Como Descobrir O Que Tenho Alergia?

Como alergista pediátrica, ouço muito essa pergunta – os pais querem entender como é possível saber se o filho tem alergia a algo com o que não entrou em contato ainda, como contraste iodado antes de um exame, alimentos que ele vai começar a comer, ou penicilina, porque a mãe já teve reação…

Como Descobrir O Que Tenho Alergia?

Pediatra Geral, Alergista e Imunologista da Clínica Pediátrica Pueritia

É possível saber antes de haver o contato? NÃO!

Existem exames que dizem se você terá uma reação alérgica a algo? NÃO!

Reuni, aqui, algumas das perguntas e situações mais comuns nesse âmbito, e espero poder ajudar pais e mães e ficarem mais tranquilos no dia a dia. Lembro que, para o desenvolvimento adequado do bebê e da criança, é essencial o acompanhamento com o pediatra e o alergista!

Meu pai tem rinite, terei também?

Existem algumas situações que aumentam o risco de desenvolver a condição; por exemplo, crianças com pais ou irmãos com doenças alérgicas confirmadas, como asma e rinite, têm mais chance de serem alérgicas.

Como saber se meu filho tem alergia a contraste para fazer uma tomografia?

Recebendo o contraste uma vez! Não existe nenhum exame que seja capaz de dizer se o individuo é alérgico ou não.

Existem estudos que afirmam que indivíduos asmáticos têm mais chances de reagir, e até por isso alguns serviços adotam esquemas com uso de antialérgicos e corticoides prévios ao contraste apenas nos asmáticos. Na população geral, a incidência é muito pequena e não há razão para temer se você não pertence a um grupo de risco.

Meu filho tem alergia a camarão; ele pode receber contraste?

Sim! A dupla alergia a camarão e a contraste é mais uma das lendas urbanas e não há nenhuma comprovação que suporte tal relação.

Como Descobrir O Que Tenho Alergia?

Pedi ao pediatra um check-up para meu filho de dois anos porque ele não tem nenhum problema de saúde, nunca havia feito exames, e deu que ele é alérgico a leite. Isso é possível?

Não, isso não é possível. Testes de detecção de anticorpos contra alimentos (as famosas IgE ou RASTs) apontam apenas que o organismo algum dia encontrou e guardou na memória imunológica lembranças erradas daquele alimento.

Para dizer que o indivíduo tem alergia àquele alimento, ele tem que apresentar SINTOMAS.

Por isso, solicitar testes de alergia, principalmente a alimentos, em crianças sem sintomas compatíveis é completamente contraindicado!

Minha mãe é alérgica a Benzetacil, então eu não tomo, pois ela diz que sou alérgico também.

Outra falácia: alergias a medicamentos não são hereditárias. A única maneira de descobrir se a criança é alérgica é recebendo o remédio. A maioria das pessoas acha que é alérgica e não é.

Como Descobrir O Que Tenho Alergia?

Fui ao pronto-atendimento com meu filho de 5 anos, que estava com chiado no peito, e o médico disse que ele é asmático, pois tem crises de chiado várias vezes ao ano. Como faço para saber se é asmático mesmo?

Provavelmente, ele é asmático, sim. Asma é uma doença crônica das vias aéreas inferiores (pulmão e os “caninhos” dentro dele), caracterizada pela hiper-reatividade.

Em indivíduos predispostos, em resposta a estímulos como alérgenos, frio ou vírus, o pulmão hiper-responde, causando a crise de sibilância, chiado ou bronco espasmo.

O indivíduo que apresenta várias delas ao longo da vida, e melhora após passar por inalações com medicamentos, é asmático e não é necessário exame para comprovar. No entanto, a asma é uma doença que pode ser perfeitamente controlada, desde que bem acompanhada pelo médico, e permitir vida normal às crianças.

Alergia é um campo de relativo desconhecimento dos pacientes e também dos pediatras em geral. Na dúvida, antes de doar o cachorrinho, excluir o leite da dieta ou nunca mais deixar a criança correr na rua, peça ao pediatra o encaminhamento ao especialista. Ele provavelmente irá desmistificar todos os seus medos e todos viverão em paz com a alergia!

Como são feitos os testes alérgicos ?

As alergias no organismo são complexas e difíceis de serem diagnosticadas. Muitas vezes são feitos testes para descobrir se a pessoa tem alergia na pele, alergia alimentar ou ainda a medicamentos e respiratória.

Veja algumas orientações para a realização dos testes alérgicos, que são feitos para tentar identificar os fatores causadores de alergia.

Testes Alérgicos de PUNÇÃO

Os testes de punção consiste na aplicação de gotas com substâncias (alérgenos) na face anterior dos braços. Posteriormente são feitas leves punções para que a substância penetre na pele. A leitura é feita após 20 minutos.

O teste pode ser realizado em crianças a partir de 1 ano de idade.

As Orientações para os testes de punção são:

  • Não utilizar antialérgicos 5 dias antes dos testes.
  • Não utilizar cremes ou perfumes nos braços antes da realização dos testes.
  • Não realizar o teste se estiver com crise de rinite ou bronquite.

Em crianças pequenas pode ser usado um creme anestésico chamado EMLA, 1 hora antes da realização dos testes (em casa).

O Creme é aplicado na face anterior dos dois antebraços, em grande quantidade e coberto com uma fita adesiva que vem junto com o creme.

Testes Alérgicos DE CONTATO

Como Descobrir O Que Tenho Alergia?

Para o teste de contato deve-se:

  • Evitar o sol ou qualquer produto nas costas 10 dias antes do teste.
  • Não fazer uso de medicamentos antialérgicos ou corticoides ( em doses altas)  5 dias antes do teste.
  • Em caso de pelos nas costas, o paciente deverá fazer a raspagem 2 dias antes da colocação do teste. Informe-se com a enfermagem o local a ser raspado.
  • No 1º dia do teste serão colocados 4 adesivos nas costas, com 40 substâncias que devem permanecer coladas e não devem ser retiradas por 2 dias, quando será feita a primeira leitura (48 horas).
  • Durante este período de 48 horas as costas não devem ser molhadas(cuidado com o banho) e não devem ser feitos exercícios físicos e atividades que provoquem transpiração excessiva.
  • Eventualmente poderá haver extravasamento da substância,podendo manchar a roupa.
  • Caso alguma substância esteja coçando muito ou provocando ardor,você pode retirar o disco com essa substância e deixar os outros.
  • Após 48 horas, será retirado o teste. O paciente deve aguardar 20 minutos para fazer a leitura do teste.
  • Após a leitura, será feita aplicação de fototerapia, para analisar fotossensibilização.
  • Após isso,  você pode molhar o local, porém não deve esfregar e tomar cuidado para não retirar as marcas.
  • Deverá voltar à clínica novamente, após 48hs,  para fazer a 2ª leitura,e terminar o teste.

Onde Fazer Testes Alérgicos?

Os testes alérgicos são feitos em laboratórios e em clínicas especializadas. Se você está na região do ABC a Clínica Pró-Saúde em São Bernardo do Campo, oferece os exames de testes alérgicos.

Os testes são feitos por iniciação do médico alergista que deve avaliar cada caso e indicar os testes alérgicos. Para realizar os testes alérgicos primeiro agende sua consulta com o médico alergista da clínica pró-saúde e pergunte sobre os testes alérgicos para saber mais.

Conclusão

Os testes alérgicos são muito uteis para identificar o que causa a alergia. Os procedimentos para se fazer antes e durante o exame devem ser seguidos para que não tenha alterações nos resultados do exame. Os resultados dos exames auxiliara o médico alergista no tratamento de cada tipo de alergia.

Gostaria de agendar sua avaliação com um médico especialista da Pró-Saúde? Clique Aqui para agendar sua consulta.

Descubra Se Você Tem Alergia A Alguma Comida %

  • De repente você percebe que tem tido problemas intestinais com muita frequência: náuseas, vômitos, coceiras e/ou manchas na pele, dificuldades respiratórias, como rinites e asma… “Será se sou alérgico?”
  • Talvez você nem desconfie, mas pode estar entre os 220 a 520 milhões de pessoas em todo o mundo que têm alergia a algum tipo de alimento.
  • No Brasil, segundo a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai), 8% das crianças e 5% dos adultos sofrem com esse mal, mas como descobrir se você é um deles?

Se você tem plano de saúde, é possível resolver esse dilema de forma muito rápida e simples. Veja como e, caso o teste dê positivo, procure um nutricionista do plano de saúde para ajudar você a mudar alguns hábitos alimentares e a melhorar sua qualidade de vida.

Como descobrir se tenho alergia a alguma comida?

  1. Você sabia que, apesar de existirem quase duas centenas de tipos de alimentos, 90% das reações alérgicas são causadas por ovos, leite, soja, glúten, frutos secos, crustáceos e amendoim?
  2. Então comece dando o primeiro passo para ajudar a diagnosticar uma possível alergia anotando tudo o que ingerir, o intervalo entre refeições ou lanches, o modo de preparo, se o produto era industrializado ou não, etc.
  3. Escreva também sobre as suas reações após a alimentação, inclusive com o intervalo entre a ingestão do alimento e o aparecimento dos sintomas.
  4. Esse pequeno “diário alimentar” ajudará bastante seu médico do alimento a chegar a um diagnóstico.

Marque uma consulta com seu médico do plano de saúde

O próximo passo é marcar uma consulta para fazer um teste subcutâneo com seu médico ou com um alergista do plano de saúde ou laboratório da rede credenciada ou rede própria para atendimento.

Leia também:  Como Saber Que Alguem Gosta De Voce?

O resultado desse teste, que é o mais comum, costuma sair bem rapidamente, às vezes até no mesmo dia.

Há ainda outros tipos de exames de alergia que podem ser realizados, como o sanguíneo e o de provocação oral. Eles podem ser feitos isoladamente ou em conjunto, dependendo da gravidade dos sintomas.

O próximo passo, caso dê positivo para alguma comida, é buscar um nutricionista para elaborar um plano alimentar, individualizado e baseado nos seus hábitos e rotina, de forma a evitar e/ou substituir aquele alimento.

Dessa forma você terá uma dieta balanceada, sem perder nenhum nutriente indispensável ao bom funcionamento do seu organismo.

Como Descobrir O Que Tenho Alergia?

Alergia alimentar não é a mesma coisa que intolerância alimentar

A maioria das pessoas confunde, mas alergia e intolerância alimentar são dois problemas bastante diferentes. A intolerância é bastante comum e ela ocorre porque o alimento não é digerido corretamente.

  • Por isso, a maioria dos sintomas estão relacionados ao sistema gastrointestinal: dor no estômago, inchaço no abdome, sensação de queimação na garganta, excesso de gases, vômitos e diarreia.
  • Ela pode afetar qualquer pessoa sem histórico familiar do problema e os sintomas costumam aparecer mais de 30 minutos após a ingestão do alimento, piorando de acordo com a quantidade ingerida.
  • Além disso, os testes de alergia ficam inalterados quando o caso é de intolerância alimentar.

Já a alergia é um problema mais grave, que envolve o sistema imunológico e pode causar risco de morte. Isso acontece porque o organismo reconhece o alimento como se fosse um agente agressor e cria anticorpos contra ele, gerando uma resposta imunológica imediata.

É o que faz com que os sintomas sejam generalizados e apareçam praticamente de imediato após a ingestão do alimento.

Os mais comuns são coceira intensa na pele, urticária e vermelhidão, vômitos e diarreia, inchaço no rosto ou na língua e problemas respiratórios.

Por que o exame para alergia alimentar é tão necessário?

  1. É bastante comum a alergia alimentar começar na infância, mas também é comum as crianças se livrarem da alergia conforme vão envelhecendo.

  2. Os principais fatores de risco são histórico familiar (com casos de urticária, eczema, asma e alergias como a febre do feno); histórico de alergia alimentar (alergias da infância que desapareceram podem retornar anos mais tarde); idade (crianças e bebês são mais propensos), asma (que costuma acompanhar a alergia alimentar); e outras alergias.

  3. De qualquer forma, o problema não tem cura e deve ser devidamente diagnosticado por testes específicos para que o alimento certo seja evitado.

  4. Ele é necessário também para que você tenha certeza de que o problema realmente existe: segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 1% da grande quantidade de pessoas que acredita ter alergia alimentar tem realmente o problema.
  5. A maior parte delas apresenta intolerância alimentar, que não aparece no exame de alergia.

  6. Se você acredita que possa estar tendo alergia a algum tipo de comida, use seu plano de saúde para marcar uma consulta com seu médico ou com um alergista e fazer o teste específico.

Se ainda não tem plano de saúde, não perca tempo que pode agravar o problema. Faça uma cotação sem compromisso agora mesmo e converse com um dos nossos vendedores especializados. Ele indicará o melhor plano de saúde para o seu caso. 

Aprenda a identificar alergia alimentar e tratar a causa em vez do efeito

  • Para aprender a identificar alergia alimentar, continue até o final deste artigo.
  • Esse é um assunto sério, afinal, é comum perceber um desconforto ao ingerir um alimento mas acabar deixando de lado.
  • O fácil acesso aos antiácidos e outros medicamentos para atacar o mal-estar estomacal acaba por camuflar alguma alergia alimentar que possa existir.
  • Este é um erro imperdoável, afinal, a maior parte dos incômodos no trato digestivo têm relação direta com alergia alimentar.

Assim, a pessoa nunca procura um médico para fazer o tratamento adequado e continua ingerindo alimentos que fazem mal ao seu organismo. Esse consumo pode trazer danos irreparáveis e até evoluir reações alérgicas mais graves.

O problema também não é exclusivo dos sintomas estomacais, como veremos a seguir.

Como o corpo é um todo interligado, um único alimento pode impactar outros órgãos não necessariamente ligados à digestão.

Apesar das alergias alimentares serem um assunto cada vez mais recorrente, há quem não procure um diagnóstico e corra riscos desnecessários. Por isso, vou ensinar a identificar alergia alimentar.

Quais os sintomas alergia alimentar?

A alergia alimentar é caracterizada por uma reação inflamatória a alguma substância presente no alimento ou na bebida quando ingeridos. Os principais sintomas costumam aparecer em até 2 horas após o consumo dos itens alergênicos.

Posso listar como os sinais mais preocupantes que indicam uma alergia alimentar:

  • Anormalidades na pele, como coceira, placas, inchaço ou vermelhidão;
  • Dores no abdômen e prisão de ventre;
  • Dificuldades para evacuar, geralmente com dores ou ardor;
  • Vômitos e diarreia;
  • Dificuldades para respirar e falta de ar;
  • Aftas;
  • Irritação nas narinas, que ficam congestionadas ou escorrendo.

Todos os nossos sistemas estão integrados. Por isso, a chance do alimento participar de todo e qualquer processo que ocorre no organismo é bastante alta. Ainda que tal comida não seja a principal causa.

Mesmo quando não é relacionada apenas ao trato digestivo, você deve investigar.

Leia também: Como saber se tenho alergia alimentar?

Combata as causas, e não os efeitos

Como eu já coloquei acima, simplesmente continuar tomando remédios para os incômodos que são as consequências dos alimentos que causam alergias não é recomendável.

Eu acredito que o ideal seja combater as causas, que passam pelo consumo de alimentos com determinadas substâncias.

Cada caso precisa de investigação a fundo e uma avaliação específica. Ainda assim, converse com seu médico sobre a possibilidade de equilibrar seu organismo a ponto que a alergia cause o mínimo de impacto.

Hoje, eu realizo este trabalho no Spa Tour Life, que além de ser um espaço para relaxar, também atendo pacientes com alergias e intolerâncias alimentares.

Com uma dieta detox personalizada, é possível que o organismo recupere sua capacidade de funcionamento sem tais sintomas indesejados.

Mas, é claro que depende dos seus hábitos alimentares e de vida. Só de estar aqui em meu blog lendo um artigo como este já demonstra o seu interesse em ter uma vida longa e saudável.

Recomendo que siga neste caminho e conheça o site do Spa Tour Life.

Espero que este artigo ajude você a identificar alergia alimentar. Para saber mais, assista ao vídeo abaixo e aproveite para se inscrever em meu canal do YouTube.

Esse conteúdo te ajudou? Meu livro pode ajudar muito mais

O livro digital QUERO VIVER 150 ANOS é uma coletânea de tudo que você precisa saber para viver longos anos de vida com máxima energia e vitalidade.Esse material pode mudar radicalmente a sua opinião sobre saúde.

E vai mudar também o seu conceito sobre longevidade humana e o seu futuro. Para garantir o seu livro digital, basta clicar abaixo e solicitar esse material 100% on-line:

QUERO VIVER 150 ANOS

Até a próxima!

Dr. Victor Sorrentino

6 Maneiras de Identificar se você é Alérgico e 3 Formas de Tratar sua Alergia

Nariz coçando, entupido, espirros e mal estar geral. Será que isso é um resfriado ou eu estou numa crise alérgica? Nem sempre é fácil de saber. Até os médicos têm essa dúvida.

Vivo doente, tenho todas as ítes, rinite, faringite, sinusite e otite. Será que sou alérgico ou tenho baixa imunidade? Então, como saber

  • Realmente pode ser um desafio diferenciar um quadro alérgico de infecções respiratórias como resfriados, gripes e faringites virais. Os sintomas costumam sem semelhantes e quem é alérgico pode ter uma predisposição maior para ter essas infecções
  • Além disso a pessoa pode ser alérgica e ter um resfriado no momento, que não é um quadro alérgico
  • Então como posso saber se esses sintomas são por um quadro alérgico ou infeccioso (gripe, resfriado, etc).

1- Quadros de Repetição

Em geral adultos ficam resfriados 3-4x no ano e crianças podem ficar até 10x ano. Então se você está tendo quadros de obstrução nasal, coceira, espirros, coriza, olhos coçando e lacrimejando com frequência maior que essa pode ser um quadro alérgico. Se você tosse com frequência e as vezes tem falta de ar também pode ser um quadro alérgico.

2 – Ausência de Febre

Alergia não dá febre. Então se você tem sintomas nasais como obstrução, coriza, espirros e mal estar associado a febre deve ser um resfriado. Se você está tendo esses sintomas de forma recorrente e sem febre é provável que seja alergia

3 – Familiares com Alergia

Alergia é uma doença hereditária. Isso significa que se um de seus pais é alérgico você tem 50% de chance de também ser. Se os dois pais são alérgicos aumenta para 70%. Pergunte a seus pais e irmãos se eles têm ou já tiveram rinite, asma, dermatite atópica. Se a resposta for positiva, mesmo que só na infância, tem uma boa chance de você também ser alérgico

Leia também:  Como Saber Que Um Taurino Gosta De Você?

4 – Sintomas desencadeados por poeira, cheiro forte e mudança de tempo

O paciente alérgico costuma piorar com algumas coisas. Chamamos isso de gatilhos para as crises. Geralmente os sintomas pioram ao contato com poeira pois o principal causador de alergia no nosso meio (alérgeno) é o ácaro da poeira doméstica. Também pode piorar os sintomas com mudança de tempo e contato com odores fortes como fumaça de cigarro, perfumes e desodorantes, queimadas.

Geralmente os sintomas reaparecem sempre que se entra em contato com esses gatilhos

5 – Início dos sintomas

Geralmente as alergias aparecem na infância e podem ou não sumir ao longo da vida. Então se uma criança começa a apresentar sintomas de rinite frequentes é provável que seja uma rinite alérgica.

Se um jovem apresenta falta de ar, tosse e chiado no peito de repetição é provável que seja uma asma alérgica. Porem se os mesmos sintomas aparecem em um idoso a chance é bem menor. É pouco comum alergias respiratórias aparecerem pela primeira vez em idosos.

Porem, pode sim, reativar uma alergia que teve na infância.

6 – Testes alérgicos 

O teste alérgico é a melhor maneira de confirmar se uma pessoa é alérgica. Pode ser feito no consultório (teste cutâneo ou prick teste), demorando poucos minutos e praticamente indolor e confirma com precisão se você é alérgico e ao que tem alergia. Também pode ser feito através de exames de sangue.

O.K. Agora sei que sou alérgico. Como eu trato?

Uma vez confirmado o diagnóstico de alergia é preciso tratar. Existem 3 formas gerais de tratar os quadros alérgicos. Podemos chamar de o tripé do tratamento alérgico.

1- Evitar o contato com o alérgeno

Se você tem alergia a alguma coisa e não tem contato com essa coisa você não terá sintomas. Por exemplo, se você sabe que é alérgico a gatos basta tentar evitar o contato com eles que o problema está resolvido.

Parece simples, mas infelizmente não é. A maior causa de alergia no Brasil são os ácaros da poeira doméstica.

Sabemos que é impossível evitar o contato com poeira por completo então o que devemos fazer é minimizar esse contato através de medidas de controle de ambiente.

2 – Medicações

Atualmente existem diversos medicamentos para o tratamento dos quadros alérgicos.

Antigamente esses remédios causavam muita sonolência e muitas pessoas têm preconceito também com o uso de corticoides pelos seus efeitos colaterais.

Mas a verdade é que atualmente dispomos de medicamentos modernos e seguros, sem esses efeitos colaterais indesejáveis. Claro que o tratamento é personalizado e deve ser acompanhado do controle de ambiente e imunoterapia (tratamento com vacinas).

3 – Imunoterapia (tratamento com vacinas)

O tratamento com vacinas alergênicas consiste em dar ao paciente pequenas doses daquilo que ele tem alergia de forma que ele se acostume (dessensibilize) e pare de ter o quadro alérgico. É um tratamento altamente eficaz e atualmente no Brasil pode ser feito na forma de injeções subcutâneas ou gotas sublinguais.

  1. Dr Andre A GaudererMédico Alergista
  2. Serviço de alergia da policlinica de botafogo

Quando consultar um alergologista?

Cada vez está mais comum pessoas que desenvolvem doenças e reações alérgicas, precisando do atendimento de um alergologista.

Porém, pelo fato de manifestar sintomas nasais ou erupções na pele, muitas pessoas acabam optando por procurar otorrinolaringologistas ou dermatologistas, que apesar de cuidarem da área, nem sempre são os profissionais especializados em alergias.

Quais são os tipos de doenças tratadas pelo alergologista?

Segundo o Ministério da Saúde, existem diversos tipos de alergias que são tratadas pelo alergologista, veja quais são:

Alimentares – Existem alguns alimentos que podem causar alergias nas pessoas dependendo do organismo de cada um. Essa manifestação costuma causa manchas pelo corpo, vomito, diarreia e até reações mais graves, como choque anafilático.

Respiratórias – As alergias no nariz costumam ocorrer quando há uma inflamação no local, causada por ácaros e poeira. A mais conhecida é a rinite alérgica, doença que causa coceira nasal, espirros constantes e coriza.

Pele – A alergia na pele pode ser causada por diversos motivos, como picadas de insetos, e uso de cremes e perfumes. Os principais sintomas costumam ser as lesões na pele, acompanhadas de coceira.

Oculares – Vermelhidão, coceira, lacrimejamento e irritação. A conjuntivite alérgica é uma doença que costuma causar problemas na vista.

Existe algum exame que detecte alergias?

Dois exames são recomendados para descobrir as alergias que o paciente possui. O primeiro deles é o exame de sangue, determinando o IgE específico no sangue. O outro é o teste cutâneo de leitura imediata, em que é colocado a substância que causa alergia no antebraço e aguarda-se 20 minutos para detectar se há alguma reação.

É possível curar doenças alérgicas?

Nem todas as doenças alérgicas têm cura, porém é possível fazer um tratamento com a finalidade de não acontecer crises e diminuir a gravidade dos problemas. O acompanhamento médico é essencial para quem sofre de alergias.

Quando é recomendado procurar esse profissional?

Assim que notar os primeiros sintomas, principalmente em situações mais graves, é indicado procurar um pronto-socorro e realizar uma consulta com um clínico geral.

Após os primeiros cuidados é necessário procurar um alergologista que indicará todos os exames e alguns medicamentos caso seja necessário.

Apenas um especialista pode indicar com certeza a causa dos sintomas.

Não encontrou aqui todas as informações que buscava? Deseja ser atendido por um de nossos especialistas? Clique no link abaixo e agende sua consulta:

Alergia a frutos do mar? Sintomas e sinais que você precisa se atentar

É bem provável que você já tenha ouvido falar sobre pessoas que são alérgicas a frutos do mar. E não se engane, essa alergia pode ser mortal, pois quando ocorre o choque anafilático a pessoa acometida pode ir a óbito.

  • Diante deste grande perigo, é importante estarmos atentos aos perigos que os frutos do mar podem oferecer a quem é alérgico.
  • Por que frutos do mar causam alergia?

Alergias alimentares são causadas por uma reação adversa do corpo devido ao tipo de alimento que ingerimos. Essa reação é causada pelo sistema imunológico e provoca sintomas que têm o risco de aparecer na pele, no sistema digestivo e na respiração – o que pode ser fatal.O grau de complexidade da alergia varia de acordo com cada caso.

A reação do sistema imunológico pode causar apenas uma coceira na pele e nos lábios, mas em níveis mais graves pode provocar até mesmo paradas cardiorrespiratórias. Qualquer tipo de alimento pode causar alergias, seja leite de vaca, ovos, trigo, castanhas, amendoins, e claro, frutos do mar.

A alergia a frutos do mar (moluscos e crustáceos) pode provocar choques anafiláticos, o que causa reações graves e coloca a vida do acometido em risco. 

Moluscos e crustáceos

Os moluscos são compostos por mexilhões, polvos, lulas, ostras e lesmas do mar.Já a classe dos crustáceos é composta por camarões, caranguejos, lagostas e lagostins.

 Normalmente, quem é alérgico a algum tipo de molusco também é alérgico a todos os outros. Por isso, não se engane.

Se você já apresentou alergia a polvos, por exemplo, provavelmente será alérgico também a mexilhões e outros tipos. Essa premissa também é válida para os crustáceos. 

Sintomas de alergia 

Os sintomas mais comuns de alergia a frutos do mar podem ser: vômitos, falta de ar, tosse, pulso fraco, tontura, coceira na pele, lábios e língua e em outras partes do corpo.As reações alérgicas são mais comuns durante a idade adulta.

Contudo, é necessário se atentar a crianças que possuem asma, pois elas são as mais suscetíveis às chances de desenvolver reações alérgicas a frutos do mar.

 Algo importante que precisamos ressaltar é que, de modo geral, quem é alérgico a frutos do mar (crustáceos e moluscos) não possui ,necessariamente, alergia a peixes (atum, salmão, etc). Por isso, fique atento.

Como descobrir se tenho alergia a frutos do mar? 

A melhor maneira de descobrir se você é alérgico a frutos do mar é através do teste de alergia. Existem vários tipos de testes para verificar se o paciente possui alergia. O mais comum é o teste cutâneo. 

Neste teste, a camada superior da pele é atingida e exposta ao antígeno de que se suspeita a alergia. Se a pele ficar avermelhada, como se tivesse sido picada por um inseto, o resultado é positivo. Quer verificar se possui alergia a frutos do mar? Consulte um médico alergista e peça por um exame. O teste é rápido e simples. Se previna e cuide da sua saúde.

Em caso de emergência:

A Medicar oferece cobertura para emergências 24h por dia, que atendem planos individuais, familiares e empresariais. Entre em contato conosco para receber o serviço de qualidade Medicar! 

Fale conosco agora!

Leia também:  O Que É Iptv E Como Funciona?

Teste de alergia: entenda como funciona o exame

Alergia é toda reação do corpo a uma substância considerada estranha por ele. Os testes de alergia ajudam a…

Alergia é toda reação do corpo a uma substância considerada estranha por ele. Os testes de alergia ajudam a descobrir a causa dessas reações para evitá-las e a escolher o tratamento correto.

Sem tempo para ler? Clique no play para ouvir sobre teste de alergia!

Várias coisas do nosso dia a dia podem causar uma reação alérgica e, nesses casos, nós as chamamos de alérgenos.Podemos dividir as alergias de acordo com os alérgenos em:

  • alimentares: leite, ovos, camarão, siri, chocolate, amendoim, castanhas em geral, aveia, trigo;
  • inalatórias: poeira, pólen, penas, lã, pelos de animais, fungos;
  • dermatológicas: bijuterias, cosméticos, protetores solares, produtos de limpeza;
  • medicamentosas: anti-inflamatórios, antibióticos, pomadas, colírios etc.

O médico especialista indicará o teste de acordo com a alergia a ser investigada e conforme o paciente.Descubra neste post como os testes de alergia são feitos (os mais utilizados) e suas características. Confira:

Teste Prick ou de puntura

O antebraço do paciente é limpo com álcool e são pingadas uma ou duas gotas dos alérgenos a serem testados.Depois, é feita uma picada leve (puntura) no local de cada gota.Se houver reação positiva (vermelhidão, inchaço) na área de alguma daquelas gotas, diz-se que a pessoa é alérgica àquela substância.

Esse teste é aplicado na suspeita de alergia alimentar ou inalatória.

É um teste seguro, rápido e não causa dor.

Teste de contato

Os alérgenos testados são colocados em pequenas câmaras já coladas em uma fita micropore.Essas fitas têm espaço para até 10 alérgenos — e elas são coladas nas costas do paciente por 48 horas.Após esse tempo, as fitas são retiradas. O médico pode pedir que a pessoa passe mais 24 horas sem se expor ao sol.

Esse teste é utilizado para verificar a alergia a qualquer substância e pode causar reações intensas — que precisam de tratamento médico adequado.

Teste Intradérmico

Com o auxílio de uma seringa de agulha fina, uma amostra do alérgeno é injetada sob a pele. A reação pode ser verificada em poucos minutos ou em até 24 horas.O teste intradérmico pode detectar reações alérgicas alimentares, inalatórias ou medicamentosas.

É um teste bem sensível e que também pode ser utilizado para saber se o paciente já recebeu determinadas vacinas.

Por ter o alérgeno injetado na pele, esse teste pode causar reações intensas.

Exame de sangue

Coleta-se uma amostra de sangue para procurar anticorpos para o alérgeno. Se não houver certeza de qual substância é o alérgeno, então, é necessário realizar o exame para várias delas.

Esse teste é usado nos casos em que a pessoa já apresentou uma reação severa anteriormente — ou quando todos os outros exames não apresentaram resultados conclusivos.Tem um custo maior que os demais, mas não apresenta riscos para o paciente.

As crises alérgicas tendem a ser mais fortes a cada vez que a pessoa entra em contato com o que provoca essa reação. Elas podem ser leves, muito graves e até colocar a vida do paciente em risco.

A automedicação pode agravar ou mascarar casos de alergia. Por isso, procure sempre o médico. Somente um especialista pode indicar o teste de alergia e o tratamento necessários.

Espirros e congestão nasal? Faça um teste de alergias

Comichões, olhos lacrimejantes, corrimento nasal ou espirros constantes. São-lhe familiares? Tratam-se de sintomas de alergias que pode estar a ignorar sem saber que sofre de alguma, por apenas os sentir em determinados espaços.

Tem a sensação que piora durante a semana, quando tem de ir trabalhar? É que, por vezes, apenas em alguns locais há um estímulo maior para que elas espoletem.

O melhor é fazer um teste de alergias para perceber ao que é alérgico e, assim, saber como adaptar os espaços à sua condição.

A alergia é uma condição crónica que envolve uma reação exagerada do organismo a substâncias normalmente inofensivas: os alergénios. Quando se tem uma alergia o sistema imunitário encara o alergénio como um invasor. Como consequência, existe uma reação que se pode manifestar em:

  • comichão no nariz, céu da boca, garganta ou olhos
  • espirros
  • congestão e corrimento nasal
  • olhos lacrimejantes
  • lesões na pele avermelhadas, com comichão associada
  • cansaço
  • vómitos ou diarreia (sobretudo nas alergias alimentares)
  • no caso de alergias mais graves, falta de ar imediatamente a seguir ao contacto com alergénios.

Existem diferentes tipos de alergia, uma vez que existem distintos alergénios. Estes podem ser aeroalergénios, como os ácaros, o mofo, as ervas daninhas ou o pólen; ou alergénios alimentares, como o leite, ovos, soja, trigo, nozes ou proteínas de peixe.

Para os identificar é importante fazer um teste de alergias, de modo a perceber ao que poderá estar o nosso corpo a reagir.

Antes de mais, é importante o médico conhecer a história clínica do paciente. Contudo, nem sempre tal é o suficiente para se perceber a que pode ser alérgico.

Muitas vezes é necessário recorrer-se a um teste de alergias para se perceber ao certo a que tipo de alergénio o corpo está a reagir. Existem três tipos de teste de alergias:

1. Teste cutâneoPode ser feito de três formas:

Teste da picadaSão colocadas, sobre a pele, gotas de várias soluções com potencial alergénico. A pele é picada com uma agulha através destas gotas, de modo a que a solução penetre na camada superficial. Se for alérgico, entre 15 e 20 minutos depois, a pele começa a ficar avermelhada na zona da substância em causa, formando uma pápula e provocando comichão.

Teste intradérmicoÉ injetada com uma agulha uma solução com o alergénio, que penetra mais profundamente na pele. Se houver alergia, entre 15 e 20 minutos depois, começam a aparecer os sintomas. Este teste de alergias é utilizado quando o da picada dá resultados negativos, mas continua a haver suspeitas de alergia a determinada substância.

Teste de contactoSão colocados adesivos embebidos com as substâncias suspeitas em contacto com a pele (regra geral, nas costas), durante, no máximo, dois dias. Neste período não se deve tomar banho ou fazer esforços físicos, de modo a evitar a transpiração.

Após a sua retirada, verifica-se se há ou não uma reação alérgica. Por norma, este teste é utilizado para detetar uma alergia da pele, como por exemplo, aos metais de determinados acessórios.

2. Teste RAST (radioalergoabsorvente)É feito através de uma análise ao sangue, de modo a quantificar os anticorpos da classe lgE libertados em reações alérgicas face a determinado alergénio ou grupo de alergénios.

É utilizado numa fase inicial de despiste ou caso não seja possível recorrer aos testes cutâneos, devido a inflamações na pele ou por ser impossível interromper determinada medicação incompatível com esse tipo de teste de alergias.

Permite determinar a que substância a pessoa é mais alérgica, quando os testes cutâneos são repetidamente positivos a alergénios diferentes.

3. Teste de provocaçãoEste teste de alergias é utilizado nas crianças para despistar alergias alimentares, ainda que sempre como último recurso.

O intuito é colocar a criança em contacto com quantidades crescentes do alimento suspeito de dar alergia. Como as reações podem ser graves, é importante que este tipo de teste de alergias seja apenas realizado por indicação médica, num hospital e sob vigilância de um profissional de saúde, durante 24 horas.

Tem a sensação que a sua alergia piora durante a semana, quando tem de ir para o local de trabalho? Não, não é algo psicológico ou o seu inconsciente a querer dizer que deve evitar o espaço. É, até, bem possível que aconteça.

É que, ao contrário da nossa casa, o local de trabalho nem sempre está devidamente “isolado” contra os agentes alergénios. Os mais comuns a partilharem a secretária consigo são os ácaros, o pólen ou o mofo, pois são aqueles que ficam presos em prédios de escritórios mal isolados e mal ventilados.

Em determinados trabalhos, existe ainda a possibilidade de haver gatilhos ambientais, como o fumo que pode causar tonturas e dificuldade em respirar.

Para perceber se o seu local de trabalho pode estar a contribuir para a sua alergia, procure fontes de alergénios que o podem afetar. Deixamos-lhe uma lista dos mais comuns:

  • aerossóis
  • fumos químicos
  • fumo de tabaco
  • baratas
  • ar frio
  • tinta fresca (acabada de ser aplicada)
  • humidade
  • mofo e bolor
  • pelo de animais
  • pólen
  • perfumes ou produtos perfumados
  • vento.

Detetado o gatilho, é importante tomar medidas juntamente com a sua entidade patronal, para que seja minimizado. Caso a sua profissão exija estar em permanente contacto com uma fonte de alergia (como trabalhar com tintas ou na construção), veja com o seu médico qual o tratamento mais adequado.

Partilhar nas redes sociais

Pode também ler

Ver mais artigos

O meu Seguro de Saúde está aqui

App Médis: o seu Serviço Pessoal de Saúde sempre consigo.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*