Como E Quando Surgiu A Internet?

A Internet foi das maiores invenções tecnológicas da história da Humanidade. No mundo digital, o papel e a caneta deram lugar ao computador equipado por um monitor, teclado, rato, etc, e todos os conteúdos são agora facilmente acedidos através daquilo que o próprio monitor mostra.

  • A Internet permitiu ter acesso à informação numa questão de segundos, em qualquer parte do Mundo e Castells (2001) defende que a Internet é pioneira na comunicação de muitos para muitos, e fundamental para o Terceiro Mundo.
  • Mas como surgiu este serviço?
  • Como E Quando Surgiu A Internet?
  1. Castells, autor do livro, ‘A Galáxia Internet’ (2001) indica que a Internet surgiu exactamente em Setembro de 1969 através da ARPANET (Advanced Research Projects Agency Network), uma rede de computadores estabelecida pela ARPA(Advanced Research and Projects Agency).
  2. A ARPA foi fundada foi o objectivo de mobilizar recursos provenientes essencialmente do mundo universitário, de forma a acabar com a superioridade tecnológica militar existente na União Soviética que, em 1957, havia lançado o primeiro Sputnik.
  3. Como E Quando Surgiu A Internet?

Por sua vez, a ARPANET iria repartir o tempo de trabalho online dos computadores existentes nos vários centros de informática interactiva e nos grupos de investigação da agência. No entanto a Internet não surgiu apenas quando a ARPANET foi criada, mas deu o impulso e foi o motor para a dimensão da rede que hoje existe.

Após verificar a sua funcionalidade, a ARPANET foi ligada a outras redes de computadores da ARPA como a PRNET e a SATNET e assim apareceu o conceito de rede de redes.

Como E Quando Surgiu A Internet?

Em 1975 a DCA (Defense Communications Agency), obtém a ARPANET e a evolução e desenvolvimento levou ao aparecimento de outras redes. No ano de 1990, a grande maioria dos computadores dos Estados Unidos da América estavam já preparados para funcionar em rede.

  • O serviço mais conhecido e que associamos mais rapidamente quando falamos em Internet é a WWW (World Wide Web), que foi criado por Berners-Lee com o principal objectivo de melhorar o sistema de comunicação do CERN (European Organization for Nuclear Research), sediado em Genebra.
  • Como E Quando Surgiu A Internet?
  • A principal função do World Wide Web é a partilha de informação e a ligação entre si de diversas fontes de informação, através de um sistema interactivo de computação.

Por volta dos anos 90, a Internet encontrava-se já privatizada e a sua ligação à rede podia ser efectuada em qualquer rede informática a partir de qualquer ponto do planeta.

A WWW estava disponível para funcionar com qualquer software à disposição dos utilizadores.

Castells ainda refere que a Internet teve o sei início oficial no ano de 1995, mas já estava na mente dos informáticos deste os anos 60, pois em 1969 já se haviam estabelecido redes de comunicação entre computadores.

Estatísticas Actuais

Como E Quando Surgiu A Internet?

As estatísticas actuais (as mais recentes datam 31 de Dezembro de 2011), mostram bem o potencial e impacto que a Internet tem na vida e quotidiano da população a nível global. Podemos verificar que somos quase 2.267.233.

742 utilizadores no total, e que o continente asiático é o que contribui com mais população, sendo a Aceania/Austrália o que menos utilizadores tem a aceder à Internet. Por cá, na Europa somos também bastantes, com 500.723.

686 internautas.

Pergunta: Há quanto tempo utilizam a Internet? Como pensam que seria o vosso dia-a-dia sem este serviço?

Nota:

História da Internet: origem, quem inventou e tudo sobre o assunto!

A Internet é, sem dúvida, uma das maiores invenções do século XX. Desde que surgiu, abriu as portas para novos desenvolvimentos tecnológicos que continuam avançando até hoje, transformando o modo como vivemos e nos relacionamos.

  • Atualmente, viver sem a Internet é simplesmente impensável.
  • Por esse motivo, decidimos percorrer a linha do tempo da história da Internet, explorando suas origens e passando pelos momentos principais de sua evolução para entender seus efeitos no mundo globalizado e na transformação digital que marca o século XXI.
  • Nesse post você verá:
  • Boa leitura!

A origem da Internet

Há 40 anos, enquanto os principais meios de comunicação eram o telégrafo e o telefone, os computadores eram grandes máquinas que realizavam cálculos e armazenavam informações. De forma geral, seu uso tinha fins exclusivamente científicos e governamentais.

Então, como foi que chegamos à chamada Era da Informação, na qual a tecnologia invade todos os aspectos de nossas vidas? Se quisermos encontrar uma resposta para essa pergunta, precisamos retroceder na história da Internet.

Em 1957, os Estados Unidos e a União Soviética protagonizavam a Guerra Fria, um embate em termos ideológicos, econômicos, políticos, militares e, é claro, tecnológicos.

Devido ao conflito, os Estados Unidos estavam interessados em encontrar uma maneira de proteger suas informações e comunicações no caso de um ataque nuclear soviético. As inovações que tentaram resolver esse problema levaram ao que conhecemos hoje como Internet.

Como E Quando Surgiu A Internet?

Primeiros conceitos e propósitos da Internet

Agora, falaremos sobre os primeiros acontecimentos que deram início à Internet:

DARPA

Em 1958, um ano após o lançamento do primeiro satélite artificial da história, o Sputnik 1, pela URSS, os EUA criaram a DARPA (Defense Advanced Research Projects Agency,ou Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa, em português).

A DARPA é fundamental na história da Internet, uma vez que foi responsável pela pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias para fins defensivos e militares, entre elas, a rede de computadores.

Teoria de comutação de pacotes e rede galáctica

  1. Em 1961, Leonard Kleinrock apresentou sua teoria de comutação de pacotesem sua tese de doutorado no MIT.
  2. Ele alegava que dois servidores poderiam se comunicar para enviar e receber informações transportadas por pacotes por meio de uma rede de nós.

  3. Esses pacotes podiam seguir caminhos diferentes, dependendo da saturação da rede, e ser refeitos na chegada ao destino.

Já em 1962, J. C.

R Licklider, chefe da DARPA e pioneiro da Internet, descreveu o conceito de uma rede galáctica para acessar rapidamente dados de qualquer lugar do mundo.

De forma independente, Paul Baran trabalhou na comutação de pacotes na RAND Corporation. Em 1962, ele apresentou um sistema de comunicações que, por meio de computadores conectados a uma rede descentralizada, era imune a ataques externos, já que, se um ou mais nós fossem destruídos, os outros poderiam continuar funcionando.

O objetivo havia sido cumprido! Se essa tecnologia fosse desenvolvida em larga escala, as informações dos EUA estariam protegidas, pois poderiam ser consultadas em qualquer computador.

Rede de longa distância (WAN)

O grande avanço na história da Internet ocorreu em 1965, quando Lawrence G. Roberts, em Massachusetts, e Thomas Merrill, na Califórnia, conectaram um computador TX2 a um Q-32 por uma linha telefônica comutada de baixa velocidade.

O experimento foi um sucesso e é marcado como o acontecimento que criou a primeira WAN (Wide Area Network) da história.

ARPANET

A história da Internet continuou em 1966, quandoRoberts entrou na DARPA e criou o plano da ARPANET para desenvolver a primeira rede de comutação de pacotes junto a Robert Kahn e Howard Frank.

Embora o primeiro protótipo de uma rede comutada por pacotes descentralizada já tivesse sido projetado pelo Laboratório Nacional de Física (NPL) do Reino Unido em 1968, ganharia visibilidade somente em 1969, quando um computador da Universidade da Califórnia (UCLA) se conectou com sucesso a outro do Stanford Research Institute (SRI).

A conexão por nós foi tão bem-sucedida que, meses depois, quatro universidades americanas já estavam interconectadas. Assim nasceu a ARPANET!

Nascimento do NCP e do e-mail

Em 1970, a ARPANET estava consolidada com centenas de computadores conectados.

S. Crocker e sua equipe do Network Working Group estabeleceram o protocolo de controle chamado Network Control Protocol (NCP), que permitia o desenvolvimento de aplicativos a partir dos computadores conectados à ARPANET.

Foi assim que, em 1972, Ray Tomlinson criou o software básico de e-mail, que se tornou o aplicativo mais importante da década e mudou a natureza da comunicação e colaboração entre as pessoas.

Seu impacto foi tão grande que a ARPANET se afastou gradativamente do uso militar, aproximando-se do uso científico na disseminação de informações. Por esse motivo, em 1974, mais de 50 universidades americanas estavam conectadas à ARPANET.

Transição da ARPANET para o TCP/IP

Apesar de seu sucesso, o protocolo NCP não era suficiente para se comunicar com redes ou máquinas fora da ARPANET, como redes de pacotes por rádio ou satélite.

Por isso, em 1974 Robert Kahn e Vinton Cerf desenvolveram uma nova versão do protocolo que respondia a um ambiente de rede de arquitetura aberta. Esse novo protocolo foi chamado de TCP/IP.

O protocolo TCP/IP, mais do que agir como um controlador, facilitava a comunicação entre redes sem a necessidade de que estas fizessem alterações em sua interface. Além disso, garantia que nenhum pacote de informações fosse perdido e verificava se eles chegavam na ordem em que haviam sido enviados.

No início dos anos 80, mais precisamente em 1983, a ARPANET mudou o protocolo NCP para o novo TCP/IP. O IP havia se tornado o serviço portador da Infraestrutura de Informação Global.

Em 1985, a Internet já estava consolidada como a principal rede de comunicação com alcance global.

Leia também:  Como Saber A Que Escalão De Irs Pertenço?

Nascimento da World Wide Web

Mas o avanço não parou por aí. Em 1989, Tim Berners-Lee desenvolveu aWorld Wide Webpara facilitar o trabalho colaborativo no CERN.

Basicamente, a WWW funciona como um sistema de distribuição de documentos de hipertexto (HTTP) interconectados e acessíveis por meio de um navegador web conectado à Internet.

O sistema se tornou tão popular no CERN que, em 1991, foi aberto ao público externo. Isso foi possível graças à criação do navegador Mosaic em 1993. De fato, sua recepção foi tão rápida que em 1997 havia mais de 200 mil sites.

Comércio na Internet

Você percebeu que as primeiras redes de computadores estavam restritas a um público de cientistas, engenheiros e funcionários do governo? Bem, essa situação não duraria por muito mais tempo.

Com o advento do TCP/IP, redes individuais, educacionais e comerciais começaram a ter acesso à comunicação quase imediata e às informações disponíveis oferecidas pela Internet. A conectividade deixou de ser exclusiva e se tornou disponível para todos graças à WWW.

Assim, a Internet passou a fazer parte de todos os âmbitos da sociedade, incluindo as atividades comerciais, uma vez que consegue satisfazer necessidades e encontrar formas mais adequadas de executar processos, por exemplo, por meio de plataformas digitais.

De fato, o comércio na Internet levou ao desenvolvimento de serviços de rede privada com TCP/IP, o que causou, entre outras coisas, o surgimento da educação virtual e do comércio eletrônico, a transição do Marketing tradicional para o Marketing Digital e a chegada da transformação digital.

Cenário atual da Internet

A Internet mudou radicalmente desde a sua origem. Já não se trata mais de um espaço onde e-mails são trocados e informações são armazenadas.

Agora, ela está em todos os objetos e lugares em que oferece valor, como nos mostra o surgimento da Internet das Coisas.

Como Surgiu a Internet ?

Podemos dividir a história da humanidade em três importantes eras: agrícola, industrial e digital.

Na era digital a sociedade tem recebido o nome de “sociedade da informação”, aquela cuja cultura e economia dependem essencialmente da tecnologia, da comunicação e da informação.

Em tese, todos participam de alguma maneira da interação, compartilhando o conhecimento com base nas informações que possuem.

Através da convergência tecnológica, o processo de troca de comunicação é muito facilitado. Hoje podemos processar informações variadas em uma só forma: a forma digital.

Diferentes aparelhos são multifuncionais, fazendo uso somente de um pequeno chip.

Através de celulares, por exemplo, acessamos a Internet, ouvimos rádio e músicas em formato mp3, enviamos e-mails, fotos, vídeos e mensagens curtas de texto (SMS), entre tantas outras funções.

A era é nova e o nome que deram à sociedade atual é pomposo. Deve-se ter cuidado, porém, em não generalizar, tendo em vista a realidade brasileira que é marcada pela exclusão digital. Com a queda de preços e o crescimento da Internet a inclusão digital tem aos poucos acontecido, mas ainda a passos de tartaruga.

Observemos o que nos ensina Hugo Assmann, professor e Doutor em Teologia, com ênfase em Filosofia da Educação:

“A sociedade da informação é a sociedade que está sempre a constituir se, na qual são amplamente utilizadas tecnologias de armazenamento e transmissão de dados e informação de baixo custo.

Esta generalização da utilização da informação e dos dados é acompanhada por inovações organizacionais, comerciais, sociais e jurídicas que alterarão profundamente o modo de vida tanto no mundo do trabalho como na sociedade em geral.

No futuro, poderão existir modelos diferentes de sociedade da informação, tal como hoje existem diferentes modelos de sociedades industrializadas.

Esses modelos podem divergir na medida em que evitam a exclusão social e criam novas oportunidades para os desfavorecidos. A importância da dimensão social caracteriza o modelo europeu.

Este modelo deverá também estar imbuído de uma forte ética de solidariedade.

A mera disponibilização crescente da informação não basta para caracterizar uma sociedade da informação. O mais importante é o desencadeamento de um vasto e continuado processo de aprendizagem.”

Neste contexto, podemos falar da Internet. A Internet surgiu nos anos 60, na época da Guerra Fria, nos Estados Unidos. O Departamento de Defesa americano pretendia criar uma rede de comunicação de computadores em pontos estratégicos. A intenção era descentralizar informações valiosas de forma que não fossem destruídas por bombardeios se estivessem localizadas em um único servidor.

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉

Assim, a ARPA (Advanced Research Projects Agency), uma das subdivisões do Departamento, criou uma rede conhecida por ARPANET, ligada por um backbone (“espinha dorsal”, isto é, estruturas de rede capazes de manipular grandes volumes de informações) que passava por debaixo da terra, o que dificultava sua destruição. O acesso à ARPANET era restrito a militares e pesquisadores, demorou chegar ao público em geral, pois temiam o mau uso da tecnologia por civis e países não-aliados.

No Brasil, a conexão de computadores por uma rede somente era possível para fins estatais. Em 1991, a comunidade acadêmica brasileira conseguiu, através do Ministério da Ciência e Tecnologia, acesso a redes de pesquisas internacionais.

Em maio de 1995, a rede foi aberta para fins comerciais, ficando a cargo da iniciativa privada a exploração dos serviços. Hoje, para conectar seu computador, o usuário paga os serviços de um provedor de acesso ou tem conexão direta.

O fenômeno Internet difere dos outros meios de comunicação conhecidos até agora, haja vista que a postura do receptor no rádio e na televisão é meramente passiva, enquanto em relação à Internet o receptor participa selecionando e emitindo informações.

Há várias maneiras de trocar e obter informações através da Internet, dentre as quais: World Wide Web (www), mecanismos de busca, e-mail (correio eletrônico), peer-to-peer, IRC (Internet Relay Chat), VoIP (voz sobre IP), listas de discussão, bate-papos e mensagens instantâneas.

A própria rede, por sua vez, é acessada através de diversos meios, caracterizando o típico exemplo de convergência tecnológica, da facilitação no processo de troca de comunicação. A Internet está presente em computadores, celulares, palms, e diferentes aparelhos multifuncionais.

Voltemos ao tempo.

Conseguimos nos imaginar sem esta maravilhosa invenção que hoje é uma oportunidade de atravessar fronteiras, derrubar barreiras e dividir idéias de forma única? Além de tudo, a internet aumenta a capacidade de leitura (também estimulando novas leituras), ajuda a encontrar informações, resolver problemas e, sem dúvida, a adquirir competências cada vez mais exigidas no mercado de trabalho. Fica no ar a pergunta, cuja resposta soa um tanto óbvia para a maior parte dos usuários desta ferramenta incomparável.

  • Carolina de Aguiar Teixeira Mendes Consultora, Educadora e Pesquisadora Direito & Educação – Novas Tecnologias
  • Colunista – Brasil Escola
  • Curiosidades – Informática – Brasil Escola

Internet – Wikipédia, a enciclopédia livre

 Nota: Para o conceito genérico de redes interligadas (“internet”), veja interligação de redes.
 Nota: Não confundir com World Wide Web.

Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical. Pode conter incorreções textuais e ainda necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão para atingir um nível de qualidade superior, conforme o livro de estilo. Ajude a melhorar a redação.
Internet
Tópicos

  • Acesso
  • Censura
  • Exclusão digital
  • Direitos digitais
  • Liberdade de informação
  • História da Internet
  • Neutralidade da rede
  • Internet quântica
Administração

  • ICANN
  • Internet Engineering Task Force
  • Internet Governance Forum
  • Internet Society
Protocolos

  • Domain Name System
  • Hypertext Transfer Protocol
  • Ponto de troca de tráfego
  • Internet Protocol
  • TCP/IP
  • Fornecedor de acesso à Internet
  • Endereço IP
  • Protocolo de email POP3
  • Simple Mail Transfer Protocol
Serviços

  • Blogues
    • Microblogging
  • E-mail
  • Partilha de ficheiros
  • Transferência de ficheiros
  • Jogos
  • Mensageiro instantâneo
  • Podcasting
  • Comércio
  • Televisão
  • Voz sobre IP
  • World Wide Web
Categoria
  • v
  • d
  • e

A Internet[1] é um sistema global de redes de computadores interligadas que utilizam um conjunto próprio de protocolos (Internet Protocol Suite ou TCP/IP) com o propósito de servir progressivamente usuários no mundo inteiro. É uma rede de várias outras redes, que[2] consiste de milhões de empresas privadas, públicas, acadêmicas e de governo, com alcance local e global e que está ligada por uma ampla variedade de tecnologias de rede eletrônica, sem fio e ópticas. A internet traz[3] uma extensa gama de recursos de informação e serviços, tais como os documentos inter-relacionados de hipertextos da World Wide Web (WWW), redes ponto-a-ponto (peer-to-peer) e infraestrutura de apoio a correio eletrônico (e-mails). As origens da internet remontam a uma pesquisa encomendada pelo governo dos Estados Unidos na década de 1960 para construir uma[4] forma de comunicação robusta e sem falhas através de redes de computadores. Embora este trabalho, juntamente com[5] projetos no Reino Unido e na França, tenha levado a criação de redes precursoras importantes, ele não criou a internet. Não há consenso sobre a data exata em que a internet moderna surgiu, mas foi em algum momento em meados da década de 1980.

Leia também:  Como Saber Quem São Os Meus Guias Espirituais?

O financiamento de uma nova estrutura principal de informática (dita backbone) para os Estados Unidos pela Fundação Nacional da Ciência nos anos 1980, bem como o financiamento privado para outros similares backbones comerciais, levou a participação mundial no desenvolvimento de novas tecnologias de rede e da fusão de muitas redes distintas. Embora a internet seja amplamente utilizada pela academia desde os anos 1980, a comercialização da tecnologia na década de 1990 resultou na sua divulgação e incorporação da rede internacional em praticamente todos os aspectos da vida humana moderna. Em junho de 2012, mais de 2,4 bilhões de pessoas — mais de um terço da população mundial — usaram os serviços da internet; cerca de 100 vezes mais do que em 1995.[1][6] O uso da internet cresceu rapidamente no Ocidente entre da década de 1990 a início dos anos 2000 e desde a década de 1990 no mundo em desenvolvimento. Em 1994, apenas 3% das salas de aula estadunidenses tinham internet, enquanto em 2002 esse índice saltou para 92%.[7]

A maioria das comunicações tradicionais dos meios de comunicação (ou mídia), como telefone, música, cinema e televisão estão a ser remodeladas ou redefinidas pela internet, dando origem a novos serviços, como o protocolo de internet de voz (VoIP) e o protocolo de internet de televisão (IPTV).

Jornais, livros e outras publicações impressas estão-se adaptando à tecnologia web ou têm sido reformulados para blogs e feeds. A internet permitiu e acelerou a criação de novas formas de interações humanas através de mensagens instantâneas, fóruns de discussão e redes sociais.

O comércio on-line tem crescido tanto para grandes lojas de[8] varejo quanto para pequenos artesãos e comerciantes. Business-to-business e serviços financeiros na internet afetam as cadeias de abastecimento por meio de indústrias inteiras.

A essa agregação de funcionalidades por meio dum núcleo comum (Internet, no caso), tem-se usado chamar convergência tecnológica ou, simplesmente,[9] quando não for ambíguo, convergência.

A internet não tem governança centralizada em qualquer aplicação tecnológica ou políticas de acesso e uso; cada rede constituinte define suas próprias políticas.

Apenas as definições de excesso dos dois principais espaços de nomes na internet — o espaço de endereçamento Protocolo de Internet e Domain Name System — são dirigidos por uma organização mantenedora, a Corporação da Internet para Atribuição de Nomes e Números (ICANN).

A sustentação técnica e a padronização dos protocolos de núcleo (IPv4 e IPv6) é uma atividade do Internet Engineering Task Force (IETF), uma organização sem fins lucrativos de participantes internacionais vagamente filiados, sendo que qualquer pessoa pode se associar contribuindo com a perícia técnica.

Terminologia

Obra Internet Messenger, de Buky Schwartz em Holon, Israel

O termo internet, como um sistema global específico de redes de IPs interconectados, é um nome próprio. A Internet também é muitas vezes referida como Net. A palavra “internet” foi utilizado historicamente, com inicial minúscula, logo em 1883 como um verbo e adjetivo para se referir a movimentos interligados. No início dos anos 1970, o termo internet começou a ser usado como uma forma abreviada do conjunto de redes técnicas, o resultado da interligação de redes de computadores com gateways especiais ou roteadores. Ele também foi usado como um verbo que significa “conectar”, especialmente redes.[5][10]

Os termos internet e World Wide Web são frequentemente usados como sinônimos na linguagem corrente, é comum falar-se de “navegar na internet”, em referências ao navegador web para exibir páginas web.

No entanto, a internet é uma rede mundial de computadores especial conectando milhões de dispositivos de computação, enquanto a World Wide Web é apenas um dos muitos serviços que funcionam dentro da internet.

A Web é uma coleção de documentos interligados (páginas web) e outros recursos da internet, ligadas por hiperlinks e URLs.

Além da web, muitos outros serviços são implementados através da internet, como e-mail, transferência de arquivos, controle remoto de computador, grupos de notícias e jogos online. Todos esses serviços podem ser implementados em qualquer intranet, acessível para os usuários da rede.[11]

História

Ver artigo principal: História da Internet
Mapa da rede ARPANET em 1972.

A pesquisa sobre a comutação de pacotes começou na década de 1960 e redes de comutação de pacotes, como Mark I, no NPL no Reino Unido,[12] ARPANET, CYCLADES,[13][14] Merit Network,[15] Tymnet e Telenet, foram desenvolvidas em final dos anos 1960 e início dos anos 1970, usando uma variedade de protocolos. A ARPANET, em particular, levou ao desenvolvimento de protocolos para internetworking, onde várias redes separadas poderiam ser unidas em uma rede de redes. Os dois primeiros nós do que viria a ser a ARPANET foram interconectados entre o Network Measurement Center de Leonard Kleinrock na Escola de Engenharia e Ciências Aplicadas da UCLA e o sistema NLS de Douglas Engelbart no SRI International (SRI), em Menlo Park, Califórnia, em 29 de outubro de 1969.[15] O terceiro nó da ARPANET era o Culler-Fried Interactive Mathematics Center da Universidade da Califórnia em Santa Bárbara e o quarto era o Departamento Gráfico da Universidade de Utah. Em um sinal precoce de crescimento futuro, já havia quinze sites conectados à jovem ARPANET até o final de 1971.[16][4]

Em Dezembro de 1974, o RFC 675 – Specification of Internet Transmission Control Program, de Vinton Cerf, Yogen Dalal e Carl Sunshine usou o termo internet como uma abreviação para internetworking e RFCs posteriores repetiram esse termo.

[17] O acesso à ARPANET foi ampliado em 1981, quando a Fundação Nacional da Ciência (NSF), desenvolvido a Computer Science Network (CSNET).

Em 1982, o Internet Protocol Suite (TCP/IP) foi padronizada e o conceito de uma rede mundial de redes TCP/IP totalmente interligadas chamado de internet foi introduzido.

O acesso à rede TCP/IP expandiu-se novamente em 1986, quando o National Science Foundation Network (NSFNET) proveu acesso a sites de supercomputadores nos Estados Unidos a partir de organizações de pesquisa e de educação, o primeiro a 56 kbit/s e, mais tarde, 1,5 Mbit/s e 45 Mbit/s.[18] Os primeiros fornecedores de acesso à internet (ISPs) comerciais começaram a surgir no final dos anos 1980 e início dos anos 1990. A ARPANET foi desmantelada em 1990. A internet foi totalmente comercializada nos Estados Unidos em 1995, quando a NSFNET foi desmantelada, removendo as últimas restrições sobre o uso da internet para transportar o tráfego comercial.[19] A internet começou uma rápida expansão para a Europa e Austrália em meados da década de 1980[20][21] e para a Ásia no final dos anos 1980 e início dos anos 1990.[22]

Gráfico mostrando a proporção de usuários de Internet a cada 100 pessoas, entre 1996 e 2014, feita pela União Internacional de Telecomunicações[23].

Desde meados da década de 1990 a internet teve um enorme impacto sobre a cultura e o comércio mundiais, como pelo aumento da comunicação instantânea através de e-mails, mensagens instantâneas, “telefonemas” VoIP, chamadas de vídeo interativas, com a World Wide Web e seus fóruns de discussão, blogs, redes sociais e sites de compras online. Quantidades crescentes de dados são transmitidos em velocidades cada vez mais elevadas em redes de fibra óptica operando a 1 Gbit/s, 10 Gbit/s, ou mais.[24]

A internet continua a crescer, impulsionando quantidades cada vez maiores de informações on-line e de conhecimento, comércio, entretenimento e redes sociais.[25] Durante a década de 1990, estimou-se que o tráfego na internet pública cresceu cerca 100% ao ano, enquanto estima-se que o crescimento anual do número de usuários seja de algo entre 20% e 50%.

[26] Este crescimento é muitas vezes atribuído à falta de uma administração central, que permita o crescimento orgânico da rede, bem como pela natureza não-proprietária e aberta dos protocolos de internet, o que incentiva o fornecedor de interoperabilidade e impede qualquer empresa de exercer muito controle sobre a rede.

[27] Em 31 de março de 2011, o número total estimado de usuários da internet foi de cerca de 2 bilhões de pessoas (ou cerca de 30% da população mundial).

[28] Estima-se que em 1993 a internet realizou apenas 1% do fluxo de informações através de duas vias de telecomunicações; em 2000 este valor tinha aumentado para 51% e, até 2007, mais do que 97% de todas as informações telecomunicadas foi realizada através da rede mundial.[29]

World Wide Web

Ver artigo principal: História da World Wide Web
Tim Berners-Lee usou este NeXTcube no CERN para criar o primeiro servidor web do mundo

A Organização Europeia para a Investigação Nuclear (CERN) foi a responsável pela invenção da World Wide Web, ou simplesmente a Web, como hoje a conhecemos. Corria o ano de 1990, e o que, numa primeira fase, permitia apenas aos cientistas trocar dados, acabou por se tornar a complexa e essencial Web.[30]

O responsável pela invenção chama-se Tim Berners-Lee, que construiu o seu primeiro computador na Universidade de Oxford, onde se formou em 1976. Quatro anos depois, tornava-se consultor de engenharia de software no CERN e escrevia o seu primeiro programa para armazenamento de informação – chamava-se Enquire e, embora nunca tenha sido publicada, foi a base para o desenvolvimento da Web.[30]

Leia também:  Depilacja miejsc intymnych przed wizytą u ginekologa – czy jest konieczna?

Em 1989, propôs um projecto de hipertexto que permitia às pessoas trabalhar em conjunto, combinando o seu conhecimento numa rede de documentos. Foi esse projecto que ficou conhecido como a World Wide Web. A Web funcionou primeiro dentro do CERN, e no Verão de 1991 foi disponibilizada mundialmente.[30]

Em 1994 Berners-Lee criou o World Wide Web Consortium, onde actualmente assume a função de director. Mais tarde, e em reconhecimento dos serviços prestados para o desenvolvimento global da Web, Tim Berners-Lee, actual director do World Wide Web Consortium, foi nomeado cavaleiro pela rainha da Inglaterra.[30]

No Brasil

Ver artigo principal: História da Internet no Brasil

No Brasil existe o Comitê Gestor da Internet e um órgão para o registro de domínios (FAPESP – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).[31] Atualmente há cerca de 3,8 milhões de domínios registrados.[32]

Depois da fase militar, a Internet teve seu desenvolvimento administrado pela NSF (National Science Foundation) na década de 1970. Depois a NSF transferiu esta responsabilidade para a iniciativa privada. Em 1992 surgiu a Internet Society para tentar arrumar a desordem reinante, então.

No final de 1997, o Comitê Gestor liberou novos domínios de segundo nível,[33] sendo eles:

  • .art – artes, música, pintura, folclore e etc.;
  • .esp – esportes em geral;
  • .ind – organizações industriais;
  • .inf – provedores de informações;
  • .psi – provedores de serviços Internet;
  • .rec – atividades de entretenimento, diversão, jogos, etc;
  • .etc – atividades não enquadráveis nas demais categorias;
  • .tmp – uso para eventos de duração limitada ou temporária.

Antes desses e além o domínio de primeiro nível .br, o Brasil tinha apenas cinco domínios de segundo nívelː[34]

  • .com – uso geral;
  • .org – para instituições não governamentais;
  • .gov – para instituições governamentais;
  • .mil – para instituições militares;
  • .net – especificamente instituições provedoras ou operadoras de meios físicos de conexão.

Em 23 de abril de 2014 foi sancionada a Lei Federal 12.965, que estabeleceu os princípios, garantias, direitos e deveres para a utilização da internet no Brasil.[35]

Arquitetura

Esta seção cita fontes confiáveis, mas que não cobrem todo o conteúdo. Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes:

Como foi inventada a internet?

A rede mundial de computadores, ou Internet, surgiu com um momento bem menos nobre do que ele tem hoje. Ela surgiu em plena Guerra Fria e foi criada com objetivos estritamente militares.

Ela foi criada para interligar as bases militares dos Estados Unidos e com isso garantir as comunicações norte americanas seriam mantidas mesmo em caso de ataques inimigos que destruíssem os meios convencionais de telecomunicações.

A ARPANET – primeira versão da internet – funcionava através de um sistema conhecido como chaveamento de pacotes, que é um sistema de transmissão de dados em rede de computadores no qual as informações são divididas em pequenos pacotes.

O ataque soviético nunca veio, mas o que o Departamento de Defesa dos EUA não sabia era que estavam dando início ao maior fenômeno midiático do século 20, o único meio de comunicação que em apenas 4 anos conseguiria atingir cerca de 50 milhões de pessoas.

Mapa lógico da Arpanet em 1977

Em 29 de Outubro de 1969 ocorreu a transmissão do que pode ser considerado o primeiro E-mail da história. O texto desse primeiro e-mail seria “LOGIN”, conforme desejava o Professor Leonard Kleinrock da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), mas o computador no Stanford Research Institute, que recebia a mensagem, parou de funcionar após receber a letra “O”.

Nas décadas de 1970 e 1980 o mundo entraria em uma era de relativa tranquilidade, onde não havendo mais a iminência de um ataque imediato, o governo dos EUA permitiu que pesquisadores que desenvolvessem, nas suas respectivas universidades, estudos na área de defesa pudessem também entrar na ARPANET. Nesse momento a Internet ganhou uma nova função, servindo como um importante meio de comunicação acadêmico. Estudantes e professores universitários, principalmente dos EUA, trocavam ideias, mensagens e descobertas pelas linhas da rede mundial que ainda dava seus primeiros passos.

Primeira Interface do Processador de Mensagens da Arpanet em 1969

Nessa época o avanço para a internet como conhecemos hoje deu um grande passo quando através da National Science Foundation, o governo norte-americano investiu na criação dos backbones que são computadores muito potentes conectados por linhas que tem a capacidade de dar vazão a grandes fluxos de dados, como canais de fibra óptica, elos de satélite e elos de transmissão por rádio. Basicamente esta é a estrutura física da internet até hoje em dia.

Foi somente no ano de 1990 que a Internet começou a alcançar a população em geral, quando o engenheiro inglês Tim Bernes-Lee desenvolveu a World Wide Web, o famoso padrão www, e possibilitando a utilização de uma interface gráfica e a criação de sites mais dinâmicos e visualmente interessantes. A partir de então a Internet cresceria em ritmo acelerado.

Porcentagem de usuários da internet em relação a população total do país

Para se ter ideia, até 2003, cerca de mais de 600 milhões de pessoas estavam conectadas à rede e segundo a Internet World Estatistics, em junho de2007 este número se aproximava de 1 bilhão e 234 milhões de usuários.

INTERNET NO BRASIL

No Brasil, os primeiros embriões de rede surgiram em 1988 e ligavam universidades do Brasil a instituições nos Estados Unidos. No mesmo ano, o Ibase começou a testar o Alternex, o primeiro serviço brasileiro de Internet não acadêmica e não-governamental. Ele só seria aberto ao público em 1992

Em 1989, o Ministério da Ciência e Tecnologia lança um projeto pioneiro, a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP).

Existente ainda hoje, a RNP é uma organização de interesse público cuja principal missão é operar uma rede acadêmica de alcance nacional.

Quando foi lançada, a organização tinha o objetivo de capacitar recursos humanos de alta tecnologia e difundir a tecnologia Internet através da implantação do primeiro backbone nacional.

O primeiro backbone brasileiro foi inaugurado em 1991, destinado exclusivamente à comunidade acadêmica. Mais tarde, em 1995, o governo resolveu abrir o backbone e fornecer conectividade a provedores de acesso comerciais.

Depois disso a empresa norte-americana Netscape criaria o protocolo HTTPS (HyperText Transfer Protocol Secure), que possibilitaria o envio de dados criptografados para transações comercias pela internet e promoveria o boom das compras online.

A internet não para de crescer desde então.

Para se ter ideia, até 2003, cerca de mais de 600 milhões de pessoas estavam conectadas à rede e segundo a Internet World Estatistics, em junho de2007 este número se aproximava de 1 bilhão e 234 milhões de usuários.

INTERNET NO BRASIL

No Brasil, os primeiros embriões de rede surgiram em 1988 e ligavam universidades do Brasil a instituições nos Estados Unidos. No mesmo ano, o Ibase começou a testar o Alternex, o primeiro serviço brasileiro de Internet não acadêmica e não-governamental. Ele só seria aberto ao público em 1992. 

Em 1989, o Ministério da Ciência e Tecnologia lança um projeto pioneiro, a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP).

Existente ainda hoje, a RNP é uma organização de interesse público cuja principal missão é operar uma rede acadêmica de alcance nacional.

Quando foi lançada, a organização tinha o objetivo de capacitar recursos humanos de alta tecnologia e difundir a tecnologia Internet através da implantação do primeiro backbone nacional.

O primeiro backbone brasileiro foi inaugurado em 1991, destinado exclusivamente à comunidade acadêmica. Mais tarde, em 1995, o governo resolveu abrir o backbone e fornecer conectividade a provedores de acesso comerciais.

Mapa das conexões brasileiras em 1997

A internet brasileira vem crescendo rapidamente em nome de usuários e já somos o país que passa mais conectado à rede no mundo. No entanto, aumentamos os números de conectados, mas não melhoramos a qualidade de nossa conexão, por isso nossa internet ainda é tão cara e de tão baixa qualidade.

Evolução da internet brasileira

E você, leitor? Já parou para pensar na importância que a internet tem nos dias de hoje? Na falta que ela faria em sua vida? Desde um simples pagamento que agora pode ser feito em casa até uma conversa com um familiar que mora longe.

Nos dias atuais, é impossível pensar no mundo sem a Internet. Estar conectado à rede mundial passou a ser uma necessidade de extrema importância. A Internet também está presente nas escolas, faculdades, empresas e diversos locais, possibilitando acesso as informações e notícias do mundo em apenas um click.

Conte-nos nos comentários o que acha disso.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*