Como E Que Se Fica Gravida?

A gravidez é um evento importante responsável pela formação de um novo indivíduo.

Esse período, que dura, em média, 40 semanas, é o resultado do processo de fecundação, em que o gameta masculino (espermatozoide) funde-se ao gameta feminino (ovócito), formando o zigoto, que se desenvolve, geralmente, dentro do útero da mãe.

Sintomas da gravidez

A gravidez é um momento de muitas mudanças na vida da mulher. As mudanças, no entanto, vão muito além das alterações físicas no organismo, afetando também o psicológico da futura mãe.

Já no início da gestação, algumas mudanças podem ser notadas e permitem que a mulher suspeite de uma gravidez. Vale destacar, no entanto, que os sintomas da gravidez não são iguais para todas as mulheres, sendo, muitas vezes, o início imperceptível para algumas.

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉

A seguir, listaremos alguns sintomas que podem indicar uma gestação:

  • Aumento da sensibilidade na região dos mamilos
  • Atraso da menstruação
  • Aumento da fome
  • Aumento da frequência urinária
  • Aumento da região do abdome
  • Aumento do sono
  • Aumento do volume dos seios
  • Enjoos e vômitos
  • Mudança de apetite
  • Sensação de cansaço aumentada
  • Tontura

Como E Que Se Fica Gravida? Após a descoberta da gravidez, a mulher deve iniciar imediatamente o pré-natal.

Ao perceber a presença desses sintomas, recomenda-se que a mulher procure o mais rápido possível um médico para que a suspeita de gravidez seja confirmada. Isso se faz necessário, pois quanto mais cedo inicia-se um pré-natal, mas fácil é de se prevenir complicações na gestação.

Leia também: Como funciona o teste de gravidez de farmácia?

Classificação da gravidez

Existem diferentes formas de classificar uma gravidez. Entre os critérios mais utilizados, estão o risco de complicações para a mãe e para o bebê, o local de implantação do embrião e o número de embriões que se fixaram no útero.

    • Gravidez de risco habitual: Nesse caso, não há grandes riscos de complicação da gestação.
    • Gravidez de alto risco: Como o nome sugere, nesse tipo de gestação, o bebê ou a mãe apresentam um maior risco de vida quando comparada ao restante da população. O pré-natal, nesse caso, exerce papel fundamental para que a gravidez não tome rumos desfavoráveis. A pressão alta e a diabetes, por exemplo, podem ser responsáveis por uma gravidez de risco.
    • Gravidez tópica: O embrião desenvolve-se na cavidade do útero.
    • Gravidez ectópica: O embrião desenvolve-se em estrutura fora do útero. Um tipo relativamente comum de gravidez ectópica é aquela em que o bebê desenvolve-se na tuba uterina.
    • Gravidez única: Apenas um embrião está em desenvolvimento.
    • Gravidez gemelar: Mais de um embrião está em desenvolvimento, ou seja, a mulher está grávida de mais de um bebê.

Leia também: Gravidez molar

Semanas da gravidez

O tempo de gestação é, geralmente, contado em semanas e para fazer esse cálculo, é necessário saber a data da última menstruação.A cada sete dias da data da última menstruação tem-se uma semana. Uma gestação dura em média 40 semanas.

Como E Que Se Fica Gravida? Durante a gravidez, o corpo da mãe sofre grandes modificações.

É importante frisar que essa contagem não é precisa e pode não demonstrar fielmente à idade gestacional. Por essa razão, o médico realiza os cálculos, mas também observa as características do bebê em desenvolvimento pela ultrassonografia, para que a idade estimada seja a mais próxima possível da realidade.

Veja abaixo um quadro mostrando a relação entre meses e semanas da gravidez:

 MESES SEMANAS
1º mês 4 semanas e meia
2º mês 9 semanas
3º mês 13 semanas e meia
4º mês 18 semanas
5º mês 22 semanas e meia
6º mês 27 semanas
7º mês 31 semanas e meia
8º mês 36 semanas
9º mês 40 semanas e meia

Leia também: Alimentação na gravidez

Gravidez semana a semana

Durante toda a gravidez, o corpo do bebê prepara-se para sobreviver fora do corpo da mãe. Sendo assim, diversas mudanças acontecem para permitir a sua sobrevivência, garantindo que, ao final do processo, o bebê seja capaz, por exemplo, de respirar e conseguir se alimentar sozinho.

Como E Que Se Fica Gravida? Durante os meses da gestação, os sistemas do bebê vão se desenvolvendo e ele vai ganhando peso e tamanho.

A seguir, vamos falar um pouco a respeito de alguns acontecimentos marcantes que ocorrem nas diferentes semanas da gestação. Vale salientar que cada gestação é única, mas espera-se que os eventos de desenvolvimento ocorram mais ou menos nas semanas abaixo descritas.

Descreveremos aqui os principais eventos utilizando como referência a Caderneta de Gestante produzida pelo Ministério da Saúde:

  • Quarta semana: Nessa etapa, o coração do bebê começa a bater e é possível observar o local onde os braços e pernas se desenvolverão. O tamanho do bebê, nessa fase da gestação, é aproximadamente o tamanho de um grãozinho de arroz.
  • Oitava semana: Nessa etapa, o bebê já apresenta o tamanho aproximado de uma ervilha, e seus dedos, orelhas e órgãos internos estão formados.
  • Nona semana à 12ª semana: Nessa etapa, o cérebro já inicia seu funcionamento, sendo o bebê capaz de realizar algumas atividades, tais como mexer os seus membros.
  • 14ª semana: O bebê, nessa fase, é capaz de mexer suas mãos e os movimentos respiratórios já são possíveis.
  • 15ª semana à 16ª semana: Nessa etapa, a mãe começa a sentir os movimentos do bebê. A pele do bebê, até então transparente, começa a engrossar.
  • 17ª semana à 18ª semana: Nessa etapa, o bebê já é capaz de sugar, deglutir e piscar. A mãe, nessa etapa, é capaz de perceber os soluços do filho, atividade considerada normal.
  • 20ª semana à 24ª semana: Nessa etapa, os alimentos ficam ainda mais intensos e a mãe é capaz de perceber com facilidade a movimentação do bebê.
  • 27ª semana à 30ª semana: Nessa semana, o bebê já está bem formado e já é capaz de escutar e identificar sons e perceber a luz.

Publicado por: Vanessa Sardinha dos Santos

Estou grávida? Quando fazer o teste de gravidez

Caso se tenha tido uma relação sexual desprotegida, a melhor forma de confirmar ou excluir uma possível gravidez consiste em fazer o teste de gravidez de farmácia.

No entanto, para que o resultado seja fiável esse teste só deve ser feito depois do primeiro dia de atraso da menstruação.

Antes desse período, é possível fazer o exame de sangue, que pode ser feito 7 dias após a relação, mas que é mais caro e precisa ser feito num laboratório de análises clínicas.

Leia também:  Uber O Que É E Como Funciona?

Veja a diferença dos tipos de teste de gravidez e quando fazer.

Embora as chances sejam baixas, é possível engravidar apenas após 1 relação sexual desprotegida, especialmente se o homem ejacular no interior da vagina.

Além disso, a gravidez também pode acontecer quando existe apenas contato com os fluídos lubrificantes liberados antes da ejaculação.

Por essa razão, e embora seja mais raro, é possível engravidar sem que exista penetração, desde que os fluídos do homem entrem em contato direto com a vagina. Entenda melhor porque é possível engravidar sem penetração.

Como E Que Se Fica Gravida?

Quem tem maior risco de engravidar

Quando a mulher tem um ciclo menstrual regular, com aproximadamente 28 dias, tem maior chance de engravidar quando está no período fértil, que corresponde, normalmente aos 2 dias anteriores e posteriores à ovulação e, que normalmente, acontece por volta do 14º dia, a partir do primeiro dia de menstruação. Use a nossa calculadora para saber seu período fértil.

Já as mulheres que têm um ciclo irregular, que pode ser mais curto ou mais longo, não conseguem calcular com tanta precisão o período fértil e, por isso, o risco de engravidar é maior ao longo de todo o ciclo.

Embora, exista maior risco de engravidar nos dias próximos ao dia da ovulação, a mulher também pode engravidar se tiver tido uma relação desprotegido até 7 dias antes da ovulação, pois, os espermatozoides conseguem viver no interior da vagina da mulher entre 5 a 7 dias, podendo fecundar o óvulo quando é liberado.

Quando suspeitar de gravidez

Embora a única forma de confirmar uma gravidez seja fazendo o teste de gravidez, existem alguns sinais que podem levar a mulher a suspeitar que está grávida, como:

  • Atraso da menstruação;
  • Enjoos e vômitos pela manhã;
  • Aumento da vontade para urinar;
  • Cansaço e muito sono durante o dia;
  • Aumento de sensibilidade nas mamas.
  • Faça o teste a seguir e saiba suas chances de estar grávida:
  • Estes sintomas não excluem as chances de ter alguma doença com sintomas semelhantes, como a gravidez psicológica, e por isso deve-se sempre consultar um ginecologista e fazer exames para confirmar a gravidez.
  • Confira uma lista dos 18 primeiros sintomas de gravidez.

É possível estar grávida mesmo sem sintomas?

Em muitos casos a mulher pode demorar até 2 ou 3 meses para identificar algum sintoma de gravidez. Isso porque muitos dos sinais podem ser difíceis de identificar e sua intensidade pode variar de acordo com cada mulher.

Além disso, e embora seja mais raro, também existem mulheres que podem não apresentar qualquer sintoma durante toda a gravidez, descobrindo que estão grávidas apenas no momento do parto. Saiba mais sobre a gravidez sem sintomas e quais os riscos.

Como E Que Se Fica Gravida?

Quando fazer o teste de gravidez

Caso a mulher tenha tido uma relação desprotegida e se encontra no período fértil, o ideal é que faça o teste de gravidez de urina ou de sangue. Este teste deve ser realizado após o atraso da menstruação, no mínimo, 7 dias após o contacto intimo, para que o resultado seja o mais correto possível. As duas principais opções de teste incluem:

  • Teste de urina: pode ser comprado na farmácia e a mulher pode fazê-lo em casa com a primeira urina da manhã. Se der negativo e a menstruação continuar atrasada, deve-se repetir o teste, 5 dias depois. Se, mesmo assim o segundo teste de gravidez der negativo e a menstruação continuar atrasada, recomenda-se marcar uma consulta com um ginecologista para investigar a situação. No entanto, caso o teste der positivo deve procurar fazer um exame de sangue, para confirmar a gravidez.
  • Teste de sangue: este teste é feito num laboratório e deteta a quantidade do hormônio HCG no sangue, que é libertado pela placenta no inicio da gestação.

​Estes exames são a forma mais simples que a mulher tem de perceber se está grávida.

É possível estar grávida mesmo quando o teste é negativo?

Os testes de gravidez atuais são bastante sensíveis e, por isso, o resultado normalmente é bastante fiável, desde que o teste seja feito no momento adequado.

No entanto, como algumas mulheres podem produzir poucos hormônios no início da gestação, o resultado pode dar falso negativo, especialmente no caso do teste de urina.

Dessa forma, quando o resultado é negativo é recomendado voltar a repetir o teste entre 5 a 7 dias depois do primeiro.

Saiba mais sobre quando pode acontecer um resultado de gravidez falso negativo.

Como confirmar a gravidez

A confirmação da gravidez precisa ser feita pelo obstetra e, para tal é preciso:

  • O teste sanguíneo de gravidez dar positivo;
  • Ouvir o coração do bebê, através de um aparelho chamado doptone ou Doppler;
  • Ver o feto através de uma ecografia ou ultrassom do útero.

Após confirmar a gravidez, o médico geralmente faz o planejamento das consultas de pré-natal que servirão para acompanhar toda a gestação, identificando possíveis problemas no desenvolvimento do bebê.

9 sintomas da gravidez toda grávida vai gostar

Como E Que Se Fica Gravida?

1 – Nada de bojo
Um dos primeiros sinais da gravidez é o aumento dos seios, que pode começar duas semanas após a concepção.

Aliás, mesmo antes de saberem que estão grávidas, é comum as mulheres perceberem que alguma coisa diferente está acontecendo no corpo ao sentirem as mamas mais sensíveis e inchadas.

O crescimento é impulsionado pela deposição de gordura e pelos hormônios, principalmente o estrogênio, que tem ação sobre o desenvolvimento das glândulas mamárias, fazendo com que elas se preparem para produzir leite.

E o tamanho dos seios pode ficar ainda maior no pós-parto por causa da prolactina, responsável pela produção efetiva do leite. Agora, quanto eles vão aumentar varia em cada caso: algumas mulheres vão do sutiã 40 para o 42, outras do 38 para o 44. Não há um padrão. Mas uma coisa é certa: a maioria sente uma falta imensa dos seios grandes depois. Então, abuse dos decotes enquanto puder!

2 – Redondamente feliz
Sabe aquela história de “encolhe a barriga e endireita as costas”? A partir do quarto mês de gravidez, esqueça a primeira parte.

Nesse período, já é possível notar uma barriguinha saliente, pois o útero, que fica na região pélvica, sobe para a região abdominal umbilical.

E, vamos combinar, uma das vantagens mais deliciosas da gestação é sair por aí exibindo os novos contornos como se você tivesse o rei (ou a rainha…) na barriga.

Maíra Lago de Lima, 35 anos, analista de sistema e mãe de Rafael, 2 meses, conta que fez questão de evidenciar as novas formas investindo em peças de roupa com cara de grávida. “Eu mostrava bastante a barriga, usava muitas batas, bem justinhas em cima e soltas embaixo.” Para registrar esse momento de tanto orgulho, ela também fez um ensaio de fotos ao lado do marido para mostrar o barrigão e as roupas do bebê.

Leia também:  Objawy zapalenia pęcherza – jak rozpoznać zapalenie pęcherza?

3 – Dez anos mais jovem
Durante a gestação, as células de gordura ficam mais inchadas, já que a mulher tem uma tendência maior a acumular líquidos. Ao mesmo tempo, elas se multiplicam mais rapidamente, com o objetivo de estocar reservas de energia para a mãe, sobretudo para o período de amamentação.

Isso significa que a gestante deve abusar do hidratante na regiões que sofrem crescimento rápido, como seios e abdômen, para evitar estrias. Mas também quer dizer que a pele, quando bem cuidada, vai ficar muito mais bonita.

“Como as células de gordura estão em maior número e mais gordinhas, a cútis tende a ficar mais esticada, o que causa um efeito de luminosidade e a deixa com uma aparência viçosa”, explica Amanda Alvarez, obstetra do Centro de Reprodução Humana do Instituto Paulista de Ginecologia e Obstetrícia.

O problema é que, se você tiver pele oleosa, pode desenvolver espinhas – se for o seu caso, o tratamento é lavar o rosto várias vezes ao dia com sabonete neutro, uma vez que, durante a gravidez, os ácidos devem ser evitados. Também é importante se precaver em relação à exposição solar, pois há tendência à hiperpigmentação.

Isso ocorre porque existe uma ativação dos melanócitos, as células produtoras de melanina, que dão cor a pele. São elas que deixam os mamilos das gestantes mais escuros e que também podem produzir manchas profundas que não saem mais, chamadas de melasmas. Portanto, mesmo que a sua pele já esteja lindíssima, hidratante e protetor continuam indispensáveis.

4 – TPM, me esquece!
Cólicas, irritabilidade e um desejo incontrolável de devorar caixas de chocolate. Qualquer mulher conhece esses sintomas de cor: é a tensão pré-menstrual.

As gestantes conseguem uma trégua de todo esse incômodo durante as 40 semanas e dá para ficar tão bem acostumada que algumas delas não querem mais abrir mão dessa felicidade.

“Após o parto, é comum as mulheres procurarem métodos anticoncepcionais que evitam a menstruação, como o uso contínuo de progestagênios”, explica Jurandir Piassi Passos, obstetra da Unifesp, em São Paulo.

5 – Cabelos de revista
Durante os nove meses, parece que você vai morar em uma propaganda de xampu: seus cabelos crescerão mais depressa e ficarão mais volumosos e brilhantes.

Com o metabolismo acelerado, todo organismo funciona em ritmo mais rápido e, consequentemente, todas as funções que ele desempenha também aumentam de velocidade. Por isso, não estranhe se as visitas ao cabeleireiro ficarem mais frequentes para cortes.

Além do mais, no período de gestação, a taxa de queda dos fios também diminui. Com o cabelo crescendo mais rápido e caindo menos, não é de se estranhar que o volume aumente.

Já o fato de os fios ficarem mais brilhantes se deve à ação do estrogênio, que age sobre as glândulas sebáceas, aumentando a oleosidade dos fios. Vai ser duro encontrar um produto capaz de fazer tudo isso ao mesmo tempo pelo seu cabelo depois!

6 – Mulher de garra
Com o aumento da circulação sanguínea e do metabolismo, as unhas também passam a crescer mais rápido. “Percebi que preciso lixar as minhas com muito mais frequência agora”, conta Gisele Cerqueira Cunning Rodrigues, de 29 anos, preparadora física e grávida de cinco meses.

A maioria das grávidas passa os nove meses com unhas fortes, porém algumas mulheres podem experimentar o efeito contrário – mas os médicos não sabem o motivo. Se esse for o caso, invista em bases fortalecedoras.

Vale lembrar que não há restrições: grávidas podem usar esmaltes e acetona e tirar a cutícula sem problemas. Só é necessário ter cuidado com a higienização de alicates e empurradores, que devem ser esterilizados. E perto do dia previsto para o parto, evite esmaltes escuros e prefira uma base transparente.

Se precisar de anestesia, um dos meios de acompanhar a paciente é colocando um monitor nos dedos – e a cor forte atrapalha.

7 – Libido em alta
No sexto mês de gravidez, um volume de sangue 50% maior do que o normal já está circulando pelo corpo feminino. Esse aumento está diretamente relacionado a uma maior vascularização na mulher e, com isso, a vagina fica mais sensível à estimulação.

Sendo assim, a lubrificação ocorre com mais facilidade, ajudada também pela intensa atividade glandular. Além disso, ocorre também um aumento da flora e da espessura da mucosa vaginal, o que acaba facilitando a penetração.

Será que precisa de algum outro incentivo para que a sua vida sexual fique a todo vapor? OK, temos mais um: para as grávidas, não existe preocupação em tomar a pílula direitinho, em ver se a camisinha estourou ou se está no período fértil.

Como fica mais relaxada, a gestante consegue aproveitar (bem) mais o sexo.

Mesmo no final da gravidez, quando a barriga já estiver grande, dá para manter a vida sexual numa boa (desde que a sua gestação não seja de risco) – só é preciso ter um pouco mais de paciência e criatividade para encontrar posições confortáveis! A mais recomendada é de lado, com a barriga apoiada em um travesseiro, pois o peso da barriga não atrapalha tanto e a mulher consegue controlar melhor a penetração.

8 – Passe livre para sonhar
Esqueça a insônia, os comprimidos para dormir e o chá de camomila antes de ir para a cama. Principalmente no primeiro trimestre, quando a mulher tende a ficar mais sonolenta por causa da queda de pressão.

Então, aproveite para colocar o sono em dia e descansar bastante (você vai precisar dessa energia extra depois do parto!). Além disso, enquanto você dorme, os hormônios liberados pelo seu corpo facilitam o desenvolvimento do bebê.

Já no último trimestre, o peso da barriga pode deixá-la mais cansada, porém vai ser difícil arrumar uma posição para o sono. Se tiver uma poltrona reclinável, vale experimentá-la, pois, às vezes, ficar semissentada pode ser mais confortável.

Ou experimente dormir do lado esquerdo, o que ajuda a circulação a fluir melhor e evita o ronco. E aposte nos travesseiros: um entre as pernas, outro fininho embaixo da barriga e outro nas costas.

Leia também:  Como Se Chama Uma Pessoa Que Ajuda Os Outros?

9 – Emoção boa
Muitas vezes, a gravidez mantém as mulheres em um estado de nirvana permanente. A felicidade em estar gerando uma nova vida é tão grande que muitas futuras mães dizem se sentirem inabaláveis durante a gestação, como se nada fosse motivo para mau humor ou aborrecimentos.

Por outro lado, a sensibilidade pode aumentar bastante, deixando as gestantes mais emotivas. “Ao mesmo tempo que fiquei mais estável, segura e feliz, também me emocionava com uma facilidade incrível. Principalmente quando via crianças pequenas, mães com bebês no colo ou propagandas com famílias”, conta Fabiana Bellette Gil, 37 anos, mãe de João, 2 meses.

A expressão “chorar de alegria” nunca fez tanto sentido!

FONTE: Revista Crescer

É possível engravidar com DIU? – Clínica Ayroza Ribeiro

A escolha de um método contraceptivo geralmente é feita a partir de fatores como praticidade e eficiência. Por isso, de uns anos pra cá, muitas mulheres têm optado pelo DIU. Entretanto, esse método ainda desperta algumas dúvidas em quem o utiliza. A principal delas consiste na seguinte indagação: é possível engravidar com DIU?

Esse e outros temas referentes ao uso do DIU serão abordados neste artigo. Vale a leitura.

O que é DIU?

O DIU (sigla para Dispositivo Intrauterino) é, como o próprio nome indica, um dispositivo colocado dentro do útero da paciente a fim de evitar a fecundação dos óvulos pelos espermatozoides. A forma como o DIU impede a concepção depende de qual modelo é utilizado.

Depois que a mulher toma a decisão de colocar o DIU, é estritamente necessário que ela faça uma consulta com a médica ou médico de sua confiança, pois somente assim é possível escolher qual o dispositivo mais indicado para cada paciente.

O procedimento para aplicação do DIU é relativamente simples e costuma demorar cerca de 30 minutos. Em alguns casos a experiência pode ser um pouco incômoda, mas essa percepção varia de mulher para mulher.

Os efeitos colaterais também variam bastante, mas geralmente estão relacionados com o aumento do fluxo menstrual e intensificação das cólicas durante a menstruação. Por outro lado, no caso de dispositivos hormonais, a ausência de ciclos menstruais é o principal efeito colateral.

Os tipos de DIU

São dois os tipos mais comuns de dispositivos intrauterinos:

  • DIU de mirena;
  • DIU de cobre.

A seguir explicaremos mais sobre as características de cada um deles.

DIU de Mirena

Esse tipo de DIU também é conhecido como DIU hormonal, pois contém levonorgestrel em sua composição. Hormônio que passa a ser liberado em baixas doses no organismo da mulher assim que o dispositivo é colocado dentro do útero.

  • Dessa forma, o muco do colo do útero fica mais grosso, o que dificulta a passagem dos espermatozoides, e também deixa a parede uterina mais fina, tornando o órgão um ambiente menos suscetível para a fertilização.
  • Os efeitos colaterais que podem acometer as pacientes com esse tipo de DIU incluem a ausência de menstruação, alteração no humor, diminuição na libido, dor nas mamas e alteração da secreção vaginal.
  • A ausência da menstruação pode ser considerada vantajosa, todavia caso a mulher venha a engravidar mesmo com o DIU de mirena, é provável que ela só perceba a gestação quando esta já estiver em estágios mais avançados.

DIU de Cobre

É um dispositivo em forma de “T” feito de plástico e revestido por filamentos de cobre.

Ao ser colocado na cavidade uterina, sua função é impedir que o espermatozoide fecunde o óvulo, pois o cobre elimina a atividade dos gametas, funcionando como uma espécie de espermicida.

Para seu correto funcionamento é fundamental que esteja posicionado no lugar certo. Sendo assim, é importante que a paciente faça visitas regulares ao ginecologista para garantir que o dispositivo esteja bem alocado.

Entre os principais efeitos colaterais do DIU de cobre estão o prolongamento dos ciclos menstruais, o aumento do fluxo da menstruação, ocorrência de cheiros desagradáveis da região íntima, cólicas mais severas, tonturas e fraqueza.

Quais as chances de engravidar com DIU?

Como acontece com a maioria dos métodos contraceptivos, a probabilidade de uma mulher ficar grávida mesmo usando um dispositivo intrauterino são muito pequenas, em torno de 0,2% e 0,7%. Contudo, a possibilidade de engravidar não deixa de existir.

Portanto, mulheres que optam pelo DIU também devem estar cientes de que este não é um método 100% seguro e há chances de engravidar.

Por que uma gravidez pode ocorrer mesmo com o DIU?

A realidade é que não existe nenhum método contraceptivo com eficácia de 100%. Mesmo que atualmente muitos deles tenham altíssima eficiência, o risco de gravidez sempre está presente, por menor que seja.

Todavia, há outros motivos que podem permitir que uma gravidez com DIU venha a acontecer.

No caso do DIU estar mal posicionado, sua eficácia fica comprometida. Com seu funcionamento prejudicado, o dispositivo não consegue atuar da maneira ideal, tornando possível a fecundação.

Gravidez com DIU. Como posso identificar?

Em muitos casos pode ser realmente difícil para a mulher que possui um DIU identificar uma possível gravidez, em especial aquelas que optaram pelo dispositivo de mirena, afinal a ausência de menstruação é um efeito colateral desse tipo de DIU.

Por isso, é muito importante ficar atenta aos outros sintomas típicos da gravidez:

  • sensibilidade aumentada dos seios;
  • cólicas mais intensas e corriqueiras;
  • inchaço na região abdominal;
  • enjoo.

Caso uma mulher com DIU desconfie que esteja grávida, o ideal é realizar um teste de gravidez, entrar em contato com o médico que a acompanha e conversar sobre a situação. Esse é o melhor jeito de descobrir se está grávida e quais são as próximas providências a serem tomadas.

É importantíssimo ressaltar que a gravidez com DIU é algo que pode acontecer, assim como ocorre com outros métodos contraceptivos, como a pílula anticoncepcional e preservativos. Entretanto, isso não é motivo para não utilizar o DIU ou passar a não confiar em sua eficácia.

  1. Afinal, sua eficiência é bastante alta e toda a comunidade médica e científica aprova seu uso de maneira geral.
  2. Buscar conhecimento e assimilar as informações sobre os métodos contraceptivos, além do autoconhecimento e respeito com o próprio corpo são ferramentas fundamentais para escolher o método que seja mais compatível com seu estilo de vida e características fisiológicas.
  3. Sempre consulte especialistas capacitados da área da saúde para tomar a melhor decisão.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*