Como É Que Se Apanha Piolhos?

O piolho que infesta os cabelos de muitas pessoas é um inseto que se alimenta do sangue dos mamíferos e se reproduz com grande rapidez.

Esses animaizinhos podem ser encontrados em todas as regiões do mundo e podem parasitar as cabeças de pessoas de todas as idades, raças e classes sociais.

São encontrados mais comumente nas cabeças de crianças, principalmente aquelas que frequentam escolas e estão em contato com outras crianças.

Como É Que Se Apanha Piolhos? Qualquer pessoa, seja criança ou adulta, pode ser infectada por piolhos

O piolho é transmitido principalmente de uma pessoa para a outra pelo contato direto, mas também podemos pegá-lo através do uso compartilhado de bonés, capacetes, tiaras de cabelo, escovas e pentes.

Uma vez em nossa cabeça, o piolho se instala na base de nosso cabelo e é lá que ele coloca seus ovos, muito conhecidos como lêndeas. As lêndeas têm cor branca e ficam grudadas nos fios de cabelos.

Como É Que Se Apanha Piolhos? Na figura podemos observar uma lêndea presa a um fio de cabelo

Ao picar o couro cabeludo da sua vítima para se alimentar, o piolho libera algumas substâncias na sua saliva que entram em contato com a nossa pele, o que causa uma sensação de coceira. Por isso, quando estamos com piolho há uma coceira muito intensa na cabeça e, em razão do ato de coçar, podem surgir feridas no couro cabeludo.

Geralmente, poucos piolhos infestam o couro cabeludo, por isso é um pouco difícil encontrá-los entre os cabelos, mas se a pessoa tiver maus hábitos de higiene, os poucos piolhos começam a se reproduzir e a infestação de piolhos piora, podendo causar anemias e até infecções.

Como É Que Se Apanha Piolhos? O piolho é transmitido de uma pessoa para outra pelo contato direto

O tratamento para piolho é feito com a aplicação nos cabelos de medicamentos específicos, próprios para acabar com os piolhos, como xampus e loções, ou também na forma de comprimidos. É importante lembrar que qualquer um desses medicamentos deve ser prescrito por um médico para evitar qualquer tipo de complicação.

Outra forma de se acabar com os piolhos é utilizando produtos encontrados em casa, como condicionador, azeite de oliva ou óleo de cozinha.

Para isso, basta lavar os cabelos com xampu e embebedá-los completamente com um dos ingredientes acima. Feito isso, coloque uma touca nos cabelos e deixe-a por no mínimo duas horas.

Passado o tempo, retire a touca, lave os cabelos, seque e penteie com o pente fino para verificar se restou algum piolho.

Como É Que Se Apanha Piolhos? Passar o pente fino nos cabelos é uma forma de encontrar piolhos e lêndeas

O tratamento feito em casa mata os piolhos por sufocamento, mas eles costumam ficar grudados nos cabelos, mesmo mortos. O uso do condicionador e do óleo facilita a retirada das lêndeas, mas somente esse tipo de tratamento, assim como o feito com produtos da farmácia, não consegue matá-las, sendo por isso necessário repeti-lo mais vezes.

É importante lembrar que piolhos também gostam de cabelos limpos, portanto manter os cabelos lavados não mudará em nada o risco de contaminação. Uma forma de se prevenir desses insetos é evitando o uso de pentes, tiaras de cabelos, bonés, capacetes, lenços, presilhas de cabelo, etc. de outras pessoas.

  • Nas aves também podemos encontrar piolhos, mas ao contrário dos piolhos que parasitam os mamíferos, eles não se alimentam de sangue, e sim das penas das aves.
  • Por Paula Louredo
  • Graduada em Biologia

Piolho: trasmissão, sintoma, tratamento, prevenção

O piolho é um inseto ectoparasita que estabelece uma relação desarmônica com os seres humanos. Alimentando-se do nosso sangue, o piolho é responsável por desencadear uma doença chamada pediculose.

Três tipos de pediculose são reconhecidos: a da cabeça, a do corpo e a da região pubiana.

A pediculose da cabeça é uma doença muito comum em crianças em idade escolar e destaca-se por ser o mais conhecido tipo de pediculose, sendo assim, maior ênfase será dada a ela neste texto.

Leia também: Parasitismo – relação ecológia interespecífica e desarmônica

O que é o piolho

O piolho é um inseto áptero (sem asas) que se alimenta de sangue e parasita os seres humanos. Ele pode ser encontrado na cabeça, no corpo e na região pubiana.

Os piolhos da cabeça desenvolvem-se nessa região e apresentam nome científico Pediculus humanus capitis. São, sem dúvidas, os mais conhecidos. O piolho do corpo é chamado de Pediculus humanus corporis, e seu nome popular é “muquirana”.

Por fim, o piolho da região pubiana recebe o nome de Phthirus pubis e popularmente é conhecido como “chato”.

Como É Que Se Apanha Piolhos? O piolho é um inseto que não apresenta asas, sendo transmitido por contato ou objetos pessoais.

Durante o desenvolvimento, o piolho passa por três estágios: ovo, ninfa e adulto. Os ovos, conhecidos como lêndeas, são depositados pelo piolho da cabeça bem próximo da região da raiz dos cabelos. Esses ovos apresentam um espécie de cola, o que lhes garante maior aderência aos fios. Durante sua vida, um piolho fêmea pode produzir cerca de 300 ovos.

Após eclodirem, cerca de sete a 10 dias após a deposição, surge a ninfa. Ela se desenvolve e, após, aproximadamente, 12 dias, atinge a fase adulta.

A fase adulta é mais difícil de ser visualizada, uma vez que, geralmente, os piolhos adultos são pouco numerosos.

Eles são encontrados com maior frequência na região occipital e auricular posterior, ou seja, na parte de trás da cabeça.

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉

Transmissão do piolho

Os piolhos são transmitidos por meio do contato direto com uma pessoa que os tenha. No caso do piolho da cabeça, você pode adquiri-lo, por exemplo, encostando sua cabeça na de outra pessoa.

Além disso, emprestar objetos de uso pessoal também pode garantir a transmissão.

Escovas de cabelo, prendedores, lenços, bandanas, capacetes, chapéus e bonés, por exemplo, podem proporcionar a disseminação da doença.

A pediculose da cabeça é muito comum em crianças em fase escolar, uma vez que elas costumam ter contato próximo com os colegas, o que facilita o contágio.

Um fato curioso é que algumas crianças não sentem a coceira característica causada pelo piolho, o que pode favorecer ainda mais a disseminação.

É importante deixar claro que a transmissão do piolho não está relacionada com falta de higiene.

No caso do piolho de corpo, esse pode ser transmitido por compartilhamento de roupas. A pediculose pubiana, por sua, vez pode ser adquirida por contato sexual.

Sintomas da pediculose

Como É Que Se Apanha Piolhos? Na pediculose da cabeça, é possível observar facilmente a presença dos ovos do parasita próximo da raiz do cabelo.

A pediculose pode causar alguns sintomas, sendo o principal deles a coceira intensa, desencadeada por substâncias anestésicas e anticoagulantes liberadas pelo parasita no momento de sua alimentação. No caso da pediculose de cabeça, a região geralmente mais acometida é a parte de trás dessa parte do corpo. Além da coceira, pontos avermelhados podem surgir, bem como ferimentos, devido ao ato de coçar, o que pode conduzir a infecções secundárias. Ínguas na região da nuca e atrás das orelhas podem também se desenvolver nesses casos.

Nas pediculoses do corpo e pubiana, a coceira está também presente. Pequenas lesões hemorrágicas e pápulas podem ser observadas no tronco, abdome e glúteo de pessoas com pediculose de corpo.

No caso da pediculose pubiana, pode-se observar na região manchas violáceas e escoriações. Assim como na pediculose da cabeça,nas pediculoses pubiana e do corpo também podem ser observadas infecções secundárias.

Leia também: Dermatite atópica – doença inflamatória da pele, crônica e recidivante

Tratamento da pediculose

O tratamento da pediculose da cabeça envolve o uso de shampoos especiais e a retirada, com pente fino ou manualmente, dos piolhos e lêndeas. Em alguns casos, a medicação oral pode ser recomendada pelo médico. Vale destacar que, mesmo após o uso de shampoos, loções ou medicamento oral, deve-se retirar as lêndeas, pois esses produtos não as eliminam.

As lêndeas podem ser retiradas utilizando-se uma mistura de água e vinagre na proporção de 1:1 (partes iguais). O uso do vinagre ajuda a soltá-las dos fios.

Para a retirada, pode-se embeber os cabelos com a mistura, aguardar por meia hora, e depois usar o pente fino ou mesmo as mãos.

Pode-se, também, molhar o algodão na mistura e ir passando nos fios de cabelo, da região da raiz até as pontas.

Como É Que Se Apanha Piolhos? A retirada de piolhos e lêndeas manualmente é uma forma de tratar a pediculose.

Todas as pessoas que têm contato com o indivíduo com pediculose da cabeça devem fazer o tratamento. É por isso que as escolas devem estar atentas a essa questão, pois um aluno com a doença pode ser responsável por uma infestação.

Leia mais: Relação ecológicas – interespecíficas ou intraespecíficas, harmônicas ou desarmônicas

Prevenção da pediculose

As principais maneiras de prevenir-se as diversas formas de pediculose são: evitando o contato com pessoas infectadas pelo piolho e não compartilhando objetos de uso pessoal. É importante que os responsáveis de crianças em idade escolar façam com frequência a observação do couro cabeludo delas e, se possível, realizem com frequência a passagem do pente fino.

É importante lembrar que a pediculose da cabeça é uma questão que deve ser comunicada às escolas e creches, pois, mesmo que uma pessoa faça o tratamento de uma criança, ela pode recontaminar-se caso não seja feito um esforço coletivo para barrar o problema.

Publicado por: Vanessa Sardinha dos Santos

Como prevenir e combater piolho em crianças e adultos

Como É Que Se Apanha Piolhos?

Crédito: Kliim/istockAglomerações são propícias a infestações de piolhos

Difícil passar pelos primeiros anos letivos ileso a piolho. Que mãe ou pai não ficou de cabelo em pé diante de uma infestação na escola do filho? E o alarde não é para menos, se uma única criança for afetada, uma turma inteira pode sofrer infestação.

Leia também:  Como Saber No Que Sou Bom?

E por que piolhos são mais comuns na cabeça dos pequenos? A explicação é simples, é que a propagação se dá por meio de contato direto, sendo a aglomeração em escolas e creches a situação propícia para esses parasitas se proliferarem.

No couro cabeludo, esses pequenos insetos se alimentam de sangue e depositam seus ovos, as chamadas lêndeas, aqueles pontinhos brancos que ficam agarrados aos fios de cabelo. Em, no máximo 10 dias, esses ovos eclodem dando início à infestação, que apresenta os primeiros sinais com a coceira intensa.

A dermatose causada pelos piolhos é chamada de pediculose e há três tipos: a pediculose do couro cabeludo, do corpo e a pediculose pubiana (“chato”). Essa última pode ser adquirida via sexual.

Como os piolhos não são fáceis de tratar, já que eles se multiplicam muito rapidamente, prevenir uma infestação pode evitar muitos problemas. Vamos listar a seguir algumas medidas simples:

Como prevenir piolhos e evitar infestação

  • Examine com frequência a cabeça de crianças;
  • Não compartilhe itens que tocam a cabeça como pentes, toalhas, grampos, chapéus, capacetes e fones de ouvido;
  • Troque roupas de cama rotineiramente;
  • É recomendável mandar à escola crianças com os cabelos presos;
  • Não armazene roupas que possivelmente estejam infestadas de piolhos ou travesseiros, cobertores em armários;
  • Mantenha escovas de cabelos ou outros utensílios submersos em água quente por 10 minutos. (Piolhos morrem em menos de 48 horas sem se alimentar de sangue).

MÃE MOSTRA FILHA COM INFESTAÇÃO DE PIOLHOS E VÍDEO VIRALIZA

Como tratar piolho

Como É Que Se Apanha Piolhos?

Crédito: Narong sutinkham/istockPiolhos se instalam na base do cabelo, onde se alimentam de sangue

  • Roupas e utensílios pessoais de pano usados nas últimas 48 horas devem ser lavados com água em temperatura acima de 50 graus Celsius e/ou secados em máquinas de secar roupas nas mais altas temperaturas;
  • Pentear o cabelo molhado com pente fino para retirada das lêndeas;
  • Medicação oral, apenas se orientada por um médico;
  • É fundamental o tratamento dos familiares. Raramente é necessário o corte de cabelos de pessoas acometidas.

Ainda é recomendado que continue a examinar a cabeça de crianças por duas ou três semanas após o fim do tratamento para certificar-se de que o problema tenha sido, de fato, controlado.

Embora acredita-se na relação piolho e falta de higiene, o pesquisador do Instituto Oswaldo Cruz (IOC) da Fiocruz, Julio Vianna Barbosa, esclarece que não é bem assim. “Pelo contrário, piolho gosta de cabelo limpo. Por isso, quem lava o cabelo diariamente também pode ter piolho”, afirma.

O especialista também explica que, ao contrário do que todos imaginam, o piolho não pula e nem voa de uma cabeça para a outra. “Ele pode ser carregado pelo vento, porque é leve. Além disso, passa de uma cabeça para outra pelo contato direto”.

Confira abaixo, no infográfico da Fiocruz, alguns mitos e verdades sobre piolho:

Como É Que Se Apanha Piolhos?

Veja também: Piolho chato: prevenção deve ser feita com higiene íntima

Piolhos – Como se Propagam? Como se previnem? Como se eliminam?

  • Poucas são as pessoas que ao longo da sua vida não sofreram de pediculose capilar, ou seja, poucas são as pessoas que não tiveram piolhos!
  • Quando temos conhecimento de que alguém que está próximo de nós tem piolhos, a primeira reacção é quase como que de uma comichão instantânea.
  • Mas calma, é fácil ser contagiado com estes parasitas mas, com o devido conhecimento, tal situação certamente não chega acontecer.

Os piolhos não voam nem saltam, o que significa que o seu contágio pode apenas ser feito por contacto directo. A situação mais frequente é o contágio ocorrer pelo contacto de cabeça para cabeça, ou através da partilha de escovas e é nas alturas do verão e do regresso às aulas que a propagação pode ser maior, já que os piolhos gostam de meios húmidos e quentes.

Além disso, os piolhos são extremamente resistentes, pois sobrevivem até dois dias sem se alimentarem e ainda resistem à água.

Têm 6 patas, um aspeto oval, e medem entre 2 e 4 mm. As fêmeas piolho põem cerca de 10 ovos diariamente, que se fixam aos fios do cabelo, perto do couro cabeludo, em pequenos saquinhos microscópicos brancos, chamados lêndeas.

Ao contrário do que possa pensar, estes parasitas não procuram preferencialmente cabeças sujas e o seu contágio em nada se relaciona com higiene, na verdade até têm uma certa tendência para preferir cabeças bem limpas.

Na verdade, qualquer cabeça limpa, suja, loira, ruiva, morena, de menino, de menina, dos pais, dos professores ou educadores são suscetíveis ao contágio deste parasita. Os piolhos surgem mais frequentemente em raparigas, devido aos cabelos compridos e à sua maior proximidade física durante as brincadeiras, o que facilita o contágio.

Os piolhos afetam anualmente cerca de 40% das crianças em idade escolar, de qualquer classe socio-económica ou cultural. 

COMO PREVENIR:

– Inspeccionar a cabeça:

Deve inspecionar periodicamente a cabeça da criança e restantes membros da família, caso desconfie que alguém possa ter o parasita, especialmente nas zonas mais húmidas, na nuca e atrás das orelhas.. 

– Evitar partilhar roupas e chapéus:

Ao brincar, as crianças têm maior contacto umas com as outras. É essencial incentivar as crianças a não partilhar roupas, lenços, chapéus, almofadas, escovas ou pentes, de forma a diminuir o risco de contágio.

– Desifectar a sua casa:

Lave a roupa de cama a 60°C. Aspire a casa e o carro, e deite fora o saco do aspirador.

– Usar touca na piscina:

É essencial incentivar o uso de touca de banho na piscina. Dado que os piolhos resistem à água, é um local com grande risco de contágio.

– Usar sprays repelentes:

  1. Ajudam a prevenir reinfestação e proporcionam uma proteção diária prolongada e eficaz contra os piolhos.
  2. A utilização destes produtos não invalida a verificação do couro cabeludo com alguma regularidade.
  3. Neste tipo de produtos, sugerimos: Paranix Repel, Stop Piolhos Prevenção.

COMO ELIMINAR:

 – Colocar uma toalha branca:

Coloque uma toalha branca sobre os ombros da criança. Em seguida, passe um pente de dentes finos. No final verifique se identifica algum piolho sobre a toalha. 

– Fazer o tratamento no cabelo seco:

O primeiro passo é preferencialmente eliminar a seco. Se o cabelo estiver seco, proporciona uma maior concentração do tratamento e evita o contato com os olhos.

Nesta fase temos várias sugestões de tratamento: Stop Piolhos, Parasidose, Paranix ou Quitoso Neo.

– Usar um pente de dentes finos:

Após a aplicação do tratamento é essencial a  utilização de um pente de dentes finos, quer para a remoção dos piolhos mortos, quer das lêndeas, no caso de meninas com cabelos compridos aconselhamos o uso bastante amaciador, na lavagem posterior ao tratamento, pois facilita a passagem do pente sem a tornar dolorosa.

A Farmácia da Penha relembra ainda que a prevenção é o melhor tratamento.

Piolhos? Mas como? | Casa de Saúde da Boavista

O que são os piolhos?
Os piolhos (Pediculus humanus capitis) são pequenos parasitas que se instalam na cabeça dos seres humanos.

Não transmitem doença, mas constituem uma importante causa de absentismo escolar, alarme social e custo económico.
São insetos muito pequenos, de cor castanho-acinzentado, com cerca de 2,5 mm de comprimento, sem asas.

Não voam, nem saltam, sendo o seu contágio unicamente pelo contato “cabeça a cabeça”.

Os piolhos alimentam-se de sangue do couro cabeludo, provocam coceira e manchas vermelhas, devido à saliva injetada durante a picada. Um piolho vive de 3 a 4 semanas e tem um ciclo reprodutivo de cerca de 21 dias. Nessa altura, a fêmea do piolho liberta cerca de 10 ovos (lêndeas) por dia. As lêndeas aparecem em 7 a 10 dias.

Quando e como acontece o contágio?
O regresso às aulas, devido ao contacto mais próximo entre as crianças, constitui o período mais propício ao contágio. Além do contacto próximo (cabeça-a-cabeça), também é comum a transmissão através da partilha de chapéus, escovas e outros objetos pessoais de pessoas contaminadas.

O simples ato de pendurar a roupa (infetada) junto de outra no bengaleiro da escola é suficiente para fazer proliferar esta ‘praga’ num estabelecimento de ensino, e mesmo dentro das próprias famílias.

Quem pode ser afetado?
Ninguém está livre. Tanto pode afetar crianças pobres como crianças de classe média e alta, cabelos curtos ou compridos. A presença de piolhos não é sinal de falta de higiene, pois eles preferem um ambiente seco, fino, não gorduroso e limpo. Os cabelos das crianças, muitas vezes, preenchem essas condições e, portanto, são os mais afetados.

Como se descobrem?
A presença de piolhos confirma-se pela vigilância da cabeça. Os piolhos são castanho-acinzentados; se forem notadas pequenas bolinhas brancas, parecidas com caspa ou com areia, são as lêndeas.

O passo seguinte é confirmar, com recurso a um pente de piolhos – um pente de plástico com dentes muito unidos, com menos de 0,3 milímetro de espaçamento.

Quais os tratamentos disponíveis?
Existem dois tipos de tratamento: o tratamento químico com inseticida e o tratamento mecânico com ação física.

Em qualquer tipo de tratamento, é recomendável a sua repetição uma semana depois.

Tratamento químico: o que é e como se faz?
O tratamento químico é o mais tradicional e, até há pouco tempo, o mais eficaz e de eleição. Em Portugal, está disponível apenas e permetrina, a 1% no medicamento Nix, e a 2% no medicamento Quitoso.

Atua, destruindo os piolhos, ao causar alterações eletroquímicas na membrana celular. Também intervém sobre os seus ovos, mas nem sempre de forma eficaz.

Após enxaguar o cabelo, o produto deve ser aplicado, cobrindo todo o couro cabeludo, esfregando abundantemente em toda a extensão, principalmente atrás das orelhas e na nuca, onde os piolhos e as lêndeas se concentram mais.
O produto não deve estar mais de 10 minutos em contacto com o couro cabeludo.

O tratamento deve ser repetido 7 a 10 dias depois, uma vez que os ovos dos piolhos, lêndeas, surgem entre os 7 e os 10 dias. O seu risco de toxicidade é reduzido. Ainda assim, não está indicado o seu uso em grávidas e em menores de 2 anos

Nos últimos anos, a permetrina perdeu muito da sua eficácia, principalmente por causa do aumento de piolhos resistentes a esta molécula.

Leia também:  Como Reparar Um Pc Que Nao Arranca?

Tratamento mecânico: o que é e como se faz?
Começa a ser para muitos autores, a opção de primeira escolha. É eficaz, na maioria dos casos, e apresenta poucos efeitos colaterais, daí a sua popularidade.

A sua composição é à base de silicones que, cobrindo o piolho com filme oclusivo, perturba o seu equilíbrio hídrico e/ou causa a sua asfixia. Atuam, na sua maioria, por asfixia (ação sufocante). A dimeticona é o composto mais utilizado e está presente no Stop-Piolhos, loção e champô a 5%, Licidin loção, Neo Quitoso Plus 100 e Piky solução cutânea.

A dimeticona obstrui especialmente os orifícios, ou aberturas respiratórias, do piolho, levando à sua morte. O tratamento é inodoro e não absorvido através do couro cabeludo, sendo raros os casos de resistência.
Paranix champô e spray é indicado para crianças, a partir dos dois anos de idade.

Possui uma fórmula (silicone e óleos minerais) que fornece uma dupla ação mecânica de desidratação e asfixia atacando os piolhos e os seus ovos. Deve atuar durante 15 minutos para o sucesso do tratamento.

Loção Anti-Piolhos Fullmark atua em apenas 10 minutos. O seu método de ação permite matar os piolhos, provocando a sua desidratação. É uma combinação, original patenteada, de Miristato de Isopropil e Ciclometicone, dois ingredientes amplamente utilizados na cosmética, que, quando combinados, eliminam os piolhos.

Outras formas e tratamento
Não faltam na literatura descrições de soluções caseiras. A mais popular é a utilização de vinagre. A solução resulta da mistura de um copo de vinagre com um copo de água morna.

Depois, com o auxílio de um pedacinho de algodão, espalhar em todo o couro cabeludo da pessoa infetada e cobrir o cabelo com uma touca, deixando agir durante 30 minutos, aproximadamente.

Com o cabelo seco, colocando uma toalha nos ombros, deve ser colocado um creme amaciador para o pente deslizar melhor. Passe o pente fino, mecha a mecha, da raiz à ponta do cabelo. A cada nova passagem, o pente deve ser observado para confirmar a presença de piolhos e deverá ser limpo.

Este procedimento deve ser repetido semanalmente, durante 1 mês. Se não aparecerem parasitas dá-se o tratamento por terminado; se aparecerem, o tratamento deverá ser repetido.

Nenhum tratamento fica completo sem a remoção mecânica dos parasitas com um pente adequado. É mesmo a medida terapêutica mais relevante. Não é uma tarefa fácil, pela sua morosidade e pela elevada adesividade dos piolhos ao cabelo e ao couro cabeludo.

Quando os piolhos voltam a aparecer?
Aquilo que, à partida, parece fácil de resolver pode assumir dimensões de drama em algumas famílias. Falamos do reaparecimento dos piolhos.

Na maioria dos casos, trata-se de reinfestação pelo contacto de novo com o piolho de outras crianças não tratadas, ou incorretamente tratadas, ou com piolhos e lêndeas que ficaram “escondidos” em objetos de contacto pessoal.

Mais raramente, pode tratar-se de uma resistência à terapêutica escolhida.

  • No primeiro caso, o mais comum, é importante identificar a fonte de contaminação; no segundo caso, terá de ser equacionado uma outra fórmula de tratamento.
  • Não sendo consensual, uma vez que os piolhos encontrados nas roupas não são viáveis, é recomendável que todos os objetos de contacto pessoal (pentes, tiaras, bonés, …) e tecidos das crianças (roupas, lençóis, toalhas, pelúcias…) sejam lavados a temperatura acima de 60°C, para diminuir as possibilidades de os piolhos aparecerem de novo.

Infestação de Piolhos – Distúrbios da pele – Manual MSD Versão Saúde para a Família

Existem vários tratamentos eficazes, vendidos com ou sem receita médica, disponíveis para o tratamento dos piolhos da cabeça.

  • Xampus e cremes vendidos sem receita, que contêm piretrinas juntamente com butóxido de piperonila, são aplicados durante dez minutos e, depois, enxaguados.
  • A permetrina vendida com receita (uma forma sintética da piretrina) é igualmente eficaz quando aplicada em líquido ou em creme.
  • O lindano (um medicamento vendido com receita que pode ser aplicado na forma de loção ou xampu) também cura a infestação de piolhos, porém não é tão eficaz quanto outros preparados e não é recomendado para crianças menores de dois anos, para mulheres grávidas ou lactantes ou para pessoas com distúrbio convulsivo, devido a possíveis efeitos colaterais tóxicos.
  • O Malathion vendido com receita é altamente eficaz na eliminação dos piolhos adultos e seus ovos, mas como é um produto inflamável e de odor desagradável, e deve permanecer na pessoa por um período de 8 a 12 horas, ele não é o primeiro tratamento prescrito pelos médicos.

Todos os tratamentos para piolho devem ser repetidos a cada 7 ou 10 dias para a eliminação dos piolhos recém-chocados. Os piolhos começaram a ficar resistentes aos medicamentos e podem ser difíceis de eliminar. Quando os piolhos resistem ao tratamento padrão, geralmente é administrado o medicamento ivermectina por via oral.

A maioria dos tratamentos também mata as lêndeas, porém não as remove. As lêndeas mortas não têm que ser removidas, mas os medicamentos nem sempre matam todas elas. Como nem sempre é possível distinguir entre lêndeas vivas e mortas, os médicos recomendam que elas sejam removidas.

Além disso, uma pequena porcentagem de crianças com lêndeas em seus couros cabeludos ainda tem piolhos vivos. A extração requer um pente de dentes finos, que é frequentemente fornecido com os produtos para remoção de piolhos, e uma procura minuciosa (daí o termo “catar lêndeas”).

Uma vez que as lêndeas estão firmemente agarradas ao cabelo, há vários preparados disponíveis (xampus, géis e sprays), vendidos sem receita, para soltá-las.

Ficar trinta minutos sob o secador de cabelos quente, também pode ajudar a matar as lêndeas (mas não os piolhos). As lêndeas são levadas do couro cabeludo à medida que os cabelos crescem.

Se não houver lêndeas em 0,6 cm do couro cabeludo, significa que a pessoa não apresenta piolhos vivos.

Em relação aos piolhos da cabeça, os médicos não têm boas evidências de que seja necessário limpar ou jogar fora os itens pessoais, ou afastar a pessoa da escola ou do trabalho.

Entretanto, vários especialistas recomendam que peças do vestuário ou roupas de cama contaminadas com as lêndeas dos piolhos sejam substituídas ou descontaminadas, através da lavagem completa ou limpeza a seco.

Esses itens devem provavelmente ser secos em uma secadora que atinja mais ou menos 54 ºC (130 °F), por cerca de 30 minutos.

Infestação por piolhos

Os piolhos da cabeça (Pediculus capitis) são insectos desprovidos de asas (não voam) que vivem no couro cabeludo da espécie humana, especialmente das crianças e jovens, e embora não transmitam nenhuma doença, podem causar comichão e são desagradáveis.

Todas as crianças podem tê-los, independentemente do seu nível de higiene, não devendo ser motivo de medo ou de vergonha.

Devido à extensão da infestação (fala-se de infestação no caso de parasitas, como os piolhos, e de infecção no caso de vírus e bactérias), é muito provável que os seus filhos tenham piolhos num momento ou noutro, e até mesmo que os descubram no colégio e o avisem de que deve eliminá-los. As instruções abaixo incluídas têm como objectivo mostrar-lhe como.

REALIDADES SOBRE OS PIOLHOS

Existem muitas crenças populares sobre os piolhos e é necessário saber o que corresponde de facto à verdade. A infestação por piolhos é a doença mais frequente na infância a seguir à constipação, sendo inclusive mais frequente do que as restantes infecções da infância juntas.

As crianças não têm piolhos por serem sujas ou pouco cuidadosas. Por conseguinte, uma higiene meticulosa não previne a infestação por piolhos.

O mais frequente é serem contagiados por contacto directo de cabeça para cabeça enquanto brincam com colegas infectados (o contágio por pentes ou chapéus é muito mais raro). Os piolhos não infestam mais as crianças com cabelo comprido.

Embora sejam ligeiramente mais frequentes nas raparigas, acredita-se que seja por terem tendência para estar mais em contacto directo com as amigas enquanto brincam do que os rapazes.

Os piolhos não voam nem saltam, o que limita o seu contágio ao contacto directo. No entanto, movem-se muito rapidamente entre o cabelo e fogem com facilidade. As crianças infestadas não costumam apresentar uma grande quantidade de piolhos, apenas alguns.

SINTOMAS DA INFESTAÇÃO POR PIOLHOS

Na maioria das vezes, a infestação não provoca sintomas. Algumas crianças podem ter comichão, embora não se faça sentir de imediato, mas sim bastantes dias após a infestação.

Podem existir lesões se se coçar muito, pelo que, deve consultar o pediatra se observar erupções por coçar ou se a pele do couro cabeludo ficar vermelha.

Deve igualmente consultá-lo se detectar um aumento dos gânglios linfáticos da zona do pescoço.

Conhecer o ciclo de vida do piolho ser-lhe-á útil para entender melhor alguns aspectos do tratamento. O piolho adulto fêmea põe os seus ovos presos ao cabelo o mais próximo possível do couro cabeludo, para terem mais calor e incubarem melhor. Passados 8-10 dias, o piolho jovem sai do ovo, que permanece colado ao cabelo já vazio.

O piolho jovem ou ninfa demora cerca de 7-10 dias a atingir a fase adulta, a acasalar e a pôr ovos. A vida média de um piolho é de aproximadamente 30 dias e um piolho fêmea pode pôr entre 80 e 100 ovos nesse período de tempo. Os piolhos “comem” (picam) sangue do couro cabeludo cada 4 horas.

Fora do homem morrem em 24 horas, por isso os objectos não são uma fonte importante de contágio.

COMO DETECTAR OS PIOLHOS Os piolhos fogem rapidamente entre o cabelo quando aponta alguma luz ou quando começa a pentear-se, sobretudo com o cabelo seco.

Por conseguinte, a melhor maneira de descobrir os piolhos é pentear-se exaustivamente com o cabelo molhado, um pente especial (com pouca distância entre os dentes), uma boa luz e um fundo branco (uma toalha sobre os ombros ou sobre o lavatório). O piolho adulto fêmea tem o tamanho de um grão de sésamo e é de cor negra ou castanha avermelhada.

Os ovos localizam-se sobretudo atrás das orelhas ou na zona posterior da cabeça. Os “vivos” (com embrião) têm uma cor cinzenta gelatinosa e encontram-se próximos do couro cabeludo. Os “vazios” (lêndeas) são de cor branca e ficam mais afastados da raiz do cabelo.

Leia também:  Como Saber Que O Meu Ex Ainda Gosta De Mim?

O cabelo cresce cerca de 0,4 mm/dia e o ovo demora aproximadamente 8-10 dias a esvaziar (deixar sair o piolho jovem) e situa-se perto da raiz. Portanto, qualquer ovo situado a mais de 1 cm do couro cabeludo está, quase de certeza, vazio. (Descobrir ovos ou lêndeas não é um sinal seguro de infestação activa.)

O QUE SE DEVE FAZER?

O tratamento da infestação por piolhos consiste em aplicar um produto pediculicida e em continuar a pentear com periodicidade. Existem diferentes tipos destes produtos, mas nem todos são igualmente eficazes. Os piolhos tornaram-se resistentes a alguns. O melhor é consultar o seu pediatra antes de iniciar o tratamento.

De uma forma geral, é preferível utilizar loções ou gel do que champôs, já que o tempo de actuação é mais prolongado e o piolho é mais sensível aos produtos se não estiver coberto de água. Respeite escrupulosamente as instruções de aplicação pois, caso contrário, pode ser mais tóxico ou menos eficaz.

A maioria dos tratamentos devem repetir-se ao fim de uma semana.

Nix® creme: aplicar com o cabelo seco durante 10-15 minutos, esperar 30 minutos e lavar com o champô habitual. Em seguida, pentear com o pente para lêndeas (Lice Meister®), pondo uma toalha branca nos ombros para verificar se os piolhos caem. Repetir decorridas 12-24 horas. Pentear é importantíssimo para saber se o tratamento foi eficaz (não se esqueça de que existem resistências).

Um ou dois dias após o tratamento deve pentear de forma exaustiva nas condições anteriormente mencionadas. Se não detectar piolhos, parte-se do princípio que o tratamento foi eficaz. Se detectar apenas um ou dois piolhos adultos, talvez possa ter ocorrido uma reinfestação logo após o tratamento ou que exista uma certa resistência.

Se detectar vários piolhos, sobretudo se forem tanto jovens como adultos, certamente que são resistentes, devendo colocar a hipótese de usar um pediculicida diferente. Não é imprescindível eliminar os ovos (os embriões podem estar mortos devido ao tratamento) nem muito menos as lêndeas, que quase de certeza estarão vazias.

Se o quiser fazer por motivos estéticos, aplicar uma solução de vinagre e água em partes iguais durante algumas horas desfaz a substância aderente que os cola ao cabelo e faz com que seja mais fácil eliminá-las ao pentear-se. Algumas crianças podem continuar com comichão, ou até mais, depois de fazerem o tratamento.

Tal deve-se a uma reacção alérgica aos produtos dos piolhos e aos ovos mortos. Se causar muito incómodo, pode ser necessário consultar o pediatra, já que existem medicamentos para melhorá-lo.

COMO PREVENIR? à totalmente desaconselhável utilizar produtos pediculicidas (champôs ou loções) como prevenção. Não está comprovado que sejam eficazes, irritam a pele do couro cabeludo e, sobretudo, fazem com que os piolhos se tornem resistentes. A melhor prevenção, e a mais inócua, é pentear-se bem várias vezes por semana.

Tendo em conta o ciclo de vida do piolho, ao pentear-se bem 2 ou 3 vezes por semana conseguiremos eliminar os piolhos adultos e, sobretudo, os piolhos jovens antes de atingirem a fase adulta e de serem capazes de pôr ovos, interrompendo assim a progressão da infestação.

Está comprovado que pentear-se bem de forma repetida pode não só ser preventivo como praticamente tão eficaz como os pediculicidas para tratar a infestação.

O QUE FAZER COM OS OBJECTOS E A ROUPA DAS CRIANÇAS INFECTADAS? Como se explica mais acima, os piolhos vivem poucas horas fora do homem e não infectam objectos. De qualquer modo, é prudente eliminá-los dos pentes submergindo-os em álcool ou em água a ferver.

A roupa deve ser lavada num ciclo de água quente (60°), submetida a lavagem a seco ou fechada num saco de plástico hermético durante 2 semanas (tempo que um ciclo completo dos possíveis piolhos ou dos respectivos ovos demora a completar até morrerem). Os animais domésticos (cães, gatos, pássaros, etc.

) não apanham os piolhos humanos e não são fonte de contágio.

à verdade que os piolhos saltam de uma cabeça para a outra?

Não, os piolhos não saltam nem voam. Passam de uma cabeça para a outra se existir proximidade suficiente entre uma e outra pessoa. Também se podem transmitir através de bonés, capacetes ou roupa de casa se tiver existido contacto directo com o cabelo.

Os tratamentos preventivos: loções, champôs, etc. … são eficazes para evitar que as crianças apanhem piolhos?

Os champôs e as loções de “uso preventivo” não são eficazes para evitar a transmissão do parasita.

As únicas medidas “preventivas” eficazes são: a detecção precoce dos casos de infestação, o tratamento simultâneo dos indivíduos parasitados que estão em contacto próximo (amigos e colegas de turma que se sentam juntos na aula ou no refeitório escolar, os colegas que brincam juntos no pátio, os pais e irmãos) e, finalmente, o tratamento eficaz dos afectados e das roupas que contactam com as respectivas cabeças.

à verdade que o álcool e o vinagre erradicam os piolhos e são mais eficazes do que as substâncias “insecticidas” à venda nas farmácias?

Nem o vinagre nem o álcool são os tratamentos mais eficazes nem menos tóxicos daqueles de que dispomos actualmente.

Molhar duas vezes por dia um pente metálico especial para erradicar lêndeas em vinagre diluído em água antes de pentear cuidadosa e repetidamente a criança parasitada pode ajudar a desprender as lêndeas coladas ao couro cabeludo, desde que seja após o tratamento pediculicida em gel ou loção adequado para erradicar o parasita.

Convém saber que é mais eficaz a acção mecânica do pente fino (tipo “próprio para lêndeas”) para eliminar as lêndeas do que a aplicação de mais substâncias químicas, que só conseguirão uma maior irritação da pele da zona tratada.

Qual é o tratamento mais adequado para os piolhos?

O adequado é: identificar bem os casos e utilizar o tratamento correctamente. Se possível, deve visualizar o parasita ou a presença de novas lêndeas no cabelo. Se houver parasitas, o sintoma comichão é evidente, embora nas crianças com pele a tópica o abuso de substâncias químicas possa provocar inflamação do couro cabeludo e comichão intensa.

O correcto é aplicar substâncias de acção pediculicida de baixa toxicidade (permetrina, piretrina) –e evitar o Lindane, à venda nas farmácias sem receita, pois é tóxico!!!- sob a forma de espumas, gel ou loção, sobre o cabelo seco cobrindo abundantemente a cabeça até à raiz do cabelo, durante alguns minutos a várias horas.

Uma touca de plástico de uso único pode ajudar a erradicar o parasita e a diminuir a duração do tratamento.

  • Como se podem eliminar os piolhos dos bonés, capacetes, chapéus ou outras peças de roupa que tenham estado em contacto com o cabelo?
  • A roupa deve ser lavada a 60 graus ou guardada num saco de plástico hermeticamente fechado durante 10 dias.
  • Existem pessoas mais propensas do que outras a apanhar piolhos?

Não está comprovado que existam pessoas com maior predisposição do que outras para este tipo de parasitose. O cumprimento de medidas básicas de higiene corporal, em concreto o pentear ou a escovagem diária e a lavagem regular do cabelo, têm certamente uma influência positiva face à infestação.

Eu não sei ver se a minha filha tem ou não piolhos na cabeça. O que devo procurar?

Se tiver comichão e existir um ambiente epidemiológico preciso –há piolhos na turma dela- é muito provável que tenha piolhos na cabeça.

Se possível, o definitivo é visualizar o parasita ou insecto ou a presença de novas lêndeas –coladas sob a forma de pequenas cápsulas de cor esbranquiçada ao cabelo, a 10-20 mm da raiz-. Se houver parasitas vivos, a comichão é um sintoma evidente.

Nas crianças com pele a tópica o abuso de substâncias químicas pode provocar inflamação do couro cabeludo e comichão intensa após a eliminação do parasita.

à preciso rapar o cabelo à máquina zero para erradicar os piolhos?

Não é imprescindível, mas facilita o pentear diário com um pente fino metálico para erradicar as lêndeas é uma das medidas básicas para o tratamento anti parasitário e, se houver caracóis e/ou cabelo comprido, haverá mais lágrimas do que sorrisos…

à possível apanhar piolhos em zonas diferentes da cabeça?

A pediculosis capitis afecta o cabelo da cabeça, embora raramente também possa infestar o pêlo das sobrancelhas ou das pestanas. Um parasita semelhante é o pediculosis pubis, que infesta o pêlo púbico e contrai-se através das relações sexuais ou do contacto directo com roupa de cama parasitada.

Porque é que hoje em dia, ainda que tenha aumentado o nível de higiene da população, continua a haver piolhos nas escolas?

Não se sabe a ciência certa, mas é provável que colaborem diferentes factores: o estilo de vida actual, com a alta taxa de crianças que vão para o infantário desde os primeiros meses e convivem proximamente, as pressas com que muitas vezes saímos de casa de manhã, às vezes sem tempo para pentear cuidadosamente as crianças e, finalmente, a não detecção atempada ou, em alguns casos, a falta de tratamento adequado (não só tratamento no momento, como o acompanhamento muito próximo durante as semanas posteriores à detecção).

Artigos relacionados

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*