Como Evitar Que O Vinho Azede?

Por Rafaela Vidigal em 4/set/2018 10:00:00

Os apaixonados por vinhos sabem muito bem que armazenar corretamente as garrafas faz toda a diferença para conservar a garantir o sabor dessa bebida tão preciosa. Portanto, guardar o vinho na geladeira está muito longe de ser a medida mais adequada! Afinal, para que o vinho continue vivo e deflagre sensações únicas quando aberto, ele precisa de uma série de condições ideais.

Ausência de luz, temperatura constante, umidade de 65%, posicionamento na horizontal e ausência de vibrações e de ruídos são só algumas das características essenciais de um bom local para o armazenamento dos rótulos. E, como bem sabemos, nada disso condiz com o ambiente comum às geladeiras. Entenda porque as adegas com compressor são uma opção muito melhor do que as geladeiras.

Temperatura e umidade

Como Evitar Que O Vinho Azede?

Você pode até pensar que a sua geladeira pode oferecer as condições de temperatura e a umidade ideais para os seus rótulos, mas essa suposição está completamente equivocada. Isso porque cada tipo de vinho exige temperaturas diferentes, que devem permanecer inalteradas.

Vinhos tintos, por exemplo, exigem um ambiente de armazenamento com temperaturas entre 14 a 17ºC, para que a bebida evolua lentamente e expresse todo o seu potencial. Em comparação, a temperatura da geladeira normalmente oscila entre 2 e 5°C. Uma diferença dessas certamente se refletirá no vinho.

Além disso, o ambiente interno da geladeira é bastante seco, e a umidade relativa do ar recomendada para a armazenagem de vinhos é, de preferência, acima de 60%. Vinhos sensíveis são altamente impactados por ambientes muito úmidos ou extremamente secos.

E como tudo isso prejudica o vinho? Contraindo e ressecando a rolha de cortiça, o que permite a entrada de oxigênio e acelera o processo de envelhecimento do vinho. Resultado: um vinho oxidado, degradado e completamente morto.

Iluminação e vibração

Como Evitar Que O Vinho Azede?

A iluminação do ambiente onde são armazenadas as garrafas é outro fator que também pode alterar o sabor e até mesmo a cor da bebida. Assim, o frequente abre e fecha da geladeira piora ainda mais esse cenário. O que não acontece com as adegas climatizadas da Art des Caves, que possuem portas de vidro com tecnologia Low-e, que permitem a contemplação dos vinhos armazenados, além de uma proteção potente contra raios ultravioleta.

Estabilidade é tudo para o desenvolvimento da bebida. Portanto, as aberturas e fechamentos constantes da porta da geladeira também fazem o vinho vibrar, e isso impactam profundamente a bebida.

Pesquisas confirmam que os efeitos da vibração constante alteram as características físicas e químicas dos vinhos, elevando alguns componentes e reduzindo outros, o que altera completamente o sabor e a aparência do vinho.

As adegas com compressor da Art des Caves, além de manter os vinhos na temperatura ideal, reduz significativamente as vibrações, diminui o ruído em seu ambiente e ainda economiza energia elétrica. Você pode conferir mais sobre esses diferenciais em nossa loja virtual.

Interferência de outros alimentos

Como Evitar Que O Vinho Azede?

Acredito que você não usa a geladeira exclusivamente para guardar água, não é mesmo? Normalmente, nela, guardamos uma quantidade bem diversificada de alimentos, molhos e temperos. Ou seja, é um verdadeiro festival de odores! E isso é péssimo para a saúde dos vinhos!

Ao manter os rótulos por um longo período na geladeira, a probabilidade de ocorrer uma “transferência” desses diferentes aromas para eles é muito grande. Imagina beber um vinho com notas de cebola ou um toque de peixe ???? Melhor não arriscar guardar vinho na geladeira.

Mas..

Como Evitar Que O Vinho Azede?

Você deve estar se perguntando: “Mas eu posso guardar um vinho aberto na geladeira?”. Nesse caso, sim! A geladeira é o lugar ideal para conservar o vinho que sobrou na garrafa. Preferencialmente, guarde-a na vertical e não na porta. E, claro, isso também tem prazo. Grande parte dos vinhos podem ficar, em média, até três dias na geladeira após abertos, sem registrar muitas alterações no sabor e aroma.

Não tem espaço?

Como Evitar Que O Vinho Azede?

Você ainda guarda vinho na geladeira porque acha que não tem o espaço necessário na sua casa para uma adega? Isso não é problema. A Petit 14 é a adega climatizada perfeita para ambientes compactos. Com capacidade para armazenar 14 garrafas, também é uma opção para quem está começando a apreciar o mundo dos vinhos.

Com você costuma guardar vinho na geladeira ou já desfruta dos benefício das adegas climatizadas? Deixe seu comentário!

Como Evitar Que O Vinho Azede?

Por que os vinhos estragam depois de alguns dias?

Tanto os vinhos tintos quanto os brancos irão oxidar e estragar um dia – a oxidação acontece quando o líquido entra em contato com o oxigênio, alterando suas características até que ele se transforme em vinagre.

Essencialmente, os únicos vinhos que mantém suas características por um tempo mais extenso depois de abertos são os vinhos fortificados, como os vinhos do Porto ou Madeira, pois seu teor alcoólico mais alto contribui para sua conservação.

Vacum Vin

 Tipicamente, os vinhos brancos estragam mais rápido que os tintos e esse processo pode ser acelerado com a temperatura ambiente mais elevada. Substituir a rolha ou rosca por um vacun vin e guardar o vinho na geladeira são atitudes que ajudarão a conservar o vinho por mais tempo, pois o processo de oxidação será mais lento. 

Um vinho branco normalmente não dura mais que dois dias depois de aberto e guardado na geladeira, enquanto o tinto, normalmente, dura um pouco mais. Assim, quando abrimos um vinho e não conseguimos terminá-lo de uma única vez, é possível consumi-lo até alguns dias depois.

Como Evitar Que O Vinho Azede?

Riedel duck decanter

 Sabe-se que deixar um vinho “respirar” ou decantá-lo para que ele entre em contato com o oxigênio, estimulará seu envelhecimento. Nesse caso, um tinto que deverá envelhecer por mais alguns anos poderá passar por esse processo ao invés de passar pelo processo tradicional – o de deixar a garrafa descansar, fechada, por mais alguns anos.

Estatísticas mostram que 95% dos vinhos comprados são consumidos em até 48h. Tendo isso em vista, muitos produtores estão produzindo vinhos para serem consumidos jovens, ou seja, para consumo imediato. No entanto, vinhos que possuem uma complexidade maior podem envelhecer alguns anos mais na adega.

Como Evitar Que O Vinho Azede? Um indicativo de que um vinho não deve ser bebido logo após a sua compra é o preço: vinhos mais caros normalmente podem ser guardados na adega por mais tempo. São vinhos mais elaborados e com maior complexidade, que evoluem e melhoram sua estrutura com o passar do tempo. Por outro lado, sabe-se que alguns produtores estocam seus melhores vinhos por alguns anos, para só então colocá-los no mercado, já prontos para o consumo.

De qualquer forma é sempre bom consultar um sommelier para garantir o consumo correto do vinho a fim de tirar o melhor proveito dele.

E você, costuma beber a garrafa de uma vez só ou guarda para os próximos dias?

Referência: tonight.co.za

Sobrou vinho aberto, e agora? Descubra o que fazer com ele!

Abrir umagarrafa de vinhopara relaxar com os amigos ou para acompanhar uma boa refeição é uma das melhores formas de deixar este momento ainda mais especial. Porém, às vezes, ela fica pela metade e, nesse momento, você se pergunta: o que fazer com o vinho aberto que sobrou?

Apesar de alguns vinhos poderem serguardados por anos, o ato de abrir a garrafa expõe a bebida ao oxigênio, fazendo com que suas características sensoriais sejam alteradas, muitas vezes, em pouco tempo. Então, vamos aprender como conservá-lo após aberto e o que fazer com ele após o tempo recomendado para consumo.

Confira o tempo ideal para consumir cada estilo de vinho e quais são os fatores que interferem nas características originais dessa bebida.

Qual o tempo ideal para consumir cada estilo de vinho após aberto?

Existem diferentes tipos de vinhos e, para cada um deles, também há nomenclaturas distintas, podendo abranger desde a Denominação de Origem até o residual de açúcar.

Dica: Como abrir vinhos sem saca-rolhas? Veja 5 dicas práticas e infalíveis

Dessa forma, a vida útil dependerá desses dois aspectos. Então, para saber qual é o tempo ideal para consumir essa bebida, é importante entender qual variedade agrada mais ao seu paladar. Confira abaixo.

Espumantes (Champagne, Cava, Prosecco)

Os espumantes duram, em média, 1 a 2 dias na geladeira, desde que permaneçam vedados com tampa específica, para que não percam o gás. Porém, o processo de elaboração interfere no tempo de vida útil desses vinhos.

Os que são elaborados pelo Método Tradicional, geralmente, duram mais do que os que são elaborados pelo Método Charmat, por exemplo.

Este fato se deve a concentração de ácidos e também pelas características aromáticas de cada produtos, pois os aromas “tostados”, característicos do Método Tradicional, são menos sensíveis que os aromas cítricos e florais que caracterizam o Charmat.

Leia também:  Como Saber Quando Ir Para A Maternidade?

Brancos encorpados (Chardonnay, Sémillon, Marsanne)

Seu tempo de vida útil após aberto é de 2 a 3 dias na geladeira, com tampa. Os vinhos brancos encorpados possuem a tendência de durar menos do que os leves, pois muitos deles estagiam em barricas de carvalho, sendo expostos ao oxigênio há mais tempo. 

Brancos leves e rosés (Sauvignon Blanc, Pinot Grigio, Riesling)

Os vinhos brancos leves e rosés duram até 3 dias na geladeira, sempre com tampa. Devido a sua acidez, eles podem suportar o algum tempo após abertos, mas lembre-se que a intensidade de aromas pode ser afetada. 

Dica: Vinho rosé: entenda mais sobre a elaboração e porque sua acidez é tão importante

Tintos encorpados (Cabernet Sauvignon, Malbec, Tannat)

Esses vinhos duram cerca de 3 a 4 dias na geladeira, com tampa. O seu tempo de duração está relacionado com a quantidade de acidez, álcool e taninos presentes na bebida. Ou seja, quanto maior as concentrações desses três elementos mais tendem a durar após abertos.

Tintos leves (Gamay, Pinot Noir, Carménère sem carvalho)

O tempo de duração dos vinhos tintos leves é de 3 dias na geladeira, com tampa. Eles duram menos que os tintos mais estruturados, devido à baixa quantidade de taninos

Fortificados (Madeira, Porto, Jerez)

A duração dessas bebidas é longa, cerca de 15 a 20 dias na geladeira, com tampa. Isso é possível devido à adição de álcool vínico e a quantidade de açúcares que estão presentes nos vinhos fortificados.

Clique no banner e confira em nossa loja os excelentes rótulos da Famiglia Valduga! 

Quais são os fatores que influenciam no tempo de vida útil do vinho após aberto?

Você já deve ter percebido que um vinho fica “ruim” um tempo após aberto, mas você sabe por que isso acontece? Ao entrar em contato com o oxigênio, ocorre um processo oxidativo, em que a bebida começa a perder as suas melhores características.

Então, o oxigênio é um vilão? Nesse caso, a resposta é sim! Tratando-se da preservação de um vinho, uma vez aberta a garrafa, o contato com o ar afeta os aromas e sabores da bebida. 

Obs.: O excesso de oxigênio pode ocasionar em aromas que remetam ao vinagre, mas lembre-se que para que exista vinagre, de fato, o vinho deverá apresentar contaminação por bactérias. Então, o vinho não “avinagra” dentro da garrafa, ele simplesmente oxida.

O oxigênio também pode ser um vilão durante a elaboração dos vinhos. Ele é evitado ao máximo durante os processos de vinificação, principalmente em relação aos vinhos brancos e rosés. Estes produtos possuem baixa concentração de antioxidantes naturais das cascas das uvas, sendo extremamente sensíveis, podendo afetar sua coloração e finesa de aromas. 

Porém, ele pode ser bem-vindo na elaboração de vinhos tintos. Pois durante o processo de fermentação, o oxigênio facilita a transformação dos açúcares.

Além desse fator, existem outros elementos que interferem na qualidade do produto final alterando significativamente a qualidade dos aromas e proporcionando maior estabilidade de coloração.

Tudo isso devido a presença dos famosos polifenóis, os antioxidantes que proporcionam cor, estrutura e longevidade aos vinhos tintos. 

A exposição à luz ou a mudança abrupta e constante de temperatura altera o processo químico, incluindo o de oxidação, que pode deixar a bebida menos agradável. Para evitar que o vinho perca rapidamente a sua qualidade, você pode adotar alguns cuidados básicos depois que ele estiver aberto. Falaremos mais disso no próximo tópico.

Onde guardar o vinho e como conservá-lo após aberto?

O local ideal para guardar os vinhos é na adega para mantê-lo em temperatura ambiente, mas se você não tem uma, pode deixá-lo na geladeira. Quando a garrafa estiver no refrigerador, seu processo químico é desacelerado por causa da temperatura baixa.

Dica: Guia completo para montar uma adega de vinhos em sua casa

Outra dica é colocar sempre deixar o gargalo da garrafa vedado com a própria rolha. Faça isso se você for beber o vinho no mesmo dia ou, no máximo, no dia seguinte. Se ele ficar guardado por mais tempo, o ideal é usar um acessório específico para reduzir a quantidade de oxigênio dentro da garrafa após aberta.

Quando for armazenar a garrafa de vinho aberto, coloque-a na vertical. Pois quando elas são armazenadas na horizontal, aumenta-se a superfície de contato com o oxigênio. Existem diversos acessórios e ferramentas que podem ajudar a conservar melhor a bebida.

Um deles é método de vácuo que retira todo o oxigênio da garrafa e a deixa vedada. Outro é sistema é a gás, que cobre o líquido dentro da garrafa com um elemento mais pesado que o oxigênio. Dessa forma, cria-se uma barreira protetora que impede o contato com o ar.

Aproveite e conheça mais sobre os principais tipos de uvas usados na produção de vinhos!

O que fazer com o vinho aberto que sobrou?

Pode ser que você se esqueça daquele restinho de vinho que ficou guardado na garrafa ou, então, o tempo ideal para o consumo acabou. O que fazer com esse vinho? Você pode bebê-lo? O que acontece se você fizer isso?

Nada! O vinho não ficará “imbebível” e nem causará nenhum malefício a sua saúde se ficar aberto além do período recomendado para consumo. Apenas deixará de ter um sabor tão agradável, além de perder finesa e intensidade de aromas. 

Contudo, se a bebida não estiver agradável você poderá utilizá-la para cozinhar.

 Esse é um excelente ingrediente para diversos tipos de pratos a base de carnes, molhos, massas e, até mesmo, sobremesas e drinques.

Não quer cozinhar? Então, use o vinho para lavar frutas e verduras. Ele auxilia na remoção de impurezas existentes na superfície de frutas e legumes.

Outra alternativa é utilizar vinho tinto como corante natural para tingir roupas. Já os brancos servem para tirar as manchas feitas com as versões tintas. 

De qualquer modo, aproveite as nossas dicas para conservar ou aproveitar ao máximo o que os vinhos podem proporcionar. Quer entender mais sobre essa bebida incrível? Acesse nosso artigo e entenda as diferenças entre vinho reservado, reserva e gran reserva. Boa leitura!

Como armazenar vinho para que dure mais tempo?

Em primeiro lugar, saiba que é possível guardar um vinho aberto e um vinho fechado. Os processos são diferentes e a duração do armazenamento também, mas comprar um vinho não é sinónimo de ter de bebê-lo à pressa.

No caso de um vinho aberto, o escanção Sérgio Antunes aconselha que o coloque no frigorífico, independentemente de ser um vinho branco ou tinto. Isto porque, segundo o escanção, “a oxidação e a evolução são mais lentas, porque o que oxida o vinho é o oxigénio”. Durante três a quatro dias o seu vinho não vai estragar no frigorífico, o que não é garantido se o deixar à temperatura ambiente.

Se, por outro lado, a garrafa estiver fechada e quiser guardá-la para uma ocasião especial, saiba que existem seis fatores a ter a em conta para não ter a surpresa de ter um vinho estragado a sair do gargalo:

1. Exposição à luz

Apesar de as garrafas de vinho serem feitas de um vidro escuro, não deixam de ser de vidro, ou seja, permitem que os raios solares acabem por passar. O que o excesso de luz vai fazer, de acordo com o escanção Rodolfo Tristão, é “acelerar o processo de envelhecimento e acabar por alterar a cor dos vinhos. O branco vai ganhar cor e o tinto vai perdê-la”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

2. Humidade

Os três escanções contactados pelo Observador são unânimes no que à percentagem de humidade ideal diz respeito: 70 por cento é a humidade a que o vinho deve estar exposto. Segundo o escanção Manuel Moreira, “é como uma caixa de charutos”.

Um valor difícil de obter mas que, com alguns truques, não é impossível. Rodolfo Tristão sugere que, no armário onde colocar as garrafas, coloque também um copo de água ou um pano molhado, para que assim consiga chegar à percentagem desejada.

A vantagem da humidade é que faz com que a rolha não fique ressequida e mantenha a elasticidade, protegendo o vinho do malogrado oxigénio.

3. Temperatura

Tanto o vinho branco como o tinto devem ser mantidos a uma temperatura o mais fresca possível. Idealmente, essa temperatura deve rondar os 10 e os 12 graus e deve ser sempre constante. Uma exposição do vinho a grandes temperaturas não só vai acelerar o processo de envelhecimento como pode mesmo “cozê-lo”.

Manuel Moreira diz que a expressão “vinho cozido” vem de “quando se prova um vinho que ficou com aromas de queimado e lhe falta frescura”, devido à exposição a altas temperaturas. Algo comum no vinho Madeira que é intencionalmente aquecido, para acelerar o processo de envelhecimento.

Leia também:  Como Saber Qual A Cor De Cabelo Que Me Fica Melhor?

Como aqui isso não é pretendido, Manuel Moreira aconselha a colocar o seu vinho sempre na parte mais fresca da casa, numa garagem ou até numa zona que tenha um ventilador.

4. Posição da garrafa

A garrafa deve estar sempre deitada e nunca de pé. E a razão está na hidratação da rolha, novamente. “A garrafa deve estar deitada porque se estiver de pé a rolha seca, pode até cair. Ao estar deitada a rolha fica sempre húmida e, desta forma, não deixa o ar passar”, diz Sérgio Antunes.

5. Vibração

O movimento não é aconselhável ao vinho, muito menos abanar a garrafa.

Rodolfo Tristão diz que “quando a garrafa está armazenada, os sedimentos encontram-se no corpo da garrafa, e ao agitá-la vão acabar por misturar-se”.

Por isso o sommelier deixa uma dica: “Se estiver a pensar abrir uma garrafa no dia seguinte, o que deve fazer na noite anterior é coloca-la de pé, para que os sedimentos possam descer.”

6. Local de armazenamento

É difícil encontrar uma área que corresponda a todas estas exigências, principalmente quando lutamos com falta de espaço em casa. Mas Sérgio Antunes alerta que “não se deve armazenar vinho num espaço que tenha odores, porque passam para a garrafa. As pessoas costumam guardá-las no meio de alhos, cebolas e até de lixívia”.

Ao que parece, não é só ao solo circundante que o vinho vai buscar sabor — depois de engarrafado continua a absorver o que o rodeia, e ninguém quer beber vinho com aroma a lixívia.

Para quem compra muitos vinhos, o melhor mesmo é adquirir um armário de vinhos, diz Rodolfo Tristão, pois dessa forma todas estas condicionantes estão asseguradas.

No entanto, não basta seguir todas estas normas à risca, também tem de ter em conta a qualidade do vinho que tem em mãos. Nem todos os vinhos ficam melhores com o tempo, depende muito da qualidade e das regiões de onde são provenientes.

Rodolfo Tristão diz que os “vinhos com mais mau feitio”, ou seja, aqueles vinhos complexos que quando se bebe até parece que “deixam a boca encortiçada”, são os que melhor evoluem com a passagem do tempo. É o caso dos vinhos da Bairrada, do Dão, do Douro ou da Beira Interior.

O período de vida de uma garrafa vai depender do tratamento do qual foi alvo ao longo da sua existência, podendo durar de 10 a 60 anos, ou mesmo 300, no caso do vinho Madeira.

Para Manuel Moreira, ao fim de 20 anos “a rolha vai perder a elasticidade porque o álcool vai corroê-la”. Mas o escanção admite que já provou vinhos com muitos anos e “rolhas vergonhosas” que estavam impecáveis. Isto justifica-se pelo facto de o vinho ser “um ser vivo” que evolui de formas diferentes. “Cada garrafa vai dar um vinho diferente.”

Para que um vinho que foi armazenado envelheça bem, tem de ter uma boa estrutura e concentração, uma vez que “o álcool, o açúcar e a acidez são como que uma espécie de ‘armadura’ para o vinho envelhecer”.

“Se não tiverem isso nem vale a pena esperar”, garante Manuel Moreira, acrescentando que “esta tipologia de gosto (de vinhos velhos) está em desuso, porque as pessoas agora querem tudo no momento” e optam por vinhos frutados, frescos e imediatos”.

Como guardar o vinho

O vinho já faz parte da vida do brasileiro — além de oferecer opções de harmonização para diversos tipos de pratos, faz bem para saúde e enaltece qualquer evento.

Hoje, inclusive, é possível contar com várias opções de taças e outros detalhes que tornam a experiência da degustação ainda mais completa e sensorial. Um dos detalhes mais importantes é a forma de armazenar as garrafas.

Você sabe qual é a forma correta de guardar o vinho?

A posição da garrafa, ao ser guardada, influencia no sabor e na qualidade da bebida servida. Para ajudá-lo a usufruir o máximo possível dos seus vinhos, separamos algumas dicas de como armazená-los de forma correta. Confira.

Devo guardar o vinho deitado ou em pé?

No geral, deve-se guardar o vinho deitado. A posição evita o secamento e encolhimento da rolha, não dando espaço para que algum excesso de oxigênio entre na garrafa e estrague ou azede a bebida. A rolha, por si só, já possui alguns poros que permite a entrada de uma pequena quantidade de ar, de forma que a bebida envelheça com qualidade.

Alguns especialistas sugerem que a garrafa de vinho seja guardada ligeiramente na diagonal. Isso porque, quando o gargalo fica um pouco mais alto do que o fundo da garrafa, a cortiça da rolha fica em contato com o líquido e com a bolha de ar presente no interior da garrafa, protegendo, teoricamente, o vinho de eventuais oscilações de temperatura.

Você pode estar se perguntando: por que isso é importante? Bem, porque se a bebida estiver em contato apenas com a cortiça, sem a bolha de ar, ela pode ser pressionada para fora da garrafa e até vazar, no caso de a temperatura subir e o ar se expandir.

Caso a temperatura caia, esse mesmo contato pode criar um vácuo que puxa o ar para dentro da garrafa.

Por isso, a diagonal seria a posição mais apropriada para guardar o vinho, pois, indiferentemente da temperatura do ambiente, a posição não prejudica a qualidade da bebida.

Existem exceções na hora de guardar o vinho?

Alguns especialistas defendem que os espumantes e os vinhos fortificados não precisam, necessariamente, ser guardados na horizontal.

No caso dos espumantes, a explicação é a de que o gás que já circula dentro da garrafa conserva a rolha úmida.

Já no caso dos fortificados, a explicação vem dos elementos que constituem esse tipo de vinho, que podem danificar a cortiça caso fiquem em contato com esta o tempo todo.

Porém, muitos estudiosos da área dizem que não há diferença entre horizontal e vertical na armazenagem desses tipos de vinho, de forma que eles podem ser guardados da maneira que convir.

E os vinhos vedados com tampa screwcap (de rosca)?

Atualmente é cada vez mais comum encontrar vinhos que são vedados com screwcap. Esse tipo diferenciado de vedação de vinhos oferece a vantagem de eliminar todos os malefícios que a rolha de cortiça poderia causar à bebida, mantendo a sua capacidade de interagir com o oxigênio exógeno, que é um fator de grande importância no envelhecimento do vinho na adega.

Nos casos em que vinhos com esse tipo de vedação ficarão armazenados por pouco tempo, a posição na hora de guardá-los não importa. Mas, se a intenção for guardá-los por um longo período, sempre prefira deixá-los deitados.

Lembre-se de que guardar um vinho apenas por alguns dias não exige os mesmos cuidados que guardá-lo por anos. Sendo por isso, até mesmo grandes redes de distribuição optam por guardar os vinhos em pé muitas vezes.

Agora que você já sabe a melhor forma de guardar o vinho, compartilhe essa informação nas redes sociais com seus amigos!

Como armazenar vinho depois de aberto (Guia Completo)

O oxigênio transforma o vinho tinto em vinagre. Sendo assim, o segredo é fazer com que a superfície do vinho tenha pouco contato com oxigênio quando for armazenar vinho.

Há alguns métodos utilizados para prolongar a vida do vinho na prateleira logo após aberto, todos baseados em minimizar a exposição ao oxigênio e até mesmo substituindo ou até mesmo removendo o oxigênio.

Com os procedimentos corretos uma garrafa de vinho tinto pode ser armazenada por até uma semana.

Cuidados básicos logo após a abertura da garrafa

Para armazenar vinho re-coloque sempre a rolha na tampa garrafa logo após cada uso. Mantenha sempre a garrafa longe da exposição de luz e armazenada em temperatura ambiente.

Na maioria dos casos manter o vinho sob refrigeração (na geladeira) é um ótimo caminho para permitir que o vinho se mantenha fresco por mais tempo, mesmo vinho tinto. Quando armazenado em baixas temperaturas o processo químico é desacelerado, incluindo o processo de oxidação, que ocorre quando o vinho é exposto ao oxigênio.

Quando a garrafa de vinho aberta, com a rolha, é mantida numa geladeira, isso faz com que ele se mantenha fresco por até 3-5 dias. Isso é um bom começo, mas nós podemos fazer ainda melhor!

Leia também:  Como Ajudar Uma Pessoa Que Se Corta?

Dicas frescas para armazenar vinho

  • Para melhores resultados, armazene a garrafa de vinho na posição vertical, para minimizar o contato do oxigênio com a superfície do vinho.
  • Evite mudanças drásticas de temperatura, o que poderia estragar seu vinho.
  • Você pode aquecer uma garrafa de vinho com água morna. Tome cuidado para não utilizar água quente. A água deve estar somente um pouco mais quente do que a temperatura ambiente.

O que evitar quando for armazenar vinho tinto

  • Não armazene a garrafa de vinho na horizontal (normalmente quando colocado na geladeira). Isso aumenta o contato da superfície do vinho com o oxigênio.
  • Não armazene a garrafa de vinho próximo à janela. Isso pode fazer com que a exposição ao sol estrague-o e mude de cor.
  • Não armazene a garrafa de vinho  em temperaturas acima de 21ºC. É preferível que mantenha na geladeira.

Se você não tem ou não tem interesse em comprar alguns acessórios para preservar seu vinho tinto da forma mais adequada, tente colocá-lo numa garrafa menor para que a quantidade de vinho que fique em contato com o ar seja reduzida.

Quais são os vinhos tinto que estragam mais facilmente

  • O Pinot Noir é um dos vinhos tinto mais sensíveis quando exposto ao ar.
  • Vinhos antigos acima de 8-10 anos.
  • Vinho orgânico ou vinho sem SO2 (dióxido de enxofre) são tipicamente mais frágeis.
  • Algumas variedades de vinhos como Zinfandel, Nebbiolo, Grenache e Sangiovese.

Acessórios/Ferramentas para a preservação do vinho aberto

Existem diversos acessórios e ferramentas disponíveis para serem utilizadas na preservação de garrafas de vinho já abertas. A maioria delas não funciona muito bem, algumas melhores do que as outras e outras totalmente inúteis. Há dois tipos que funcionam de uma forma melhor: bomba de vácuo e preservação por gás inerte.

Bomba de vácuo

O funcionamento da bomba de vácuo é muito simples. Há uma tampa de borracha reusável que em conjunto com a bomba de ar, faz com que seja retirado o ar de dentro da garrafa (não completamente).

Controvérsias da bomba de vácuo

Há algumas discussões ã respeito da efetividade da bomba de vácuo para manter o vinho.

O argumento afirma que há apenas um vácuo parcial, significando assim que o vinho continua a ter contato com o oxigênio e que isso acaba criando uma diferença de pressão, o que ocasiona consequentemente na perda de aroma do vinho.

Defensores dessa técnica afirmam que é visualmente evidente que pequenas bolhas escapam do vinho sob vácuo. No entanto não há nenhuma comprovação científica de que comprove realmente isso de que sob determinada pressão pode haver perda de sabor ou aroma.

Por outro lado, há inúmeros fabricantes nessa área de produzir ferramentas e acessórios para preservar o vinho sob vácuo. E de qualquer forma, as bombas de vácuo não são caras. É recomendado que você tente por si próprio para tirar suas próprias conclusões.

Gás inerte

O gás inerte é um gás que deve ser colocado dentro da garrafa, e por ser mais pesado que o ar, faz com que o ar não fique em contato direto com o vinho, porém, não há uma quantidade indicada de gás que deve ser colocada dentro para que funcione perfeitamente.

Como guardar vinho: veja o que fazer e o que não fazer para preservar a bebida

  • WhatsApp
  • Facebook
  • Twitter
  • Pinterest
  • Linkedin
  • Copiar Link

O inverno é uma estação que combina com o vinho: a chegada das temperaturas mais amenas cria o clima ideal para apreciar uma taça da bebida, seja com o(a) parceiro(a) ou sozinho. Convenhamos que entender sobre vinhos não é uma tarefa tão fácil assim. Mas uma maneira de começar a adentrar nesse universo é saber como armazenar corretamente o seu vinho. Sabia que fatores como temperatura, umidade e até luz solar influenciam na manutenção das características da bebida por mais tempo? Pois é! Para te ajudar, Casa Vogue conversou com especialistas que explicam direitinho o que você deve e o que não deve fazer na hora de armazenar vinhos em casa. Confira!

LEIA MAIS

Qual o local ideal para armazenar um vinho em casa?

Essa você consegue adivinhar: em uma adega! “O ideal seria guardar em uma adega climatizada (14ºC), porém, se você não tem uma em sua casa, procure guardar num local arejado. Evite locais muito quentes como, a cozinha, armários, locais próximos ao fogão e a motores, e paredes expostas ao sol”, explica João José Correa, docente do curso Formação de Sommelier: Vinhos, do Senac São Paulo.

Luis André Dian, expert e proprietário da Grand Cru Campinas, empresa importadora de vinhos, também concorda. “Hoje em dia temos diversas opções e tamanhos de adegas,  desde as portáteis no estilo geladeira como as maiores, construídas por empresas especializadas”, acrescenta. Para quem está pensando em construir uma adega em casa, veja 6 inspirações que são perfeitas para espaços pequenos.

O que você deve fazer para armazenar o vinho:

Segundo Luis André Dian, você deve:- Guardar o vinho na horizontal para que o líquido fique em contato com a rolha (evitando assim o seu ressecamento);- Manter constante a temperatura entre 16ºC e 18ºC, para vinhos tintos;

– Os vinhos espumantes, brancos e rosés devem ser armazenados numa temperatura de cerca de 6º. Mas, se a adega não tiver essa possibilidade, podem ser armazenados perfeitamente na adega de tintos: basta colocá-los na geladeira 1h antes de consumir e mantê-los em um balde de gelo no momento.

Além disso, João José Correa acrescenta que é necessário prestar atenção em outros fatores, como luz solar e umidade. “Vinho não gosta de muita claridade.

Os vinhos são muito sensíveis à luminosidade, pois com a intensidade luminosa podem desenvolver o chamado ‘defeito de luz’.

Isso afeta os aromas, o gosto e, principalmente, o aspecto visual, fazendo com que os tintos percam cor, ficando mais claros, e fazendo com que os brancos ganhem uma cor mais amarelada”, explica.

O que você  não deve fazer:

De acordo com Luis André Dian, existem algumas atitudes que devem ser evitadas na hora de armazenar o vinho. Veja:

– Não deixe a bebida em lugares que não sejam firmes, e que tenham vibração, trepidem ou balancem;- Não deixe o vinho em lugares quentes como próximo ao forno, na área externa da piscina, etc;- Não deixe aquela água que escorre pelo fundo da parede da adega acumulada.

Isso fará com que seus rótulos fiquem embolorados e pode até danificar seus vinhos por excesso de umidade;- Não deixe-os no sol de maneira alguma, e nem mesmo em um local com uma grande incidência de luz.

Dê preferencia a locais escuros;- Não coloque outros alimentos na adega que possam transferir os aromas para o seu vinho.

– Não deixe o vinho na geladeira depois de aberto por muito tempo. Segundo Dian, os vinhos podem ser guardados por até 2 dias na adega ou geladeira, desde que retirado o oxigênio de dentro da garrafa (saiba mais sobre isso no passo abaixo).

E depois de aberto? Confira o que fazer:

“Uma vez aberto, o grande vilão dos vinhos é o oxigênio. Ele é necessário para que o vinho respire, mas com o passar do tempo ele causa a oxidação, transformando o ácido cítrico do vinho em acético (vinagre). É prejudicial ao vinho e muda a cor, os aromas e também o sabor.

Portanto, mesmo na geladeira, o processo oxidativo do vinho continua”, alerta João José Correa. “O ideal é tirar o oxigênio de dentro da garrafa, usando um utensílio chamado ‘vácuo vin’ que tira o ar e coloca uma tampa de borracha para vedar a entrada do oxigênio.

Outra dica é passar o líquido da garrafa grande para uma garrafa pequena e com isso eliminar o ar de dentro da garrafa que será completada com o líquido”.

Mas o especialista também avisa que, mesmo com esses cuidados, o vinho deve ir para a geladeira. “A partir do momento em que foi aberta, a garrafa do líquido entra em contato com milhões de bactérias do ambiente.

Como o vinho é um produto perecível, essas bactérias poderão acelerar o processo fermentativo.

Com a temperatura da geladeira (7ºC, em média) essas bactérias não sobrevivem e o vinho fica esterilizado e aguenta um período maior”, explica.

LEIA MAIS

Acompanha tudo de Casa Vogue? Agora você pode ler as edições e matérias exclusivas no Globo Mais, o app com conteúdo para todos os momentos do seu dia. Baixe agora!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*