Como Alimentar Um Passaro Que Caiu Do Ninho?

Nesta época do ano, com a entrada da primavera, a maior parte das espécies de aves está na estação reprodutiva e é muito comum alguns filhotes antecipadamente saírem ou até mesmo caírem dos ninhos.

Por boa vontade, muitas pessoas, quando encontram o filhote de passarinho no chão, imediatamente removem o animal do local, porém na maioria dos casos essa não é a melhor ação.

Tentativas bem-intencionadas como essa geralmente impedem que esse “órfão” sobreviva ou viva em seu ambiente natural com outros de sua espécie.

Poucas coisas comovem tanto os amantes da natureza quanto encontrar um filhote de passarinho caído ao chão. Pequenos, indefesos e aparentemente abandonados, esses filhotes parecem clamar por ajuda. Entretanto, nessa hora é preciso analisar friamente a situação.

Segundo Paloma Bosso, diretora técnica do Parque das Aves, muitas vezes o filhote é apenas um jovem aventureiro que está dando os primeiros voos para fora do ninho e está no chão porque ainda está aprendendo a voar.

“Primeiro, verifique se a ave é um filhote frágil ou um animal já jovem recém-emplumado, que provavelmente pulou do ninho na primeira tentativa de buscar a independência. Nesse caso, não o leve para longe do local onde o encontrou, pois é ali que os pais irão procurá-lo”, explica Paloma.

Só em 2020, o Parque das Aves recebeu 115 animais resgatados. Desses, quase 15% foram passarinhos que caíram dos ninhos.

E desses, muitos não estavam necessariamente feridos ou em perigo, e tinham uma grande chance de seguir vivendo com o cuidado dos pais.

Paloma reforça que para os animais a criação parental, ou seja, aquela dada pelos próprios pais, é sempre a melhor em diversos sentidos, especificamente comportamentais.

“Um filhote vai naturalmente saber como se alimentar e se defender de predadores se observar seus pais executando essas tarefas. Caso contrário, há chances de passar fome e/ou se tornar uma presa fácil para outros animais.

Na infância, esses animais têm o que chamamos de ‘período sensível’, no qual estão propensos a responder a estímulos externos que irão moldar seu comportamento ao longo da vida. É nesse momento que eles identificam seus pais como a fonte de alimento, e identificam as características físicas da espécie como parceiros sexuais para se acasalarem no futuro.

Então, se por acaso um filhote de passarinho acaba não recebendo um detalhado treinamento, que atenda a cada um desses critérios, as chances de sobrevivência e o seu retorno ao habitat natural se tornam praticamente impossíveis.

Por mais que a gente se esforce, dedique tempo integral aos cuidados, e crie uma série de inovações para garantir o melhor tratamento em termos sanitários e de conforto ambiental a cada animal que chega até nós, nunca conseguimos substituir o papel dos pais na sua totalidade”.

Em caso de chuva ou ventania, muitas vezes o animal também cai acidentalmente. Se os pais estiverem por perto, é sempre melhor que o filhote de passarinho seja recolocado no ninho ou em locais abrigados para que eles possam seguir com os cuidados.

  • Como Alimentar Um Passaro Que Caiu Do Ninho?Foto: Divulgação
  • Como Alimentar Um Passaro Que Caiu Do Ninho?
  • Como Alimentar Um Passaro Que Caiu Do Ninho?
  • Como Alimentar Um Passaro Que Caiu Do Ninho?

Quando é necessário fazer o resgate

Algumas vezes a ave precisa realmente de ajuda, embora isso seja menos comum. Primeiro verifique se o animal está ferido: com sangramento, tremor e/ou asas caídas. Depois, retire-o do chão para não ser atacado por predadores. Quando há animais de estimação no entorno de onde o filhote foi encontrado, por exemplo, o ideal é prendê-los enquanto o resgate ao filhote é feito.

“Ano passado recebemos nove filhotes de caturrita que caíram juntas de um ninho em meio a uma grande tempestade. Nesse caso, o morador fez certo em resgatar as aves, que poderiam ter morrido com a baixa temperatura, mas é preciso sempre analisar com cuidado a situação, pois na maioria das vezes há chances de manter o animal seguro no local”, diz Paloma.

Caso fique em dúvida, é melhor não manusear a ave e solicitar ajuda profissional da Polícia Ambiental ou do órgão ambiental da região para efetuar o resgate. Estes são os locais autorizados a realizar este tipo de auxílio e encaminhar o animal para instituições nas quais ele possa receber o tratamento adequado.

“Aqui no Parque das Aves, recebemos muitos filhotinhos que caíram do ninho. Quem resgata esses bichinhos tem a melhor das intenções, mas nem sempre o melhor para a ave é que ela seja retirada do local.

Por mais indefesos (e fofinhos) que eles possam parecer, temos que fazer um esforço grande de pensar racionalmente qual o melhor destino para aquele animal.

Na dúvida, lembre-se que sua decisão vai definir o futuro daquele animal”, reforça Paloma.

Saiba o que fazer

  • Se você encontrar uma ave no chão, procure pelo ninho nas proximidades e tente devolvê-lo a este local ou a um outro local seguro de predadores nas imediações. Toque-o com delicadeza, pois são animais muito frágeis;
  • Observe se os pais voltaram ao ninho. Caso eles voltem, a ave está a salvo e o seu dever foi cumprido;
  • Verifique se o animal não está apenas explorando a região. É normal que esses filhotes mais velhos passem um tempo no chão quando estão aprendendo a voar. Nesse caso, apenas observe a distância para contribuir com sua segurança. Temos certeza que será muito divertido fazer isso. Você aprenderá muito sobre o comportamento das aves;
  • Não leve o filhote para longe nem o solte longe do local onde o encontrou, pois é ali que os pais irão procurá-lo;
  • Afaste potenciais predadores, como cães e gatos;
  • Verifique se o animal está fisicamente ferido, com sangramentos, por exemplo. Nesse caso o ideal é ligar para a Polícia Ambiental ou o órgão ambiental da região para que eles efetuem o resgate e encaminhem o animal para onde ele possa receber o tratamento adequado;
  • Enquanto estiver tomando conta dele, não o alimente e não o manuseie sem necessidade. Quando uma ave está em choque, ela pode se debater e se machucar ainda mais.

OBS: Muito cuidado ao tocar o animal. Filhotes de aves de rapina, como gaviões, águias, falcões, entre outros, possuem garras e bicos pontudos que podem machucar você.

O que um passarinho come? De recém-nascido a adulto!

Como Alimentar Um Passaro Que Caiu Do Ninho?

Na estação reprodutiva, não é estranho encontrar no chão passarinhos que ainda não conseguem se alimentar ou voar sozinhos. Se você precisar cuidar de um, o mais importante é saber o que filhote de passarinho come. Vamos explicar tudo neste artigo do PeritoAnimal.

De qualquer forma, se você não puder tomar conta ou não souber como fazer isso, o ideal é recolher o filhote e levá-lo para um centro especializado em recuperação de aves ou, pelo menos, para uma clínica veterinária.

Também lhe pode interessar: O que maritaca come

Se você encontrar filhotes de ave na rua, é essencial que tenha informações sobre qual a melhor comida para passarinho recém-nascido. As aves não são mamíferos, por isso seus filhotes não precisam se alimentar de leite quando saem do ovo. Mas isso não significa que eles conseguem comer sozinhos.

Você pode encontrar filhotes de pássaro que, para garantir sua sobrevivência, dependem de um ou ambos os pais para se alimentar. Isso varia de acordo com a espécie, pois existem aves com dietas a base de insetos, grãos, sementes, frutas, etc.

Os pais, para alimentar esses pequenos, precisam introduzir a comida no fundo de sua boca.

Em geral, os filhotes piam no ninho pedindo comida e instintivamente aprendem a reconhecer seus pais, de modo que, assim que eles chegam, abrem completamente o bico.

Assim, os pais podem depositar alimentos quase dentro da garganta, o que é essencial para os filhotes conseguirem comer.

Por isso, ao se deparar com um filhote recém-nascido que você resgatará sem penas e coberto ou não de plumas, a primeira coisa a fazer é identificar a que espécie ele pertence, para saber o que filhote de passarinho come, uma vez que filhotes de pardal não comem a mesma coisa que melros, por exemplo.

Você pode se guiar pela forma do bico, que geralmente é fino, alongado e reto nas aves insetívoros e mais curto e cônico nas aves granívoras. De qualquer forma, em lojas especializadas, é possível encontrar uma papa de criação apropriada.

Um exemplo de papa caseira pode ser feita com ração de gato embebida em água, ovo cozido e farinha de rosca, tudo misturado até obter uma consistência pastosa.

Mas não é só a comida de passarinho que importa. Para criá-lo com sucesso, também é necessário fazer com que o pássaro abra a boca ao te ver, pois precisa aprender que sua presença está associada à comida. Se isso não acontecer, o passarinho morrerá.

Como Alimentar Um Passaro Que Caiu Do Ninho?

No começo da vida do passarinho, eles vão precisar que você os alimente diretamente na boca.

Se você tiver alguma dúvida ou quiser confirmar a espécie, pode procurar ajuda em centros de reabilitação de aves, com biólogos, especialistas em ornitologia, em clínicas veterinárias ou estabelecimentos especializados. Em pouco tempo, esses filhotes vão crescer e poderão comer sozinhos.

Nesta nova fase, saber qual a melhor comida para passarinho filhote também dependerá, mais uma vez, de sua espécie. No mercado, você encontrará diferentes tipos de alimentos e pode incluir na dieta sementes, insetos, migalhas, frutas, etc., sempre dependendo da espécie.

Leia também:  Como Esquecer Algo Que Não Sai Da Cabeça?

Como já vimos, nem sempre é simples alimentar esses filhotes de passarinho. Eles não são brinquedos e, antes de sequer resgatar uma ave da rua, você deve esperar e ver se os pais estão por perto para voltar e buscá-la.

Também é uma boa ideia tentar localizar o ninho e, se houver nele outros filhotes vivos, você pode devolver para o ninho o filhote que caiu.

Por outro lado, uma vez que tenha resgatado o filhote, se você não conseguir fazê-lo comer, deve entrar em contato com um centro especializado para que pessoas com experiência possam alimentá-lo adequadamente.

Se você tiver encontrado um filhote de pombo saiba quais são os cuidados essenciais e como alimentá-lo nesse artigo do PeritoAnimal.

Como Alimentar Um Passaro Que Caiu Do Ninho?

Uma vez que você tenha se informado sobre a comida de passarinho mais adequada, seu objetivo será fazê-lo abrir a boca. Você pode estimulá-lo fazendo uma leve pressão para dentro nos cantos de seu bico.

Isso o abrirá um pouco, o suficiente para introduzir a papa de criação com pinças pequenas ou uma seringa, sem agulha, é claro. Você deve chegar o mais fundo possível na boca.

Obviamente, esse processo deve ser realizado com muita delicadeza.

Pouco a pouco, o filhote vai começar a abrir a boca completamente ao te ver.

No começo você terá que oferecer comida a ele com muita frequência, mas, uma vez que ele se acostumar e ficar satisfeito, você poderá começar a espaçar as refeições. O pássaro vai comer durante o dia, mas não à noite.

O próprio filhote vai te indicar o quanto come pois, após alguns minutos de deglutição, vai parar de abrir a boca, permanecer quieto e fechar os olhos. Isso significa que está cheio.

Quando os pássaros aprenderem a comer sozinhos, você terá que deixar a comida à sua disposição, ou seja, o comedouro precisa ficar cheio para que eles possam bicar o dia todo e eles mesmo regularão a quantidade de comida. Da mesma forma, no bebedouro dos pássaros deve sempre haver água limpa e fresca.

Se você tiver encontrado um passarinho filhote machucado, além de saber o que filhote de passarinho come, é importante que você saiba como cuidar dele. Para isso, leia esse artigo do PeritoAnimal.

Agora que você já sabe o que filhote de passarinho come, às vezes não quer recolher os filhotes da rua e sim colocar comida para as aves que estão por perto porque gosta, pensa que precisam ou simplesmente porque quer atraí-las para seu jardim, horta ou varanda. Como já dissemos, a comida de passarinho dependerá das espécies de ave em questão.

O mais comum é comprar ou fazer um comedouro de pássaros e pendurá-lo nas proximidades da casa.

No comedouro você pode colocar desde migalhas de pão, de preferência integral e sempre umedecido, até misturas de sementes ou guloseimas para aves que podem ser encontradas em lojas.

Quanto aos alimentos caseiros, arroz e ovos cozidos, frutas maduras, sementes de girassol ou milho, mas não pipoca, porque é muito salgada, são alternativas que podemos oferecer.

É claro que colocar comida para os pássaros de rua pode fazê-los se acostumarem com a comida fácil e pararem de procurá-la por conta própria. Não é muito recomendado que eles dependam tanto dos humanos. Não se esqueça de que eles não são animais de estimação.

Como Alimentar Um Passaro Que Caiu Do Ninho?

Se deseja ler mais artigos parecidos a O que filhote de passarinho come?, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Dietas equilibradas.

Vídeos relacionados com O que filhote de passarinho come?

Como ajudar um passarinho caído do ninho?

Como Alimentar Um Passaro Que Caiu Do Ninho?

  • Ave emplumada (3 a 14 dias)
  • -já abre os olhos; -possui plumas e já está desenvolvendo as penas de vôo;
  • -ainda é muito pequena e precisa ser devolvida ao ninho.

Como Alimentar Um Passaro Que Caiu Do Ninho?

Jovenzinho (mais de 14 dias) – ave bastante ativa, vocaliza e dá pequenos saltos; – tem todas as penas, mas em menor tamanho em relação ao adulto; – não caíram do ninho e sim desceram do ninho para aprender a viver fora dele;

– os pais estão por perto e virão alimentá-lo.

Como Alimentar Um Passaro Que Caiu Do Ninho?

Adulto

muitas das vezes o “filhote” já é um adulto e apenas sofreu algum trauma, como um choque em uma vidraça, ou se encontra incapaz de seguir seu caminho sem uma pequena ajuda.

Para descobrir se a ave é de fato um filhote, atente-se às comissuras (margem amarelada proeminente no bico das aves), presentes em filhotes e aves jovens.

As comissuras possuem a função de aumentar a abertura do bico com o fim de a ave ser alimentada mais facilmente por seus pais.

Alguns casos específicos

Andorinhões, taperuçus: Essas aves têm pernas e pés bem pequenos, anatomicamente incapazes de pousar em poleiros ou erguer voo de uma superfície horizontal.

Eles sempre elegem poleiros verticais como chaminés e pedreiras, das quais erguem voo. Na maioria das vezes, basta levá-lo a uma parede áspera na qual possa se empoleirar e ele conseguirá erguer voo.

Nunca o arremesse, pois pode estar ferido e de fato incapaz de voar.

Como Alimentar Um Passaro Que Caiu Do Ninho?

Para mais informações sobre andorinhões e taperuçus leia o artigo  [ Andorinhões – Aves do Extremo  ] Para saber mais sobre a curiosa disposição dos dedos dessas aves vale a pena ler [ As aves e seus pés ]

Beija-flores: Por seu metabolismo acelerado, beija-flores necessitam se alimentar praticamente o dia inteiro.

Alguns minutos perdido sem néctar podem ser o suficiente para deixar a ave fatigada e incapaz de voar.

Neste caso, ao encontrar um beija-flor sem condição de voo, ofereça a ele numa colher uma mistura de água com açúcar, isso por si só será suficiente para dar energia para ele se recompor e alçar voo.

IMPORTANTE:

Por mais que nos esforcemos em seguir todos os passos acima, nada garantirá a sobrevivência do espécime. Estima-se que na natureza apenas 30% de todos os filhotes de aves chegam à idade adulta e é justamente isso que garante que as espécies sobrevivam, afinal filhotes mais fortes tendem a gerar uma descendência mais forte e capaz de sobreviver.

Mesmo que pareça cruel, algumas aves de fato abandonam filhotes que não tenham chances de sobrevivência. Aves muito grandes em geral criam apenas um filhote (embora possam chocar dois ou mais ovos por segurança). Ao ver que determinado filhote tem mais chances de sobrevivência, essas aves provavelmente não mais alimentarão os outros filhotes e investirão tudo no filhote mais forte.

Em rapinantes é comum a prática de cainismo, que ocorre quando um filhote mais forte mata a bicadas ou arremessa do ninho os filhotes mais novos.

Também não é aconselhado interferência direta em casos de predação de algum filhote ou ninho por outra ave, mamífero ou réptil como lagartos e serpentes. O ideal é sempre deixar que a natureza siga seu curso. **

**Vale ressaltar que isto vale única e exclusivamente para animais silvestres e em seu habitat. Gatos domésticos, cachorros ou outros animais de estimação não devem em hipótese alguma caçar animais silvestres.

Gostou do artigo? Então compartilhe o máximo possível. Ajude-nos a divulgar essa informação que salva vidas!

Como ajudar um filhote de ave que caiu do ninho

Posted at 13:03h in Aves, Dr. Responde by admin 0 Comments

Vira e mexe, a gente encontra cãozinho perdido por aí, ninhadas inteiras de gatinhos sendo cuidadas por cães sem lar e a maioria de nós sabe como resgatá-los e cuidá-los até que sejam adotados por uma nova família.

No entanto, quando a situação envolve pássaros ou outro grupo de seres de asas, muita gente não sabe como proceder. Sendo assim, chegou a hora de aprender o que fazer quando encontrar um filhotinho de ave que caiu do ninho.

Os pais e o ninho

“Quando um pássaro é encontrado, devemos primeiro ver se os pais estão por perto e se é possível devolvê-lo imediatamente ao ninho, se este ainda estiver íntegro.

Sabiá e Bem-te-vi são espécies de aves que costumam se preocupar com sua prole, cercando os filhotes e os alimentando mesmo quando estão caídos no chão”, relata Marta Brito Guimarães, médica veterinária especialista em animais silvestres da empresa de consultoria VetWings, de São Paulo.

É natural que, por instinto, pensemos em devolver a pequena ave ao conforto do seu ninho, no entanto, nem sempre esta é a melhor alternativa.

“O ninho deve estar em lugar seguro, pois, do contrário, torna a possibilidade de nova queda dos filhotes.

Caso os pais não retornem, o mais adequado é cuidar em casa”, adverte Natalia Philadelpho Azevedo, médica veterinária especialista em animais silvestres, também da equipe VetWings.

Se constatar que não há sinal dos pais do pequeno ser de penas, você pode (e até deve) encaminhar a ave a algum órgão competente. As instituições que estão habilitadas para receber estes animais são os de cada município, divididos em Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS) ou em Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS).

Manuseio e transporte

Seja para devolver o filhotinho ao ninho, levá-lo ao veterinário ou departamento de fauna da cidade, é importante tomar alguns cuidados na hora do manuseio da ave.

“Quando for manusear, não devemos usar nenhum tipo de perfume, loção ou hidratante nas mãos, pois isto interfere na aproximação dos pais e cuidado com os filhotes”, alerta Yamê Miniero Davies, médica veterinária especializada em animais silvestres, igualmente da VetWings. Usar um paninho macio e limpo pode ajudar bastante nessa hora.

Para transportar o animal, a melhor alternativa é usar uma caixa de papelão fechada com furinhos de ventilação para que a avezinha respire tranquilamente. Não é recomendado usar gaiolas para o transporte, já que o bichinho pode acabar se machucando nas grades.

Assim que o filhote for resgatado por você, é imprescindível mantê-lo aquecido, em local arejado, sem correntes de ar e que não bata sol. Deixe água disponível em um recipiente próximo ao animal e não tente alimentá-lo à força para não correr o risco de sufocá-lo.

Leia também:  Como Nao Perder As Coisas Quando Morrer No Minecraft?

Segundo as especialistas, existem papinhas comerciais prontas que podem ser usadas para alimentar o pequeno animal, mas tanto a diluição quanto a frequência das “refeições” variam de acordo com a idade da ave.

Portanto, ao se deparar com um filhote penudinho órfão, o ideal é procurar ajuda de um médico veterinário especializado o quanto antes.

Por Paula Soncela

Como ajudar um pássaro ferido ou que caiu do ninho – greenMe

Já aconteceu de você ter encontrado um pássaro machucado, ou com dificuldade de voar, por ainda ser filhote e ter caído do ninho? O que fazer para salvar o bichinho?

  • Se por acaso você vir um pássaro precisando de ajuda e não souber como socorrê-lo, este conteúdo foi feito para ser um guia de orientação de como cuidar e prestar os primeiros socorros a estes seres, até você encontrar assistência especializada para ele.
  • Se não der para encaminhar de imediato para algum órgão, entidade ou veterinário especializado em tratamento de pássaros, preste os primeiros socorros com as informações que serão dadas logo adiante e busque orientação e ajuda de entidades de proteção aos animais silvestres.
  • Neste conteúdo tem uma lista dessas entidades que prestam serviço de orientações e cuidados, resgate e tratamento de aves silvestres que são socorridas pela população.
  • Seguem as informações que podem te nortear, caso encontre um pássaro precisando de ajuda.
  • {index}

Socorrendo um filhote de pássaro

Se você encontrar um pássaro precisando de socorro, em primeiro lugar, averigue se ele está machucado e se é filhote ou não.

Filhotes são bem pequenos, com poucas penas, asas curtas e têm dificuldade de voar, por estar aprendendo essa habilidade.

Caso seja filhote e não esteja ferido, é provável que tenha caído do ninho por estar aprendendo a voar, se for isso, o observe por um tempo e à distância, para saber se ele consegue voar ou se a mãe dele está por perto. Dessa forma é possível até descobrir onde está o ninho e recolocar o filhote nele para a mãe cuidar dele.

Na situação de não conseguir encontrar o ninho, mas a mãe dele estiver por perto, coloque o pássaro em um lugar em que fique protegido de predadores, como por exemplo, os gatos. Dessa forma, o local ideal é um arbusto em uma árvore, que seja parecido com ninho, observe por certo tempo para prevenir que ele está bem acomodado e não caia novamente

Em contrapartida, se além de não achar o ninho e nem a mãe da avezinha e ainda por cima ele não estiver não conseguindo voar, primeiramente, forre uma caixa de papelão com furos para a ventilação, coloque um forro macio, como uma toalha, outra opção é utilizar uma caixa para transporte de animais de estimação, como a de gatos, se o pássaro não for muito grande ou mesmo uma gaiola ou viveiro, também, forrando com uma toalha.

Preparando o local para colocar o filhote dentro

Cubra o corpinho dele com um pano limpinho para mantê-lo aquecido e deixe a caixa com o pássaro em local seguro e aconchegante até ele ter força para voar.

Como alimentá-lo da forma correta

Ligue para um Centro Especializado em Aves Silvestres e peça as devidas orientações, se mesmo assim, não se sentir seguro de alimentar o pássaro, uma opção é ligar e chamar a Guarda Ambiental de sua cidade para que encaminhe o pássaro à uma Entidade ou Centro especializado em aves silvestres.

Sobre o tipo de alimento que cada espécie de pássaro come

A Divisão de Fauna Silvestre de São Paulo, passou as seguintes informações, quando contatei esse órgão para tirar essa dúvida:

  1. A primeira coisa a saber qual é a espécie de pássaro, pois, conforme a espécie a alimentação pode variar.
  2. Existem aves que se alimentam de grãos, outras comem frutas e existem também até as que são carnívoras!
  3. Alguns exemplos de algumas espécies de pássaros e seus tipos de alimentação:
  • insetos e frutas – bem-te-vi
  • néctar – o beija-flor
  • grãos – a rolinha
  • frutas – o periquito
  • frutas, insetos e grãos – o sabiá

Outra informação que obtive é que se o pássaro for filhote, pode-se utilizar uma papinha pronta específica para pássaros nessa fase e que é vendida em comércio de produtos para animais.

No caso de pássaros adultos, é necessário saber a espécie para dar uma papinha pronta à base do que ele se alimenta e que também é comercializada em casas de produtos para animais.

Forma de dar o alimento para o pássaro

Isso irá depender da espécie do pássaro, variando de uma para a outra, por isso é importante conhecer a espécie, pois tem ave que não abre o bico, outras ficam de bico aberto pedindo comida. Por isso, o ideal é sempre entrar em contato com o serviço de proteção e assistência aos animais silvestres para obter maiores informações de como proceder em cada caso.

Se conseguir alimentar e cuidar do pássaro até ele ganhar força para voar, maravilha, você então poderá devolvê-lo para a Natureza e ele poderá sair voando!

Caso contrário, se o pássaro está abatido e amuadinho, mesmo o aquecendo e deixando ele em repouso, por algumas horas, encaminhe-o para ter assistência de especialistas em pássaros. Neste caso, recorra aos contatos fornecidos neste conteúdo, também, há a possibilidade de recorrer à um veterinário que preste essa ajuda de forma solidária, caso você não tenha como pagar.

Assistência a pássaro ferido

No caso do pássaro estar ferido ou com alguma fratura, será necessário imobilizá-lo, enrolando-o em um tecido limpo, fazendo isso levemente e com delicadeza, e o resgatando para os devidos cuidados e realizando todas as orientações anteriores.

Após reabilitado, o pássaro é reinserido na Natureza

É bom lembrar, que prender e manter um pássaro saudável e que voa, vivendo dentro de uma gaiola é o destino mais nefasto e triste que se pode se dar para ele, afinal quem gosta de ficar em uma prisão encarcerado?

E para resguardar e proteger a liberdade desses seres alados que nasceram para voar, existe a Lei de Crimes Ambientais n.º 9.

605/98, segundo à qual é ilegal capturar e manter aves e animais silvestres como animais de estimação, da mesma forma, criá-los e reproduzi-los em cativeiro, sem uma licença e amparo de órgão ambiental, como são autorizados, por exemplo, os Santuários de Animais Silvestres.

Depois que o pássaro estiver tratado e curado, ou seja, reabilitado, ele deve ser devolvido à Natureza.

Caso ele tenha ficado com alguma sequela do ferimento ou fratura, como por exemplo, impossibilitado de voar, não poderá ser reinserido para a vida selvagem, então, será preciso encaminhá-lo à Santuários de Aves, Reservas Florestais, Ongs ou Entidades de Proteção de Animais Silvestres ou do Meio-Ambiente.

Algumas Entidades que prestam assistência a pássaros

  1. Segue algumas entidades e órgãos que prestam serviço de resgate de aves silvestres e encaminhamento para tratamento veterinário: Ibama, Guarda Municipal Ambiental e Centros de Manejo de Fauna Silvestre.

  2. Em São Paulo, um órgão que é capacitado para o receber animais silvestres que precisam de socorro é Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS), que faz parte do DEPAVE-3 – Departamento de Parques e Áreas Verdes)-Em São Paulo:
  3. Esse órgão possui núcleos dentro dos Parques Ibirapuera e Anhanguera e esta entidade atende especialmente aves e répteis que são resgatados pela população.
  4. Endereço: DEPAVE 3- Departamento de Parques e Áreas Verdes-Av. IV Centenário, Portão 7ª
  5. Horário de Atendimento: Segunda a sexta-feira: das 8 h às 16h e Finais de semana e feriados: das 8 h às 12 h
  6. Telefone: (11) 3885-6669 – Divisão de Fauna Silvestre – Através desse contato, os biólogos e veterinários podem tirar dúvidas e prestar orientações sobre diferentes situações envolvendo a fauna silvestre.
  7. WhatsApp: (11) 96715 5424 – para esclarecimento de dúvidas e orientações.

Além desse órgão em São Paulo capital, existem outros espalhados no Brasil inteiro. Procure no teu estado. Segue uma lista de entidades no estado de SP.

1. Araras – CRAS Pró-Arara

Parque Municipal Fábio da Silva – Rua Santa Cruz, 105 -Centro

(19) 3542-3538 entrar em contato antes da entrega – Segunda à sexta – 08 h – 17 h

2. Assis – APASS

Estrada da Cabiúna, Km 001 (Prol. Da R. Sebastião Leite do Canto) – Água da Cabiúna CEP 19.800-121

[email protected] – entrar em contato antes da entrega

3. Barueri – CETAS Barueri

Estrada Dr. Cícero Borges de Moraes, 3145 – Bairro dos Altos – Barueri/SP

(11) 4689 – 0314 – entrar em contato antes da entrega

4. Botucatu – Centrofauna

Instituto Floravida Rodovia Eduardo Zuccari, Km 21,5 – Zona Rural

Leia também:  Como Saber Que Ele Me Ama?

(14) 3811-3520 e (14)3815-4255 – entrar em contato antes da entrega – Segunda à sexta – 08 h – 17 h

5. Cubatão – CEPTAS

  • UNIMONTE – Rodovia Anchieta Km 56,5 Parque Ecológico Cotia-Pará
  • (13) 3463-5418 – entrar em contato antes da entrega
  • Entregas por particulares: Segunda à quinta 09 h às 12 h – 14 h às 16 h
  • Entrega por órgãos oficiais: Segunda à sexta 09 h às 12 h – 14 h às 16 h
  • Emergências: Segunda à sexta 09 h às 12 h – 14 h às 17 h / Sábados 09 às 12 h

6. Franca CETAS VITAS

Av. São Francisco de Assis – 1000

(16) 3703-0454 – entrar em contato antes da entrega – Segunda à sexta – 08 h – 16:30 h

7. Jundiaí Associação Mata Ciliar

Rua Emilio Antonon, 1000 Jundiaí-SP

(11) 4815-5777 – entrar em contato antes da entrega – Funciona diariamente – 08 h – 18 h

8. Lorena IBAMA

Lorena – Flona Lorena – Rua Hermenegildo Antonio Aquino, s/n CEP 12612-360

(12) 3153-2063 – entrar em contato antes da entrega – Segunda à Sexta – 08 h – 12 h / 13 h – 17 h

9. São José dos Campos UNIVAP

Avenida Shishima Hifumi, 2911- Urbanova – CEP 12244000

(12) 3947-1000 – entrar em contato antes da entrega – Segunda à sexta – 08 h – 16:30 h

10. São Paulo DEPAVE

Av. IV Centenário, alt. – N. 1280 – Portão 7 A – Pq. Ibirapuera

(11) 3885-6669 – entrar em contato antes da entrega – Segunda à quinta 08 h – 16 h , Sexta-feira e véspera de feriado 08 h – 12 h

11. São Paulo DEPAVE / Anhaguera

Av. Fortunata Tadiello Natucci, altura n° 1000, km 25 – Rodovia Anhanguera

(11) 3918-7192 – entrar em contato antes da entrega – Segunda à sexta – 08 h – 16 h . Sábados e Domingos – 08 h – 14 h e Feriados – 08 h – 12 h

12. São Paulo CRAS PET/DAEE

Rua Guira Acangatara, 70 – Parque Ecológico do Tietê

(11) 2958-1482 – entrar em contato antes da entrega / Segunda à Sexta – 08 h -17 h

13. São Sebastião Fundação Animalia

Rua Nova Aurora, 400 – Bairro S. Francisco – CEP 11600-000

(12) 3862-0214 e (12) 99752-5844 – entrar em contato antes da entrega de Segunda à sexta – 07 h – 16 h, Sábados, Domingos e Feriados – 07 h – 11 h

O papel dessas entidades e órgãos

Sobre o papel destas entidades e órgãos em relação ao socorro de aves e animais silvestres, o biólogo e veterinário Francisco Miguel Conde, do DEPAVE-3, esclarece o seguinte para quem for socorrer um pássaro e recorrer à um desses órgãos públicos:

“Não podem negar socorro, porque todo animal silvestre é propriedade da União, portanto, é um dever de todo Estado zelar pelo bem-estar deles.”

No centro de manejo, por exemplo, os pássaros resgatados têm atendimento de emergência, tratamento, reabilitação, treino de caça e de voo e só depois são soltos em áreas verdes próximas de onde foram encontrados.

Antes de ganhar liberdade, as aves recebem um anel metálico na pata, com os dados dela, com a finalidade de monitoramento.

O site Catraca Livre pode dar depoimento sobre isso, pois, resgatou uma ave Asa Branca (uma espécie de “pomba silvestre”) , que estava com uma luxação leve na asa, ela foi encaminhada. para tratamento no centro veterinário do DEPAVE-3 e ficou lá por cerca de 30 dias, passando por reabilitação, após isso, a ave foi solta no Parque Anhanguera.

Avalie qual a melhor atitude a tomar

O Dr. Francisco Miguel Conde do DEPAVE, ainda alerta para quem for socorrer um pássaro:

“Na Primavera, principalmente, muitos filhotes caem do ninho ou acabam ficando perdidos, e a mãe em algum momento pode voltar, então, tirar o filhote de lá nem sempre é a melhor solução.”

  1. Sendo assim, nesse caso observe e avalie se o filhote der sinais positivos que está reagindo e se recuperando, é melhor dar mais um tempo até ele conseguir voar, assim poderá estar em seu habitat e próximo de seus pais e irmãos, novamente.
  2. Agora, com todas essas informações fica mais fácil socorrer nossos amigos de asas!
  3. Talvez te interesse ler também:
  4. AGORA ESTÁ PROIBIDO O COMÉRCIO DE FILHOTES DE ELEFANTE PARA ZOOS E CIRCOS
  5. MACACA TENTA ESCAPAR DO ZOOLÓGICO QUEBRANDO O VIDRO COM UMA PEDRA
  6. A LINDA HISTÓRIA DE AMIZADE ENTRE UM HOMEM E UMA RAPOSA SELVAGEM

Como alimentar um filhote de passarinho

Alimentar um filhote de passarinho é uma medida de primeiros socorros fundamental para salvar a vida de uma ave ferida. Com medidas simples, é possível contribuir com a preservação da vida animal. Por isso, vamos ver alguns conselhos práticos que devemos saber para socorrer facilmente uma ave que sofreu um acidente.

Muitos filhotes de ave não conseguem desenvolver completamente a musculatura de suas asas dentro do tempo normal. Por isso, podem cair na tentativa de voar ou se mexer mais rapidamente.

Na verdade, quando se trata de aves silvestres de menor porte, a causa mais comum de ferimentos são as quedas dos dos ninhos. E quase 90% desses acidentes ocorre com filhotes com poucos dias de vida.

  • Fonte: Juan de Dios Santander Vela
  • Essas aves também podem acabar feridas por ataques realizados por predadores naturais, principalmente, quando seus pais se ausentam do ninho.
  • A chegada do frio aumenta a preocupação com a má-nutrição das aves silvestres. 

Para muitas espécies, principalmente as não migratórias, é difícil encontrar alimento durante o inverno. Por isso, é tão comum encontrar passarinho desnutridos nos meses mais frios do ano.

Essas “aves-bebê” ainda estão desenvolvendo seu sistema imunológico e estão muito vulneráveis. A escassez de alimentos junto com a intempérie e o frio criam um contexto de risco extremo à sua saúde.

Encontrei um filhote de passarinho ferido: o que devo fazer?

Quando achamos um passarinho visivelmente fraco, é fundamental fornecer-lhe os nutrientes corretos para fortalecê-lo rapidamente, caso contrário, suas chances de sobrevivência serão muito baixas.

É difícil carregarmos na carteira ou no carro a comida adequada ou instrumentos para alimentar um passarinho. Por isso, quase sempre será necessário resgatar o animal e levá-lo a um ambiente favorável. Você deverá se aproximar com cuidado se houver outros animais por perto.

Antes de mexer nele, é recomendável envolvê-lo com uma manta, toalha ou alguma roupa leve. O ideal é tampar seus olhos, porque o animal se acalma quando não vê a luz. E isso torna mais simples manipulá-lo com segurança.

Depois de envolvê-lo, pode-se pegar nele com cuidado. É importante manter o equilíbrio e a firmeza para movimentá-lo o menos possível.

É necessário esclarecer que essas manobras são paliativas, cujo objetivo é recuperar o animal mais rapidamente. No entanto, não substituem a atenção veterinária especializada. Por isso, é indispensável recorrer a um centro especializado em recuperação de animais, levando consigo o passarinho resgatado.

Resumimos em três conselhos práticos para saber como alimentar um filhote de passarinho em estado de emergência sem fazer mal à sua saúde.

1. Evitar dar água

As aves respiram por meio de um pequeno orifício presente em sua língua. Ao oferecer água a um pintinho fraco, pode ser que o pequeno se engasgue ou fique sufocado.

Sua “ave-bebê” resgatada vai obter hidratação suficiente com a comida adequada. 

2. Conhecer sua espécie e necessidades nutricionais

Para alimentar um passarinho corretamente, é preciso conhecer suas necessidades nutricionais e intolerâncias alimentares.

As “aves-bebê” possuem um sistema digestivo muito delicado e são sensíveis a muitas substâncias. Alguns alimentos podem intoxicar gravemente um passarinho, levando-o à morte.

Por isso, o ideal é reconhecer a espécie de pintinho antes de alimentá-lo. O mais adequado seria recorrer imediatamente a um veterinário especializado em aves ou a um centro de salvamento, mas se não for possível, uma simples busca na Internet pode revelar a qual espécie pertence seu pintinho resgatado.

Esse passo é fundamental e não deve ser ignorado. Proporcionar uma dieta incorreta ao animal pode levá-lo à morte.

3. Preparando a papinha do filhote

Ao reconhecer a espécie e a dieta adequada ao pintinho resgatado, pode-se começar a preparar a sua papinha.

Caso seu pintinho se alimente de insetos e larvas, sua dieta deve ser rica em farinha de larvas picadas. É possível encontrá-la facilmente em Pet Shops. O ideal é preparar uma papinha misturando as larvas com ovo duro cozido triturado.

Se sua “ave-bebê” se alimenta de sementes, sua papinha deve consistir numa mistura de água com cereal de bebê altamente proteico, em pó. Além disso, pode-se acrescentar a farinha liquefeita de gérmen do trigo, milho e aveia.

Esses alimentos são altamente proteicos e fáceis de serem encontrados. No entanto, devem ser complementados com proteína animal fresca, como pequenos insetos vivos ou farinha de larvas.

4. Utilizar uma seringa para oferecer a papinha

O passarinho resgatado estará fraco e pode sentir dificuldade para se alimentar. Por isso, é fundamental ter à disposição uma pequena seringa para ajudar a oferecer sua papinha.

Além de alimentar o pássaro, é importante oferecer-lhe calor e um ambiente tranquilo onde possa se recuperar. Com paciência e dedicação, é possível ver seu pássaro bebê crescer forte e saudável.

Pode interessar a você…

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*