Como É Que Se Forma Um Vulcão?

Os vulcões são fenômenos naturais que se localizam em áreas onde as placas tectônicas convergem-se, ou seja, entram em contato. Esses fenômenos, oriundos do interior da crosta terrestre, liberam um líquido viscoso e extremamente quente, o magma. Quando o magma é expelido para a superfície, recebe o nome de lava.

Leia também: Por que vulcões entram em erupção?

Como se forma um vulcão?

A maioria dos vulcões possui um formato bem similar: montanhas com formato em cone e uma abertura no cume, o ponto mais alto da estrutura. Contudo, vulcões e montanhas podem ter processos de formação geológica diferentes, apesar de que um vulcão é uma montanha, nem toda montanha é um vulcão.

Como É Que Se Forma Um Vulcão? Vulcão Anak Krakatau, Indonésia

Vulcões formam-sepor meio do acúmulo de magma no interior da Terra, em áreas de contato das placas tectônicas.

Essas placas estão sobre o magma, parte viscosa do manto responsável pelo movimento desses imensos blocos rochosos.

A pressão e o calor existentes no manto e na movimentação circular do magma geram o acúmulo que precisa ser expelido para a superfície de alguma maneira.

Assim, fendas são abertas, em forma de cone, para que esse magma atinja a superfície, gerando erupções vulcânicas.

Quando esse magma, de composição basáltica, atinge a superfície, temos a lava, um conjunto de rochas derretidas e em temperatura extremamente alta. Essas fendas ocorrem no contato das placas tectônicas, áreas que chamamos de zonas de subducção.

Nessas zonas, a placa menos densa mergulha sob a mais pesada, geralmente placas oceânicas sob placas continentais, respectivamente.

No entanto, existem vulcões em áreas de afastamento de placa, pelo mesmo processo de pressão e acúmulo de magma já mencionado. Quando as placas oceânicas afastam-se, temos erupções vulcânicas submarinas. Essas erupções nos fundos dos mares são responsáveis pela expansão do assoalho oceânico, sendo 80% de todo o vulcanismo do planeta.

Como exemplo de erupções vulcânicas submarinas, citamos a Cadeia Mesoatlântica, localizada no oceano Atlântico e que marca os limites entre as placas Sul-Americana e Africana.

Partes do vulcão

Apesar de possuírem formas variadas e ocorrerem em diferentes áreas do globo, os vulcões possuem uma estrutura comum.

Como É Que Se Forma Um Vulcão? Diferentes vulcões, mas todos com uma estrutura comum.

Os vulcões são compostos de quatro partes:

  • Cratera: cume do vulcão pelo qual o material é expelido durante a atividade vulcânica;
  • Chaminé: passagem pela qual o magma sobe da câmara magmática até a chaminé;
  • Cone: estrutura geológica dos vulcões;
  • Câmara magmática: reservatório, abaixo do vulcão, de rocha derretida e magma, oriundos do manto. Nesse ponto, quando há pressão exercida do manto em relação às rochas, o magma é expulso, passando pela chaminé até a cratera, atingindo a superfície na crosta, seja no continente, seja no oceano.

Veja também: Como é o centro da Terra?

Como É Que Se Forma Um Vulcão? Cratera do vulcão Masaya, na Nicarágua.

Cada vulcão tem a sua peculiaridade de acordo com seu grau de atividade. No entanto, a divisão dos vulcões baseada nesse critério é questionável, pois não podemos prever, com precisão, que um vulcão não entre em ação, lançando erupções vulcânicas.

Para fins didáticos, os vulcões são classificados em três tipos:

  • Ativos: que estão instáveis e em constante atividade vulcânica, expelindo gases, lavas ou fluxos piroclásticos;
  • Inativos (extintos): que não entram em erupção há determinado tempo e que, de acordo com previsões dos vulcanólogos, não entrarão tão cedo;
  • Dormentes: que não estão em atividade vulcânica, mas que, a qualquer momento, podem demostrar sinais de atividade.

Como É Que Se Forma Um Vulcão? Vulcão adormecido na Costa Rica.

As erupções vulcânicas são assustadoras. Estimativas apontam que 10% da população mundial habitam áreas próximas de vulcões, em atividade ou não.

Tais erupções, na maioria dos vulcões, não acontecem do nada. Um vulcão, ao entrar em atividade, dá sinais de que logo mostrará sua força. Tremores de terra, aberturas no topo da estrutura geológica, explosão de gases e nuvens de fumaça são alguns exemplos desses sinais.

Ao entrar em erupção, um vulcão destrói tudo que alcança com lava, fluxos piroclásticos, nuvens de dióxido de enxofre, gás carbônico e/ou ácido clorídrico.

A lava expelida pelo vulcão gera uma forte torrente, que desce da cratera, localizada no ponto mais alto, e sai queimando tudo que encontra, de vegetação a cidades inteiras. Pessoas são queimadas vivas, instantaneamente.

Os gases gerados pelas explosões, como o dióxido de enxofre, alcançam centenas de quilômetros, podendo asfixiar a população ou envenenar os pulmões. Dependendo da localidade e alcance desses gases e nuvens de fumaça, a vida urbana é interrompida, como em portos e aeroportos próximos de vulcões.

Vulcão no Brasil

Grande parte dos vulcões ativos do mundo está localizada em áreas de contato das placas tectônicas. Como o Brasil está no centro da placa Sul-Americana, não existem vulcões ativos em nosso país.

Entretanto, há alguns milhões de anos, nosso território era alvo de algumas erupções vulcânicas, em especial o Sudeste e o Sul do país.

As ilhas oceânicas no litoral brasileiro são de origem vulcânica, formadas há milhões de anos.

Segundo a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM), com exceção de Abrolhos, as demais ilhas possuem composição basáltica, o que sugere atividades vulcânicas.

Acesse também: Por que não existem vulcões no Brasil?

Principais vulcões do mundo

Os vulcões aguçam a curiosidade humana desde tempos remotos. Passando por civilizações antigas, que os veneravam como divindades mortais, até os turistas da atualidade, que buscam pelas mais variadas aventuras, os vulcões chamam atenção pela sua beleza, quando inativos, e pela sua força estrondosa, quando ativos.

  • Dessa maneira, esses fenômenos naturais espalhados pelo planeta revelam a beleza e a destruição que, simultaneamente, há na Terra.
  • De acordo com o CPRM, em conjunto com o Serviço Geológico do Brasil, existem cerca de 20 vulcões extremamente ativos pelo mundo e, aproximadamente, outros 1500 ativos, dormentes ou inativos.
  • Veja alguns dos principais vulcões do mundo.
  • Mauna Kea, Estados Unidos
  • Osorno, Chile
  • Masaya, Nicarágua
  • Kilimanjaro, Tanzânia
  • Monte Santa Helena, Estados Unidos
  • Monte Fuji, Japão
  • Kilauea, Estados Unidos
  • Vesúvio, Itália
  • Krakatoa, Indonésia
  • Ubinas, Peru
  • Galeras, Colômbia
  • Turrialba, Costa Rica
  • Colima, México
  • Popocatépetl, México
  • Poás, Costa Rica

Curiosidades sobre vulcões

Vejamos algumas curiosidades sobre esse fenômeno da natureza.

  • Há uma área no mundo conhecida como Círculo de Fogo, pois é onde se tem a maior ocorrência de vulcões do planeta. Essa área é localizada entre a Ásia e a parte oeste da América, no oceano Pacífico.
  • Os países com o maior número de vulcões ativos no mundo são: Chile, Japão e Indonésia.
  • Há 111 anos, o vulcão Yasur, em Vanuatu, está em erupção. É o vulcão que está há mais tempo ativo no mundo.
  • O maior vulcão do mundo, em altura, é o Ojos del Salado, com 6.893 m de altura, no Chile.
  • O maior vulcão do mundo, em largura, é o Mauna Loa, no Havaí, com 4.169 m de altura e 90 km de largura.
  • Em 1815, um vulcão na Indonésia matou 100 mil pessoas. É o maior número de vítimas fatais da história dos vulcões.
  • O Kilauea, no Havaí, é o vulcão com atividades sísmicas mais recentes, além de ser o mais visitado do mundo.
  • Na História, duas cidades foram completamente arrasadas por um vulcão: Pompeia e Herculano. O vulcão em questão é o Vesúvio, que não entra em erupção desde 1944.
  • Os vulcões também já foram estrelas de cinema. Dentre os filmes que tiveram vulcões como pano de fundo para suas histórias, podemos citar:
  1. – O inferno de Dante (1998)
  2. – Volcano – a fúria (1997)
  3. – O que eu mais desejo (2011),
  4. Pompeia (2014).
  • O profissional que estuda os vulcões é o vulcanólogo.
  • A palavra vulcão tem sua origem no deus romano Vulcano, deus do fogo.

Veja também: Por que as placas tectônicas movimentam-se?

Exercícios resolvidos

Questão 1 – (FGV) Os terremotos, os vulcões e a formação de montanhas são atividades geológicas de enorme importância que ocorrem na Terra. Observe no mapa a localização das zonas sísmicas e dos principais vulcões.

Como É Que Se Forma Um Vulcão?

  • Com base nesse mapa e em seus conhecimentos, é CORRETO afirmar:
  • A) Somente o movimento de separação das placas tectônicas causa terremotos.
  • B) Somente o movimento de separação das placas tectônicas causa vulcanismo.
  • C) Em sua maioria, as zonas sísmicas e os vulcões localizam-se no centro das placas tectônicas.
  • D) Em sua maioria, as zonas de intensa atividade sísmica e os vulcões localizam-se nas bordas das placas tectônicas.
  • E) As zonas de intensa atividade sísmica distribuem-se de forma aleatória, sem relação evidente com o movimento das placas tectônicas.
  • Resolução

Alternativa D. Grande parte dos vulcões localiza-se em áreas de contato das placas tectônicas.

Questão 2 – (UFSM)

O satélite Quick Bird estava posicionado sobre o Sri Lanka na hora do tsunami, em dezembro de 2004, o que lhe permitiu registrar imagens da catástrofe em tempo real.

Leia também:  Como Saber Que Profissão Seguir Teste?

Seria razoável supor que, se esse evento tivesse ocorrido em países como os EUA e o Japão, a tragédia poderia ser minimizada, pois esses países possuem sistemas para detecção de maremotos e redes de alerta.

No entanto, ocorreu um fato interessante em relação a esse tsunami: não há registro de morte de animais (com exceção de alguns domésticos, cujos instintos tendem a se atenuar). Os pássaros voaram para bem longe.

Elefantes, mesmo amarrados, romperam as correntes e fugiram antes de as ondas atingirem a costa. Atualmente os chineses utilizam câmeras 24 horas por dia para observar o movimento dos animais em parques e zoológicos e utilizar essas mudanças de comportamento como sistema de alerta para os seres humanos.

TERRA, Lygia et al. Conexões. São Paulo: Moderna, 2008. p. 163. (adaptado)

  1. Marque a afirmativa que apresenta uma conclusão a partir da análise do texto.
  2. A) As tecnologias de vigilância da Terra, como o GMES (Global Monitoring of the Earth System), têm sido eficientes para poupar vidas de desastres naturais.
  3. B) A difusão do uso de tecnologias de monitoramento em território chinês significou a diminuição de desastres naturais nesse país.
  4. C) Desastres naturais, como vulcões, ciclones, terremotos, deslizamentos de terra, secas extremas e inundações, podem ser evitados considerando a união das tecnologias e o “sexto” sentido dos animais.
  5. D) Apesar de toda tecnologia desenvolvida pelos seres humanos, ainda dependemos muito da natureza.
  6. Resolução

Alternativa D. Mesmo com toda tecnologia, não conseguimos prever, com exatidão, os fenômenos naturais como terremotos e atividades vulcânicas, o que nos torna muito dependentes da natureza.

Vulcões: como se formam, tipos e no Brasil

Vulcões são estruturas geológicas constituídas de massa de rocha fundida, devido às altas temperaturas em seu interior. Basicamente representam uma abertura na superfície terrestre capaz de expelir material magmático e gases vindos do interior do planeta.

As erupções vulcânicas podem causar bastante destruição, especialmente quando sua área é habitada. Nem toda região do planeta há vulcões, e sua formação e distribuição estão relacionadas à existência das placas tectônicas.

Visualmente os vulcões assemelham-se a montanhas, podendo até ser confundidos, especialmente quando se encontram inativos.

Contudo, são estruturas diferentes desde a sua formação até a sua composição.

Os vulcões podem ser localizados tanto nos continentes quanto nos oceanos, e o estudo dessas estruturas é bastante relevante para compreender os eventos ocorridos no interior da Terra.

Leia também: Diferença entre furacão, tornado e ciclone

Como É Que Se Forma Um Vulcão? Vulcões são proeminências na superfície terrestre capazes de expelir material magmático.

A formação dos vulcões está associada com a existência das placas tectônicas. Sabe-se que a litosfera terrestre não é formada por bloco rochoso único e imóvel.

A Terra é formada por grandes blocos semirrígidos que se movimentam sobre o manto, de maneira lenta ou contínua.

Essa movimentação pode fazer com que essas placas aproximem-se ou afastem-se uma das outras.

Essa movimentação acontece devido às altas temperaturas no interior do planeta. O calor desencadeia uma movimentação circular do manto (movimento convectivo), fazendo com que o calor existente no núcleo terrestre seja transferido para as outras camadas da Terra. Assim, provoca a movimentação das placas situadas sob o manto.

Como É Que Se Forma Um Vulcão? Na imagem acima, podemos ver a distribuição de vulcões (representados pelos pontos vermelhos).

Quando as placas tectônicas chocam-se, ocorrendo o chamado movimento convergente, a placa mais densa afunda-se retornando ao manto e sofrendo fusão, enquanto a outra placa, ao sofrer pressão no sentido oposto, origina então dobras na crosta terrestre. Essas dobras dão origem a pequenas ilhas vulcânicas na chamada zona de subducção. Assim, é possível afirmar que a ocorrência dos vulcões está associada às regiões de limite entre as placas tectônicas.

A Placa do Pacíficoque se desloca para o norte choca-se com a Placa Norte-Americana, e nessa região localizam-se, segundo a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM), aproximadamente, 60% dos vulcões ativos do planeta (Anel de Fogo do Pacífico). Já a Placa de Nazca choca-se contra a placa Sul-Americana, e nessa região formaram-se vulcões e cordilheiras. A Placa Africana choca-se com a Placa Eurasiana.

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉

Vale dizer que não é apenas o movimento de aproximação que provoca a formação de vulcões. O afastamento das placas tectônicas provoca a formação de vulcanismo submarino à medida que o fundo oceânico expande-se, de acordo com o CPRM.

Outro ponto importante a ser abordado é que não há ocorrência de vulcões apenas nos limites entre as placas. Podem encontrar-se em pontos quentes, nas regiões no interior da placa. Esses pontos são chamados e conhecidos, em inglês, de hot spot, havendo possibilidade de ascensão do magma. Um exemplo disso são os vulcões localizados no Havaí.

Partes do vulcão

Como É Que Se Forma Um Vulcão? Os vulcões, apesar de suas várias formas, possuem uma estrutura comum.

Os vulcões, formados principalmente por silicatos que se misturam com vapor d'água e gás, possuem uma estrutura que se liga a uma câmara subterrânea profunda. Basicamente, os vulcões são constituídos de:

  • Câmara magmática
  • Chaminé
  • Cone vulcânico
  • Cratera

Leia também: Supervulcão de Yellowstone

Tipos de vulcões

Os vulcões diferem-se em sua forma e também quanto ao tipo de erupção (que pode ser  explosiva, efusiva, mista ou catastrófica) e quanto ao material expelido (como as erupções havaiana, estromboliana, vulcaniana, pliniana, entre outras).

Como É Que Se Forma Um Vulcão? Os vulcões podem ser classificados segundo o material magmático expelido.

Os principais tipos são:

  1. Vulcão-escudo: é capaz de expelir enormes quantidades de material magmático que percorrem longas distâncias, formando uma larga montanha remetente a um escudo.
  2. Cone de escória: é o mais comum, apresenta menores dimensões, e o magma expelido é de baixa viscosidade.
  3. Estratovulcões: possui o formato de um cone, sendo, portanto, ingrime. Mantém-se em longa atividade, sua lava expelida é de alta viscosidade e, por vezes, ascende-se ao exterior do vulcão de forma violenta.
  4. Caldeira: possuiu um grande diâmetro, entre 15 km2 e 100 km2, podendo ser formado em horas ou dias. É caracterizado pela saída violenta de gases do interior do planeta.
  5. Vulcão submarino: encontra-se no fundo oceânico e é responsável pela formação de um novo assoalho.
  • Classificação quanto a sua atividade:
  • Ativo: apresenta atividade, ou seja, demonstra sinais de instabilidade.
  • Dormente: não está em atividade, contudo, pode ser que, em um dado momento, volte a apresentar sinais de instabilidade.
  • Extinto: possivelmente não apresentará sinais de atividade.

Como ocorre uma erupção

As forças internas da Terra provocam a erupção vulcânica. O movimento das placas é estimulado pela agitação do material magmático, provocada pelas altas temperaturas do interior da Terra. A movimentação faz com que o material magmático eleve-se, atingindo a superfície. Esse material, por vezes, é chamado de lava, sendo composto por metais como ferro e magnésio.

Leia também: Placas tectônicas: principais placas, tipos, mapa mental

Vulcões e terremotos

Você sabia que há uma relação entre terremotos e a distribuição dos vulcões? E você sabe o que são terremotos? Vamos entender.

Terremoto é, de maneira geral, um abalo sísmico, ou seja, tremores provocados na superfície terrestre de alta ou baixa intensidade.

Esses abalos podem ocorrer devido à movimentação das placas tectônicas e também pela atividade vulcânica que libera forças acumuladas.

As regiões onde as placas tectônicas convergem-se provocam acúmulo de pressão e descarga de energia, acionando então o vulcão. A intensidade da erupção vulcânica pode então provocar tremores na superfície, portanto, o terremoto.

Leia também: Piores terremotos da história

Vulcões no Brasil

Para o alívio de muitos, não! Não existem em território brasileiro nenhum vulcão ativo. Contudo, o vulcanismo já existiu no Brasil no fim da Era Mesozoica, segundo o CPRM, especificamente nas regiões Sul e Sudeste do país. Nessas são encontradas rochas basálticas.

O país atualmente tem sua área continental sobre a placa tectônica Sul-Americana, portanto, não está entre um encontro de placas, não havendo então formação de vulcões.

Curiosidades

  • De acordo com o CPRM, existem cerca de 20 vulcões em atividade no mundo todo.
  • Em Marte há um vulcão, o Monte Olimpus, com cerca de 26 km de altura, além de outros três vulcões.
  • Segundo o CPRM, nos últimos 250 anos, houve cerca de 90 tsunamis provocados por erupções vulcânicas.
  • Há cerca de um vulcão, a cada 100 km, na Cordilheira dos Andes.
  • A ciência que estuda os vulcões é a Geologia, especificamente a Vulcanologia.
  • Os vulcões mais perigosos do mundo são: Vesúvio (Itália); Eyjafjallajökull (Islândia); Sakurajima (Japão); Kilauea (Havaí); e Merapi (Indonésia).

Como se formam os vulcões? Características e curiosidades

  • Vulcão é uma estrutura geológica em que ocorre o fenômeno natural responsável pelo lançamento de material magmático, cinzas e gases oriundos do interior da Terra para a superfície.
  • Origem
  • A origem e distribuição dos vulcões está relacionada com a distribuição das placas tectônicas,massas rochosas rígidas que formam a crosta terrestre e que deslizam sobre o manto, material subjacente de consistência plástica.

Quando ocorre o choque entre duas placas oceânicas, uma delas mergulhará sob a outra e sofrerá fusão.

Leia também:  Como Saber Quanto Vou Receber De Irs No Portal Das Financas?

Na zona de subducção surge então um conjunto de pequenas ilhas vulcânicas distribuídas em forma de arco, 95% de todos os vulcões visíveis, estão em zonas de subducção.

Quando uma placa oceânica se choca com uma continental, a placa oceânica mergulha sob a outra, formando também uma zona de subducção. A placa do Pacífico desloca-se para o norte e choca-se contra a placa norte-americana, mergulhando sob ela.

60% dos vulcões ativos do planeta localizam-se na costa daquele oceano, dando então origem ao nome de Anel de Fogo do Pacífico. A placa de Nazca choca-se contra a América do Sul e assim formaram a cordilheira dos Andes, com seus vulcões e terremotos.

Esse tipo de vulcanismo é o mais estudado, e o magma pode ter composição bem mais variada do que aquele formado onde duas placas se afastam (Branco, 2014).

Se o choque for de duas placas continentais, pode não haver subducção (mergulho de uma sob a outra), e surgir uma cadeia de montanhas, pela deformação das rochas. Nessas áreas, o vulcanismo pode estar ausente, embora os terremotos, por serem de pequena profundidade, sejam perigosos.

Um exemplo é a Cordilheira do Himalaia, formada pelo choque da Índia com a Ásia. A placa africana está se chocando contra a placa eurasiana, provocando terremotos na Turquia e no Irã, por exemplo.

Mas, na região onde estão o Etna e o Vesúvio, há uma pequena subducção, por isso existem esses dois vulcões (Branco, 2014).

A famosa Falha de Santo André (San Andreas Fault), na Califórnia, é o encontro de duas placas continentais que não se chocam de frente e sim deslizam uma rente à outra. Ali os terremotos são frequentes e podem ser perigosos, mas não há vulcanismo (Branco, 2014).

Quando duas placas estão de afastando, surge o vulcanismo submarino, sendo responsável pela expansão do fundo oceânico em diversas zonas do globo.

Representando 80% da atividade vulcânica da Terra, esse tipo de vulcanismo é o mais comum de todos, mas, é pouco observado, por ocorrer no fundo dos oceanos. A lava sai através de fraturas na crosta e espalha-se para os dois lados da fratura, sem grandes eventos explosivos.

Essas fraturas podem ter poucos metros de largura e alguns quilômetros de comprimento. A Cadeia Mesoatlântica é uma extensa crista que existe no meio do oceano Atlântico, e que mostra focos de vulcanismo desse tipo.

Ela marca a zona de separação da placa sul-americana e da placa africana. Na Islândia, essa cadeia aflora e ali é o único local onde se vê vulcanismo basáltico continental (Branco, 2014).

Embora pouco comum (só 5% dos vulcões), ocorre também vulcanismo no interior das placas tectônicas, não só nas bordas. Isso acontece quando existe, no manto terrestre, um ponto quente (hot spot), local onde o magma se concentra e ascende até à superfície, se encontrar uma brecha para tanto.

Nessa situação, como a placa está se movendo, mas o ponto quente permanece fixo, aparecem na superfície da Terra vários vulcões ao longo de uma linha, que são cada qual mais jovem que o que lhe antecede, seguindo em um determinando rumo geográfico.

Exemplo desse tipo de vulcanismo são as ilhas vulcânicas do Havaí (Branco, 2014).

Estrutura dos Vulcões

Em termos gerais, a estrutura vulcânica que forma um vulcão é designada por aparelho ou edifício vulcânico.

Normalmente, os vulcões são constituídos pelas seguintes partes: 1) câmara magmática, local onde se encontra acumulado o magma, normalmente situado em regiões profundas das crostas continental e oceânica, atingindo, por vezes, a parte superior do manto, 2) chaminé (principal) vulcânica, canal, fenda ou abertura que liga a câmara magmática com o exterior das crostas, e por onde ascendem os materiais vulcânicos, 3) cratera, abertura ou depressão mais ou menos circular, em forma de um funil, localizada no topo da chaminé vulcânica, 4) cone vulcânico, é a montanha propriamente dita. É chamado de cone devido a semelhança das montanhas vulcânicas com um cone, formado por acumulação dos materiais expelidos do interior das crostas (lavas, cinzas e fragmentos de rochas), durante a erupção vulcânica. Para além da chaminé vulcânica, a maioria das vezes, existem outras condutas, denominadas por filões. Também se podem formar cones laterais, secundários ou adventícios ao cone vulcânico principal.

Como É Que Se Forma Um Vulcão?Figura 1: Estrutura vulcânica. Fonte: Mundoeducação

Os vulcões podem ser classificados de acordo com sua forma e tipo de erupção. Há várias classificações, que incluem categorias como havaianos, peleanos, plinianos, vulcanianos e strombolianos.

Como É Que Se Forma Um Vulcão?Figura 2: Classificações dos tipos de vulcões. Fonte: Mendonça

Material produzido pelas atividades vulcânicas

Os produtos formados pelas atividades vulcânicas podem ser:

Sólidos: Os piroclastos resultam da lava consolidada, ou então resultam de fragmentos do cone vulcânico que são arrancados durante a erupção vulcânica. De acordo com suas dimensões, os piroclastos podem ser classificados em: Cinzas (64 mm), Blocos (>64 mm).

Líquidos: lava fluída ou viscosa

Gasosos: O magma contém dissolvidas grandes quantidades de gases. Quando ocorre uma erupção estes gases libertam-se para a atmosfera. Em muitos casos, estes gases libertam-se de forma lenta e contínua, mesmo sem haver uma erupção. Os principais gases libertados são vapor de água (H2O), seguido por Dióxido de Carbono (CO2), Dióxido de Enxofre (SO2), Ácido Clorídrico (HCl) e outros compostos

Como É Que Se Forma Um Vulcão?Figura 3: Materiais expelidos pelos vulcões. Fonte: Espaço Ciências

Vulcanismo no Brasil

Em épocas geológicas passadas, houve intensa atividade vulcânica, hoje não existem mais vulcões ativos no Brasil. Nosso país foi palco de diversas atividades vulcânicas, a mais recente ocorreu na Era Cenozóica (Terciário), levando à formação das nossas ilhas oceânicas, tais como Trindade, Fernando de Noronha e Martin Vaz.

Para quem gosta desse tema e quer saber mais, no livro Introdução à vulcanologia, o autor Dougal Jerram conversa com o leitor sobre essas maravilhas do mundo abordando algumas questões como: O que são os vulcões? Como os vulcões se relacionam com as placas tectônicas e o movimento de continentes? É possível prever erupções? O autor também descreve no livro as erupções mais notáveis da história e os efeitos que causaram.

Até a próxima!!

Referências Bibliográficas

Branco, Pércio de Moraes. Vulcões. 2014. Disponível em: http://www.cprm.gov.br/publique/Redes-Institucionais/Rede-de-Bibliotecas—Rede-Ametista/Canal-Escola/Vulcoes-1108.html

Mendonça, Tibério. Vulcanismo. Disponível em: http://www.tiberiogeo.com.br/texto/ProcessosGeologicosUva.pdf

https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/geografia/10-curiosidades-sobre-vulcoes.htm

https://espacociencias.com.pt/site/ciencias-7o-ano/vulcanismo/materiais-expelidos-pelos-vulcoes/

Imagem da capa: https://super.abril.com.br/ciencia/vulcoes-podem-dar-um-ano-de-aviso-antes-de-supererupcoes/

Vulcão – partes, classificação, fotos e curiosidades

Vulcão é uma abertura na crosta terrestre (camada superficial da Terra) por onde são expelidos para a superfície materiais originários do manto.

Estes materiais, em geral, surgem em estado líquido-pastoso e incandescente recebem o nome de magma. É um material presente na camada imediatamente abaixo da crosta terrestre – o manto.

No entanto, da fenda do vulcão, também podem ser emitidos materiais gasosos, poeira e rochas em estado sólido.

Como É Que Se Forma Um Vulcão?

Vulcão em atividade. Foto: USGS / via Wikimedia Commons

Como surge um vulcão?

Para compreender o surgimentos dos vulcões é necessário que saibamos que a crosta terrestre é constituída por placas litosféricas, também chamadas de placas tectônicas.

As placas tetônicas são blocos gigantescos que compõem a litosfera e sobre os quais estão os continentes e oceanos. Estas placas estão em movimento, se afastam e colidem.

Os vulcões surgem, em geral, nos pontos de contato entre as placas tectônicas.

Como É Que Se Forma Um Vulcão?

Vista aérea do vulcão Kilauea, em erupção ocorrida em maio de 2018. Foto: Frizi / iStock.com

Partes de um vulcão

  • O edifício vulcânico é a montanha ou estrutura que formam o vulcão.
  • Já a cratera é a “boca” do vulcão onde o material entra em contato com a superfície.
  • A chaminé vulcânica é caminho por onde o magma em estado líquido ou semilíquido passam até atingir a cratera.

Como É Que Se Forma Um Vulcão?

Partes de um vulcão. Ilustração: corbac40 / Shutterstock.com [adaptado]

Classificação

Nem todo vulcão tem o topo pontiagudo e lança lava de maneira explosiva e assustadora. Vejamos a seguir como podem ser classificados os vulcões:

Quanto ao nível de atividade

  • Vulcão Ativo – são vulcões com distintos níveis de atividade. Há desde os vulcões que entram em erupção frequentemente e provocam grandes explosões até os que passam longos períodos sem atividade e emitem apenas pequenos volumes de gases.
  • Vulcão Extinto – estrutura em que se detecta que já houve atividade vulcânica, no entanto, sabe-se que a formação rochosa não entrará mais em erupção.

Quanto ao formato

  • Vulcões escudo – em geral, estão afastados do encontro das placas tectônicas e expelem materiais de forma mais lenta, formando planaltos extensos por onde a lava se deposita. É o caso dos vulcões do Havaí.
  • Estratovulcões – são os vulcões em forma de cone, em geral têm erupções explosivas, que emitem grande quantidade de gases e poeira.

Vulcão debaixo d’água?

Também podem surgir vulcões no fundo dos oceanos. Depois de sucessivas erupções e consequente resfriamento e consolidação do magma, este vulcão pode atingir a superfície e formar uma ilha ou conjuntos de ilhas. É o caso das ilhas de Fernando de Noronha no Brasil e do arquipélago do Havaí no Oceano Pacífico. A ilhas formadas por extrusão do magma são chamadas de ilhas vulcânicas.

Leia também:  Como Se Chama O Pigmento Que Da Cor A Pele?

Anel de Fogo do Pacífico

No oceano Pacífico encontra-se um alinhamento de vulcões conhecido como Anel (ou Círculo, ou ainda Cinturão) de Fogo.

Essa linha coincide com o encontro da placa tectônica do Pacífico e outras placas menores, e há uma significativa quantidade de vulcões. Existe uma enorme variação no nível de atividade destes vulcões.

Nessa linha estão vulcões do Japão, sudeste asiático e oeste das Américas.

No Brasil tem vulcão?

Não mais, é a resposta. Em nosso país não há, na atualidade, vulcões em atividade. As ilhas de Fernando de Noronha, São Pedro e São Paulo, Abrolhos têm sua gênese nas últimas atividades vulcânicas no litoral brasileiro.

Há no Brasil, na porção leste, diversos terrenos originados no período em que havia atividade vulcânica na porção continental do território brasileiro. Esses terrenos produziram solos extremamente férteis para a prática de atividade agrícola.

Leia mais:

Referências:

Geografia Crítica – 6° ano – VESENTINI, J. W., VLACH. V. Editora Ática. São Paulo. 2006.

Guia do Estudante – GOETTEMS, Arno Aloísio – Vestibular + Enem – 2017 – Editora Abril.

Tectônica de Placas – LAPA – UFRR – http://ufrr.br/lapa/index.php?option=com_content&view=article&id=%2094

Sociedade Brasileira de Geologia – Simpósio de Vulcanismo – http://www.sbgeo.org.br/home/news/49

Texto originalmente publicado em https://www.infoescola.com/geologia/vulcao/

Como se formam os vulcões?

Vulcões são aberturas em montanhas presentes na superfície da Terra que expelem gases, fogo e lava.

Os vulcões surgem quando as chamadas placas tectônicas – que fazem parte da crosta terrestre – se chocam movimentando o material presente sobre elas e deixando aberturas para camadas mais profundas do planeta.

Por essas aberturas pode sair o magma presente entre a crosta e a manta – camada média da Terra.

A erupção do vulcão Eyjafjallajokull causou estragos e prejuízos para diversos países europeus
Foto: AFP

Veja mais curiosidades no Colégio Web

Segundo o Professor Doutor Gaston Eduardo Enrich Rojas, do departamento de mineralogia e geotectônica da Universidade de São Paulo, para entendermos a formação dos vulcões precisamos também conhecer a formação do magma. Quanto mais próximo ao interior do nosso planeta, maior é a temperatura e a pressão do local. Entre a crosta e a manta, as rochas podem entrar em fusão e formar um líquido, o magma.

“Esse magma sobe devido a diferença de densidade. Ao subir podem acontecer duas coisas: o magma pode chegar até a superfície, tornando-se um vulcão e expelindo lava; ou pode ficar alojado em algum lugar. O granito é um exemplo de magma que não foi expelido e se cristalizou em profundidade”, explica.

De acordo com o especialista, a erupção do vulcão pode ser explosiva ou em derrame, dependendo da quantidade de sílica e gases na lava. A sua natureza explosiva deve-se ao conteúdo rico em sílica do magma, que aumenta a viscosidade e portanto o potencial de sua explosão. Se menos viscoso, ele é mais fluido e portanto, vai derramar.

A temperatura desse magma é de 1200°C (aproximadamente) e a velocidade que ele pode percorrer depois de sair do vulcão é de até 80 km/h.

  • Existem cinco tipos de vulcões e a morfologia deles varia de acordo com o seu histórico, que pode ser de até 10 mil anos. São eles: – Estratovulcões – vulcões com muita atividade;- Vulcão-escudo – vulcões muito quentes e que expelem lavas em grande quantidade);- Vulcão Cones de escórias – são menores vulcões que existem e que expelem lava em pouca quantidade; – Vulcão Caldeiras ressurgentes – os maiores vulcões que existem com o tamanho relativo a 15 e 100 km²;
  • – Vulcões submarinos – vulcões que ficam embaixo da água.

Vulcão: Formação e as erupções mais destruidoras da história

Antigamente pensava-se que a lava, ou fogo líquido, expelida pelos vulcões, viesse diretamente do núcleo terrestre. Mas hoje em dia sabe-se que não é bem assim.

Através da cratera do vulcão a lava (mistura de rochas fundidas) é expelida para fora. A lava vem de “bolsões” ou “lagos” subterrâneos de magma – nome dado à lava antes de sair do vulcão. Esses depósitos magmáticos ficam entre a parte superior do manto e a camada inferior da crosta terrestre.

O canal por onde o magma sai é denominado chaminé. O material constituinte do magma, rochas e metais derretidos, produzem gases. Quando a pressão exercida por eles é maior do que a crosta terrestre pode suportar, ela se rompe e a lava é jogada para fora, como uma enorme fonte de fogo.

Quanto maior a pressão dentro dos bolsões de magma, tanto maior será a força de efusão da lava – essa pode jorrar com tanta força que atinge quilômetros de altura.

Ao cair ao longo da cratera, a lava produz o cone vulcânico, que se parece com uma montanha. Conforme as erupções acontecem, o cone tende a aumentar – no caso do monte Fuji, no Japão, ele chega a ter 3.778 metros de altura.

Antes de uma erupção, costuma-se ouvir um estrondo, como um trovão, seguido de tremores de terra. Numa explosão violenta, pedaços de rocha do tamanho de carros são jogados a quilômetros de distância, como se fossem pedrinhas. O vulcão joga a lava para fora, que escorre da montanha de fogo, destruindo tudo ao seu redor.

Vulcões inativos

Pessoas que moram perto de vulcões estão acostumadas a leves tremores de terra e só se assustam mesmo quando o vulcão começa a soltar fumaça (gases) e lava. Chuvas de cinzas são comum nesses lugares.

O solo de lugares próximos a vulcões costuma ser fértil por causa das cinzas vulcânicas, e é aproveitado na agricultura. Em lugares como Kafla, na Islândia, a população aproveita os gases expelidos por fendas na crosta (próximas ao vulcão) para aquecer casas e para a produção de alimentos em estufas.

Tipos de vulcão

As formações mais imponentes de vulcão são as do tipo Vulcaniano, que têm o cone de maior altura, como por exemplo, o monte Fuji e o Vesúvio (localizado na Itália). Nesse tipo de vulcão, a lava e os gases saem por um único lugar, a cratera.

  • Quando o fogo líquido sai por fendas e buracos ao longo do cone, além de efluirem pela cratera, o vulcão é chamado de Peleano – o monte Pelée, na Martinica é desse tipo.
  • Por vezes a lava é muito líquida e escorre rapidamente (com velocidade de 20 a 50 quilômetros por hora), sendo expelida também nas laterais do cone – nesse caso, o vulcão é do tipo Havaiano.
  • No Brasil

O território brasileiro tem a sorte de ficar em cima de uma parte muito antiga da crosta terrestre, e por isso não há vulcões ativos por aqui. Mas foi onde hoje é a Amazônia que houve a maior erupção vulcânica da história da Terra, segundo afirmaram em entrevista à revista “Science” cientistas da Universidade da Califórnia, em Berkeley, nos Estados Unidos.

  1. Seus estudos mostram que isso ocorreu na bacia do rio Amazonas há 200 milhões de anos, quando os continentes começaram a se separar – no início, os continentes formavam um supercontinente conhecido como Pangea.
  2. Vulcões Famosos
  3. Confira alguns dos vulcões mais conhecidos do mundo:
  • O monte Fujiyama, no Japão está inativo há 300 anos, mas ainda solta fumaça. É considerado pelos cientistas que estudam vulcões, os vulcanologistas, como ativo de baixo risco.
  • A erupção do Krakatoa, em 27 de Agosto de 1883, na Indonésia, foi terrível. Para se ter uma ideia, a pressão do magma foi tão grande que o cone do vulcão explodiu. O estrondo foi ouvido na Austrália e foi o primeiro desastre natural a ser transmitido no mundo inteiro. Milhares de pessoas morreram, como relata o livro “Krakatoa, o Dia em que o Mundo Explodiu”, do jornalista e escritor Simon Winchester.
  • Na Martinica, o monte Pelée matou 28 mil pessoas na erupção de 8 de maio de 1902. O único sobrevivente foi um prisioneiro condenado à morte – ele estava preso numa cela subterrânea, por isso a lava não chegou até ele.
  • O Santa Helena, localizado em Washington, nos Estados Unidos, entrou em erupção após 127 anos de “dormência”, em 1980. A lava matou 57 pessoas.
  • Nas Filipinas, em 1991, o Pinatubo entrou em erupção após 611 anos de inatividade. Na ocasião morreram 825 pessoas e cerca de 200 mil ficaram desabrigadas.
  • O monte Etna encontra-se na Sicília (Itália) e é um vulcão ativo. Sua última erupção aconteceu no dia 21 de julho de 2006. Felizmente, o vulcão deu apenas um espetáculo de beleza, com suas rajadas de lava, sem causar mortes.
  • O Vesúvio, localizado na Itália, foi o responsável pela tragédia em Pompeia, em 79 d.C. e ainda permanece ativo.
  • O Kilauea, no Havaí, teve sua última erupção em 15 de março de 2005. Foi quando ocorreu o maior derramamento de lava da história do vulcão.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*