Como Evitar Que Os Cachorros Roam?

Muitas vezes, a adoção de um cachorrinho filhote vem acompanhada de alguns móveis e objetos destruídos. Isso ocorre pelo excesso de energia, vontade de desbravar o mundo, troca de dentes ou mesmo pela falta de estímulos contra o tédio.

Existem muitas maneiras de lidar com esse problema, mas algumas alternativas para impedir esse comportamento podem funcionar. É o caso repelente para cachorro. É uma composição própria, vendida em pet shops no formato de um borrifador. O cheiro mais forte impede que os cães destruam objetos “proibidos”.

Algumas versões do repelente podem até ajudar na tarefa de educar o animal para fazer xixi no lugar certo. Conheça mais sobre esses produtos e a indicação de uso!

Repelente para cachorro: olfato aguçado dos caninos ajuda no treinamento

Cachorros são animais com uma capacidade olfativa poderosa: podem sentir cheiros à distância e identificar até mesmo qual foi o cachorro que passou por aquele lugar antes dele.

Com as doenças gradativas da idade, os cães podem ter a visão e a audição comprometidas, mas nunca o olfato, já reparou isso? Antes de fazer xixi, por exemplo, os cães costumam cheirar o local onde há a poça e, dependendo do que ali entendem, marcam por cima ou não.

A mesma coisa acontece na hora de conhecer outro cãozinho: eles cheiram o bumbum um dos outros, pois o ânus canino libera um odor específico que faz com que eles saibam quem é aquele animal que está diante deles.

Os repelentes em spray possuem um cheiro forte e um gosto meio desagradável. Por isso, os cães não ficam perto da área em que esse odor se concentra, pois incomoda suas narinas.

Como Evitar Que Os Cachorros Roam?

Comportamento animal

A companhia dos felinos é uma delícia, mas tem lá seus desafios, principalmente na hora de tentar entender a linguagem dos gatos. Por serem mais reservados, muitos tutores ficam na dúvida se esses animais realmente apreciam a presença dos humanos, se perguntando como os gatos nos veem.

Será que eles são capazes de nos entender? Como o gato reconhece seu dono? Como saber se eles gostam da gente? Para tentar desvendar de uma vez por todas alguns dos comportamentos do gato em relação ao seu tutor, preparamos uma matéria bem especial.

Vem com a gente e saiba mais sobre o assunto!

Como Evitar Que Os Cachorros Roam?

Comportamento animal

Os felinos não são muito associados com o ato de morder. Diferente dos cachorros, o comportamento é bem menos frequente nos felinos. É justamente por isso que muita gente acaba ignorando as mordidas por subestimar a força do animal e achar que não vai machucar.

A mordida de gato não só pode ocorrer por muitos motivos, como também podem causar acidentes. Geralmente, os gatos dão alguns sinais que antecipam a mordida e é importante que você aprenda a reconhecê-los, assim como também entender as razões que levam o felino a ter essa atitude.

Preparamos uma matéria completa sobre o assunto, então chega mais e vem entender porque os gatos mordem!

Como Evitar Que Os Cachorros Roam?

Comportamento animal

Não é segredo para ninguém que os gatos são muito exigentes com alimentação e higiene. E um hábito muito comum observado por todo gateiro é o gato pedindo comida mesmo quando o pote de ração está cheio: eles manifestam a insatisfação com a comida “velha” com muitos miados para chamar a atenção do tutor. Esse é mais um curioso comportamento felino com muitas explicações coerentes por trás.

Como Evitar Que Os Cachorros Roam?

Comportamento animal

Quem tem um gatinho já deve ter percebido que eles costumam afofar ou “amassar pãozinho” em algumas circunstâncias específicas. Os movimentos lembram uma massagem.

Antes de deitar, quando estão no colo do dono ou quando encontram uma coberta fofinha e macia.

Se mesmo sem saber porquê eles fazem isso a gente já acha a coisinha mais linda do mundo, imaginem depois de saber? Vem com a gente desvendar!

Geralmente, ao crescer e se tornar adulto, o cão deixa para trás a mania de morder os móveis. Quando filhote, os dentinhos costumam incomodar muito e morder as coisas pode aliviar a sensação de incômodo.

Então, na falta de objetos próprios para isso, o filhote vai procurar qualquer coisa pra destruir, e nisso se vão móveis, chinelos, carregadores, entre outras coisas. Se quando adulto o cão insistir nesse comportamento, é necessário avaliar se ele está tendo as suas necessidades assistidas.

É importante ter uma rotina de passeios, investir em brinquedos e mordedores para garantir o enriquecimento do ambiente e trabalhar a ansiedade canina da melhor forma. 

O repelente precisa ser aplicado diariamente – às vezes, até mais de uma vez ao dia. Somente com a aplicação eficaz e diária é que o produto realmente vai servir para o seu propósito.

Aplicando o spray todos os dias, uma hora o cão vai associar que aquele local não tem um cheiro confortável e eventualmente se afastará.

Não precisa se preocupar com a saúde do cãozinho: o repelente não é tóxico e, apesar do cheiro, não vai causar nenhum dano ao animal. 

Como Evitar Que Os Cachorros Roam?

O uso do repelente para cachorro não causa nenhum dano a saúde do animal, apenas evita que ele morda ou marque o local onde foi aplicado o produto.

Outra função do repelente é educar o cãozinho na hora de acertar o lugar do xixi e cocô. Algumas opções do produto são específicas para esse treinamento. Além do repelente que é aplicado nas áreas “proibidas” para as necessidades, existem opções em spray que podem ser colocados exatamente no lugar delimitado para ser o banheiro do cachorro – o cheiro atrai os cães para aquele local. 

Receitas de repelente caseiro para cachorro

Muitos donos não podem pagar o preço de um repelente próprio para evitar a destruição de móveis ou impedir que o cão faça xixi no lugar errado. Por sorte, existem muitas alternativas para esse produto, com itens encontrados em supermercados e que podem ter um preço bem mais em conta.

O segredo é investir em cheiros fortes, que podem incomodar o olfato do cão, mas sem causar nenhum problema a sua saúde. Lembre-se que nenhum spray pode funcionar para sempre: em casos onde o comportamento persiste, pode ser necessário procurar ajuda profissional.

Veja 3 receitas de repelente caseiro para cachorro não roer móveis e nem fazer xixi no lugar errado!

Como Evitar Que Os Cachorros Roam?

Receitas de repelente caseiro para cachorro: uma boa alternativa aos produtos tradicionais é fazer o seu próprio repelente em casa!

Repelente feito com álcool, cânfora e citronela

Uma boa receita caseira de repelente que não agride o animal é uma composta por álcool, citronela e cânfora. Basta misturar todos os ingredientes em um recipiente e colocar no borrifador para aplicar nos móveis e objetos. Você vai precisar de:

  • 1 litro de álcool de cereais, que pode ser encontrado no mercado mesmo;
  • 100ml de essência de citronela – você encontra em mercados ou lojas de departamento;
  • 2 colheres de sopa de pasta de cânfora, vendido em farmácias.
  • Cães não gostam de cheiros cítricos
  • Cães não costumam gostar de cheiros cítricos e o uso de limão e laranja também pode ajudar a repelir esses comportamentos indesejados: basta retirar o suco das frutas, diluir com água e borrifar nos locais onde o cão não deve ir.  
  • Receita com vinagre e cânfora

A receita caseira à base de vinagre também funciona. Basta colocar 15 pedrinhas de cânfora em 200ml de vinagre de álcool e esperar que dissolvam. Após isso, acrescente 400 ml de álcool e coloque tudo em um borrifador. Aplique onde seu cão não deve urinar ou destruir. 

Repelente para cachorro: ingredientes não recomendados

Na hora de fazer uma receita de repelente caseiro é importante usar apenas ingredientes que não oferecem riscos ao animal.

Pimenta é um exemplo: apesar de ainda ser usado por alguns donos, o condimento (em suas variadas formas) podem incomodar bastante as mucosas dos cachorros caso seja ingerido ou aspirado.

É bom evitar também os produtos com amônia: estudos divergem se o composto repele os cães pelo cheiro forte ou se, por se assemelhar ao cheiro de urina, os incentiva a urinar ainda mais nos locais. De toda forma, é melhor manter distância desses produtos pela sua saúde do seu pet!

Redação: Julia Cruz

Como Evitar Que Os Cachorros Roam?

Cachorro roendo MÓVEIS: veja o que fazer

Como Evitar Que Os Cachorros Roam?

Como Evitar Que Os Cachorros Roam?

Ver fichas de  Cachorros

O seu cachorro está roendo móveis? Infelizmente este é um dos problemas do comportamento canino mais comuns, em especial quando filhote, embora existam casos em idades adultas.

Talvez não nos importemos quando ele morde tênis velhos ou um pano antigo.

Mas quando mostra uma fixação pelo controle da tv, uma bolsa ou outro acessório, com certeza você vai querer tratar este problema o quanto antes.

O importante é que comece o quanto antes a ensiná-lo à base de paciência e educação positiva. Neste artigo do PeritoAnimal, apresentamos alguns conselhos para evitar que o cachorro morda os móveis e falamos um pouco sobre um dos acessórios mais procurados: o spray para cachorro não roer móveis. Boa leitura!

Leia também:  O Que É Uma Franquia E Como Funciona?

Assim como no caso dos bebês humanos, os filhotes de cachorro têm a necessidade de morder para aliviar um pouco a dor nas gengivas provocada pelo desenvolvimento dos dentes.

É desta forma que eles acalmam a ansiedade.

Quando você vê o cachorro roendo móveis, é provável que, pela pouca experiência que ele tem, ele não compreenda quando você o castiga ou diz que não pode fazer aquilo.

O que fazer para que meu cachorro não morda os móveis?

  • O primeiro passo será adquirir um mordedor. Existem de muitos tipos e formas, que emitem ou não sons, mais macios ou duros. Escolha ao menos dois com qualidades diferentes para que possa experimentar a receptividade do seu amigo peludo com as duas opções.
  • Coloque o cachorro em um espaço vazio com espaço suficiente para ele se movimentar e dê a ele o novo mordedor. Quando começar a mordê-lo, premie-o utilizando palavras como “muito bem”, oferecendo carinho e, além disso, ofereça petiscos como prêmio.
  • Interaja com o cachorro e o mordedor e, cada vez que ele utilizá-lo, volte a premiá-lo.
  • Embora seja importante fomentar a educação através do reforço positivo, é verdade que o seu cachorro deve aprender o significado do não. Quando morder, e apenas quando estiver mordendo um móvel ou objeto não permitido, deverá dizer um “Não” firme e apontar para o objeto em questão.
  • Você também pode tocá-lo, por exemplo, próximo do ombro, enquanto pronunciar o “não”. Este é um procedimento habitual entre cachorros de uma mesma matilha. Isso desviará a sua atenção e quando estiver desconcentrado, deve colocá-lo noutro espaço da casa e voltar a oferecer-lhe o seu mordedor.

Lembre-se que esse se trata de um hábito que deve ser adquirido por ele e é claro que eleprecisará de tempo para entender todo o processo.

Se o problema se agravar e ele morder as suas mãos nesses momentos de repreensão, há duas coisas que você pode fazer nessa situação:

  • Finja uma grande dor: especialmente se seu cão ainda não tiver três meses de idade, você deve aplicar esta técnica. Toda vez que ele te morder, você deve expressar que sentiu uma grande dor com isso. Em seguida, fique pelo menos meio minuto sem interagir com ele. Pouco a pouco ele vai começar a entender que isso realmente dói.
  • Afaste-se dele: este caso é mais adequado para cachorros ligeiramente mais velhos. Comece uma sessão de brincadeira (sem exagerar) e, se ele te morder, apenas vire e pare de brincar com ele. Após um minuto, comece o jogo novamente e repita o procedimento se ele morder novamente. Eventualmente, ele vai entender que a mordida significa o fim da brincadeira.

Como Evitar Que Os Cachorros Roam?

O caso mais grave e que mais ansiedade gera é quando o cachorro adulto continua mordendo móveis e objetos aparentemente sem motivo algum.

Por que o meu cachorro continua mordendo os móveis e objetos?

No geral, trata-se de ansiedade ou de energia mal administrada. Devemos ser rigorosos com os horários dos passeios, de exercício e das refeições. Se todas as necessidades do seu cachorro estiverem cobertas, vamos passar ao seguinte ponto. No caso de ansiedade, recomendamos o uso do Kong, um brinquedo mordedor especialmente criado para estes casos.

O que posso fazer para que meu cachorro deixe de morder os móveis?

  • Assim como no caso dos filhotes de cachorro, vamos dar-lhe um mordedor adequado ao seu tamanho e, o mais importante, que ele goste. Você pode adquirir dois ou três diferentes (com som, de tamanhos distintos, que tenham luzes,…) que sejam capazes de captar sua atenção e estimulá-los a querer brincar.
  • Interaja com seu cachorro e o mordedor, captando a sua atenção e premiando-o cada vez que o morder. O uso de petiscos para cachorro também é permitido.
  • Você também deve dizer um “não” firme quando o cachorro estiver roendo móveis ou algum objeto não permitido. Falar com ele depois do ocorrido seria uma perda de tempo e geraria confusão no animal. Assim, quando ele morder algo que não deve, afaste-o do objeto ou móvel imediatamente e dê a ele seu mordedor no mesmo instante.

Um cachorro adulto deveria compreender perfeitamente quando está fazendo algo que não deveria e, se lhe dermos outra coisa para morder, isso deveria ser suficiente. Ainda assim, o cachorro tentará morder aquilo que gosta e você deve proibí-lo disso.

Como Evitar Que Os Cachorros Roam?

Se você já tentou todo o tipo de reforço positivo, deu-lhe uma infinidade de brinquedos e mordedores apropriados e o problema persiste, há ainda outras duas soluções que você pode experimentar:

Spray para cachorro não roer móveis

Há diferentes produtos disponíveis para a compra, seja em lojas especializadas em animais ou mesmo supermercados. Certifique-se de que o spray para cachorro não roer móveis é adequado e não oferece nenhum risco ao seu companheiro peludo.

Esses sprays usualmente podem ser aplicados em ambientes internos e externos. Para cada produto, há uma forma de utilizar diferente, variando de uma a mais aplicações diárias no local que você quer que seja evitado pelo cachorro.

Antes de comprar o spray, converse com o vendedor para descobrir se os compostos químicos podem estragar tecidos ou o verniz do seu móvel, por exemplo. Lembre-se que o uso contínuo e prolongado dos sprays repelentes para cachorro usualmente não é recomendado.

Se você não quer comprar um spray para cachorro não roer móveis, sabia que há algumas opções de repelente caseiro para cachorro. Há alguns cheiros de alimentos que são desagradáveis para nossos pets. Você pode conferir tudo sobre as opções de repelente caseiro para cachorro neste outro artigo do PeritoAnimal.

Adestramento profissional

Se você realmente já não tem mais ideias do que fazer e nenhuma das opções anteriores adiantou, procure um profissional de adestramento de cachorros. Pense que se o problema persistir isso vai gerar ansiedade não apenas no animal, mas também em você.

Agora que você já sabe o que fazer em casos de cachorro mordendo móveis e aprendeu que é preciso ser firme com ele trabalhar com reforço positivo, confira no vídeo abaixo 5 erros comuns ao repreender um cachorro:

Se deseja ler mais artigos parecidos a Conselhos para evitar que o cachorro morda os móveis, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Problemas de comportamento.

Bibliografia

  • Yllera Fernández, M. M., Camiña García, M., Cantalapiedra Álvarez, J. Comportamiento y órganos de los sentidos de los animales. (2008). Lugo: Monografías do IBADER.
  • Connelly, N.; Damhus, T.; Hartshorn, R.; Hutton, A. (2005). Nomenclature of inorganic chemistry. International Union of Pure and Applied Chemistry, UK. Disponível em: . Acesso em 10 de novembro de 2020.

Saiba como deve ser a dieta do cachorro com problemas cardíacos | PetNut | iG

Os cães estão vivendo cada vez mais tempo e o resultado disso é o aumento no número de diagnósticos de cachorros com problemas cardíacos
, algo comum em cães idosos. Essas cardiopatias afetam diretamente a qualidade de vida dos pets e devem ter uma atenção especial dos tutores. 

Enquanto que para os humanos a obesidade, o sedentarismo, a genética e os hábitos alimentares são determinantes no desenvolvimento de cardiopatias
, em cães o aparecimento dessas doenças tem uma forte relação com a genética e com o avanço da idade. Então, como deve ser a dieta do cachorro com problemas cardíacos?

Como Evitar Que Os Cachorros Roam?

Shuttersock
A alimentação do cachorro com problema cardíaco deve ser especial

A alimentação deve ser apropriada para a doença diagnosticada, mas, ao contrário do que acontece com os humanos, o indicado para os cachorros cardiopatas é um cardápio rico em proteínas e gordura, já que o animal tem grandes gastos de calorias por fazer muito esforço respiratório, até para as atividades mais simples – como respirar. 

A proteína animal é rica em dois elementos-chave na prevenção de certas doenças cardíacas, são eles a taurina e a carnitina.  A taurina é fundamental ao coração e a ausência ou deficiência dela pode causar sérios danos ao órgão. Em raças como cocker spaniel, é comum encontrar a Cardiomiopatia dilatada e cegueira causadas pela falta de taurina. Já a gordura traz energia para o corpo. 

Nesses casos a  alimentação natural
(AN)
é uma forte aliada pois fornece nutrientes de alta qualidade e de maior valor biológico que as rações processadas, além de serem mais palatáveis e ajudar a evitar a perda de peso nos estágios avançados. Com o uso da AN também é mais fácil a redução do sódio quando necessária.

Como Evitar Que Os Cachorros Roam?

Shuttersock
A alimentação natural para animais pode ajudar no tratamento de cardiopatias

Um dado curioso, que poucos tutores sabem é que a romã é uma fruta com propriedades antioxidantes e que proporciona efeitos bastante positivos na prevenção e tratamento de cachorros com problemas cardíacos.

  O Journal of applied research in veterinary medicine
, edição 10 – 2012 afirma que o extrato de romã,  sozinho ou em combinação com outras substâncias, possui significativa atividade antioxidante e citroprotetoras para as células endoteliais caninas.

Leia também:  Como É Que A Tecnologia Mudou As Nossas Vidas?

Porém, é importante alertar que a o uso da romã não substitui o tratamento especializado, tampouco reverterá quadros de cardiopatia.

Leia também:  Cardiopatia em cães: conheça a doença que matou cachorro da Xuxa

Mas, para que um veterinário nutrólogo possa formular a dieta correta, como todos os nutrientes necessários para melhorar a vida do cachorro com problemas cardíacos, o diagnóstico precisa ser feito. 

Principais cardiopatias em cães

Como Evitar Que Os Cachorros Roam?

Shuttersock
Para formular a dieta correta, o diagnóstico precisa ser realizado com qualidade

Entre as cardiopatias mais comuns dos cães estão as doenças valvares e as doenças do músculo cardíaco:

  • Doença valvar crônica (DVC): comum em cães idosos e em raças pequenas, como poodle, daschund, shi-tzu, schnauzer miniatura, cavalier king charles, entre outras.
  • Cardiomiopatia Dilatada (CMD): é uma doença crônica que acontece quando o músculo cardíaco se apresenta fino e enfraquecido. Acomete com mais frequência cães de raças grandes ou gigantes, como boxer, labrador, dogue alemão e dobermann.
  • A medida que as cardiopatias evoluem podem causar a insuficiência cardíaca congestiva (ICC), que ocorre quando o coração já não é mais capaz de fornecer a quantidade necessária de sangue ao organismo, ou seja, quando perde sua capacidade de bombear o sangue. 
  • Cães com cardiopatia que apresentam ICC necessitam receber alimentação apropriada para essa condição patológica.
  • Leia também – Cardiopatia em cães: conheça a doença que matou cachorro da Xuxa

Sintomas de cachorros com problemas cardíacos

Muitos dos sintomas são encontrados em várias outras doenças, por isso a visita regular ao veterinário e o diagnóstico precoce permitem oferecer mais saúde e bem-estar para os cães. Alguns deles são:

  • Língua e mucosas arroxeadas;
  • Fadiga;
  • Engasgos
  • Tosse seca;
  • Falta de ar ou respiração acelerada;
  • Falta de apetite e emagrecimento rápido;
  • Desmaios,
  • Intolerância a exercícios. 

Em geral, o coração do pet faz trabalhos extras para bombear o sangue para todo o organismo, por isso é comum se observar grande perda de peso em cães com cardiopatias em estágio avançado.

Os tratamentos de cães diagnosticados com algum tipo de problema no coração devem mudar sua rotina e alimentação e podem envolver o uso de medicamentos, mas é importante que uma alimentação adequada seja implantada, priorizando que o cão mantenha seu peso corporal ideal, evitando o excesso ou falta de peso. 

Como impedir que os cães roam fios

Escrito por: Greg Lindberg

Escrito em: November 21, 2017

Como Evitar Que Os Cachorros Roam?

Algumas vezes, a maneira de treinar o cão a não roer alguma coisa é remover esse item de sua vista. No entanto, quando se trata de fios e cabos, é necessário ter certeza de que o animal não roerá um cabo e ingerirá quaisquer fios.

Também, não é desejável que os equipamentos eletrônicos sejam danificados ou deixem de funcionar; é extremamente importante não deixar um fio ou cabos expostos.

O cão pode pensar que é apenas um brinquedo, mas ele pode ser eletrocutado ao roer um cabo elétrico.

Repare quaisquer cabos que o cão tenha roído com fita isolante. É importante não deixar os fios desencapados expostos para que o cão não possa roê-los mais.

Step 2

Identifique qualquer fio exposto em sua casa e remova-o de modo que o animal não tenha acesso a ele. Por exemplo, pode-se usar fita isolante para prendê-los atrás de uma área, de modo que eles não possam ser removidos.

Tente corrigir o comportamento repreendendo o cão quando pegá-lo no ato de roer um fio; dê uma palmada leve e diga “Não”. Ofereça imediatamente ao animal um brinquedo de mastigar que está ao redor e deixe-o pegar com a boca, então faça um afago na cabeça do cão e diga “Bom”. Tome essa atitude somente quando o cão for pego no ato de roer de modo a ensiná-lo a mastigação adequada.

Step 4

Pulverize um spray antimastigação levemente sobre os fios e ao redor da área onde eles estão expostos. Esses sprays líquidos contêm produtos químicos que impedem que o cão tente roer ou entrar em uma área. Eles podem ser comprados em lojas de produtos para animais locais ou on-line; estes podem também ser usados na mobília para evitar que o cão a mastigue.

Step 5

Compre um conduíte cortado na loja de produtos eletrônicos ou produtos para jardinagem local. Um conduíte cortado é um tubo de plástico durável que pode ser colocado em qualquer tipo de fio. Ele o protegerá contra quaisquer pequenas mordidas, mas ainda assim não deve ser roído pelo cão, se isso puder ser evitado.

Step 6

Compre protetores de fios isolados mais resistentes se o problema persistir.

É importante proteger os fios e assegurar-se de que o cão não possa mordê-los, mesmo antes que o comportamento seja corrigido com sucesso.

Os protetores de fios permitem escondê-los e, em alguns casos, tal como onde um carpete vai de parede a parede, pode ser necessário correr os fios por baixo do carpete ou piso.

Step 7

Use prendedores de fios adesivos para prendê-los em paredes ou móveis. Esta é uma maneira benéfica de mantê-los fora do alcance do cão se ele continuar a roê-los.

Quatro dicas para evitar a queda de pelos em cães

Como Evitar Que Os Cachorros Roam?

Quem possui cachorro em casa desfruta dos prazeres e das dificuldades de cuidar de um animal. Considerado o melhor amigo do homem, os cachorros soltam naturalmente muitos pelos, o que pode incomodar um pouco. Mas não se preocupe, a queda/troca de pelos é normal. Isso acontece com mais frequência em cães que possuem uma pelagem dupla, que é uma pelagem interna macia e espessa, que ajuda a protegê-los quando faz muito frio.

Com alguns cuidados básicos, como a alimentação, é possível reparar a queda. Confira abaixo quatro superdicas que vão ajudar a diminuir a queda de pelos do seu cão.

Alimentação

Uma dieta saudável é uma das melhores maneiras de reduzir a queda de pelos em seu cachorro. Utilizar um alimento de qualidade faz toda a diferença. Quando ricos em nutrientes e carne, o cão consegue fazer uma melhor digestão e absorção, controlando a perda dos pelos e evitando que a pele fique ressecada. Além disso, uma boa alimentação também ajuda na boa saúde geral do bichinho.

A Soma Alimentos oferece um mix de alimentos, núcleos e suplementos para melhor atender à sua criação. Cada insumo segue um plano alimentar específico, destinado aos segmentos de equinocultura, piscicultura, bovinocultura de corte e de leite, cunicultura, avicultura e suinocultura. Entre e confira os nossos benefícios. Conheça mais sobre os alimentos que disponibilizamos clicando aqui.

Água

Não é só o ser humano que precisa de água para se manter saudável, ela também é importante para a saúde do seu animal de estimação. Um cachorro bem hidratado possui menor queda de pelos. Por isso, deixe sempre a tigela cheia de água limpa e fresca.

Escovação

Ao escovar a pelagem do seu cachorro você estará removendo os pelos soltos e em excesso, redistribuindo os óleos na pele e deixando os pelos mais saudáveis. Dependendo do tipo do pelo do cão, utilize uma escova mais lisa, de cerdas ou um pente de ancinhos.  Além disso, fique atento aos seguintes cuidados:

– Cães que possuem pelos curtos e suaves precisam de escovas com cerdas para ter um melhor resultado. As escovas desse tipo, para cães, são semelhantes às de cerdas utilizadas em nossos cabelos.

– As escovas lisas são ideais para cães que possuem pelos médios ou enrolados. As escovas desse tipo, para cães, são semelhantes às de cerdas utilizadas para o cabelo humano.

– Já para os cachorros que possuem pelos longos e subpelo grosso o ideal são os pentes de ancinho. Eles possuem dentes compridos como a pelagem do animal, para retirar o excesso de pelos que já caiu.

Banho

O banho regular também ajuda a diminuir a queda de pelos. Isso ocorre porque os pelos soltos geralmente se desprendem durante o banho e não se espalham pela casa.  Porém, não exagere: os banhos em excesso podem deixar a pele do cão ressecada, fazendo com que os pelos caiam ainda mais. A frequência ideal de banhos varia de acordo com a raça do cachorro.

Em cães que possuem pelos longos é indicado usar um secador após o banho, na opção com menor emissão de calor ou com ar frio. Mas, antes de tudo, seque o animal com uma toalha.

Esses cuidados básicos vão ajudar o seu bichinho a ficar mais bonito e saudável! Se você quer mais dicas para o bem-estar do seu pet, acesse o nosso site!

4 conselhos para seu cão não morder os móveis – Meus Animais

Principalmente quando são pequenos, os cães costumam morder tudo o que encontram no caminho. E costumam se “entreter” ainda mais com os móveis quando não estamos olhando ou quando ficam sozinhos em casa. Neste artigo, daremos alguns conselhos para evitar que o peludo destrua toda a sua mobília.

Leia também:  Como Fazer Um Catavento De Papel Que Gira?

Por que meu cão morde os móveis?

Muitos fazem esta pergunta quando trazem um novo pet para casa (principalmente filhotes). Uma das razões pelas quais o cão morde tudo, incluindo os móveis, é porque, através da mastigação, eles obtêm um prazer enorme.

Sapatos, meias, brinquedos, fios, cadeiras, mesas… tudo! São muitas as razões pelas quais um cão crava os dentes em cada objeto que tem ao redor. Por exemplo, quando é pequeno, ele sente dor quando os dentes estão crescendo e necessita de um alívio através das mordidas, ou, se já é um pouco maior, ele quer afiar os incisivos.

Isso pode ocorrer também devido a uma fase de “reconhecimento” da casa durante os primeiros dias após chegar a seu novo lar, já que ele pode estar entediado ou queira chamar nossa atenção. E é óbvio que há também os casos de hiperatividade, ansiedade e estresse em cães que não saem à rua, não brincam ou ficam muitas horas sozinhos.

A falta de exercício prejudica os animais de uma maneira que não podemos nem imaginar. Se o cão fica o dia todo trancado em um local onde no máximo caminha 10 passos para comer ou dormir, toda a energia acumulada deverá “sair” por algum lugar. O que ele faz então? Morde tudo o que encontra!

Você sabia que não é bom castigá-lo quando você o encontrar mordendo os móveis ou quando se dá conta de que a perna da cama tem marcas de dentes? O cão não entenderá que isso é ruim, já que se trata de uma reação a um problema interno. Você perderá seu tempo gritando ou se zangando com ele. O melhor é compreender e analisar por que ele está agindo dessa maneira e lhe ajudar a mudar.

Como evitar que meu cão morda os móveis?

Para que seu pet não deixe em pedaços toda a mobília de sua casa, dê atenção a estes conselhos:

Dê muita atenção aos sinais que o seu animal te dá e analise o que poderia estar causando essa reação. Se você o está deixando muito tempo sozinho, se não o leva para passear, se ele necessita de mais espaço, se pressentir problemas no lar… tudo isto repercutirá em seu comportamento.

Os filhotes sofrem igual aos bebês quando estão com os dentes nascendo. Por isso, eles necessitam de um brinquedo especial para aliviar a dor. Existem mordedores para cães com ou sem ruído, com luzes, de diferentes tamanhos e formas. A ideia é que chamem sua atenção e que ele não queira mais continuar mordendo seus móveis.

Não é preciso que seja um brinquedo especial para essa etapa da vida, mas pode ser qualquer um dos que são vendidos nas lojas para cães. O importante é que sirva de substituto à mania dele de morder o que não se deve.

Trata-se de uma atividade que tem benefícios para ambos. Você fará exercício, ele também, e além disso você o livrará do tédio e ele não morderá suas coisas. Parece um excelente plano onde todos saem ganhando.

Não se esqueça de que o animal precisa gastar energia de algum modo e, com um passeio diário de 10 minutos, possivelmente isso seja suficiente.

É óbvio que você pode adicionar outras atividades, como por exemplo brincar no parque, jogar uma bola ou fazer com que ele interaja com outros cães.

Se seu pet morde a casa, existem materiais que não podem ser “mordidos” tão facilmente. Não deixe a porta de seu quarto aberta quando for trabalhar, assim você evita a tentação de ele entrar lá e causar estragos.

Algumas pessoas colocam vinagre em todos os móveis, usando um borrifador para que o cão não se aproxime. Inclusive existem sprays específicos para prevenir que os animais queiram levar algo à boca.

Boxer

O Boxer não é um cão para viver ao ar livre, seu focinho curto e pelagem baixa apesar de abundante não são boas características para um cão em ambiente externo. Apesar disso, como são extremamente brincalhões, gostam de ter um espaço bem grande para correr e pular.

Na maioria das vezes são cachorros muito limpos e que não gostam de sujeira, eles podem até mesmo fazer uma auto-limpeza, como fazem os gatos, por isso os banhos podem ser mais espaçados.

Os pelos do Boxer são curtinhos , então uma escovação por semana já ajuda a eliminar os pelos mortos (isso pode ser feito com luvas, por exemplo, e não necessariamente com escovas). As unhas dos cães dessa raça têm uma tendência a crescer mais rapidamente e se não cortar com a frequência necessária, pode até mesmo machucar as almofadinhas das patas.

Além disso, como eles gostam de pular enquanto brincam ou para cumprimentar alguém que chega, é bom manter as unhas aparadas para evitar possíveis arranhões. A escovação dos dentes também é muito importante para evitar o acúmulo de placa bacteriana (tártaro), algo comum às raças braquicefálicas.

Por genética, é comum que os boxers sofram com tumores em diferentes partes do corpo. Esteja sempre atento às mudanças de comportamento, aparecimento de nódulos, falta de apetite etc. Busque auxílio de um médico veterinário sempre que notar algo de diferente no seu peludo. A raça possui uma tendência a desenvolver câncer.

Como já dissemos várias vezes, a maior característica de um Boxer é ser brincalhão! Ele adora brincar com sua família e, por vezes, até esquece do seu tamanho na hora de correr e pular.

É um cão que não late muito normalmente, mas no momentos de euforia, ele gosta de demonstrar sua felicidade através de bons e altos latidos! O Boxer não é um pet para viver sozinho, ele pode se sentir triste e entediado, então por isso é bom para famílias que estejam sempre presentes na vida do cãozinho para que ele não se torne destrutivo (comendo coisas erradas, por exemplo). Eles se adaptam muito bem à rotina da família, são muito amigáveis com crianças e por vezes podem ser mais amigáveis com outros gatos do que com outros cães. É necessário socializar o Boxer desde as primeiras semanas de vida, por ser protetor e territorialista, ele pode se tornar um tanto quanto anti-social quando se tratar de querer proteger aos seus humanos, então por isso, apresentar várias pessoas e outros animais é imprescindível para que ele cresça tranquilo.

Os Boxers são muito inteligentes. O treinamento é essencial para o bom desenvolvimento e socialização dessa raça. Por serem muito grandes e brincalhões, muitas vezes eles podem machucar sem ter a intenção de fazer isso. Para ensinar um Boxer os seus limites, é preciso educá-lo com paciência, coerência e amor.

E lembre-se: os métodos de recompensa sempre vão funcionar melhor no adestramento de qualquer cão. Com um bom petisco ou um carinho, eles aprendem mais do que com gritos ou punições – que podem causar até traumas no animal.

Como eles são cães cheios de energia, antes de ensinar truques, por exemplo, recomenda-se passear alguns minutos com o seu cão para que ele não esteja agitado demais para aprender.

Eles podem ser um pouco teimosos em dados momentos, mas com muita paciência e persistência, ele vai se concentrar e aprender os comandos, até porque gosta de impressionar sua família aprendendo coisas novas e fazendo o que lhe é pedido.

A expectativa de vida de um Boxer é de oito a dez anos quando bem cuidados.

Por ter um pelo bem curtinho, os Boxers podem ficar incomodados quando os pelos se soltam da pele, por isso, uma escovação semanal é o ideal para o seu pet. Na Primavera, quando acontece a troca dos pelos, a escovação deve ser feita por, pelo menos, duas vezes na semana.

Os Boxers podem ter alergias de pele severas, então é sempre bom observar orelhas, patas, ouvidos, focinhos e olhos do seu filho de quatro patas.

Se apresentarem vermelhidão ou mal cheiro, você deve consultar um médico veterinário o mais rápido possível para que seja indicado um tratamento adequado.

Por causa do focinho achatado, podem roncar bastante e não devem fazer atividades físicas em dias de calor ou tempo seco.
O tipo de focinho, chamado de “braquiacefálico”, também faz com que os Boxers sejam sensíveis às mudanças de temperatura e às anestesias.
Boxers brancos podem nascer surdos.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*