Como É Que Se Esquece Alguém Que Se Ama?

Quarta-feira, 18 de Março de 2020

E não é que já passou tanto tempo desde a última vez que aqui vim..

Uma vida inteira…

Esta manhã enquanto conduzia em direcção ao trabalho dei comigo a pensar, em como o título deste “cantinho” que outrora tinha assim sido nomeado por outras motivos se encaixava perfeitamente nestes dias estranhos que todos estamos a viver neste momento.

Sinto-me como se estivesse a viver numa realidade paralela, ou num sonho mau do qual a qualquer momento vou acordar, só que quando acordo de manhã, a realidade é mais dura que o sonho.

Só me resta viver um dia depois do outro, com coragem, positividade e ânimo…

Como diria uma colega minha “juntos somos mais fortes!”

Segunda-feira, 21 de Dezembro de 2015

Este texto do Miguel Esteves Cardoso assenta-me que nem uma luva. Vai ter de ser devagar…

“Como é que se Esquece Alguém que se Ama?

Como é que se esquece alguém que se ama? Como é que se esquece alguém que nos faz falta e que nos custa mais lembrar que viver? Quando alguém se vai embora de repente como é que se faz para ficar? Quando alguém morre, quando alguém se separa – como é que se faz quando a pessoa de quem se precisa já lá não está? As pessoas têm de morrer; os amores de acabar.

As pessoas têm de partir, os sítios têm de ficar longe uns dos outros, os tempos têm de mudar Sim, mas como se faz? Como se esquece? Devagar. É preciso esquecer devagar. Se uma pessoa tenta esquecer-se de repente, a outra pode ficar-lhe para sempre.

Podem pôr-se processos e acções de despejo a quem se tem no coração, fazer os maiores escarcéus, entrar nas maiores peixeiradas, mas não se podem despejar de repente. Elas não saem de lá. Estúpidas! É preciso aguentar. Já ninguém está para isso, mas é preciso aguentar. A primeira parte de qualquer cura é aceitar-se que se está doente. É preciso paciência.

O pior é que vivemos tempos imediatos em que já ninguém aguenta nada. Ninguém aguenta a dor. De cabeça ou do coração. Ninguém aguenta estar triste. Ninguém aguenta estar sozinho. Tomam-se conselhos e comprimidos. Procuram-se escapes e alternativas. Mas a tristeza só há-de passar entristecendo-se. Não se pode esquecer alguem antes de terminar de lembrá-lo.

Quem procura evitar o luto, prolonga-o no tempo e desonra-o na alma. A saudade é uma dor que pode passar depois de devidamente doída, devidamente honrada. É uma dor que é preciso aceitar, primeiro, aceitar. É preciso aceitar esta mágoa esta moinha, que nos despedaça o coração e que nos mói mesmo e que nos dá cabo do juízo.

É preciso aceitar o amor e a morte, a separação e a tristeza, a falta de lógica, a falta de justiça, a falta de solução. Quantos problemas do mundo seriam menos pesados se tivessem apenas o peso que têm em si , isto é, se os livrássemos da carga que lhes damos, aceitando que não têm solução. Não adianta fugir com o rabo à seringa. Muitas vezes nem há seringa. Nem injecção. Nem remédio.

Nem conhecimento certo da doença de que se padece. Muitas vezes só existe a agulha. Dizem-nos, para esquecer, para ocupar a cabeça, para trabalhar mais, para distrair a vista, para nos divertirmos mais, mas quanto mais conseguimos fugir, mais temos mais tarde de enfrentar. Fica tudo à nossa espera. Acumula-se-nos tudo na alma, fica tudo desarrumado. O esquecimento não tem arte.

Os momentos de esquecimento, conseguidos com grande custo, com comprimidos e amigos e livros e copos, pagam-se depois em condoídas lembranças a dobrar. Para esquecer é preciso deixar correr o coração, de lembrança em lembrança, na esperança de ele se cansar.”

Miguel Esteves Cardoso, in 'Último Volume'

http://www.citador.pt/textos/como-e-que-se-esquece-alguem-que-se-ama-miguel-esteves-cardoso

Quinta-feira, 10 de Dezembro de 2015

Parece que o destino não quer que eu deixe de aqui voltar… Não consigo acreditar que tudo acabou mais uma vez! Cair, levantar, lá vou eu de novo… Porque e que o amor e tão frágil? Porque? Porque?

Sexta-feira, 18 de Outubro de 2013

  • Nem sei quanto tempo depois dou por mim de volta.
  • Acho que porque estou a precisar da terapia que para mim é escrever.
  • Não tenho nenhum assunto em particular, apenas ando à procura de mim e talvez me encontre por aqui.

Sexta-feira, 23 de Dezembro de 2011

  1. Olá a todos!
  2. Breve aparição apenas para desejar a todos os que andam pela blogosfera um Feliz e Santo Natal.
  3. Por muito que muitos possam ser ou não Cristãos, e que por muito que pensem que o Natal é apenas um aproveitamento para o consumismo, e por muito que a crise se tenha instalado e que existam muitas dificuldades de toda a natureza, e talvez mesmo por tudo isto, não posso deixar de pensar sobre a essência do Natal.
  4. Celebramos o Natal porque nasceu um menino, que veio ao Mundo em extrema pobreza e que a única verdadeira mensagem que quiz transmitir foi a de Amor, Comunhão.
  5. Talvez esta altura de crise seja uma boa oportunidade para reflectirmos sobre o que é para nós verdadeiramente o Natal.
  6. Natal é Amor, e o Amor esse não se compra portanto é de graça, com a vantagem que quanto mais se dá mais se recebe.

Natal é partilha, comunhão. E tanto podemos partilhar o muito que temos, como um sorriso, um abraço, uma palavra de apoio. A partilha e a comunhão também não estão à venda nas lojas.

Natal são os Presentes?! Também, mas se calhar a nossa noção de “presente” é que está distorcida, se calhar “presente” não quer dizer mais que a nossa presença junto daqueles que amamos. Darmo-nos aos outros e não darmos prendas caras aos outros. Que melhor oferta poderemos fazer que dar de nós, dar-mos o nosso tempo, o nosso carinho, atenção e Amor?!

Assim de repente parece-me que aquilo que precisamos para ter um Natal Feliz (partindo do princípio que as necessidades básicas de alimento e ter um local para viver estão asseguradas), não encontramos nas lojas, não se compra, e melhor ainda, não está nos outros – está dentro de nós!

Portanto, por muito que todos gostemos de oferecer e receber presentes (materiais), de ter mais isto ou aquilo e de podermos ficar tristes porque este Natal não vamos poder comprar ou dar, ou…talvez devamos respirar fundo, olhar para o nosso lado e verdadeiramente ver aqueles que nos rodeiam. Dar graças pelos tesouros que temos na nossa vida e dar o nosso Amor.

Muito Amor para todos neste Natal e sempre.

Como É Que Se Esquece Alguém Que Se Ama?

Sexta-feira, 5 de Agosto de 2011

Depois de muito yer ouvido falar do livro “Alice no país das Maravilhas”, e de me sentir “envergonhada” por nunca o ter lido…lá resolvi agarrar o toiro pelos cornos (leia-se agarrar o livro pela capa e contra-capa).

  • Certo que já tinha visto (algures durante a minha infância) o filme,e tinha algumas lembranças de como na altura a história me parecera um pouco estranha, mas confesso que ter-te consecutivamente a dar exemplos do livro me despertou o interesse.
  • Pronto, comecei hoje.
  • Depois volto aqui para dizer de minha justiça.

Quinta-feira, 4 de Agosto de 2011

“Podes dizer-me, por favor, que caminho devo seguir para sair daqui? – Isso depende muito de para onde queres ir – respondeu o gato. – Preocupa-me pouco aonde ir – disse Alice. – Nesse caso, pouco importa o caminho que sigas – replicou o gato.” (Lewis Carroll -Alice no País das Maravilhas)

Engrançado como as coisas me acontecem…Tantas conversa à volta deste livro e hoje por mero acaso acabei por “tropeçar” nesta citação.

Acabei por andar com ela às voltas na minha cabeça a tentar perceber o que me estava a querer dizer, até chegar aqui:

Eu sei o que quero, sei para onde quero ír, no entanto não consigo encontrar o caminho certo para lá chegar. Sinto-me perdida sem saber que caminho seguir, apesar de saber para onde quero ír.

Talvez porque o caminho a seguir não seja meu; talvez eu esteja apenas num ponto do caminho à espera que tu chegues até mim, para então depois podermos seguir em frente os dois.

Já diz a sabedoria popular que “quem espera desespera” e eu muitas vezes fico e sinto-me desesperada…mas também diz que “quem espera sempre alcança”, e é neste ditado que eu “aposto todas as minhas fichas”.

  1. Ou melhor, aposto em nós.
  2. “Eu vou guardar cada lugar teuancorado em cada lugar meue hoje apenas isso me faz acreditarque eu vou chegar contigo
  3. onde só chega quem não tem medo de naufragar”
  4. Mafalda Veiga

Sexta-feira, 22 de Julho de 2011

  • Largar mais (Mafalda Veiga)
  • Meu amor há tempoSe tu quiseresSem assombres, sem medoSe te atreveres a serCompletamente tuVenha o que vierAgarra bem o mundoAcredita o tempo é sempre agoraNão há mais rodeios, desenganos ou demorasVê o teu sentido és tuCom tudo o que trouxeresEm ti, aindaEu sei que às vezes muito perto desfocaE querer o mundo inteiro no peito, sufocaMas eu quero-te aquiEu quero-te em mimMeu amor há tempoSe tu quiseresSem assombres, sem medoSe te atreveres a serCompletamente tuVenha o que vierAgarra bem o mundoAcredita o tempo, é sempre agoraNão há mais rodeios, desenganos ou demorasVê o teu sentido és tuCom tudo o que trouxeresEm ti, aindaEu sei que às vezes muito perto desfocaE querer o mundo inteiro no peito sufocaMas eu quero-te aquiEu quero-te em mimEu sei que ao longe há sombras ausentesMas eu vejo-te em zoom e o meu plano é diferenteEu sinto a tua faltaNão te quero largar maisNão te quero largar mais
  • (14X)

Já soubemos o que é viver um sem o outro…já sentimos na pele a dor da separação, a dormência de uma parte de nós que nos falta e que nos leva a viver os dias sem cor e sem sentido.

Por isso agora “não te vou largar mais”…

Nunca mais!

sinto-me:

Leia também:  Como Saber Quando Um Rapaz Gosta De Mim?

Quinta-feira, 21 de Julho de 2011

Será que sou só eu que sinto que a semana pré-férias é a mais longa do ano?!

Especialmente o dia pré-férias?

Arrasta-se e arrasta-se…o tempo parece que não passa, e em oposição a nossa energia parece esgotar-se a um ritmo alucinante. A minha energia está a esvair-se a uma velocidade inversamente proporcional à velocidade da passagem dos minutos (juro que por esta altura parecem ter muito mais que 60 segundos).

É como se o meu corpo estivesse a entrar em shut down…célula após célula…(neste momento sinto que o shut down esta a atingir as minhas pálpebras que teimam e fechar, e ainda falta o dia de amanhã).

Penso que tal acontece porque acabamos por orientar os nossos dias/semanas/meses por objectivos/etapas, do género…só mais um esforço até ao dia x e depois posso fazer y. Como a cenoura na ponta da cana…

Depois, de um modo irónicamente sádico, o período de férias deve ter os minutos mais curtos de toda a história de todos os minutos. É que quase nem os vemos de tão rápido que passam.

Sinto-me cansada, esgotada a precisar de dormir e relaxar…

Mas quem é que me vendeu a “patranha” que as férias são feitas para descansar?! Decerto algum operador turístico…

Como é que é possível descansar quando andamos dum lado pro outro a visitar sítios, e etc e etc?

E que me dizem de umas férias do género, acordar, fazer pequenos-almoços, ír para a praia. Vir da praia, fazer almoço, almoçar, arrumar a cozinha, fazer o lanche, ír para a praia. Lanchar na praia, vir da praia, duches, fazer jantar, jantar, ír dar uma volta, voltar para casa, dormir. Relaxante??

Bertrand Livreiros

Como é que se esquece alguém que se ama? Como é que se esquece alguém que nos faz falta e que nos custa mais lembrar que viver? Quando alguém se vai embora de repente como é que se faz para ficar? Quando alguém morre, quando alguém se separa – como é que se faz quando a pessoa de quem se precisa já lá não está? As pessoas têm de morrer; os amores de acabar. As pessoas têm de partir, os sítios têm de ficar longe uns dos outros, os tempos têm de mudar Sim, mas como se faz? Como se esquece? Devagar. É preciso esquecer devagar. Se uma pessoa tenta esquecer-se de repente, a outra pode ficar-lhe para sempre. Podem pôr-se processos e acções de despejo a quem se tem no coração, fazer os maiores escarcéus, entrar nas maiores peixeiradas, mas não se podem despejar de repente. Elas não saem de lá. Estúpidas! ______________ Miguel Esteves Cardoso, in 'Último Volume'

Disponível aqui: bit.ly/2w8Bk1J

Páginas curtidas pela Página

1,3 mil curtiu isso

Palavras Vizinhas é um projeto de combate à solidão e desenvolvimento do sentido de comunidade,…

2,4 mil curtiu isso

Se tens menos de 13 anos, junta-te a nós e descobre como é divertido ler. Temos surpresas e muitos…

2,4 mil curtiu isso

A livraria mais antiga do mundo em funcionamento. A ler com os portugueses desde 1732.

The oldest…

Publicação recente da Página

As Falsas Memórias de Manoel Luz, de Marlene Ferraz Disponível aqui: bit.ly/falsas-memórias

Após a morte de um grande editor, Manoel Luz, também ele um homem dos livros, é confrontado com inesperados segredos que o obrigam a suspeitar da verdade e a recompor a sua narrativa de vida com tantos desacertos e acasos.

Depois da revolução de Abril, também o livreiro começa uma inevitável renovação na matéria mais íntima.

O encontro inexplicável com a rapariga estrangeira, a filha imprevista com nome de flor bravia e o rapaz louco acompanham Manoel Luz nesta revelação de uma realidade improvável, mais deformada e duvidosa mas compensada pela amplitude da afeição.

Na compra de “História do Português desde o Big Bang”, de Marco Neves, oferta* de “Adão e Eva no Paraíso Seguido de o Senhor Diabo e Outros Contos”, de Eça de Queiroz Encomendar: bit.ly/História-português

Este livro baseia-se em ciências como a física e a biologia para contar a história da nossa língua. Só compreenderemos a origem do português se compreendermos a origem da humanidade e só compreenderemos o funcionamento da língua se compreendermos o cérebro humano e o Universo em que se insere. Um livro que muda a nossa visão da língua e do mundo.

* Oferta limitada ao stock existente

O Dia Mundial do Livro celebra-se a 23 de abril, mas nós começamos a festa já na segunda-feira. ????????????

Maria Luz

Boa tarde, gostaria de saber, a partir de que data, poderei adquirir nas vossas lojas, o Almanaque 2021.Grata.

51 mil curtiu isso

A Esfera dos Livros é um projecto editorial que pretende ir ao encontro dos gostos e das…

336 curtiu isso

Página para apresentação do Livro “Manuscritos de um Yogui” e partilhas acerca do conteúdo

Ver mais

26 mil curtiu isso

Contador de pequenas histórias. Sessões de contos, oficinas de escrita criativa e edição de livros.

7 mil curtiu isso

Chancela de ficção literária de autores estrangeiros que traz algumas das melhores páginas da…

3,5 mil curtiu isso

Opiniões e partilha de livros e leitura

381 curtiu isso

O que fazes quando não te sentes bem no lugar onde estás? Uma história de coragem, na qual a amizade…

18 mil curtiu isso

Acima de tudo Música eclética e mais dez formas de Arte. NÃO PROCURAMOS PESSOAS IGUAIS, PROCURAMOS…

146 mil curtiu isso

Página oficial da Bertrand Editora – Portugal

215 mil curtiu isso

Viva connosco o entusiasmo pela palavra escrita e pelo livro.

107 mil curtiu isso

A maior livraria online portuguesa. Wook procuras está aqui!

1,1 mi curtiu isso

Como esquecer..

“Como é que se esquece alguém que se ama? Como é que se esquece alguém que nos faz falta e que nos custa mais lembrar que viver? Quando alguém se vai embora de repente como é que se faz para ficar? Quando alguém morre, quando alguém se separa, como é que se faz quando a pessoa de quem se precisa já não estar lá?

As pessoas têm de morrer, os amores de acabar. As pessoas têm de partir, os sítios têm de ficar longe uns dos outros, os tempos têm de mudar. Sim, mas como se faz? Como se esquece?

Devagar. É preciso esquecer devagar. Se uma pessoa tenta esquecer-se de repente, a outra pode ficar-lhe para sempre. Podem pôr-se processos e acções de despejo a quem se tem no coração, fazer os maiores escarcéus, entrar nas maiores peixeiradas, mas não se podem despejar de repente. Elas não saem de lá. Estúpidas!

É preciso aguentar. Já ninguém está para isso, mas é preciso aguentar. A primeira parte de qualquer cura é aceitar-se que se está doente. É preciso paciência. O pior é que vivemos tempos imediatos em que já ninguém aguenta nada. Ninguém aguenta a dor. De cabeça ou coração. Ninguém aguenta estar triste, ninguém aguenta estar sozinho. Tomam-se conselhos e comprimidos.

Procuram-se escapes e alternativas. Mas a tristeza só há-de passar entristecendo-se. Não se pode esquecer alguém antes de terminar de lembrá-lo. Quem procura evitar o luto, prolonga-o no tempo e desonra-o na alma. A saudade é uma dor que se pode passar depois de devidamente doída, devidamente honrada. É uma dor que é preciso primeiro aceitar.

Dizem-nos depois para esquecer, para ocupar a cabeça, para trabalhar mais, para distrair a vista, para nos divertirmos mais, mas quanto mais conseguimos fugir, mais temos mais tarde de enfrentar. Fica tudo à nossa espera. Acumula-se tudo na alma, fica tudo desarrumado.

E o esquecimento não tem arte. Os momentos de esquecimento, conseguidos com grande custo, com comprimidos e amigos e livros e copos, pagam-se depois em condoídas lembranças a dobrar. Para esquecer é preciso deixar correr o coração, de lembrança em lembrança, na esperança de ele se cansar.

Porque é que sempre nos momentos em que estamos mais cansados ou mais felizes que sentimos mais a falta das pessoas de quem amamos? O cansaço faz-nos precisar delas.

Quando estamos assim, mais ninguém consegue tomar conta de nós. O cansaço é uma coisa que só o amor compreende. E a felicidade faz-nos sentir pena e culpa de não a podermos partilhar.

É por estarmos de uma forma ou de outra sozinhos que a saudade é maior.

Mas o mais difícil de aceitar é que há lembranças e amores que necessitam do afastamento para poderem continuar. Às vezes a presença do objecto amado provoca a interrupção do amor. E a complicação, o curto-circuito, o entaralamento, a contradição que está ali presente, ali, na cara do coração, impedindo-o de continuar.

As pessoas nunca deveriam morrer, nem deixarem de se amar, nem separar-se, nem esquecer-se, mas morrem e deixam e separam-se e esquecem-se.

Custa aceitar que os mais velhos, que nos deram vida, tenham de dar a vida para poderem continuar vivos dentro de nós. Mas é preciso aceitar. É preciso aceitar. É preciso sofrer, dar urros, dar murros na mesa, não perceber. E aceitar.

Se as pessoas amadas fossem imortais perderíamos o coração. Perderíamos a religiosidade, a paciência, a humanidade até.

Há uma presença interior, uma continuação em nós do que desapareceu, que se ressente do confronto com a presença exterior. É por isso que nunca se deve voltar a um sítio onde se tenha sido muito feliz. Todas as cidades se tornam realmente feias, fisicamente piores, à medida que se enraízam e alindam na memória que guardamos delas no coração. Regressar é fazer mal ao que se guardou.

Uma saudade cuida-se. Nos casos mais tristes separa-se da pessoa que a causou. Continuar com ela, ou apenas vê-la pode desfazer e destruir a beleza do sentimento, as pessoas que se amam mas não se dão bem só conseguem amar-se bem quando não se dão. Mas como esquecer? Como deixar acabar aquela dor? É preciso paciência. É preciso sofrer, é preciso aguentar.

Há grandeza no sofrimento. Sofrer é respeitar o tamanho que teve um amor. No meio do remoinho dos erros que nos revolver as entranhas de raiva, do ressentimento, do rancor – temos de encontrar a raíz daquela paixão, a razão original daquele amor.

As pessoas morrem, magoam-se, separam-se, fazem os maiores disparates com a maior das facilidades. Para esquecê-las é preciso chorá-las primeiro. Esta é uma verdade tão antiga que espanta reparar em como ainda temos esperanças de contorná-la.

Nos uivos das mulheres nas praias da Nazaré não há “histeria” nem “ignorância” nem “fingimento”.

Leia também:  Como Saber Quem Te Segue No Instagram?

Há a verdade que nós, os modernos, os tranquilizados, os cools, os cobardes, os armados em livres e independentes, os tanto-me-fazes, os anestesiados, temos mesmo de enfrentar.

Para esquecer uma pessoa não há vias rápidas, não há suplentes, não há calmantes, ilhas das Caraíbas, livros de poesia – só há lembrança, dor e lentidão, com uns breves intervalos pelo meio para retomar fôlego.

Esta dor tem de ser aguentada e bem sofrida com paciência e fortaleza. Ir a correr para debaixo das saias de quem for é uma reacção natural, mas não serve de nada e faz pouco de nós próprios. A mágoa é um estado natural. Tem o seu tempo e o seu estilo.

Tem até uma estranha beleza. Nós somos feitos para aguentar com ela.

Podemos arranjar as maneiras que quisermos de odiar quem amamos, de nos vingarmos delas, de nos pormos a milhas, de lhe pormos os cornos, de lhe compormos redondilhas, mas tudo isso não tem mal. Nem faz bem nenhum. Tudo isso conta como lembrança, tudo isso conta como uma saudade contrariada, enraivecida, embaraçada por ter sido apanhada na via pública, como um bicho preto e feio, um parasita de coração, uma peste inexterminável, barata esperneante: uma saudade de pernas para o ar.

O que é preciso é igualar a intensidade do amor a quem se ama e a quem se perdeu. Para esquecer é preciso dar algo em troca. Os grandes esquecimentos saem sempre caros. É preciso dar tempo, dar dor, dar com a cabeça na parede, dar sangue, dar um pedacinho de carne.

E mesmo assim, mesmo magoado, mesmo sofrendo, mesmo conseguindo guardar na alma o que os braços já não conseguem agarrar, mesmo esperando, mesmo aguentando como um homem, mesmo passando os dias vestida de preto, aos soluços, dobrada sobre a areia de Nazaré, mesmo com muita paciência e muita má-vontade, mesmo assim é possível que não se consiga esquecer nem um bocadinho.

E quando alguém está sempre presente? Quando é tarde. Quando já não se aguenta mais. Quando já é tarde para voltar atrás, percebe-se que há esquecimentos tão caros que nunca se podem pagar.”

Até podia dissertar sobre o que está aqui escrito, mas qualquer palavra que dissesse podia estragar a mensagem…

Deixo aqui o desafio de, cada um por si, pensar sobre isto…

Não consegue esquecer o ex-amor?

Sabe aquela sensação de estar no primeiro encontro com alguém que parecia especial e de repente sentir uma saudade enorme do parceiro anterior? E às vezes a saudade do ex-amor até aumenta depois do encontro com um outro alguém.

Você pode achar que esse tipo de sentimento só serve para mostrar o quanto ainda ama quem não está mais do seu lado. Confuso não?

Depois do término da relação, a busca por outro amor pode ser dolorida. Dói porque você realmente não está inteiro em si mesmo.

Ou porque há uma parte de seus sentimentos presos à relação que se desfez e, para complicar, uma parte de você tenta incessantemente encontrar na atual relação características daquela pessoa do passado.

Você age dessa maneira sem ter consciência, sem querer se machucar nem ferir o atual pretendente. Mas os dois acabam sofrendo juntos.

Depois do término da relação, a busca por outro amor pode ser dolorida. Dói porque você realmente não está inteiro em si mesmo.

A dor está justamente na constatação de que seu atual amor não é quem você está procurando, porque quem realmente deseja está no seu passado. É aquela pessoa que mexe contigo, com seus bons sentimentos e até com sua raiva e frustração.

Dá até medo pensar em como a pessoa pode estar se divertindo, neste momento, longe de você.

Despedida do passado

Querer virar a página já é uma grande atitude a ser tomada. Geralmente os obstáculos internos que atrapalham a entrega para o novo relacionamento costumam estar ligados ao grau de satisfação que você tinha com o ex-amor, além da sensação de ter se habituado ao jeito do outro.

Estar a dois requer estar inteiro na relação para dar certo, respeitar o espaço do que já foi vivido e não ficar preso ao que passou. E tudo isso é difícil quando você ainda não esqueceu um ex-amor.

O mais importante neste momento é entender que você está totalmente dividido: uma parte quer seguir em frente e encontrar alguém que esteja disposto a amar, enquanto o outro lado sofre todo dia com a distância de quem ainda ama.

Se estiver passando por essa situação, neste momento de sua vida, você acha que pode se entregar a uma nova relação e amar de verdade outra pessoa?

Além disso, você acredita que vai encontrar alguém que preencha todos os requisitos de um parceiro que você quer? Talvez não, afinal você não está em condições que lhe permitam nem mesmo reconhecer essa pessoa, já que ainda não terminou seu ciclo amoroso anterior.

Vale a pena investir na reconciliação?

A solução para isso pode parecer estranha, mas quem sabe aguardar um novo desfecho entre você e esse amor que ainda não acabou?

Por que não investir em diálogos entre vocês dois para estabelecer possíveis ligações que aumentem a reciprocidade e a entrega para a relação? Será que vocês não desistiram muito rápido de tentar dar certo? Será que essa pessoa também não sente falta de você? Por que não tentar fazer algo diferente por vocês dois?

  • Se você já tentou fazer dar certo e nada de bom saiu dessa experiência, realmente pode ser a hora de se alinhar com a sua vontade de mudar de parceiro e não desistir do encontro com uma pessoa com a qual você possa ter uma relação saudável.
  • Outra coisa que pode estar acontecendo é você não estar realmente disposto para uma nova relação e precisar de um tempo para ficar sozinho.
  • Existem mil fatores que podem fazer você sentir falta de outra pessoa, talvez seja apenas uma lembrança da última relação, mas isso não pode ser um bloqueio para você ser feliz agora.
  • Se você ainda ama alguém e não existe nenhuma maneira de vocês ficarem bem juntos, não se torture, aceite esse amor como uma experiência que foi boa de ser vivida, não um tormento.

Permitir-se conhecer novos amores pode ser uma grande solução. Ter disciplina com os seus pensamentos para não se deixar levar pelo passado também é uma maneira de se desligar do que passou e estar inteiro no presente – o que só pode ser bom para você.

Olá, essa matéria foi útil para você?

Esquecer Alguém

Gostar de alguém é função do coração, mas esquecer, não. É tarefa da nossa cabecinha, que aliás é nossa em termos: tem alguma coisa lá dentro que age por conta própria, sem dar satisfação. Quem dera um esforço de conscientização resolvesse o assunto.

Martha Medeiros

Não é tão fácil esquecer alguém, principalmente se ela foi alguém muito importante e especial. Não tem como simplesmente ignorar que ela permaneceu ao seu lado durante muito tempo e jogar todo aquele passado, todas as lembranças no lixo.

As pessoas que passam em nossa vida, marcam sim, acabam fazendo parte da nossa história. Umas permanecem, outras se vão com o vento.

E elas não se vão por culpa sua, ou de ninguém, se vão porque simplesmente tinha que ser assim, e porque ela precisa abrir espaço para que alguém mais especial ainda apareça, e permaneça.

Tumblr

Hoje passou uma cena da minha vida na minha cabeça … Eu errei de novo… Chorei de novo e novamente sentir o meu coração doer… Desejei não existir…Chorei por que me entreguei de mais… Por amar demais…Por acreditar de mais… Eu só gostaria de saber quando o meu coração vai para de doer…Minhas forças estão se acabando dentro de mim…

Eu não sei como terei força para acorda amanhã cedo para trabalhar…
Eu que sempre achava repugnantes os bêbados nos bares, nas ruas, mas, agora me vejo entre este…E penso se os que assim vivem não são felizes mostrando o que são, se não são felizes com o poder que a bebida dão a eles de dizerem a verdade e depois todos culpam a embriagues…

O que esconde estes que só vivem embriagados, ou os que são andarilhos pelo mundo?
Nunca brinque com o amor, amigo, é como se vc lançasse uma frecha para o alto e ficasse parado no mesmo lugar… Nunca brinque de amar, fuja imediatamente quando sentir algo estranha dentro de vc… Fuja….

quando percebe que em hora em hora vc olha uma foto e diversas vezes por dia vc manda uma mensagem, por que isso é uma areia movediça, jogue no lixo o seu celular, suma no mundo… Eu sinto medo de te perder e estou te perdendo… E não sei como parar isso por que tenho medo… Eu senti algo estranho estes dias…

Seus olhos mudaram para mim, eu não sei se é o medo, amor que lhe acometeu, por todas estas situações difíceis… Mas tenho que fazer alguma coisa… não posso permitir isso mais…

Mas, se eu não for capaz de parar com esta pancada, tentarei ao menos me proteger disso…

Leia também:  Os Catalizadores, São Dispositivos Que Têm Como Função?

RubensLino

Como esquecer alguém… Especialistas apontam que a dor sentimental após o término de um relacionamento é semelhante a dor física ou até pior.
Sabemos o quanto é difícil esquecer alguém.

São momentos como esse que nunca temos alguém para nos aconselhar ou dizer algo que nos alivie daquela tristeza e quando temos, acabamos recebendo o pior conselho que alguém poderia dar que é…

“Ah, sai dessa” E logo você pensa: “Ah ok, se não fosse você para me dizer que devo sair dessa eu não iria saber o que fazer” Não é fácil! Esse tipo de conselho é a mesma coisa que você estar querendo emagrecer e alguém lhe dizer… “É tão simples…

pare comer”, pode parecer meio sem sentido, mas uma hora ou outra você vai sentir fome, entende? Não é uma escolha sofrer por amor, e é por isso que lhe digo que especialistas comprovam que praticar atividade física é a melhor estratégia para começar a esquecer aquela pessoa que lhe magoou.

A atividade física libera sua endorfina, que são mecanismos hormonais do nosso corpo que servem para aliviar a dor. Então se você estiver passando por um término de relacionamento, esforce-se para ir correr, malhar, nadar, praticar esportes ou fazer qualquer coisa, porque isso irá fazer com que você se sinta mais disposto e motivado, dia após dia você irá trabalhar ou estudar bem mais tranquilo.

E o tempo também irá lhe ajudar, assim quando você perceber estará totalmente livre daquilo que lhe angústiava.

Trouxilizar

A primeira coisa pra seguir em frente é saber que não tem como esquecer, depois é parar de querer arrumar espaço para quem já nem deveria mais ocupar um pedaço da sua vida. É admitir quando você ainda sentir algo, o tempo vai ajudar também mas esquecer mesmo….

nada. um dia você vai entender que não tem como esquecer alguém que marcou sua vida, o que resta é aprender com a dor do fim, é se acostumar com a partida até que um dia pare de doer. não tem como esquecer! só seguimos pois essa é a única escolha que a vida nos dá.

Iandê Albuquerque

Sobre esquecer alguém, eu sei que não é fácil. A gente nunca esquece assim de uma hora para outra, ainda mais alguém que marcou muito nossa vida. Na verdade, acho que não esquecemos totalmente alguém assim, só encontramos outras prioridades na nossa vida.

Acho que com o tempo acabamos aceitando que nem tudo o que a gente quer vai acontecer, e nem todas as pessoas que amamos estão destinadas a ficarem do nosso lado.

Eu sei como é difícil se acostumar com a ausência de alguém que um dia foi tão presente, como é difícil tentar esquecer todas as promessas que foram feitas, abandonar todos os planos imaginados, evitar todos os momentos vividos.

Eu sei, não é fácil desapegar de alguém assim, é difícil, eu sei, mas com o tempo acabamos percebendo que ás vezes coisas boas saem de nossa vida, para que coisas melhores possam chegar. Desapegar, desprender e esquecer, fazem parte da vida. Ás vezes precisamos deixar o destino assumir e simplesmente seguir nossa vida em frente.

Você vai superar, vai se apaixonar e vai se decepcionar, é inevitável, mas é preciso.

E acredite, quando menos esperar, vai ficar tudo bem, você vai superar, essa angústia vai passar e você vai entender que pessoas vem e vão, que paixões acendem e apagam e que o destino apesar de incerto, muitas vezes nos leva para lugares incríveis e nos traz pessoas maravilhosas. Vai passar, vai ficar tudo bem, no fundo você sabe. Talvez não amanhã ou depois, mas dentro de uma semana, um mês ou dois, quem sabe? Mas vai passar e vai ficar tudo bem, afinal a vida é assim mesmo: chegadas e partidas, de apego e desapego, de começos e recomeços, e já está na hora de você recomeçar.

Bárbara Flores

Aprenda a esquecer alguém que por algum motivo escolheu esquecer e afastar-se de você.
Respeite isso, todos têm o direito de não querer.
Tome um novo rumo, escreva uma nova história. Tempo e distância dão uma certa clareza.

Boa sorte

Alfredo S Trezza

não adianta tomar doses de uísques, para esquecer alguém, é melhor viver a realidade, alguns goles podem trazer a ilusão. vários tipos de ilusões, e viver na ilusão não é coisa que faz bem ao coração.

não adianta beijar várias bocas para esquecer aquele beijo, o máximo que você vai fazer é lembrar cada vez mais, comparando o beijo que recebeu com o outro que tenta esquecer. não adianta pisar quem está embaixo dos seus pés, se poder ajudar, ajude.

um dia você pode ta lá em cima, mais outro também pode está lá embaixo, o mundo dá voltas. não adianta tentar tirar da cabeça o que não sai do coração. não adianta querer ser mais do que ninguém, o máximo que você vai conseguir é fama de quem se acha, e isso é ridículo.

todos nós somos iguais, mesmo com diferenças de cores, de classes, de tudo! somos iguais do mesmo jeito. não adianta você fingir ser amigo, ou fingir qualquer outra coisa. a máscara um dia cai que não tá danado. não adianta você mentir ou enganar, a verdade um dia chega aos nossos ouvidos.

não adianta criar sentimento que não existe, o máximo que você vai fazer é ferir a si próprio, e brincar com ou sentimentos dos outros. coisa que você não quer que aconteça com você, então não queira também pros outros.

não adianta querer ser o mais correto, sempre vamos ter defeitos e erros, e passado! mais toda vez que tentamos algo de coração, é tentando fazer certo, é bonito errar, assumir e consertar. Mais não permanecer no mesmo erro! não adianta você ter ódio de alguém, isso só vai machucar você mesmo, ódio faz mal pra alma e pro coração. não adianta rir quando se quer chorar.

Stephanie Britto

Me disseram que esquecer alguém era como parar de fumar, a abstinência se ia com o passar do tempo. Me disseram que seria difícil no começo, mas eu ficaria feliz por conseguir superar. Sempre fui fraco para dizer adeus, não me permito estudar as soluções quando me sinto realmente frustrado.

Tem sido difícil entender, transgride o desejo de dar um fim, por mais que motivos não faltem, a ideia dos abraços não dados me agridem mais do que a fumaça. O orgulho também é um câncer. É algo que vai além de simples explicações, e trazem uma tonelada de porquês.

Você irá me dizer que o ato de não querer já basta, porque nunca sentiu a saudade queimando seu peito até que reste apenas um vazio irretratável, como um eixo que te arrasta com força por memórias que deveriam ter sido esquecidas. Sempre fui burro o bastante para voltar aos vícios de sempre.

Todas as vezes que tentei me afastar, me via indiferente. Odiava a ideia de estar tentando provar algo à mim mesmo. Talvez esquecer seja questão de hábito, nos acostumamos com rotinas medíocres, e pessoas que já não nos surpreendem. É algo do ser humano se degradar com o tempo.

Dificilmente iremos encontrar alguém que se torne melhor com o passar dos dias. As pessoas apodrecem dentro de si mesmas. Mas, por algum motivo, por mais que sejam pedras no caminho, sabemos que irá doer se as chutarmos pra longe. Buscamos um grão de esperança no inferno.

A gente precisa dos obstáculos para ganhar uma melhor percepção. Me disseram que esquecer era como parar de fumar, nunca consegui largar o cigarro, mas deixar as pessoas partirem já me matou mais vezes do que qualquer droga faria.

Sean Wilhelm

Difícil esquecer alguém que se destacou entre todas as pessoas que passaram pela sua vida!
Alguém apaixonante, que cativou seu coração.
Alguém que em poucos momentos conseguiu invadir sua mente,
que roubou todos os pensamentos no dia seguinte.

Como esquecer uma pessoa que se fez presente,
te fez contente,
te convidou a sorrir! Certas pessoas nos marcam de forma profunda,
chegam por acaso, lhe dá carinho
chama a sua atenção,
faz você parar para pensar
e perceber que algo mudou em você…

Paixão, amor, contentamento, saudades
tudo misturado na sua cabeça
e você não consegue parar de lembrar.

Difícil não lembrar de alguém que encantou o seu coração!!!

Vilma Galvão

Não existe uma fórmula correta para esquecer alguém. Esquecer vai com o tempo, mas sendo sincera a gente nunca consegue esquecer 100% alguém. De alguma forma a gente fica com um pedaço da pessoa, uma parte da pessoa, mesmo ela indo embora.

Alguma lembrança, algum momento, alguma parte marcante do que vocês já viveram querendo ou não permanecer. Afinal ele fez parte da sua vida, ele foi uma pessoa que marcou seu coração. Não estou dizendo que você vai amá-lo eternamente, você vai superá-lo, vai superar a perda, a distância, a ausência.

Mas você nunca vai esquecer os momentos que passaram, as memórias que viveram e os planos que fizeram. Parece que você não vai gostar de mais ninguém, ou se apaixonar por mais ninguém, mas acredite: você vai.

Você vai passar por essa maré ruim, não adianta tentar esquecer alguém beijando outros por aí. O tempo é o encarregado disso, não vou lhe dizer quanto tempo exatamente, é o destino que decide quanto tempo demorará para você tirar aprendizagem desse término de relacionamento.

Mas você vai superá-lo e quando menos perceber a vida vai ter encarregado de colocar um outro alguém no seu coração, para lhe fazer entender por quê não deu certo da última vez.

Bárbara Flores

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*