Como É Classificado O Canal Que Utiliza A Sensibilização E O Marketing De Influenciadores?

Se você ama moda e está sempre buscando novas tendências e acompanhando isso nas redes sociais, provavelmente você conhece a influenciadora digital Camila Coelho.

Este artigo, no entanto, não é sobre dez dicas de moda para o inverno 2018. Mas sim para mostrar como influenciadores digitais estão se tornando mais importantes nas mídias dos usuários, bem como em mídias de determinadas marcas, que, por consequência, nos atingem total e diretamente.

O que são influenciadores?

Atualmente, influenciadores são pessoas que contam com uma grande visibilidade e influência nas redes sociais. Na sua grande maioria, influenciadores tem um nicho bem segmentado – como o exemplo citado acima (moda) – e usam uma linguagem adequada para este público. Dessa forma, conseguem atingi-lo com propagandas de forma sútil e certeira.

Vale ressaltar que já faz algum tempo que as empresas colocam seus produtos em mãos de influenciadores e famosos, por exemplo.

Marcas buscavam cantores de sucesso ou algum ator global em seu ápice para elevar o gosto do público pela sua marca.

Hoje, os anunciantes podem contar com os influenciadores digitais, que também encaixam-se na era dos “famosos”. Muitas vezes até, estão mais presentes em nosso cotidiano do que um ator, por exemplo.

O marketing de influenciadores vai muito além de enviar um presente para determinada pessoa e ela propagar em sua rede. Nos dias atuais, influenciador é considerado uma profissão para quem a exerce, pois custeia sua vida desta forma.

Quando uma marca é associada aos influenciadores corretos, passa a ser transferida para esta cultura e se transforma em uma marca conhecida.

Porque um influenciador é importante na sua estratégia?

Para uma grande marca, sabe-se que é difícil atingir um grande público de maneira rápida e orgânica. Hoje, não mais. Claro, se a marca estiver disposta a investir nisso, de forma correta. O caminho certo, é espalhar a ideia do seu produto, no nicho correto e através da melhor pessoa para isso. Vamos aos exemplos?

Influenciadores tipo A: influenciadores que já estão na mídia

Parceria do O Boticário com Anitta

Como É Classificado O Canal Que Utiliza A Sensibilização E O Marketing De Influenciadores?

Em março deste ano, a cantora Anitta lançou uma música em parceria com a marca O Boticário. O lançamento de “Indecente”,  traz expressões que lembram o universo da linha Intense da marca. Além do visual de Anitta ser todo montado com as maquiagens da marca, como o batom vermelho 330 Loucuras, também da linha Intense.

A cantora – e também influenciadora digital –  preparou o território de forma clara. Mostrou a todo o tempo como estava se produzindo e como o Boticário estava participando da produção da cantora.

Anitta tem apostado forte na campanha desde o seu lançamento, com fotos no Instagram para mostrar as cores de batom da nova linha da marca.

Assim, conquista seus fiéis seguidores a também usarem também os produtos da marca.

Segundo a marca, a nova campanha quer explorar as mídias digitais por justamente onde as potenciais consumidoras dos produtos estão.

Isso foi uma abordagem diferente usada para atingir um público que dificilmente seria alcançado em propagandas convencionais. Sabe o por quê?

  • Por que simplesmente não teriam acesso àquela informação (sabemos que cada vez menos jovens são conquistados por anúncios em TV);
  • Ou não levariam em consideração a mensagem passada mesmo que a vissem.
  • Porém, vindo de uma cantora brasileira que conquistou espaço internacional, com quase 30 milhões de seguidores  no Instagram e um grande alcance entre os jovens, com certeza tem um impacto – e uma relevância – muito maior do que outros influenciadores.

    Influenciadores tipo B: a fama que veio apenas da internet

    Cabelos cacheados com Kéfera Buchman

    Como É Classificado O Canal Que Utiliza A Sensibilização E O Marketing De Influenciadores?

    Recentemente, a youtuber Kéfera Buchman, com mais de 10 milhões de inscritos em seu canal do Youtube e com 12,3 milhões de seguidores na sua conta no Instagram, tomou a decisão de assumir o seu cabelo como realmente é: crespo/cacheado.

    Vê-se que, umas das principais dores de menina que estão passando pela transição capilar (assumindo seu cabelo do jeito que é, sem química) é o fator de crescimento. Muitas cortam, para verem seus cabelos de verdade voltarem a crescer saudáveis e sem nenhum tipo de influência de química.

    A Big Hair, empresa de cápsulas capilares, resolveu aliar-se a youtuber com a proposta de que o cabelo dela cresça de forma forte e rápida. Kefera vem desde o início de sua transição propagando a marca para seu seguidores. Ao acompanharem a influenciadora, os seguidores passam a acompanhar e reconhecer a relevância da marca também. 

    Essa é a ideia: trazer alguém que consiga se aproximar do seu público de uma forma natural e que desperte nele essa vontade de acompanhar tendências e seguir comportamentos.

    Influenciadores tipo C: nem todos precisam ser da mídia, para serem relevantes

    A jovem Nara Almeida começou a ficar reconhecida no Instagram através da loja Ateliê da Nara, que acabou sendo hackeada algum tempo depois.

    Ela vivia como modelo e influenciadora nas redes sociais, além de ser bonita e simpática, o que a ajudava na hora de propagar algo.

    Nara era de uma pequena cidade do Maranhão e veio para São Paulo tentar mudar e ganhar a vida do jeito que sempre sonhou.

    Como vemos, a moça não era da mídia, mas se esforçou para se tornar. Com isso, os seguidores que a acompanhavam eram mais fiéis. Infelizmente, em 2017 Nara foi diagnosticada com um câncer. A partir daí, seus seguidores acompanharam sua trajetória como um exemplo de persistência. 

    Sua repercussão foi tanta que famosos também começaram a acompanhar suas redes sociais. Mesmo nesta situação, tornou-se um forte nome para a publicidade, fazendo trabalhos ao lado de marcas como influenciadora e modelo.

    Para a tristeza de seus seguidores, Nara Almeida faleceu na madrugada do dia 21 de maio de 2018, aos 24 anos, após passar meses internada por conta da doença. Na internet, celebridades e outros influenciadores lamentaram a morte da instagrammer. Antes de sua morte, ela já contava com mais de 4 milhões de seguidores. Após o acontecido, passaram de 4,5 milhões na sua conta do Instagram.

    Saiba quem são seus influenciadores

    Vale a atenção também para os cinco tipos de influenciadores digitais. É muito importante ficar atento nesta fase, pois você precisará escolher o que mais se encaixa no seu ideal:

    • Influenciador celebridade: dispõe de maior alcance, mas com um custo muito alto. Exemplos: Luciano Huck, Anitta e Whindersson Nunes;
    • Influenciador autoridade: é um tipo de perfil que dificilmente é comprado, mas pode ser convencido. Este tipo de influencer não coloca sua credibilidade e autenticidade em xeque.
    • Influenciador marca pessoal: preza por sua reputação para firmar parceria. É essencial aumentar a sua visibilidade e status, como é o caso da Camila Coelho e Hugo Gloss.
    • Influenciador analista: o analítico atinge um público bem segmentado e a empresa pode ser sempre uma aliada. Como, por exemplo, Érico Rocha.
    • Influenciador ativista: este tipo de influenciador é movido por seus ideais e precisa que seu ponto de vista sempre esteja em questão, como é o caso da youtuber Jout-Jout.

    Como é feita a parceria com influenciadores?

    Existem inúmeras formas de iniciar o contato com influenciadores digitais. Vale ressaltar que atualmente, cada vez mais os influenciadores contam com equipes para ajudarem na organização, finanças e contratos com marcas.

    Primeiramente, vale a pena seguir alguns passos para não errar na escolha:

    • Não escolha qualquer influenciador: você precisa buscar sobre o seu nicho e analisar quais são os nomes de respeito para seu público;
    • Monte sua estratégia: o que você quer atingir com esta publicidade? Você precisa pensar se o que quer é apenas um post, um vídeo ou mais. Lembre-se que você não pode investir algo que você não tem. Vá com calma;
    • Faça um benchmarking: você já escolheu os nomes de sua preferência. Agora, precisa analisar como estes se comportam com outras marcas e como você enxerga o crescimento delas se possível, depois da publicidade do influenccer.

    Agora você já pode iniciar contato. O primeiro passo é iniciar um relacionamento naturalmente, apresentando seu produto ou serviço, contando a história, objetivos e — caso seja um produto palpável — enviar para que o influenciador possa conhecer e ver se realmente existe essa conexão entre a marca e ele.

    Outro modelo são os publieditoriais. Ou seja, posts pagos em sites e redes sociais para citar sua marca.

    Na prática

    Vamos levar em consideração que você é o responsável pelo marketing de uma grande empresa de chocolates e quer trazer seguidores mais engajados para sua marca.

    Depois de seguir os passos e analisar as opções, chegou a uma personalidade online que tem muita a ver com a sua marca e com o público que você deseja atingir.

    Então você entrou em contato, apresentou a marca e enviou alguns produtos, sem pedir nenhuma publicação. Dentre esses produtos está um novo chocolate em barra pequena, que é o que você mais gostaria de divulgar.

    O influencer pode experimentar o chocolate, gostar e passar a falar dele naturalmente. Ou, o que é mais comum, após conhecer sua marca vocês negociarão valores para publicações falando sobre o produto.

    Existe também diversas cidades que são atingidas por influenciadores locais. As empresas contam com uma prática bastante efetiva de cadastrar influenciadores para enviar materiais, produtos e convites para eventos, como uma estratégia para ganhar divulgação a um baixo custo, ou seja, a boa e velha permuta.

    Leia também:  Como Dizer Que Vai Ser Pai?

    Buscando influenciadores no Instagram

    O Instagram é uma das redes sociais mais utilizadas do mundo e não é por acaso. Por meio do aplicativo é possível visualizar tudo que interessa para você de forma simples e contínua.

    Quando você começa a digitar uma hashtag você pode ver todas as pesquisas comuns que usam esse termo e o número de posts. Você pode acompanhar as hashtags também. Assim, sempre aparecerá os conteúdos relacionados a ela para você.

    Passo a Passo:

  • Para começar, pressione o ícone de lupa na página inicial do seu Instagram;
  • Agora, clique na caixa de buscas;
  • Na próxima página, digite o termo com a hashtag e clique em uma das opções que aparecerão abaixo;
  • Após tocar no termo escolhido, ele automaticamente aparecerá no seu feed. Para consultar as hashtags seguidas, basta entrar no perfil e pressionar a opção “Seguindo”.
  • Como É Classificado O Canal Que Utiliza A Sensibilização E O Marketing De Influenciadores?

    Buscando influenciadores no Youtube

    No Youtube, procure por canais que falam de assuntos semelhantes ao seu e fique atento aos comentários. Quem produz esse conteúdo realmente influencia sua audiência? Os comentários são positivos? A exposição com essa personalidade traria uma visão positiva sobre minha marca?

    Com certeza você poderá avaliar se a pessoa em questão tem condições de atender sua empresa.

    Passo a Passo:

    • Faça login na sua conta do YouTube;
    • No canto superior direito, clique no ícone da sua conta e depois em Configurações;
    • Ao lado da foto do perfil, clique em Avançadas;
    • O ID de usuário e o ID do canal ficam em “Informações da conta”.

    Você pode encontrar os IDs de usuário e do canal nas configurações avançadas da conta.

    Depois disso, você ainda pode procurar o youtuber nas redes sociais e analisar o engajamento dele nelas. Depois da pesquisa, entre em contato.

    Mensuração de resultados

    São inúmeras as técnicas que podem ser usadas para que você possa acompanhar o andamento da sua campanha com o influencer.

    Além de ficar sempre de olho no engajamento da publicação da qual você fez parceria com o indivíduo você pode controlar de outras formas.

    Ofereça cupons de desconto

    Os cupons de desconto são uma boa maneira de mensuração e também de vendas. Talvez, o público até já conheça seu produto, mas está esperando uma oportunidade de comprá-lo mais barato ou com algum bônus.

    Ofereça um cupom com o nome do seu influenciador escolhido. Exemplo: #Anitta20. Assim, todas os que tiverem acesso ao cupom terão 20% de desconto na compra de um determinado produto indicado pela cantora. É possível dessa forma aumentar sua vendas e mensurar seus resultados com a parceria.

    Use encurtador de links

    Todos os cliques em links bit.ly (ferramenta de encurtar links) são computados instantaneamente. Os dados dos contadores são apresentados em gráficos de tempo e tabelas segmentadas por sites de origens e por países.

    No bit.ly, as estatísticas dos rastreadores de links são acessadas simplesmente acrescentando o caracter “+”.

    Ou seja,  além de poder personalizar seu link na plataforma, você pode acrescentar o caractere e descobrir quais são as métricas do link.

    Quando o link está sem o “+”, ele encaminha o internauta para a URL original. Quando o link está com o “+”, ele mostra as estatísticas de cliques.

    Case de Vendas de Sucesso

    A ex-BBBs Adriana Sant’Ana, e agora influenciadora digital de grande rentabilidade tem hoje mais de 3,6 milhões de seguidores no Instagram. Nos últimos meses, fez disparara procura pelo livro “O Milagre da Manhã”.

    O livro, do autor americano Hal Erold, promete na obra, publicada no Brasil em 2016, um método simples e eficaz para conquistar a vida dos sonhos antes das 8 horas da manhã e, assim, atingir níveis de grandes sucessos pessoais.

    Desde então, Adriana tem publicado momentos de meditação no jardim de sua casa em seu stories, todos antes das cinco da manhã. Despertando a curiosidade de suas seguidoras, o livro chegou na lista dos mais vendidos e ficou em falta em várias livrarias do país.

    Como É Classificado O Canal Que Utiliza A Sensibilização E O Marketing De Influenciadores?

    Há algumas semanas, ela indicou compras no site da loja Huddies – uma marca de utensílios para a casa – e o site caiu em 2 horas pela quantidade de acessos.

    Você não deve ignorar essa estratégia se quer o sucesso do seu negócio. Usar influenciadores digitais no seu marketing digital é uma das formas mais poderosas de divulgação da sua marca.

    4 razões pelo qual o marketing de influenciadores é importante

    O fenômeno dos influenciadores digitais surgiu e ganhou força com uma enorme rapidez. Agora, são quase mandatórios para que marcas ganhem relevância e estabeleçam suas comunidades online.

    Mas o que faz com que as celebridades de Internet sejam relevantes para o marketing, afinal?
    Influencers são, basicamente, os embaixadores digitais das marcas.

    Utilizar artistas em propagandas é uma tendência de publicidade antiga, mas muitas empresas estão dando cada vez mais espaço para que YouTubers, blogueiros, streamers e outras pessoas que ganharam popularidade virtual assumam os papéis de porta-vozes da empresa, deixando os artistas mais tradicionais de lado.

    Motivos pelos quais os influenciadores são importantes

    1. As pessoas se identificam com o influenciador

    Influenciadores profissionais têm um apelo social, representando hobbies ou estilos de vida interessantes para o seu público.

    Diferentemente das celebridades tradicionais, influencers começaram sua carreira na Internet de modo autônomo, e ganharam popularidade produzindo conteúdos próprios e com muito de sua personalidade envolvida.

    Públicos jovens, como Millennials e a Geração Z, que passam o dia conectados, geralmente veem neste modelo de artista um elemento mais humano e atingível que famosos conceituados, e esta carga humana é utilizada pelas marcas para atingir o lado mais sensível do consumidor.

    2. O conteúdo é centralizado

    Há anos, as propagandas se resumiam à televisão, rádio, revistas, jornais e as poucas demais mídias analógicas disponíveis.

    Hoje, com a Internet e as redes sociais, os consumidores estão com a atenção espalhada em incontáveis lugares, ficando cada vez mais difícil captar sua atenção.

    Utilizar a enorme popularidade dos influenciadores carrega as marcas para dentro do consumo de entretenimento de um público-alvo, unificando canais e cortando caminhos para que aquelas pessoas sejam impactadas pela mensagem da empresa.

    Como É Classificado O Canal Que Utiliza A Sensibilização E O Marketing De Influenciadores?

    Foto Unsplash

    3. São um ótimo investimento econômico

    Com base em uma pesquisa de 2019 realizada pela agência Mediakix, 89% dos profissionais de marketing dizem que o ROI (retorno sobre investimento) do marketing de influenciadores é tão bom ou melhor que outros canais de marketing.
    Segundo o estudo, a cada US$ 1 dólar investido nesta modalidade, o retorno é, em média, de US$ 18 dólares.

    • O marketing de influenciadores foi classificado como o canal de aquisição de clientes online que mais cresce, superando a pesquisa orgânica, a pesquisa paga e o marketing por email.
    • 4. Os influenciadores conhecem as últimas tendências

    Trabalhando diariamente nas redes sociais, os influenciadores estão constantemente em busca das últimas tendências para captar a atenção de seu público, e tendem a experimentar novidades em primeira mão.

    Por serem especialistas em tendências, as marcas encontram um enorme benefício em ter influenciadores como representantes de seus novos produtos, conceitos ou serviços, reforçando os laços com seu público alvo e encontrando novos meios de passar suas mensagens.

    Como É Classificado O Canal Que Utiliza A Sensibilização E O Marketing De Influenciadores?

    Foto Unsplash

    Redes sociais mais efetivas para o marketing de influenciadores, segundo a Midiakix:

    1. Instagram – 89%
    2. YouTube – 70%

    O que é marketing de influência e por que é tão importante?

    Como É Classificado O Canal Que Utiliza A Sensibilização E O Marketing De Influenciadores?

    Marketing de influência é uma abordagem de marketing que consiste em praticar ações focadas em indivíduos que exerçam influência ou liderança sobre potenciais compradores.

    Como benefício, os influenciadores interferem nas decisões de compra dos clientes a favor de uma determinada marca. Isso ocorre porque estabeleceram com ela uma relação de confiança legítima.

    O influencer marketing — termo original, em inglês — não é mais uma aposta. É uma realidade. O Estados Unidos historicamente abrem a trilha das inovações para os demais países. Lá, é apontado como uma das grandes tendências. Um artigo publicado em janeiro de 2017 pela renomada revista americana Entrepeneur aponta cinco motivos para acreditar em sua explosão.

    1. A propaganda perdeu força. Um sinal disso é o crescente uso de bloqueadores de anúncios. Eles já são adotados por 26% dos usuários de desktop e 15% dos donos de dispositivos móveis.
    2. Nos Estados Unidos, 59% dos gestores de marketing afirmavam em 2015 ter a intenção de incrementar seus orçamentos para influenciadores.
    3. A maioria (92%) dos consumidores confia mais em recomendações de produtos feitas por indivíduos do que por marcas.
    4. De acordo com a Nielsen Catalina Solutions, conteúdo de influenciadores gera 11 vezes mais resultado do que campanhas tradicionais. O retorno sobre o investimento (ROI) é de US$ 6,85 para cada dólar investido.
    5. Atualmente, 74% dos consumidores usam redes sociais — habitat dos influenciadores — em suas decisões de compra.
    Leia também:  Como Se Chama Quem Muda De Religião?

    A Entrepeneur não é a única — nem a primeira — revista de peso a fazer uma abordagem atenta sobre o tema. Em setembro de 2014, a Forbes destacou um dado de um estudo feito pela consultoria global McKinsey.

    “O marketing inspirado pelo boca a boca gera mais que o dobro de vendas em comparação com propaganda. Além disso, os consumidores têm uma taxa de retenção 37% maior”.

    É fácil entender a lógica por trás desse fenômeno. Sobretudo graças às redes sociais, os influenciadores dão escala ao alcance de suas opiniões e as tornam facilmente localizáveis. Eles agem sobre consumidores nas três fases da jornada de compra: reconhecimento, consideração e tomada de decisão.

    Por meio do marketing de influência, as marcas estabelecem e nutrem uma relação com os principais influenciadores de seu mercado. E assim conduzem o público que os segue a uma decisão de compra favorável. ~

    O relacionamento faz uso de alguns combustíveis oriundos na comunicação online. Um exemplo é a produção de conteúdo relevante direcionada aos influenciadores. Outro é o compartilhamento de conteúdo produzido por eles e o reconhecimento da autoridade que possuem, entre outras.

    No ano passado, a TD Ameritrade decidiu que era hora de conquistar a simpatia do público. Na avaliação de sua diretora de marketing, Kelly Caffrey, serviços financeiros não são bem vistos pelo público em geral.

    Para mudar essa percepção, a empresa lançou a campanha “Human Finance Project”.

    Foi feito o relacionamento com mais de cem pessoas comuns que habitualmente usavam suas redes sociais para falar de finanças.

    Resultado: elas espalharam a mensagem da TD Ameritrade por suas redes, desencadeando compartilhamentos num efeito quase viral. E o mais interessante: não receberam nem um centavo sequer por isso.

    A Forbes também define marketing de influência como uma forma de identificar indivíduos que, em algum grau, ajudem a formar a opinião de potenciais clientes.

    Num passado recente, as marcas miravam exclusivamente em blogueiros populares e celebridades. Hoje há, segundo a revista, um novo entendimento: consumidores comuns também geram alto impacto e alcance.

    O caso da TD Ameritrade é uma prova disso.

    O que é marketing de influência ou influencer marketing ?

    Marketing de influência é uma abordagem de marketing que consiste em praticar ações focadas em indivíduos que exerçam influência ou liderança sobre potenciais clientes de uma marca.

    Como benefício, os influenciadores interferem nas decisões de compra dos clientes a favor de uma determinada marca.

    Isso acontece porque os influenciadores estabelecem uma relação de confiança com seus públicos.

    Em sua definição sobre marketing de influência, o Huffington Post acrescenta um elemento. O jornal afirma que os influenciadores têm a capacidade de causar um efeito na imagem da marca.

    Conceitualmente, há duas formas de praticar marketing de influência, que seguem dois modelos de mídia conhecidos do marketing tradicional: a mídia paga (paid media) e a mídia conquistada (earned media). No marketing de influência, as marcas podem adotar uma dessas duas maneiras de trabalhar.

    • Mídia paga (paid media): os influenciadores digitais são remunerados
      para fazer campanhas ou ações com foco na promoção de um produto, serviço ou
      marca. Entretanto, diferentemente de um garoto-propaganda, que apenas empresta
      sua fama como celebridade a uma campanha, no marketing de influência existe
      necessariamente uma sinergia entre influenciador e marca, com alinhamento de
      posicionamento. Afinal, a mensagem será exposta para o público do influenciador,
      e não de um veículo de comunicação. É, portanto, um trabalho tipicamente de
      publicidade por parte da marca que contrata.
    • Mídia conquistada (earned media): os influenciadores digitais se envolvem
      como parceiros, tendo uma contrapartida não-financeira. Muitas vezes, a promoção
      de um produto, serviço ou marca é vantajosa para os influenciadores porque isso
      lhes renderá visibilidade, prestígio, acesso a eventos ou pessoas ou qualquer
      outro benefício intangível. É, portanto, um trabalho tipicamente de relações públicas
      por parte da marca que propõe a parceria.

    Originalidade
    da mensagem

    Embora os dois modelos descritos acima tenham raízes em publicidade e relações públicas, respectivamente, eles obedecem a novas regras de relacionamento. A mais importante e inovadora delas está relacionada à criação da mensagem.

    Em marketing de influência, durante uma campanha, quem cria a mensagem é o influenciador, à sua maneira, com a sua linguagem, sem a direção da equipe de marketing. Afinal, ele formou aquele público do zero e o conhece como ninguém.

    Em outras palavras, o principal erro que as marcas cometem ao propor uma
    campanha é ir além do briefing e tentar interferir na forma como a mensagem será
    transmitida.

    Veja um exemplo de campanha de sucesso. Em 2019, a Johnson & Johnson decidiu fazer uma campanha das lentes de contato Acuvue. Tradicionalmente, seus comerciais de TV seguem o formato padrão.

    Ao embarcar no marketing de influência, a Johnson & Johnson contratou o influenciador digital Sérgio Rocha, do canal de corrida de rua Corrida no Ar, que em julho de 2019 tinha 208 mil inscritos. Perceba que a forma de comunicação foi completamente autoral, com uma linguagem com a qual o público do influenciador já está habituado.

    A originalidade e a legitimidade da conversa são a fortaleza dos influenciadores digitais. É com base nisso que eles conseguem criar relações fortes com seus públicos e transmitir mensagens comerciais mescladas com conteúdo editorial sem que as pessoas se sintam invadidas. E, mais importante ainda, sem o marketing de interrupção.

    A publicidade tradicional vem perdendo força porque a única forma que encontrou foi interromper forçadamente as pessoas, como intervalos comerciais de TV e rádio ou pop-ups de sites.

    São irritantes, mas isso não é de hoje. Tem sido assim há pelo menos seis décadas.

    Em 1961, já havia legislação no Brasil que limitava o tempo do intervalo comercial de TV a três minutos — o que depois deixou de vigorar.

    Segundo o Social Media Today, 45% dos usuários de internet na América Latina (o que inclui o Brasil) usam bloqueadores de anúncios em seus desktops ou celulares. E o principal motivo para isso é o excesso de anúncios exibidos.

    O marketing de influência não tem esse problema porque a forma como a mensagem comercial é transmitida não se baseia na interrupção, mas na confiança que o influenciador conquistou de sua audiência.

    É por isso que ele normalmente não aceita fazer qualquer tipo de campanha, muito menos deixa a marca dirigir a forma como a mensagem será transmitida.

    Se a ação comercial for mal recebida, o dano em seu principal ativo (seu público) pode ser irreparável.

    Por que marketing de influência cresce?

    Por todas as razões expostas até aqui, neste post, o marketing de influência — ou influencer marketing, como é chamado originalmente em inglês — vai continuar crescendo segundo as previsões feitas em âmbito global.

    A previsão é de que as relações entre marcas e influenciadores gerem um TAM (Total Addressable Market) de US$ 5 bilhões a US$ 10 bilhões até 2020.

    É um número realista se considerarmos que, em 2018, foram US$ 8 bi de acordo com a agência Media Kix, dos Estados Unidos.

    Como É Classificado O Canal Que Utiliza A Sensibilização E O Marketing De Influenciadores?

    O principal fator que puxa para cima as projeções de crescimento do marketing de influência é o fato de que as empresas têm resultados efetivos quando aderem a essa opção. O ROI (retorno sobre o investimento) nos países onde o método está consolidado é de 6,5.

    Isso significa que as marcas que fazem ações com influenciadores têm retorno de US$ 6,50 para cada dólar investido. Esse é o retorno médio. No ranking de empresas que obtêm os melhores resultados, o grupo que corresponde aos 13% mais bem-sucedidos tem retorno na casa dos 20 para 1.

    Os dados são de um estudo da Tomoson.

    O ROI é otimizado em marketing de influência porque os gastos são mais baixos com influenciadores digitais do que com publicidade em empresas de mídia. Segundo a Linqia, 87% das campanhas feitas com creators nos Estados Unidos têm budget inferior a US$ 100 mil.

    Por
    que cresce no Brasil?

    Os influenciadores digitais estão
    em diferentes plataformas, especialmente em YouTube e Instagram. Em ambas, a
    penetração do Brasil é expressiva.

    Segundo o World Atlas, somos o segundo país com o maior número de usuários do YouTube (69,5 milhões), atrás apenas dos Estados Unidos (167,4 mi).

    Como criar uma estratégia de Marketing de Influência

    Marketing de Influência é o conjunto de ações e estratégias que se utilizam de um interlocutor com poder de convencimento ou liderança, buscando realizar influência na decisão de compra a favor da sua marca. 

    Os influenciadores estão cada vez mais presente na vida das empresas e dos consumidores. Isso vale tanto no contexto de mercados de vendas em larga escala e, também, de negociações mais complexas. Por isso, vale entender como eles podem se encaixar na sua estratégia de Marketing Digital.

    Neste post, separamos algumas das principais dúvidas de quem quer começar a fazer ações com influencers.

    Leia também:  Como Desbloquear Um Iphone Que Foi Comprado Na Fnac Mas Esta Bloqueado A Vodafone?

    Para esclarecê-las, criamos um conteúdo com tudo o que você precisa saber sobre Marketing de Influência, que pode ajudar você a perder o medo de investir parte da sua verba de marketing nessas ações que podem, sim, trazer grandes resultados para o seu negócio. Continue lendo para ver que essa estratégia também pode te ajudar!

    Marketing de influência é para minha empresa?

    Essa é a pergunta de 1 milhão de dólares, não é mesmo? Ou 10 milhões de dólares, dependendo do tamanho da sua empresa.

    Você sabia que o brasileiro passa em média 9 horas conectados à internet? E, dessas 9 horas, grande parte do tempo conectado é gasto dentro das redes sociais? 

    E,nesta terra de consumo de dados, os influenciadores são os reis e rainhas dos conteúdos: 71% das pessoas conectadas afirmam seguir algum tipo de influenciador e 62% afirmam possuir um influenciador favorito.

    É importante entender que os influenciadores constroem afinidade com seus seguidores. Essa aproximação gera confiança, e confiança gera vendas. Não à toa, 45% das pessoas afirmaram já ter comprado algum produto por indicação de suas personalidades favoritas.

    Esses dados ajudam a comprovar a força que o mercado de Marketing de Influência vem ganhando. 

    Como escolher as pessoas certas para sua estratégia de Marketing de Influência?

    Muita gente liga a palavra influenciador (ou influencer) apenas às grandes celebridades da internet. No entanto, a verdade é que as empresas têm muitos tipos de parcerias que podem ser feitas. O segredo está em encontrar alguém que faça sentido para a sua marca. Você sabia, por exemplo, que essa pessoa pode já estar na sua empresa?

    Ok, talvez não necessariamente você (ou sim, quem sabe!). Você precisa mapear os influenciadores do seu segmento, quem são as pessoas que fazem a cabeça dos seus consumidores, quais os tipos de conteúdos que seus potenciais consumidores seguem.

    Durante essa análise, você precisa levar em conta qual é o objetivo da campanha de Marketing de Influência, além do tamanho da sua empresa e da sua verba. Se você quer “dar um tiro de canhão”, precisa encontrar um influencer que tenha um número considerável de seguidores. Assim, vai atingir mais pessoas, de diversos perfis.

    Por outro lado, os chamados micro influenciadores podem ser mais úteis em uma campanha de marketing de influência B2B, por exemplo. No caso de uma venda mais complexa e com um ticket maior, um vídeo de um especialista testando seu produto pode fazer mais sentido. Lembre-se, porém, de que qualquer campanha tem que se conectar com a realidade daquele influenciador.

    Para mais dicas de como escolher as melhores personalidades para a sua campanha de Marketing de Influência, confira nosso eBook sobre o tema.

    Dicas para extrair o melhor da sua estratégia de Marketing de Influência

    Agora que você já sabe que a sua empresa pode, sim, trabalhar com marketing de influência e gerar bons resultados, é importante se atentar às dicas abaixo para poder extrair os melhores resultados possíveis de suas ações.

    1. Não limite a criatividade

    Não deixe que a sua insegurança sobre tratar da sua marca em um ambiente não tão controlável como suas redes imponha obstáculos na maneira como você irá estruturar sua campanha de Marketing de Influência. Lembre-se de que as pessoas desejam mensagens reais e verdadeiras, portanto não tenha medo de ousar e ser criativo.

    2. Case canais, cruze campanhas e explore combinações

    Uma estratégia de Marketing de Influência pode envolver apenas um influenciador, mas nunca é somente sobre o influenciador. Pense em como utilizar seus outros canais para aumentar o alcance da sua mensagem. Se pretende utilizar mais influenciadores, crie um diálogo entre suas comunicações e garanta que as ações não se tratem de publicações que não se conversam.

    3. PJ ou PF?

    Caso vá realizar pessoalmente a contratação do seu influenciador, sem o intermédio de uma agência, lembre-se de que este é um mercado novo. Muitos micro influenciadores e até mesmo grandes influenciadores ainda não possuem empresa aberta, portanto será comum lidar com a contratação de pessoas físicas.

    É claro que o custo de realizar uma contratação RPA é maior do que o pagamento de uma nota fiscal emitida pelo seu contratado. No entanto, se o influenciador fizer sentido para o seu negócio, não deixe que isso seja um impeditivo e programe-se antes de realizar as negociações.

    4. Micro ou grandes influenciadores?

    Para não realizar uma escolha que lhe trará mais custos do que resultados, pense no seu objetivo. Grandes influenciadores costumam chamar mais atenção pela quantidade de pessoas que conseguem mobilizar, no entanto, micro influenciadores costumam ter um engajamento mais intimista.

    Não se deixe levar por números de seguidores, mas sim pelos resultados que esse influencer irá agregar à sua estratégia de Marketing de Influência.

    5. Cuidado com as praças

    Nem sempre um influenciador irá se comunicar com as pessoas da cidade em que se encontra. Pergunte ao seu influenciador quais as principais cidades de seus seguidores para entender se anunciar com ele faz sentido.

    Para empresas menores, anunciar com influenciadores que trarão pessoas de outras cidades ou que irão gerar uma demanda que você não consegue atender pode causar frustração entre esses consumidores, portanto pesquise muito bem antes de fechar seu contrato.

    6. Fique atento ao comportamento anterior e posterior do seu influenciador

    Hoje em dia, os influenciadores estão mais cientes de que suas redes sociais são suas marcas e, na maioria das vezes, tentam não se envolver em polêmicas que possam manchar sua imagem. Quando isso acontece, é comum dos seguidores cobrarem uma atitude dos patrocinadores daquele influenciador, perguntando se a atitude ou comentário condizem com os valores da sua marca.

    Marketing de influenciadores e como ele pode ajudar seu negócio — Moip

    Você já se sentiu influenciado por alguém a adquirir uma mercadoria? Segundo um estudo, 76% dos consumidores já compraram um produto após conhecê-lo por meio de influenciadores digitais. Isso demonstra o poder de alcance e de repercussão dessas pessoas e abre portas para que o marketing de influenciadores seja usado por marcas de vários portes e segmentos.

    O que é o marketing de influenciadores

    Você deve se lembrar de comerciais antigos que usavam celebridades para anunciar produtos, não é verdade? Naquela época, a televisão era o principal meio de contato que as marcas tinham com os consumidores e essas celebridades eram os influenciadores. Ou seja, a presença delas nos anúncios era o que, muitas vezes, motivava os telespectadores a comprarem as mercadorias oferecidas.

    Pois o tempo passou e hoje, embora a televisão continue importante, é a internet o canal de contato mais relevante entre diversas empresas e suas personas. Com isso, a distância entre as duas partes foi reduzida significativamente e é possível falar direto com o público, sem nenhum intermediário, diferente de como ocorria com a televisão, o rádio e os jornais.

    Isso, por si só, já transformou a comunicação entre empresa e consumidor. Você pode produzir um conteúdo especialmente para a sua persona e divulgá-lo no seu blog ou no YouTube, bem como pode conversar diretamente com seus potenciais clientes pelas redes sociais. Mas e os digital influencers, onde entram nessa história?

    Eles fazem um papel semelhante ao que as celebridades fazem nos comerciais, mas com um plus: os atores, cantores e apresentadores passam credibilidade ao público apenas com a sua presença nos comerciais de TV. Já os influenciadores digitais fazem isso ao ter um contato ainda mais próximo com o produto, às vezes até mesmo utilizando-o no seu dia a dia e mostrando isso ao seu público fiel.

    E é isso que faz a diferença para impactar a persona de uma marca. O marketing de influenciadores, como é chamada essa estratégia, transmite confiança e credibilidade, já que é feito por alguém que, ao mesmo tempo em que tem fama, também é muito próximo dos seus seguidores.

    Quem são os digital influencers

    O marketing de influência pode ser feito por pessoas de todos os perfis, basta que elas tenham certo poder de repercussão na internet. Isto é, as celebridades continuam sendo influenciadoras, mas hoje é possível que qualquer outra pessoa também faça esse papel, até mesmo gente como a gente, que cria um canal no YouTube ou tem muitos seguidores nas redes sociais.

    O relacionamento entre marca e influenciador digital pode ocorrer de diversas formas no marketing de influência. Existem empresas que apenas mandam seus produtos para os digital influencers, que os recebem e mostram ao público. Porém, firmar uma estratégia mais sólida com os influenciadores para que eles utilizem as mercadorias no dia a dia ou falem sobre elas costuma ter mais sucesso.

    Seja o primeiro a comentar

    Faça um comentário

    Seu e-mail não será publicado.


    *