Como Dizer A Alguem Que Nao Gostamos Dela?

Como Dizer A Alguem Que Nao Gostamos Dela?

A assertividade é uma habilidade social que nos permite expressar nossos sentimentos e necessidades, mas tomando cuidado de não ofender o outro. Essa habilidade nos protege de nossos próprios direitos e, por sua vez, nos permite respeitar o dos demais.

Quem não se viu na situação de ter que dizer não a alguém e não saber como fazer. Como dizer a uma pessoa que você não gosta dela? É uma situação incômoda e pode ser difícil. Por isso, em Psicologia-Online, queremos oferecer 20 maneiras assertivas para dizer à essa pessoa: não gosto de você.

Te oferecemos uma série de técnicas que nos permitirão recusar um convite para sair de forma amável.

Técnica do sanduíche

Quando utilizamos essa técnica, o que fazemos é dar uma mensagem positiva antes e depois de expressar nossa recusa ao pedido proposto. O efeito que a técnica do sanduíche consegue é que a recusa seja mais suportável para quem a recebe, pois também ativamos os sentimentos positivos do outro.

  • Um exemplo seria: “Obrigada pelo convite para ir beber algo, ultimamente estou muito enrolada no trabalho e tenho pouco tempo, mas agradeço que você tenha pensado em mim”.

Técnica do disco arranhado

Essa técnica pode ser utilizada quando não é a primeira vez que precisamos recusar um encontro com essa pessoa. É que, de maneira assertiva, continuamos expressando nossa negativa sem ceder às insistências da outra pessoa e manter nossa resposta firme.

  • Um exemplo seria: “Agradeço o seu convite, mas, como já lhe disse anteriormente, acho que sair com você não é uma boa ideia, por favor, não insista mais”.

Técnica para processar a mudança

Essa técnica tenta desviar o foco de atenção para o que está acontecendo, como se estivéssemos olhando para a conversa como um observador externo. Pode ser útil também no caso que a pessoa esteja insistindo em se encontrar.

  • Um exemplo seria: “Faz várias semanas que vem insistindo, eu já disse não, por favor não fique me dizendo para nos encontrarmos”.

Propor alternativas

Caso a rejeição ao encontro seja apenas algo pontual, ou seja, queremos recusar uma proposta, mas pensamos que existem outras opções, podemos procurar e propor alternativas.

  • Por exemplo: ¨Lamento muito, nessa ocasião já tenho outros planos, mas que tal ficar para um dia da semana que vem”

Banco de névoa

O banco de névoa é uma técnica que consiste em expressar um acordo parcial sem mudar nossa decisão, ou seja, nossa negativa.

É uma técnica muito útil quando podemos perceber que nosso interlocutor pode ter uma reação negativa diante à rejeição.

A pessoa pede para você ir ao cinema em uma sexta-feira à tarde e você não tem vontade; trata-se de expressar aprovação ao plano proposto, mas recusá-lo.

  • Por exemplo: “É possível que ir ao cinema na sexta-feira seja um bom plano, mas normalmente acabo muito cansada da semana inteira, então prefiro ficar em casa, mas agradeço”. Como podemos ver, concordamos que pode ser um bom plano, mas permanecemos firmes na decisão.

Valorize o esforço

Para muitas pessoas, marcar um encontro é um esforço, para isso é bom que o reconheçamos, embora a nossa resposta seja negativa.

  • Por exemplo: “Valorizo muito que tenha me convidado para jantar…mesmo assim, acho que é melhor não dar mais nenhum passo”.

Saiba mais sobre a comunicação assertiva nesse artigo.

Como Dizer A Alguem Que Nao Gostamos Dela?

Se vemos que a outra pessoa não era o que esperávamos e existe necessidade de comunicar isso, devemos tentar fazer isso de maneira empática para que essa pessoa não sinta a rejeição de uma forma “áspera”, mas que ao mesmo tempo a mensagem seja clara. A seguir, encontramos uma lista de possíveis mensagens para enviar:

  • Acho que você é uma ótima pessoa, mas percebi que não encaixamos muito bem, penso que será melhor para nós dois pararmos de conversar.
  • Você parece uma pessoa muito interessante, mas estou em um ponto da minha vida que percebi que preciso de um tempo para mim.
  • Preferiria parar de falar, acho que você e eu não nos encaixamos bem e não quero fazer ninguém perder tempo. Espero que você entenda.
  • Percebi que não buscamos a mesma coisa, e acho que o melhor para ambos será pararmos por aqui, você merece alguém que te valorize.
  • É possível que ultimamente você tenha me notado mais distante, tenho pensado e não tenho certeza se vejo um futuro para nós, prefiro deixá-lo aqui antes de que vá mais adiante.
  • Achei que estava em um ponto da minha vida em que poderia conhecer alguém, mas percebi que não. Sinto muito.
  • Gostei do tempo que compartilhamos conversando, acho você uma pessoa muito agradável, mas acho que te vejo mais como um/a amigo/a do que como um cônjuge. Não sei se a mesma coisa também acontece com você.
  • Não quero que você leve a mal nada do que vou te dizer agora, mas ultimamente não sinto a mesma conexão que sentia com você no começo e não consigo encontrar maneiras de recuperá-la, não quero perder seu tempo, pois acho que você é uma pessoa que vale muito e merece alguém que demonstre isso dia a dia, pois hoje não posso te oferecer isso. Sinto muito.

Dependendo de como a pessoa reage atrás do telefone, podemos empregar a técnica de:

Procure as concordâncias

Trata-se de procurar se você concorda com alguma das opiniões que a outra pessoa deu, enfatizar estas, mas manter-se firme com sua opinião.

  • Um exemplo seria: “Entendo que essa mensagem pode ter feito você se sentir mal e você tem razão ao dizer que talvez eu pudesse ter usado outro meio, desculpe, não encontrei outra maneira melhor de comunicá-lo”.

Todos nós achamos desconfortável ter que dizer não em algum momento, para isso, a seguir estão uma série de maneiras de dar uma negativa de maneira educada.

Agradecer

Apesar de dizer não à proposta feita, pode ser bom agradecer à outra pessoa pelo gesto, se você agradece tudo fica bem.

  • Por exemplo: “Agradeço muito sua proposta, mas hoje tenho outro compromisso para atender”.

Tentar não dar desculpas

Aconteceu a todos nós que vimos claramente como nos deram uma desculpa para nos dizer não, e a verdade é que em muitas vezes você pensa: é melhor que me diga a verdade. Também é verdade que às vezes não estamos preparados para enfrentar a verdade.

A chave para que a pessoa não leve a mal a negativa sem desculpas está no sorriso e no olhar nos olhos da pessoa, pois permitirá que você mantenha a compostura adequada para a situação. Às vezes, é mais fácil não dar desculpas e ser mais direto/a por meio de telemática. Você pode fazer isso primeiro por e-mail ou WhatsApp e depois pessoalmente.

Incluir emoções

Adicionar palavras com conotação emocional como “lamento” ou “sinto muito” torna a negação mais fácil de aceitar para a outra pessoa. Se além do toque emocional também adicionarmos um “muito”, fica ainda mais fácil recusar a proposta sem ficar mal.

  • Por exemplo: “Muito obrigada por sua proposta, lamento muito não poder participar”.

Assertividade elementar

Trata-se de dar uma resposta curta, simples e concisa sobre nossa postura, dando uma pequena explicação do por que nossa resposta é negativa.

Reconhecer e expressar a intenção positiva

Trata-se de detectar e alimentar a intenção positiva da pessoa e expressá-la.

  • Um exemplo seria: “Sei que você me propôs porque nos momentos em que estivemos juntos nos divertimos”. Desse modo, quando a negativa vier depois, será mais fácil de aceitar.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como dizer a uma pessoa que você não gosta dela, recomendamos que entre na nossa categoria de Sentimentos.

Bibliografia

  • Castanyer, O., Cañizares, O.(2017). Voy a ser asertiva. España: Conecta.
  • Caballo, V. E. (1983). Asertividad: definiciones y dimensiones. Estudios de psicología, 4(13), 51-62.

Como dizer a uma pessoa que não gosta dela sem magoar tanto? | Yahoo Respostas

Tem uma garota na minha sala que quer porque quer a minha amizade. Estudamos na mesma escola por 4 anos e esse ano tive o infortúnio de ir para a mesma sala que ela.

O problema é que além de me encher o saco quando estou fazendo algo sozinha, tipo ler ou ouvir música na sala, principalmente no intervalo, ela faz questão de querer que eu fique amiguinha dela dizendo que sou depressiva, e fica, mesmo subjetivamente vamos dizer, querendo que eu vire otaku, sendo que curto um ou dois animes e pronto, preciso ser otaku? Não. Decidi abrir o jogo, falar logo que não gosto dela e queria que ela se afastasse de mim, mas não ficasse com ódio e talz. Simplesmente não quero ser amiga dela. Não a odeio, só quero que ela fique com a turma dela e me deixe no meu canto porque já tenho meus amigos. Gostaria que vocês me dessem dicas de como falar, opiniões sobre isso…por favor ;/

  • Fecha a cara e fala que não ta muito bem e não quer conversar e vai se afastando, detalhe aos poucos até ela acustumar e deixar vc em paz.mas assim não tem jeito de ficar amiga dela? tipo tentar falar o que vc não gosta que ela faz e impor limites sem ter q desfazer uma amizade?amanhã ou depois vc pode precisar.vc que sabe, abraço t+
  • Como Dizer A Alguem Que Nao Gostamos Dela?O Único jeito é magoando,, mas de uma maneeira que naum deixe marcas,, escreve em uma carta assim.. Querido (Nome da pessoa) seei que voce gosta de mim, mas ecu não gosto, não fique triste, em um namoro não adianta uma pessoa gostar mas a ooutra não, voce gosta de mim,, e quer namorar comigo,, mas naum adianta ecu não mando no coração, me desculpe,, se voce me ama de verdade seguirá com a sua vida e ecu seguirei com a miinha. Espero ter ajudado fofa
  • Cada um tem a sua fórmula própria para tocar a pessoa sem ferir! Eu fui muito grosso, uma vez que precisei despachar uma garota interessada em mim. Esta garota era irmã de uma moça que deixou marcas em mim, por decidir casar-se e deixar-me, porque eu era muito novo e não podia garantir os projetos que ela tinha para satisfazer a sua mãe, que queria ela casada urgente. Eu, encontrei-me a sós, com uma irmã dela mais jovem e mais bonita que ela. Então eu tive a oportunidade de namorar num lugar especial e não quis, ainda soltei os cachorros na velha e magoei a menina. Quando fui ao rancho, onde estava a minha rede e dormi pensando nela, e fazendo capricho para não aceitar nada, nem dela e nem de ninguém da família. Nós trabalhava-mos numa colheita de algodão, passava-mos semanas juntos, mas eu era inocente e puro. Perdi muitas oportunidades. Depois, aprendi a agradar mesmo com decisões graves, sobre o afastamento da interessada.
  • Até sinceridade magoa, quando a pessoa não está preparada para lidar com o que não quer ouvir….. seja sincero e fale o que pensa, mas sempre com respeito e bom senso…..—–.•:*¨`*:•. .•:*¨`*:•. – Pouca coisa é—::: …….. /,,,/ …….. ::: – necessária para–*: …….. (=“;“=) ……. :* – alegrar o dia de um amigo.—*•“ ….. (“)_(“) ….. “•* – Basta dar uma——*,. ……………. .,* – passadinha———*•, …….. ,•* – e dizer: Eu————-`°♥°´ – não esqueci de você!!!**♥ *.* Bєijiинσร αlєgяєร♥ *.*
  • Como Dizer A Alguem Que Nao Gostamos Dela?
Leia também:  Como É Que O Professor Pode Recorrer Da Sua Avaliação?

10 Formas carinhosas de dizer ao cônjuge que você não gosta de algo que ele faz | Familia

Quer dizer algo ao cônjuge mas não sabe como? Veja 10 formas carinhosas de falar com seu cônjuge sobre coisas que você não gosta.

Como Dizer A Alguem Que Nao Gostamos Dela?

A longa e colorida estrada de um relacionamento, geralmente, inicia-se com o namoro, onde o casal está vivendo uma explosão de sentimentos e paixões. Nesta fase cada integrante do relacionamento vê um ao outro como perfeitos.

Os erros são, no ponto de vista dos enamorados, mínimos, ou insuficientes se comparados com a beleza, com o sorriso, com as qualidades, que são imensas, entre outras virtudes do parceiro. Quando esse relacionamento amadurece, os namorados comprometem seus sentimentos através do matrimônio. Fazem juras de amor eterno e passam a ser um só.

Começam a dividir uma casa, convivem por mais tempo e passam a fazer muitas atividades juntos. Os sentimentos, as responsabilidades e as ideias da época do namoro mudam de proporções. Ou seja, são duas pessoas de formação diferente, que em pouco tempo, após a cerimônia de casamento, descobrem que a realidade a ser encarada é dura.

Pois, segundo o religioso e empresário estadunidense, Spencer Woolley Kimball, “(…) não há mais uma vida de fantasia ou de ‘faz de conta’”.

Ou seja, logo após o casamento, o casal descobre as fraquezas do cônjuge, até então desconhecidas. As virtudes externadas durante o namoro são minimizadas e as fraquezas, antes insignificantes, adquirem proporções gigantescas.

É nessa fase que o casal percebe a imensa lista que possuem de coisas que não gostam que o cônjuge faça.

Mas como falar delas sem magoar, ou trazer à tona momentos degradáveis ao relacionamento? Existe alguma maneira sutil de tratar dessas coisas com o cônjuge?

Caso tenha feito essas perguntas a si mesmo, fique tranquilo. Daremos agora 10 maneiras carinhosas, como sugestão, na hora de falar ao cônjuge das coisas que você não gosta que ele faça. Vamos lá:

Sacrificar-se

Não, vocês não leram errado. De acordo com Marvin J.

Ashton, um bem-sucedido empresário e especialista familiar norte-americano, “Precisamos estar dispostos a deixar de lado a conveniência pessoal para investir nosso tempo no estabelecimento de um firme alicerce para a comunicação em família.

” Ou seja, seria muito comodismo de nossa parte se fôssemos abordar as coisas que consideramos falhas em nosso cônjuge, no momento que favorece só a nós mesmos. Logo, precisamos de sacrifício pessoal para conversar com o cônjuge, no momento em que as condições são propícias para ele.

Disposição para criar um ambiente favorável

Imaginem realizar essa conversa, onde serão faladas coisas delicadas a respeito do nosso cônjuge, num ambiente barulhento, com televisão e outros aparelhos midiáticos e tecnológicos ligados, competindo conosco pela atenção do cônjuge.

Ou ainda, tratar desse assunto em meio à praça de alimentação de um Shopping Center com uma multidão de pessoas conversando.

Não dá, não é? Por esse motivo que elegemos essa nossa sugestão como a segunda, pois, precisamos escolher o local, ambiente ou circunstâncias confortáveis, reservados e próprios para uma conversa desse teor.

Criar a oportunidade

Bem, e se mesmo que nos sacrifiquemos e criemos um ambiente propício, ainda assim, não conseguirmos falar dessas coisas com o cônjuge? Afinal, existe a preocupação com o trabalho, com os filhos e outras responsabilidades que interfeririam na conversa, não é mesmo? Pensando nesses questionamentos, tendo criado um local propício para a realização da conversa, precisamos, agora, criar as oportunidades e deixar que o outro membro da família seja o centro de nossa atenção e agir de acordo com isso. Marvin J. Ashton diz isso de uma forma maravilhosa: “Criem a oportunidade sempre que houver necessidade. Criem a oportunidade sempre que a outra pessoa estiver pronta.”

Falar

Agora que já nos sacrificamos, já temos o ambiente favorável e criamos a oportunidade, resta-nos falar e expressar nossas inquietações. E para isso é preciso ser sutil e humilde.

Tendo sempre na mente que, o maior objetivo da conversa é o de fortalecer o elo do casamento, afinal amamos nosso cônjuge e o que queremos é solucionar problemas e não criar outros. Precisamos ter em mente o belíssimo conselho de Thomas S.

Monson, um renomado escritor estadunidense: “Nunca deixe que um problema a ser resolvido se torne mais importante do que uma pessoa a ser amada”.

Disposição para escutar

Com toda certeza, nosso cônjuge precisará falar para expor seus sentimentos em relação ao que lhe foi revelado.

Talvez ele tenha acabado de descobrir que algo que ele faz, achando ser benigno ao casamento é, na verdade, um gerador de tristezas e mágoas. Precisamos desenvolver nossa habilidade de escutar o outro.

Tendo em mente que escutar é muito mais que ficar em silêncio, pois é algo que exige nossa atenção. E o cônjuge precisará, não só dos nossos ouvidos, mas também de nosso coração.

Disposição de não fazer julgamentos

Sabemos como é fácil apontar erros e fazer julgamentos. Sinceros elogios e cumprimentos são bem mais difíceis para a maioria de nós.

Porém, precisamos ser compreensivos e não críticos, sempre atuando dentro dos limites da liberdade de escolha do nosso cônjuge. E sempre há um caminho de volta.

E é por acreditar que existem possibilidades para um melhor entendimento no casamento, que resolvemos ter essa conversa com nosso cônjuge, lembram?

Disposição de exercer a paciência

Claro que já sabemos que nosso cônjuge não mudará suas atitudes, como num passe de mágica. Não é mesmo? É aí que entra a paciência, uma das qualidades mais ternas que existem.

Precisamos ajudar nosso cônjuge, pois ele tentará mudar por nós e pela felicidade do casamento.

A melhor forma de fazer isso é sermos pacientes e tolerantes, porque o caminho pode ser longo e até cansativo, principalmente se o cônjuge precisar fazê-lo sozinho, por causa de nossa impaciência.

Ter fé em nosso cônjuge

Precisamos acreditar e confiar em nosso companheiro ou companheira para o fortalecimento do casamento. Precisamos passar a nosso cônjuge que acreditamos que ele conseguirá mudar em prol da felicidade de ambos e, mais que isso, precisamos transmitir essa confiança ao nosso cônjuge.

Disposição de elogiar

É nossa responsabilidade notar os esforços despendidos por nosso cônjuge para mudar e fortalecer o relacionamento. Precisamos fazer com que ele saiba que estamos acompanhando cada batalha travada e vencida em prol do casamento. E devemos elogiá-lo por isso. Esse gesto dará forças e ânimo a nosso cônjuge.

Disposição de repetir

Se todos os esforços empregados por nós e por nosso cônjuge parecerem não surtir efeito, devemos evitar a impressão de haver desistido.

Devemos ter a coragem e a iniciativa de repetir todas as sugestões de 1 a 9, quantas vezes forem necessárias e evitar transmitir, ao nosso cônjuge, que cansamos de tentar.

Afinal nossa tranquila perseverança é uma virtude inestimável em nosso casamento.

Como falar sem magoar as pessoas?

Outro dia li um post do consultor Noaldo Dantas que me chamou a atenção: “precisamos aprender a falar sem magoar as pessoas “. E isso me fez pensar e escrever sobre o assunto.

Minha reflexão se deu em função de um fato: não gostamos ou estamos acostumados a ouvir críticas, até mesmo as construtivas (por mais que alguns costumem dizer isso).

Partindo dessa constatação, as pessoas deveriam repensar a maneira que fazem o que eu chamo de “comentários sinceros”, porém desnecessários, do tipo: você está gordo, careca, abatido ou você não sabe nada, precisa mudar seu comportamento, entre outros tantos nesta linha.

Se a pessoa que está ouvindo seu comentário sincero estiver naquele momento com a autoestima baixa, a sua observação vai fazer a pessoa se sentir pior ainda.

O ponto em que quero chegar é como ser honesto sem ser duro? Como falar sobre assuntos indelicados e até desagradáveis? Aristóteles responde: “O sábio nunca diz tudo o que pensa, mas pensa sempre em tudo o que diz.

” Portanto, uma simples pausa e uma pergunta instantânea podem ajudar neste processo de resposta. Faça um breve, porém necessário questionamento interno.

Realmente eu devo/preciso falar isso? Se falar posso magoar os sentimentos da outra pessoa? Ou seja, na prática, se parou e demorou pra achar a resposta para essas perguntas simples, convenhamos, melhor não fazer o comentário.

Veja aqui um quadro que serve para pensar e decidir se deve comentar.

Bom, mas e a crítica construtiva? Não é o melhor caminho? Sim, eu concordo.

Gosto do termo e procuro praticar isso, mas tem que ficar atento e buscar o momento certo pra aplicar e, principalmente, de saber como falar, de olhar pela perspectiva correta e, sobretudo, se o interlocutor está propício e confortável para recebê-la.

O problema é que as pessoas exageram ou usam o termo “construtivo” para criticar, apontando os defeitos dos outros e o caminho não é este. Você pode falar o que quiser para uma pessoa, mas use as palavras certas no momento apropriado.

Falando sobre perspectivas, o grande problema da crítica está em quem critica e não em quem recebe, por isso é importante entender o ponto e tentar ser hábil se precisar fazer algum comentário positivo o negativo a alguém.

Essa é uma linha muito tênue, pois muita gente que se diz autêntica e, na prática, acaba magoando os outros sem necessidade com comentários que maquiados de motivadores ou críticas construtivas, mas que não passam de uma fala carregada nas entrelinhas de ofensas.

Qual é seu objetivo real? Ser sincero e autêntico não precisa estar atrelado a uma postura agressiva ou ignorante.

Como falar sem magoar então?

Fiz uma coletânea de dicas extraídas de diversos pensadores e minhas mesmo que podem te ajudar nessa tarefa de falar sem magoar as pessoas:

  • A franqueza normalmente é a forma mais educada e honrosa de se expressar, mas precisa ser assertivo para dizer o que precisa ser dito, no lugar certo e no momento certo, tudo isso de preferência com uma roupagem elegante;
  • Leve em consideração a personalidade da pessoa com quem você quer ser honesto e ajuste o seu tom de acordo com isso, ou seja, nunca exagere com uma pessoa tímida, por exemplo;
  • Peça sempre permissão para falar, prepare o ambiente e a pessoa para receber o que você vai comentar, mas não rodeie demais, não a deixe angustiada e concentre-se no problema e na solução, não somente na pessoa;
  • Comece pelos pontos positivos para minimizar a gravidade da crítica. Mas muito cuidado para não parecer o invejoso. Dizer uma verdade a alguém pode parecer exatamente isso;
  • Procure não parecer arrogante, não gesticule demais ou aponte o dedo, use o tom de voz baixo e calmo, use palavras que não venham a soar como pedradas ou pesadas demais para a pessoa. Até porque ninguém é perfeito, nem você;
  • Falar pessoalmente é sempre a melhor maneira. A sua linguagem corporal vai ajudar e muito. Falar por celular por exemplo, pode deixar interpretações equivocadas e a pessoa entender de uma forma negativa;
  • Clareza de pensamento, escolha cuidadosamente as palavras a serem ditas e o comprometimento de concentrar-se na solução;
  • Não fale às pressas, com indiretas, na frente de outras pessoas ou de muita gente;
  • Mantenha olhar positivo com a situação negativa. Passará a impressão que você está enxergando o todo, respeita a pessoa e suas virtudes;
  • Mostre empatia e carinho para passar a percepção de que você se interessa pelos problemas dela. Não seja rude. Existem outras formas de dizer algo a alguém sem magoar os seus sentimentos;
  • Não sei se me fiz entender. Muita atenção a como a informação é passada e não ao conteúdo dela em si. Essa deve ser a sua principal preocupação, como diz meu amigo comunicador Bob Floriano: “A comunicação não é o que você diz, mas o que as pessoas entendem.”
Leia também:  Como Demonstrar A Uma Pessoa Que A Ama?

Claro que isso não é tudo, mas é muito importante ser sincero sem machucar os outros. Não controlamos as reações e sentimentos de outras pessoas, mas você pode sim controlar a forma que você diz e conduz uma conversa.

Em minha opinião, dar feedback às pessoas é um ato de amizade, que só é válido se você acreditar na possível mudança da outra pessoa e que ela irá usar a sua informação ou comentário para se tornar melhor. Fora isso, eu prefiro não falar nada. Às vezes, o silêncio é a arma mais poderosa que se pode usar.

Como lidar quando alguém faz algo que não gosto? Veja dicas e passos

Se você se interessou por esta reportagem, provavelmente existe uma ou mais pessoas na sua vida com quem você acha difícil lidar. Pode ser um colega de trabalho, um parente, uma pessoa com diferenças ideológicas ou mesmo o cônjuge ou um grande amigo?

Como agir quando alguém faz algo que estimula em você sentimentos desconfortáveis, como raiva, ansiedade, tristeza ou decepção? Como fazer com que esses desconfortos não prejudiquem você, as suas amizades ou os seus relacionamentos?

Uma forma possível de lidar com esse tipo de situação é por meio de um processo chamado “comunicação não violenta”, ou CNV. Trata-se de um modo específico de encarar os conflitos, de maneira que os envolvidos baixem a guarda em vez de se atacarem ou cortarem laços.

Parece impossível, mas é simples. O processo de aplicação da CNV é composto de quatro passos. Porém, eles não devem ser vistos como uma simples fórmula a ser seguida, explica o alemão Sven Fröhlich, que trabalha com CNV há 20 anos e já treinou cerca de 8.000 pessoas no Brasil.

Segundo ele, para o processo ser efetivo, é preciso ter real intenção de interagir com o outro sem julgá-lo. “O objetivo não pode ser mudar o outro, e sim compreendê-lo”, afirma Fröhlich. Conheça abaixo dicas da CNV para te ajudar nessas situações difíceis de comunicação:

1. Observe a situação de forma objetiva

Quando alguém se comporta de uma maneira que você não gosta, é importante que você observe a situação de forma objetiva, e não de modo generalista.

Por exemplo, em vez de dizer: “Você nunca ajuda a arrumar a casa” ou “seus relatórios estão sempre atrasados”, é preferível ser específico e afirmar: “Tem um par de meias sujas na sala” ou “seus dois últimos relatórios foram entregues com cinco dias de atraso”.

A consultora e especialista em CNV Thayna Meirelles, da Konekti, afirma que, quando as pessoas estão incomodadas com alguém, a tendência é que elas não façam observações objetivas.

E quando a gente julga e critica uma pessoa, ela vai se sentir mal, agredida, desvalorizada. “Quando a gente fala 'você nunca me ajuda', a pessoa vai pensar: 'ele não valoriza as vezes em que eu ajudei'”, explica Meirelles. Dessa forma a comunicação nos afasta do que queremos.

2. Explique o sentimento que a ação da pessoa causou em você

O segundo passo consiste em entender qual foi o sentimento que a atitude da outra pessoa estimulou em você. Por exemplo: você chega em casa cansado do trabalho e quer relaxar, mas se depara com a louça suja na pia, deixada por uma pessoa que mora com você. Essa situação estimulou qual sentimento em você?

Pode ter estimulado ansiedade, pois você precisa descansar e agora descobriu que vai ter mais trabalho ainda. Nesse caso, segundo os princípios da CNV, quando você tem consciência de qual sentimento foi estimulado com a atitude do outro, e deixa isso claro para a pessoa, as chances de que ela ouça você e se disponha a colaborar aumentam.

Assim, juntando os passos 1 e 2, em vez de falar “Por que você nunca lava a louça?”, é possível dizer: “Quando eu cheguei e vi que você não tinha lavado a louça, comecei a ficar ansioso porque eu estou cansado e preciso acordar cedo amanhã”.

3. Entenda e explique suas necessidades

O sentimento nada mais é do que um alerta de como as minhas necessidades estão ou não sendo atendidas e é muito importante trazê-las para a discussão.

“Eu posso dizer: 'Estou cansada; será que você pode lavar a louça?'. E a pessoa pode pensar: 'Nossa, e eu não estou cansada?'. Você percebe que ainda não se criou uma conexão?”, explica Meirelles. Já se você explica que precisa relaxar porque vai ter um dia difícil e está com medo de não dar conta, aumenta a chance de que a pessoa passe a colaborar com você.

4. Peça o que você precisa

Por fim, a pessoa precisa ter clareza do que você gostaria que ela fizesse. O problema é que muitas vezes a gente acha que está fazendo um pedido, mas está fazendo uma exigência. Essa postura, em vez de ajudar, acaba fazendo com que a pessoa não queira colaborar.

“Em um pedido, se a pessoa disser 'não', eu vou ficar bem com isso. Já se você se irrita com o 'não', então você não está fazendo um pedido, e sim uma exigência”, afirma Meirelles.

E quando a pessoa nega o seu pedido?

Se você aplica os quatro passos e mesmo assim o outro nega o seu pedido, não significa que é para desistir daquilo que você precisa nem da relação com a pessoa. Segundo o princípio da CNV, o ideal é procurar entender o lado do outro e o que está por trás do “não”.

“Quando a pessoa diz 'não', ela está dizendo: 'Existem outras coisas das quais eu quero cuidar; você quer saber quais são essas coisas?'”, explica Meirelles. A partir daí você pode procurar compreender quais são as necessidades do outro.

Além de procurar entender o lado da pessoa, também vale a pena perguntar se ela tem alguma outra sugestão de como cooperar. “Assim a pessoa percebe que você realmente quer ouvi-la, que você não está fazendo uma exigência e sim pedindo uma ajuda e reconhecendo o lado dela. Aí a pessoa tende a amolecer e começa a co-criar uma solução junto com você”, afirma a consultora.

Tirando a máscaraFröhlich nota que para muitas pessoas é difícil praticar a CNV no começo porque elas não têm consciência do que estão sentindo. Reconhecer um sentimento desconfortável implicaria em reconhecer também alguma vulnerabilidade, o que é complicado para alguns.

“Por exemplo, se eu faço uma pergunta e a pessoa não me responde, eu posso ficar inseguro porque eu preciso de aceitação. Mas, para algumas pessoas, assumir que tem uma insegurança não corresponde à sua autoimagem. É mais fácil julgar e atacar a outra, porque assim ela se sente mais forte”, afirma o especialista.

Porém, se você for se abrindo aos poucos e mostrando a sua vulnerabilidade, a tendência é que o outro se sinta seguro para também mostrar as vulnerabilidades dele, segundo Fröhlich.

“Se eu me mostro vulnerável, os outros não sentem medo de mim e passam a tirar também as suas máscaras.

Com isso, eu passo a ter relações mais verdadeiras, de confiança, e mais profundas e ao mesmo tempo mais leves”.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS

Como dizer para alguém que você não gosta dele (romanticamente)

  • Você pode ser uma pessoa superquerida que não gosta de magoar ninguém e que respeita as diferenças entre grupos de pensamentos contrários, mas isso não significa que você queira namorar todo mundo.
  • Essa é uma situação comum no dia-a-dia: alguém demonstra interesse por você, você não sente o mesmo, mas ainda assim se vê presa em uma situação da qual não consegue sair, suspensa em um estado de confusão e desentendimento por não ter a capacidade de dizer claramente que simplesmente não gosta da pessoa, pelo menos não “desse jeito”.
  • Então, aqui vai: você pode dizer a verdade com todas as palavras; isso não é chato, desde que você aprenda a dar a notícia de forma respeitosa.

Muitas pessoas são ruins em confrontação. Nem toda ocasião exige uma abordagem franca, mas quando você precisa dizer a alguém que você não gosta dele, as coisas ficam muito mais complicadas se você evitar ser claro.

Se você não gosta de alguém romanticamente, é melhor dizer isso com todas as letras ou a pessoa vai encontrar todo e qualquer sinal de esperança na sua fala mal articulada.

Apesar de tais declarações parecerem duras, é possível se comunicar com clareza sem se transformar em um babaca sem noção. E, mais importante do que tudo: você magoa mais uma pessoa quando não é sincera sobre não gostar dela, do que dizendo logo a verdade.

[box]Diga: Eu não estou interessado em você romanticamente.

Não diga: Eu não acho que devemos sair ou não posso sair com você.[/box]

Quando você diz: “Eu acho que não podemos” ou “não posso”, isso passa uma mensagem passiva com uma motivação obscura. Assim, deixa em aberto a possibilidade de que um problema solucionável existe, e que seu pretendente romântico pode resolvê-lo.

Quando você diz que não está interessado, no entanto, você torna seus sentimentos claros. A pessoa ainda pode perguntar por que, mas contanto que você continue a fazer afirmações definitivas, não há muito que ela possa fazer para mudar a realidade que você apresenta.

Realmente, dizer “Eu não quero um relacionamento com você” pode ser um pouquinho cruel. Mas você pode suavizar sua afirmação com explicações adicionais. Por exemplo, depois de dizer claramente “Eu não estou interessado em você romanticamente”, acrescente “Eu ainda gosto de você, só não desejo um relacionamento romântico com você”.

Leia também:  Como Saber Que A Menstruação Vai Descer?

Claro que a outra pessoa vai ficar chateada – ela estava a fim de alguém e o sentimento não é recíproco. Mas não é sua culpa.

O mais justo é dizer logo para a pessoa como você se sente, para que a dor dela cure mais rápido. Se você não deixar qualquer margem para interpretação, ela vai saber que precisa seguir em frente.

Ser vago impede as pessoas de conseguir tudo o que elas mais querem em relacionamentos fracassados: encerramento.

Em resumo: seja gentil, mas direto. [Gawker]

Como Mostrar a uma Pessoa que Você Não Gosta Dela

Baixe em PDF
Baixe em PDF

Tentar fazer amizade com todo tipo de gente, até aqueles de quem não somos muito fãs, é uma das melhores coisas que se pode fazer. No entanto, quando o santo realmente não bate e não há o que fazer, o melhor é deixar isso claro.

Pode ser necessário fazer isso quando alguém o aborda na balada, insistindo para ficar com você; outra possibilidade é informar alguém de que não quer desenvolver uma amizade mais profunda. Talvez você tenha até que romper uma amizade de anos.

Em todos esses cenários, o que deve ser feito é não deixar dúvidas de que você nunca será mais do que cordial com essa pessoa.

  1. 1

    Seja direta. Quando alguém pedir seu telefone ou chamá-la para um encontro e não houver interesse de sua parte, a maneira mais simples de negar essas investidas é dar uma resposta direta e sem rodeios. Essa abordagem é a mais indicada por não deixar margem para dúvidas e a pessoa poderá seguir em frente.[1]

    • Dizer “Estou lisonjeada, mas não estou interessada, obrigada” é uma forma educada de ser direta.
    • Outra opção seria dizer “Não quero me envolver com ninguém neste momento”.
    • A palavra “não” deve ser a parte central de sua resposta.[2]
  2. 2

    Tente uma resposta indireta. Caso não se sinta confortável em rejeitar alguém, é possível ser mais delicado. Isso pode significar fazer um elogio antes de dizer não, por exemplo.[3]

    • Uma opção é dizer “Você parece um cara legal, mas não quero me envolver com ninguém, então minha resposta é não”.
  3. 3

    Use uma tática evasiva. Ou seja, desvie da investida usando um artifício, como um número de telefone errado para não precisar rejeitar a pessoa diretamente.[4]

    • Nesse caso você pode simplesmente inventar um número de telefone, mas lembre-se de não usar números de pessoas conhecidas. Essa tática tem tudo para dar errado, pois a pessoa pode ligar para você na mesma hora para ver se o número é esse mesmo; outra possibilidade é vocês se encontrarem novamente no futuro.
    • Você também pode dizer que tem namorado e até usar um amigo para fazer esse papel, mas isso também pode dar errado, ainda mais se você estiver a fim de conhecer pessoas novas, pois isso pode afastá-las.
  4. 4

    Não diga “me desculpe” ou “sinto muito”. Pedir desculpa demonstra que você sente pena da pessoa e pode piorar muito a sensação de rejeição. Além do mais, por que você pediria desculpas? Não estar a fim daquela pessoa específica não é errado: você tem todo o direito de escolher quem quer paquerar.[5]

  1. 1

    Decida se realmente precisa falar algo. Em alguns casos, o melhor é simplesmente ficar quieto e não dizer nada. Quando dizer o que pensa não der jeito na situação, deixe isso para lá e ignore-a, por mais irritante que ela seja.[6]

    • Por exemplo, falar para um supervisor que você não gosta dele e não o quer por perto não trará nada de positivo para você. Um supervisor está acima de você na hierarquia de trabalho e ele pode fazer da sua vida um verdadeiro inferno. Tal é um caso em que ficar quieto pode ser mais interessante, para não se meter em encrenca e não ser visto como insubordinado.
    • Outras situações podem envolver parentes ou amigos da família; se você sabe que verá essa pessoa com frequência, dizer que não gosta dela tornará tudo mais difícil.
    • Já no caso de um amigo de seus amigos, seus encontros com eles serão complicados se você simplesmente disser que não o quer por perto.
    • Por outro lado, pense se existem motivos reais para não gostar dessa pessoa. Talvez você não tenha uma boa impressão dela, mas não a conheça direito. Tente entendê-la melhor antes de fazer um julgamento precipitado.
  2. 2

    Seja cortês. É possível falar que não quer alguém por perto ser sem grosseiro, não importa o quanto queira distância desse indivíduo. Fazê-lo o ajudará a não fechar portas com suas atitudes.[7]

    • Ser franco demais pode dificultar fazer novas amizades e a notícia se espalhará tão rapidamente quanto fogo em um rastro de pólvora.
    • Não seja cruel para dispensar os outros. Tenha respeito e aja com tranquilidade.
    • Por exemplo, dizer “Eu não suporto a sua presença” é um tapa na cara. Prefira algo como “Nós temos valores muito diferentes e também não tenho tempo para fazer novos amigos neste momento”.
  3. 3

    Não dê abertura. Uma pessoa que tem suas investidas ostensivamente ignoradas entenderá a mensagem eventualmente. Ou seja, não bata papo e não faça planos com alguém com quem não tem o menor interesse em se relacionar.[8]

    • Tente não sorrir. Não precisa fazer bico quando ela estiver presente, mas sorrir o tornará aparentemente mais acessível e receptivo a uma abordagem.
    • Tenha cuidado, pois você pode ser visto como arrogante ou metido pelos outros com este método.
  4. 4

    Seja direto. Essa tática pode ser um tanto brutal, mas certamente passará a mensagem de que você não quer contato com a pessoa. Caso você realmente a deteste, ser claro pode ser a melhor solução, mas lembre-se de que ela pode se voltar contra você em determinados ambientes, principalmente o profissional.[9]

    • Diga algo como “Acho que não seríamos bons amigos, mas foi bom conhecer você!”.
  5. 5

    Seja honesto sobre o que sente. Pode acontecer de alguém querer desenvolver um relacionamento mais profundo, enquanto você não tem interesse em ser mais do que um conhecido. Nesse caso, diga exatamente o que sente, mas sem censurar a pessoa.

    • Para esses casos, você pode dizer algo como “Estou passando por um momento de afastamento social e você parece precisar de um amigo mais próximo. Se me permite, prefiro que retomemos esse contato em alguns meses; até lá, provavelmente estarei em uma situação mais favorável para fazer amizades”.
    • Uma alternativa seria “Obrigado por querer minha amizade, e você realmente parece ser uma pessoa muito legal. Mesmo assim, não estou interessado nisto agora. Obrigado”.
  1. 1

    Reflita sobre o que quer. Pense bem sobre como quer lidar com essa situação e decida o que fará para conseguir isso sem causar conflitos desnecessários.

    Se o que quer é simplesmente ver a pessoa com menos frequência, não precisará dizer que não gosta dela. Por outro lado, se quer que ela desapareça de sua vida, pode ser melhor falar diretamente ao invés de ignorá-la.

    [10]
    Faça as seguintes perguntas para si mesmo:

    • Que consequências devo esperar por falar o que penso?
    • Eu realmente quero que ela me deixe em paz? Se sim, pode ser melhor pedir isso de uma vez por todas.
    • O que eu quero é vê-la menos vezes? Nesse caso, posso restringir nossos encontros a uma vez por mês.
    • Eu quero magoá-la? Será que me arrependerei disso no futuro?
  2. 2

    Seja o mais agradável que puder. Apesar da rejeição não ser algo legal, não é necessário ser estúpido. Prefira ser afável, ainda que firme, para que a pessoa não fique triste ou deprimida com a situação.[11]

    • Dizer “Você é um cretino e não quero mais falar com você” não é a melhor ideia. Prefira algo como “Eu sei que você gostaria que nos víssemos mais vezes, mas sinto que nossos valores são diferentes demais”.
  3. 3

    Pense na amizade como um relacionamento amoroso. Quando chega o momento de falar que quer um tempo para um amigo, encare-o como um namorado. Ou seja, termine seu relacionamento da mesma forma.[12]

    • O melhor é ter uma conversa pessoalmente, mas também é possível enviar um e-mail ou carta, se essa for a única maneira viável. Diga suas razões para não querer mais essa amizade. O melhor caminho para esses casos é assumir a responsabilidade por essa decisão, dizendo coisas como “Eu não sou mais aquela pessoa de antes e acho que nossa amizade não faz mais sentido”.
    • Você também pode pedir um tempo. Talvez, tudo que você precise é de espaço para pensar melhor. Esse espaço pode evoluir para um distanciamento mais permanente no futuro, com uma atitude mais diplomática.
  4. 4

    Evite a pessoa. Essa pode não ser a melhor saída, mas é uma solução. Pare de atender as ligações e evite-a quando estiverem no mesmo lugar. Em algum momento ela entenderá o recado e perceberá que você não tem mais interesse nessa relação.[13]

    • Algumas pessoas tentam esse método para poupar os sentimentos do outro, mas desaparecer da vida de alguém de uma hora para a outra pode gerar uma dúvida até pior do que um confronto, além de adiar o inevitável. A pessoa ficará preocupada e não entenderá que você está tentando cortar o relacionamento. Ser direto ainda é uma opção preferível.
    • Mesmo que você a evite ao máximo, se encontrá-la casualmente um dia deverá satisfações a ela, pois certamente perguntará o que aconteceu, se você está chateado, por que a está evitando, etc. Prepare-se para esclarecer essas questões.
    • A melhor forma de evitar alguém em um encontro presencial é dizer “Eu adoraria ficar para bater papo, mas tenho que voltar ao trabalho”.
  5. 5

    Seja realista. Rejeitar dói tanto quanto ser rejeitado, ainda mais se for alguém insistente. Não é possível sair dessa situação sem ferir ninguém. No entanto, se essa amizade é realmente danosa para você, tome uma atitude para que ambos possam ter uma vida mais proveitosa e relacionamentos mais saudáveis.

Este artigo foi coescrito por Cher Gopman. Cher Gopman é fundadora da NYC Wingwoman LLC, um serviço de aconselhamento romântico em New York City. A “NYC Wingwoman” oferece serviços de orientação um a um, encontro de pares, companhia e de treinamento intensivo. Cher é uma Coach certificada e já atuou como enfermeira psiquiátrica. Seu trabalho já foi destaque em Inside Edition, Fox, ABC, VH1 e The New York Post. Este artigo foi visualizado 40 092 vezes.

Categorias: Interações Sociais

Esta página foi acessada 40 092 vezes.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*