Como Dormir Com Uma Pessoa Que Ronca?

Como Dormir Com Uma Pessoa Que Ronca?

  • 1 de 6
  • Entre 30% e 40% dos adultos sofrem com o distúrbio respiratório, que é mais frequente em homens e, geralmente, aumenta com a idade
  • Foto: Shutterstock
  • Como Dormir Com Uma Pessoa Que Ronca?

  • Como Dormir Com Uma Pessoa Que Ronca?

  • Como Dormir Com Uma Pessoa Que Ronca?

  • Como Dormir Com Uma Pessoa Que Ronca?

Nem tudo que acontece na cama de um casal é romance. Existe também o ronco. Mas além das cotoveladas para parar com a sinfonia noturna do parceiro, há meios para tratar o problema. A grande questão é conscientizar os roncadores que este é um tema que exige atenção e cuidados. Mesmo porque o ato de roncar pode apontar para problemas mais sérios de saúde.

Entre 30% e 40% dos adultos sofrem com o distúrbio respiratório, que é mais frequente nos homens e, geralmente, aumenta com a idade. Estima-se que mais de 60% das pessoas, acima dos 55 anos, sofrem com o barulho noturno, que é resultado das vibrações dos tecidos da garganta quando o ar passa em direção aos pulmões. 

Para os recém-casados o sono não anda fácil. Camila, 29, é empresária e juntou as escovas de dentes com o sócio Fabio, 30, há pouco mais de um ano. Já passou algumas noites no sofá para evitar brigas e conseguir dormir. “Odeio ser acordada e o ronco dele sempre me acorda, fico meio nervosa, não consigo voltar a dormir, e ele fica chateado porque diz que não tem culpa”, diz. 

Roncar não é normal O dia em que o empresário Danilo, 28, pegou seu travesseiro e foi para a sala, abalou a relação com a jornalista Mariana, 28.

Prontamente, ela procurou um otorrinolaringologista – que trata de ouvidos, nariz e garganta – e descobriu que seu problema era uma mistura de rinite com desvio de septo.

“Tomei um remédio para a rinite e hoje ronco menos”, diz Mariana.

O ronco tem solução. Dependendo do caso, o indivíduo pode ter que se submeter a uma cirurgia devido à hipertrofia da adenoide ou a um desvio de septo, por exemplo. Em outros casos, precisa tratar da rinite alérgica. “Mas, na grande maioria dos casos, o uso de um aparelho intraoral em adultos diminui o ronco de 80% a 100%”, afirma a dentista Valéria Bordallo, especialista em ronco e apneia. 

Mas muitas pessoas que sofrem com o problema não procuram ajuda e passam a conviver com o ronco, como se fosse algo normal. Fabio tentou tratamento no Instituto do Sono da Fundação Santo André, mas foi três vezes e parou. “Ele não gosta de ir a médicos”, explica Camila.

  Também foi essa justificativa que a médica Larissa, 29, ouviu do marido Leonardo que faz dupla de ronco com a cachorra do casal, uma buldogue.

“Eu cutuco ele para mudar de posição porque é difícil dormir com os dois roncando, e ele não quer saber de tratamento, sabe como é homem né?”, conta.

Apneia Mas mais do que abalar relacionamentos, o ronco representa um alerta na qualidade do sono, que indica que algo não vai bem com a saúde. Ainda mais porque as pessoas que roncam podem ter um problema mais sério – a apneia.

Neste caso, a obstrução da passagem de ar é total, por mais de 10 segundos.

“O simples fato de roncar já aumenta de 3 a 5 vezes a chance de o indivíduo vir a sofrer algum acidente cardiovascular nos próximos 5 anos, sobretudo infarto agudo do miocárdio e acidente vascular cerebral”, alerta Valéria.

Segundo o professor de ortodontia da USP, João Batista de Paiva, não necessariamente quem ronca tem apneia, mas todos que tem apneia roncam.

Quem ronca tem sono durante o dia, acorda frequentemente na madrugada, acorda com dor de cabeça e transpira em excesso durante o sono.

“Só com esses sinais está indicada uma consulta no especialista para que o mesmo investigue o grau de comprometimento da qualidade respiratória”, diz Paiva. 

Durante o exame clínico, caso haja suspeita de distúrbio respiratório, o dentista encaminhará o paciente para o otorrinolaringologista. Com o diagnóstico confirmado, é feito um exame específico, a polissonografia, que classifica a qualidade do sono.

Tratamento O advogado Felipe, 35, sofria com o ronco, mas não ficou parado. “Já fiz polissonografias, cirurgias, e tive até indicação para dormir com ventilação mecânica”, diz.

Hoje, ele dorme com um aparelho intraoral que posiciona minimamente a mandíbula para frente e libera o ar.

“Uma última polissonografia para verificar a efetividade do aparelho mostrou que sem ele eu tinha em média 20 paradas respiratórias por noite”, conta.

Os aparelhos intraorais de propulsão mandibular têm apresentado resultados efetivos nos tratamentos de apneias leves e moderadas.

Normalmente o dentista que planeja o tipo de aparelho a ser utilizado é o ortodontista.

 “Quem utiliza o aparelho propulsor para tratamento do ronco e apneia o faz por tempo indeterminado, podendo ser por toda a vida e devem fazer acompanhamento profissional”, aconselha.

Já quando a apneia é severa, os aparelhos intraorais não são indicados. Para estes pacientes o uso de máscaras especiais (CPAPs) é o tratamento mais indicado. Elas mantêm pressão positiva e fluxo contínuo de ar nas vias aéreas, o que evita a obstrução.

Hábitos O engenheiro Denis confessa: “Tenho 33 anos, corpinho de 53 e juízo de 15”. Essa fórmula é comum entre a maioria das pessoas que roncam. “O Leonardo está acima do peso e é o maior sedentário que eu conheço”, diz, Larissa. Já Fábio ganhou quase 12 quilos em dois anos. “Apesar disso ele joga bola três vezes por semana”, defende Camila.

Segundo Paiva, para evitar o ronco é possível mudar alguns hábitos, como dormir de lado, perder peso, evitar bebidas alcoólicas, tabaco, calmantes e relaxantes musculares e não fazer refeições pesadas antes de dormir.

Fonte: Agência Beta Este conteúdo é de propriedade intelectual do Terra e fica proibido o uso sem prévia autorização. Todos os direitos reservados. Fonte: Terra

6 exercícios para parar de roncar naturalmente

O ronco é um distúrbio que causa ruídos, devido a dificuldade na passagem do ar pelas vias aéreas durante o sono, o que pode acabar causando apneia do sono, que se caracteriza por períodos de alguns segundos ou minutos, durante os quais a pessoa fica sem respirar. Saiba mais sobre o que é a apneia do sono.

Esta dificuldade na passagem do ar, geralmente, acontece por estreitamentos das vias respiratórias e da faringe, por onde passa o ar, ou pelo relaxamento dos músculos desta região, principalmente durante o sono profundo, devido o uso de remédios para dormir ou consumo de bebidas alcoólicas.

Para acabar com o ronco, podem ser feitos exercícios que ajudam a fortalecer a musculatura das vias aéreas, além de ter atitudes como, perder peso e evitar o uso de remédios para dormir. Caso o ronco seja persistente ou mais intenso, também é importante procurar o clínico geral ou pneumologista, para identificar as causas e orientar o tratamento.

Como Dormir Com Uma Pessoa Que Ronca?

6 exercícios para acabar com o ronco

Existem exercícios que ajudam fortalecer a musculatura das vias aéreas, o que trata ou diminui a intensidade dos roncos. Estes exercícios devem ser feitos de boca fechada, evitando mexer o queixo ou outras partes do rosto, concentrando na língua e céu da boca:

  1. Empurrar a língua contra o céu da boca e deslizar para trás, como se estivesse varrendo, o máximo que conseguir por 20 vezes;
  2. Sugar a ponta da língua e pressioná-la contra o céu da boca, como se estivesse grudada, e manter por 5 segundos, repetindo 20 vezes;
  3. Abaixar a parte de trás da língua, contraindo também a garganta e a úvula por 20 vezes;
  4. Elevar o céu da boca, repetindo o som “Ah”, e tentar manter contraída por 5 segundos, por 20 vezes;
  5. Colocar um dedo entre os dentes e a bochecha, e empurrar o dedo com a bochecha até ele encostar nos dentes, mantendo contraído por 5 segundos, e alternar os lados;
  6. Encher um balão de aniversário, com as bochechas contraídas. Ao puxar o ar, deve-se encher a barriga, ao soprar o ar, sentir contrair a musculatura da garganta.

Para conseguir fazer bem os movimentos, é necessário algum tempo de treino. Caso haja alguma dificuldade, é recomendado pedir auxílio fonoaudiólogo para avaliar se os exercícios estão sendo feitos da forma correta.

Como parar de roncar naturalmente

Além dos exercícios, existem atitudes que ajudam a pessoa a parar de roncar naturalmente, como dormir sempre deitado de lado, evitar fumar, evitar beber álcool, emagrecer e usar dispositivos que ajudam a parar de roncar, como um protetor bucal que pode ser receitado pelo dentista. Saiba mais dicas sobre o que fazer para não roncar mais.

De fato, o processo de emagrecimento parece ser muito importante no tratamento do ronco e da apneia do sono, não apenas porque reduz a pressão sobre a respiração, mas porque, segundo um estudo recente, parece diminuir a quantidade de gordura na língua, o que facilita a passagem do ar durante o sono, evitando o ronco.

Caso o ronco seja muito incomodativo ou não melhore com estas medidas, é importante procurar um médico clínico geral ou pneumologista a para ajudar a identificar as causas e orientar o tratamento adequado. 

No caso de ronco mais grave ou associado a apneia do sono, quando não há melhora com estas medidas, o tratamento deve ser orientado pelo pneumologista, feito com o uso de uma máscara de oxigênio chamada CPAP ou com cirurgia para correção de deformidades nas vias aéreas que estejam causando o ronco. Saiba mais sobre quais são as opções de tratamento para apneia do sono.

Leia também:  Como Impedir Que O Antivirus Exclui Um Arquivo?

Como Dormir Com Uma Pessoa Que Ronca?

Dormir com CPAP

Como funcionam as faixas anti ronco

As faixas anti ronco são colocadas sobre as narinas e ajudam a diminuir a intensidade do ronco, uma vez que abrem mais as narinas durante o sono, permitindo que entre mais ar. Dessa forma, diminui a necessidade de se respirar pela boca, que é um dos principais responsáveis pelo ronco.

Para usar a faixa, deve-se colá-la horizontalmente sobre as narinas, fixando as pontas sobre as asas do nariz e passando por cima da ponte do nariz.

Embora possa ser um alívio para uma grande maioria dos casos, existem pessoas que não obtêm qualquer tipo de benefício, especialmente se o ronco estiver sendo causado por problemas como inflamação do nariz ou alterações da estrutura do nariz.

Principais causas do ronco

O ronco acontece durante o sono pois, neste momento, há o relaxamento dos músculos da garganta e da língua, que ficam posicionados um pouco mais para trás, o que dificulta a passagem do ar. 

As pessoas mais predispostas a desenvolver este distúrbio são aquelas com alterações da anatomia que estreitam a passagem do ar, como:

  • Flacidez dos músculos da garganta;
  • Obstrução nasal causada pelo excesso de muco ou catarro;
  • Rinite crônica, que é a inflamação da mucosa nasal;
  • Sinusite que é a inflamação dos seios nasais;
  • Pólipos nasais;
  • Glândulas adenoides e amígdalas aumentadas;
  • Queixo retraído.

Além disso, alguns hábitos de vida, como fumar, ser obeso, tomar remédios para dormir, dormir de barriga para cima e abusar do consumo de bebidas alcoólicas, causam mais probabilidade de roncar.

O ronco pode existir de forma isolada, ou pode ser um sintoma de uma doença chamada síndrome da apneia do sono, que prejudica a respiração e a qualidade do sono, provocando diversos sintomas, como sonolência durante o dia, irritabilidade e dificuldade de concentração.

Ronco

Como Dormir Com Uma Pessoa Que Ronca?

O ronco pode ser considerado normal, conforme a posição em que a pessoa dorme, mas quando ocorrem grandes vibrações e ruído intenso é classificado como patológico

O ronco é um ruído provocado por estreitamento ou obstrução nas vias respiratórias superiores durante o sono. Esse estreitamento dificulta a passagem do ar e provoca a vibração dessas estruturas.

O ronco pode ser considerado normal, quando a pessoa está dormindo em decúbito dorsal (de costas), por exemplo, porque a musculatura da garganta fica mais flácida e a língua cai um pouco para trás. Mas, é classificado como patológico, quando ocorrem grandes vibrações e ruído intenso.

O ronco pode, ainda, ser sintoma da síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS), patologia caracterizada por parada respiratória com duração de pelo menos dez segundos nos adultos, e dois ou três segundos nas crianças.

Veja também: Leia uma entrevista sobre ronco

Causas

Fatores de risco

Funcionam como fatores de risco ou agravantes do problema:

  • Pescoço mais grosso e mais curto;
  • Obesidade;
  • Ingestão de bebidas alcoólicas;
  • Uso de remédios para dormir ou de calmantes;
  • Dormir em decúbito dorsal;
  • Excessos alimentares antes de dormir;
  • Refluxo gastroesofágico;
  • Tabagismo.

Diagnóstico

O diagnóstico da apneia pressupõe a participação de especialistas em diferentes áreas. A conduta inicial é levantar a história do paciente, ouvindo uma pessoa próxima, pois dificilmente quem sofre de apneia tem consciência do que lhe acontece durante o sono. O exame físico criterioso feito a seguir e a polissonografia ajudam a fechar o diagnóstico.

Nos quadros mais leves de ronco e apneia, controlar os fatores de risco e a posição de dormir pode ser uma forma eficaz de tratamento. Para obrigar-se a dormir de lado, uma boa estratégia é costurar um bolso nas costas de uma camiseta e colocar dentro dele uma bolinha de tênis.

Pode também ser útil usar, à noite, um retrator de língua, ou seja, uma prótese intraoral móvel, que ajude a manter a boca fechada e a projetar a língua um pouco para a frente.

Para os casos graves, a melhor indicação é o CPAP nasal. Além de melhorar as crises de ronco, o uso do CPAP afasta o risco de problemas cardiovasculares e de hipertensão.

A indicação de cirurgia no tratamento do ronco e da apneia do sono tem de ser muito bem avaliada.

Recomendações

  • Roncar não é sinal de sono reparador. Se as pessoas próximas se queixam de que você ronca, leve-as a sério e procure assistência médica especializada;
  • Fique atento: os roncadores podem ser tomados por crises de sono incontrolável durante o dia, o que certamente irá prejudicar seu desempenho no trabalho e torná-lo mais vulnerável a acidentes;
  • Evite ingerir álcool e dê preferência a alimentos mais leves, especialmente antes de dormir;
  • Recorra a artifícios que possam ajudá-lo a dormir de lado e não de barriga para cima;
  • Mantenha seu peso em níveis ideais;
  • Pratique exercícios físicos;
  • Não fume.

Como evitar o ronco com dicas caseiras

Como Dormir Com Uma Pessoa Que Ronca? Imagem editada e redimensionada Bruce Mars, está disponível no Unsplash

Saber como evitar o ronco pode ser uma forma de melhorar suas noites e a de quem dorme ao seu lado ou no mesmo quarto que você. Confira algumas dicas que podem ajudar em casos não graves. Casos mais graves, como apineia do sono, devem ser tratados com ajuda médica.

O ronco

O ronco acontece quando o ar flui pela garganta durante a respiração no momento do sono. Isso faz com que os tecidos relaxados da garganta vibrem e produzam ruídos irritantes. Mesmo que o ronco não esteja incomodando muito, não é uma condição a ser ignorada. Ele pode ser um sinal de uma condição grave de saúde, incluindo:

  • Apneia obstrutiva do sono (vias aéreas bloqueadas)
  • Obesidade
  • Problema com a estrutura da boca, nariz ou garganta
  • Privação de sono

Em outros casos, o ronco pode ser causado simplesmente pelo fato da pessoa estar dormindo de costas ou ter consumido álcool muito perto do horário de dormir.

Dicas de com evitar o ronco

Em alguns casos, é preciso procurar orientação médica para o tratamento do ronco. Casos mais leves podem ser resolvidos com algumas dicas:

1. Cuide do corpo

O excesso de peso pode ser uma das causas do ronco. Emagrecer ajudará a reduzir a quantidade de tecido na garganta que pode estar te fazendo roncar. Você pode fazer isso consultando um nutricionista. Mas, de maneira geral, reduzir a ingestão calórica, comendo porções menores e alimentos mais saudáveis pode ajudar. Sem deixar de lado a prática de exercícios físicos.

  • Vinte exercícios para fazer em casa ou sozinho

2. Durma de lado

Às vezes, dormir de costas faz com que a língua se mova para o fundo da garganta, o que bloqueia parcialmente o fluxo de ar da garganta. Dormir de lado pode ser tudo o que você precisa para permitir que o ar flua facilmente, evitando o ronco. Mas procure utilizar um travesseiro entre as pernas para manter a coluna ereta.

3. Levante a cabeceira da cama

Elevar a cabeceira da cama em 10 cm pode ajudar a reduzir o ronco mantendo as vias aéreas abertas.

4. Limite ou evite o álcool antes de dormir

Tente não consumir álcool por pelo menos duas horas antes da hora de dormir. O álcool pode relaxar os músculos da garganta, causando ronco.

5. Evite tomar sedativos antes de dormir

Se você ronca e toma sedativos, procure orientação médica para saber se existem outras opções. Interromper o uso de sedativo antes de dormir pode aliviar o seu ronco.

6. Pare de fumar

Fumar é um hábito não saudável que pode piorar o ronco. Procure orientação psicológica ou médica para superar o vício.

7. Durma o suficiente

Certifique-se de obter as sete a oito horas recomendadas de sono necessárias a cada noite.

8. Use óleos essenciais

De acordo com especialistas da área de massagem, esfregar um pouco de óleo essencial de tomilho nos pés à noite pode ajudar a evitar o ronco.

Outros estudos mostraram que o óleo essencial de eucalipto pode pode ajudar a diminuir o muco no sistema respiratório, incluindo os seios nasais e a garganta, sendo uma forma de melhorar a respiração e evitar o ronco.

Use uma mistura de óleos essenciais

De acordo com estudos, uma mistura de óleos essenciais usada na forma de spray para garganta mostrou alguns resultados positivos. Esse spray para garganta específico é uma mistura de muitos dos óleos discutidos neste artigo, incluindo:

Como usar óleos essenciais para evitar o ronco

Existem várias maneiras de usar óleos essenciais para evitar o ronco, incluindo:

  • Aplicar em um difusor de ambiente
  • Adicionar em uma banheira
  • Adicione duas gotas de óleo essencial em um copo de água e gargareje por 30 a 60 segundos
  • Adicione óleo essencial a um óleo carreador como óleo de coco ou azeite e massageie a pele
  • Adicione algumas gotas de óleo essencial diluído em óleo carreador na parte inferior dos pés
Leia também:  Como Saber Que O Rapaz Gosta De Mim?

Precauções

Os óleos essenciais devem sempre ser diluídos em um óleo transportador. A receita típica é de duas a cinco gotas de óleo essencial para uma colher de sopa de óleo carreador.

Leia sempre os rótulos dos óleos essenciais e siga as instruções. Mantenha os óleos essenciais longe dos seus olhos.

  • Alguns óleos essenciais são tóxicos. Nunca ingira-os.

Quando procurar orientação médica

Se você acredita que você ou seu parceiro têm apneia do sono, marque uma consulta médica. A apneia do sono é uma condição séria que pode aumentar o risco de pressão alta, doenças cardíacas e diabetes.

Fontes: O'Keef Osbourn e Erica Cirino

Veja também:

Cadastre-se e receba nosso conteúdo em seu email. Comunicar erro

Dormir com alguém que ronca

Existem, sem sombra de dúvida, milhares de formas de demonstrar amor por alguém. Levar café da manhã na cama, ajudar o outro a fazer a declaração de imposto de renda, dividir um sanduíche de mortadela, escrever longas e bonitas cartas, aguentar coisas na família do outro que, por vezes, nem na sua você aguentaria. Sim, há muitas formas de demonstrar amor.

Mas existe uma prova de amor que, segundo estudos das melhores universidades, está entre as maiores do mundo: dormir ao lado de alguém que ronca. Pessoas que não fazem suas malas e vão embora apesar do ronco do outro têm um grau elevadíssimo de altruísmo e de compreensão, assemelhando-se, em alguns aspectos, à Madre Teresa de Calcutá ou ao Gandhi.

As pessoas que roncam podem ser classificadas em algumas espécies: as que negam que roncam, as que quase admitem que roncam, as que roncam muito mas só admitem que roncam um pouquinho e, por fim, as que roncam tanto que nem tem qualquer condição de negar que parecem britadeiras noturnas assombrando a vizinhança.

Hoje em dia, com o auxílio da tecnologia, ficou muito mais fácil provar ao roncador o tamanho do incômodo que ele gera àqueles que o cercam. Através da gravação de vídeos e de áudios fica comprovado o ato, de uma vez por todas, evitando respostas evasivas como “ela diz que eu ronco, mas eu nunca ronquei na vida, não é possível, ela deve sonhar com isso”.

E, acerca do ronco em sim, há diferentes tipos de volume. Aquele ronquinho que atrapalha o sono de quem dorme ao lado, mas não chega a acordá-lo; aquele ronco médio que acorda o companheiro, mas que permite que ele adormeça de novo e, por fim, o ronco de animais suínos, que faz um barulho insuportável, sendo resistente a portas fechadas, travesseiros na orelha e tampões de ouvido.

Também temos diversos comportamentos noturnos dos roncadores. Aqueles que se assustam com o próprio ronco e acordam gritando coisas como “ESSVIZGRL MONGS DA AERONAVE EU TAVA RONCANDO??!!”.

Outros que roncam horrores mas são carinhosos e vão abraçando a outra pessoa até que consigam roncar exatamente em cima da orelha dela, num misto de afeto e tortura.

Outros, nada dóceis, que, ao roncar, recebem do companheiro um toquinho na barriga como tentativa de reduzir o ruído ou de fazê-los virar, e, o roncador, achando que era um carinho, responde grunhidos como “sai”, “me deixa dormir” ou “pára com isso”.

Seja qual for a espécie: os roncadores assumidos ou não assumidos, de volume alto ou baixo, fofinhos ou ásperos, dormir ao lado deles nunca será uma tarefa fácil. E alguém que decida, no pleno exercício da sua liberdade, ter noites turbulentas dia após dia, pela simples vontade de dormir ao lado de quem se ama, é alguém digno de algum louvor.

Trata-se, de fato, de uma genuína e intensa prova de amor. Valorizem-nos, pessoas que roncam, valorizem-nos porque não está sendo fácil.

5 táticas para se livrar do ronco

O ronco muitas vezes é o sintoma audível de um distúrbio cada vez mais estudado: a apneia do sono. Além da barulheira, ela é marcada por interrupções temporárias na respiração durante a madrugada.

Mas eis uma dúvida: afinal, todo mundo que ronca tem apneia? Não, mas com a idade, somada ao sedentarismo e ao ganho de peso, há uma alta probabilidade de a orquestra ser acompanhada pelos engasgos provocados pelo corte no fluxo de oxigênio.

“No estado de São Paulo, calcula-se que 33% das pessoas sofrem de apneia”, conta o pneumologista Geraldo Lorenzi Filho, do Instituto do Coração de São Paulo, o Incor.

E o problema atinge tanto homens, quanto mulheres.

Hora de conhecer então cinco táticas para se livrar dessa barulheira e impedir que ela gere problemas mais graves, como tumor, lapso de memória, hipertensão, Alzheimer, arritmia e infarto.

1. Atividade física

Corrida, caminhada, natação… Malhar tem efeito terapêutico contra a apneia. Primeiro porque elimina o excedente de peso, muito associado ao problema. E segundo porque aprimora o padrão do sono.

“Fizemos um estudo que demonstrou melhoras na sonolência diurna, no humor e na qualidade de vida entre apneicos sedentários que se exercitaram por dois meses”, conta a biomédica Carolina Ackel D’Elia, da Universidade Federal de São Paulo.

2. Postura e higiene do sono

Quem ronca já ouviu o apelo vindo do parceiro ou parceira para virar de lado. E é melhor ouvir: essa tática pode mesmo amenizar o barulho. “Quando estamos deitados de barriga para cima, a língua relaxa e atrapalha a respiração”, explica Dalva Poyares. “Também vale evitar o álcool em excesso antes de dormir porque ele estimula o estreitamento da garganta”, diz.

3. Aparelho intraoral

À noite, a língua relaxa e pode deslizar para trás, agindo como uma espécie de barreira para o ar que inspiramos e gerando aqueles ruídos.

Aparelhos de resina acrílica, feitos sob medida e colocados dentro da boca na hora de dormir, ajudam a dar um psiu no ronco e na apneia leve ou moderada.

“Esses dispositivos conduzem a mandíbula para a frente e impedem que a língua se desloque, deixando livre a passagem do ar”, explica Ana Célia Faria, cirurgiã bucomaxilofacial da Universidade Estadual de Campinas.

4. O CPAP

A sigla do equipamento vem do inglês e significa pressão positiva contínua nas vias aéreas. O aparelho assegura um fluxo ininterrupto de oxigênio durante o sono do apneico, que dorme conectado a uma máscara.

“O CPAP é indicado aos casos que não são resolvidos com mudanças de hábito”, diz o otorrinolaringologista Mario Munhoz, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo.

O aparelho é considerado o padrão-ouro no tratamento da apneia.

5. Cirurgia

Em algumas situações, a apneia do sono deve ser resolvida via bisturi. Isso acontece quando há um defeito anatômico, como amígdalas protuberantes, carne esponjosa, queixo retraído demais ou estreitamento anormal na garganta.

Com o auxílio de alguns exames, pode-se averiguar que situações são solucionadas de vez na mesa de cirurgia.

“Há inclusive procedimentos mais complexos, que visam aumentar o espaço do céu da boca, avançar a língua ou reposicionar o maxilar”, revela Munhoz.

Continua após a publicidade

  • Benefícios do sono
  • Prevenção e Tratamento

Aprenda algumas dicas simples para fazer alguém maneirar no ronco

É algo tão óbvio quanto o dia que todos temos que dormir diariamente, mas infelizmente para alguns indivíduos isso pode ser muito mais complicado do que para outros. Ainda mais quando precisam dormir do lado de uma pessoa que ronca tanto que parece mais que há um motor ligado em cima da cama.

Há quem brinque que esses dorminhocos barulhentos pareçam mais funcionários noturnos da prefeitura, que resolvem quebrar calçadas com uma britadeira no meio da noite, mas em muitos casos isso pode ser resolvido de uma maneira simples. Normalmente, quem ronca muito alto está dormindo de peito para cima e fazendo a úvula (a “campainha” no fundo da garganta) vibrar quando suga o ar pela boca.

A maneira mais fácil de resolver isso então seria a pessoa dormir de lado, certo? Sim e não.

Muitas pessoas tendem a mudar de posição enquanto dormem, e por isso alguém pode dormir de lado e depois de algum tempo simplesmente virar de barriga para cima de forma completamente inconsciente.

Para evitar que isso aconteça, trouxemos algumas dicas relativamente simples de serem executadas, mas que pode garantir preciosas horas de sono a quem dorme ao lado de um “roncador”.

Bolas de tênis

Para evitar que uma pessoa durma com o peito para cima, é necessário fazer com que ela se sinta desconfortável ao mudar para esta posição. Uma forma de se conseguir isso é costurar nas costas de uma camiseta uma espécie de bolso e enchê-lo com algum objeto que incomode a pessoa o suficiente para que ela mude de posição, mas sem machucá-la e que também não a desperte.

Leia também:  Como É Que Os Galos Acasalam?

A sugestão dada pela Dra. Dianne Augelli, uma especialista em medicina do sono, são bolas de tênis.

Elas têm um tamanho relativamente bom, não pesam muito, não são duras e nem macias demais e não vão ferir a pessoa quando esta virar sobre elas.

Você pode tentar também com outros objetos semelhantes, desde que não machuquem ninguém. Com o tempo, o indivíduo acaba aprendendo a não virar mais de lado e a técnica se torna desnecessária.

Cintos incômodos

Se as bolas de tênis falharem, ou se o clima em que mora for quente demais para se dormir de camiseta, você pode tentar aplicar a mesma técnica através de um “cinto incômodo”. Basta que a pessoa durma com algo enrolado na altura do quadril ou do peito e que forme um volume na parte das costas. Pode ser uma tira de pano com uma almofada pequena dentro, por exemplo.

Novamente, o objeto que for colocado ali deve ser grande o bastante para que a pessoa não consiga deitar naquela posição sem se sentir desconfortável, mas aquilo obviamente não pode machucá-la também. Nada de usar peças de LEGO ou algo parecido.

Travesseiros ao lado do corpo

Outra ideia que basicamente segue o mesmo princípio das anteriores é utilizar alguns travesseiros na frente e atrás do corpo da pessoa que costuma roncar, para que evitem que ela consiga se virar para qualquer lado inconscientemente.

Grávidas normalmente têm problemas para dormir de barriga para cima, porque o bebê acaba comprimindo os seus órgãos nessa posição, e por isso costumam usar essa mesma técnica, que impede que elas rolem enquanto dormem. Em lojas de artigos especializados para gestantes, é provável que você encontre travesseiros pensados especialmente para essa finalidade.

Obviamente, existem outros motivos para as pessoas roncarem, como apneia do sono, desvio do septo e diversos outros problemas respiratórios que podem fazer com que alguém faça barulho mesmo dormindo de lado ou de barriga para baixo, por exemplo. Se nenhuma dessas técnicas ajudar o indivíduo a dormir mais silenciosamente, é recomendável procurar um especialista do sono para desvendar de que forma o problema pode ser resolvido mais facilmente.

*Publicado em 29/8/2015

Seu companheiro ronca? Saiba como tratar o problema

Seu companheiro ronca? Saiba como tratar o problema o ter noites mais harmoniosas.

De acordo com a Associação Brasileira do Sono 24% dos homens e 18% das mulheres de meia-idade roncam.

Além disso, 60% dos homens e 40% das mulheres acima dos 60 anos de idade roncam. O ronco aparece quando, durante o sono, as vias aéreas ficam semiobstruídas, ou seja, quando ocorre um estreitamento!

A língua “desce” em direção à garganta, a boca abre e gera as vibrações, o ruído que ninguém quer ouvir.

Seu companheiro ronca? Veja as prováveis causas

  • Segundo pesquisas, são três os fatores principais que levam uma pessoa ao ronco: sobrepeso (obesidade), fumar (tabagismo) e consumir bebidas alcoólicas (alcoolismo).
  • A obstrução das vias aéreas também pode estar relacionada a alterações craniofaciais.
  • O ronco é mais comum em quem dorme de barriga para cima, do que em quem dorme de lado ou bruços.
  • O ronco também pode ser causado por alergias e problemas nasais (desvios de septo).
  • O mais preocupante é quando o ronco se dá pela apneia do sono (paradas respiratórias por mais de 10 segundos).

Ronco

  1. Assim como em vários outros casos, o ronco é hereditário, sendo que 70% das pessoas que roncam possuem familiares com o mesmo histórico.
  2. Além de incomodar quem está perto, o ronco pode baixar a qualidade do sono, levando a pessoa a sonolência diurna, cansaço, falta de concentração dentre outros.

  3. O volume do ronco pode variar entre 50 e 100 decibéis, o que significa o ruído de uma broca.
  4. A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera poluição sonora 40 decibéis.
  5. Quando o ronco se torna constante é importante procurar o diagnóstico médico.

  6. Para investigar o motivo do ronco a da apneia do sono é indicado o exame de polissonografia, onde a pessoa tem seu sono monitorado durante uma noite inteira.

Tratamento

  • O tratamento do ronco geralmente envolve mudança do estilo de vida.
  • Entre elas estão: dormir de lado; usar dilatadores nasais; perder peso; evitar álcool e cigarro; e não comer antes de ir pra cama.
  • O uso de medicamentos geralmente é indicado para tratar quem ronca devido a refluxo, ou dificuldade de respirar devido a alergias.
  • Quando o ronco se dá por problemas de arcada dentária ou má posicionamento de mandíbula são indicados aparelhos intraorais.
  • No tocante a cirurgias, a mais conhecida é a uvulopalatofaringoplastia, que consiste na remodelação do palato e da úvula, com remoção das amígdalas.
  • Mas o que tem ganhado mais espaço é o uso do CPAP, indicado para ronco e apneias do sono de moderada à grave intensidade (padrão ouro de tratamento para apneia do sono).

Trata-se de um aparelho de pressão positiva continua nas vias aéreas, combatendo o quadro de obstruções. Ele deve ser utilizado durante todo o sono.

O dispositivo é normalmente posicionado na mesa de cabeceira e, através de um tubo, conecta-se a uma máscara que se adapta ao nariz ou nariz/boca.

Fontes: Associação Brasileira do Sono; Super Interessante (link – Comportamento); Melhor com Saúde; e Portal Otorrino.

Ronco: o que causa, quais as doenças relacionadas e como tratar

Motivo de brigas e incômodo para muita gente, o ronco pode ser um sinal de alerta para melhorar sua qualidade de vida. O volume do ronco não quer dizer muita coisa, segundo os especialistas, mas ele pode ocorrer atrelado a muitas doenças ou simplesmente por cansaço.

Muitas vezes, fazendo pequenas mudanças no dia a dia, é possível reverter o problema e ter noites melhores de sono e não atrapalhar quem está dormindo ao seu lado na cama.

Tire as principais dúvidas sobre ronco

O que é o ronco?

O ronco é um barulho provocado pelas vibrações das estruturas de partes moles na garganta e no nariz.

O que significa roncar muito?

Roncar é normal e o barulho em si não indica uma doença ou outro tipo de problema.

Geralmente, o indivíduo pode sofrer com síndrome de apneia obstrutiva do sono, que faz com que ele pare de respirar durante o ronco e emita um som muito mais alto do que o comum.

Às vezes é tão profundo que ocorre um engasgo. Por isso é aconselhado procurar um otorrinolaringologista para tratar o quadro.

Quais doenças podem causar o ronco?

Há muitas doenças que causam o problema. Ele pode ser provocado por obesidade, ganho de peso, aumento das amídalas, rinite, sinusite e até doenças do pulmão. Por isso o ideal é investigar a causa do problema para tratá-lo de forma efetiva.

Quais são os tipos de ronco?

Não existe um tipo de ronco específico. Dentre as classificações, a pessoa pode ter um ronco normal ou apresentar apneia, que pode ter sintomas mais moderados ou intensos.

Vale lembrar que, muitas vezes, ao chegar cansada em casa, a pessoa pode roncar alto e diferente dos demais dias, mas não significa que ela sofre com algum problema.

Como é a cirurgia para parar de roncar?

Na cirurgia é retirado o excesso de tecido (popularmente chamada de carne esponjosa) fazendo com que a pessoa respire melhor. Vale lembrar que esse procedimento é indicado para quem sofre com apneia e, só em últimos casos, já que é bem invasiva.

É interessante tratar também as doenças que podem originar o ronco, como rinite e sinusite.

Tem algum remédio para parar de roncar?

Infelizmente, não há nenhum remédio para o ronco. O ideal é que a pessoa procure tratar o ganho de peso, problemas respiratórios ou use aparelhos específicos para o problema.

O que fazer para acabar com o ronco?

Existem aparelhos que permitem que o indivíduo durma melhor e não ronque à noite. São os chamados CPAP, que funcionam como uma máscara, jogando o ar para dentro do pulmão e fazendo uma pressão positiva. No entanto, ele costuma ser bem caro e difícil de se acostumar ao uso durante as horas de sono.

Caso tenha um ronco leve, a pessoa também pode optar por uma pilha de travesseiro elevada e dormir de lado, melhorando o barulho e sinais do ronco. Já se o quadro for grave e alto, vale tentar investir na perder peso.

Fonte: Fernão Costa, otorrinolaringologista da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo e Gustavo Mury, otorrinolaringologista do Hospital Cema (SP).

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*