Como Deixar Ir Alguem Que Amamos?

Como Deixar Ir Alguem Que Amamos?

Deixar ir – a pessoa que ainda amamos, ainda que não nos ame, o emprego que nos dá estabilidade mas onde já não fazemos falta ou os lugares onde fomos felizes mas onde (já) não cabem todos os sonhos – é dificílimo mas é essencial para uma vida plena e feliz.

Perdi a conta ao número de vezes que alguém me disse que estava a ser difícil lidar com o fim de uma relação, apesar de a rutura ser uma escolha consciente, normalmente fruto de más experiências.

Como Deixar Ir Alguem Que Amamos?

Para que a tristeza desse lugar ao discernimento e à tranquilidade e para que pudéssemos voltar a ser felizes rapidamente. Mas isso está muito longe do que acontece na realidade.

Quando nos apegamos a alguém, há uma parte de nós, da nossa identidade e dos nossos sonhos, que fica associada àquela pessoa.

Não deixamos de gostar da noite para o dia nem conseguimos que a nossa mente apague as memórias e os sonhos que ficaram por concretizar.

Fugir dos pensamentos que nos ligam àquela pessoa também parece uma tarefa difícil: quanto mais tentamos não pensar nisso, mais somos invadidos por uma chuva de pensamentos que nos lembram que não podemos controlar tudo.

É fácil inundarmo-nos de ruminações que só nos põem para baixo: «Porquê que ele(a) fez isto?», «Se eu não tivesse feito aquela escolha…», «Se eu tivesse prestado mais atenção…» e por aí fora… Sem darmos por isso estamos a alimentar a tristeza e os sentimentos de culpa e sentimo-nos cada vez mais presos ao passado e àquilo que deixou de ser a nossa realidade.

Como Deixar Ir Alguem Que Amamos?

Como é que isto se faz?

Como é que deixamos ir aquilo que (já) não é para nós?

Parece um paradoxo mas é a mais pura verdade: sentimo-nos infinitamente mais tristes quando tentamos fugir deste sentimento. Quando há uma perda ou uma desilusão, há tristeza e ela precisa de ser sentida.

Não vale a pena ter pressa, querer que passe num instante. Se antes houve apego, interesse, investimento afetivo, agora é preciso tempo para fazer o luto.

É um sinal de respeito por si e pelo tempo que dedicou àquela pessoa, àquele projeto ou àquele sonho.

Uma coisa é dar por si a recordar momentos felizes e permitir que a tristeza se instale. Outra, bem diferente, é inundar-se de perguntas e «E ses» que só o(a) desgastarão. Quando reparar no facto de estar a ruminar, pare e tente prestar atenção ao momento presente. Foque a sua atenção no que quer que esteja a acontecer nesse instante.

Como Deixar Ir Alguem Que Amamos?

Os exercícios de meditação em modo mindfulness podem ajudar a treinar a sua mente neste sentido.

Ouço muitas vezes frases como «Eu
não tenho jeito para meditar»
ou «Eu não consigo meditar», que
traduzem sobretudo desconhecimento e algumas ideias feitas sobre esta
ferramenta terapêutica.

A verdade é que a meditação mindfulness não tem nada de
esotérico ou religioso e também não requer propriamente esforço ou alguma capacidade
especial.

Para meditar, basta que tiremos alguns minutos por dia (todos os
dias) e que observemos o momento presente.

Partilho aqui uma meditação
guiada, com a duração de 10 minutos, que pode fazer toda a diferença para quem
procura acalmar a mente e eliminar os pensamentos negativos:

Lembro que é a prática regular
que traz frutos. Da mesma maneira que precisamos de ir ao ginásio com
regularidade para desenvolver os nossos músculos, é crucial que nos
disciplinemos para trabalhar o “músculo” do cérebro.

Como está a sua vida neste momento? Como estão as pessoas à sua volta? Quais são os seus sonhos hoje? O que é que você pode fazer hoje para se sentir mais em paz? Que escolhas estão ao seu alcance? Quais são os passos que o podem ajudar a lidar com aquilo por que está a passar?

Aceitar uma realidade difícil não é baixar os braços e permitir que só haja tristeza. Pode não ser fácil encontrar motivação para desviar a atenção do passado mas a disciplina de se focar no momento presente com uma postura de abertura e curiosidade trar-lhe-á a perceção de que nenhuma perda representa o fim de todos os seus sonhos.

Quando nos envolvemos com uma pessoa, seja romanticamente, seja em contexto profissional ou outro, esperamos que seja capaz de vir ao encontro daquilo de que precisamos. Esperamos que dê o seu melhor e, mesmo que falhe, torcemos para que se mantenha atenta aos nossos sentimentos. Mas isso nem sempre acontece. 

Como Deixar Ir Alguem Que Amamos?

Não significa que nos queiram mal ou que tenham a intenção de nos magoar. Pode pura e simplesmente não ser o momento. Pode não ter havido o crescimento necessário.

Ou podem ter surgido sentimentos diferentes daqueles que havia no início.

Não controlamos tudo o que acontece na nossa vida e a capacidade de respeitar os sentimentos e as escolhas das outras pessoas ajudar-nos-á a amadurecer e a desdramatizar.

À medida que o tempo for passando e for capaz de prestar atenção a todos os seus sentimentos, o mais provável é que consiga dar-se conta de que não só é muito mais forte do que pensava como é capaz de continuar a sonhar, apesar da mágoa. Este processo de aceitação, que implica que diga a si mesmo(a) que vai ficar tudo bem, trar-lhe-á paz e maturidade.As pessoas mais maduras e serenas que conheço não estão sempre bem e já viveram perdas, desilusões e períodos de muita aflição. Não é a inexistência de obstáculos ou de acontecimentos difíceis que caracteriza uma vida plena. É a capacidade de aprender com tudo isso e continuar a sonhar.

É preciso deixar ir o que dói, ainda que seja difícil

Como Deixar Ir Alguem Que Amamos?

O tempo me fez entender que deixar ir não é desistir, não é um ato de fraqueza, mas sim de força e crescimento: porque ainda que me doa deixá-lo ir, compreendo que há coisas que simplesmente não estão destinadas a ser.

Ao longo do caminho de nossa vida deixamos muitas coisas pra trás, deixamos lugares, situações, costumes e inclusive pessoas no passado. O dia de hoje é tudo o que sobrou ontem, o que você deixou no seu ontem para formar o seu presente, ainda que isso tenha implicado bastante sofrimento.

Deixar ir, na realidade, é parte da roda da vida, aquela na qual cada passo que damos adiante serve para deixarmos pra trás o que não pode mais ocupar nosso presente, o que nos machuca ou o que acaba enferrujando as engrenagens da nossa felicidade.

Assumir que viver é muitas vezes cortar vínculos e ficar com as mãos vazias, perder o que em algum momento nos trouxe muitas alegrias e esperanças, é algo muito difícil e doloroso. Quanto antes assumirmos, no entanto, mais preparados estaremos para superar esses momentos, essas encruzilhadas de caminhos em que olhar para trás é apenas se apegar ao que não pode mais ser.

Viver nostalgias pontuais é enriquecedor e inspirador, mas reviver de forma perpétua as recordações e as coisas que já deixamos ir e estão no passado, longe de permitir o crescimento, na verdade encalha e impede o caminho, como pedras que uma vez ou outra causam dor e sofrimento.

Liberte-se, avance e assuma o vivido como quem conserva um tesouro precioso: enriqueça por dentro e reflita para tomar o caminho mais indicado, aquele por onde se abrem oportunidades de equilíbrio.

Deixar ir certas coisas para que outras melhores cheguem a nós

Em algumas ocasiões o que deixamos ir já foi algo em que confiamos em certo momento, e que em muitos casos nos fez feliz. Alegrias, amor e esperança de antes explicam a dor de depois, e também a dificuldade para compreender que é melhor se desprender da pessoa ou situação.

Até o que antes foi bom de repente pode deixar de fazer o bem, pode passar a trazer sofrimento, e até quem disse gostar de você pode deixá-lo ir dia a dia um pouco mais, como quem vai cada dia arrancando uma pétala da flor até deixá-la apenas com seus espinhos.

Na realidade não é fácil assumir isso que nos dizem tantas vezes, de que a vida é deixar-se levar, permitir-se fluir, sem resistência. Como conseguir isso? As pessoas precisam de segurança no dia a dia, e precisam também de alguém que seja conosco hoje do mesmo jeito que foi ontem.

•Deixar ir é um ato de valentia e autoconhecimento. É necessário saber perceber onde estão nossos limites e o que é aquilo que queremos de verdade para nós mesmos.

•Somos conscientes de que ninguém tem a felicidade garantida na palma da sua mão; temos o direito, no entanto, de entrelaçar nossos dedos em determinado momento em outra mão que nos enche de emoção e que, de algum modo, nos oferece bem-estar.

•Se esse companheiro ou companheira com quem entrelaçamos nossa mão acaba nos levando para o caminho da infelicidade, é necessário soltar para buscar nosso caminho. Isso deve ser feito ainda que exista o amor, porque, apesar do carinho e da paixão, nem todas as relações são sábias, nem todos os amores entendem a linguagem do respeito.

Uma boa autoestima e uma atitude forte que defenda nossa própria dignidade será sempre o que nos guiará para longe dessas situações, que nos ajudará a não nos imobilizarmos quando submetidos ao sofrimento. Porque amadurecer também é deixar ir quem não quer ficar.

Aprender a deixar ir nos traz felicidade

Quem se apega ao passado escraviza seus pensamentos, sua mente, seu coração e sua alma. O ontem não se pode apagar, nem editar, nem ao menos podemos esquecê-lo facilmente. Não podemos mudar as pessoas, nem obrigá-las a nos querer como nós desejamos… Há aspectos de nossa vida que para serem superados precisam, primeiro, ser aceitos.

Amar é também aprender a deixar ir, porque é quase sempre o amor que causa maior sofrimento. Só quando aceitarmos que algumas coisas não estão destinadas a ser nos permitiremos ser livres para encontrar novas felicidades.

Deixar ir é deixar vir, porque ninguém vive nesse mundo sabendo de tudo, nem trazendo consigo o manual das decisões perfeitas, aquelas que nunca acarretarão erros. Viver é provar, tocar, iniciar, arriscar-se e também enganar-se, e é aí que devemos saber os seguintes aspectos:

Leia também:  Como Saber De Quem E O Carro?

•Não fique bravo, não encha seu coração com a ira nem sua mente com o rancor. Deixar ir é uma arte que deve ser feita de forma pacífica e sem raiva, só então nos permitiremos ser livres, descobrindo que dia após dia a dor se faz muito menor.

•Para deixar ir o primeiro que deve ser feito é aprender a aceitar: aceita que toda experiência vale a pena porque é vida vivida, porque quem nega e esquece não assume, não cura e não aprende. É necessário aceitar o ocorrido e entender que deixar ir também é crescimento.

Algum dia tudo terá sentindo, a dor de agora, o caos e as incertezas por deixar ir o que antes nos definia. O amanhã nos trará coisas muito melhores porque, lembre sempre, tudo acontece por alguma razão.

Amar também é deixar ir …

  • Começo este artigo por partilhar um pouco de mim.
  • Sempre me senti uma pessoa apaixonada pela vida e sempre gostei de dedicar completamente o meu coração, a minha alma, a minha mente e a minha energia ao que me interessa e que gosto realmente.
  • Até ser exposta a situações de colapso em que eu colapsei também.
  • Acredito que seja uma história que muitos de nós partilhamos.

Fadiga mental e emocional é cada vez mais evidente nos dias de hoje.

Tenho acompanhado no meu dia-a-dia pacientes (ou melhor) pessoas maravilhosas com uma força, energia e paixão tremendas que passam a viver esta fase de exaustão durante meses e anos.

Grande parte das vezes, devido ao apego (não saudável) da sua felicidade a relações, trabalho, sonhos, ideias, objetos.

A vida gira em torno de ciclos de agarrar e deixar ir. Mas, por vezes, ficamos tão apegados que não conseguimos pensar claramente. Grande parte da nossa vida passa por construir ligações. Seja amores, amigos, familiares, objetos, lugares, ideias. Apegamo-nos a sonhos e esperanças.

“Se alguém nos ama, irá lutar por nós”. Será esta a única e verdadeira forma de amar?

Aprender a amar significa estar preparado para deixar ir, se assim tiver que ser. O medo de perder e a necessidade de posse são o contrário do amor. A grande dificuldade do deixar ir surge porque, quando amamos (um amor, um amigo, um familiar, um animal), não estamos preparados para passar por essa experiência. É extremamente doloroso pois estamos demasiado dependentes emocionalmente.

Já teve medo que uma relação amorosa terminasse?

Provavelmente sim.

Esta ideia do deixar ir não faz sentido na nossa mente. Surgindo questões como: “Então amar não é lutar? Não é tentar mais um pouco? Não é pedir para ficar?”. Ou será apenas o medo de perder? Tudo o que começa pode acabar, mudar, transformar-se.

Vivemos na ilusão de que as coisas, as pessoas, as relações, as ligações são permanentes. Agimos como se realmente fossem. Mas na realidade: “Os sentimentos serão sempre iguais?”, “As pessoas nunca mudarão?”, “Tudo permanecerá sempre como queremos?”.

As coisas mudam. As pessoas mudam. Cada um de nós muda todos os dias. O corpo muda. As atitudes mudam. Os sentimentos mudam. As experiências mudam. É uma mudança contínua.

O amor é uma das experiências mais maravilhosas que podemos ter.

Na essência do amor está a liberdade para ser e deixar ser. O amor é incompatível com a posse. Quando existe um amor que termina ou que não é correspondido, ficamos frustrados porque aprendemos a amar com expectativas de posse. Esta frustração acaba quando entendemos o que é o amor e nos libertamos (deixamos ir) do que nos aprisiona.

Talvez deixar ir seja a melhor prova de amor. Um ato de carinho e bondade. Mas também uma das experiências mais dolorosas.

Quando nos apegamos demasiado a alguém, despendemos uma grande quantidade de energia emocional. Imaginar a vida sem a pessoa pode ser algo impensável porque foram criadas rotinas, memórias, hábitos, objetivos, expectativas, muitas partilhas. E deparamo-nos com a crua realidade de ter que construir um novo caminho para nós e permitir que a outra pessoa faça o mesmo. A solidão aparece.

Tomar a decisão de deixar ir alguém que se ama, é uma atitude corajosa.

O desapego mostra que evoluímos mental e emocionalmente. É uma prova de que conseguimos criar a nossa própria felicidade. Mas, porquê viver as relações dessa forma? Não faz parte da experiência humana a ligação com aqueles que amamos?

Claro que sim. Quando conseguimos agarrar e largar estamos capazes de construir relações e conexões saudáveis em vez de apegos destrutivos. Quando deixamos ir, estamos também a deixar ir a nossa necessidade de posse e controlo.

Conexão e apego. Qual a diferença?

Quando estamos conectados e em sintonia com alguém, essa pessoa faz parte da nossa vida e nós fazemos parte da vida dessa pessoa. Isto é saudável.

Quando nos tornamos apegados, a nossa energia e os nossos pensamentos passam a estar exageradamente focados na pessoa a quem nos apegámos. Esquecemo-nos de nós, da nossa individualidade e da nossa vida.

Passamos a acreditar que precisamos daquela pessoa para ser feliz. Quanto mais cresce o apego, mais cresce o medo de perder.

A nossa mente, numa tentativa de salvação, desperta o instinto de sobrevivência.

Hiperfocados, obcecados e até viciados na pessoa a quem nos apegámos. Entramos em desequilíbrio emocional e, grande parte das vezes, reagimos de forma irracional. Nada disto traz felicidade.

No meio disto tudo, há boas notícias.

Toda esta dor e este sofrimento é uma escolha. Não digo que seja fácil. Mas podemos evitar viver com apegos destrutivos, aprender a deixar ir um amor, um amigo, um familiar, um sonho quando tem que ser e aprender a construir conexões positivas e saudáveis.

Viver sem apego não faz com que não tenha relações apaixonadas, amorosas, loucas e harmoniosas. Permite que as consiga apreciar, saborear e viver de forma positiva e saudável.

Todos passamos por situações de apego emocional. Faz parte do ser humano. O importante é ter consciência dos apegos que criamos e, se não forem saudáveis, é preciso aprender a desapegar.

Caso não esteja a conseguir lidar sozinho com a dor emocional, pode procurar ajuda profissional. Assim, poderá aprender a conhecer os sinais de alerta.

Um profissional pode trabalhar consigo no sentido da construção de conexões e relações saudáveis.

Relacionado

Deixar a Pessoa que se Ama Ir embora

Cerca de 144 frases e pensamentos: Deixar a Pessoa que se Ama Ir embora

Eu estou com medo, medo de deixar a melhor parte da vida ir embora sem que nada de especial aconteça, medo da minha vida ser sempre assim. Os mesmos acontecimentos do ano passado, com os mesmo dias chatos, sempre nada acontecendo, sempre sem novidades e com nenhum sinal de mudança.

Tumblr

As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas possam ir embora. Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se. Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.

Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará.Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo – nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade. Encerrando ciclos.

Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida. Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira.

Gloria Hurtado

Às vezes precisamos abrir mão de muitas coisas que julgávamos importantes e indispensáveis para alcançarmos coisas maiores e melhores.
Depois perceberemos que não foi um sacrifício o que fizemos. Mas evitamos de nos sacrificarmos por algo ou alguém que não merecia.

JerClay

Tem motivo maior pra você deixar a pessoa ir embora do que ela não te amar mais?
Não adianta,amor nenhum resiste a tua falta de tempo,
o sentimento ficou perdido no meio das tuas indecisões.

Me deixa ir,seguir,partir,seja lá como você chama essa vontade louca que eu estou de ir embora.
Já to cheia desse nosso relacionamento vazio,insisti,persisti e agora desisti,
ciente que fiz de tudo por você que nem meu pouco merecia.

Não me arrependo de te conhecer,
eu precisava cometer esse erro pra poder

valorizar meus acertos lá na frente.

Nathallye Costa

Se a pessoa que você ama diz que quer ir embora, deixe-a ir.
Não chore, não grite, não faça nada, se possível até abra a porta para ela sair. O momento de fazer alguma coisa era quando ela ainda te pedia pra vocês tentarem, se acertarem. Não agora, agora a decisão já está tomada. Não há mais nada a ser feito, a não ser, vê-la partir.

Nathallye Costa

se a pessoa que você gosta, não gosta de você deixa ele ir embora da sua vida pois ela ta perdendo uma pessoa especial que estava disposto a amar só ela e demostrar todo seu amor a ela.

Roberto Jônathas

A gente deveria ir embora enquanto tudo é bonito. Quando ainda somos alegria. E deixar na mente aquilo que ilumina, aconchega, não se apegar tanto ao momento ruim. Não esperar as lágrimas descerem no rosto.

A gente deveria aprender a dizer adeus as coisas perfeitas, porque uma hora o sol se põe e a tempestade chega, e nós? Ah, nós ficamos vendo as gotas da chuva sentindo uma sede insaciável. Esperando alguém voltar, mas o telefone nunca toca, ninguém chega. Deveríamos aprender a abandonar algumas coisas, sem esquecer o lado bom de tudo.

Assim ficaríamos inteiros, mas não, a gente insiste só pra ver quem irá ficar, e ninguém fica. Ainda não aprendemos a nos despedir dos paraísos, e isso é um erro absurdo, porque muitos deles não passam de miragens.

Sean Wilhelm

De boa , hoje eu acordei determinada a deixar tudo que não vale a pena ir embora. Esse papo de amor , de que todo mundo tem sua alma gemea acabou , fiz um suco com a minha metade da laranja.

Leia também:  Como É Que Os Youtubers Ganham Dinheiro?

Não posso dizer que superei tudo , ainda sofro e confesso isso , mas eu superei a minha vontade de querer que tudo dê certo , superei a vontade de correr atrás , superei a vontade de esperar por ele , superei a vontade de stalkear , superei a vontade de mandar indiretas , superei a vontade de saber como ele ta , saber com quem ele ta , onde ele ta , e essas coisas inuteis que eu sempre fiz. Vocês ja pararam pra pensar que toda essa dor chamada saudade pode ser só boas lembranças passadas ?! Bom era só esse recado que eu precisava dar , cansei

Valéria Villalba

E dá uma vontade de ir embora, partir, deixar pra trás aquela história mal contada…Dá vontade de pegar carona num destino qualquer que não seja este que se vive…Mas a gente fica…

Fica por medo de que não se encaixe em outras histórias…E por conta disso, a gente vai vivendo páginas em branco, cercada de borrões…E esquece – ainda que se lembre todos os dias – de que o tempo passa…

e a vida também!

Mell Glitter

E tão difícil abrir mão de alguém que a gente ama,e tão difícil deixar essa pessoa ir embora,e tão difícil quando alguma coisa força a gente a se afastar, perder alguém que amamos doi muito, é como morrer,voltar a viver, e morrer novamente no segundo em que a gente se lembra de que nunca mais vai ter o abraço daquela pessoa,ou de que uma mensagem de “oi sumida”nunca vai chegar porque dessa vez não foi você quem sumiu,e inevitável e inesperado perder alguém,a gente fica perdido,mais o nosso único caminho é seguir em frente sozinho.
Quando se perde alguém a gente chora,faz pirraça, implora pra ser só um pesadelo e fica assim até acostumarmos com a ausência de tal, dentro da gente fica como o oceano em meio a uma grande tempestade,falta espaço pra tanta dor e sofrimento que chega a escorrer pelos olhos e as vezes até arde,fica tudo escuro e embasado e a gente afunda,queremos fazer de tudo pra que a pessoa volte mais de nada podemos e nos sentimos inúteis,nem infinitas palavras podem descrever como é quando se perde alguém,mais quero dizer que onde esse alguém está é bem melhor que onde nós estamos, porque lá não existe sofrimento ódio ou coisas ruins,lá só existe amor,e não importa onde seja,esse alguém sempre vai amar você. #Maisamornomundo

Anônimo
1
2
3
4
5
6
7
8
Próxima >

Os benefícios de deixar ir embora

Para viver com bem-estar e em crescimento constante, deveríamos aprender a deixar ir embora situações ou pessoas que não nos oferecem qualidade de vida. Geralmente nos custa não nos apegarmos a coisas, pois o ser humano se sente mais seguro diante do conhecido. Diante da perda de algo a que estávamos acostumados, aparecem o medo e a incerteza.

Casais que não estão felizes e continuam juntos, trabalhos que amarguram a existência, amizades tóxicas, família que restringe a liberdade, etc… Há tantas situações e pessoas ao nosso redor que pioram nosso bem-estar e, no entanto, insistimos em continuar apegados a isso…

Por que é tão importante aprender a deixar ir embora?

Porque a vida é tão mutável e oferece tantas coisas novas para se apegar a algo que não funciona. É se conformar com uma qualidade de vida que poderia melhorar se soubéssemos deixar que a vida fluísse naturalmente.

Quantas situações cotidianas vimos em que as pessoas se envolvem com algo que não as faz feliz? A amiga que nos conta que o menino não respondeu as suas mensagens, e ainda assim continua insistindo com frustração, seguindo seus passos, tentando convencer, gostar, etc… fazer esse tipo de coisa é cair em estagnação, porque enquanto continua-se no apego de lutar por algo que não vale a pena, perde-se a oportunidade de que entrem coisas novas que podem trazer felicidade.

Deixar ir embora significa aceitar cada situação como ela é. Significa não forçar as coisas e deixar tudo fluir naturalmente. Se, por exemplo, escrevemos a alguém que nos importa e não recebemos resposta, é melhor aceitar e seguir em frente, abrir-se a novas experiências e conhecer gente nova.

Eu não estou dizendo que não devemos lutar pelas coisas, mas o mundo dos relacionamentos funciona como um jogo de tabuleiro em que ambos devem lançar os dados e jogar. Se lançamos os dados uma vez e o outro não lança, não faz sentido continuar jogando sozinho, porque não há interesse da outra parte; o racional é sair do jogo e procurar alguém que queira jogar

Na vida real, é a mesma coisa, jogar é mostrar interesse. Se analisarmos o comportamento ao nosso redor, podemos encontrar vários que estão jogando sozinhos e presos em relacionamentos que não fazem bem.

A armadilha das perguntas

Normalmente, deixar ir embora não é uma tarefa fácil. A maioria, quando percebe que algo que lhe importa escapa de suas mãos, não aceita e procura respostas.

Por que você não quer que falemos como antes? Por que você deixou de me amar? Por que você está se esquivando? Precisamos de explicações, argumentos, costumamos pressionar para obter o que queremos e tudo isso é causado pela falta de aceitação.

Normalmente, as pessoas que nos valorizam e nos querem continuarão ao nosso lado sem termos que fazer esforço. Portanto, a crença de que para ter algo temos que nos sacrificar é errada, porque o sacrifício não correspondido traz frustração e estagnação. Você notará que algo vale a pena quando tudo fluir naturalmente, em um “dar e receber” recíproco.

Deixar ir embora também as ideias

Deixar ir embora não se aplica apenas a situações e a pessoas; nós temos certas ideias que deveríamos deixar que desaparecessem para aumentar a felicidade. Muitas vezes, em vez de deixar tudo fluir, nós nos esforçamos para fazer as coisas acontecerem da nossa maneira.

Planos de fim de semana que não se concretizam, acreditar que sem um parceiro não se pode ser feliz, voltar ao passado para lamentar-nos, acreditar que não somos válidos, evitar coisas por medo, etc…. deveríamos deixar que desaparecesse da nossa mente toda ideia que provoca um sentimento negativo.

Se não tivéssemos pensamento, provavelmente aproveitaríamos mais a vida, porque nos dedicaríamos a viver o momento como ele é, sem tentar mudá-lo. Aceitando tudo como está, somente focaríamos em aproveitar o momento; iríamos nos adaptar ao que existe e não tentaríamos adaptar a realidade a nós.

Desprendendo-se dos apegos

A natureza é sábia; até as árvores perdem suas folhas no outono para que cresçam novas e vigorosas. Toda situação pode ser vista a partir da perspectiva do positivo ou negativo.

Alguns podem ver como como negativo que as árvores percam suas folhas, porque sujam as ruas, os galhos são feios nus, mas outros podem ver o mesmo a partir da perspectiva do positivo, as ruas estão cheias de beleza de folhas que adornam, os galhos estão se preparando para receber folhas novas e as ruas estão cheias de magia…

Treinemos nossa mente para ver o bom em cada momento e quando sentirmos que é necessário, renovemos a nossa vida, deixemos ir o que nos faz infelizes, deixemos os apegos para trás para poder continuar fluindo.

Entre as margens da dor e prazer o rio da vida flui. É só quando a mente se recusa a fluir com a vida e fica presa nas margens, que se torna um problema. Fluir quer dizer aceitação, deixar vir o que vem e ir o que vai. (Sri Nisargadatta Majarj).

Fotografia cedida por Eduardo Robles

Como Enfrentar o Processo de Deixar Alguém que Você Ama

Baixe em PDF
Baixe em PDF

Deixar alguém que se ama pode ser muito difícil. Não importa a situação — talvez você queira terminar um relacionamento amoroso que não está dando certo, ou precise se afastar de amigos e familiares —, o processo é complicado. Felizmente, há estratégias capazes de reduzir a carga emocional (que deve sempre ser levada em consideração).

  1. 1

    Reflita sobre o que sente. Talvez você esteja terminando porque vai se mudar, talvez tenha percebido que não quer passar o resto da vida ao lado dessa pessoa. Não importa o motivo, deixar alguém amado pode ser um processo bastante emotivo.[1]

    • Lembre-se: a vontade de deixar alguém não implica, necessariamente, que o amor acabou. Seus laços afetivos com a pessoa podem permanecer estreitos.
    • Honre o que sente, mas entenda que é preciso ter mais que amor para fazer um relacionamento dar certo.
    • Você pode precisar se mudar por causa de um novo emprego, querer terminar porque não se sente compatível com o companheiro etc. Isso não quer dizer que já não sinta amor por ele.
  2. 2

    Trate a pessoa com respeito e cordialidade. A responsabilidade de terminar um relacionamento pode ser pesada, mas quem recebe essas notícias também sofre.[2]

    • Evite colocar a culpa em alguém. Explique por que está indo embora, mas não diga coisas como “Estou indo por causa de você”.
    • Ouça os sentimentos da pessoa. Se a ama, respeite-a e dedique um tempo ao que ela tem a dizer.
    • Espere um tempo até que ambos estejam recuperados. Até términos de namoro e casamento precisam de um período de luto.
  3. 3

    Se possível, mantenha a amizade. Não é porque o namoro terminou que vocês têm de se afastar completamente. Com o tempo, dá para criar uma relação amistosa. Se quiser investir nisso, converse com a pessoa.[3]

    • Peça a opinião sincera da pessoa e diga algo como “Sei que nossa relação vai ser diferente de antes, mas queria ser seu amigo”.
    • Não pense que vai fazer essa transição de uma hora para outra. Todos precisam de tempo para se ajustar.
    • Fique sem fazer contato com a pessoa por um ou dois meses e, depois, volte gradualmente.
  4. 4

    Planeje o que vai fazer quando estiver sozinho. Quem está acostumado ao status de casal pode ter dificuldade para se ajustar à solteirice. Pense, com calma, em como vai se virar daqui para frente, sem deixar de considerar suas necessidades emocionais, sociais e físicas.
    [4]

    • Se, por exemplo, achar que vai ficar ansioso após terminar o relacionamento, peça que um amigo próximo se disponha quando precisar conversar.
    • Se achar que vai sentir falta de certas coisas práticas, como alguém que faça café pela manhã, pense em maneiras de se adaptar: tome café fora de casa, no caminho do trabalho etc.
    • Crie duas listas: uma de todas as adaptações que vai ter de fazer e outra das possíveis soluções.
  5. 5

    Encontre um grupo de apoio. Deixar alguém que se ama pode ser um processo muito emotivo. Se tiver problemas como depressão, ansiedade ou luto, você pode precisar de ajuda — em forma de grupo, por exemplo.
    [5]

    • Pode ser interessante conversar com pessoas em situações parecidas com a sua. Busque algo próximo à área onde vive.
    • Pode ser que seu cônjuge esteja viajando por causa de um compromisso com o trabalho, por exemplo. Há grupos que dão apoio específico a quem passa por transições complicadas.
    • Peça recomendações de grupos a um médico. Hospitais costumam ter várias alternativas.
  6. 6

    Concentre-se nos aspectos positivos da vida. Pode ser difícil no início, mas você provavelmente vai enxergar coisas boas em meio à situação. Reflita sobre as mudanças que está vivendo e registre, em papel, como tudo pode melhorar.[6]

    • Embora sejam complicados, términos ainda têm alguns aspectos positivos: o crescimento e o desenvolvimento pessoais, por exemplo.
    • Você pode começar a se sentir independente e livre. Tire proveito da oportunidade e busque objetivos próprios.
    • Sinta-se livre, por exemplo, para comer pipoca no jantar e assistir a um reality show por horas a fio — afinal, não precisa se preocupar com ninguém mais.
  1. 1

    Se for mudar de cidade, passe todo o tempo possível junto das pessoas que ama antes de partir. Muitos deixam seus entes queridos porque se mudam. Se acontecer com você, pode ser difícil.[7]

    • Dê prioridade a essas relações. Separe bastante tempo para os amigos antes de se mudar.
    • Faça coisas divertidas com os amigos, mesmo que fique triste na época (o que é normal).
    • Se você e seus melhores amigos gostarem de dançar, não parem. Saiam nos fins de semana até chegar a hora.
    • Tenha conversas sérias e abertas com seus entes queridos e diga que vai sentir falta deles.
    • Diga algo como “Mãe, queria dizer que vou sentir muito a sua falta quando for para o intercâmbio”.
  2. 2

    Não perca o contato. Deixe claro que isso é muito importante para você e pense em maneiras de falar com as pessoas próximas sempre que possível. Se for o caso, escreva cartas e envie cartões postais.[8]

    • Contrate um plano de telefonia que inclua dados para mensagens, chamadas e afins e seja ideal para suas conversas com amigos e familiares.
    • Marque horários para fazer videoconferências. Quer saber que música seus melhores amigos estão ouvindo nas baladas? Use o Facetime ou o Skype para se sentir presente no local.

Deixar ir – você tem dificuldade de fazer isso? Veja como fazer

Você já sofreu quando alguém ou alguma coisa em sua vida não deu certo ou durou o tempo que você esperava? Ficou se lamentando por uma ausência que você não conseguiu entender? Muitas vezes é preciso deixar ir. Não é fácil, sabemos disso, mas há alguns pensamentos que ajudam nessa difícil tarefa, veja abaixo.

Deixar ir – por que é tão difícil?

Quantas vezes você já se sentiu magoado porque uma pessoa decidiu se afastar de você sem uma razão específica? Ficou sem entender o afastamento e se questionando por que isso dói tanto? Isso acontece porque temos dificuldade de deixar ir de nossas vidas pessoas e situações que já não cabem no nosso cotidiano. Existem mudanças que são necessárias, mas que no momento de dor temos dificuldade em entendê-las e perceber sua importância.

Clique Aqui: O medo do abandono – de onde ele vem e como tratá-lo

É preciso aceitar os ciclos da vida

A nossa vida é feita por ciclos e na maior parte das vezes não temos controle sobre esses ciclos. Já ouviu alguém dizer que havia feito planos concretos e de repente a vida veio e virou tudo de cabeça para baixo? Parece até que é de propósito, mas isso só mostra como não temos total controle sobre os ciclos da vida.

Podemos controlar os resultados de nossas escolhas e atitudes, mas quando nos relacionamos com outras pessoas, não podemos controlar as atitudes e sentimentos delas. Cada um está enfrentando um ciclo diferente, de inícios, continuidades e fins, por isso não podemos querer que o outro siga o nosso ciclo.

E para isso é preciso praticar o desapego e deixar ir.

Aproveite o melhor de cada ciclo

Na vida, quando alguma coisa termina – quando um ciclo se encerra – é porque outro precisa começar, mesmo que no momento tenhamos dificuldade de entender isso. As coisas acontecem em sequência, e a melhor forma de deixar ir é se concentrar na parte boa das mudanças. O primeiro passo para conseguir deixar ir é aceitar os acontecimentos da vida, aprender com eles e seguir em frente.

Não podemos nos prender no que já passou, nas pessoas que já se foram, que decidiram partir sem a nossa companhia, pois isso irá nos estagnar. O que a vida quer de nós é que nos adaptemos, aprendamos com o que passou, aceitemos as mudanças e vejamos o que de melhor está por vir.

Clique Aqui: O ciclo dos 7 anos: entenda o decorrer da vida

As coisas duram o tempo que têm que durar

E o que fazer com essa dor que tenho aqui no peito? Bem, a melhor forma de tratá-la é a aceitação de que as coisas duram o tempo que é necessário em nossa vida.

Quando alguém sai da nossa vida sem que consigamos entender exatamente o porquê, não vale a pena ficarmos nos questionando o porquê ou lamentando a nossa perda.

Tudo acontece por um motivo e em breve você vai entender qual é ele.

Não fique sofrendo por situações que você não pode controlar. Apenas aceite, liberte seus pensamentos, e pense que o mais importante é deixar ir. O que for para ser seu, retornará, o que não for, simplesmente deixe ir.

A felicidade do aprendizado e abrir portas para o que a vida te reserva é a melhor forma de aliviar essa dor que está no seu coração, logo logo o tempo vai se encarregar de amenizá-la e você vai olhar para trás e pensar: “Passou! Passou, porque eu deixei ir.”

Saiba mais :

Como deixar a pessoa amada ir embora?

As vezes nos deparamos com alguém que achamos que vai ser o amor da nossa vida e pensamos: ” Agora vai”. Mas, não é assim que acontece. Nós, como seres humanos, esperamos viver a nossa vida envolvidos de amor, que lhe consuma em paixão.

Porém, como seres humanos, acabamos errando em nossas buscas pelo ” amor verdadeiro”, porque, às vezes, estamos tão cegos que não sabemos reconhecer quem realmente nos faz bem e quem realmente merece ter o nosso amor.

O amor é uma via de mão dupla

Não é sempre que se pode dizer ” é reciproco” porque, na maioria das vezes não é; e isso não se trata de beleza ou dinheiro, trata-se do fato que todos nós não sabemos ver e valorizar o amor, aquele de verdade.

Existe o ” amor verdadeiro ” e paixões que te fazem cometer loucuras e não sabemos diferenciá-las.

Quando encontramos alguém que nos ame, como achamos que devemos ser amados, é claro que acabamos ” fechando os olhos”; e isso é normal. Mas, o que não é normal é querer continuar com alguém que você sabe que não lhe faz realmente feliz.

O amor é a magia mais poderosa de todas, porque só ela pode fazer o estrago que nenhuma outra poderia. Quando nos decepcionamos, parece que tiramos partes nossas, guardamos numa caixa e jogamos em mar aberto. Parece que fomos roubados de nós mesmos e ficamos vagando pelas ruas. Então por que não pensamos duas vezes antes de magoar alguém que sabemos que se importa conosco?

Porque parte do ser humano é egoísta, parte do ser humano quando vê sua felicidade deixa qualquer coisa para consegui-la, e se temos uma certeza em nossas vidas é que um dia vamos sofrer e causar sofrimento em alguém.

Não escolhemos a forma como vamos nos machucar. Escolhemos a forma como vamos reagir à dor

Se você parar e perceber as pessoas ao seu redor, vai ver que cada uma tem seu jeito de lidar com as coisas.

Algumas preferem beber, outras, escutar música e se enterrar embaixo das cobertas. Mas, o mais importante é saber encarar a dor e pensar que uma hora vai parar, porque nada na vida é permanente, nem a dor, nem o amor.

Por isso, quando você terminar um relacionamento, independente se for de anos ou de dias, tente encarar a sua dor com a cabeça erguida.

Não se feche para outras possibilidades e, se você é do tipo que não gosta de escutar conselhos dos outros, escute o seu próprio.

Se acha que vale a pena lutar mais, lute; se acha que chorar o dia inteiro no quarto vai ajudar de alguma forma, chore. Chore o quanto quiser e puder, mas nunca deixe de fazer alguma coisa; nunca deixe nada para depois, NUNCA se torne fria ou desacredite no amor.

Não ache que falar ” Beber para parar de sofrer” é algo que se vale a pena fazer, porque não é. Geralmente, quem fala isso são as pessoas mais vazias e tristes por dentro, que não conseguiram lidar com a solidão ou com o medo de acabarem sozinhas.

Pessoas inteligentes sabem a hora de ir embora, sabem a hora de lutar, de recuar; sabem a hora de acreditar e de desistir.

Uma pessoa corajosa não se esconde atrás de sorrisos falsos. Ela mostra que está sofrendo, que vai superar e seguir a vida.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*