Como É Que Se Calcula O Imc?

Como É Que Se Calcula O Imc? Aprendar a calcular o seu IMC – Créditos: FotoDuets/Shutterstock

  • O IMC (Índice de Massa Corporal) é uma ferramenta usada para detectar casos de obesidade ou desnutrição, principalmente em estudos que envolvem grandes populações.
  • De acordo com o endocrinologista Mario Kedhi Carra, membro da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO), essa é uma medida universal de classificação de obesidade, validada pela Organização Mundial da Saúde.
  • É possível encontrar o resultado do índice fazendo uma conta que envolve a relação do peso de uma pessoa em quilos com a sua altura ao quadrado.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

Para a avaliação de um paciente individualmente, no entanto, ele pode ser falho por não levar em conta a composição desse peso corporal, que pode ser composto por gordura, músculos, água e estruturas ósseas.

Como É Que Se Calcula O Imc? Aprenda a calcular seu IMC – Créditos: AtlasStudio/Shutterstock

O IMC é calculado dividindo o peso pela altura elevada ao quadrado. Ou seja, de forma mais simples, você multiplica sua altura por ela mesma e depois divide seu peso pelo resultado da última conta.

Por exemplo, uma pessoa com 1,70 m e 70 kg fará o seguinte cálculo:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

  • Altura multiplicada por ela mesma: 1,70 x 1,70 = 2,89
  • Peso dividido pelo quadrado da altura: 70 / 2,89 = 24,22

Logo, essa pessoa tem IMC de 24.

Confira a seguir o que significam os resultados

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

O IMC pode trazer os seguintes resultados:

IMC Resultado
Menos do que 18,5 Abaixo do peso
Entre 18,5 e 24,9 Peso normal
Entre 25 e 29,9 Sobrepeso
Entre 30 e 34,9 Obesidade grau 1
Entre 35 e 39,9 Obesidade grau 2
Mais do que 40 Obesidade grau 3

Como É Que Se Calcula O Imc?

Estar abaixo do peso é uma condição em que a pessoa pesa menos do que é considerado adequado para aquela altura, idade e sexo.

Uma pessoa nestas condições pode estar com alguma doença que a está emagrecendo ou sua nutrição não está boa o suficiente.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

Normalmente estas pessoas podem ter deficiências de nutrientes como vitaminas, sais minerais, proteínas, gorduras ou sob o risco de estar com anorexia.

Ao perder muito peso em um curto período de tempo, é preciso investigar a causa do emagrecimento. A melhor maneira é procurando um médico para a realização de exames.

No caso dos transtornos alimentares, como bulimia e anorexia nervosa, ainda é indicado o acompanhamento terapêutico. O estresse e a ansiedade também podem afetar a perda de peso, sendo indicadores de que o corpo precisa de tratamento. Estar abaixo do peso pode causar:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

  • Unhas e cabelos secos e quebradiços
  • Pele seca
  • Incapacidade de se concentrar
  • Esquecimento
  • Exaustão
  • Irritabilidade
  • Perda de apetite
  • Dor nas articulações
  • Vertigem
  • Sensação de desmaio
  • Dores de cabeça

Para ter um ganho de peso saudável, não se deve comer somente muitos alimentos calóricos e sim priorizar alguns alimentos com boa quantidade calórica, mas ricos em nutrientes benéficos e com pouca quantidade de gordura saturada (de origem animal) e gordura trans (de industrializados). Confira algumas estratégias interessantes que podem te ajudar nesse processo:

  • Alimentos ricos em proteína são grandes aliados: dê preferência às carnes magras (alcatra, filé mignon, maminha, fraldinha) , frango e principalmente peixes e ovos, além de leite e queijos brancos como ricota e minas
  • Aposte nas gorduras boas: amendoim, nozes, amêndoa, avelã, castanhas, azeite de oliva, linhaça e abacate
  • Aumente o consumo de pães, bolos, massas, mandioca, batata, milho e cereais (arroz, farinha de trigo, fubá, aveia), lembrando sempre de optar pelas versões integrais
  • Evite alimentos nas versões diet e light, baixo teor de gorduras, calorias reduzidas

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

SEU IMC ESTÁ ABAIXO DO PESO? ENTENDA TUDO AQUI

Estar dentro da faixa de peso normal é significa ter um peso considerado adequado para sua altura, idade e sexo, de acordo com as faixas do IMC – momento de fazer a manutenção do peso.

Para manter o peso é importante manter uma dieta balanceada (não basta alimentos corretos, mas também quantidades corretas) para seu organismo. Devem ser avaliados peso, idade, composição corporal, presença de doenças e/ou comorbidades. Pontos importantes para manter o peso:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

  • Não existe alimento 100% bom ou 100% ruim. Varie ao máximo o seu cardápio e não elimine completamente nenhum tipo de alimento. O equilíbrio entre a quantidade e a freqüência com a qual você consome refeições mais calóricas é a garantia do seu sucesso
  • Estabeleça uma rotina alimentar
  • Analise os rótulos dos alimentos. Muitas vezes, os alimentos light contêm uma pequena diferença na quantidade calórica, que nem compensa a troca
  • Praticar atividades físicas de forma regular
  • Descanse e durma o suficiente
  • Para ter uma alimentação saudável é importante que ela seja muito variada e conte com todos os grupos alimentares. Lembrando que produtos alimentares ultraprocessados, como embutidos, bolachas recheadas, entre outros, não entram na conta
  • Aumentar a ingestão de líquidos no dia (mínimo de 2L de água)

SEU IMC ESTÁ DENTRO DO PESO IDEAL? ENTENDA TUDO AQUI

O sobrepeso é uma condição em que a pessoa pesa mais do que é considerado adequado para aquela altura, idade e sexo. O sedentarismo e os maus hábitos alimentares levam ao aumento dessa parcela de indivíduos com sobrepeso a cada ano.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

Essa faixa, se analisada junto com outras medidas e índices, pode demonstrar um risco maior de doenças como diabetes tipo 2, dislipidemia (com colesterol HDL baixo e triglicérides altos), ácido úrico aumentado, hipertensão, entre outras.

O tratamento para o sobrepeso depende de sua causa. Contudo, manter hábitos alimentares saudáveis e praticar atividades físicas são bons aliados contra o excesso de peso.

Os remédios para emagrecer, quando bem indicados e sempre com acompanhamento médico, podem ser úteis dependendo do caso.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

SEU IMC APONTA SOBREPESO? ENTENDA TUDO AQUI

Somente o cálculo do IMC não é suficiente para diagnosticar obesidade. Na verdade, para além do IMC, são necessárias as seguintes medidas antropométricas: peso, estatura, espessura da dobra cutânea (bíceps, tríceps, subescapular e suprailíaca).

Depois, é encontrado o percentual de gordura, que se for maior do que 25% a 30%, já é considerado um nível de obesidade. O índice de massa corporal tem que estar maior que 30kg/m².

Obesidade grau 1: O tratamento é realizado através de dieta apropriada com avaliação médica em conjunto com a prática de exercícios, desde que o paciente seja avaliado e liberado pelo médico.

Além disso, é preciso que o paciente realize as atividades com o acompanhamento de um profissional de educação física. Em alguns casos avaliados pelo médico, pode-se fazer o uso de remédios para emagrecer para ajudar no controle do peso.

  1. A cirurgia bariátrica também pode ser destinada ao tratamento da obesidade grau 1 que é acompanhada de outras doenças cuja obesidade é um agravante ou doenças associadas ao excesso de gordura corporal.
  2. Mas neste grau de obesidade, os outros meios do controle de peso são priorizados e a bariátrica só passa a ser considerada quando as alternativas primárias são comprovadamente ineficazes.
  3. Pacientes que têm IMC abaixo de 35, sem doenças associadas, devem sem dúvidas tentar o tratamento clínico antes, com chances de conseguir resultados razoáveis.

Obesidade grau 2: Os riscos associados à obesidade de grau II são mais acentuados. Entre eles, estão a esteatose hepática, doenças articulares, hipertensão, diabetes mellitus, síndrome metabólica, cânceres, infarto agudo do miocárdio e acidente vascular cerebral, lembrando que estes dois últimos são as principais causas de morte no Brasil e no mundo.

  • O tratamento desse quadro é dado através de mudanças no estilo de vida, associado ao tratamento multiprofissional com nutricionista, psicólogo e médico.
  • No caso da obesidade grau II, o uso de medicações para a perda de peso também é um método que pode ser proposto diante de avaliação e acompanhamento médico.
  • Já a cirurgia bariátrica costuma ser indicada para obesidade grau II quando não há resultados no tratamento convencional nos últimos dois anos e quando está associada a outras comorbidades, ou seja, outras doenças que podem vir associadas ao excesso de peso, que levam a redução da expectativa e da qualidade de vida.

Obesidade grau 3: Entre as patologias associadas à obesidade grau 3, estão os distúrbios hormonais, cardiopatias, morte súbita, dermatites, osteoporose, hipertensão, hepatopatias e insuficiência venosa. Porém, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a obesidade de grau III é a principal causa de morte evitável do mundo.

A associação de reeducação alimentar e atividade física têm melhores resultados a curto e médio prazo, porém, muitas vezes, em pacientes com obesidade grau III, a atividade física acaba sendo bastante restrita, dependendo do grau de excesso de peso e das artropatias associadas.

Nesses casos, esses pacientes podem optar por fazer a cirurgia de redução de estômago para controlar o peso e sair da obesidade.

Existem quatro técnicas diferentes de cirurgia bariátrica para obesidade reconhecidas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM): Banda Gástrica Ajustável, Gastrectomia Vertical, Bypass Gástrico e Derivação Bileopancreática.

A escolha da cirurgia dependerá do quadro do paciente, do grau de obesidade e das doenças relacionadas.

SEU IMC ESTÁ DENTRO DA OBESIDADE 1, 2 OU 3? ENTENDA TUDO AQUI

Infelizmente, a medida de IMC nem sempre representa a realidade. Por exemplo, o músculo é muito mais pesado que a gordura. Logo, um halterofilista terá um IMC muito alto, mas isso não se reflete em obesidade, já que a maior parte de sua massa corporal é formada por musculatura.

  1. É importante levar em conta que a massa corporal é formada por água, gordura, músculos e ossos, e tudo isso precisa ser bem avaliado para medir a saúde de alguém corretamente.
  2. Por isso, é de extrema importância consultar um especialista para que ele possa fazer a análise do IMC junto com outros índices e medidas usados para entender a composição corporal.
  3. Existem alguns outros índices e medidas que podem ser usados, como:
  • Medidas antropométricas: Nelas, você usa uma fita métrica e um adipômetro (instrumento que se parece com uma pinça) para medir a circunferência e quantidade de gordura nos braços, pernas e tronco, em alguns pontos estratégicos. Com isso, é possível avaliar onde a pessoa acumula mais peso
  • Bioimpedância: Esse exame, feito por um aparelho que dispara uma descarga elétrica fraca pelo corpo, consegue estimar o percentual de água, massa muscular e massa gorda do organismo
  • Circunferência abdominal: Essa medida ajuda a avaliar a quantidade de gordura visceral do paciente, que é a mais perigosa. Muitas pessoas, por exemplo, podem estar perto do IMC normal, mas, por apresentarem este tipo de acúmulo de gordura, têm um risco aumentado de doenças metabólicas, como diabetes, hipertensão, colesterol ruim alto, etc. Aqui na América do Sul, as medidas ideias são abaixo de 80 centímetros no caso de mulheres e abaixo de 90 cm nos homens
  • Relação cintura-quadril: Esta medida também ajuda a olhar onde está o acúmulo de gordura de cada pessoas. Existem organismos que acumulam mais gordura na barriga (corpo em forma de maçã) e outros que têm mais tecido adiposo nos quadris (corpo em forma de pêra). O primeiro tipo tem um risco maior de acúmulo de gordura visceral e de apresentar doenças metabólicas.
Leia também:  Como Salvar Fotografias De Telemovel Que Esta A Derreter?

Em todos os casos, a atividade física é extremamente recomendada, ajudando a ter mais bem-estar, mais energia e talvez viver mais tempo e com mais qualidade.

Em especial para pessoas com sobrepeso e ou obesidade, o exercício se faz ainda mais necessário, pois fortalece as articulações e músculos, favorecendo a prática de outras atividades, como as aeróbias, acelerando o metabolismo e provocando a diminuição da gordura corporal.

É importante realizar os treinos sempre prescritos e acompanhados de um profissional de Educação Física, que ficará atento a correta execução dos exercícios e a intensidade de cargas adequadas ao início do treinamento. A postura nos exercícios deve ser observada e corrigida, para evitar sobrecargas desnecessárias nas articulações. Alguns cuidados ao iniciar os seus treinos:

  • Atenção especial à execução dos exercícios, não se preocupe agora com a carga
  • Inicie com cargas leves e exercícios com o próprio peso corporal. A adaptação ao treinamento deve ser feita de maneira bem gradual
  • Tenha sempre acompanhamento profissional para evitar danos a sua saúde
  • Inicie com os exercícios mais confortáveis. Ajudará bastante na postura correta, e com o tempo você poderá progredir a dificuldade dos exercícios com mais segurança e eficiência nos seus treinos
  • Mantenha a regularidade dos seus treinos, assim se tornará um hábito, e ajudará muito na redução do seu peso corporal.

Obesidade infantil: quais são as principais causas?

As faixas de IMC para as crianças mudam de acordo com a idade e o sexo, e para orientar os médicos existem tabelas da Organização Mundial da Saúde (OMS) para fazer esse cálculo.

Mas os pais também podem se orientar por essas tabelas. Clique aqui e siga o passo a passo para descobrir se seu filho está com baixo peso, peso normal, sobrepeso ou obesidade.

Quando a idade chega, a composição corporal muda: os músculos diminuem e o tecido adiposo aumenta. Por isso, o cálculo do IMC é igual, mas os resultados são diferentes em pessoas com mais de 60 anos. Veja abaixo:

IMC Resultado
Menos de 22 Baixo peso
Entre 22 e 27 Peso normal
Acima de 27 Obesidade
  • Isso ocorre porque a magreza excessiva na terceira idade pode estar relacionada ao aumento de chances de queda, fragilidade excessiva ou mesmo pode ser consequência de alguma doença de base.
  • Roberto Zagury, endocrinologista (CRM-RJ 798.274), membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), mestre em nutrologia e professor de pós-graduação em Medicina do Exercício da Universidade de Maringá
  • Roberto Navarro, nutrólogo (CRM-SP 78.392), membro da Associação Brasileira de Nutrologia
  • Mario Kedhi Carra (Médico-Endocrinologista e membro da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica – ABESO)
  • Fernanda Andrade, educadora física
  • Abaixo do peso: cálculo do IMC e como ganhar peso de forma saudável
  • Peso ideal: cálculo do IMC e como fazer manutenção do peso
  • Sobrepeso: cálculo do IMC, tratamentos e cuidados
  • Obesidade graus I, II e III: cálculo do IMC, tratamentos e cuidados

El índice de masa corporal para adultos

Como É Que Se Calcula O Imc?

El índice de masa corporal (IMC) es un número que se calcula con base en el peso y la estatura de la persona. El IMC es un indicador de la gordura bastante confiable para la mayoría de las personas. El IMC no mide la grasa corporal directamente, pero las investigaciones han mostrado que tiene una correlación con mediciones directas de la grasa corporal, tales como el pesaje bajo el agua y la absorciometría dual de rayos X (DXA, por sus siglas en inglés).1, 2 El IMC se puede considerar una alternativa para mediciones directas de la grasa corporal. Además, es un método económico y fácil de realizar para detectar categorías de peso que pueden llevar a problemas de salud.

¿Cómo se usa el IMC?

El IMC se usa como una herramienta de detección para identificar posibles problemas de salud de los adultos. Sin embargo, el IMC no es una herramienta de diagnóstico.

Por ejemplo, una persona puede tener un alto IMC, pero para determinar si el exceso de peso es un riesgo para la salud, un proveedor de atención médica necesitará realizar evaluaciones adicionales.

Estas evaluaciones pueden incluir la medición del grosor de los pliegues cutáneos, evaluaciones de la alimentación, la actividad física, los antecedentes familiares y otras pruebas de salud que sean adecuadas.

¿Por qué los CDC usan el IMC para medir el sobrepeso y la obesidad?

Calcular el IMC es uno de los mejores métodos para evaluar el sobrepeso y la obesidad de la población. Debido a que el cálculo solo requiere la estatura y el peso, es económico y fácil de usar para el personal médico y el público en general. Conocer el IMC le permite a la gente comparar su propio nivel de peso con el peso promedio de la población.

Para ver la fórmula ya sea en kilogramos y metros o libras y pulgadas, visite ¿Cómo se calcula e interpreta el IMC?

¿Qué otras maneras hay para medir la obesidad? ¿Por qué los CDC no las usan para determinar el sobrepeso y la obesidad entre el público en general?

Otros métodos para medir la grasa corporal incluyen la medición del grosor de los pliegues cutáneos (con calibres), pesaje bajo el agua, impedancia bioeléctrica, la absorciometría dual de rayos X (DXA) y la dilución de isótopos.

Sin embargo, estos métodos no siempre están disponibles y o son costosos o requieren personal altamente capacitado para realizarlos.

Además, muchos de estos métodos pueden ser difíciles de estandarizar entre los observadores o las máquinas, lo cual complica las comparaciones de los estudios y periodos de tiempo.

¿Cómo se calcula e interpreta el IMC?

El cálculo del IMC
El IMC se calcula de la misma manera tanto para adultos como para niños. El cálculo se basa en las siguientes fórmulas:


Interpretación del IMC para adultos

Para adultos de 20 años o más, el IMC se interpreta usando categorías estándar de nivel de peso que sean iguales para todas las edades y tanto para los hombres como para las mujeres. Para los niños y adolescentes, en cambio, la interpretación del IMC es específica tanto respecto a la edad como respecto al sexo.

En la siguiente tabla se presentan las categorías de nivel de peso estándar asociadas a los rangos del IMC de adultos:

Por ejemplo, estos son los rangos de peso, los rangos del IMC correspondientes y las categorías de nivel de peso para una muestra de estatura.

¿Qué tan confiable es el IMC como un indicador de la gordura?

La correlación entre el número del IMC y la gordura es bastante fuerte; sin embargo, la correlación varía según el sexo, la raza y la edad. Estas variaciones incluyen los siguientes ejemplos: 3, 4

  • Con el mismo IMC, las mujeres tienden a tener más grasa corporal que los hombres.
  • Con el mismo IMC, las personas de edad avanzada, en promedio, tienden a tener más grasa corporal que los adultos más jóvenes.
  • Los atletas que entrenan mucho pueden tener un IMC alto por tener una mayor masa muscular, más que por tener mayor cantidad de grasa corporal.

También es importante recordar que el IMC es solo uno de los factores relacionados con los riesgos de enfermedades. Para evaluar las probabilidades de que una persona padezca enfermedades relacionadas con el sobrepeso o la obesidad, el Instituto Nacional del Corazón, el Pulmón y la Sangre recomienda observar otros dos indicadores:

  • La circunferencia de la cintura de la persona (porque la grasa abdominal es un indicador de riesgo de enfermedades vinculadas a la obesidad).
  • Otros factores de riesgo que tenga la persona de presentar enfermedades y afecciones relacionados con la obesidad (por ejemplo, presión arterial alta o falta de actividad física).

Para más información sobre la evaluación del riesgo para la salud de enfermedades asociadas al sobrepeso o la obesidad, visite las siguientes páginas de Internet del Instituto Nacional del Corazón, el Pulmón y la Sangre:

Si un atleta u otra persona con mucho músculo tiene un IMC superior a 25, ¿de todos modos se considera con sobrepeso?

Según la lista de categorías de peso del índice de masa corporal, toda persona con un IMC de más de 25 puntos se clasificaría como con sobrepeso y toda persona con un IMC de más de 30 puntos se clasificaría como obesa.

Es importante recordar, sin embargo, que el IMC no es una medición directa de la gordura y que se calcula con base en el peso de la persona, lo cual incluye tanto músculo como grasa. Por esto, algunas personas pueden tener un IMC alto pero no tener un alto porcentaje de grasa corporal.

Por ejemplo, los atletas que entrenan mucho pueden tener un IMC alto por tener una mayor masa muscular, más que por tener mayor cantidad de grasa corporal. A pesar de que algunas personas con un IMC en el rango de sobrepeso (de 25.0 a 29.

9) pueden no tener exceso de grasa corporal, la mayoría de las personas con un IMC en el rango de obesidad (igual o mayor que 30) tendrán mayores niveles de grasa corporal.

También es importante recordar que el peso es solo uno de los factores relacionados con los riesgos de enfermedades. Si tiene preguntas o inquietudes sobre si su peso es el adecuado, consulte con su proveedor de atención médica.

¿Cuáles son las consecuencias para la salud del sobrepeso y la obesidad en adultos?

Los rangos del IMC se basan en la relación entre el peso corporal, y las enfermedades y la muerte.5 Las personas con sobrepeso y obesidad tienen un mayor riesgo de muchas enfermedades y afecciones, como las siguientes: 6

  • Hipertensión
  • Dislipidemia (por ejemplo, niveles altos de colesterol LDL, niveles bajos de colesterol HDL o niveles altos de triglicéridos)
  • Diabetes tipo 2
  • Cardiopatía coronaria
  • Accidente cerebrovascular
  • Enfermedad de la vesícula biliar
  • Artrosis
  • Apnea del sueño y problemas respiratorios
  • Algunos tipos de cáncer (de endometrio, de mama y de colon)

Para más información sobre estos y otros problemas de salud asociados al sobrepeso y la obesidad, visite Pautas médicas para la identificación, la evaluación y el tratamiento del sobrepeso y la obesidad en adultos (external iconClinical Guidelines on the Identification, Evaluation, and Treatment of Overweight and Obesity in Adultsexternal icon)external icon

¿El IMC se interpreta de la misma manera para los niños y adolescentes que para los adultos?

Si bien el IMC se calcula de la misma manera para los niños y los adultos, los criterios utilizados para interpretar el significado del número del IMC de los niños y los adolescentes son diferentes de los utilizados para los adultos. Para los niños y adolescentes, los percentiles del IMC específicos según la edad y el sexo se usan por dos razones:

  • La cantidad de grasa corporal cambia con la edad.
  • La cantidad de grasa corporal varía entre las niñas y los niños.
Leia também:  O Que É A Tuberculose E Como Se Transmite?

Por estos factores, la interpretación del IMC es específica tanto respecto a la edad como al sexo para los niños y los adolescentes. Las tablas de los CDC sobre el crecimiento del IMC por edad tienen en cuenta estas diferencias y permiten la interpretacion de un número del IMC en un percentil para el sexo y la edad de un niño.

Por otro lado, para los adultos, el IMC se interpreta por medio de categorías que no dependen del sexo ni de la edad.

Referencias

1Mei Z, Grummer-Strawn LM, Pietrobelli A, Goulding A, Goran MI, Dietz WH. Validity of body mass index compared with other body-composition screening indexes for the assessment of body fatness in children and adolescents. American Journal of Clinical Nutrition 2002;7597–985.

2Garrow JS and Webster J. Quetelet’s index (W/H2) as a measure of fatness. International Journal of Obesity 1985;9:147–153.

3Prentice AM and Jebb SA. Beyond Body Mass Index. Obesity Reviews. 2001 August; 2(3): 141–7.

4Gallagher D, et al. How useful is BMI for comparison of body fatness across age, sex and ethnic groups? American Journal of Epidemiology 1996;143:228–239.

5World Health Organization. Physical status: The use and interpretation of anthropometry. Geneva, Switzerland: World Health Organization 1995. WHO Technical Report Series.

6Clinical Guidelines on the Identification, Evaluation, and Treatment of Overweight and Obesity in Adultsexternal icon (en inglés)

IMC: o que é, como calcular e tabela de resultados

IMC é a sigla para Índice de Massa Corporal,que é um cálculo que serve para avaliar se a pessoa está dentro do seu peso ideal em relação à altura. Assim, de acordo com o valor do resultado de IMC, a pessoa pode saber se está dentro do peso ideal, acima ou abaixo do peso desejado.

Estar dentro do peso certo é importante porque estar acima ou abaixo desse peso pode influenciar bastante a saúde, aumentando o risco de doenças como desnutrição quando se está abaixo do peso, e AVC ou infarto, quando se está acima do peso. Assim, é comum os médicos, enfermeiros e nutricionistas avaliem o IMC da pessoa nas consultas de rotina para verificar a possibilidade de doenças que a pessoa pode estar pre-disposta.

Como calcular o IMC

O cálculo do IMC deve ser feito usando a seguinte fórmula matemática: Peso ÷ (altura x altura). Mas você também pode saber se está dentro do peso ideal utilizando a nossa calculadora online, apenas inserindo seus dados:

Essa fórmula é ideal para calcular o peso de adultos saudáveis. Além disso, também pode ser usado o cálculo da relação cintura-quadril para avaliar o risco de ter doenças cardiovasculares, como diabetes e infarto. Veja como calcular aqui.

Tabela de resultados do IMC

Cada resultado do IMC deve ser avaliado por um profissional de saúde. No entanto, a tabela a seguir indica os possíveis resultados do IMC, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, sendo que o IMC entre 18,5 a 24,9 representa o peso ideal e o menor risco de algumas doenças.

Classificação IMC O que pode acontecer
Muito abaixo do peso 16 a 16,9 kg/m2 Queda de cabelo, infertilidade, ausência menstrual
Abaixo do peso 17 a 18,4 kg/m2 Fadiga, stress, ansiedade
Peso normal 18,5 a 24,9 kg/m2 Menor risco de doenças cardíacas e vasculares
Acima do peso 25 a 29,9 kg/m2 Fadiga, má circulação, varizes
Obesidade Grau I 30 a 34,9 kg/m2 Diabetes, angina, infarto, aterosclerose
Obesidade Grau II 35 a 40 kg/m2 Apneia do sono, falta de ar
Obesidade Grau III maior que 40 kg/m2 Refluxo, dificuldade para se mover, escaras, diabetes, infarto, AVC

Quem não estiver dentro do peso ideal deve adequar a alimentação e fazer exercícios para conseguir atingir o peso mais indicado para sua altura e idade.

Quando se está abaixo do peso ideal deve-se aumentar o consumo de alimentos ricos em nutrientes para que o corpo tenha o necessário para se proteger de doenças. Já quem está acima do peso ideal deve consumir menos calorias e fazer algum tipo de atividade física para eliminar os estoques de gordura, que aumenta o risco de doenças cardíacas.

Como É Que Se Calcula O Imc?

Quando o resultado do IMC não é o ideal, existem alguns cuidados, principalmente com a alimentação, que podem ajudar a atingir o valor ideal:

1. O que fazer para baixar o IMC

Se o resultado do IMC estiver acima do ideal e a pessoa não for muito musculosa, nem atleta, pode indicar que é preciso emagrecer, eliminando o acúmulo de gordura, que contribui para o peso alto.

Para isso deve-se comer somente alimentos ricos em vitaminas e minerais, tendo o cuidado de diminuir o consumo de alimentos industrializados e ricos em gordura, como massa folheada, bolos, biscoitos recheados e salgadinhos, por exemplo.

Para que os resultados sejam alcançados ainda mais rápido é aconselhado fazer exercícios para aumentar o gasto calórico e aumentar o metabolismo.

Recorrer a chás e suplementos naturais pode ser um estímulo para ajudar a emagrecer de forma mais rápida e saudável, sem ter que passar fome.

Alguns exemplos são o chá de hibisco ou o chá de gengibre com canela, mas um nutricionista poderá indicar outros que sejam mais adequados às necessidades de cada pessoa

Veja mais sobre reeducação alimentar para emagrecer de vez de forma saudável.

2. O que fazer para aumentar o IMC

Se o resultado do IMC estiver abaixo do ideal, o que se deve fazer é aumentar a ingestão de alimentos ricos em vitaminas e minerais de boa qualidade, mas sem cair no erro de comer alimentos processados e ricos em gordura trans.

Pizzas, frituras, cachorro quente e hambúrguer não são os melhores alimentos para quem precisa aumentar o peso de forma saudável, porque este tipo de gordura pode se acumular no interior das artérias, aumentando o risco de doença cardíaca.

Confira 6 dicas para engordar e ganhar massa muscular de forma saudável.

Quando não calcular o IMC

Apesar do IMC ser muito utilizado para verificar se o indivíduo está acima do peso ou não, este método possui algumas falhas e, por isso, recomenda-se que além dele, utilize outros meios de diagnóstico para verificar se o indivíduo está realmente acima ou abaixo do peso ideal, como a medição da prega de gordura, por exemplo.

Assim, o IMC não é o parâmetro ideal para se avaliar o peso ideal em:

  • Atletas e pessoas muito musculosas: porque não leva em consideração o peso dos músculos. Nesse caso a medida do pescoço é uma melhor opção.
  • Idosos: porque não leva em consideração a redução natural dos músculos nessas idades;
  • Durante a gravidez: porque não leva em consideração o crescimento do bebê.

Além disso ele é contraindicado em caso de desnutrição, ascite, edemas e em pacientes acamados.

Um nutricionista poderá pessoalmente fazer todos os cálculos necessários para avaliar seu peso e o quanto precisa engordar ou emagrecer, levando em consideração o estado de saúde geral.

Porque é importante estar dentro do peso ideal

É importante estar dentro do peso ideal porque o peso certo está intimamente ligado ao estado de saúde da pessoa.

Ter um pequeno acumulo de gordura no corpo é importante para que hajam reservas de energia para quando a pessoa ficar doente ter tempo para se recuperar. No entanto, o excesso de gordura se acumula no fígado, na cintura e também dentro das artérias dificultando a passagem do sangue, e isso aumenta o risco de doenças cardíacas.

Por isso, estar dentro do peso ideal é importante para aumentar a saúde, prevenindo doenças cardiovasculares e aumentar a qualidade de vida. Assim, quem está abaixo do peso deve aumentar o volume muscular para aumentar de peso de forma saudável e quem está acima do peso, deve queimar gordura para ganhar saúde.

Saiba se a criança está no peso ideal e como faze-la chegar a este peso clicando aqui.

IMC: o que é e como se calcula o Índice de Massa Corporal

É um dos indicadores mais utilizados para identificar casos de obesidade, mas também de défice ou de excesso de peso. O Índice de Massa Corporal (IMC) avalia a relação entre o peso e a altura de cada pessoa.

“As evidências científicas sugerem que valores mais altos de IMC estão associados a níveis mais elevados de massa gorda e a um risco mais elevado de doenças cardiovasculares e metabólicas, a  perturbações respiratórias, alguns tipos de cancro e a problemas ortopédicos”, explica o fisiologista do exercício Hugo Vieira Pereira.

E diz: “O IMC utiliza-se sobretudo em estudos de larga escala para avaliar o estado de saúde, normalmente de populações, pois está fortemente associado à generalidade das doenças crónicas não transmissíveis e é relativamente simples de medir”.

Como se calcula o IMC

Para obter o IMC basta dividir o peso (kg) pelo quadrado da altura (m2). Isto significa, por exemplo, que uma pessoa com 60 kg e 1,65m tem um Índice de Massa Corporal de 22,06, resultado do seguinte cálculo: 60/ (1,65 x 1,65).

Para que a informação seja fidedigna, sublinha Hugo Vieira Pereira, é fundamental que os dados sejam cuidadosamente registados:

  • O peso deve ser avaliado em jejum, depois de se ir à casa de banho
  • A altura deve ser medida com a pessoa descalça, mantendo o tronco e a cabeça retos.

Valores de referência

Por si só, o IMC não permite perceber se o peso está adequado à altura. Para que isso aconteça é preciso compará-lo com as tabelas de referência da Organização Mundial de Saúde (OMS). Estas são compostas por intervalos numéricos associados a uma classificação: baixo peso, peso normal, excesso de peso e obesidade. Os valores são os seguintes:

Classificação IMC (kg/m2)
Baixo peso 40

Quer o IMC seja inferior a 18,5 ou igual ou superior a 25, deverá procurar um especialista para  diagnóstico e tratamento adequados. Valores baixos de IMC podem dever-se, por exemplo, a distúrbios alimentares, enquanto valores altos traduzem quadros de excesso de peso e obesidade. Valores fora do intervalo normal podem estar associados a várias complicações de saúde.

Cuidados a ter na interpretação do IMC

O IMC avalia a massa corporal, mas não nos diz nada sobre a sua constituição – massa gorda ou massa magra – nem sobre a sua distribuição. Desta forma, para se chegar a conclusões fiáveis sobre o estado de saúde, o IMC deve ser interpretado com precaução e contextualizado por outros indicadores de saúde.

Por exemplo:

  • Um atleta e uma pessoa com excesso de peso podem medir e pesar exatamente o mesmo. Neste caso, terão o mesmo IMC, mas este traduzirá estados de saúde muito diferentes.
  • Podemos ter um IMC associado a um peso normal, tendo ainda assim demasiada gordura na barriga, por exemplo, o que não é saudável. “A gordura acumulada no tronco (androide) está mais relacionada com as doenças cardiovasculares e metabólicas do que a distribuída pelos membros (ginoide)”, afirma o fisiologista do exercício.

Indicadores complementares

Existem outros métodos para analisar a saúde com base nas medidas corporais que devem complementar a informação do IMC. Os principais são:

É um dos indicadores que permitem avaliar o padrão de distribuição da gordura, neste caso a existente no abdómen. Pode ser registado ao nível do umbigo, diz Hugo Vieira Pereira, e segundo a Fundação Portuguesa de Cardiologia, deve ser inferior a 94 cm nos homens e a 80 cm nas mulheres.

Leia também:  Como Saber De Quem É Um Carro?

Valores acima destes estão associados a maior risco de doenças como a hipertensão, diabetes, obesidade e hipercolesterolemia.

Perímetros abdominais superiores a 102 cm nos homens e a 88 cm nas mulheres tornam o risco de doença cardiovascular “muito elevado”.

Trata-se de um exame que, através da colocação de sensores, permite analisar a composição corporal, avaliando parâmetros como os níveis de água, de massa muscular, de massa gorda e o metabolismo basal. Com base nos resultados, é possível identificar depois alterações nutricionais e de hidratação.

Sabia que….

Recentemente surgiram evidências científicas sobre a relação entre perímetro do pescoço e a saúde? “O desenvolvimento do protocolo e dos valores de corte ainda está numa fase inicial, mas é possível que venham a ser adotados como medida de estratificação do risco de doença”, revela Hugo Vieira Pereira.

URO/2017/0035/PTds, MAR19

CALCULE O SEU PESO IDEAL E IMC

Em medicina, o conceito de peso ideal nada tem a ver com estética ou com padrões culturais. O que chamamos de peso ideal é o peso corporal que não está associado a um aumento do risco de desenvolver doenças.

Existe ampla literatura científica demonstrando que o excesso de peso aumenta o risco de problemas de saúde e reduz a expectativa de vida. Pessoas obesas ou com sobrepeso, por exemplo, apresentam uma maior incidências de problemas cardiovasculares, diabetes, hipertensão, apneia do sono e até de alguns tipos de câncer.

Mas não é só o excesso de peso que é considerado danoso à saúde, pessoas com peso corporal abaixo do normal também apresentam maior taxa de mortalidade.

O baixo peso pode ser um sinal de transtorno psiquiátrico, como nos casos de anorexia nervosa, como também pode indicar a existência de uma doença grave que provoque perda de peso não intencional, como são os casos do câncer ou da AIDS.

O que é o índice de massa corporal (IMC)?

O conceito de peso ideal é obtido através do cálculo do índice de massa corporal (IMC). Peso ideal e IMC ideal são conceitos semelhantes. Vamos explicar.

O índice de massa corporal é um indicador adotado pela OMS (Organização Mundial de Saúde), que é usado para o diagnóstico do baixo peso, sobrepeso e da obesidade. O IMC pode ser facilmente calculado a partir de dois simples dados: peso e altura. A fórmula é simples:

IMC = peso (em quilos) ÷ altura² (em metros)

Os resultados do IMC são interpretados da seguinte forma:

  • Baixo peso muito grave = abaixo de 16 kg/m².
  • Baixo peso grave = entre 16 e 16,99 kg/m².
  • Baixo peso = entre 17 e 18,49 kg/m².
  • Peso normal = entre 18,50 e 24,99 kg/m².
  • Sobrepeso = entre 25 e 29,99 kg/m².
  • Obesidade grau I = entre 30 e 34,99 kg/m².
  • Obesidade grau II = entre 35 e 39,99 kg/m².
  • Obesidade grau III (obesidade mórbida) = maior que 40 kg/m².

Como é fácil deduzir, você deve procurar ter um IMC na faixa normal, ou seja, entre 18,50 e 24,99 kg/m².

Os valores de IMC fornecidos acima são para a população adulta, entre 20 e 65 anos. O cálculo do IMC para idosos, crianças e adolescentes será explicado ao final do texto.

Valores acima ou abaixo da faixa de normalidade estão associados a um maior risco de doenças e uma redução na expectativa de vida. Quanto mais afastado da faixa de IMC ideal você estiver, seja para mais ou para menos, maior é o risco de você desenvolver problemas de saúde.

O índice de massa corporal é um relevante indicador de saúde, cuja utilidade já foi comprovada por vários estudos científicos.

Calculadora de IMC

Tabela de IMC

Além da calculadora e do cálculo feito á mão com a formula, uma outra maneira de se calcular o índice de massa corporal é através das tabelas de IMC.

A tabela fornecida abaixo é um dos vários exemplos disponíveis. Procure a linha que corresponde ao seu peso e altura e veja qual é a sua classificação de acordo com o IMC.

Tabela de peso ideal

Cálculo do peso ideal

O conceito de um peso ideal vem sendo debatido há décadas sem que tenhamos chegado a um consenso.

O que a maioria dos médicos e nutricionistas concordam é que o peso saudável deve ser individualizado para cada pessoa, de acordo com o sexo, idade, altura, biotipo e existência ou não de doenças associadas.

Diversas fórmulas foram desenvolvidas ao longo dos anos, de forma a tentar encontrar um modo das pessoas saberem qual seria o peso ideal ou o peso saudável. A calculadora abaixo é uma dessas opções.

Calculadora de peso ideal

O problema da maioria das fórmulas é que elas levam pouco dados clínicos em consideração e frequentemente apresentam resultados distintos entre si.

Por exemplo: na calculadora que fornecemos acima, um homem de um metro e oitenta tem estipulado como peso ideal 72 kg. Mas as outras fórmulas existentes fornecem os seguintes resultados para esse mesmo indivíduo:

  • Pela fórmula de Hamwi (1964), o peso ideal seria 77,3 kg.
  • Pela fórmula de Devine (1974), o peso ideal seria 75,0 kg.
  • Pela fórmula de Robinson (1983), o peso ideal seria 72,6 kg.
  • Pela fórmula de Miller (1983), o peso ideal seria 71,5 kg.

Portanto, dependendo da fórmula utilizada, o peso ideal para um homem de 1,80 metro poderia variar de 71,5 kg até 77,3 kg.

Como descobrir o peso ideal?

Na verdade, apesar de fornecerem resultados que discordam em quase 6 quilos, nenhuma das fórmulas acima está complemente errada. O conceito atual de peso ideal está intimamente ligado ao IMC.

O ideal é que você tente se manter dentro da faixa de IMC normal, ou seja, entre 18,50 e 24,99 kg/m².

O que a maioria das fórmulas de peso ideal tenta é encontrar um peso que faça com que o paciente fique mais ou menos ao redor de 22 ou 23 kg/m².

Seguindo essa lógica, para o nosso hipotético exemplo de um homem de 1,80m, qualquer peso entre a faixa de 60 kg e 81kg faria com que ele se enquadrasse dentro do conceito de IMC normal.

Obviamente, com algo em torno de 60 kg (IMC = 18,52 kg/m²) ou de 81 kg (25 kg/m²), o nosso exemplo estaria muito próximo do baixo peso ou do sobrepeso, respectivamente, o que de certa forma não dá para ser considerado peso ideal.

Portanto, levando em conta tudo o que foi discutido até agora, faz sentido considerar que o peso ideal seria aquele que mantivesse o indivíduo com um IMC normal, mas com alguma margem de segurança entre os limites. É por isso que a maioria das fórmulas mira um IMC entre 20 e 23 kg/m².

Peso ideal não é tudo

É importante destacar que estar no peso ideal é apenas um dos fatores para se ter uma vida saudável. Tão importante quanto o peso são a prática de exercícios físicos, uma dieta equilibrada, uma quantidade adequada de sono por noite e o evitamento de substâncias nocivas à saúde, tais como o cigarro, o álcool em excesso ou outras drogas.

Peso ideal na gravidez

A gravidez é uma situação especial. O ganho de peso não só é esperado como também é inevitável. Não há como uma mulher grávida não ganhar alguns quilos de peso ao longo da sua gravidez. Porém, da mesma forma que ocorre com as mulheres não grávidas, um ganho excessivo ou insuficiente de peso estão ligados a complicações de saúde (da mãe e do bebê).

A maior parte do ganho de peso na gravidez ocorre no 2º e no 3º trimestre.

No primeiro trimestre, o ganho de peso é pequeno, variando entre 0,5 a 2,0 kg. Não só não há nenhuma necessidade de engordar nesta fase, como é difícil fazê-lo, já que é nas primeiras semanas de gravidez, a gestante costuma ter enjoos e vômitos frequentemente (leia: ENJOOS E VÔMITOS NA GRAVIDEZ).

A partir do segundo trimestre de gravidez, o ganho de peso acelera-se, devendo ficar em torno de 0,5 kg por semana.

O ganho de peso total durante a gravidez deve variar de acordo com o IMC prévio da gestante. Os valores atualmente indicados são os seguintes:

  • IMC menor que 18.5 kg/m2 (baixo peso) → ganho de peso gestacional desejado entre 12.5 e 18.0 kg.
  • IMC entre 18.5 e 24.9 kg/m2 (peso normal) → ganho de peso gestacional desejado entre 11.5 e 16.0 kg.
  • IMC entre 25.0 e 29.9 kg/m2 (sobrepeso) → ganho de peso gestacional desejado entre 7.0 e 11.5 kg.
  • IMC maior que 30.0 kg/m2 (obesidade) → ganho de peso gestacional desejado entre 5.0 e 9.0 kg.

Explicamos o ganho de peso na gravidez com detalhes no seguinte artigo: GANHO DE PESO NA GRAVIDEZ.

Cálculo do IMC em idosos

Os idosos têm menos massa muscular que os adultos jovens e, por isso, o cálculo do IMC não costuma ter na população mais idosa o mesmo significado que no resto da população adulta.

Enquanto nos adultos um índice de massa corporal acima de 25 kg/m² está claramente associado a um aumento na incidência de doenças e a um maior risco de morte precoce, nos idosos isso não parece ser verdade.

Há cada vez mais estudos que mostram que os valores de peso ideal sugeridos pelo IMC não se adéquam à população idosa. Por isso, foi proposta uma nova tabela de índice de massa corporal, concebida especialmente para a população com mais de 65 anos.

A forma de calcular o IMC é exatamente igual, porém, os resultados devem ser interpretados da seguinte forma:

Índice de massa corporal para mulheres acima de 65 anos:

  • Baixo peso = abaixo de 21,9 kg/m².
  • Peso normal = entre 22 e 27 kg/m².
  • Sobrepeso = entre 27,1 e 32 kg/m².
  • Obesidade grau I =  entre 32,1 e 37 kg/m².
  • Obesidade grau II = entre 37,1 e 41,9 kg/m².
  • Obesidade grau III (obesidade mórbida) = maior que 42 kg/m².

Índice de massa corporal para homens acima de 65 anos:

  • Baixo peso = abaixo de 21,9 kg/m².
  • Peso normal =  entre 22 e 27 kg/m².
  • Sobrepeso = entre 27,1 e 30 kg/m².
  • Obesidade grau I = entre 30,1 e 35 kg/m².
  • Obesidade grau II = entre 35,1 e 39,9 kg/m².
  • Obesidade grau III (obesidade mórbida) = maior que 40 kg/m².

Cálculo do IMC nas crianças

Os valores do índice de massa corporal do adulto também não são os mais adequados para crianças e adolescentes. Assim como nos idosos, o cálculo do IMC é o mesmo, mas a interpretação dos resultados é diferente nas crianças.

O processo deve ser feito da seguinte forma: primeiro você deve calcular o IMC através da fórmula tradicional (ou pela calculadora de IMC), depois, com a tabela de idade e sexo fornecida abaixo, veja em que percentil o valor encontrado de índice de massa corporal se encaixa. Os resultados devem ser interpretados da seguinte forma:

  • Baixo peso = abaixo do percentil 5.
  • Peso normal = entre o percentil 5 e 85.
  • Sobrepeso = entre o percentil 85 e 95.
  • Obesidade = acima do percentil 95.

Tabela de IMC em meninos Tabela de IMC em meninas

Sendo o paciente criança, adolescente, adulto ou idoso, o ideal é sempre ter como alvo um IMC dentro da faixa da normalidade. Se você estiver com IMC normal, você estará dentro do peso ideal.

Referências

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*