Como Descobrir O Que Realmente Gosto De Fazer?

Como Descobrir O Que Realmente Gosto De Fazer?

  • Neste artigo vou te ajudar a se encontrar, conheço muitas pessoas que ainda não sabe o que gosta de fazer, seu real “Hobbie”.
  • Em qual profissão seguir e querem ter seu próprio negócio, mas ainda não sabe ainda no que realmente quer empreender.
  • Fique comigo até o final deste artigo, que vou mostrar o caminho certo e simples para você descobrir o que gosta de fazer e começar seu próprio negócio.

Geralmente essa dúvida “O que eu gosto de fazer?” Ou “Qual será minha vocação Profissional?” surge no entanto quando estamos em momentos de apuros ou apenas cansados.

Mas a maioria dos jovens/ adolescentes se sentem assim, porquê vai chegando a idade adulta e eles estão ali, sem saber pra onde vai, escolha de curso/faculdade, profissão etc.

Ou além disso quando está simplesmente cansado de trabalhar fora, com a rotina do emprego fixo ou sua profissão não te deixa feliz.

Aliás essa dúvida já passou pela minha cabeça quando eu estava terminando o ensino médio, me perguntava “E agora? O que vou fazer da minha vida?”

Leia um pequeno pedaço da minha história e descubra abaixo como solucionei esse problema!

Como Descobrir O Que Realmente Gosto De Fazer?

Eu não sei o Que eu Gosto de Fazer – Por Onde Começar?!

À principio já me encontrei nessa situação há 2 anos atrás, antes de conhecer o empreendedorismo digital.

Desde criança sempre tive um sonho de ter meu próprio negócio, não sabia o que, nem onde e nem quando. 

Quando entrei no ensino médio, todos faziam a mesma pergunta “O que você vai fazer de faculdade?”.

  1. Sentia aquela pressão de não saber o que eu gosto de fazer, nada me interessava. 
  2. Ou seja depois de pensar em cursar, administração, nutrição, ciências contábeis, recursos humanos e por fim cursar Direito por dois semestres.
  3. Cheguei num ponto e vi que não queria mais fazer nenhuma faculdade. 
  4. Tudo que queria era meu negócio, queria fazer algum curso que não fosse tão extenso como 5 anos de Direito.

Depois ter que passar pela OAB, prestar concursos públicos. Isso realmente não era o que eu queria. 

O desemprego me trouxe essa oportunidade de fazer com que eu procurasse o que queria. Então Encontrei o Trabalho em casa pela Internet. 

As pessoas tem medo de mudar por medo de correr riscos. Ficar se perguntando “o que eu gosto de fazer” todo momento não vai ajudar. 

Minha unica solução foi encontrar meu Propósito de Vida. Já ouviu falar?

Pois Agora vou te mostrar como defini-los para você também resolver sua dúvida agora mesmo.

7 Passos Para Definir Seu Propósito e Descobrir sua Vocação

Primeiro Passo:

  • Faça uma lista de todas as razões de por que você precisa encontrar o seu propósito na vida.
  • Isso lhe dará um bom ponto de partida, e lembrar disso vai manter você na linha, focado no seu propósito.
  • Quando se sentir desmotivado, desistindo do objetivo, volte a consultar essa lista, isso o manterá motivado.

Escreva seus motivos em sua lista. E, seja verdadeiro com você mesmo.

Segundo Passo:

Supondo que sua vida financeira estivesse ótima agora, o que estaria fazendo neste exato momento? Anote tudo o que te faz se sentir animado e empolgado.

Faça sua lista tão grande quanto você conseguir. Reserve um tempo para fazer essa lista.

Coloque na lista todas as coisas que você se sente atraído a fazer no seu dia a dia.

Descreva o seu dia de trabalho ideal.

  • Como seria um dia perfeito de trabalho para você? ;
  • O que você imagina que estaria fazendo durante o seu dia que o deixaria feliz?;

Terceiro Passo:

  1. Preste muita atenção ao que os outros dizem que você é bom, muitas vezes isso poderia revelar uma habilidade especial que você não sabia que tinha.
  2. Essa habilidade que se destaca sobre todas as outras pode ser monetizada.

  3. Assim a habilidade pode se tornar extremamente lucrativa a médio e longo prazo.

Você pode montar um negócio rentável em torno do seu propósito na vida.

De posse de sua habilidade destacada, descubra o que realmente importa para você.

Assim sendo você acaba respondendo a pergunta você tanto faz, o que eu gosto de fazer?! Estamos Quase lá…

Nesse passo você vai relacionar o que é mais importante para você, não é para a sociedade, não é para os familiares ou para os filhos. É para você.

Quarto Passo:

  • No passo anterior você foi incentivado a fazer uma lista de suas habilidades e descobri o que é importante para você.
  • Afinal, viver uma vida com propósito significa viver uma vida focada em coisas que importam para você.
  • Mas você sabe quais são essas coisas?
  • Novamente, faça uma lista dessas coisas, selecionando as que você considera como as mais importantes.
  • Você ficará surpreso ao descobrir que elas raramente são coisas materiais.

Quinto Passo:

Use tudo o que você sabe, não se limite a fazer apenas uma coisa. Explore as suas outras inumeras habilidades e amplie, multiplique suas oportunidades!

Se você ignora suas habilidades você pode se fechar para muitas outras possibilidades.

Então, firme uma habilidade e, em seguida olhe para suas outras habilidades que você pode usar como carreira ou mesmo para se divertir.

Como Descobrir O Que Realmente Gosto De Fazer?

Sexto Passo:

Muitas vezes, fazemos tudo, exceto o que é melhor para nós.

O medo de arriscar e já pensar que não teremos retornos financeiros suficientes ou de perder dinheiro por exemplo.

Nós não gostamos do desconforto. Ou, o que é pior, preferimos sentir desconforto do que enfrentar nossos medos.

Quando você enfrenta os seus medos e sai de sua zona de conforto, é quando você, finalmente, encontra a liberdade e felicidade.

Você sempre deve estar expandindo sua mente e suas habilidades. Dê sempre um passo adiante.

Supere suas habilidades. Trace sempre novas metas que o desafie.

Viver verdadeiramente o seu propósito vai exigir de você coragem para pisar fora de sua zona de conforto.

Mas você não terá realização plena, fazendo apenas aquilo ao que você já está acostumado.

Sétimo Passo:

Separe alguns minutos do seu tempo, todos os dias, para se sentar calmamente em silêncio e refletir sobre o que te faz feliz.

O que você quer fazer com sua vida e que tipo de impacto que você quer causar neste mundo. E você se supreenderá com suas próprias respostas.

Concluindo…

Aqui neste artigo revelei os 7 passos que eu fiz para descobrir o que eu gosto de fazer para ter meu próprio negócio.

Assim descobrir a nossa verdadeira vocação. Siga esses passos que com certeza você também vai encontrar a sua vocação.

Bom por hoje era isso, espero que tenha gostado do conteúdo, além de tudo te ajudado! Deixe seu comentário a baixo.

Recomendo para Leitura ???? Marketing de Afiliados: O que é, Como Funciona e Como ter Sucesso de Verdade

Como descobrir o que eu gosto de fazer?

Muita gente chega perto dos 20 ou 30 anos e ainda não conseguiu descobrir o que gosta de fazer. Isso acontece por vários motivos, mas um deles é bem conhecido por muitos de nós.

Você tem uns 17 anos e a vida te põe frente à uma decisão que pode no mínimo definir o que você vai fazer por uns bons anos. É o temido vestibular.

Calma! Esse não é um texto só para adolescentes.

Mas vamos combinar, botar uma decisão dessa nas mãos de uma pessoa de 17 anos?

Quando temos essa idade, nos achamos adultos. Mas depois de um tempo, vemos que não tínhamos a menor condição de tomar uma decisão tão séria. Claro, muita gente acerta na escolha do curso e leva a vida fazendo o que gosta. Mas muita gente erra. Ou faz outro curso depois de alguns anos de infelicidade. Ou passa a vida inteira infeliz.

Como Descobrir O Que Realmente Gosto De Fazer?
O Jimmy de “Better Call Saul” cursou direito depois de velho e gosta do que faz

A ideia desse post não é discutir o sistema educacional ou o vestibular. A ideia é discutir como encontrar o que realmente gostamos.

Minha história

Olhando pra trás, vejo que eu era muito novo pra escolher o que queria. Perdia muito tempo fazendo coisas sem sentido, assistia bastante TV e vivia a vida de forma passiva, era carregado por ela.

No ano do vestiba, o colégio ofereceu uma tal “semana das profissões” que trouxe vários palestrantes de diferentes áreas pra contar com o que trabalhavam. Assisti várias dessas palestras no desespero – na verdade eu não fazia a menor ideia do curso que escolheria. E o pior, achava que aquele vestibular ali era tudo.

Como se não houvessem caminhos alternativos, como se o erro não fosse uma opção. Pois bem, acabei prestando para administração (ou “o curso que todos fazem quando não sabem o que fazer”). Ah, e prestei para economia em outra faculdade. E passei nas duas. E 5 anos depois me formei nas duas.

Mas, valeu a pena?

Este texto também está disponível em vídeo. O conteúdo é bem similar:

Pra mim, não. Quando me perguntam, sempre digo que no meu caso fazer 2 faculdades foi um exagero. Aliás, se pudesse escolher com a cabeça que tenho hoje, não tinha feito vestibular. Uma graduação de 5 anos tem tantas matérias superficiais que não vão te ajudar em nada lá na frente… pra mim, não valeu a pena. Hoje, teria escolhido algo voltado ao computador, objeto com o qual passo mais tempo, e algo prático, que pudesse ser aplicado em qualquer lugar. Teria feito um técnico de programação, um cursão de Photoshop, de edição de vídeos. Algo assim.

Pois bem, meu curso foi um erro, beleza. Mas o curso ficou no passado. Ou eu aceitava que tinha errado, ou fazia uma nova graduação. Mas nem a pau que eu faria outra graduação. Então segui a vida. Aceitei meu erro e fui pra China. E lá, depois de pensar muito, passar perrengues e viver a melhor experiência da minha vida, tomei uma decisão séria:

“Se for pra ficar 8 horas trancado num escritório todos os dias, pelas próximas décadas da minha vida, vou trabalhar com algo que eu goste.”

Lá na China, no começo eu trampava com isoladores elétricos de porcelana, algo super emocionante, então não foi difícil chegar à essa conclusão na época. (Você não sabe o que é um isolador, tô ligado. Eu também não sabia.)

Como Descobrir O Que Realmente Gosto De Fazer?
Imagina saber nomes, modelos, preços e características técnicas de cada um desses. MUITO EMPOLGANTE!

Na verdade tomei essa decisão no pior momento. Estava sem casa, morando metade do tempo de favor, metade em hostel. Estava sem trampo e meu dinheiro estava acabando. Eu morava num país onde não falava a língua (só o basicão). Moleque sem noção, como vai tomar uma decisão dessa quando você tá – e me perdoem os que não gostam de palavrões – COMPLETAMENTE FODIDO?! Poisé. A coisa também não foi tão radical. Eu sabia da minha situação e sabia que, eventualmente, teria que aceitar qualquer emprego que aparecesse na frente. Mas tinha me demitido lá dos isoladores e tava tentando dar uma guinada positiva na minha carreira. Queria trabalhar com algo que gostasse. E do que eu gostava? Futebol e jogos. Fácil, né?

Leia também:  Como Ver Os Pontos Que Tenho Na Carta De Condução?

Depois de 1 mês mandando dezenas de currículos e escrevendo várias cover letters todos os dias, finalmente recebi uma ótima notícia. Não sou religioso e não acredito em destino, mas gosto de pensar que meu esforço valeu a pena. Sim, arranjei um trampo numa empresa de jogos!

Não é o trampo dos sonhos? Definitivamente não. Mas sempre que tô estressado ou desanimado no trabalho, penso: cara, estou trabalhando com jogos, literalmente jogar faz parte das minhas tarefas, não tô trabalhando com um produto pelo qual eu tenho zero de interesse. E isso já me deixa mais tranquilo.

Claro que não é o ideal. Depois disso, comecei a pensar em outras empreitadas em direção a coisas que gosto. Hoje, tenho o blog, tuíto sobre futebol em outra conta e tô me aventurando no mundo de freelancer pra não ter que trabalhar em escritório. Além disso, apesar de ainda estar na empresa de jogos, trabalho pela internet. E tá valendo a pena.

Fiz um guia completo de como começar a ser freelancer e trabalhar pela internet. Vale a pena a leitura! 

Hoje, o mundo te dá muito mais oportunidades de fazer o que gosta. Quem é que conseguia viver de videogames lá trás? Poucos. Hoje, tem moleques de 15 anos ganhando 5 dígitos por mês enquanto joga Mario.

MÃE E PATROA

Minha mãe sempre teve uns trampos que não gostava muito. Depois de mais velha, resolveu se arriscar na arte e começou a fazer mosaicos. Hoje é mosaicista, curte o que faz.

Já vendeu trabalhos, participou de exposições e hoje dá até aula.

A grana é sempre curtíssima, mas pergunta se ela prefere trabalhar com caquinhos de azulejo ou vender material de escritório? (SPOILER: é a primeira opção.)

Já a patroa tem uma história semelhante à minha. Pelo perrengue passado na China, começou a fazer freelas pela internet. Hoje, vive disso há mais de um ano e não troca a liberdade de trabalhar quando e de onde quiser por nada.

Claro que traz insegurança, claro que tem que pegar trampos chatos de vez em quando. Mas ela gosta de liberdade. E conseguiu aliar o trabalho à essa gana por liberdade.

Ah, e viver de freelance pode pagar mais que muitos daqueles empregos meia-boca que tem aí na sua cidade. Vai por mim.

CAMINHOS

Do jeito que eu vejo as coisas, a gente tem 3 caminhos pra fazer o que gosta:

a) Projeto pessoal

– Descobrir o que você gosta e tentar fazer algo próprio. Esse caminho é difícil pra caramba e com certeza exige muita força de vontade, determinação e resiliência. Mas vendo pelos casos de pessoas que conseguiram, lá na frente é o que mais vale a pena.

Como Descobrir O Que Realmente Gosto De Fazer?

Como Descobrir o Que Gosto de Fazer? Dicas Para Encontrar um Sentido Para Sua Vida

Home > Blog > Como Descobrir o Que Gosto de Fazer? Dicas Para Encontrar um Sentido Para Sua Vida

Cada ser humano é único e tem características que o tornam especial. Por essa razão, alguns são mais comunicativos e outros mais reservados, uns gostam de ciências humanas e outros de exatas, uns preferem rock e outros música clássica e assim por diante.

Desse modo, rotular as pessoas não faz muito sentido, já que somos todos formados por combinações únicas. Então, se tem dúvida e está pensando: como descobrir o que gosto de fazer?, saiba que essa é uma missão pessoal e que ninguém pode realizar no seu lugar.

Porém, posso te ajudar dando algumas sugestões, que você poderá conferir no decorrer do artigo.

Uma das chaves para o sucesso é conhecer a si mesmo!
Quer se conhecer melhor? Clique aqui e baixe meu ebook!

Como Descobrir o Que Gosto de Fazer e Me Encontrar em uma Atividade?

É fato que as pessoas desempenham seu potencial de forma muito mais proveitosa quando estão realizam algo com o qual sentem afinidade.

Desse modo, colocar alguém com um perfil mais reservado para ocupar um cargo de atendimento ao público em uma empresa, pode não ser uma boa ideia, visto que um indivíduo mais comunicativo certamente se sairia melhor.

Da mesma maneira que o profissional reservado certamente irá se sobressair em atividades que requerem mais concentração.

Considerando tudo isso, é muito importante que todos busquem se conhecer, para que se direcionem a oportunidades e escolhas que se encaixem com seu perfil e, assim, possam alcançar a excelência.

Veja o meu caso, por exemplo, gosto muito de me comunicar e estar com as pessoas, por isso, decidi me tornar Master Coach e fundar o IBC – Instituto Brasileiro de Coaching.

Me sinto em casa quando falo com o público e compartilho o conhecimento que adquiri em anos de experiência, ajudando cada indivíduo presente em meus treinamentos a alcançarem o seu potencial máximo.

7 Dicas Para Descobrir o Que Você Gosta de Fazer e Alcançar Seu Potencial Máximo

Quando você acorda pela manhã sabendo que vai fazer o que gosta e ir em busca do seu propósito, a energia muda e tudo passa a fazer sentido. E isso vale para trabalho, lazer e atividades normais do cotidiano. Confira, a seguir, sete dicas para descobrir o que te motiva e prepare-se para ir além!

1 – Comece a Olhar Mais Para Si

Se a intenção é descobrir o que você gosta de fazer, é fundamental que comece a olhar para si com mais atenção, para que se conheça melhor.

Por isso, passe a se observar, para identificar como se sente ao realizar cada atividade do seu cotidiano, incluindo tanto tarefas de trabalho quanto em casa e na vida de uma forma geral.

Essa autoconsciência irá te ajudar a entender os seus gostos, aptidões, habilidades e, então, chegar às respostas que procura.

2 – Imagine Como Seria a Vida Ideal Para Você

O exercício de visualização é bastante poderoso e permite que a mente e os pensamentos fluam, trazendo respostas interessantes sobre você.

Para colocá-lo em prática você só precisa ir para um local tranquilo, sentar-se ou deitar-se confortavelmente e imaginar como seria a vida ideal para você. Lembrando que é importante que seja algo que esteja dentro da realidade.

Caso apenas consiga pensar na sua rotina ideal ou com coisas parecidas com o que vive, significa que já está no caminho certo.

3 – Faça Listas Com as Suas Habilidades e Interesses

Hoje em dia, com os computadores, tablets e celulares, raramente pegamos caneta e papel para registrar algo, não é mesmo? Porém, você sabia que esse exercício de escrever à mão pode ser extremamente poderoso? Isso porque, enquanto anotamos cada palavra, elas se tornam mais fortes em nossa mente, permitindo que realmente memorizemos aquilo e, claro, possamos consultar quando desejarmos. Então, pegue o seu bloco de notas e faça uma lista com as suas habilidades e interesses, pois essas informações também te ajudarão em sua busca.

Você é feliz?

Como Descobrir O Que Realmente Gosto De Fazer?

4 – Questione-se Para Encontrar Respostas

O que você faz quando deseja obter informações que outra pessoa tem? Pergunta a ela, certo? Desse modo, se deseja descobrir algo relacionado a você, é necessário que se questione e, assim, vá chegando às respostas que estão ocultas em seu interior. Alguns questionamentos interessantes incluem:

  • Quais são os assuntos que mais suscitam minha curiosidade?
  • Quais atividades eu faria se não tivesse que me preocupar com dinheiro?
  • O que eu poderia fazer por horas sem pensar em cansaço?
  • Que tarefas me sinto mais realizado ao concluir?

Esses são apenas alguns exemplos de perguntas que você pode se fazer para se conhecer melhor e encontrar o seu propósito.

5 – Permita-se Experimentar Coisas Novas

É importante considerar que, talvez, você não saiba exatamente o que gosta de fazer porque nunca experimentou. Por essa razão, é muito importante que se permita fazer coisas novas e ouse ir além.

No seu trabalho, por exemplo, mostre-se disponível para aprender funções diferentes, observe e converse com colegas de outros setores. O mesmo vale para outros tipos de atividades, como modalidades esportivas, trabalhos voluntários, entre outros.

Ser curioso e ter sede de aprender é essencial para chegar às respostas que busca.

6 – Descubra Como Você Deseja Ser Lembrado no Futuro

Quando se fala em descobrir o que se gosta de fazer, isso inclui propósito e legado, que é, basicamente, como você gostaria de ser lembrado no futuro.

Vale ressaltar que legado não precisa, necessariamente, significar ser conhecido por todo o país, pois o importante é fazer a diferença na vida das pessoas que convivem contigo, independente da quantidade delas.

Então, reflita com bastante paciência e lembre-se que o que deve te guiar é a sua própria essência e jamais imposições externas.

A autoconfiança só é possível se você está de bem com a vida.

Quer saber em qual nível está a sua felicidade? Clique aqui

7 – Revisite Lembranças da Sua Infância

Por último, é interessante considerar a infância, que é a fase onde a personalidade de cada um de nós começou a ser formada.

Você gostava de desenhar ou de escrever histórias? Quais eram seus passatempos preferidos? Relembre experiências que tenha vivido, como brincadeiras e atividades escolares, e em como se sentia.

Assim, poderá associar essas informações do passado com as atuais e, então, chegar às respostas que busca.

Descobrir o que você gosta de fazer irá permitir que utilize o seu potencial com mais sabedoria e, assim, alcance resultados fantásticos, mantendo-se motivado para buscar a evolução a cada dia.

Copyright: 423041992 – https://www.shutterstock.com/pt/g/gustavofrazao

*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Como encontrar o seu propósito

Todo mundo diz para encontrarmos o nosso propósito, para descobrir ele. Mas será que nascemos com o propósito escrito no nosso DNA? Ainda não sei se encontrei o meu propósito, e isso me da uma dica importante do que está acontecendo: se a gente não sabe se encontrou, quer dizer que a gente não encontrou. 

Eu aprendí isso no Design, se não sabemos se gostamos, provavelmente não gostamos. E você pode levar essa reflexão para a vida. Se você não sabe se gosta de algo, talvez você não goste tanto assim. Mas também, não quer dizer que no futuro você não comece a gostar.As coisas são confusas e complexas né? Então, eu escrevo esse conteúdo para encontrarmos juntos o nosso propósito.

Leia também:  Como Conviver Com Pessoas Que Nos Fazem Mal?

Você sempre escolhe o caminho que te pedem para escolher?

Ou tenta hackear o sistema para fazer o que você sempre quis?A sociedade vai dizer para você arranjar um emprego com estabilidade e seus pais vão dizer para você não arriscar, para ir no garantido. Só que eles falam isso, como se isso ainda existisse.

A sociedade vai sugerir por onde você deve começar, e você provavelmente vai aceitar essa sugestão. Vai seguir no piloto automático da vida: estudar, se formar, estagiar, trabalhar, casar, ter filhos e nunca questionar o sistema.

E então, se arrepender de não ter arriscado mais e de não ter vivido uma vida com propósito.Não que o sistema seja ruim, muito pelo contrário. Ele é tão bom que muitas pessoas nunca questionaram.

 Porém, quando você vive no piloto automático, não necessariamente você está fazendo o que gosta e batalhando pelo que você acredita. E essa batalha pelo que você não acredita, esse suor derramado pelo que não é relevante, é uma vida sem propósito.

Mas afinal, como descubro o meu propósito?

Imagina que, quando você nasceu, alguém meteu um carimbo em você escrito: “seu propósito de vida.” Talvez foi um “acabar com a fome na África”, mas também pode ter sido um “coletar lixo para um mundo mais sustentável”. O que você acha disso? Se fosse assim, provavelmente alguém acharia o seu próposito injusto e então montariamos uma Startup para trocar os nossos propósitos.

É aí que começa a confusão: ao mesmo tempo que não nascemos com um propósito único, definido e imutável, a resposta só pode ser encontrada dentro de nós. Ela está sendo escrita em cada letra do nosso DNA.

Na minha humilde opinião, nós criamos o nosso propósito “de propósito”. Mas claro, dentro de todas as coisas que curtimos e acreditamos na vida.Dentro de todas habilidades que já desenvolvemos mas também dentro de tudo aquilo que sonhamos em realizar.

Tudo aquilo que a gente acredita, de verdade.

Mais ou menos assim:

Como Descobrir O Que Realmente Gosto De Fazer?ikigai

Ao meu ver, o propósito são aqueles pixeis cor de rosa alí do meio. Uma intersecção de vários pontos importantes na nossa vida. E para mim, esses pixeis estão sendo desenhados a cada segundo, cada experiência e a cada aprendizado.Por exemplo: O que eu faço bem e o que eu amo fazer, mudam durante a minha vida.E o que o mundo precisa e o que me pagariam para fazer, também são variáveis.

Por tanto, acredito que não existe um propósito divino. O propósito são possibilidades que estão sendo criadas e inventadas por nós a todo instante. Não acho que o propósito seja único, limitado e imutável. Pode ser um e podem ser muitos. Também pode mudar amanhã.

O propósito faz parte das nossas escolhas e da nossa experimentação do mundo. Ele não foi escrito por um “terceiro”. Ele está sendo escrito por nós.Como mostram as intersecções, o propósito é a harmonia perfeita entre você (o que você faz bem e oque você ama fazer) e o mundo (o que o mundo precisa e o que pagariam para você fazer).

Eu conheço pouco da vida ainda, mas é muito improvável um Chinês nascer para ser Cowboy e um garoto do Texas nascer para ser Jogador de tênis de mesa.Nós só conseguimos buscar referências e propósitos dentro da nossa realidade.

Acredito que não nascemos para ser algo. Nós nos tornamos algo, dentro da realidade em que vivemos. Nós somos o reflexo de todas as nossas experiências, dos nossos aprendizados e das referências que temos na vida. E isso muda, a cada simples decisão do nosso dia.

Se você ainda não encontrou o seu propósito, talvez seja porque ainda não deu tempo de você experimentar todas as coisas para descobrir as suas paixões, talvez você não tenha desenvolvido a habilidade certa para ajudar o mundo, ou quem sabe, você ainda nem tenha descoberto o que o mundo precisa.

Continue buscando o seu propósito. Não como algo que está lá, em algum lugar. Mas sim, como algo que esta sendo criado a todo instante por você. E isso, faz toda a diferença.

Porque você já vem se tornando você a muito tempo, e talvez, já tenha habilidades e paixões para contribuir com a sociedade. Continuo a busca pelo meu propósito. Ainda não sei se o encontrei, mas sei que posso ir combinando algumas partes.

E um dia, todas essas combinações vão fazer sentido, e então, terei vivído de propósito.

Você pode acessar todos esses insights sobre propósito no conteúdo “Qual o sentido da vida? Encontre o seu propósito.”

Como saber do que eu realmente gosto?

Oi orientador, tenho 17 anos e estou prestes a fazer vestibular, mas para isso tenho que escolher o curso que vou fazer.

Já pensei em Veterinária e Direito durante um bom tempo quando era menor, e dai Design porque gosto de desenhar – reproduzir imagens, na verdade. Ultimamente, como está chegando a hora de tomar uma decisão, tenho pensado em Ciências Biológicas ou Design Industrial.

Já fui a algumas palestras sobre e li a respeito, mas continuo na dúvida, pois não sei se é isso que eu realmente quero. Não sei o que eu gosto de fazer direito e nunca fui má aluna. Sempre fui muito dedicada e tirei notas boas.

O que fazer pra descobrir isso agora? Não gostaria de perder um ano pensando sobre. O melhor seria aproveitar agora que terminarei o terceiro ano.Enviado por Aline Pitol Gomes

A escolha de uma profissão é um passo importante na vida. Ela faz parte de um projeto maior, o “projeto de vida”; como “projeto”, pode passar por retificações, mas é esperado que ele tenha bons alicerces para dar sustentação à construção de um caminho que realize expectativas complexas.

A existência de interesses muito variados – como parece ser seu caso – muitas vezes é um fator que coloca duas questões ante o processo de escolha de uma profissão: por um lado amplia a liberdade quanto às diversas possibilidades de os verem contemplados, pelo menos em parte, por muitas profissões. Por outro lado dificulta a busca por uma profissão que sintetize todos os anseios.

Você deve considerar esses elementos em seu processo, mas procure realizar uma reflexão mais abrangente e parcimoniosa, “por partes”. Informe-se sobre todas as profissões inicialmente (e não apenas as que você citou).

Em seguida, descarte aquelas que não exercem nenhuma atração sobre você.

Quanto às que restarem (e podem ser muitas), aprofunde-se na pesquisa investigando a grade curricular dos cursos, áreas de atuação; procure entrevistas de profissionais das áreas, bem como é o cotidiano de trabalho.

A partir de cada profissão é possível construir roteiros diferentes de vida, relacionados ao tipo de vínculo de trabalho, à atuação mais instrumental ou à pesquisa, aos desenvolvimentos teóricos e técnicos da área, ao tipo de compromisso social que o profissional dedica quanto a quem recebe os benefícios de sua ação, às oportunidades de mercado e campo de trabalho.

Investigue também que características pessoais você quer que se mantenham ou que sejam desenvolvidas por meio do curso e da profissão a serem escolhidos. O processo é trabalhoso, mas quanto mais você se dedicar a ele, maiores serão as chances de sucesso.

A busca de uma síntese possível é, portanto, um ato individual em que quem escolhe assume certas perdas pessoais e os riscos inerentes a todo projeto. Encare-a a partir de muito trabalho e coragem.

Leia mais:– Saiba tudo sobre o curso e a carreira de Direito– Saiba tudo sobre o curso e a carreira de Design– MÁQUINA DE PROFISSÕES: Faça o teste e descubra qual profissão combina com você

Continua após a publicidade

  • Consulte o orientador
  • curso
  • Especial Carreiras
  • orientador
  • profissão
  • Vestibular

8 passos para descobrir o que você quer fazer da vida

Corra atrás dos seus sonhos. Siga o seu próprio caminho. Faça o que você ama. Quantas vezes você já ouviu ou leu coisas assim? São ideias maravilhosas, mas não significam nada se você ainda não definiu os seus sonhos, não sabe o que quer fazer da vida, não encontrou o seu caminho ou não sabe ao certo o que você realmente ama.

Atrever-se a ter os seus próprios sonhos, a traçar o seu próprio caminho e a determinar o que você realmente ama é o primeiro passo. Mas a maioria das pessoas não sabe qual é a sua verdadeira paixão. E não dá pra você ir atrás de um sonho se você não sabe qual é.

Em muitos lugares você vai ler que para alcançar as suas metas é preciso disciplina, concentração e compromisso. Mas o problema é muito mais simples. Porque mesmo que seja difícil admiti-lo, a maioria das pessoas não triunfa na vida simplesmente porque não sabe o que fazer com ela.

A solução para ter uma vida de sucesso começa por determinar qual é a verdadeira paixão que lhe move. Como fazer isso? Você vai encontrar a resposta a seguir.

#1 – Desenvolva uma visão da sua vida para os próximos 5 anos

Seja qual for a sua situação, imagine que todos os seus sonhos tenham se tornado realidade nos últimos anos. Pegue lápis e papel ou abra um documento de texto no seu computador e escreva tudo o que lhe vier à cabeça com relação a como seria essa vida.

Escreva durante 10 minutos (use um timer) sobre aspectos como que horas você deverá acordar, quanto dinheiro deverá ganhar, como será o seu trabalho, com que tipo de gente você se relacionará, como será a sua casa, que carro você terá, o que irá comer, que tipo de vida irá levar e como você se sentirá.

Lembrando que não é um exercício sobre como você está agora, e sim sobre como você estaria se nos últimos anos os seus sonhos tivessem se tornado realidade.

#2 – Leia livros de autoajuda, tome nota e aplique as coisas importantes

A leitura de um bom livro de autoajuda é incrivelmente poderosa, sempre que você for capaz de adotar e colocar em prática as ideias encontradas nesse livro. Apenas ler não vai mudar nada para você se não aplicar os conselhos que encontrar ali.

De fato, também não vai servir de nada comprar o livro e deixá-lo sobre uma mesa esperando que algo aconteça. Isto que acabo de dizer parece ridículo? Você ficaria surpreso em saber da quantidade de gente que compra este tipo de livro e a única coisa que faz é ler a capa. Se um título é inspirador, imagine o que você poderá encontrar dentro dele.

Leia também:  Como Saber Quando Acabar Uma Relação?

#3 – Participe de atividades de voluntariado

Participar em trabalhos voluntários irá lhe permitir conhecer pessoas interessantes, motivadas e positivas. Além disso, ajudará você a descobrir em si mesmo aspectos que talvez não conhecia, e a encontrar sentido em coisas que antes você sequer havia pensado.

#4 – Comece essa paixão que já faz tempo que você deseja praticar

Com certeza, todos já quisemos fazer algo alguma vez, mas nem todos tivemos a coragem de fazê-lo. Os motivos podem ser vários, desde o clássico “não tenho tempo” ao “o que vão dizer” ou o “como eu vou fazer isto a esta altura da vida”.

Não demore mais e comece a fazê-lo hoje.  Se você se sente atraído por isso, é por alguma razão. Deixe de negar a si mesmo o direito de fazê-lo e comece já.

#5 – Siga um blog inspirador e tome uma atitude

Identifique um blog que você goste e que o inspire. Que tal AMenteEMaravilhosa.com? A seguir, leia vários artigos cujo título lhe inspire. Deixe-se levar pelas mensagens que lhe aparecerem na página principal e leia aquelas que chamem a sua atenção.

Depois de ler, anote as ideias que mais gostou e tome uma atitude. Se você se sente atraído por estes conteúdos, é por alguma razão. Você irá descobrir muitas coisas sobre si mesmo com este exercício.

#6 – Responda a pergunta “o que eu quero fazer”

Atreva-se a responder a esta pergunta, sem limites: O que eu quero fazer da minha vida. E não se reprima. Não se desculpe. Não valem respostas do tipo “eu gostaria de fazer isto mas não posso porque…”.

#7 – Identifique os seus medos

O que lhe assusta? Atreva-se a reconhecê-lo. Quando enfrentamos os nossos medos descobrimos coisas muito interessantes sobre a nossa personalidade. E, surpreendentemente, isto provoca em nós um grande sentimento de autoconfiança, a mesma que se produz quando você se atreve a contá-lo a um amigo.

Além disso, identificar esses medos também irá ajudá-lo a encontrar a sua razão de ser. É o primeiro passo para superar esses limites autoimpostos que nos intimidam.

#8 – Pense no que lhe acontece como uma forma de aprender

Seja o que for que lhe aconteça, bom ou ruim, sempre pense no que você pode tirar de lição disso e no que a forma como você enfrentou a situação diz sobre você mesmo.

Se você é capaz de aprender coisas em cada situação, cada vez terá mais clareza em relação ao que quer fazer da vida.

O que fazer quando você não sabe o que fazer?

“Aquele que pondera todas as possibilidades antes de dar um passo, passará a vida toda em uma perna só.”
Provérbio chinês

O problema é o seguinte: eu não sei o que fazer.

Sobre isso, sobre aquilo. Sobre coisas grandes e coisas pequenas.

Sobre qualquer coisa.

Na verdade, para ser sincera, até o menor dos problemas parece enorme quando eu não sei o que fazer em relação a ele. O estado de “não saber o que fazer” produz um efeito de crescimento milagroso para as coisas pequenas na minha mente.  

Leia também:
» Ansiedade: precisamos falar sobre isso
» 23 dicas para (re)começar sua vida profissional
» Como transformar a procrastinação em ócio criativo

Isso não é uma coisa nova. Não saber o que fazer é um dos meus múltiplos e refinados talentos. Eu consigo até equilibrar vários “não saber o que fazer” ao mesmo tempo.

Por exemplo, agora mesmo eu não sei se eu saio com meus amigos no fim de semana ou não. E se eu sair, é melhor ir de metrô? Ou pegar uma carona?

Eu não sei se eu devo procurar um novo emprego. E se sim, quando devo começar? E o que fazer com todas as outras ofertas que vão inundar minha caixa de entrada assim que eu dizer sim para a essa oportunidade?

Eu não sei se devo começar uma dieta amanhã. Ou hoje. Ou na próxima semana. Ou se devo sequer começar. Eu não sei se devo ligar para minha nutricionista ou se decido sozinha.

Eu não sei o que é melhor, o que é certo. Eu não sei o que eu quero fazer.

Sabe o que mais eu não sei? Eu não sei o que fazer sobre não saber o que fazer.

E sempre que eu me sinto assim (o que não é sempre, mas é frequente), eu começo a não saber o que fazer sobre coisas que eu sabia fazer antes. Coisas sobre as quais eu já me decidi, fiquei empolgada e até senti certeza na época, agora parecem decisões inseguras e erradas. Mesmo que eu saiba que as decisões pareciam certas quando eu as tomei.

Meu cérebro começa a questionar tudo: e se eu também não sabia o que fazer na época, e só decidi em algo que não era a coisa certa no final das contas? E se a decisão acaba sendo a errada? E se eu agi por impulso e não pensei em todas as consequências?

É como se eu estivesse lamentando todas as outras opções que nunca, jamais vão acontecer agora, porque eu não as escolhi.

Uma vozinha na minha cabeça me provoca: se você escolher a opção A, então tal e tal coisa pode acontecer, o que pode levar a X e pode significar Y. Se eu soubesse desde o início sobre Y, talvez não tivesse feito a escolha original. Ou teria? Como vou saber?

E estas incertezas, preocupações, ansiedades e “não saberes” não são exigentes. São coisas que não só se prendem às coisas que eu não tenho certeza. Elas vazam.

Elas se infiltram em todo o resto, então ao invés de me sentir incerta e ansiosa sobre uma coisa em particular, sobre uma única decisão especificamente, eu me sinto ansiosa, incerta e preocupada sobre tudo.

Eu até me esqueço do que começou isso. Só me sinto assim.

Eu sinto isso no meu peito, perto do coração. E na garganta. Parece culpa, misturada com arrependimento, com doses de pânico e uma pitada de medo. É meio duro e frio, como um aperto muito forte.

E eu não gosto disso. Mas eu não sei o que fazer sobre isso. Então eu não faço nada além de me preocupar e ficar ansiosa porque fazer nada não é a coisa certa a se fazer. É exaustivo, é frustrante e é total e completamente improdutivo.

E a única coisa que faz isso parar? É decidir e fazer algo. Qualquer coisa.

E a única maneira de saber o que fazer? Bom, na verdade, não há resposta para isso.

A não ser não se preocupar sobre ficar se preocupando. Não se sentir ansioso sobre ficar ansioso. E aceitar que não há uma resposta certa.

Respirar. Tentar sentir além da preocupação, tentar sentir a resposta, ao invés de pensar (demais) sobre ela.

Parar de questionar todas as possíveis consequências de todas as decisões disponíveis. Parar de tentar controlar e considerar todas as possibilidades. Simplesmente não dá pra fazer isso.

E confiar.

Não é possível saber o que vai acontecer. Não dá pra saber como eu vou me sentir em relação a isso. Não dá pra saber se a decisão que eu tomar vai ser melhor ou pior que a outra decisão que eu poderia ter tomado porque eu só vou viver o caminho que eu escolher.

Então eu só posso reagir ao que eu tenho, o que eu sei e como eu me sinto, aqui e agora. E eu não preciso saber como fazer isso. Eu só preciso fazer. Eu só preciso permitir que aconteça.

De volta às minhas decisões. Bom, eu ainda não sei o que fazer. Ainda não sei o que é “a coisa certa”.

Mas talvez isso não seja um problema tão grande no final das contas.

Porque o que eu sei é o que é a “coisa errada”. E é não decidir nada. Até mesmo a decisão de não de não decidir nada ainda – isso também é uma decisão. Aceite isso.

Um amigo me disse uma vez: “Quando a hora chegar, será a hora certa”. Isso me ajuda a relaxar sobre as minhas decisões.

Eu às vezes me pergunto: eu sou a única pessoa que pensa assim? Eu também não sei isso, mas se você também é:

Pare de matutar tudo. Pare de tentar inventar o que poderia ter acontecido. Porque é o que está acontecendo, você só está inventando. Não dá para saber como seria de verdade. Ao invés disso, tome uma decisão e desfrute-a. O que quer que aconteça, não importa de verdade — você pode mudar depois, se você realmente precisar.

Qualquer que seja a sua decisão, decida. O que pode acontecer de pior, de verdade?

Apenas tome uma decisão e seja feliz por tê-la feito. Aproveite a liberdade e o alívio que vêm em seguida.

Aproveite o presente, livre de indecisões. Porque enquanto você estiver ocupado se preocupando com o que pode acontecer amanhã, adivinhe? Você está perdendo todas as coisas boas que estão acontecendo hoje.

Então, apenas decida. Apenas relaxe.

Quer saber a boa notícia? Tomar uma decisão é tão imperfeito quanto ficar indecisa.

E quando eu começar de novo, sei que nada vai me parar. Vou, facilmente, tomar decisões que me perturbavam antes. Colocarei essas pequenas coisas nos lugares delas. E se parecer errado, eu mudo. Não vou me preocupar. As coisas que pareciam erradas e estranhas antes, não vão mais me importar.

Eu não vou saber de onde veio essa confiança na tomada de decisões. Só vou sentir.

Sentirei isso em meu peito, perto do coração. Um sentimento de satisfação, abraçando a alegria, com pitadas de paz e sabor de leveza. Será quente e macio como mel derretido escorrendo pelas minhas veias. E vai me fazer sorrir.

E eu vou amar isso. E farei tudo o que puder para me agarrar a isso.

Que eu sei.

Então, vamos apenas começar. Vamos apenas relaxar. Vamos apenas decidir. E nunca olharemos para trás.

Se você não sabe o que fazer, ou quer decidir onde começar, veja as dicas que a coach Patricia Andrade deu nas transmissões do Ponto de Partida:

Chega de matutar: é hora de colocar seus planos em prática!

Reconheça seu momento, suas fraquezas, forças, oportunidades e todos os aspectos da vida que precisam de melhorias para definir seus objetivos profissionais e buscar seus sonhos em um programa online e gratuito liderado pela coach Patricia Andrade.

PROGRAMA GRATUITO DO TRAMPOS ACADEMY PARA IMPULSIONAR SUA CARREIRA E SUA VIDA PESSOAL

Publicado originalmente por Emma While em [TinyBudda]. Adaptação por Tutano.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*