Como É Que Os Rapazes Se Excitam?

Como É Que Os Rapazes Se Excitam?

Novos cartazes apresentam time que estrelará sequência do longa do 1996. Longa é protagonizado por LeBron James

Créditos: Novos cartazes apresentam time que estrelará sequência do longa do 1996. Longa é protagonizado por LeBron James

Como É Que Os Rapazes Se Excitam?

Novos cartazes apresentam time que estrelará sequência do longa do 1996. Longa é protagonizado por LeBron James

Créditos: Novos cartazes apresentam time que estrelará sequência do longa do 1996. Longa é protagonizado por LeBron James

Como É Que Os Rapazes Se Excitam?

Novos cartazes apresentam time que estrelará sequência do longa do 1996. Longa é protagonizado por LeBron James

Créditos: Novos cartazes apresentam time que estrelará sequência do longa do 1996. Longa é protagonizado por LeBron James

Como É Que Os Rapazes Se Excitam?

Novos cartazes apresentam time que estrelará sequência do longa do 1996. Longa é protagonizado por LeBron James

Créditos: Novos cartazes apresentam time que estrelará sequência do longa do 1996. Longa é protagonizado por LeBron James

Como É Que Os Rapazes Se Excitam?

Novos cartazes apresentam time que estrelará sequência do longa do 1996. Longa é protagonizado por LeBron James

Créditos: Novos cartazes apresentam time que estrelará sequência do longa do 1996. Longa é protagonizado por LeBron James

Como É Que Os Rapazes Se Excitam?

Novos cartazes apresentam time que estrelará sequência do longa do 1996. Longa é protagonizado por LeBron James

Créditos: Novos cartazes apresentam time que estrelará sequência do longa do 1996. Longa é protagonizado por LeBron James

Como É Que Os Rapazes Se Excitam?

Novos cartazes apresentam time que estrelará sequência do longa do 1996. Longa é protagonizado por LeBron James

Créditos: Novos cartazes apresentam time que estrelará sequência do longa do 1996. Longa é protagonizado por LeBron James

Como É Que Os Rapazes Se Excitam?

Novos cartazes apresentam time que estrelará sequência do longa do 1996. Longa é protagonizado por LeBron James

Créditos: Novos cartazes apresentam time que estrelará sequência do longa do 1996. Longa é protagonizado por LeBron James

Coisas que os homens detestam na cama – Atual – Máxima

Vinicius de Moraes dizia, com graça, que se o cão é o melhor amigo do homem, então o whisky é um cão engarrafado. Eu acrescentaria: e a Gillette é a melhor amiga da mulher. Quem diz Gillette, diz Epilady, Braun ou outra geringonça qualquer que elimine pelos.

Que levante o braço quem nunca amaldiçoou o sistema capilar, mais o seu estúpido vigor. Parece de propósito: cada vez que surge um candidato a príncipe encantado no horizonte, nascem 100 novos pêlos nas pernas. I. passou seis meses sozinha.

Foram 180 serões a queimar as pestanas com os livros de Dan Brown e a enfeitar o ventre, mais ou menos liso, com dois belos pneus, insuflados a Häagen-Dazs, M&M e bolachas Maria com manteiga (céus, uma mulher só come bolacha Maria com manteiga quando está mesmo carente).

Mais de 12 semanas a descobrir – de início, contrariada – a cultura oriental com a telenovela O Caminho das Índias e outras tantas a adormecer no sofá com o riso sórdido do Dr. House.

Claro que ao fim dos primeiros dois meses deixou de ligar à Zezinha para marcar a tortura, vulgo depilação. Não pensem que é qualquer mulher que se submete a 60 minutos de escalpe só para se sentir bem consigo própria. Ainda por cima, era Inverno e a moda mandava usar saias com collants opacos. I.

estava, portanto, fechada no convento quando, numa bela sexta-feira à noite, foi jantar fora e caiu em tentação. Sabem como é – um amigo de um amigo, de um amigo. Consta que o rapaz era bom conversador, apreciador de jazz e com ares de Brad Pitt (talvez mais Braz Pinto do que outra coisa, mas a I.

pareceu-lhe um galã).

Claro que já não foi para casa ver o CSI Miami. Preferiu ficar a descobrir outros mistérios.

Às quatro da madrugada, depois de muito rir, beber e dançar, descobriu-se deitada no sofá – o tal que a amparou nos seis meses de reclusão –, com o penteado desfeito e o fecho do vestido aberto até meio das costas. Foi como se lhe dessem um choque eléctrico. “Lembrei-me de como tinha as pernas e entrei um pânico.”

Leia também Como É Que Os Rapazes Se Excitam? Há 11 tipos de personalidades sexuais: qual é a sua?

Não era caso para isso. Entre as 10 coisas que os homens mais abominam na cama, apuradas num estudo brasileiro de 2008, não há qualquer referência à falta de depilação.

A saber: eles detestam fazer sexo às escuras, não gostam de mulheres demasiado caladinhas nem muito tagarelas (a ideia é emitir um ou outro gemido e falar pausadamente, com a boca colada ao ouvido do parceiro), agradecem algum cuidado no manuseamento do seu órgão sexual (o que não implica tratá-lo como um vidrinho) e adoram ser estimulados.

Claro que aquela coisa de fazer sexo como quem vê um documentário histórico, distante e sensaborão, é impensável. Melhor ser considerada uma atrevida do que uma chata.

Estão proibidas as atitudes egoístas, do género, “mostra-me do que és capaz” – sexo é como Estado, quando as coisas correm mal a culpa também é sua; as trocas de nomes e os ataques de nostalgia. M. diz que desistiu definitivamente de P. quando, na terceira noite que passaram juntos, ele comparou o tamanho do soutien dela ao da ex – com clara desvantagem para M., diga-se de passagem.

Também não vale a pena discutir a descida das taxas de juros antes de se despir, e livre-se de sucumbir a um daqueles ataques de sopeirice que às vezes atacam as mulheres mais insuspeitas. Uma das coisas que mais desapontou J., no breve romance que manteve com A., foi a estúpida mania que ela tinha de lavar a loiça antes de se ir deitar…

A fechar este top ten de comportamentos anti-t…, surge o excesso de zelo de mulheres como I. Medo de serem rejeitadas por causa de três pêlos; pânico de serem apontadas por causa da celulite no rabo; raiva por não terem posto o body preto em vez daquelas cuecas brancas, etc., etc,, etc.

Leia também Como É Que Os Rapazes Se Excitam? Tarefas domésticas e sexo criativo

Más notícias: pior do que pele casca de laranja e depilação mal feita, só uma tremenda insegurança. Minhas senhoras, acordem. Os homens também têm medo de falhar – e falham. Mais do que isso: eles gostam de mulheres reais e essas nem sempre têm nota 10.

Querem ver? Em 2007, o britânico Mirror fez um inquérito junto dos leitores para descobrir as 15 coisas que as mulheres nunca imaginaram que os homens consideram sexy.

Surpresa: eles gostam de pouca maquilhagem (nada pior, dizem, do que dar um beijo na boca e ficar a saber a bâton), estômagos redondos (o que explica o sucesso das Shakiras), rugas, pequenas cicatrizes e seios médios (apesar dos media fazerem a apologia do XL).

Ficam igualmente rendidos a mulheres que gostam de sair e beber copos (desde que não voltem para casa em ombros), e não se importam que elas lhes liguem a meio da noite para confessar que sentiram a falta deles.

Admiram as que têm jeito para crianças, desejam as que voltam para casa descalças e acham graça às que usam roupa interior desencontrada. A explicação é divertidíssima: “Eles adoram pensar que elas não estavam a planear ter sexo e que as conseguiram convencer a isso…”, explicou uma terapeuta sexual chamada Paula Hall ao Mirror.

Quem diria que eles ficam excitados com maquilhagem desfeita (faz-lhe lembrar o pós-sexo), madeixas já descoloradas (diz a mesma especialista que lhes recorda as raparigas com que estavam proibidos de sair pela mamã) e falta de jeito para contar piadas? “Normalmente, sentem-se intimidados com mulheres muito intelectuais. As que se enganam ou esquecem o final das histórias revelam a sua vulnerabilidade. E isso desperta neles um instinto de protecção”, esclarece Simon Moore, chefe do departamento de psicologia da London Metropolitan University ao jornal inglês.

Finalmente, os homens gostam de tops justos (mas não muito curtos, sobretudo para quem tem umas gordurinhas), e, a partir de certa altura, preferem as mulheres que dormem de t-shirt às que vão para a cama como se estivessem a filmar um especial para a Playboy.

Traduzindo: ao fim de três semanas, eles estão fartos de mistério e de glamour. Querem é companhia.

Por falar nisso, I. continua com o seu Braz Pinto e, pelo sim pelo não, voltou à depilação.

O que eles realmente gostam

Para escrever What men really want in bed – The surprising secrets men wish women knew about sex, Cynthia W.

Gentry e Nima Badiey (ela escritora, argumentista e especialista em sexualidade; ele fotógrafo e consultor) ouviram mais de 300 americanos entre os 23 e os 64 anos, que lhes revelaram as suas experiências e fantasias.

O resultado é um livro que Cynthia Gentry, também autora de The bedside orgasm book (o livro de cabeceira do orgasmo), classifica de inovador, por revelar a perspectiva masculina do tema.

O facto de as mulheres ainda terem vergonha de discutir as suas preferências sexuais com os homens, bem como o hábito que eles têm de abordar quase sempre o assunto de forma lúdica, com os amigos, não tem contribuído para esclarecer o que eles e elas classificam de “noite inesquecível”.

Para ficar a saber mais sobre o assunto, vale a pena ler as confidências deles.

  1. É verdade. Os homens passam 95% do tempo a tentar seduzir as mulheres. Nos outros 5% querem realmente saber a opinião delas sobre um filme ou levá-las a tomar café.
  2. Os homens sabem apenas 1% do que as mulheres gostariam que eles soubessem. Por isso, não seja demasiado misteriosa, sob pena dele não perceber nada e você não ter prazer nenhum.
  3. A maioria adora ser seduzido – e conduzido. Esqueça os preconceitos e mostre-se interessada. Ah, eles preferem ficar por baixo: assim desfrutam melhor da visão da mulher.
  4. Estabeleça contacto físico. Os homens adoram toques inadvertidos nas mãos, nos braços. E na cama, seja afectiva. É falso que os homens não sejam dados a beijos. Mais: 56% dos inquiridos disse que gostava de trocar mimos depois de.
  5. Não insista em falar da relação (se já houver uma relação). Aproveite o momento e deixe-se de conversas sérias. Mas atenção: se tiver sido muito bom, pode contar-lhe.
  6. Livre-se dos ataques de remorsos e, sobretudo, nunca os confesse. Se acha que não devia ter ido tão longe, guarde isso para si. E se foi assim tão mau, vista-se e vá-se embora.
  7. A maioria dos homens só admite tirar partido de brinquedos sexuais quando tem uma relação cúmplice com a parceira. Entre quase desconhecidos pode ser confrangedor.
  8. Fale sobre sexo antes de o fazer. Aproveite um jantar para abordar o tema. Os autores do livro aconselham: “Se lhe faltar a coragem, use este livro como pretexto, diga que leu aqui.”
  9. Se não lhe apetece fazer sexo, não faça. E diga-o. Ao contrário do que se pensa, os homens detestam dormir com mulheres que parecem estar ali por obrigação.
  10. Conte-lhe as suas fantasias e peça-lhe que fale sobre as dele. Isso vai ajudar a que a relação não caia na rotina.
Leia também:  Como Se Chama O Restaurante/bar Onde Foi Filmado O Filme "a Ressaca 2?

Artigo originalmente publicado na edição nº 295 da Máxima.

Como É Que Os Rapazes Se Excitam? Próxima Notícia 10 formas de resolver problemas

Mulheres se excitam tanto quanto homens frente a imagens sexuais

Como É Que Os Rapazes Se Excitam?Imagens eróticas causam basicamente o mesmo efeito no cérebro nos dois sexos biológicos. Imagem: “A Planta de Adônis”, Hokusai/Wikimedia

Mapeamento do cérebro mostra que os dois sexos biológicos reagem basicamente da mesma forma a essas imagens

A ideia de que os homens são mais propensos a se excitar quando veem imagens sexuais parece ser um equívoco, segundo um estudo publicado na revista “PNAS” e noticiado no jornal “The Guardian”.

“Pelo menos no nível da atividade neural (…), os cérebros de homens e mulheres respondem da mesma maneira à pornografia”, afirma Hamid Noori, do Instituto Max Planck de Cibernética Biológica (Alemanha), um dos autores da pesquisa.

Noori e seus colegas chegaram a essa conclusão analisando os resultados de 61 estudos publicados envolvendo adultos de diferentes sexos biológicos e orientação sexual.

Os pesquisadores lhes mostraram tanto imagens cotidianas de pessoas como imagens eróticas, enquanto uma máquina mapeava seu cérebro.

Segundo Noori, todos os participantes classificaram as imagens sexuais como excitantes antes de seu cérebro ser escaneado.

LEIA TAMBÉM: Neurossexismo: o cérebro é masculino ou feminino?

A equipe de Noori encontrou poucos sinais de diferenças funcionais entre as pessoas que passaram pelos testes.

Quando imagens sexuais foram mostradas, observou-se uma mudança na atividade nas mesmas regiões do cérebro dos dois sexos biológicos, incluindo a amígdala, a ínsula e o corpo estriado.

“Muitas dessas regiões estão associadas ao processamento de informações emocionais e parte delas também está conectada ao circuito de processamento de recompensas”, diz Noori.

Segundo os autores do estudo publicado na “PNAS”, as diferenças na forma como os cérebros de homens e mulheres respondem às imagens eróticas podem ter sido exageradas, com pesquisas anteriores possivelmente afetadas por amostras pequenas ou atitudes diferentes entre os participantes em relação ao material apresentado.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA + Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus + Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas + 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança

eduardo

Como deixar um homem excitado

Saiba o que incendeia a libido deles Foto: Getty Images

Em geral, os homens transam mais do que as mulheres, por motivos fisiológicos e culturais. A testosterona, hormônio responsável pelo desejo (em ambos os sexos) está presente no corpo deles em níveis mais altos. Além disso, a libido masculina é mais estável, enquanto a nossa oscila graças às flutuações hormonais.

Mas a sexóloga Ana Canosa alerta que generalizações não devem ser confundidas com regras absolutas. Por diversas razões, o desejo dos homens também pode cair, e hoje é muito comum as mulheres se queixarem da indiferença sexual do parceiro.

Antigamente isso não acontecia – não porque os homens fossem mais fogosos, e sim porque não era de bom-tom uma mulher explicitar que gostava de sexo e queria mais.

Voyeurs por natureza

“Voyeurs por natureza, os homens se excitam simplesmente ao ver as roupas íntimas ou partes do corpo feminino, como os seios, os quadris, o bumbum. Diferentemente das mulheres, são capazes de querer o sexo com uma parceira porque ela tem determinado atributo, e não pelo todo”, diz Ana Canosa.  

Rapidinha power

Homens se excitam com facilidade e muitas vezes usam o sexo como um meio de relaxar. E, apesar da liberação dos costumes, é como se ainda tivessem maior permissão do que as mulheres – tanto para se masturbar quanto para fazer sexo sem compromisso.

Para eles, uma transa rápida pode ser bem excitante, enquanto a mulher tem prazer no lento jogo da sedução e nas preliminares e tende a valorizar o lado emocional. Na visão feminina, uma transa mais lenta pode significar atenção e interesse do parceiro.

 

Vestida para transar

Se as mulheres sabem que os homens se excitam visualmente, não custa caprichar na produção.

“A maioria deles se estimula com o que a parceira veste antes do sexo e durante”, diz o sexólogo Oswaldo Rodrigues Jr. Não faltam admiradores de lingerie e peças como cinta-liga, espartilho, calcinhas reveladoras.

O que importa é que a mulher escolha algo que também lhe agrade e sinta-se à vontade para brincar dessa maneira.  

Toque feminino

Sim, eles gostam de ser tocados no pênis. (E adoram ser elogiados pela virilidade). Mas, se você pesquisar o corpo do parceiro, poderá descobrir áreas erógenas que talvez nem ele mesmo conheça. Vale ampliar as carícias por toda a área genital e do períneo (entre o escroto e o ânus).

Além disso, a parceira pode estimular ambos ao tocá-lo com outras partes do próprio corpo, como costas, seios e pés, sem esquecer o potencial erótico dos lábios e da língua. O sexo oral é bem-vindo, assim como o manuseio do órgão masculino. Oswaldo Rodrigues Jr.

lembra que o toque no pênis não deve ser leve, e sim ter firmeza, com movimentos semelhantes aos da masturbação”.

Continua após a publicidade

Surpreenda-se com dez desejos sexuais masculinos

Há algumas coisas que os homens desejam para se satisfazerem na cama, mas que simplesmente não pedem. Todavia, a revista norte-americana Cosmopolitan listou dez desejos sexuais deles e te conta todos os segredos.

Muitas vezes os homens não contam o que querem na cama
Foto: Getty Images

Embora cada homem tenha uma necessidade diferente, “há alguns movimentos e atitudes universais que a maioria deles não sabe como pedir”, explicou o terapeuta sexual Sandor Gardos, do site MyPleasure. Assim, corra para a lista e descubra o que eles querem.

Garotas que consigam se excitar sozinhas: as mulheres precisam de tempo para entrarem no clima.

Embora os homens curtam excitar a parceira, eles também não se importariam se, de vez em quando, ela já chegasse excitada o suficiente para o sexo.

A terapeuta sexual Gloria Brame, sugeriu que as mulheres usem a imaginação, como fazem quando vão se masturbar, para chegar ao encontro já “no ponto”.

Sexo divertido: a vida sexual não acontece como nos filmes. As posições nem sempre funcional e alguns barulhinhos podem surgir no meio da transa e se você encanar com isso, vai perder o humor e estragar o momento. Sexo não precisa ser sério ou sensual o tempo todo. Saiba encontrar leveza e diversão mesmo nos momentos bizarros e veja como tudo só tende a melhorar.

Dicas de como agir: nem sempre eles sabem como te agradar da maneira que você gosta. “Ao sugerir o que quer que ele faça, diga o quanto gosta daquilo e o quanto ele está acertando”, sugeriu Gloria Brame, terapeuta sexual.

Espiar: para os homens, o que eles veem é quase tão bom quanto o que eles conseguem, então permita que ele espie você se masturbar ou mesmo invista em espelhos durante o ato sexual. Os terapeutas sexuais também sugeriram não se despir completamente, mantendo alguma peça de lingerie para instigar a imaginação do moço.

Safada: muitas mulheres têm medo de parecer “ousada demais” para o namorado e estragar o relacionamento, mas acredite, eles não se importam com uma dosesinha de safadeza. Tente dizer algo mais apimentado na hora do sexo, tome a iniciativa e deixe a imaginação agir.

Ele quer ter experiências novas: para se distinguir das ex dele, você deve ter algum plus que o faça não pensar em outra coisa no dia seguinte. Não precisa ser contorcionista para conseguir esse efeito, basta se dedicar com afinco a algo que já faça bem, surpreendendo-o com novas sensações.

Variedade: o tédio nas relações pode desgastar o casal. Tente variar em pressão, posição e velocidade para tornar o sexo mais prazeroso. E o rapaz também vai ficar sempre na expectativa do que virá depois.

Surpresas: eles gostam de ser surpreendidos com um convite inesperado para o sexo, em especial em locais públicos ou menos convencionais. Experimente, quem sabe também não gosta?

Caça: o sonho de muitos homens é dominar a mulher, mostrar seu lado caçador. Instigue-o com beijos ardentes e diga que se rende a ele para que faça o que quiser e o sonho estará realizado.

Às vezes ele não quer fazer nada: ser dominado também é um desejo recorrente. Experimente apenas dar prazer para ver como eles enlouquecem.

1 de 7

Explore a sua respiração Muitas mulheres seguram a respiração perto clímax, sem pensar. A expiração profunda pode intensificar o momento.

Algumas ainda dizem que gemidos potencializam as sensações e encorajam o homem a atingir o clímax também.

A técnica da tradição tântrica indiana é fazer de 15 a 20 respirações ofegantes, seguido por uma expiração longa. Repita isso três vezes, quando estiver perto do orgasmo

Foto: Getty Images

6 coisas aleatórias que excitam muitos os homens e eles não falam

É uma coisa bastante comum algumas mulheres buscarem na internet ou em outros meios métodos mais eficazes para conseguir conquistar um homem ou fazer com que ele fique mais excitados. Não é difícil deixar um homem louquinho de desejos igual muitas pessoas pensam. Todos os homens sempre estarão dispostos a praticar relações íntimas com suas companheiras.

Leia também:  Como Contar Aos Meus Pais Que Estou Namorando?

Embora pareça complicado, existem vários meios que podem deixar qualquer homem louco de desejos. Na maioria das vezes, eles preferem não contar para suas companheiras. Geralmente, essas Atitudes são simples e realizadas naturalmente no cotidiano.

Confira:

Usar a camisa larga do companheiro

Apesar de ser simples, os homens se sentem mais atraídos quando suas companheiras decidem usar suas camisas. Se você tem o hábito de fazer isso antes de manter relações íntimas com o parceiro, não pare, pois os homens se sentem atraídos e loucos de desejos.

Sem lingerie e camisa colada

Os homens perdem os sentidos quando veem suas companheiras usando regatas bem apertadas sem usar roupas íntimas por baixo depois de ter mantido relações íntimas. Geralmente, as mulheres se vestem dessa maneira quando estão dentro de casa. Isso porque elas gostam de se sentir mais soltas. Muitas mulheres nem fazem ideia que essa simples atitude pode deixar os homens babando.

O jeito do cabelo

É comum que algumas mulheres fiquem com vergonha de ficar na frente do companheiro com o cabelo todo atrapalhado. Mas, elas não imaginam que o cabelo atrapalhado ou preso no estilo rabo de cavalo as deixam mais sensuais e atraentes. Eles ficam muito excitados nessa ocasião. O cheiro do perfume que fica impregnado no cabelo também deixa muitos homens louquinhos.

Óculos de grau

A maioria das mulheres fica constrangida em usar óculos de grau na frente do parceiro. Mas não precisa, pois, aos olhos dos homens, usar óculos torna as mulheres mais atraentes que de costume. Porém, de fato, é importante saber fazer a escolha do óculos que combina com o formato do rosto.

  • Cabelo molhado
  • Depois de ter tomado banho, as mulheres rapidamente secam o cabelo, pois incomoda.
  • Mas, o que elas não fazem ideia é que os homens amam quando as companheiras ficam com os cabelos úmidos, principalmente quando elas saem do banho enroladas na toalha.
  • Comer sem frescura

Os homens ficam muito bravos quando as mulheres ficam tímidas na hora de comer. Pode acreditar, não precisa ficar com vergonha.

Entenda como funciona a mágica da ereção

  • WhatsApp
  • Facebook
  • Twitter
  • Pinterest
  • Linkedin
  • Copiar Link

A mágica da ereção (Foto: divulgação)

A noite deveria ser perfeita: uma garrafa de vinho, uma companhia perfeita e uma noite de sexo inesquecível. Só que na hora H aconteceu aquela falha terrível: o pênis não subiu. O momento não é de desespero.

Pode ter sido simplesmente o excesso de vinho, que o fez relaxar além da conta.

Por isso, é bom entender como funciona a mágica da ereção, o que causa as broxadas esporádicas e quando a situação exige tratamento médico.

saiba mais

Como o pênis fica eretoQuando o homem fica excitado, a mágica acontece. Dentro do pênis existem duas estruturas cilíndricas chamadas corpos cavernosos, que parecem esponjas secas e compridas no momento de flacidez.

Após o estímulo sexual, elas se enchem de sangue, aumentando o comprimento e o volume do pênis. A rigidez da ereção depende da alta pressão nos corpos cavernosos.

O pênis volta a ficar flácido no momento em que o sangue retorna para a circulação geral.

É o cérebro, estúpido!Quem manda no pênis é o cérebro. O órgão pode estar em perfeito estado de funcionamento, mas, se o homem não se excita, nada acontece. Sem tesão não há ereção.

Os estímulos chegam ao cérebro, onde ocorrem uma série de reações químicas que passam pela medula espinhal e são transmitidas até o pênis. Se houver qualquer falha em alguma etapa do processo, acontece a disfunção erétil.

A mágica da ereção (Foto: divulgação)

O fantasma da impotênciaA disfunção erétil é um fantasma permanente na vida do homem sexualmente ativo e pode ter causas físicas ou psicológicas.

Dentre as primeiras estão arteriosclerose, pressão alta, diabetes, desiquilíbrio hormonal, baixa testosterona, excesso de álcool, obesidade e tabagismo. Em homens acima de 40 anos, elas correspondem por até 80% dos casos de impotência.

Já as causas psicológicas, como ansiedade, depressão e stress respondem por até 80% dos casos em homens abaixo de 40 anos. Também é comum a associação entre as duas causas.

Teste da ereção involuntáriaÉ comum ocorrer ereções involuntárias, como as noturnas, durante o sono, ou as matinais, logo ao acordar. Quando acontece, é um sinal de que as funções fisiológicas estão preservadas. Neste caso, a impotência está mais ligada a causas psicológicas.

saiba mais

Falha na ereção? Pode ser problema no coraçãoSe falhar na hora H, procure um cardiologista.

Um estudo da American Heart Association mostrou que existe uma relação direta entre disfunção erétil e aterosclerose (artéria com placas de colesterol), que pode indicar doenças no coração.

Os homens com impotência têm duas vezes mais chances de sofrer um ataque cardíaco. É que as placas de gordura também entopem os vasos que provocam a ereção.

A pílula azul é eficiente, mas não faz mágicaO tratamento mais popular contra a disfunção leve e moderada é o Viagra e seus similares, cujos componentes dilatam os vasos sanguíneos do pênis, o que provoca a ereção.

Apesar dos avanços à qualidade de vida de quem sofre de impotência, vale destacar que a pílula azul não é milagrosa. É preciso excitação sexual para que a ereção aconteça. E tem mais: após o orgasmo, o pênis volta a ficar flácido (ao contrário do que muita gente pensa).

Como o medicamento fica até 12 horas no sangue, é possível uma nova ereção após um novo estímulo.

Injeção no pênisQuando os comprimidos não dão conta, outra saída mais agressiva é a auto aplicação de injeção no pênis cerca de 15 minutos antes da relação sexual. É um tratamento que não costuma ter boa aceitação dos pacientes, embora a seringa e a agulha sejam pequenas, semelhante ao material que diabéticos usam para aplicar insulina.

Prótese do pênisA decisão de colocar uma prótese, deve ser tomada somente em último caso, quando outros tipos de tratamento não resolvem.

As próteses mais comuns são introduzidas nos corpos cavernosos e fixadas no osso até a glande. Nesse caso, o pênis permanece duro o tempo todo. A cirurgia, realizada pelo SUS, demora cerca de 40 minutos.

Existem próteses mais sofisticadas em que o pênis fica flácido e uma válvula é acionada para que fique ereto no momento da relação sexual. O custo pode chegar a R$ 40 mil.

Conversar sempre ajudaNos casos em que a disfunção ocorre por questões psicológicas ou emocionais, recomenda-se fazer sessões de terapia com psicólogos ou psiquiatras. A conversa com a parceira ou parceiro também é fundamental para que o homem recupere a confiança.

Alerta! (Foto: divulgação)

saiba mais

O que faz seu corpo vibrar?

O que excita homens e mulheres, do ponto de vista sexual? Há muita diferença nos processos de cada um? Dois psicanalistas refletem sobre a questão e indicam que, embora certos estereótipos resistam, há novas maneiras de lidar com o tesão

478 mecanismos

No meu livro há um capítulo inteiro para descrever como homens e mulheres se sentem debaixo da pele quando ficam com tesão. Em geral a reação dos homens e das mulheres a esse trecho é de estranheza e espanto.

A maioria acha que há algumas diferenças e muitas semelhanças entre os dois – e que as diferenças são simétricas (onde há em um uma protuberância, em outro há um orifício).

Mas não são simétricos nem complementares: na verdade, vivemos um delicioso (e às vezes doloroso) mal-entendido na cama.

Homens se excitam sobretudo de três maneiras: uma excitação mais autônoma, a partir de gatilhos internos (acúmulo de testosterona, esperma etc.

); outra sensorial, principalmente pela visão de algo excitante, em geral partes do corpo; e finalmente a terceira, pela preferência sexual concreta – por exemplo, ao vislumbrar uma atividade sexual de sua preferência (sexo oral, anal, etc), daí muitos de filmes pornográficos que as mulheres acham malfeitos e antiestéticos.

Mulheres têm também todos esses mecanismos de excitação. Mas elas se excitam não por três mecanismos principais, mas por 478! Tudo é mais plástico, variado e depende do dia, hora, contexto, parceiro e do estado de ânimo dela mesma.

Muito da excitação pode depender do desejo e da volúpia do parceiro, ou da estética do cenário (uma viagem em uma linda praia, ela de biquíni, o vento, um drink e um homem bonito, cheiroso e gentil) ou do modo como são tratadas (em geral, preferem algo mais atencioso a homens durões).

Mulheres também podem se excitar pelas diferentes emoções – gratidão, piedade, admiração e até raiva podem se transmutar em tesão, algo que a maioria dos homens acha esquisitíssimo.

E, acima de tudo, elas brocham se o cenário estético-sensual não for atraente (o motel com lençol sujo, o lindo homem falando português errado ou sendo pão-duro).

Há inúmeras diferenças no ritmo, no prazer da sedução, na relação com o próprio corpo e com o corpo do outro. Também é importante lembrar que não é verdade que “homens fazem sexo e mulheres fazem amor”: pode ser o contrário, muitas mulheres em certas ocasiões querem só sexo.

Há muita pressão social e questões de ciclos de vida defasados que fazem com que, em certas épocas da vida, a mulher queira mais amor e eles mais sexo. Em outras fases, isso pode se inverter. Enfim, somos diferentes, mas ambos somos capazes de só ter tesão ou de só amar (sem tesão).

Ou ainda de amar e sentir tesão ao mesmo tempo.

Luiz Alberto Hanns é psicólogo, psicanalista e pesquisador em psicoterapia comparada. É autor de A equação do casamento – O que pode (ou não) ser mudado na sua relação (editora Paralela)

Esta é uma boa e velha discussão. Muita gente diz que o homem é mais visual, precisa ver peito, bunda; que foto de mulher pelada funciona pra homem. E que mulher precisa estar envolta em uma narrativa para se excitar.

Precisa de uma historinha, de 50 tons de cinza. Que homem consome pornografia, mulher não. Que mulher precisa de amor e carinho, homem não. Que homem quer ser garanhão e ficar na putaria, a mulher vai querer casar.

Eu diria que deveríamos complexificar essa história.

Leia também:  Como Fazer Um Curriculo Quando Não Se Tem Experiencia?

Temos formações diferentes, somos feitos de essências genéticas diferentes e culturalmente estamos, sim, colocados no lugar onde o homem tem uma posição mais voyeurista e a mulher, uma posição mais de objeto desse olhar. Mas os papéis estão em transformação.

 É uma dinâmica antiga, essa em que o homem só exerce o papel de macho se a mulher for o sexo frágil, que não deseja, que não comunica excitação. Em que a extrapolação do feminino para o lugar de sedutora confunde o lugar do homem. A pós-revolução industrial e a revolução sexual já foram fazendo um deslocamento desse lugar.

A mulher vai trabalhar, sai pra rua e não é só casamento, lar, filhos. Vai entrando no espaço público, conquista mais direitos.

Sobretudo agora, a gente libera os desejos. O homem pode escolher ter uma mulher e rejeitar o papel de garanhão. Talvez a mulher deseje outra coisa além de ser um objeto desejável. As coisas estão mudando de maneira irreversível.

Em partes, a mulher ainda precisa da narrativa pra ficar excitada, mesmo essa nova mulher. “50 tons de cinza” é carregado dos estigmas patriarcais, mas mostra uma mulher desejante, que se permite gozar e aprender.

(É patético ela ser virgem em pleno século 21, mas ela não deixa de ser uma heroína sexualizada.)

Devagarzinho, mesmo a cultura mainstream já sexualiza a mulher de maneira que não dá mais pra ela ser pura, casta. A princesa contemporânea precisa gozar. Estamos em outros tempos.

Uma vida sexual interessante é aquela em que qualquer um pode exercer muitos papéis. O de dominador e o do submisso. É importante transitar com o desejo.

O que te dá tesão? Como seu corpo vibra? Estar dentro da sua pele é a melhor forma de descobrir.

Assim como o homem se excita com o peito e a bunda, a mulher também pode gostar de pau, de peito, de perna. Algumas confessam que gostam, a maioria não fala porque ainda é tabu. Complexificar a excitação é a chave. A gente tem raciocínios muito binários. Amor é assim, sexo é assim.

Isso é tosco e simplista, não cabe mais no contemporâneo. Romper paradigmas é importante: o da beleza, o da juventude, o de gênero e o do que excita mulher e homem. Se libertar dos raciocínios estereotipados. O mergulho nessa complexidade traz o mais rico do tesão de um indivíduo.

Maria Lucia Homem é psicanalista e professora na Faap e no Núcleo Diversitas-USP. É autora de No limiar do silêncio e da letra – traços da autoria em Clarice Lispector (Boitempo, 2012)

Por que às vezes temos orgasmos involuntários

O corpo responde a um estímulo físico e provoca ou uma ereção ou uma lubrificação dos órgãos genitais femininos.

À primeira vista, todos responderiam que essa pessoa está excitada e deseja ter relações sexuais, mas não é necessariamente esse o caso.

É que às vezes o corpo responde de forma automática, mas a mente não o acompanha. Trata-se de uma excitação involuntária ou sem concordância.

Apesar de ser um fato conhecido pelos especialistas, nem todo mundo parece entender que uma pessoa esteja excitada e, no entanto, não queira ter relações sexuais. Embora se entenda a situação contrária, quando uma pessoa deseja ter relações, mas seu corpo não responde como ela quer.

A educadora sexual Emily Nagoski explicou isso de uma forma bem clara na conferência TED que realizou no ano passado, na qual citou como exemplo vários parceiros que, ao praticar seus jogos sexuais, conseguiram fazer com que a mulher ficasse lubrificada, mas não com que se sentisse mentalmente excitada. No entanto, em vez de o parceiro levar em conta as palavras ou os sentimentos da outra pessoa, argumentava que o corpo falava por ela.

“Se eu salivar ao morder uma maçã podre, será que alguém vai poder dizer: ‘Você disse que não, mas seu corpo disse que sim’?”, explicou Nagoski em sua conferência, assinalando que a única forma real de saber se alguém quer sexo é perguntando.

A explicação dessa excitação física sem concordância foi dada pelo bioquímico e divulgador científico Pere Estupinyà em seu livro S=EX²: “Em condições normais, a excitação física e a excitação mental estão intimamente relacionadas, mas às vezes alguém pode se sentir mentalmente excitado ou excitada sem que seus órgãos genitais tenham nenhuma reação, e em outras ocasiões pode ocorrer uma resposta genital sem que haja uma sensação subjetiva de estar excitado”.

Para entender por que isso ocorre é preciso ter em mente que “a excitação sexual pode ser desencadeada tanto por um estímulo mental como por um processo puramente físico”.

É por isso que “são gerados orgasmos espontâneos durante o sono, há casos publicados de orgasmos que ocorrem enquanto se faz certos exercícios de ginástica e, dependendo da altura de sua lesão, alguns portadores de paralisia podem ter ereções e orgasmos por estimulação genital direta, sem que nenhuma informação proceda ou chegue do cérebro”.

Os casos mais complexos dessa excitação não desejada são, sem dúvida, os orgasmos involuntários que podem chegar a ocorrer durante um estupro. Estupinyà cita um estudo de 1999 em que, de 158 vítimas de estupro, 21% admitiram ter sentido uma resposta física prazerosa, embora todas, sem exceção, tenham descrito a violação como mentalmente devastadora.

Sobre esses casos, o bioquímico argumenta que embora o estresse costume diminuir a resposta sexual, em algumas ocasiões ele pode provocar o efeito contrário, “aumentando o fluxo sanguíneo dos genitais e favorecendo a lubrificação”. Talvez como uma medida defensiva diante da dor e como uma forma de fazer a mente fugir do medo da situação.

Embora essa excitação involuntária seja mais comum em mulheres, também foram coletados dados de homens “que sentiram prazer durante abusos forçados”.

A questão dos orgasmos involuntários durante abusos sexuais é mais complexa do que outras excitações não concordantes, precisamente pela culpabilidade que a incompreensão desse fato gera nas vítimas.

A controvérsia causada por esse tabu foi demonstrada pela popularidade de um tópico aberto por um terapeuta no foro americano Reddit sobre o assunto, no qual ele relatava: “Atendi mais mulheres com esse problema das que posso lembrar.

Muitas vezes isso vem à tona em algum momento durante a terapia, e é extremamente violento e incômodo para a vítima falar sobre isso. No entanto, depois que vem à tona, a vítima pode observar sua reação com honestidade e começar a se curar”.

O tópico recebeu mais de 4.000 respostas.

As chaves para essa questão são abordadas pela sexóloga María Esclapez, que afirma que “o desejo é um estado mental e a excitação é um estado físico”. Dessa forma, ela insiste que “não precisa, necessariamente, existir desejo para que ocorra excitação”.

A prova é tão simples como observar uma cena de sexo em um momento de cansaço ou falta de desejo: “Depois de 10-15 minutos vendo tudo que ocorre na cena, eu gostaria que a atenção fosse concentrada nos genitais desses observadores. É um reflexo, as mulheres estarão lubrificadas e os homens provavelmente terão uma ereção”.

Mas isso não significa que eles queiram necessariamente ter relações sexuais nesse momento, já que muitos outros fatores influem nisso.

Assim, a solução é tão simples quanto escutar o que a outra pessoa diz e não se concentrar apenas em seus órgãos genitais.

“Quando você sugere às pessoas a possibilidade de perguntar ao companheiro se ele quer ter relações sexuais ou se está gostando do que está sendo feito, a maioria não acredita que isso seja necessário, achando que ‘isso se sabe’ ou ‘se nota’, quando a verdade é que a resposta fisiológica pode não estar de acordo com o que a pessoa deseja ou pensa”, insiste a especialista.

O problema de fundo, mais uma vez, é a falta de uma educação sexual formal, já que, como lembra Esclapez, “a educação sexual também explica conceitos como o consentimento, o consenso, a comunicação, a tolerância e o respeito”.

A também sexóloga Zoraida Granados assinala que há muitas outras situações em que pode ocorrer uma excitação sexual não desejada. Um caso mais comum é a visita ao ginecologista.

“Quando estamos sendo submetidos a um exame citológico, vaginal ou retal, nosso corpo, nessas situações de nervosismo e até de desconhecimento dos processos, pode reagir produzindo lubrificação para reduzir a dor ou o desconforto”, explica.

Granados também destaca que isso é fácil de entender: “Existem situações em que o contexto nos excita, como ver um filme pornográfico ou ler um livro erótico, mas isso não significa necessariamente que desejamos ter relações sexuais nem nos masturbar nesse mesmo lugar e momento”, se estivermos lendo no metrô, por exemplo. Algo semelhante ao que acontece com os homens, com as ereções que ocorrem à noite de forma autônoma.

Outro caso relacionado à excitação involuntária é a chamada excitação genital persistente. A especialista o define como “uma excitação física excessiva e não desejada, que provoca o aumento da irrigação sanguínea nos órgãos genitais e o aumento das secreções vaginais sem desejo de atividade sexual”.

Trata-se de casos mais extremos em que “a excitação pode durar horas, dias ou meses e os orgasmos ocorrem um após o outro, mas só acalmam os sintomas por um momento, depois eles voltam, o que faz com que seja muito complicado ter uma vida normal”.

Tendo em mente que nesses casos as mulheres que sofrem desse problema vivem com muita angústia, é importante assinalar que o fato de existir um quadro clínico para essa excitação faz com que a sociedade possa entender melhor essa situação do que o caso de um orgasmo involuntário em outro contexto, como um abuso sexual, embora a explicação possa ser semelhante. Afinal, trata-se de falta de conhecimento sobre nossa própria resposta sexual, que não é tão simples e básica como pensamos.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*