Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa?

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa?

Na natureza, a fauna e a flora utilizam diferentes mecanismos para sobreviver. Entre eles, uma das mais peculiares é a capacidade de mudar de cor. Na maioria dos casos, esta capacidade responde à necessidade de camuflar-se no ambiente, mas também cumpre outras funções.

O animal que muda de cor mais popular talvez seja o camelão, no entanto, existem muitos outros. Você conhece alguns deles? Descubra neste artigo do PeritoAnimal uma lista com diversos animais que mudam de cor. Boa leitura!

Também lhe pode interessar: Como o camaleão muda de cor?

Há várias espécies capazes de modificar sua aparência. Um animal que muda de cor pode fazer isso com o objetivo de se esconder e, portanto, este é um método de defesa. No entanto, esta não é a única razão.

A mudança de cor não ocorre apenas em espécies como os camaleões, que são capazes de mudar o tom de sua pele. Outras espécies transformam ou mudam a cor de suas pelagens por vários motivos.

Estas são as principais causas que explicam por que os animais mudam de cor:

  • Sobrevivência: fugir dos predadores e camuflar-se no ambiente é a principal razão para a mudança. Graças a isso, o animal que muda de cor passa despercebido para fugir ou se esconder. Este fenômeno é chamado de proteção variável.
  • Termorregulação: outras espécies mudam sua cor de acordo com a temperatura. Graças a isso, eles absorvem mais calor durante as estações frias ou esfriam no verão.
  • Acasalamento: A modificação da cor do corpo é uma forma de atrair o sexo oposto durante a época do acasalamento. Cores brilhantes e atraentes atraem com sucesso a atenção de um parceiro em potencial.
  • Comunicação: Os camaleões são capazes de mudar de cor de acordo com seu estado de espírito. Graças a isso, funciona como uma forma de comunicação entre eles.

Agora você sabe por que os animais mudam de cor. Mas como eles fazem isso? Explicamos para você a seguir.

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa?

Os mecanismos que os animais utilizam para mudar de cor são variados, pois suas estruturas físicas são diferentes. O que isso significa? Um réptil não muda da mesma forma que um inseto e vice-versa.

Por exemplo, camaleões e cefalópodes possuem células chamadas cromatóforos, que contêm vários tipos de pigmentos. Elas estão localizadas nas três camadas externas da pele, e cada camada abriga pigmentos correspondentes a cores diferentes. Dependendo do que eles precisam, os cromatóforos são ativados para mudar a cor da pele.

Outro mecanismo envolvido no processo é a visão, que é necessária para decifrar os níveis de luz. Dependendo da quantidade de luz no ambiente, o animal requer que sua pele veja diferentes tonalidades.

O processo é simples: o globo ocular decifra a intensidade da luz e transporta as informações para a glândula pituitária, um hormônio que se segrega nos componentes da corrente sanguínea que alertam a pele para a cor exigida pela espécie.

Alguns animais não mudam a cor de sua pele, mas suas pelagens ou plumagem. Por exemplo, nas aves, a mudança de coloração (a maioria delas apresenta plumagem marrom no início de sua vida) responde à necessidade de diferenciar as fêmeas dos machos.

Para isso, a plumagem marrom cai e a cor característica da espécie aparece.

O mesmo acontece com os mamíferos que mudam a cor de sua pele, embora a principal razão seja camuflar-se durante a mudança de estação; por exemplo, exibir peles brancas durante o inverno em áreas nevadas.

Você já sabe que o camaleão é um tipo de animal que muda de cor. Mas nem todas as espécies de camaleão o fazem. E, além dele, há outros animais com essa habilidade. Nós vamos detalhar melhor estes animais a seguir:

  • Camaleão-de-Jackson
  • Aranha-caranguejo-amarela
  • Polvo mímico
  • Choco
  • Linguado comum
  • Choco-flamboyant
  • Solha-das-pedras
  • Besouro-tartaruga
  • Anolis
  • Raposa-do-Ártico

O camaleão-de-Jackson (Trioceros jacksonii) é um dos camaleões capazes de fazer o maior número de mudanças de cor, adotando entre 10 e 15 tonalidades diferentes. A espécie é nativa do Quênia e da Tanzânia, onde vive em áreas entre 1.500 e 3.200 metros acima do nível do mar.

A coloração original destes camaleões é verde, seja apenas essa cor ou com áreas amarelas e azuis. Ele ainda é chamado por um outro nome devido a uma peculiar curiosidade deste animal que muda de cor: ele também é conhecido como camaleão-de-três-chifres.

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa?

É um aracnídeo que está entre os animais que mudam de cor para se esconder. A aranha-caranguejo-amarela (Misumena vatia) mede entre 4 e 10 mm e vive na América do Norte.

A espécie tem um corpo plano e pernas largas e bem separadas, razão pela qual é chamada de caranguejo. A cor é variável entre marrom, branco e verde claro; no entanto, adapta seu corpo às flores onde caça, por isso veste seu corpo em tons de amarelo vivo e branco manchado.

Se este animal chamou sua atenção, você também pode estar interessado neste outro artigo sobre os tipos de aranhas venenosas.

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa?

A capacidade de se esconder do polvo mímico (Thaumoctopus mimicus[1]) é realmente impressionante. É uma espécie que habita as águas ao redor da Austrália e países asiáticos, onde pode ser encontrada a uma profundidade máxima de 37 metros.

A fim de se esconder dos predadores, este polvo é capaz de adotar as cores de quase vinte espécies marinhas diferentes. Estas espécies são heterogêneas e incluem medusas, cobras, peixes e até mesmo caranguejos. Além disso, seu corpo flexível é capaz de imitar a forma de outros animais, como as jamantas.

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa?

O choco (Sepia officinalis) é um molusco que habita o nordeste do Oceano Atlântico e o Mar Mediterrâneo, onde é encontrado a pelo menos 200 metros de profundidade. Este animal que muda de cor mede no máximo 490 mm e pesa até 2 quilos.

Os chocos vivem em áreas arenosas e lamacentas, onde eles se escondem dos predadores durante o dia. Como os camaleões, sua pele tem cromatóforos, que lhes permitem mudar de cor para adotar padrões variados. Em areia e substratos unicolor, mantém um tom uniforme, mas apresenta manchas, pontos, listras e cores em ambientes heterogêneos.

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa?

O linguado comum (Solea solea) é outro peixe capaz de modificar a cor de seu corpo. Habita as águas do Atlântico e do Mediterrâneo, onde se encontra a uma profundidade máxima de 200 metros.

Ele tem um corpo achatado que permite que se enterre na areia para se esconder dos predadores. Também muda ligeiramente sua cor de pele, tanto para se proteger como para caçar os vermes, moluscos e crustáceos que compõem sua alimentação.

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa?

O impressionante choco-flamboyant (Metasepia pfefferi) é distribuído nos oceanos Pacífico e Índico. Ele vive em áreas arenosas e pantanosas, onde seu corpo fica perfeitamente camuflado.

Entretanto, esta variedade é venenosa; por esta razão, muda seu corpo para um tom vermelho vivo quando se sente ameaçado.

Com esta transformação, sinaliza a seu predador sobre sua toxicidade.

Além disso, ele é capaz de se camuflar com o meio ambiente. Para isso, o corpo deste choco contém 75 componentes cromáticos que adotam até 11 padrões de cores diferentes.

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa?

Outro animal marinho que muda de cor para se esconder é a solha-das-pedras (Platichthys flesus[2]). É um peixe que vive a uma profundidade de 100 metros, desde o Mediterrâneo até o Mar Negro.

Este peixe achatado usa a camuflagem de diferentes maneiras: a principal é se esconder debaixo da areia, uma tarefa fácil por causa do formato de seu corpo. Ela também é capaz de adaptar sua cor ao fundo do mar, embora a mudança de cor não seja tão impressionante quanto em outras espécies.

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa?

Outro animal que muda de cor é o besouro-tartaruga (Charidotella egregia). É um escaravelho cujas asas refletem uma cor dourada metálica marcante. Entretanto, em situações estressantes, seu corpo transporta fluidos para as asas e estes adquirem uma cor vermelha intensa.

Esta espécie se alimenta de folhas, flores e raízes. Além disso, o besouro-tartaruga é um dos besouros mais chamativos existentes.

Leia também:  O Que É O Reumatismo E Como Tratar?

Não perca este outro artigo com os insetos mais estranhos do mundo.

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa?

O anolis[3] é um réptil nativo dos Estados Unidos, mas agora pode ser encontrado no México e em várias ilhas da América Central. Habita florestas, pastagens e estepes, onde prefere viver nas árvores e nas rochas.

A cor original deste réptil é o verde brilhante; no entanto, sua pele adquire um tom marrom escuro quando se sente ameaçado. Como os camaleões, seu corpo possui cromatóforos, o que faz dele outro animal que muda de cor.

Há também alguns mamíferos que são capazes de mudar de cor. Neste caso, o que muda não é a pele, mas o pelo. A raposa-do-ártico (Vulpes lagopus) é uma destas espécies. Ela vive nas áreas árticas da América, Ásia e Europa.

O pelo desta espécie é marrom ou acinzentado durante as estações quentes. No entanto, ela muda sua pelagem quando o inverno se aproxima, para adotar uma coloração branca brilhante. Este tom lhe permite camuflar-se na neve, habilidade que precisa para se esconder de possíveis ataques e caçar suas presas.

Você também pode estar interessado neste outro artigo sobre tipos de raposas – nomes e fotos.

Além dos mencionados acima, há muitos animais que mudam de cor que fazm isso para se esconder ou por outros motivos. Estes são alguns deles:

  • Aranha-caranguejo (Misumenoides formosipes)
  • Grande-polvo-azul (Polvo Cyanea)
  • Camaleão-anão-de-Smith (Bradypodion taeniabronchum)
  • Cavalo-marinho da espécie Hippocampus erectus
  • Camaleão-de-Fischer (Bradypodion fischeri)
  • Cavalo-marinho da espécie Hippocampus reidi
  • Camaleão de Ituri (Bradypodion adolfifriderici)
  • Peixe Gobius paganellus
  • Lula-costeira (Doryteuthis opalescens)
  • Polvo abissal (Graneledone boreopacifica)
  • Choco-australiano-gigante (Sepia apama)
  • Lula-comum-de-anzol (Onychoteuthis banksii)
  • Dragão-barbudo (Pogona vitticeps)

Referências

  1. Allcock, A.L. 2019. Thaumoctopus mimicus. The IUCN Red List of Threatened Species 2019.
  2. La platija. (2013, 12 de julio). Oceana. Disponíve em: . Acesso em 19 de fevereiro de 2021.
  3. Frost, D.R. & Hammerson, G.A. 2007. Anolis carolinensis. The IUCN Red List of Threatened Species. Disponível em: . Acesso em 19 de fevereiro de 2021.
  • Bibliografia
  • ECOLOGÍA VERDE. Animales que cambian de color. Disponível em: . Acesso em 19 de fevereiro de 2021.

Mimetismo: o que é, tipos, exemplos e camuflagem

Lana Magalhães

Professora de Biologia

O mimetismo é uma característica adaptativa de animais ou plantas de imitar outro organismo para obter vantagens.

Entre os maiores objetivos do mimetismo está a proteção contra predadores. Há, também, outras funções, como obter vantagem no acasalamento, alimentação ou confundir a presa.

O organismo imitador usa estratégias como seguir padrão das cores, odor, emissão de som e características físicas do organismo modelo.

Os insetos são os exemplos de organismos que mais se utilizam do mimetismo. Para as adaptações, se valem de características químicas, físicas e comportamentais.

A seleção natural é o processo responsável por tornar as espécies miméticas.

Tipos e exemplos

Mimetismo Defensivo

Existem duas formas de mimetismo defensivo: o batesiano e o mulleriano.

Mimetismo Batesiano

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa?

A cobra-coral verdadeira a esquerda e a falsa a direita. A coral falsa engana os seus inimigos ao se parecer com a espécie venenosa

O mimetismo batesiano é considerado o tipo mais comum na natureza. Os primeiros estudos sobre o fenômeno foram publicados pelo naturalista inglês Henry Walter Bates (1825-1892), em 1863.

Bates observou o comportamento de insetos na Amazônia e percebeu as adaptações físicas de borboletas para garantir proteção contra predadores.

Nesse tipo de mimetismo, o imitador tenta enganar o predador usando cores e características que causam repulsa.

As cores e a forma são sinais de alerta para que o predador se afaste porque o organismo não é palatável ou é indesejável. Essa estratégia chama-se coloração de advertência ou aposematismo.

O predador se mantém longe porque o organismo utiliza cores fortes e formas específicas condizentes com seu potencial de toxidade.

As mesmas cores e formas são copiadas pelo agente imitador. Assim, o predador se afasta por acreditar que, tal como o modelo, o imitador contém substâncias venenosas, ferrões, espinhos ou pelos que causam coceiras.

Mimetismo Mulleriano

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa?

As borboletas impalatáveis compartilham o mesmo padrão de coloração

O uso de substâncias repugnantes ao predador também foi descrito pelo cientista Johann Friedrich Theodor Müller (1822-1897). É o chamado mimetismo mulleriano, comum em espécies abundantes, como insetos.

O mimetismo mulleriano ocorre quando duas ou mais espécies impalatáveis adotam um único padrão de coloração de advertência. Dessa forma, conseguem evitam um número maior de inimigos naturais.

Mimetismo Agressivo

O mimetismo agressivo é usado para facilitar o ataque do predador, que se disfarça de presa ou reproduz situações inofensivas.

Entre os exemplos estão as aranhas Myrmarachne, que mudam suas características físicas para ficaram semelhantes às formigas, suas presas.

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa?Essa aranha imita uma formiga. O caso trata-se de um mimetismo agressivo e batesiano.

Mimetismo Reprodutivo

O mimetismo reprodutivo também é chamado de mimetismo comportamental. Ele é usado para vencer a competição no momento da reprodução.

Entre os exemplos está o da vespa macho, que passa a imitar o comportamento da fêmea para enganar e afastar outros machos.

Porém, o mimetismo reprodutivo não é uma característica exclusiva dos animais, as plantas também podem obter vantagens ao mimetizar. Um exemplo é o da orquídea Ophrys apifera, que imita a fêmea da abelha.

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa?A orquídea Ophrys apifera possui flores semelhantes com as abelhas fêmeas

Essa planta também libera um odor semelhante ao da abelha e atrai o macho. Assim, o zangão copula com a flor por acreditar ser a abelha.

Na ação, fica com o corpo recoberto de pólen, que será espalhado para outras plantas, auxiliando na reprodução da orquídea.

Conheça mais sobre os Insetos.

Mimetismo e Camuflagem

É muito comum a confusão entre mimetismo e camuflagem. Entenda a diferença entre os dois processos.

Como vimos, no mimetismo os seres assemelham-se uns com os outros para obter alguma vantagem.

No caso da camuflagem, as estratégias servem para dificultar a aproximação do predador ou facilitar a chegada até a presa. Na camuflagem os indivíduos apresentam semelhanças com o ambiente em que se encontram.

  • Além disso, na camuflagem não se utiliza de meios químicos.
  • Confira alguns exemplos de camuflagem:
  • Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa?A coruja possui coloração semelhante ao tronco da árvore

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa?O urutau é uma ave que fica horas paralisada em troncos de árvores. Assim, passa despercebida por seus predadores.

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa?

O bicho-pau imita galho de árvore

Leia também:

  • Predatismo
  • Relações Ecológicas
  • Sociedades no Reino Animal
  • Seleção Natural

Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.

Cor de alguns animais auxilia na caça, na proteção e sinaliza perigo

Estagiária Gabriela Troian, sob a orientação de J.G. Alves

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa?Conforme a superfície, bicho-pau desaparece (Foto: Giselda Person / TG)

Nem tudo o que vemos na natureza é o que realmente parece ser. E uma árvore – além de raízes, troncos, galhos, folhas e flores –, pode abrigar surpresas que só uma observação mais atenta consegue notar. São animais aparentemente imperceptíveis ao olhar, mas estão ali, como sujeitos-ocultos de sua própria existência, como o bicho-pau, o urutau e o bicho-folha.

“Eu não estou aqui. Essa é a mensagem subliminar que estes animais passam”, afirma o professor Glauco Machado, do Departamento de Ecologia do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (USP).

De acordo com ele, a camuflagem morfológica consiste em um animal se assemelhar a qualquer elemento presente no ambiente para que não seja visto. “A espécie se ‘ajusta’ ao local onde está.

Por exemplo, um bicho-pau no deserto não se camufla, mas em uma mata, ele desempenha essa função”, explica.

Algumas espécies de aranhas, lagartas, borboletas, sapos, corujas, insetos e uma infinidade de animais, quando presentes no ambiente “ideal” para o padrão de suas cores, se camuflam e, visualmente, passam despercebidos.

Função vital

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa?Na cor da rocha: disfarce perfeito (Foto: Giselda Person / TG)

Segundo o professor de biologia Glauco Machado, a camuflagem desempenha o papel de não ser notado, mas dependendo do animal pode ter duas funções distintas, de fuga ou de ataque.

Leia também:  Como Ligar Um Iphone Que Nao Liga?

“Uma lagarta se camufla entre folhas, despista seus predadores. No caso, os pássaros.

Já algumas aranhas que possuem a mesma coloração de pétalas de flores, quando insetos polinizadores chegam até a flor, são atacados”, exemplifica.

Mas a camuflagem não se limita apenas a visão, alerta o professor. “Nós humanos consideramos a camuflagem como aquilo que não está perceptível ao olhar. Mas diversos animais não possuem a visão desenvolvida. Desta forma o toque e os compostos químicos se tornam elementos essenciais para estar despercebido”, aponta.

Na chamada camuflagem química, o animal se altera quimicamente para que aqueles componentes que o caracterizam não sejam notados.

Como exemplo, pode-se citar a lagarta-da-borboleta (Mechanitis polymnia), que “capta” substâncias presentes na folha da planta hospedeira e se “mescla” a ela.

Desta forma as formigas (insetos de visão pouco desenvolvida, mas de sentido olfativo forte) caminham sobre ela, sem notar a presença da lagarta.

Coloração salvadora

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa?Coral-falsa: na dúvida, predadores não se arriscam (Foto: Dirceu Martins / TG)

Diferentemente da camuflagem, outra forma de “disfarce” consiste em se destacar, assemelhando-se a outra espécie. “No mimetismo é como se o animal dissesse aos outros: ‘eu sou outra coisa, não eu mesmo’”, conta Machado. E o professor ainda enfatiza: “É uma espécie de imitação de outro organismo que, na natureza, já é reconhecido por ser tóxico ou ter um gosto ruim”.

Outro profissional, o biólogo Renato Gaiga, relaciona o mimetismo a uma espécie de “sorte” para o animal que possui coloração semelhante àquele que realmente apresenta alguma toxidade. Segundo ele, uma “vantagem favorecida por uma mutação genética do animal”.

O exemplo mais familiar é o da cobra coral-verdadeira e da coral-falsa. Segundo os dois biólogos, o padrão de cores parecido faz com que os predadores não se arrisquem, pois aquelas formas já sinalizam perigo.

Sobreaviso

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa?Sapinho-pingo-de-ouro: cor associada a toxina (Foto: Carlos Alberto Coutinho / TG)

E por falar em perigo, o aposematismo também é uma forma de destaque, que fala por si só: “Cuidado, eu sou perigoso”, explica Gaiga. De acordo com o biólogo, cores como o amarelo, o vermelho e o preto são como alertas na natureza. Que o digam todas essas espécies de sapos…

“As cores chamativas em alguns animais são como um ‘aviso’, verdadeiro ou não, para elementos tóxicos ou gosto ruim. Invertebrados como lagartos, borboletas, serpentes, salamandras, sapos e alguns bichos do mar, lançam esse alerta visual”, aponta Gaiga.

Mas o biólogo ainda deixa um aviso: a toxidade não se restringe apenas ao vermelho, amarelo e preto. “Cores que se destacam entre as demais, como o verde metálico, rosa choque e o azul são sinais de que determinada espécie provavelmente é perigosa”.

Camuflagem, aposematismo e mimetismo

A camuflagem é um recurso que inúmeras espécies de animais utilizam para se protegerem de seus predadores, e também para se manterem imperceptíveis aos olhos de suas presas. Na camuflagem, quando os animais permanecem parados, eles se confundem com o ambiente em que vivem, como é o caso do urso polar, do bicho-pau, bicho-folha, leões etc.

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa? Várias espécies usam o recurso da camuflagem com o objetivo de não serem vistos pelos predadores e por suas presas. 

Os camaleões são animais que possuem células especializadas, chamadas de células cromatóforas e células guanóforas.

Essas células são as responsáveis pela mudança de cor na pele do animal, mas é preciso frisar que o camaleão não muda de cor somente com o intuito de se camuflar no ambiente.

Pelo contrário, as mudanças de cores da pele do camaleão servem para comunicação, controle da temperatura, atrair parceiros ou repelir rivais.

Outra forma que animais e também vegetais encontraram, ao longo de sua evolução, para repelir predadores são as chamadas cores de advertência, ou aposematismo.

O aposematismo é uma aquisição evolutiva em que o intuito das espécies não é se esconder, mas serem vistas. Através de cores vivas e chamativas, como vermelho, laranja, verde, azul, ou até variações entre as cores, os animais tornam-se vistos e evitados por seus predadores.

Mas então, surge a questão: “Se eles querem ser vistos, os predadores os verão e irão atacá-los?” Não, os predadores não os atacarão, porque esses animais que possuem cores vivas e marcantes são impalatáveis e quase sempre venenosos, e à medida que evoluíram, os seres predadores passaram a identificar e evitar os organismos de cores aposemáticas, que podem causar grandes prejuízos e até a morte de quem os consumir.

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa? Os animais adquirem cores fortes ao longo de sua evolução para afugentar predadores

Essas espécies que possuem cores vivas e chamativas mantêm seus predadores à distância, e a partir dessa experiência, outras espécies, ao longo de sua evolução, passaram a “copiar” essas cores chamativas com o único objetivo de manter os predadores à distância. Esse recurso de alguns animais  são denominamos de mimetismo.

Há vários casos de mimetismo, e um deles é o que ocorre entre a cobra coral verdadeira e a cobra coral falsa. No intuito de ser confundida, a cobra coral falsa, que não possui veneno algum, copia as cores da cobra coral verdadeira, que é extremamente venenosa.

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa? A cobra coral verdadeira é extremamente venenosa, enquanto que a cobra coral falsa não possui nenhum tipo de veneno

Camuflagem nos animais. Importância da camuflagem nos animais

  • Em certas situações, o animal pode adotar a camuflagem como um modo de se proteger de seus predadores e de conseguir obter as suas presas.
  • Na camuflagem, o animal consegue se misturar ao ambiente, ou seja, suas cores se confundem com as cores do local, de forma que fica difícil saber onde ele está.
  • Veja se você consegue encontrar o leão na imagem abaixo:
  • Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa? O leão tem o pelo marrom, que o ajuda a se misturar ao ambiente
  • Conseguiu ver o leão?
  • O leão se torna quase imperceptível, pois a cor do seu pelo se confunde com a cor do ambiente em que ele vive, e ele tira muito proveito disso, afinal suas presas não conseguem vê-lo.
  • Vários outros animais também se camuflam. Veja as figuras abaixo:
  • Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa? Você consegue distinguir os animais nessas figuras?

Todos os animais que desenvolveram esse processo, o fizeram como forma de evitar serem vistos por outros animais, mas cada animal desenvolve um tipo diferente de camuflagem. Um animal que possui pelos terá uma camuflagem totalmente diferente de um animal que possui escamas.

Alguns animais, como o urso polar e a coruja-do-ártico têm cores brancas para serem confundidos com a neve; enquanto que tubarões, golfinhos e outros animais do mar têm cor cinza, para se misturarem à cor da água. Por isso podemos dizer que esses animais têm uma camuflagem básica, pois a cor de seus pelos, penas e escamas combinam com o meio ambiente em que vivem.

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa? Alguns animais se beneficiam da cor do ambiente para se camuflar

No entanto, existem outros animais que desenvolveram adaptações que permitem que eles mudem a sua cor de acordo com o ambiente em que estão. É o caso da raposa-do-ártico. No verão, a raposa apresenta uma pelagem marrom; enquanto que no inverno, ela apresenta pelagem branca.

Outros animais possuem células chamadas de cromatóforos que lhes conferem a capacidade de mudança de cor. É o caso do camaleão, alguns peixes, anfíbios e moluscos.

Por Paula Louredo Graduada em Biologia

Camuflagem e Mimetismo

Alguns animais podem ter a capacidade de se camuflarem com o meio em que vivem para tirar alguma vantagem. A camuflagem pode ser útil tanto ao predador, quando deseja atacar uma presa sem que esta o veja, ou para a presa, que pode se esconder mais facilmente de seu predador.

Existem dois tipos de camuflagem, a Homocromia, onde o animal tem a cor é a mesma do meio onde vive, e a Homotipia, onde o animal tem a forma de objetos que compôe o meio.

Leia também:  Como Tem Que Ser A Foto Do Curriculo?

Homocromia

Como exemplo, podemos citar os ursos polares, que têm o pelo branco que confunde-se com a neve.

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa?

Urso polar. Foto: AndreAnita / Shutterstock.com

Homotipia

O bicho-pau, que tem forma de graveto e fica em árvores que têm galhos semelhantes à forma de seu corpo.

Mimetismo

Semelhante à camuflagem, só que ao invés de se parecerem com o meio, os animais que praticam o mimetismo tentam se parecer com outros animais, com intuito de parecer quem não é.

Mimetismo de Defesa

Batesiano

Os animais tentam se parecer com outros de espécies diferentes que têm gosto ruim ou são venenosos. Como exemplo, algumas abelhas têm desenhos parecidos com corujas em suas asas. A cobra falsa-coral não possui veneno (na verdade, possui, mas raramente consegue utilizá-lo em razão da pequena abertura de sua boca), por isso tenta parecer-se com a coral verdadeira.

Mulleriano

Os animais se assemelham a outros animais que têm gosto ruim, e por isso seus predadores não os atacam.

Mimetismo de ataque

Peckhaminano: os animais se misturam a outros parecidos, para se aproximar da presa. Exemplo: bútio, se aproxima do bando de outras aves para se aproximar da presa.

Fontes:
http://www.ich.pucminas.br/pged/db/wq/cb/2007-1/2-4/fontes.htm

Texto originalmente publicado em https://www.infoescola.com/biologia/camuflagem-e-mimetismo/

Aposematismo, a técnica do mundo animal para avisar ‘não mexe comigo’

Para o ser humano cores intensas e vibrantes podem ser muito bonitas e atrativas. Porém, no mundo animal esse aspecto pode ser uma cilada.

Acontece que enquanto animais com cores sem graça, que não chamam tanto atenção, podem não apresentar nenhum perigo. Outros, com cores fortes e chamativas, são extremamente venenosos.

Essa característica é chamada de aposematismo. Consiste no uso de cores, normalmente o laranja, vermelho, amarelo, preto e branco, como um aviso de que o bicho tem meios, veneno ou gosto ruim, para machucar quem ousar ataca-lo.

Esta é uma estratégia de defesa muito comum no reino animal, em especial nas borboletas e rãs. Porém, pode ser encontrada também no reino vegetal.

Além das cores, chamadas de aposemáticas, o sinal pode ser sonoro, por meio de guizos e chocalhos.

Mas um detalhe! Esse ‘chega pra lá’ só funciona porque esse conhecimento das cores é herdado. Ou seja, as espécies aprenderam pelos animais mais velhos, ou por experiência própria, que mexer com os coloridos não é uma boa ideia.

Comprando gato por lebre

Agora você conhece a estratégia de aposematismo, mas sabia que há várias outras formas dos animais de se protegerem? E que uma delas é justamente copiar as cores de animais peçonhentos?

Esses atores da natureza utilizam a estratégia do mimetismo. Ou seja, eles imitam o padrão de coloração comum em espécies perigosas, fingindo que também são.

Esse é o caso da falsa cobra coral. Ela imita as cores da verdadeira, extremamente venenosa, para afugentar predadores. Apesar da falsa não possuir veneno, na dúvida, eles se afastam.

Aprenda como desvendar se uma cobra coral é falsa ou verdadeira aqui.

Animais Que Utilizam A Cor Como Defesa?Imagem meramente ilustrativa.

Se misturar na multidão

Além do aposematismo e do mimetismo, os animais usam ainda a camuflagem. Diferente dos primeiros, que querem ser vistos, os camuflados se protegem se misturando no ambiente.

Essas espécies também recorrem as cores, mas a coloração remete à natureza em que ele vive. Os animais se misturam tanto que dificulta muito que o predador, ou sua presa, os vejam.

A estratégia também é muito usada no reino animal. O urso-polar, o bicho-pau e o bicho-folha são alguns exemplos de usuários desta técnica.

Animais que podem mudar de cor – Meus Animais

Muitos animais podem mudar de cor para se misturar com o ambiente e enganar suas presas ou predadores. É uma medida eficaz, que aumenta as chances de sobrevivência no mundo natural.

Esse mimetismo também pode ser usado para chamar a atenção do sexo oposto ou para “se disfarçar” como outra espécie.

Seja como for, a camuflagem é uma habilidade surpreendente. A seguir, veremos algumas espécies de animais que têm a capacidade de mudar de cor.

Por que alguns animais podem mudar de cor?

Todos os seres vivos têm uma capacidade extraordinária de se adaptar ao seu ambiente.

Para satisfazer suas necessidades reprodutivas, de alimentação e sobrevivência em geral, diferentes espécies desenvolvem habilidades específicas.

E entre elas, alguns animais desenvolveram a capacidade de mudar a cor da pele. Existem diferentes razões para isso.

  • Eles fazem isso por necessidade de camuflagem, para se esconder de seus predadores ou para se tornar invisíveis para suas presas e serem, assim, capazes de surpreendê-las.
  • Outra importante função da mudança de cor é a termorregulação.
  • Desta forma, a cor da pele muda dependendo das necessidades de regulação da temperatura do seu corpo.
  • Finalmente, os animais também usam a mudança de cor como forma de comunicação.
  • Através desses “códigos” em sua aparência, eles são capazes de transmitir uma grande quantidade de informações entre indivíduos da mesma espécie ou de espécies diferentes.
  • Isso ocorre principalmente em situações de acasalamento, luta, perigo, etc.
  • Embora nem todos sejam tão conhecidos quanto o camaleão, há muitos animais que podem mudar de cor.
  • Entre eles estão insetos, répteis, anfíbios, peixes e outras espécies marinhas, aves e até alguns mamíferos.

Insetos

Muitos insetos são um exemplo de mimetismo. Eles se confundem tanto com o ambiente que é muito difícil reconhecê-los.

Alguns adotam não só a cor, mas a forma de folhas, galhos, cascas, etc.

Como exemplo, há borboletas que têm a capacidade de combinar as cores de suas asas com as árvores nas quais elas pousam.

Outros ainda têm em suas asas uma “estampa” que se parece com a cabeça de um animal com olhos bem grandes. Isso permite que eles afastem seus predadores.

  1. A aranha-caranguejo-dourada tem a capacidade de mudar de cor para se proteger.
  2. Muda entre branco e amarelo, para se esconder entre as margaridas e os girassóis, e capturar mais facilmente suas presas.
  3. Algumas espécies de besouros também têm essa capacidade de se disfarçar na natureza.

Eles têm cores brilhantes que assustam seus inimigos. Em situações de perigo, exibem um padrão que se assemelha a olhos grandes e uma boca cheia de dentes afiados.

Os camaleões são possivelmente os mais conhecidos em termos de camuflagem, por sua facilidade em mudar de cor. Eles fazem isso graças às células especializadas cheias de pigmentos que possuem sob a pele.

O camaleão pode se misturar completamente com seu ambiente, tornando-se praticamente invisível para suas presas e predadores.

É capaz de adquirir cores e desenhos muito intensos e brilhantes para atrair as fêmeas antes do acasalamento ou para manifestar o seu humor.

Alguns sapos também têm essa mesma capacidade de mudar de cor. Por exemplo, o sapo australiano pode escurecer a pele ou pode ficar verde.

A cor dependerá do ambiente em que o animal se encontra, seja no solo ou em uma floresta cheia de vegetação.

Um mimetismo que pode ser muito perigoso para outras espécies e até mesmo para humanos é o de algumas cobras.

Eles camuflam seus corpos para se misturarem com galhos, pedras ou areia.

Peixes e outros animais marinhos

  • O polvo-mímico é uma das espécies marinhas mais inteligentes e surpreendentes, pela sua capacidade de imitar outros animais marinhos, como cobras marinhas, raias ou águas-vivas. Ele faz isso não apenas através dos movimentos de seu corpo, mas também mudando as cores.
  • Alguns peixes-chatos, como o linguado, também são conhecidos por sua capacidade de mudar de cor dependendo do ambiente. Sua camuflagem adaptativa é realmente impressionante. Eles mudam de cor quando mudam de habitat, em apenas 8,5 segundos.
  • O cavalo-marinho também tem a capacidade de mudar de cor, para se misturar com o fundo do oceano ou com os corais. Este é o único mecanismo de defesa que ele tem contra seus predadores.

Pode interessar a você…

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*