque não estão se sentindo bem. Podem estar sentindo algum tipo de dor devido a ferimentos ou alguma doença, e podem preferir ficar sozinhos.

Socializar seu animal de estimação ajuda seu cão a se sentir à vontade em diferentes situações. A socialização é uma boa maneira de evitar que o seu cão morda.

Ao apresentar seu cão a pessoas e a outros animais enquanto ele é um filhote, faz com que ele se sinta mais confortável em diferentes situações à medida que ele vai crescendo.

Também é importante o uso de coleira e guia em público para que você seja capaz de controlar o seu cão. Estar informado é uma das melhores maneiras de evitar mordidas de cães.

Educar-se e ensinar as crianças de como, ou mesmo se devem se aproximar de um cão é muito importante quando se trata de evitar mordidas em crianças.

A tutoria responsável ajuda a reduzir o risco de mordidas. A tutoria responsável inclui a escolha cuidadosa do cão ideal para sua família; proporcionar uma educação preventiva para o filhote; adestramento adequado; exercício físico e regular.

  1. Evite situações de risco
  2. É importante entender como evitar a escalada de situações de risco e quando você pode ou não interagir com os cães.
  3. Evite interagir com os cães nos seguintes cenários:
  4. Quando o cachorro estiver longe do tutor;
  5. Quando o tutor não der permissão para acariciar o cachorro;
  6. Quando o cachorro estiver no quintal; jamais tente acariciar o cachorro através do cercado da casa;
  7. Quando o cão estiver comendo ou dormindo;
  8. Quando o cachorro estiver ferido ou doente;
  9. Quando a cadela estiver descansando com seus filhotes, ou quando ela parecer muito protetora ou ansiosa com a sua presença;
  10. Quando o cachorro estiver brincando com o seu brinquedo predileto;
  11. Quando estiver rosnando ou latindo;
  12. Quando ele estiver se escondendo ou procurando ficar sozinho.
  13. Preste atenção à linguagem corporal

Ler a linguagem corporal do cachorro é sempre útil. Assim como as pessoas, os cães se expressam por meio dos gestos corporais. Posturas e vocalizações são utilizadas para se expressarem e se comunicarem. Essa leitura pode nos dar pistas sobre o estado emocional de um cachorro, se ele está se sentindo estressado, assustado ou ameaçado.

Conhecer os gatilhos que causam as mordidas pode fazer com que você evite uma mordida. As mordidas de cães são sempre precedidas por um comportamento que serve como aviso prévio. As orelhas ficam tipicamente voltadas para trás; os pelos ao longo das costas podem ficar em pé; e o branco dos olhos ficam bem visíveis.

Mostrar os dentes também é um sinal de alerta. A paralisação do corpo em resposta a um toque ou olhar, seguido pelo contato visual direto e intenso do cão, é outro sinal de que ele pode morder.

A prevenção ainda continua sendo o melhor remédio. Educar o seu cão corretamente desde filhote, é um investimento que pode evitar muitas confusões e valerá para toda a vida do seu cachorro.

#adestrador #joe #abiko #mordida #cão #cachorro #educação #canina #comportamento #leitura #maringá #guia #coleira #estresse #território #tutoria #vida #alerta #filhote #a #A

Como evitar mordidas de cachorro

Nossos amigos de quatro patas não apenas se destacam por sua fidelidade pelo homem ou por seus latidos, às vezes, excessivos. Lamentavelmente, às vezes, eles se tornam notícia porque morderam uma pessoa, provocando graves feridas ou até a morte. Mas é possível evitar que o cão morda?

Por quais motivos os cães mordem

Convenhamos que, se um cão morde ou tenta fazê-lo, é porque está assustado e é a forma que ele encontra para se defender, independente de seu tamanho ou raça. Embora quanto maior seja a mandíbula do peludo, maior o estrago que ela possa causar.

E ainda que seja muito divulgado que os animais classificados como “potencialmente perigosos” são mais predispostos a atacar, a verdade é que a culpa não é do cão, mas sim do dono, que o “educa” para que tenha esse tipo de comportamento.

O ambiente em que um cão cresce cresce, o tratamento que recebe e a forma com que é socializado e treinado influenciam e muito em seu comportamento e na possibilidade de que o animal tenha tendência a morder.

Uma boa educação, tanto de cães como de humanos, é a ferramenta fundamental para evitar que os peludos nos mordam.

Dados sobre peludos e mordidas

As mordidas dos cães não são um tema menor. Por isso, é importante evitá-las com uma educação correta, tanto canina como humana.

De acordo com dados Organização Mundial da Saúde (OMS):

  • As taxas de mortalidade por esta causa são as mais elevadas em países de renda média e baixa. O motivo é uma atenção médica inadequada ou inexistente.
  • As crianças são as principais vítimas e correm sério risco, por uma questão de estatura, de sofrer lesões na cabeça ou no pescoço.
  • Cerca de 50% das lesões causadas por animais a viajantes são ocasionadas por mordidas de cães.

Como evitar que o seu cão morda

O que podemos fazer para evitar que o cão morda? Muitas coisas. Por exemplo, se ele ainda é um filhote, deve ensiná-lo a não morder quando está brincando.

É perfeitamente normal que os cães de certa idade utilizem a boca para explorar o entorno e mordisquem tudo o que encontram pela frente.

Mas é preciso fazer com que os pequeninos entendam que essa ação pode machucar. Como? Observe o que outro filhote, amigo de brincadeiras, faz quando é mordido: se queixa pela dor que sente.

Por isso, quando o seu peludinho estiver mordendo você suavemente e fica mais animado, dando uma dentada com força, faça com ele entenda que dói. Grite Aiiii!!! e abandone a brincadeira. É a melhor forma de fazer os animaizinhos entenderem que, com essa atitude, nos machucam, e passem a controlar a mordida.

Uma educação adequada e socialização: chaves para que os peludos não sejam agressivos

Mas os pontos fundamentais para evitar que o cão morda ou apresente outras condutas agressivas são a correta socialização e o amor que recebem.

Um cão que cresce em um ambiente “amigável” e em contato com outros animais e pessoas certamente será um adulto sem medo e com personalidade equilibrada. Nessas condições, é difícil que ele reaja tentando morder.

Pelo contrário, a maior possibilidade de agressividade se dá em animais que:

  • Recebem castigos físicos
  • Permanecem presos, isolados ou estão o tempo todo na parte de fora da casa
  • São humanizados ao extremo

O que você deve saber para evitar que um cão morda

Além de educar e socializar os cachorros, nós também devemos aprender a forma correta de nos comportarmos frente a eles. Nesse sentido, é fundamental:

  • Conhecer a linguagem corporal dos peludos, para identificar os sinais que podem indicar um possível ataque.
  • Saber como se comportar perto de animais desconhecidos e que provavelmente podem ser agressivos.
  • Explicar às crianças como elas devem tratar os seus amigos de quatro patas. Lembre-se de que você não deve deixá-los soltos com elas, principalmente se ainda são muito novas.

Desta maneira, tentando entender nossos peludos, seremos capazes de evitar muitas situações desagradáveis e que podem terminar em uma mordida.

Leia também:  Como Lavar Roupa Que Foi Tingida?

Descubra como evitar que seu cão destrua os móveis e objetos da casa | Dicas | iG

Antes de adotar um filhote de cachorro, os futuros donos avaliam vários aspectos para ter certeza se devem ou não ter um pet, como se existe condição financeira de criá-lo e se ele não ficará muito sozinho em casa. E, além dessas preocupações, em algum momento os futuros proprietários irão se perguntar: será que o cachorrinho destruirá os móveis da casa? 

+  Entenda o porquê de seu cãozinho adorar destruir os papéis de casa

Não é regra que todos os filhotes tenham esse comportamento, mas é algo que pode acontecer e vale a preocupação antecipada. Muitos donos ficam loucos e não sabem o que fazer ao verem os  móveis
roídos, o sofá com rasgos, fios e cabos destruídos, objetos mordidos ou quebrados, entre outros.  

reprodução shutterstock
Conheça algumas dicas para evitar que seu cão destrua os móveis e objetos da casa

Existe uma razão para os cães terem tal comportamento, especialmente os filhotes. Pensando nisso, iremos explicar o porquê sua mobília vive destruída e seu pet não consegue se conter, por mais que brigue várias vezes com ele. Além disso, iremos dar dicas para evitar este comportamento e quem sabe salvar os móveis e seus chinelos.

Por que o cachorro destrói móveis e objetos?  

Quando filhotes, os cães se assemelham muitos aos bebês humanos. Quem tem filhos ou convive com criança pequena sabe que eles adoram morder tudo quando os dentes estão crescendo. É por isso que os pais compram mordedores, para ajudar durante esta fase. E o mesmo ocorre com os cachorrinhos.

Os filhotes sentem dor na gengiva quando os dentes estão crescendo, pois elas estão ainda se desenvolvendo. Isso gera muita ansiedade e, para aliviá-la, ele morde.

No entanto, como ainda é novinho, não entende que não pode morder os móveis e objetos.

Além disso, provavelmente por causa da pouca experiência, não compreende quando é castigado ou recebe um não, pois é um procedimentos que deve ser repetitivo e constante. 

+  Confira dicas para higienizar corretamente os brinquedos para cachorros

Por isso, é preciso ter calma e paciência com o filhote. Ele não está tendo este comportamento porque é teimoso ou bagunceiro, mas sim porque necessita. Mas, por sorte, existem alguns métodos que evitam o cachorrinho destruir tudo. 

reprodução shutterstock
Conheça algumas dicas para evitar que seu cão destrua os móveis e objetos da casa

Fora isso, é bem provável que quando crescer ele pare de morder móveis e objetos. O problema é quando tal comportamento persiste. No geral, a causa é ansiedade ou energia mal administrada, como não levá-lo para passear, não brincar e deixá-lo preso o dia todo em casa. Também existem dicas para melhorar esta atitude do cão adulto. 

Como evitar que a casa seja destruída

No caso dos filhotes, a melhor solução é comprar um mordedor. Existem diversos tipos em pet shops, das mais variadas cores, formatos, textura, tamanhos, com ou sem som, entre outros. A ideia é que o brinquedo chame sua atenção e o faça parar de morder móveis e objetos. Por isso, compre uns dois modelos diferentes para o cão experimentar e ver qual mais gosta. 

Assim que adquirir o mordedor, o animal precisa entender que ele representa algo bom. Então, coloque-o num local vazio da casa, de preferência com espaço para se movimentar, e entregue o presente.

Quando ele começar a morder e brincar com o objeto premie-o com petiscos e diga palavras animadas, como “muito bem” e “parabéns”.

Sempre repita este processo para o pet compreender que o mordedor é a coisa certa para morder. 

Pode demorar um tempo até ele entender que não deve destruir objetos e móveis, então também será preciso educá-lo neste aspecto. Quando vê-lo mordendo algo que não deve, diga um “não” firme e aponte para o mordedor. Se não conseguir chamar sua atenção, dê um toque no ombro enquanto diz “não”. Depois, coloque-o em outro espaço da casa e ofereça novamente o brinquedo. 

reprodução shutterstock
Brinquedo de cachorro é muito importante para estimular o pet a gastar energia

Outro método é levá-lo regularmente para passear. Além de permitir que ele gaste energia e realize exercícios físicos, é também uma válvula de escape para a ansiedade acumulada. Isso irá diminuir a vontade de morder e, consequentemente, seus móveis serão menos destruídos.

+  Confira dicas para higienizar corretamente os brinquedos para cachorros

Por último, tranforme sua residência em “à prova de cães”. Evite deixar objetos pequenos à vista, tampe tomadas, deixe gavetas de fácil acesso trancadas, esconda fios, etc. Estas pequenas precauções evitam que o cão crie o hábito de morder.

Outra dica interessante é passar spray repelentes de gosto amargo nos móveis e objetos. Este produto vende em pet shops e serve justamente para afastar o animal. Passe todos os dias o repelente nos locais se quiser que a proteção seja eficaz.

 

O que fazer quando meu cachorro adulto ainda morde móveis e objetos?

O método continua o mesmo quando filhote: adquirir um mordedor. Lembre-se de comprar um modelo que ele goste, então escolha mais de um, de formas diferentes, e veja qual chama mais sua atenção. 

Repita o mesmo processo ensinado anteriormente. Entregue o mordedor, premie sempre que mordê-lo e diga palavras animadas quando fizer a coisa certa. Também repreenda quando vê-lo destruindo a mobília ou algum objeto.

Diga um “não” apenas se pegá-lo no flagra, pois fazer isso depois só gerará confusão no animal.

 Normalmente um cão adulto entende melhor o que é certo e o que é errado, mas ainda assim será preciso calma e paciência para ensiná-lo. 

reprodução shutterstock
Conheça algumas dicas para evitar que seu cão destrua os móveis e objetos da casa

+  Conheça algumas dicas para evitar mordida de cachorro

Se você comprou vários mordedores, ensinou corretamente, usou repelentes e mesmo assim não está resolvendo, a melhor solução é procurar um profissional na educação do cachorro.

Contrate um treinador para adestrar o cão e acabar de vez com a mania de morder móveis e objetos.

Saiba que, se esse problema persistir, irá gerar ansiedade no pet e em você, por isso é melhor resolver antes que piore. 

Leia tudo sobre:

Seu cachorro morde os móveis e calçados? Veja dicas de especialista para lidar com o problema

1 de 2
Maia, com quase seis meses, além de morder calçados também estragou a porta do banheiro — Foto: Thafnys Gomes / Arquivo Pessoal

Maia, com quase seis meses, além de morder calçados também estragou a porta do banheiro — Foto: Thafnys Gomes / Arquivo Pessoal

Você já chegou em casa depois do trabalho e encontrou um dos sapatos mordidos pelo cãozinho? Segundo o médico veterinário Rômulo Edgar, é comum esse comportamento entre os cachorros, principalmente os filhotes.

Uma das principais causas atribuídas pelos especialistas, é o nascimento dos dentes, que geralmente ocorre até no sexto mês de vida do animal.

Morder os móveis e calçados é uma forma utilizada pelos pets para aliviar a dor nas gengivas e explorar o ambiente.

O veterinário ressalta que essa mania costuma mudar quando o cão atinge a idade adulta, aos dois anos, portanto se seu bichinho já não é mais filhote e continua mordendo tudo que encontra pela frente, é preciso ficar atento, pode ser um sinal de que algo não anda bem com a saúde dele. Estresse, ansiedade de separação e falta de atividade física são causas comuns para esse problema. Caso pegue seu bichinho em flagrante comendo o pé do sofá ou um chinelo, dê uma bronca nele, “é essencial que ele entenda que esse comportamento não é o certo”, afirma o veterinário.

Quando a jovem Thafnys Gomes viu os filhotinhos de Lulu da Pomerânia que a vizinha estava vendendo ela não resistiu, se apaixonou pela menorzinha do grupo, Maia.

Pelo tamanho ninguém poderia imaginar que Maia, com quase seis meses, fosse tão enérgica. “Ela morde chinelos, barra da calça, os tapetes da casa, a porta do banheiro nem se fala.

Ela tem brinquedos, mas prefere brincar com panos ou rasgar jornais”, conta Thafnys.

2 de 2
Denny, de cinco anos, não morde nenhum objeto na casa de Ana Ferreira — Foto: Ana Ferreira / Arquivo Pessoal

Denny, de cinco anos, não morde nenhum objeto na casa de Ana Ferreira — Foto: Ana Ferreira / Arquivo Pessoal

Já a estudante Ana Luiza Ferreira nunca teve esse problema. Quando ganhou seu cachorro Denny, ele já tinha dois anos.

O animal de estimação pertencia a cunhada dela, mas como ela morava em apartamento, resolveu dar Denny para a Ana Luiza, que possui uma casa grande com espaço para o cão brincar.

Atualmente com cinco anos, Denny tem dois ursinhos, mas praticamente os ignora. O cãozinho gasta sua energia passeando duas vezes ao dia, uma de manhã e outra no fim da tarde.

Se ao contrário do Denny, seu pet não é tão tranquilo, os especialistas aconselham que uma boa maneira de lidar com esse problema é dar brinquedos aos cães para eles mastigarem.

Leia também:  Como Saber A Quem Pertence Um Veiculo?

Mas, o que fazer quando o cãozinho sofre de ansiedade de separação? Ou seja, sente falta quando o dono quando ele sai e pega os calçados dele. Segundo o veterinário, isso ocorre por causa do cheiro da pessoa.

Então, é só deixar uma peça de roupa que não use mais e que tenha o seu cheiro com o cãozinho e está resolvido o problema.

Se ainda assim, o cão continuar mordendo os objetos, o veterinário orienta passar repelentes de gosto amargo, próprios para cachorro, que são vendidos em pet shops. Algumas raças são naturalmente mais enérgicas que as outras, como o caso dos labradores. Para gastar o excesso de energia dos cachorros, o ideal é levá-los para passear pelo menos duas vezes ao dia.

Seu cachorro morde as visitas?

Se você teve a sorte de nunca passar por esse momento constrangedor no qual o seu tão amado cachorro morde as visitas que você recebe em sua casa, olha, meu amigo, você é bem sortudo! E a gente espera que nunca passe mesmo, mas, como a gente se importa muito com você e o seu pet, vamos te dar 6 dicas de como agir quando o seu cachorro morde as visitas.

Primeiro de tudo, você tem que lembrar que não está sozinho nessa – milhões de cachorros já morderam e continuam mordendo as visitas. E segundo que não é o fim do mundo, não quer dizer que você tenha que se isolar e nunca mais receber visitas. É, no entanto, um alerta.

Como você lida com a situação pode,as vezes, influenciar se esse comportamento do seu cachorro aumenta ou diminui.

Se o seu cachorro morde as visitas, você precisa estudar para combater esse comportamento e prevenir que ele não aconteça mais.

Lembre-se que: seu cachorro não virou um bicho do mato e nem está pensando em machucar suas visitas. Qualquer cachorro pode se tornar um cão de guarda e morder ou, pelo menos, tentar morder o “intruso” quando alguém entra em seu território. Mas, se isso aconteceu várias vezes e com pessoas diferentes, você precisa tomar providências para proteger o seu pet e suas visitas um do outro.

O que fazer se o seu cachorro morde as visitas:

1) Com calma, tire o seu cachorro da situação.

Sem gritar, sem escândalo e, principalmente, sem punição guie seu cachorro para um quarto onde seja quieto e que ele se sinta seguro – ah deixe uns brinquedinhos lá também! Sua visita pode esperar que você grite, puna ou “seja o alfa” perante o seu cachorro – se ela estiver pensando nos métodos antigos e nada funcionais de educar um pet. Não deixe que o momento delicado e embaraçoso te leve a fazer algo que você vá se arrepender depois, como punir seu cachorro. Afinal, seu cachorro é seu melhor amigo!

Se o seu cachorro mordeu sua visita, se desculpe e lembre de verificar se ela está machucada.

2) Se desculpe com sua visita e veja se ela não está machucada.

Primeiro de tudo, veja se sua visita não está machucada. Depois de ter certeza que sua visita não está machucada, um pedido de desculpas curto e objetivo é o suficiente para a situação, algo como”Me desculpe pelo ocorrido”ou “Desculpe pelo Thor ter mordido você…”.

Não exagere e nem transforme a situação em uma novela com pedidos como “Ai meu Deus, sinto muito que o Thor mordeu você, ele nunca faz isso. Mil perdões, nem posso imaginar o que causou esse comportamento, ele é tão bonzinho, ai que vergonha”.

Histeria só vai transformar uma situação, relativamente, normal em um acidente enorme – e não é isso que queremos…

3) Aos poucos, vá descobrindo o motivo das mordidas.

Se esse comportamento é algo novo para você, você deve tentar descobrir o que aconteceu para tomar providências para que não aconteça mais.

Agora, se isso é um comportamento recorrente, é um erro seu deixar que tenha voltado a acontecer.

Após se desculpar e seguir a dica anterior, pergunte algumas coisinhas para a sua visita (lembre-se de NUNCA acusar a sua visita de ter provocado o comportamento). Pergunte algo como:

  • Você precisa prestar bastante antenção no comportamento do seu cachorro. Ele pode estar com algum problema ou sob estresse!
    Poxa vida, você pode me dizer o que aconteceu?
  • Você se lembra o que estava fazendo quando ele mordeu você?
  • Você se lembra o que ele estava fazendo antes de morder você?
  • Você notou algo diferente nele?

4) Anote para poder pensar nas soluções.

Se o seu cachorro morde as visitas com frequência, procure um treinador que use métodos positivos!

Assim que você puder, anote tudo que você lembra sobre o ocorrido. Detalhe a visita que o seu cachorro mordeu (coloque tudo no papel, idade, sexo, cor, detalhes como barba, óculos, anéis,colares…) e, principalmente, se ela fez algo de estranho, como provocações, vozes estranhas ou alguma brincadeira que o seu pet não goste (como pegar ele no colo).

Inclua informações sobre mudanças no cotidiano do seu cachorro, como se ele anda se alimentando direitinho, dormindo bem, se suas fezes estão normais…Ah uma boa ideia é perguntar para o passeador do seu cachorro se ele tem passeado normalmente, sem avanças em outras pessoas ou cachorros na rua. Seu pet pode estar sob algum estresse e, assim como acontece com os humanos, estresse só acumula mais estresse e pode levar a alterações no comportamento.

Se esse comportamento continuar ou se repetir no futuro, você terá anotações suficientes que irão te ajudar a tentar solucionar o problema. E, caso esse comportamento se torne recorrente, é bom que você procure ajuda de um profissional comportamentalista ou um treinador de animais competente que não use técnicas de punição ou liderança.

5) Monitore o comportamento do seu pet com outras pessoas, sejam elas visitas ou não.

Procure atentamente por sinais de estresse no corpo do seu cachorro, caso você não saiba diferenciar os sinais corporais do seu cachorro, nós temos um infográfico bem fácil de entender que te explica isso de maneira bem simples. Para baixar gratuitamente o infográfico, é só clicar aqui.

Se o seu cachorro morde as visitas, cuide para que, além de não machucá-las, ele próprio não se machuque quando estiver nesses momentos mais estressados. Se ele passar qualquer indício de que está triste, bravo ou incomodado, tire-o do local e leve-o para um quarto calmo, com água, tapetinho higiênico e vários de seus brinquedos preferidos.

Se você voltar a perceber comportamentos como este, continue anotando tudo para poder ajudar o treinador a trabalhar esse incômodo que está deixando seu pet estressado – lembre-se de escolher um treinador que use técnicas positivas de treinamento, nada de tapas, gritos, puxões e de usar o medo como base para tal, seu pet é seu melhor amigo, trate-o com respeito e amor.

6) Como dar a volta por cima.

Seu pet está bastante frustrado e, com certeza, também está sofrendo com esse comportamento, portanto é indispensável que você, além de mudar o comportamento, trabalhe junto com ele, mostrando que você o ajudará a mudar. Sempre que quiser ensinar um cachorro o que ele pode ou não fazer, o ideal é que você reforce os comportamentos corretos com bastante carinho e um petisco que ele goste muito.

O seu cachorro pode melhorar muito quando o problema for combatido. Trabalhe junto com ele, sempre com carinho. Afinal, eleé seu melhor amigo.

Você sabia que o maior causador do estresse nos cachorros é o tédio? Sim, o tédio. Pense nisso, se ele estivesse livre na natureza, ele estaria correndo, se exercitando, se estimulando mil vezes mais do que ele está dentro de casa.

Calma! Não estamos dizendo que ele não é feliz com você, ele é – e muito! Mas ele PRECISA de atividades e de exercício para poder extravasar toda a sua energia. Sabe como você pode ajudá-lo nesse ponto? Com passeios diários, mas passeios de verdade, nada de ir até o fim da rua só para ele fazer cocô e voltar.

Passeios diários com 1 hora de duração, onde ele seja estimulado e tenha benefícios para sua saúde física e mental.

Mas é nessa hora que você lembra que não tem tempo nem de parar para um café, quem dirá passear durante uma hora com seu cachorro todos os dias.

A gente te entende! A vida hoje em dia anda muito corrida e ninguém tem tempo para nada. Por isso, disponibilizamos dog walkers (passeadores) treinados e capacitados para te ajudar a cuidar do seu cachorro.

Se interessou e gostaria de mais informações sobre nosso serviço de passeio? Entre no nosso site.

Mas e quando o assunto é falta de atenção? Muitos cachorro que apelam para comportamentos indesejados (latidos, mordidas, vocalização extrema, destruição…) procuram conseguir a atenção do tutor.

Nesses casos, ignorar estes comportamentos será a melhor forma de controlar e diminuir sua ocorrência. Ah, a visita também deve ignorá-lo até que ele se acostume com a sua presença.

Lembrando que ignorar não significa maltratá-lo, mas sim, não manter contato visual, físico ou verbal com ele.

[wc_box color=”primary” text_align=”center” margin_top=”” margin_bottom=”” class=””]

Encontre um Dog Walker para seu cachorro

[/wc_box]

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*