Como Descobrir O Que Fazer Da Vida?

  • Se tem uma queixa que todos nós sempre ouvimos é essa: “não sei o que fazer da vida profissional”.
  • Imagino que você já tenho ouvido algum amigo, colega ou familiar dizendo que não sabe o fazer, qual carreira seguir ou como se encontrar na vida profissional.
  • Quem sabe até você já tenha pensado isso ou esteja passando por um momento que não sabe ao certo que rumo tomar em relação à sua vida profissional.
  • Eu acredito que “se encontrar” na sua vida profissional está relacionado a descobrir seus talentos.
  • Mas quem sabe a visão que você tenha de “talentos”, seja um pouco diferente da que eu apresento nesse texto.
  • Então, te convido a continuar lendo e conferir minha visão e mais quatro dicas para descobrir seus talentos!

Não sei o que fazer da vida profissional

  1. Eu frequentemente encontro pessoas comentando:
  2. “Eu não sei quais são os meus Talentos”.
  3. “Gostaria de ter mais clareza sobre minha vida profissional”.
  4. “ Estou completamente perdido”.
  5. Como eu só posso compartilhar algo que usei comigo mesmo eu geralmente compartilho a etimologia das palavras.

  6. Entender a etimologia da palavra é uma possibilidade de podermos entender o que tal palavra significa.
  7. Quando eu encontrei o significado da palavra talentos, eu fiquei impressionado e fez todo sentido.
  8. A palavra talento vem do Grego: tálanton; do latim: talentu e significa moeda de ouro que vigorava como unidade monetária no Império Grego.

Como Descobrir O Que Fazer Da Vida?

  • Assim sendo ter um talento significa ter algo a oferecer.
  • Quando eu ofereço essa minha “moeda de ouro“ eu recebo algo em troca.
  • Todos nós temos algo a oferecer.
  • Nossos talentos são formados por todas nossas ações e comportamentos que fazemos sem esforço.
  • Os talentos são ações que fazemos de uma maneira muito fácil.
  • As pessoas próximas simplesmente não entendem como você consegue fazer isso de uma maneira tão simples.
  • Em nossa sociedade é costumeiro não valorizarmos o que é feito de maneira simples.
  • Se for simples não tem valor.
  • Entender que se eu considero que o meu talento não é valorizado por mim, tão pouco ele será valorizado pelos outros e não receberei nada em troca em realizar e colocar em prática meus talentos.
  • Gostaria de compartilhar algumas dicas para você que se sente perdido e quer saber como ter clareza para sua vida profissional.

Dica Número 1 – Faça uma lista de coisas que você faz de maneira simples

Como Descobrir O Que Fazer Da Vida?

  1. Pense em tudo aquilo que você faz de uma maneira extremamente natural.
  2. Enquanto você faz isso, você percebe que as pessoas simplesmente expressam gratidão àquilo que foi feito.
  3. Tanto a gratidão em forma de palavras ou também um sorriso no rosto, uma expressão de agradecimento.
  4. Como disse, só posso indicar uma possibilidade a partir de um processo que eu fiz comigo mesmo.
  5. A lista abaixo é o que identifiquei como sendo meus talentos:
  • Comunicação;
  • Confiança;
  • Informalidade;
  • Participação;
  • Coletividade;
  • Determinação;
  • Resultado;
  • Iniciativa;
  • Satisfação;
  • Bom senso.

Outro objetivo em compartilhar essa lista é para você possa se identificar com alguns dos meus talentos e caso não se identifique, terá um bom direcionamento de como nossos talentos são expressos.

Como Descobrir O Que Fazer Da Vida?

Dica Número 2 – Desenvolva comportamentos baseados em seus talentos

  • Você sabia que nossos comportamentos determinam o local que vivemos?
  • Pense em uma casa suja, essa casa é suja, pois as pessoas que habitam lá, não desenvolveram ações, comportamentos que mantem a casa limpa.
  • Apenas a partir do momento que temos comportamentos constantes de manter e limpar a casa, é que a casa permanecerá limpa.
  • O comportamento de limpar a casa é o que determina o estado atual do ambiente.
  • Se você entrou em contato com sua lista de talentos, você já iluminou seu caminho sobre qual o próximo curso que você poderá participar para que seus talentos sejam potencializados.

Como Descobrir O Que Fazer Da Vida?

  1. Um dos talentos que listei acima e que me chamou muito atenção, pois eu também não valorizava, era o poder da minha comunicação.
  2. A partir da identificação desse talento, procurei cursos sobre comunicação eficiente, comunicação não violenta e PNL.
  3. Confie também no poder da sua lista de talentos, confie que o que você faz bem é algo único sobre sua personalidade e que direcionado com novas habilidades, técnicas e conhecimentos, irá potencializar e até mesmo ajustar tudo aquilo que você já faz de maneira única e especial.

Dica Número 3 – Faça o seu melhor todos os dias

  • Essa dica esta relacionada ao seu comportamento em relação às pessoas que estão próximas a você.
  • Não sugiro que não devemos nos permitir ter dias de mau humor e manter uma máscara de que sempre estamos bem o tempo todo.
  • Esse passo está relacionado ao que abre o caminho para que você possa expressar seus talentos, ou seja: A MANEIRA QUE VOCÊ TRATA O OUTRO.
  • Nos tempos de hoje é muito frequente a grande maioria das pessoas ter acesso a infinitos cursos disponíveis online.
  • A parte técnica pode ser aprimorada de maneira mais rápida ultimamente e o que nos diferencia e nos torna únicos e essências para a empresa que escolhemos trabalhar é a maneira que nos relacionamos.
  • Fazer nosso melhor está relacionado ao respeito com nós mesmos e aos que estão próximos a nós.
  • As técnicas e nível de conhecimento podem ser nivelados, mas a maneira que a colocamos em prática é o que te fará ser lembrado à próxima vez que precisarem de alguém que tenha estudado o mesmo que você.
  • Uma pergunta poderosa que recomendo é:
  • Se eu fosse meu chefe, eu me chamaria para um novo trabalho que possui como requisito básico a maneira que me relaciono com as pessoas?
  • Todas essas dicas são o processo que eu realizei comigo enquanto estava perdido e sem saber o que fazer da minha vida.
  • Saber nossos talentos e aprimora-los é com certeza um bom caminho para seguirmos enquanto nos relacionamos com todos os outros colegas de trabalho.
  • Existe uma frase do Chico Xavier que foi muito impactante quando a li.

Nosso trabalho é a maneira que Deus escolheu para que pudéssemos aprender a nos relacionar em situações adversas.

Dica Número 4 – Autoconhecimento

  1. Caso ainda tenha dificuldade em realizar essas dicas, vou compartilhar uma outra possibilidade.
  2. Essa possibilidade requer maturidade e a predisposição em entender que as pessoas que eu escolher estão apenas querendo nos ajudar.
  3. Caso se sinta confortável e com um alto nível de maturidade.

  4. Mande uma mensagem para aqueles que você mais tem contato e peça para listar 3 pontos positivos em relação a seus comportamentos e 3 pontos de melhoria.
  5. Todas respostas serão como pontos de luz que irão iluminar um caminho de possibilidades quando não sabemos o que fazer.

  6. Com o resultado dessas 3 dicas e a possibilidade da lista das pessoas que você mais tem contato, você irá ter mais clareza na próxima vez que não souber o que fazer.

Fez-me muito sentido eu dedicar meus esforços acadêmicos que estão relacionados aos meus talentos e a encontrar maneiras para me aprimorar enquanto ser humano. Dessa maneira aproximamos ainda mais nossa vida profissional da pessoal.

Caso também queira ir ainda mais profundo, recomendo um outro artigo meu:

Como Se Encontrar na Vida: Ligue o Seu Waze Interno!

  • Você conhece alguma outra dica para sabermos quais são nossos talentos?
  • Deixe seu comentário, faça seu melhor.
  • Talvez alguém precise exatamente daquilo que só você sabe oferecer.
  • Como Descobrir O Que Fazer Da Vida?

o privilégio de não saber o que fazer da vida

Existe uma pressão tão grande para encontrarmos logo o que queremos fazer pro resto da vida que parece errado fazer as coisas só pelo prazer de fazer, de tentar, de curtir. Que medo é esse de perder tempo se estamos ganhando tanto por outro lado?

Por uma vida com menos objetivos e mais descobertas.

Como Descobrir O Que Fazer Da Vida?

Eu sei que não saber o que fazer da vida pode ser muito angustiante. Somos impactados por tantas histórias de pessoas que juntaram profissão com o propósito de vida e foram viver felizes para sempre que parece obrigação encontrar a nossa vocação e arriscar tudo por pela.

A questão é que eu vejo muita gente sem ideia do que fazer da vida, mesmo já sabendo o que faz seus olhos brilharem. E vejo outras que gostam de tantas, mas tantas coisas ao mesmo tempo que não querem se dedicar a uma coisa só.

São pessoas do mundo, que preferem arrecadar experiências e histórias pra contar, preferem se dedicar a projetos pessoais, aprender, descobrir, viajar, amar.

Inclusive, essas são as pessoas mais interessantes que eu conheço, porque elas olham pro mundo com vontade de absorver tudo que ele tem para nos oferecer.

E eu sinto que existe uma pressão tão grande para encontrarmos logo o que queremos fazer pro resto da vida que parece errado fazer as coisas só pelo prazer de fazer, de tentar, de curtir.

Que medo é esse de perder tempo se estamos ganhando tanto por outro lado? Afinal, que obsessão é essa pela sucesso? Por que sentimos obrigação de ser o melhor em tudo que fazemos? Para mim, para obter sucesso em alguma coisa é preciso apenas concluí-la com prazer, nada mais.

Temos que ter em mente onde queremos estar daqui a 5 anos, mas nunca tivemos tanta oportunidade de fazer o que queremos. É um paradoxo. E fica difícil mesmo escolher um caminho só, traçar metas e alcançá-lo, porque escolher uma coisa, significa abdicar de todas as coisas.

E se você tiver certeza do que quer, beleza. Vai fundo, porque vai valer a pena abrir mão de todas as outras coisas.

Leia também:  Como Se Chama A Rapariga Que Ico Tem De Proteger Em Ico Para A Ps2?

Mas se você não tem tanta certeza assim, qual é o problema de aproveitar a vida com toda a intensidade, tentando viver tudo ao mesmo tempo, sem um objetivo?

Existem tantas formas de ser feliz e encontrar o propósito em coisas que a gente nem imagina. Às vezes o seu propósito é viajar mesmo, conhecer lugares e pessoas novas. Não é o que você mais gosta de fazer? Às vezes é tocar violão na sala, apresentar uma peça num pocket show.

Às vezes não tem nada a ver com arte. Sua parada pode ser resolver problemas, ajudar pessoas a se desenvolverem, estudar, ensinar, conectar, empreender.

E, vem cá, será que você precisa mesmo transformar essa paixão em profissão? Enquanto não tem dinheiro envolvido, ninguém pode te dizer como fazer.

E tudo bem também se sua vocação e propósito mudam de tempos em tempos, afinal, como disse o Guimarães Rosa no livro Grande Sertão: Veredas – “O importante e bonito do mundo é isso: que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas, mas que elas vão sempre mudando. Afinam e desafinam.”

Pensando nisso, cheguei a conclusão de que quem não sabe o que fazer da vida tem o privilégio de não precisar viver com um objetivo e não há nenhuma inércia nisso, mas sim muito movimento. Você pode se dedicar a fazer uma coisa nova todos os dias.

Pode encontrar talentos e vontades escondidos, pode descobrir o propósito na própria descoberta, sem medo do fracasso e sem o peso de obter êxito. E é assim que você vai descobrir que as coisas que fazemos sem expectativas, imersos no processo, são as mais verdadeiras.

São as que realmente valem a pena.

8 passos para descobrir o que você quer fazer da vida

Corra atrás dos seus sonhos. Siga o seu próprio caminho. Faça o que você ama. Quantas vezes você já ouviu ou leu coisas assim? São ideias maravilhosas, mas não significam nada se você ainda não definiu os seus sonhos, não sabe o que quer fazer da vida, não encontrou o seu caminho ou não sabe ao certo o que você realmente ama.

Atrever-se a ter os seus próprios sonhos, a traçar o seu próprio caminho e a determinar o que você realmente ama é o primeiro passo. Mas a maioria das pessoas não sabe qual é a sua verdadeira paixão. E não dá pra você ir atrás de um sonho se você não sabe qual é.

Em muitos lugares você vai ler que para alcançar as suas metas é preciso disciplina, concentração e compromisso. Mas o problema é muito mais simples. Porque mesmo que seja difícil admiti-lo, a maioria das pessoas não triunfa na vida simplesmente porque não sabe o que fazer com ela.

A solução para ter uma vida de sucesso começa por determinar qual é a verdadeira paixão que lhe move. Como fazer isso? Você vai encontrar a resposta a seguir.

#1 – Desenvolva uma visão da sua vida para os próximos 5 anos

Seja qual for a sua situação, imagine que todos os seus sonhos tenham se tornado realidade nos últimos anos. Pegue lápis e papel ou abra um documento de texto no seu computador e escreva tudo o que lhe vier à cabeça com relação a como seria essa vida.

Escreva durante 10 minutos (use um timer) sobre aspectos como que horas você deverá acordar, quanto dinheiro deverá ganhar, como será o seu trabalho, com que tipo de gente você se relacionará, como será a sua casa, que carro você terá, o que irá comer, que tipo de vida irá levar e como você se sentirá.

Lembrando que não é um exercício sobre como você está agora, e sim sobre como você estaria se nos últimos anos os seus sonhos tivessem se tornado realidade.

#2 – Leia livros de autoajuda, tome nota e aplique as coisas importantes

A leitura de um bom livro de autoajuda é incrivelmente poderosa, sempre que você for capaz de adotar e colocar em prática as ideias encontradas nesse livro. Apenas ler não vai mudar nada para você se não aplicar os conselhos que encontrar ali.

De fato, também não vai servir de nada comprar o livro e deixá-lo sobre uma mesa esperando que algo aconteça. Isto que acabo de dizer parece ridículo? Você ficaria surpreso em saber da quantidade de gente que compra este tipo de livro e a única coisa que faz é ler a capa. Se um título é inspirador, imagine o que você poderá encontrar dentro dele.

#3 – Participe de atividades de voluntariado

Participar em trabalhos voluntários irá lhe permitir conhecer pessoas interessantes, motivadas e positivas. Além disso, ajudará você a descobrir em si mesmo aspectos que talvez não conhecia, e a encontrar sentido em coisas que antes você sequer havia pensado.

#4 – Comece essa paixão que já faz tempo que você deseja praticar

Com certeza, todos já quisemos fazer algo alguma vez, mas nem todos tivemos a coragem de fazê-lo. Os motivos podem ser vários, desde o clássico “não tenho tempo” ao “o que vão dizer” ou o “como eu vou fazer isto a esta altura da vida”.

Não demore mais e comece a fazê-lo hoje.  Se você se sente atraído por isso, é por alguma razão. Deixe de negar a si mesmo o direito de fazê-lo e comece já.

#5 – Siga um blog inspirador e tome uma atitude

Identifique um blog que você goste e que o inspire. Que tal AMenteEMaravilhosa.com? A seguir, leia vários artigos cujo título lhe inspire. Deixe-se levar pelas mensagens que lhe aparecerem na página principal e leia aquelas que chamem a sua atenção.

Depois de ler, anote as ideias que mais gostou e tome uma atitude. Se você se sente atraído por estes conteúdos, é por alguma razão. Você irá descobrir muitas coisas sobre si mesmo com este exercício.

#6 – Responda a pergunta “o que eu quero fazer”

Atreva-se a responder a esta pergunta, sem limites: O que eu quero fazer da minha vida. E não se reprima. Não se desculpe. Não valem respostas do tipo “eu gostaria de fazer isto mas não posso porque…”.

#7 – Identifique os seus medos

O que lhe assusta? Atreva-se a reconhecê-lo. Quando enfrentamos os nossos medos descobrimos coisas muito interessantes sobre a nossa personalidade. E, surpreendentemente, isto provoca em nós um grande sentimento de autoconfiança, a mesma que se produz quando você se atreve a contá-lo a um amigo.

Além disso, identificar esses medos também irá ajudá-lo a encontrar a sua razão de ser. É o primeiro passo para superar esses limites autoimpostos que nos intimidam.

#8 – Pense no que lhe acontece como uma forma de aprender

Seja o que for que lhe aconteça, bom ou ruim, sempre pense no que você pode tirar de lição disso e no que a forma como você enfrentou a situação diz sobre você mesmo.

Se você é capaz de aprender coisas em cada situação, cada vez terá mais clareza em relação ao que quer fazer da vida.

6 coisas para fazer quando você não sabe o que fazer da vida

Quem nunca chegou naquela fase da vida em que não sabe o que fazer? Todo mundo passa por essa fase em algum momento. Isso pode estar relacionado à carreira, ao relacionamento, à vida como um todo. Mas é impossível que alguém não passe por um desafio.

Mesmo que você esteja pensando que as pessoas que tem muito dinheiro não passam por perrengues deste tipo, acredite: ninguém está isento.

Em primeiro lugar, lembre-se que ser humano é também sinônimo de imperfeição. Vivemos cercadas de dúvidas, muitas vezes atormentadas com tantas incertezas. No entanto acredito que isso faz com que o ser humano seja tão belo, pois é justamente nessa bagunça que nos reinventamos, resgatamos nosso melhor e criamos algo extraordinário.

Mas afinal, o que fazer quando você não sabe o que fazer?

1. Você merece mais do que sobreviver!

Esse sentimento de não saber o que fazer normalmente surge quando estamos sobrecarregadas. Muitas decisões por tomar no dia a dia acabam tirando o foco daquilo que realmente é importante.

Nesse sentido, comece pensando que você merece mais do que apenas sobreviver. Então, pare para analisar sua rotina, seus hábitos e veja se seu piloto automático está ligado.

Faça pequenas pausas e mude pequenos hábitos que a princípio parecem ser simples, mas tem um grande impacto. Por exemplo: quando foi a última vez que andou por seu bairro e reparou o que tem nele?

2. Fique feliz pelo seu fracasso. Você não “tem que” o tempo todo

Sempre ouvi dizer que fracassar é algo ruim. Como se fôssemos obrigadas a ser bem sucedida em tudo. Tem que bater a meta do mês, tem que ter o relacionamento perfeito, tem que estar sempre sorrindo.

Leia também:  Como Saber O Que Gosto De Fazer Profissionalmente?

Esse mal do “tem que” te afasta da sua autenticidade e te impede de enxergar felicidade até quando as coisas não dão tão certo como gostaria. Isso acontece pois falhar sempre foi visto como se você estivesse atrás na corrida da vida.

Mas viver não é uma maratona e sim uma jornada. Não tem prêmio para quem chegar primeiro. Então se permita falhar, isso apenas significa que você precisa mudar a maneira como tem feito as coisas.

3. Tenha clareza do que você não quer

Continue lendo aqui: 6 coisas para fazer quando você não sabe o que fazer da vida

Texto escrito por Nathalia Reis e publicado no Superela

Veja também: Autoconfiança profissional: como mantê-la em época de crise

Como descobrir o que fazer da vida

23 de março de 2018 • 10h42 • atualizada 23 de março de 2018

Quem nunca ficou em dúvida na hora de escolher o que fazer no futuro? Traçar uma carreira, entrar no curso certo e achar um emprego que combine com a gente são algumas das preocupações mais comuns entre os jovens. A SOS sabe como isso funciona e vai te dar uma mãozinha para que você saiba escolher melhor o caminho. Confira:

Analise seus hobbies

Você já se perguntou sobre as atividades que mais gosta de fazer? Pode ser se dedicar a algum instrumento musical, construir coisas, manipular fotos no Photoshop ou até, quem sabe, estudar! Muitas coisas podem se tornar uma carreira.

Trabalhar com o que gostamos é essencial para nos sentirmos mais realizados e felizes. É por isso que você deve prestar atenção nos assuntos que mais te despertam interesse. A partir disso, busque por cursos e empregos próximos disso e dificilmente você irá errar.

Tente não ficar ansioso

Todo mundo passa pela mesma confusão na hora de traçar um rumo para o futuro. É praticamente inevitável ficar ansioso com o que está por vir, afinal, entramos em contato com várias informações sobre o assunto e algumas conversas podem acabar nos desanimando.

O segredo é manter a calma e se lembrar das coisas de que você gosta! Não leve os comentários sobre profissões tão a sério; algumas pessoas podem ter experiências negativas com determinadas áreas, mas isso não quer dizer que o mesmo acontecerá com você.

Projete-se no futuro

Depois de pensar bastante sobre as coisas que você mais gosta de fazer, chegou a hora de imaginar seu futuro. Como você se enxerga daqui a 10 ou 20 anos? O que você mais valoriza na sua vida pessoal e profissional?

Responder a essas perguntas é essencial, pois são diretamente relacioandas a características de áreas específicas.

Alguém que não gosta muito de escritórios talvez não se sinta tão à vontade trabalhando com direito, por exemplo.

E uma pessoa que prefere uma vida com rotinas definidas talvez tenha dificuldades em uma profissão que exija muita flexibilidade. Tire um tempinho para pensar sobre essas coisas.

Insira-se nas áreas de que você mais gosta

Cursos profissionalizantes são uma ótima oportunidade de experimentar um pouquinho das áreas com as quais você mais se identifica. Além de interagir diretamente com os objetos de estudo dos campos que mais te interessam, você ainda tem a oportunidade de conversar com pessoas que já estão inseridas no mercado de trabalho.

Agora que você já sabe o que fazer, é só respirar fundo e analisar tudo com calma. Boa sorte!

Venha para a SOS!

A SOS tem vários cursos feitos para que você consiga ainda mais destaque no mercado de trabalho. Cadastre-se e receba um desconto especial na matrícula!

COMENTÁRIOSSeja o primeiro a deixar um comentário

Como Descobrir o que Quer da Vida

Baixe em PDF
Baixe em PDF

Nos dias atuais, não é incomum que alguém se sinta sobrecarregado por todas as expectativas culturais da sociedade.

Muitas pessoas levam uma vida tão atribulada pelas pequenas obrigações que acabam esquecendo-se das verdadeiras prioridades.

Realize uma reflexão profunda sobre seus desejos verdadeiros para decidir o que espera da vida e, dessa forma, obter a liberdade necessária para realizar mudanças no cotidiano e viver de acordo com seus maiores desejos de felicidade e bem-estar.

  1. 1

    Visualize a melhor versão de si mesmo.[1]
    Quais são suas qualidades mais importantes? Compreender os presentes únicos que temos a oferecer ao mundo nos ajuda a descobrir qual direção queremos tomar na vida. Tome algumas horas para refletir profundamente sobre as coisas que o tornam especial.

    • Passar algum tempo em um ambiente onde possa ser você mesmo é uma boa forma de identificar aquilo que o torna único. Vá para seu lugar favorito no meio da natureza, ou passe o tempo na companhia de pessoas que o compreendam. Quais qualidades vêm à tona quando você pode ser quem realmente é?
    • Outra prática útil é perguntar quais qualidades os outros enxergam em você, já que, às vezes, temos dificuldade para enxergar nossos próprios pontos fortes.
  2. 2

    Elabore uma lista de prioridades.[2]
    Passe algum tempo pensando nas suas prioridades, sem se preocupar com as obrigações atuais. Pense nos momentos mais felizes de sua vida e dê prioridade às áreas que proporcionem momentos assim.

    Lembre-se de que você não precisa pensar no que é possível e no que não é, apenas naquilo que o faz feliz. Reflita sobre o que é importante, e não sobre as estratégias para alcançar tais coisas. Elabore uma lista concisa — não inclua mais de cinco itens.

    Faça as seguintes perguntas para si mesmo para conseguir identificar suas prioridades:

    • Como gostaria de viver a vida?
    • Quer ser alguém saudável e animado?
    • Deseja cultivar vínculos profundos com as pessoas em sua vida?
    • O que você terá orgulho de dizer sobre si mesmo daqui há dez anos?
  3. 3

    Crie uma programação diária.[3]
    Como é um dia completamente normal? Uma agenda diária que inclua não apenas o que queremos para nós mesmos, mas também o que realmente fazemos, nos ajudará a identificar quais estratégias utilizamos “atualmente” para alcançar cada prioridade.

    • Com a programação diária em mente, verifique se as atividades do cotidiano refletem suas prioridades. Você consegue traçar conexões entre as coisas que valoriza e aquelas que precisa fazer todos os dias? Por exemplo, uma pessoa que toma um café da manhã nutritivo poderia conectar a atividade à prioridade de cuidar da saúde do corpo e da mente. Caso não consiga enxergar conexões entre a forma como passa o tempo e suas principais prioridades, você precisará realizar uma grande reformulação na agenda.
  4. 4

    Faça a distinção entre o que é urgente e o que é importante. Analisando novamente a agenda diária, separe todas as atividades entre duas categorias: urgente e importante. Tudo o que fazemos tem algum tipo de significado, do contrário não faríamos tal coisa.

    [4]
    Observe quais atividades são urgentes, ou seja, quais são as coisas que você faz porque se sente pressionado e quer evitar as consequências de não fazê-las.

    Depois, pense nas atividades que são importantes, ou seja, nas atividades que são intrinsicamente agradáveis porque estão alinhadas com suas prioridades (mesmo que de forma mais discreta).

    • Por exemplo, talvez você não saiba ao certo como classificar um telefonema para sua mãe. Pergunte a si mesmo se você telefona por culpa ou medo de magoar sua mãe, ou se conversa frequentemente com ela porque prioriza a família e fica feliz com tal oportunidade de conexão. Na primeira hipótese, a atividade é urgente; na segunda, ela é importante.
  5. 5

    Elabore uma lista com seus deveres e obrigações. Não pense apenas nas obrigações consideradas cruciais, como pagar o aluguel e ir ao supermercado, lembre-se também das coisas que sentimos que devemos ao próximo.

    Quais são as coisas que você precisa fazer, por vergonha ou por medo de ser castigado? Embora tais atividades não vão desaparecer por completo, reconhecer o que fazemos por medo aguçará nossa capacidade de identificar se estamos agindo em função de uma prioridade ou devido ao medo, senso de urgência ou obrigação.

    • Aos poucos, você aprenderá a tomar decisões diferentes sobre o que precisa ser feito (e quando). Dessa vez, dará prioridade ao que importa em vez de simplesmente agir por medo das consequências.
    • Comece a prestar atenção nas obrigações que podem ser modificadas, divididas ou delegadas para abrir espaço para valores e prioridades. Uma tia, amigo ou colega de trabalho pode ajudá-lo com parte da tarefa? Ou a tarefa é responsabilidade de outra pessoa? Nesse caso, permita que ela seja responsável e faça o que precisa ser feito.
  6. 6

    Reflita sobre os relacionamentos. Para viver sem se sentir sobrecarregado ou confuso em relação às próprias prioridades, você precisará cercar-se de pessoas com quem se sinta confortável o bastante para ser alguém criativo e autoconfiante.

    Na próxima vez em que sair com os amigos, preste atenção nas pessoas que o deixam animado e naquelas que transformam a conversa em uma obrigação.

    Sua intuição vai mostrar quais presenças enriquecem sua vida, e você conseguirá passar mais tempo se sentindo revigorado, em vez de sentir que deve alguma coisa para os outros.

    • Responda às seguintes perguntas com sinceridade: “Na companhia de quem me sinto inferior? Na companhia de quem sinto que minhas contribuições não são boas o bastante?”. Talvez você se surpreenda (e fique abalado) ao descobrir que se anula e reprime sentimentos verdadeiros quando está ao lado de certas pessoas que ama.
  1. 1

    Esteja aberto às conversas difíceis. A vida é repleta de outras pessoas com quem precisamos trabalhar e dialogar, e muitas delas têm estilos de vida e prioridades diferentes das nossas.

    Você já quis ter uma certa conversa, mas desistiu por medo da reação do outro? Sem fazer julgamentos ou acusações, converse sobre as diferenças de vocês dois.[5]
    Depois, reflita sobre formas de seguir em frente com todas essas diferenças em mente.

    De vez em quando, soluções simples poderão acabar com os sentimentos de frustração e insatisfação da vida cotidiana.

    • Por exemplo, talvez um colega de trabalho sempre peça que você faça a tarefa que mais detesta, como preencher formulários. Conversando calmamente sobre o quanto tal atividade o aborrece, vocês poderiam encontrar uma forma de dividir o fardo, ou talvez ele nem se importe de assumir a tarefa completamente. Independentemente da solução, você se sentirá fortalecido por ter conseguido chegar a um acordo que proporcionará mais tempo para as tarefas que gosta de fazer.
  2. 2

    Passe um tempo consigo mesmo.[6]
    Faça questão de refletir regularmente sobre si mesmo e suas prioridades.

    Imagine que esteja saindo com um amigo querido com quem possa desabafar sobre as incertezas e dúvidas mais profundas em relação ao rumo de sua vida. Agora, imagine que esse amigo é você.

    Caso seja tão gentil e compreensivo consigo mesmo quanto um bom amigo seria, você se sentirá mais compreendido do que se sentiria na companhia de qualquer outra pessoa.

    • Quanto mais tempo passar consigo mesmo, melhor. Sempre que possível, passe algum tempo a sós no jardim ou em um parque da cidade. Dessa forma, você não pensará tanto nas coisas que precisa fazer, e sim na beleza do mundo ao redor, parando para apreciá-la.
  3. 3

    Transforme os pensamentos negativos em palavras de incentivo.[7]
    Muitas pessoas passam o dia pensando coisas como “Não consigo fazer isto” ou “Não sou bom o bastante”, sem sequer tomarem consciência de tais pensamentos. Sempre que se pegar pensando ou fazendo julgamentos negativos sobre si mesmo, rebata-os com uma afirmação sobre o que você é capaz de fazer.

    • Por exemplo, talvez seu professor tenha passado uma dissertação com um tópico longo e confuso. Uma vozinha dentro da sua mente pode dizer que você não vai conseguir terminar o trabalho de jeito nenhum, já que está atrasado demais na matéria. Responda dizendo que sabe trabalhar muito bem sob pressão, ou que é um ótimo escritor, independentemente do assunto.
  4. 4

    Aprenda a aceitar o passado.[8]
    Organizar as prioridades da vida é impossível quando estamos presos a arrependimentos e ressentimentos do passado. Tente fazer as pazes com pessoas que representem grandes conflitos que nunca tenham sido solucionados em sua vida.

    Poderia ser um familiar que você não vê há anos, ou um amigo com quem nunca mais tenha conversado depois de uma briga.

    Você não terá a energia necessária para mudar se estiver cheio de raiva por causa de uma separação, ou decepcionado consigo mesmo por não ter recebido a promoção com que tanto sonhou.

    • Você não precisa ter um longa conversa sobre o que aconteceu quando estiver fazendo as pazes com alguém — o importante é mostrar que reconhece a existência de questões mal resolvidas e que pretende seguir em frente e deixar o que passou para trás, com respeito pela pessoa e gratidão pelas lições proporcionadas pela experiência que viveram juntos. Escrever um e-mail curto poderá ajudá-lo a perceber o quanto exagerou uma situação em sua mente, e revisitar questões mal resolvidas do passado vai ajudá-lo a sentir paz de espírito.
  1. 1

    Comece todos os dias criando uma lista de tarefas.[9]
    As listas são uma ótima forma de acabar com os sentimentos de confusão e atribulação. Elas também ajudam a controlar o estresse, já que conseguimos visualizar todas as coisas que realmente precisamos fazer em um determinado dia.

    Usando a lista como um ponto de partida, você começará a perceber que tem muito espaço para reorganizar as atividades diárias.

    Depois de conferir a lista de tarefas, organize cada item dando prioridade aos que são importantes e trazem felicidade, em vez de começar pelas coisas que normalmente seriam consideradas urgentes.

    • Por exemplo, talvez você precise pagar uma conta que vence em dois dias, mas também tenha incluído um passeio pelo bairro na lista de tarefas. Parece óbvio que pagar a conta vai aliviar os níveis de estresse, já que é uma obrigação que pode ser resolvida imediatamente. No entanto, como hoje não é a data do vencimento, você poderia deixar para pagar a conta daqui a dois dias, quando ela realmente deve ser paga, já que a necessidade de se movimentar e respirar um pouco de ar puro é mais importante para sua felicidade atual.
  2. 2

    Limpe como se fosse primavera.[10]
    Um ambiente limpo e organizado, tanto em casa quanto no trabalho, tem um efeito gigantesco sobre o quanto no sentimos capazes de completar as tarefas diárias.

    Limpe cada canto da casa e não hesite em jogar objetos quebrados no lixo, ou em doar coisas que não sejam necessárias. Recicle papéis e recibos antigos que estejam entupindo as gavetas, e faça o mesmo com seu espaço virtual: apague os e-mails, notas e contatos antigos que só fazem bagunça nas pastas do computador.

    A faxina propiciará um senso de renovação e vai deixá-lo aberto para receber objetos novos e diferentes.

  3. 3

    Regule seu sono. Estudos demonstram que algumas noites mal dormidas são suficientes para que muitas pessoas fiquem de mau humor e tenham mais dificuldade para controlar as emoções negativas.[11]
    Dormindo mal, você estará menos inspirado para fazer coisas que seriam consideradas prioridade.

  4. 4

    Encontre uma dieta que funcione para você. Reorganizar a vida também pode significar uma revisão da alimentação e da forma como os hábitos alimentares influenciam o dia a dia.

    A menos que sua prioridade seja refinar as habilidades culinárias, procure desenvolver hábitos saudáveis para comprar e preparar os alimentos.

    Não dê chance para o estresse na hora de decidir o que (e quando) comer.

    • Crie uma lista de itens básicos para ter sempre por perto, dessa forma, você sempre poderá preparar um refeição rápida ou um lanchinho nutritivo quando estiver com fome. Com muitas opções à mão, você evitará comer muito pouco ou em excesso, consequências e agravantes comuns do estresse.
  5. 5

    Pratique atividades físicas para purificar a energia nervosa.

    O exercício físico provoca a liberação de endorfinas, adrenalina e outras substâncias químicas no cérebro, que aliviam a tensão em excesso e estimulam o humor.

    [12]
    Pesquisas comprovam que todos os tipos de movimento podem regular as funções corporais e aumentar o bem-estar emocional. A yoga, a musculação e os exercícios cardiovasculares são ótimas opções.[13]

    • Não adote uma rotina de exercícios grande demais a ponto de atrapalhar suas prioridades. O objetivo aqui é ser mais capaz de viver a vida que queremos viver, e não ficar sobrecarregado com mais uma obrigação. Por exemplo: se a musculação não é uma prioridade em sua vida, opte por caminhadas rápidas.
  6. 6

    Fique de olho nos maus hábitos. Você bebe, fuma ou assiste à televisão com frequência? O problema não é o hábito em si, mas a forma como ele é colocado em prática pode esclarecer como realmente estamos usando o tempo.

    Tornando-se consciente do papel dos maus hábitos na sua vida — e lembrando que tais papéis mudam com frequência — você poderá aprender a praticar tais atividades de forma mais responsável, sem precisar eliminá-las de vez da rotina.

    Por exemplo, na próxima vez em que sair para beber, pergunte-se: “Isso me ajuda a alcançar alguma prioridade?”.

    • A resposta não será necessariamente “não” — talvez você esteja tomando uma taça de vinho com amigos e familiares, e valorize a companhia deles. Por outro lado, talvez a bebida encubra suas prioridades ou o ajude a procrastinar uma tarefa.
  1. ↑ https://www.psychologytoday.com/blog/the-new-you/201504/the-psychology-spring-cleaning
  2. ↑ Baum, K. T., Desai, A., Field, J., Miller, L. E., Rausch, J. and Beebe, D. W. (2014), Sleep restriction worsens mood and emotion regulation in adolescents. Journal of Child Psychology and Psychiatry, 55: 180–190.
  3. ↑ http://www.nhs.uk/conditions/stress-anxiety-depression/pages/run-to-boost-mood.aspx
  4. ↑ http://www.dartmouth.edu/~eap/Healthy%20Exchange%20PDFSummer%2008.pdf

Coescrito por :

Coach de Vida Certificada

Este artigo foi coescrito por Tracey Rogers, MA. Tracey L. Rogers é uma Coach de Vida e Astróloga que vive em Washington, DC. Tracey tem mais de 10 anos de experiência no ramo. O trabalho dela já foi destaque em várias estações de rádio e em plataformas online, como Oprah.com. Certificou-se pela Life Purpose Institute e formou-se em Educação Internacional pela The George Washington University. Este artigo foi visualizado 19 440 vezes.

Categorias: Desenvolvimento Pessoal

Esta página foi acessada 19 440 vezes.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*