Como É Que Os Cães Vêem?

Como É Que Os Cães Vêem?

Como É Que Os Cães Vêem?

Ver fichas de  Cachorros

Esta é uma pergunta muito frequente entre todos nós que convivemos diariamente com estes patudos. Como será que enxerga o meu cachorro? Será que o meu pet vê o mundo do mesmo jeito que eu ou que os outros animais?

Para responder a esta questão, o PeritoAnimal criou este artigo que aborda este tema ao detalhe para que você compreenda melhor como o cachorro enxerga seu dono e o mundo em torno dele, as cores que ele vê e com que idade sua visão evolui. Continue lendo!

Ao nascer, o filhote de cachorro é cego e é por volta das 3 semanas de idade que os cachorros abrem os olhos e começam a ver.

É por volta das 5 semanas de idade que os cachorros têm a visão periférica totalmente desenvolvida.

Entre as 5 e as 7 semanas é a idade ideal para começar adestrando o seu cachorro, já que ele já está um pouco independente da mãe e a maioria dos seus sentidos desenvolvidos.

Lembre sempre de controlar os estímulos durante o adestramento, para que treino não seja confuso e o seu pequenino aprenda mais rápido!

Aproximadamente aos 3 meses de idade, o seu cachorro atinge a visão que terá em adulto.

Como É Que Os Cães Vêem?

Ao contrário dos humanos, os cachorros não querem ficar enxergando computador e celular, suas preocupações se concentram mais na sobrevivência e a visão deles está adaptada a isso mesmo. Ele passa o seu dia observando o que o rodeia e enxergando a querida família dele. A visão dele é bem diferente da nossa, por isso mesmo ele não o enxerga do mesmo jeito que você a ele.

A visão do cachorro, a maneira como ele enxerga o mundo, resulta de vários fatores:

  • Capacidade de medir as distâncias (Campo visual e percepção da profundidade): É a posição os olhos na cabeça do animal que vai determinar o grau de visão periférica dele e a quantidade de campo visual que ele consegue ver com ambos os olhos, a chamada de visão binocular. É esta que vai permitir ele enxergar em profundidade e medir corretamente as distâncias. O campo de visão dos cachorros é de 240 º enquanto o nosso, seres humanos é de 200 º. Por outro lado, a visão binocular dos humanos é maior do que a dos cachorros.
  • Capacidade para focar objetos (acuidade visual): Esta é a capacidade que permite focar diferentes objetos e que permite saber que se tratam de coisas diferentes. A córnea e o cristalino são os principais responsáveis por esta capacidade!
  • Percepção do movimento: Os cachorros têm uma visão muito sensível ao movimento. Há inclusive estudos que dizem que eles podem detetar objetos ou animais em movimento até 800 metros!
  • Diferenciação das cores: Os cones são as células da retinam que determinam a percepção das cores quando são estimulados por luz de diferentes comprimentos de onda. Tenho a certeza que você se está questionando se afinal o seu cachorro enxerga a preto e branco como todo mundo fala. Vamos já responder a essa pergunta!

Como É Que Os Cães Vêem?

Os cachorros não enxergam as cores como os humanos, mas a afirmação de que eles enxergam a preto e branco é um mito!

Como mencionado antes, são umas células na retina chamadas de cones que ao receberem luz com comprimentos de onda diferentes que permitem percepcionar diferentes cores.

Enquanto que os seres humanos têm sensibilidade a 3 cores diferentes (encarnado, azul e verde) e por essa razão se diz que têm uma visão tricromática, os cachorros são sensíveis a apenas 2 cores (azul e amarelo), ou seja, têm uma visão dicromática.

Sim! É isso mesmo que você leu, os cachorros podem ver no escuro e esta é uma das características mais importantes que eles herdaram dos seus antepassados lobos, perfeitos caçadores noturnos!

A pupila do cachorro tem uma grande capacidade de dilatação e isso permite que por mais ténue que seja a luz, estimule a retina! Na retina existem uma camada de células com capacidade refletora chamada tapetum lucidum, caraterística de mamíferos noturnos e que nós, seres humanos, não possuímos.

Claro que na escuridão total ele não vai conseguir enxergar nada, por precisa de um pouquinho de luz, por mais ténue que seja, para estimular estas células de que estou falando.

O cachorro consegue distinguir a cerca de 6 metros, ao contrário de uma pessoa que consegue até 25 metros. Esta capacidade depende essencialmente da córnea e do cristalino, sendo que o cristalino deles não tem tanto poder de acomodação como o do ser humano.

Há alguns cachorros com miopia e outros com hipermetropia, assim como raças que enxergam melhor que outras. O labrador retriever é uma das raças conhecidas por ter melhor visão! Por outro lado, o pastor alemão e o rottweiler têm tendência para a miopia.

O cachorro não consegue enxergar a mais de meio metro do chão e algumas raças mais pequenas, apenas enxergam a poucos centímetros! Por exemplo, um pequinês tem uma amplitude visual muito inferior à de um terra-nova.

Outro fato bem interessante é que a memória visual do cachorro não é tão boa quanto a nossa, ele se auxilia dos outros sentidos como a audição e ao olfato para se recordar.

Porque o cachorro não se olha no espelho?

Os cachorros conseguem ver a sua imagem refletida no espelho, mas eles não capazes de se reconhecer. É por isso mesmo que alguns cachorros atacam, se escondem ou latem ao ver sua imagem no espelho.

Cachorro vê espíritos?

É bastante comum o cachorro latir para o vazio, ou alertar o seu tutor quando aparentemente não está passando nada de errado. Por essa razão, muitas pessoas se questionam se estes animais terão capacidades paranormais e se, de fato, os cachorros veem espíritos.

Até ao momento, não existem respostas concretas por parte da ciência neste tema. Mas a verdade é que alguns cachorros têm capacidades incríveis, alguns podem detectar diferentes tipos de câncer nas pessoas existem até relatos de cachorros que previram fenômenos catastróficos!

As incríveis capacidades dos cachorros se devem, principalmente, ao seu olfato incrível que permite até detetar sobreviventes em cenários catastróficos. Confira também o artigo do PeritoAnimal sobre uma questão que muitos se colocam, se os cães podem prever a morte.

A visão do cachorro é bem diferente da nossa, mas ela está perfeitamente adaptada às necessidades da espécie.

É muito importante que você esteja interessado em saber mais sobre o seu cachorro, o que demonstra que quer melhor ao máximo a sua relação com ele. Continue acompanhando os nossos artigos que vão ajudar a compreender ainda melhor o seu cachorro!

Como É Que Os Cães Vêem?

Se deseja ler mais artigos parecidos a Como o cachorro enxerga seu dono?, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Curiosidades do mundo animal.

Os cachorros enxergam no escuro?

Quem tem cachorro, provavelmente, já teve a impressão de estar sendo observado mesmo no escurinho da noite. Parece que os cães conseguem nos ver mesmo sem qualquer sinal de claridade, não é? Mas será que os cachorros realmente enxergam no escuro?

  • Os cães têm visão noturna 5x melhor que os humanos, enquanto os gatos têm visão 6x melhor. Mas isso não significa que você deva deixar as luzes apagadas.
  • Os cães ainda não conseguem enxergar na escuridão total, e sua capacidade de enxergar se deteriora com a idade.
  • Enquanto a visão humana é 20/20, a visão de um cão é 20/80, o que significa que a visão de longa distância é ruim.

Como funciona a visão noturna do cão?

Como É Que Os Cães Vêem?

Foto: Pixabay

Os cães não têm visão noturna no sentido de poderem ver quando está muito escuro ou não há luz.

O olho de um cão é constituído por uma córnea, pupila, lente e retina, que contém fotorreceptores compostos por hastes que absorvem luz e cones para absorver cor e brilho.

O segredo da visão noturna de um cão que lhes permite ver melhor do que os humanos em situações de pouca luz é uma grande quantidade de hastes sensíveis à luz encontrados na retina que coletam luz. Em salas escuras, a luz é capturada pela pupila, que é o centro de controle da luz do olho.

A retina dominante do cão coleta essa luz. E, usando um tecido fino atrás da retina chamado tapetum lucidum, amplifica e reflete a luz de volta para a lente semelhante à câmera, focada no que o cão está olhando.

Os cães podem ver muito melhor do que as pessoas em algumas situações, mas lembre-se de não deixá-lo em locais muito escuros. Ele verá o mínimo que um olho humano puder em áreas escuras.

Os cachorros enxergam no escuro? O que ajuda um cão a ver à noite?

Como É Que Os Cães Vêem?

Foto: Pixabay

Leia também:  Como Saber Que Alguem Gosta De Voce?

A visão de um cão desenvolve várias maneiras de formar uma imagem do que está à sua volta à noite. Mas como os cães não possuem uma grande porcentagem de cones na retina para capturar brilho e cor, os olhos confiam nos seguintes recursos para a visão noturna:

  • Detector de movimento
  • Sensibilidade à luz
  • Perspectiva visual
  • O campo visual de visão
  • Percepção de profundidade
  • Acuidade visual
  • Percepção de cores
  • Nitidez da forma

Por que os olhos do seu cão brilham

Como É Que Os Cães Vêem?

Foto: Pixabay

Tenho certeza que você notou que, quando a luz atinge os olhos de seu cão, você pode ver um brilho verde refletindo de volta para você (geralmente com resultados assustadores). Mas o que você está vendo é chamado de Tapetum, e é uma das vantagens evolutivas dos cães.

Quando nossos olhos processam a luz, ela tem uma chance de inserir nossos fotorreceptores a serem processados. Mas os cães têm uma segunda chance espelhando a luz do Tapetum (localizado na parte posterior do olho) e voltando ao fotorreceptor. Esse processo secundário oferece uma visão noturna aprimorada.

Embora seja ideal em um ambiente escuro, esse processo de reflexão também dispersa a luz, o que causa alguma degradação geral da visão.

Raças diferentes têm visão diferente?

Como É Que Os Cães Vêem?

Tecnicamente falando, existem algumas diferenças. Algumas raças têm melhor genética ocular do que outras. Isso significa que elas estão mais propensas a ter uma visão melhor do que um cão que ficou cego aos dois anos por causa de catarata juvenil.

E certas raças são mais propensas a perder a visão ou desenvolver problemas oculares.

Além dos problemas visuais causados ​​pelo envelhecimento ou pela doença, não há indicação de que diferentes raças de cães (ou mesmo lobos) tenham níveis variáveis ​​na visão.

6 fatos sobre a visão do cão

  • Os cães têm visão dicromática. Isso significa que os cães vêem a cor, embora sem brilho e principalmente em azul-violeta, amarelo e tons de cinza. A menor porcentagem de cones significa que os cães têm uma absorção de cores diminuída e perdem os detalhes visuais.
  • Os olhos de um cão brilham verde no escuro quando a luz brilha porque reflete no tapetum lucidum, que os humanos não possuem.
  • A posição dos olhos de um cão na cabeça oferece um campo de visão periférico mais amplo. Assim, varia entre 240 e 270 graus, dependendo da raça.
  • Devido ao alto volume de hastes sensíveis à luz no olho de um cão, os cães são capazes de detectar movimentos muito mais rapidamente, com até 80 imagens capturadas por segundo, contra 60 imagens por segundo para humanos.
  • A visão não é um sentido primário para os cães, que dependem principalmente do olfato para navegar no mundo.
  • Ao contrário da visão das pessoas em 20/20, os cães têm uma acuidade visual de 20/80.

Os cachorros enxergam no escuro? Deixe a luz acesa para o seu cão!

Como É Que Os Cães Vêem?

Foto: Pixabay

A estrutura da visão canina é diferente da nossa e entender essas diferenças estruturais ajuda a acabar com esse mito.

Os cães têm pupilas maiores, têm mais hastes em retinas mais largas e um tecido chamado tapetum lucidum por trás dessas retinas. Assim, através desses mecanismos que os cães parecem que enxergam no escuro.

Os cachorros não conseguem enxergar na completa escuridão, assim como os humanos. O segredo da visão noturna canina é que eles fazem um melhor uso de qualquer luz que esteja disponível, por menor que seja.

Por causa da maneira que os olhos dos cães são estruturados, eles usam qualquer luz que exista de maneira duplicada, ou seja, processando a luz assim que ela entra em seus olhos e depois refletindo novamente qualquer excesso.

Isso significa que a visão dos cães à noite ou em qualquer situação com pouca iluminação, pode ser borrada ou menos distinta. Mas eles são capazes de perceber qualquer movimento, seja de uma pessoa, um animal ou até mesmo um objeto caindo.

Mas não deixe seu cão na escuridão total, pois mesmo sabendo que os cachorros enxergam no escuro, a visão não é perfeita. Lembre-se de que cães mais velhos podem não ver também.

O que os cães veem quando assistem à televisão

Existem cães que sabem sentar, dar a mão, trazer o jornal, deitar-se ou fingir de morto, e também existem alguns que assistem à televisão e acabam tendo milhares de visualizações no YouTube.

Um dos últimos a se popularizar foi Falco, um pastor alemão que choraminga e uiva assistindo à cena de O Rei Leão em que o pai de Simba morre.

Foi publicado em junho — ultrapassando um milhão de reproduções em dois meses — e apareceu em diferentes veículos de comunicação espanhóis durante a última semana de agosto, mas o cachorro sabe o que está acontecendo na tela?

Os vídeos de cães reagindo a programas de televisão ou filmes são um clássico da Internet. Neste ano, em fevereiro, se popularizou outro vídeo semelhante, no qual, além disso, outro cachorro assiste à mesma cena que Falco, a da morte de Mufasa.

Embora possa parecer que, por sua reação, os cães saibam o que está acontecendo na tela, não há provas de que seja assim.

“Não podemos pensar que eles veem ou entendem o mesmo que nós, e muito menos que se emocionem”, conta ao EL PAÍS o etólogo (especialista em comportamento animal) Daniel Ferreiro, membro do Colégio de Veterinários de Sevilha e diretor do Centro de Etologia Clínica D’animales. “Seria muito bonito pensar isso, mas as provas são, por enquanto, anedóticas”.

Ferreiro conta que um estudo de 2016 realizado com 320 cães de três raças diferentes (poodles, dachshunds e chihuahuas) observou que os cães reagiam à televisão de maneiras muito diferentes: alguns latiam, outros choramingavam, outros procuravam atrás da televisão e outros não reagiram de nenhuma maneira, inclusive dois cães da mesma casa podiam responder à televisão de duas maneiras diferentes. Essas reações parecem indicar que os cães prestam atenção e entendem que algo está acontecendo na tela, “mas a amostra do estudo não é muito grande e os resultados não podem ser generalizados”, explica.

Os resultados da pesquisa também mostraram uma diferença entre as raças ao assistir à televisão: entre os cães estudados, 52% dos poodles assistiam à televisão, enquanto apenas 11% dos dachshunds o faziam. O estudo também aponta que a educação dos animais também pode afetar no fato de eles prestarem atenção ou não à televisão.

Entre os cães de terapia (treinados para ajudar no tratamento de uma pessoa doente) estudados, 60% assistiam à televisão, enquanto apenas 20% dos cães sem esse tipo de treinamento o faziam.

“Os dados dos cães de terapia sugerem que o comportamento de assistir à televisão está relacionado à boa capacidade de comunicação entre cães e humanos”, defende o estudo.

Outro estudo publicado em 2013 na revista científica Animal Cognition apontou que os cães reconhecem outros cães na tela.

Para isso, foram mostradas imagens de diferentes raças de cães e, simultaneamente, de outras espécies de animais, incluindo seres humanos.

Todos os cães que participaram do estudo foram capazes de diferenciar as fotos dos cães, mas, novamente, a amostra do estudo é muito pequena para que o resultado seja generalizado: foram utilizados nove cães.

Como É Que Os Cães Vêem?Imagens do estudo da ‘Animal Cognition’ que mostram a realização da experiência, projetando diferentes imagens de animais aos cães.

O que sabemos com certeza é que os cães não enxergam como nós. Embora o mito diga que os cães enxergam em preto e branco, não é verdade: “Percebem as cores, mas não conseguem perceber o leque inteiro”.

Isso ocorre porque a visão dos cães percebe menos gamas de cores: enquanto nós temos uma visão tricromática (percebemos vermelho, verde e azul), os cães só distinguem entre azuis e amarelos.

Abaixo é possível ver alguns exemplos de imagens como nós as vemos (à esquerda) e como os cães as veem (à direita). Você pode experimentar as imagens que quiser nesta ferramenta.

Como É Que Os Cães Vêem?'O beijo', de Klimt.Como É Que Os Cães Vêem?Fragmento de 'Amarelo, vermelho e azul', de Kandinsky.Como É Que Os Cães Vêem?Fragmento de ‘O Jardim das Delícias’, de Bosch.

Afinal, será que os cães conseguem ver as cores?

Será que os cães conseguem ver as cores como nós as vemos? Esta é provavelmente uma das questões mais populares relativas ao melhor amigo do homem.

Segundo uma reportagem da publicação Psychology Today, a maioria das pessoas crê que os cães são daltónicos e que apenas conseguem visualizar tons cinza – porém tal conceção está errada, alerta o psicólogo norte-americano Stanley Coren.

Leia também:  Aqueles Que Confiam No Senhor São Como Aguias?

O médico explica que sim, que os cães veem de facto as cores, mas que os tons que visualizam não são tão variados ou tão ricos/pigmentados como os que o ser humano é capaz de ver.

Os olhos de tanto as pessoas como dos cães contêm células especiais que capturam a luz e que respondem às cores. Os seres caninos têm uma menor quantidade destas células, o que sugere que não possuem uma visão tão intensa quanto a nossa.

Os casos mais comuns de daltonismo nos seres humanos caraterizam-se pela falta de uma dos três tipos de células que captam a luz. Com apenas duas destas células, o individuo ainda ainda consegue visualizar as cores, mas menos, comparativamente a alguém com uma visão dita normal. Sendo esta a mesma situação com os cães, que também possuem apenas duas destas células.

Jay Neitz, professor e investigador na Universidade da California, Santa Barbara, nos Estados Unidos, testou a visualização de cores canina.

Durante a realização de várias experiências, Neitz confirmou que os cães conseguem de facto ver cores, mas em menor quantidade do que os seres humanos.

Ao invés de visualizarem os tons do arco-íris: violeta, azul, azul esverdeado, verde, amarelo, laranja e vermelho, os animais veem esse fenómeno natural em tons de azul escuro, azul claro, cinza, amarelo claro, amarelo acastanhado e em tons de cinzento muito escuro.

Ou seja, veem cores como o verde, amarelo e laranja como amareladas, e o violeta e azul como azul. Já o azul esverdeado é percetível como cinzento.

Um facto divertido e surpreendente, segundo Neitz, é que os brinquedos mais populares à venda atualmente para cães são vermelhos ou cor de laranja fluorescente. Todavia, o vermelho é um tom extremamente difícil de identificar para os cães. Parecendo castanho escuro ou preto, ou seja, não fique espantado se lançar no ar um brinquedo dessa cor e o seu cão não o conseguir apanhar…

ACOMPANHE AQUI O

Seja sempre o primeiro a saber.Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.

  • Descarregue a nossa App gratuita.

Temos novas evidências de que os cães ‘veem’ o mundo com seus focinhos

Os cães possuem olfato muito apurado, mas os cientistas ainda não tinham certeza se nossos companheiros conseguiram ligar o aroma ou fragrância a objeto físico. Uma nova pesquisa sugere que eles conseguem e até mesmo formam uma imagem mental do objetivo quando estão procurando por um cheiro específico.

• Um cachorro consegue entender cães e humanos de outro país?
• A história por trás da foto deste astronauta é tão legal quanto seus cachorros

Para os humanos, a visão é um sentido muito importante. Os cães, por outro lado, se apoiam mais no olfato e audição para obter informações do que está ao redor deles. A visão dos cachorros não é muito boa, na verdade a acuidade visual deles chega a ser de quatro a oito vezes pior do que a nossa.

Além disso, a linha de visão deles está a poucos centímetros do chão (dependendo da raça), então acabam tendo uma visão bem limitada do horizonte. E ao contrário do mito popular, os cães não veem o mundo em preto e branco; eles são daltônicos e não conseguem distinguir entre objetos que são verdes, amarelos e vermelhos.

O que eles perdem na visão é compensado por seus focinhos e ouvidos poderosos. Os cachorros possuem uma audição excelente, identificando frequências entre 40 Hz a 60 kHz, enquanto os humanos escutam entre 12 Hz a 20 kHz.

As raças caninas possuem mais de 18 músculos em cada orelha, permitindo orientar cada uma de forma independente como radares; os cães conseguem ouvir sons que estão quatro vezes mais longe se comparado com os humanos.

E eles possuem um olfato apuradíssimo. Cachorros possuem um órgão altamente especializado em seus focinhos, equipado com 300 milhões de receptores olfativos. Eles possuem também um órgão olfativo em seu cérebro que é 40 vezes maior do que o nosso. O resultado é um sentido dez mil vezes mais poderoso do que o nosso.

“Se fizermos uma analogia com a visão, o que eu e você conseguimos enxergar a meio quilômetro, um cão conseguiria enxergar a mais de 4.800 quilômetros”, disse o cientista James Walker, da Universidade do Estado da Flórida, à Nova, há alguns anos.

Isso está bem definido pela ciência, mas não sabemos como a informação olfativa é processada e interpretada no cérebro dos cães.

Para simplificar, não sabemos se os cachorros entendem o que eles estão cheirando, além de ser algo “bom/desejável” ou “ruim/indesejável”.

Cientistas não conseguiram provar que os cães percebem odores como representantes de objetos específicos, o que soa muito estranho.

“Acho que é isso que muitos donos de cachorros pensam quando ficam sabendo a respeito do nosso novo estudo”, disse Juliane Bräuer, principal autora do artigo publicado no Journal of Comparative Psychology, ao Gizmodo.

“Nós – como humanos – assumiríamos que eles possuem uma imagem na cabeça, mas não sabemos isso! A interpretação dos behavioristas seria a de que cães percebem um odor como um estímulo, o que pode ser relevante ou não.

Tentamos mostrar que os cachorros realmente esperam por algo específico quando eles seguem uma trilha de aroma”.

De fato, como o novo estudo mostra, os cães fazem mais do que simplesmente classificar um cheiro como “positivo” ou “negativo” de acordo com as suas necessidades. Bräuer, que trabalha fora do Max Planck Institute for the Science of Human History, conduziu experimentos mostrando que os cachorros criam uma representação mental de um alvo quando estão buscando um cheiro.

Para o experimento, o time de Bräuer testou 25 animais que tinham passado por um treinamento para cães farejadores com a polícia ou equipes de busca e resgate, bem como 23 cães comuns, destreinados. Cada cachorro foi colocado com dois brinquedos familiares que gostavam de buscar.

Os pesquisadores colocavam um de dois cenários possíveis para os cães: depois de seguir uma trilha de aromas de um dos dois brinquedos, eles encontrariam o brinquedo correspondente (o cenário de condição normal) ou o outro brinquedo (condição inesperada). Cada cachorro participou em um dos dois testes em quatro experimentos.

No cenário de condições normais, os cães não faziam nada fora do comum. Mas na condição inesperada, os animais chegavam ao brinquedo e exibiam um momento de hesitação – uma pausa rápida que basicamente era como se dissessem, “ué, o que é isso?”

Em outras palavras, eles estavam procurando por um objeto específico e ficaram surpresos ao encontrar algo diferente. Depois da hesitação, no entanto, eles voltavam a buscar o objeto que condizia com o aroma condizente.

“Embora eles tivessem notado o brinquedo, eles continuavam buscando por meio do cheiro, provavelmente para achar o brinquedo que foi utilizado para criar a trilha de aroma”, disse Bräuer. Isso sugere fortemente que, depois de escolher um cheiro, os cães formulavam uma imagem mental daquele brinquedo específico.

O efeito surpresa era mais perceptível durante a primeira rodada e foi diminuindo a cada rodada sucessiva.

Os cães da polícia e de equipes de resgate conseguiam recuperar os objetos mais rápido do que os animais destreinados (o que era esperado), mas durante a quarta e última rodada todos estavam recuperando os objetos com a mesma eficiência. O importante é que o “efeito surpresa” foi visto em ambos os grupos.

É importante notar que se trata de um estudo comportamental e os cientistas não podem estar completamente seguros de que os cães estão formando uma representação do objeto em suas mentes, em vez de serem guiados por um objeto ou a ter determinado comportamento por causa de outros fatores.

“Acho extremamente difícil imaginar como é ser um cachorro e perceber o mundo principalmente por meio do focinho, portante, é difícil criar um estudo apropriado para responder a muitas questões que temos”, admitiu Bräuer. Outros pesquisadores, disse ela, devem investigar as conexões entre a percepção do cheiro, o comportamento de busca e a cognição para obterem uma imagem melhor do que os cães estão realmente fazendo.

Deixando essa ressalva de lado, não seria uma surpresa saber que os cães são capazes disso. Muito do ímpeto por trás desse estudo é a noção atrasada de que os cachorros são autômatos não sofisticados, guiados exclusivamente por instintos e impulsos.

Sabemos há anos que os cachorros possuem níveis de autoconhecimento parecido com o dos seres humanos; quando estão em exames de imagem por ressonância magnética, as partes “felizes” de seus cérebros são ativadas quando sentem o cheiro de humanos familiares. Estudos como esse – embora importantes – estão apenas apontando o que parece ser óbvio para qualquer dono de um cachorro.

[Journal of Comparative Psychology]

Leia também:  Como Saber Quem É A Sua Alma Gemea?

Imagem do topo: Petra Jahn

Clique Ciência: cães enxergam tudo em preto e branco?

Por muito tempo acreditou-se que os cachorros enxergavam o mundo em preto e branco, mas esse mito foi derrubado há alguns anos, após a realização de estudos científicos mais precisos.

Os pesquisadores, hoje, sabem que cães captam menos cores –vermelho e verde estão fora da lista, por exemplo– e não conseguem distinguir tantos detalhes quanto nós.

Porém, como têm olfato, paladar e audição mais desenvolvidos, essas características não são necessárias para a sobrevivência canina.

“O conjunto dos sentidos dá conta do recado para eles”, comenta a médica veterinária Angélica Safatle, do Hospital Veterinário da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP (Universidade de São Paulo).

A especialista informa que, se o mundo, para esses bichos, é mais desfocado e menos colorido que o nosso, a escuridão, para eles, é menos ameaçadora. É que, comparada à nossa, a retina dos cachorros (parte do olho que percebe a luz) conta com mais células bastonetes, adaptadas para condições de pouca luminosidade, e menos células cones, envolvidas na percepção das cores e detalhes.

Como os daltônicos

Cada tipo de célula cone é sensível a um espectro e, enquanto seres humanos possuem três tipos de cones, os cães possuem apenas duas, assim como os daltônicos, que representam cerca de 4% da população masculina.

“De acordo com pesquisas, os cães têm a capacidade de distinguir tons básicos de cores: amarelo, azul e cinza. Todas as outras cores se atenuam aos olhos do cão e caem em um desses tons”, explica Juliana Yuri, adestradora e consultora comportamental da equipe Cão Cidadão.

A consultora acrescenta que, por conta de outra estrutura ótica –o “tapetum lucidum”– a luz que passa pela retina dos cães, assim como dos gatos, é “aumentada”, o que dá a esses animais uma visão melhor para vagar por aí de madrugada. Essa membrana, por sinal, é responsável pelo aspecto de “farol refletor” que os olhos de muitos bichos apresentam na penumbra.

Movimento funciona

“Outro detalhe importante sobre a visão canina é que os animais não enxergam muitos detalhes a curta distância: se um objeto pequeno cair em frente a um cão, até uma distância de 40 centímetros, mais ou menos, há uma grande chance de ele não ser notado pelo animal. Porém, se você mover esse objeto na frente do cão, isso fará com que ele se torne instantaneamente mais interessante”, complementa Yuri. Ou seja, os olhos do melhor amigo do homem são mais sensíveis aos movimentos.

Uma pesquisa realizada no ano passado pela Universidade da Cidade de Londres, no Reino Unido, ainda mostrou que cachorros e gatos, assim como vários outros animais, são capazes de enxergar a luz ultravioleta, o que é impossível para seus donos. Os cientistas ainda não sabem exatamente qual a vantagem disso –é algo que ainda precisa ser mais estudado.

E os gatos?

Outra pergunta frequente relacionada ao tema é: a visão dos gatos é melhor que a dos cães? Segundo a médica veterinária da USP, esse é outro mito infundado. Para dar uma noção das diferenças, ela usa um conceito comum entre os oftalmologistas: o 20/20.

Os médicos supõem que uma pessoa com visão normal enxerga perfeitamente o quadro de teste a 20 pés, ou seja, a seis metros de distância. Alguém com 20/40, portanto, consegue ver a seis metros o que uma pessoa com visão normal seria capaz de ver a 12 metros de distância. A partir de 20/200, o indivíduo é considerado cego para fins legais.

Safatle conta que a visão dos cães é 20/80 e a dos gatos, 20/100. E, novamente, a razão disso é simplesmente a falta de necessidade. Aves de rapina, por exemplo, dependem dos olhos para identificar a presa lá do alto, por isso enxergam bem melhor que os seres humanos. Segundo pesquisadores, falcões chegam a ter uma visão 20/2.

O risco de doenças é o mesmo

Apesar das diferenças de acuidade visual, seres humanos e cachorros compartilham o risco de desenvolver certas doenças capazes de levar à cegueira, como catarata, olho seco, glaucoma, miopia e úlceras de córnea.

A oftalmologia veterinária evoluiu bastante nos últimos anos e, hoje, os animais de estimação também contam com tratamentos de ponta para essas enfermidades, relacionadas à genética e à idade. “Muitos cachorros apresentam catarata precocemente, por volta dos quatro anos”, relata.

Mas a veterinária da USP considera que, quando a cegueira é inevitável, os cães se saem melhor, justamente por terem outros sentidos mais aguçados, algo que os humanos com visão comprometida demoram algum tempo para desenvolver. 

Como os cães veem – Meus Animais

A resposta mais óbvia para essa pergunta é: com os olhos. Mas a resposta mais comum é: em preto e branco. Entretanto, recentemente, foi  descoberto que essa última resposta não é verdadeira. Os cães podem ver em cores, mas a gama que eles percebem é menor do que a dos humanos.

Você nunca percebeu que seu cão demora para encontrar algum brinquedo vermelho, ainda mais se ele estiver cansado na grama? Ou que ele não presta atenção à bola vermelha, mas sim a bola azul?Isso é porque os cães têm dificuldades para perceber algumas cores que os humanos percebem sem problemas. Neste artigo explicamos a você como os cães veem.

O que é a visão, exatamente?

O que se conhece como visão é o resultado de uma combinação de fatores que incluem: o campo visual (a “largura” da visão. Ou seja, o que se vê pela extremidade do olho), a percepção de profundidade (que é usada para medir distâncias. Sem isso, iríamos estar sempre batendo contra as paredes), a acuidade (a habilidade de focar e não ver as coisas de forma imprecisa), a percepção do movimento e a diferenciação da cor.

A combinação desses aspectos, processados pelo cérebro, é o que possibilita a visão.

No que é diferente a visão canina da humana?

  • O grau de visão periférica e a largura do campo visual são determinadas pela posição dos olhos na cabeça.
  • O campo visual de um cão é de 240º, enquanto que o dos humanos é de 200º, o que significa que sua visão é mais ampla que a de um ser humano.
  • Entretanto, a capacidade de visão periférica de um cão é aproximadamente a metade da de um humano, por isso ele mede pior as distâncias.

A acuidade visual (o foco) é o que, nas pessoas, mede-se com as “letrinhas” com as quais o oftalmologista faz seus exames.

Essa capacidade, em um cão, é bastante menor que a de um ser humano.

Um cão distingue a 6 metros o que uma pessoa distingue a 25. Portanto, sua capacidade de ver à distância é muito baixa, então nunca espere que seu cão reconheça você, se você estiver há mais de 6 metros de distância.

Por outro lado, os cães sofreram uma evolução ótica própria dos animais caçadores. Isso quer dizer que eles possuem uma estrutura especial sob a retina, que funciona como um espelho e intensifica a quantidade de luz que o animal percebe.

Isso significa que eles têm uma excelente visão noturna e movem-se melhor na escuridão ou em situações com pouca luz.

Como funciona a percepção da cor nos cães?

  1. A percepção da cor (em cães e em humanos), é determinada por fotorreceptores denominados cones, que se encontram na retina (na parte detrás do olho) e que são estimulados em condições de muita iluminação.
  2. Enquanto que nos humanos a retina é formada exclusivamente por cones, nos cães só 20% da retina são cones, por isso sua visão só capta determinadas longitudes de ondas.
  3. Isso implica que os humanos podem ver 3 cores primárias (magenta, ciano e amarelo) e todas suas combinações, enquanto que os cães só podem ver 2 cores primárias (ciano e amarelo), por isso o número de combinações reduz-se drasticamente e se perdem os vermelhos, laranjas, violetas, marrons…

De fato, foi comprovado que os cães confundem o vermelho e o verde, como os daltônicos, e portanto, eles têm dificuldades reconhecendo objetos de cor vermelha. Principalmente, se forem vermelhos sobre um fundo verde (ou verdes sobre um fundo vermelho).

Assim, quando for comprar brinquedos para seu cão, escolha os de cor azul ou amarelo para que eles possam  distingui-los melhor.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*