A Velocidade Com Que O Corpo Queima As Calorias É Conhecida Como?

Quando o assunto é emagrecimento, muito se
ouve falar em metabolismo. Em boa parte das vezes, ele é apontado como culpado
pela dificuldade de eliminar os quilos extras.

Será que você sabe o que é o metabolismo e como ele funciona? Aquele papo de que “meu metabolismo não trabalha da forma que deveria” ou “eu engordo porque meu metabolismo é lento”, faz sentido ou é só uma desculpa de quem vive lutando contra os ponteiros da balança? Tire agora todas as suas dúvidas sobre o assunto!

O
que é metabolismo?

Por definição, o metabolismo é o conjunto de reações químicas e hormonais que acontecem no nosso corpo para gerar energia e mantê-lo funcionando. Ou seja, é a quantidade de calorias que o seu corpo queima para se manter ativo.

O organismo gasta calorias até quando está
em repouso, trabalhando para manter suas funções vitais, como respiração e
funcionamento cardiovascular, por exemplo.

Devido à influência destes fatores, cada pessoa possui um gasto diferente e precisa de energia de forma diferente para emagrecer, ganhar peso ou simplesmente para manter o peso atual.

A Velocidade Com Que O Corpo Queima As Calorias É Conhecida Como?

Metabolismo
x Dificuldade para emagrecer

A velocidade com que o corpo queima
calorias (chamada de taxa metabólica) determina o ritmo em que o corpo vai
trabalhar e a tendência a ganhar ou perder peso. A taxa metabólica é definida,
em grande parte, por características genéticas.

Um metabolismo lento leva ao acúmulo de gorduras. Por isso que algumas pessoas têm dificuldade em emagrecer e de se manterem magras. Outras são privilegiadas e têm um metabolismo acelerado. É importante ressaltar que, em qualquer caso, é possível aumentar a taxa metabólica, eliminando mais calorias para manter a boa forma.

Como
acelerar o metabolismo?

Para saber quantas calorias são necessárias em um dia, é preciso considerar peso, idade, sexo e nível de atividade física. Os homens possuem mais massa muscular e menor quantidade de gordura se comparados às mulheres, portanto têm o metabolismo mais rápido.

A prática de atividade física também aumenta o metabolismo, enquanto o avanço da idade diminui. A massa muscular presente no corpo também influencia o gasto energético, já que é um tecido metabolicamente ativo e quanto mais presente no corpo, mais calorias gasta.

A Velocidade Com Que O Corpo Queima As Calorias É Conhecida Como?

Embora seja determinado geneticamente é possível acelerar o metabolismo com algumas atitudes que ajudam a perder alguns quilinhos e ainda dão maior disposição.

A primeira delas é não ficar muitas horas sem comer ou fazer só duas ou três refeições exageradas ao dia. Isso deixa o metabolismo ainda mais lento e o corpo acaba estocando gordura. O ideal é comer de pouquinho em pouquinho, fazendo pequenas refeições a cada três horas e sempre nos mesmos horários.

A Velocidade Com Que O Corpo Queima As Calorias É Conhecida Como?

Outra forma de acelerar o metabolismo e a
perda de peso é comer mais proteínas e menos carboidratos. Os peixes, a carne
bovina, frango, ovos, leite e derivados são ótimas fontes de proteína e podem
ser incluídos na dieta.

Invista também nos alimentos ricos em fibras, pois eles exigem maior esforço do organismo desde a mastigação e em todo o processo de digestão. Dessa forma, o gasto energético é muito maior, auxiliando no emagrecimento.

Para evitar a desidratação e estimular o
metabolismo, beba muita água. O ideal é ingerir de oito a dez copos diariamente.
Dormir bem também é fundamental para manter todo o organismo funcionando em um
ritmo adequado. Por isso, procure dormir oito horas por dia e para garantir um
sono tranquilo, uma boa dica é tomar um banho morno relaxante antes de ir para
a cama.

Estou
acima do peso por causa do meu metabolismo?

Inúmeros estudos com milhares de pessoas
não conseguiram encontrar evidência de que pessoas com sobrepeso tenham
metabolismo mais lento que aquelas com IMC normal.

Na verdade, pesquisadores acreditam que é
exatamente o oposto: pessoas mais pesadas podem ter um metabolismo maior porque
elas precisam de mais energia para manter um corpo grande.

Além disso, estudos comprovam que as pessoas tendem a subestimar seu consumo diário de calorias. , temos uma tendência natural de comer mais do que realmente acreditamos que comemos.

Por isso o metabolismo não pode ser o vilão
da história: se você está ganhando peso, muito provavelmente está consumindo
mais calorias do que seu corpo necessita. Se você já fez um check up médico e
não encontrou nenhum problema de saúde, é hora de analisar seus hábitos e
começar a fazer mudanças para perder peso definitivamente.

Maneiras
de acelerar o Metabolismo naturalmente

Agora que você já sabe o que é metabolismo,
saiba que é possível estimular a queima de gordura através de um aumento nos
níveis de atividade física e alterações na dieta e no sono. Quanto mais você se
mexer e mantiver um estilo de vida saudável e ativo, maior será o seu
metabolismo.

• Atividade Física

Você pode queimar mais calorias com a
inclusão de exercícios aeróbicos e de força na sua rotina. As atividades cardio
– como a corrida – são uma maneira de queimar calorias, já que chegam a
eliminar mais de 300 calorias por sessão de 40 minutos.

Já os exercícios com peso ajudam a aumentar o porcentual de massa magra, e nós já sabemos que os músculos aceleram o metabolismo. Para obter melhores resultados é essencial que você se exercite pelo menos 3-4 vezes por semana, em sessões diárias de 30-60 minutos.

A Velocidade Com Que O Corpo Queima As Calorias É Conhecida Como?

• Alimentação para melhorar seu metabolismo

  • Além de evitar um corte extensivo das
    calorias que você consome diariamente, faça alterações em sua dieta de maneira
    a reduzir o consumo de carboidratos refinados e gorduras saturadas.
  • Ao mesmo tempo, eleve a ingestão de vegetais, proteínas magras, grãos e cereais integrais e gorduras saudáveis (azeite, óleo de coco, peixes de água fria).
  • Você também pode incluir na sua dieta
    alimentos que aceleram o metabolismo, como o chá verde, gengibre, pimenta,
    arroz integral, ovos, salmão e abacate.

• Sono

  1. Uma noite mal dormida não causa apenas
    olheiras: se você não tem um sono reparador, o sistema de controle do apetite
    entra em parafuso e você pode passar a sentir mais fome e vontade de comer
    doces e massas.

  2. O consumo excessivo de alimentos como
    carboidratos refinados pode causar alterações no metabolismo da insulina, o que
    por sua vez desacelera o metabolismo e facilita o ganho de peso.
  3. Poucas horas sob os lençóis também levam a
    uma maior liberação de grelina, o hormônio que estimula o apetite.

  4. Ou seja, além de cuidar da dieta e praticar exercícios, manter bons hábitos de sono é fundamental para facilitar a perda de peso.

A Velocidade Com Que O Corpo Queima As Calorias É Conhecida Como?

Fonte: dicasdemulher.com.br

A ciência da gordura: como ela é armazenada no corpo – e como queimá-la

Segundo o Ministério da Saúde, 51% da população brasileira com mais de 18 anos está acima do peso ideal. Se você está nesse grupo de pessoas, então tem alguns quilinhos de gordura para perder. E talvez você fique mais motivado ao ver meio quilo de gordura humana – você precisa eliminá-la do seu corpo agora mesmo.

No entanto, ainda há muitas concepções incorretas sobre a gordura — e alguns desses enganos podem atrapalhar seu esforço para perder peso. Então vamos nos livrar dessa desinformação ingerindo um pouco de conhecimento.

O que é a gordura corporal?

Vamos começar pelo lado bom: pense na gordura corporal como “energia potencial”. As calorias presentes na comida que você ingere são um combustível.

Depois que as calorias entram na sua corrente sanguínea, este combustível é queimado em vários processos metabólicos.

Isso inclui sua atividade muscular, digestão, respiração, funções cerebrais, crescimento dos cabelos etc. O básico da sobrevivência, para resumir.

Porém, algumas vezes nós consumimos mais calorias do que o corpo consegue queimar. Quando isso acontece, nosso corpo pensa: “ué, eu não preciso de toda essa energia agora.

Melhor guardar, vai que eu preciso mais tarde, né?” E aí começa o milagre da gordura. Seu corpo pega essas calorias que sobraram e guarda nas células de gordura (ou células adiposas).

Elas se expandem à medida que coletam mais combustível, e encolhem quando você usa um pouco dessa energia.

Mas preste atenção, esta é uma explicação muito superficial. É importante notar que, quando a energia potencial é estocada dentro das células adiposas, ela não está pronta para ser usada como antes, quando circulava pela corrente sanguínea.

Ela passa por uma conversão química que guarda a energia de maneira mais eficiente. É mais ou menos um arquivo .zip: isso deixa a energia mais compacta e fácil de armazenar, mas o conteúdo em si tem seu acesso dificultado.

Quando chega a hora de tirar a energia dessas células, outra conversão química se inicia para deixá-la pronta para uso.

Como é queimada a gordura?

Então, quando você perde gordura, para onde ela vai? A maioria das pessoas não sabe. Se você se lembra do princípio da conservação da massa, lá das aulas de química do colégio, sabe que a matéria não pode simplesmente aparecer ou desaparecer — ao invés disso, ela passa por reações químicas e muda de estado.

Leia também:  Animais Que Utilizam A Cor Como Sedução?

As mitocôndrias são o centro de energia da célula. Nos seus músculos ou fígado, elas tiram um pouco de gordura (estocada como triglicérides) das suas células adiposas e a colocam num processo metabólico que a transforma em calor, dióxido de carbono, água e ATP (trifosfato de adenosina). Vamos explicar um por um.

Calor: A energia térmica tem uma importância crucial na manutenção da sua vida.

Sabe como você, um mamífero de sangue quente, mantém sua temperatura em cerca de 37°C? Sim, queimando calorias! Quando você está com frio, queima bem mais calorias para permanecer quente.

E, caso você esteja se perguntando quanta energia térmica pode ser armazenada na gordura, faça o seguinte: frite um bacon, tire o excesso de gordura, ponha numa lata e coloque um pavio. Você ficará chocado com o tempo que esta vela improvisada ficará acesa.

ATP: nós precisamos de ATP para fazer os músculos funcionarem.

Nossa principal fonte imediata de energia é produzida quando quebramos uma molécula de fosfato do ATP, o que fornece uma pequena explosão de energia nos músculos.

O ATP se torna, então, ADP, e não pode ser usado novamente até que ele pegue outra molécula de fosfato. É o ciclo de Krebs, cara: ele leva combustível para seus músculos.

Dióxido de carbono: Sempre que você queima alguma coisa (veja o calor mencionado acima), isto reage e forma dióxido de carbono. Vale para a gasolina, vale para a gordura corporal. O dióxido de carbono irá viajar por sua corrente sanguínea até os pulmões, onde eles serão expelidos.

Água: A gordura, geralmente, parece meio molhada, né? É porque tem água nela. Você vai urinar a água formada no processo.

Então, é para aí que vai o peso que você perde.

Células adiposas são eternas

Eis um dos erros mais comuns sobre a gordura: quando você perde peso, você não perde nenhuma célula de gordura. Não, nem sequer umazinha. O corpo humano possui, em média, entre 10 bilhões e 30 bilhões de células adiposas, e elas serão para sempre suas.

Ah, mas sabe o que é pior? Se você ganhar mais peso, pode produzir mais células adiposas (pessoas obesas chegam a ter cerca de 100 bilhões), e de novo, você não pode perdê-las (a única exceção é a lipoaspiração, que remove fisicamente as células).

Então como é que a gente perde peso?!

As células de gordura agem mais ou menos como balões. Quando você perde peso, você retira algo desses balões inflados, ou seja, faz encolher as células adiposas. Você pode reduzi-las até que estejam praticamente vazias, mas elas sempre estarão lá — esperando para ser reabastecidas, atormentando seus pesadelos rechonchudos.

E más notícias: a gordura adora andar com mais gordura. Como ela e os músculos são basicamente inimigos (nós chegaremos lá ainda), suas células adiposas tentam erodir suas células musculares.

O pior é que, enquanto a maioria da gordura fica debaixo da sua pele, a mais perigosa se acumula ao redor dos seus órgãos internos – é por isso que a gordura abdominal é mais problemática do que nas outras áreas do corpo.

Esta gordura, chamada de gordura visceral, é metabolicamente ativa, e expele produtos bioquímicos que aumentam o risco de ataque cardíaco, derrame, insuficiência hepática, diabetes e pressão alta.

Além disso, a gordura visceral inibe a produção de um hormônio muito importante, chamado adiponectina, que regula o metabolismo do seu corpo.

Em outras palavras, quando mais gordura visceral você acumula, mais lentamente seu metabolismo irá funcionar – ou seja, mais fácil você armazenará gordura. É um ciclo difícil de quebrar.

Como são queimadas as calorias

Como a gordura corporal é composta basicamente por calorias estocadas, o jeito mais conhecido para perder peso é queimar mais calorias do que você está ingerindo. Faça isso e seu corpo irá começar a retirar as calorias que faltam das suas reservas de gordura. Há mais nuances que isso, claro, mas para a maioria dos casos, isso vale. Mas como exatamente estas calorias são queimadas?

Se você já fez algum exercício programado numa esteira ou numa bicicleta ergométrica, provavelmente já viu coisas como “cardio zone” ou “fat-burning zone”. Nós chegaremos lá daqui a pouco, mas por enquanto, tudo que você precisa saber é isso: o exercício físico é só um pedacinho da queima de gordura.

Há um excelente artigo (em inglês) na Active.com detalhando minuciosamente estes processos, mas aqui vai uma explicação resumida. Há três categorias de processos responsáveis pela queima metabólica. Entre 60% e 70% das calorias queimadas por dia são processadas apenas por você estar vivo.

Isto não tem nada a ver com se mexer. Nada. É a chamada taxa metabólica basal. Outros 10% a 15% são queimados pelo simples ato de digerir o que você come, o chamado metabolismo digestivo (ou efeito térmico do alimento).

 Como diz a Active, estes dois representam entre 70% e 85% — tudo isso mal tendo que mover um dedo.

Os últimos 15% a 30% vêm da atividade física, seja na forma de malhação (termogênese associada a exercícios, ou EAT) ou apenas por andar pelo seu apartamento (termogênese de atividades que não são exercício, ou NEAT).

Botando pra queimar

Bem, se entre 60% e 70% da queima de calorias está ligada ao seu metabolismo em estado de repouso, não faz mais sentido começar por aí? Sim! Vamos voltar à nossa vela de gordura do início do texto para fazer uma analogia. Veja o vídeo acima e perceba que, com o pavio curto, a gordura queima lentamente. Em cerca de 1:50, o pavio fica maior, o que faz a chama crescer. Com mais fogo, a gordura começa a queimar bem mais rápido.

Então, como nós podemos aumentar o fogo do nosso metabolismo interno?

A resposta mais simples é acrescentar músculos. O tecido muscular, em repouso, queima de duas a três vezes mais calorias que o tecido adiposo. Exercícios aeróbicos são importantes para sua saúde e condicionamento físico, não se engane.

 Mas se sua meta é queimar gordura, concentre-se um pouco mais em musculação e em exercícios calistênicos – que usam o próprio peso do corpo como resistência. Isto provavelmente trará resultados melhores e mais rápidos.

Não porque isto queime mais calorias enquanto você os pratica, mas porque isto aumenta sua chama metabólica, o que queima mais calorias o tempo todo.

Depois disso, vamos ver a alimentação. Lembre-se, entre 10% e 15% da sua queima metabólica vem da simples digestão da comida. Se você quer aumentar isso, pode adicionar mais proteínas magras ao que você come. A digestão de proteínas queima entre duas a três vezes mais calorias do que a dos carboidratos ou da gordura.

Além disso, mesmo que toda caloria consumida (seja ela tirada de proteína, carboidrato ou gordura) possa ser estocada como gordura, o corpo estoca mais prontamente a energia obtida da gordura consumida.

Dito isso, uma dieta equilibrada é extremamente importante para se manter saudável, e mais uma vez: se você quer perder gordura, deve consumir menos calorias do que gasta.

A Velocidade Com Que O Corpo Queima As Calorias É Conhecida Como?

Por fim, o componente dos exercícios (entre 15% e 30% do seu metabolismo). Então, sabe aquilo lá de “fat-burning zone”, zona aeróbica, tudo aquilo que aparece na sua esteira? Tecnicamente, isso não está errado.

Quando você se exercita numa intensidade menor, está queimando mais calorias que são obtidas da gordura; por outro lado, em exercícios de mais intensidade, a maioria das calorias queimadas vem dos carboidratos mais prontamente disponíveis, que são os que você consumiu recentemente.

PORÉM, tem uma coisinha. Dois terços das calorias que você queima não têm nada a ver com exercícios; mas isso só acontece se você consegue criar um déficit calórico. E você consegue isso muito mais facilmente com exercícios de alta intensidade e intercalados. Isso simplesmente queima muito mais calorias, então você tem um impacto (perda de gordura) muito maior.

Dizendo de outra forma: mesmo que os exercícios mais lentos, da “fat-burning zone”, tecnicamente retirem mais calorias da gordura durante o exercício, os exercícios de alta intensidade vão queimar mais calorias no total, o que resulta em mais calorias retiradas da suas reservas de gordura com o tempo, o que vai reduzi-las mais. Além disso, exercícios de alta intensidade tonificam mais os seus músculos — veja e compare os maratonistas com os velocistas. E, novamente, mais músculo resulta em um metabolismo mais ativo, e isso acaba queimando gordura mais rápido.

Para ser sincero, isto tudo é bem superficial. Este artigo tinha como objetivo ser uma visão geral e, por isso, há muitas coisas que não puderam ser incluídas. Os artigos que linkamos têm mais detalhes técnicos e, para aqueles que se interessarem, recomendamos consultá-los. Mas, para todo mundo, nós esperamos que este texto tenha esclarecido um pouco melhor sobre como perder a barriguinha.

Leia também:  Como Saber O Que Vou Receber No Irs?

Imagens por Olly/Shutterstock e Jonathan D. Blundell/Flickr

Treino metabólico de 20 minutos para queimar calorias e gordura localizada

Os alimentos termogênicos podem até auxiliar na aceleração do metabolismo, mas não são os únicos que fazem o seu corpo queimar calorias mais rapidamente. Aliar a dieta à prática de atividades físicas é uma combinação já conhecida por muita gente.

E se for com um treino metabólico então, melhor ainda. “O treino metabólico ou tensional, como é chamado, foca no alto gasto calórico”, explica a educadora física Tais Teixeira, professora da rede de academias Bio Ritmo, de São Paulo.

E você sente seus benefícios mesmo depois de horas da sessão, porque o organismo continua trabalhando.

O segredo está em aliar cargas menores com mais repetições e quase nenhum tempo de descanso. Dessa forma, sua frequência cardíaca aumenta mais e as gorduras vão embora (sem contar que você economiza tempo). Tais montou para nós um treino completinho de apenas 20 minutos! Não perca:

1. Flexão de braço

Luciano Munhoz/Luciano Munhoz

Deitada de barriga para baixo, mantenha os cotovelos afastados e as mãos na linha do peito. Apenas as pontas dos pés e as palmas das mãos devem tocar o chão. Expire enquanto desce lentamente. Caso esteja muito difícil, faça com os joelhos apoiados no chão.

O ideal é fazer todos os exercícios do treino com no mínimo 15 repetições e de 3 a 6 séries cada. O tempo de descanso deve ser nenhum ou mínimo. Vá testando seus limites.

2. Prancha com mãos alternadas

Luciano Munhoz/BOA FORMA

Na mesma posição da flexão, mantenha o tronco longe do chão, mas tome cuidado para o bumbum não ficar muito alto. Uma mão por vez toca o ombro. Também há a opção de realizar o movimento com joelhos apoiados no chão.

3. Prancha lateral alternando lados

Luciano Munhoz/BOA FORMA

De lado, com o antebraço direito apoiado no chão, deixe as pernas estendidas e unidas. Desencoste os quadris do chão e mantenha a cabeça alinhada com o pescoço (o corpo formando uma linha reta dos tornozelos aos ombros).

Ao invés de 15 repetições, fique na posição por 30 segundos, e depois vire para o outro lado. De 3 a 6 séries.

4. Abdominal infra

Fabio Heinzenreder/BOA FORMA

Deitada de barriga para cima, coloque as mãos embaixo do bumbum e eleve as pernas na direção do teto. Desça o máximo que puder sem que os ombros saiam do chão. Opção: realizar com joelhos flexionados.

5. Afundo alternando pernas

undrey/Thinkstock/Getty Images

Em pé, dê um passo à frente com um dos pés, descendo até formar 90° (o joelho da frente não pode ultrapassar a linha do pé). O joelho de trás afunda na direção do chão. Repita trocando as pernas.

Continua após a publicidade

Exercícios que mais queimam calorias: entenda!

Sabemos que a prática de exercícios físicos é importante para a manutenção do corpo e a qualidade de vida. Muitos alunos que entram na academia têm o objetivo de perder peso. Dessa forma, essas pessoas buscam realizar exercícios que mais queimam calorias, para que o treino seja eficiente.

De fato, fazer esse tipo de exercício vale a pena, mas é importante focar os esforços na qualidade do treino, baseado nas considerações dos Profissionais.

Afinal, de nada adianta fazer um exercício intenso se ele for realizado sem a orientação, pois muitos fatores influenciam no treino — intensidade, duração, número de musculaturas envolvidas e até mesmo a qualidade na execução —.

Por isso, sempre procure ajuda de Profissionais de Educação Física e siga à risca as recomendações do profissional.

Confira uma lista com os 10 exercícios que realizados na intensidade correta queimam caloria.

Exercícios que mais queimam calorias

Os exercícios intensos podem ser realizados com um objetivo específico de perder oxidar (queimar) gordura ou para aqueles que possuem pouco tempo para treinar, mas querem um treino pesado. Confira algumas dicas.

Corrida intensa

Uma corrida intensa pode consumir bastante calorias.

Em uma velocidade média de 12km/h, é possível consumir entre 860 a 1000 calorias em um treino de uma hora — considerando que cada indivíduo possa ter uma resposta diferente, por conta da individualidade biológica —. Claro que você pode reduzir o tempo ou alternar o treino entre momentos de corrida e caminhada. O importante é respeitar o seu ritmo e o seu corpo!

Tabata

O método Tabata é bastante conhecido por ser um treino de alta intensidade. Ele permite queimar gordura e tonificar o corpo em uma série de exercícios específicos e focados.

De modo geral, o padrão é que seja feito um exercício intenso durante 20 segundos e o descanso entre eles deve ser apenas 10 segundos. Os exercícios podem ser escalador, agachamento ou burpee, por exemplo.

Dependendo do número de séries que você consegue fazer, é possível queimar até 900 calorias.

Subir escadas

Esse exercício consome bastante caloria e pode ser feito em casa, na sua escada, ou na academia em simuladores específicos. Dessa forma, quanto mais intenso o exercício, maior será a queima das calorias. Ao subir as escadas, você define coxas, glúteos e melhora a capacidade respiratória, podendo perder até 600 calorias em uma hora de prática.

Pular corda

Pular corda também é um exercício que queima bastante caloria devido à intensidade do exercício. Em uma média de 120 pulos por minuto, é possível consumir entre 600 a 800 calorias por hora. Essa opção é divertida e pode ser intercalada com outro exercício mais leve.

Boxe

O boxe e outras lutas também são exercícios que queimam bastante caloria. Ao realizar essas atividades, há uma maior movimentação do corpo e braços. Ele também ajuda na coordenação motora e reduz o estresse. Um treino de uma hora pode garantir a queima de até 500 calorias.

Burpees

O burpee não é um exercício para iniciantes, pois a prática é bastante intensa e sua execução é complexa. Mas, para aqueles que já estão habituados a práticas mais intensas, ele é uma ótima opção.

O burpee consegue trabalhar os músculos abdominais e as partes inferiores e superiores do corpo.

Um treino funcional de 30 minutos com a inserção de sequências de burpees pode consumir entre 350 a 500 calorias.

Agachamento

Os agachamentos também consomem energia e exercitam músculos das pernas, panturrilhas e glúteos. É possível fazer o agachamento sumô, isometria, com afundo, salto e associado a pesos. Assim, quanto mais intenso e longo for o exercício, maior o consumo das calorias. Um treino de 30 minutos com a inserção de sequências de variações de agachamentos pode consumir entre 350 a 500 calorias.

Escalador

O escalador, embora muitos acreditem que seja um exercício apenas para os abdominais, também auxilia as demais partes do corpo. Ele é um exercício bem intenso, mas que se feito corretamente queima bastante caloria.

Uma vantagem é que ele possui baixo impacto, então, quem tem problemas de joelho, por exemplo, pode fazê-lo. Um treino funcional de 30 minutos com a inserção de sequências de escalador pode consumir entre 350 a 500 calorias.

Bicicleta estacionária

Em um ritmo alto, um treino na bicicleta estacionária pode garantir o consumo de até 600 calorias em uma hora. Você pode fazer um treino intercalando as intensidades: 10 segundos de pedalada intensa com 50 segundos de pedalada moderada ou ainda 15 de pedalada intensa e 45 de moderada e assim sucessivamente.

Dessa forma, percebemos que há vários tipos de exercícios que contribuem com a queima de calorias. Contudo, também é importante fazer aqueles que dão mais prazer e satisfação e sempre com a orientação de um Profissional de Educação Física. Caso contrário, você pode acabar ficando desestimulado e desistindo da prática dos exercícios.

Podemos concluir que os exercícios que mais queimam calorias desenvolvem as aptidões cardiorrespiratórias do indivíduo, pela melhora da capacidade de consumo de O2 durante o exercício, aumentando a resistência do praticante em um menor espaço de tempo, desde que seja praticado com regularidade e intensidade necessárias para proporcionar estes ganhos. Como consequência destas adaptações fisiológicas do organismo, há um maior gasto energético, que ajuda a oxidar (queimar) mais gordura.

10 alimentos que ajudam a queimar gordura

O objetivo de muitas pessoas não é somente emagrecer, mas também ajudar a queimar gordura e ficar com o corpo mais torneado e definido.

A prática regular de atividades físicas é fundamental para queimar gordura, mas alguns alimentos também podem atuar como aliados nessa dura batalha, dando-nos uma forcinha extra para exterminar a gordura acumulada de uma vez por todas.

Neste artigo, mostraremos 10 dos alimentos mais poderosos para queimar gordura. Aproveite já os seus benefícios e inclua-os em uma dieta balanceada; você com certeza vai notar a diferença não só no seu corpo, mas também na autoestima e no bem-estar.

Leia também:  Como Saber Quanto Vou Receber De Irs?

Alimentos para queimar gordura

1. Pimenta vermelha

A pimenta vermelha possui um composto chamado capsaicina, que é capaz de aumentar a temperatura do corpo, acelerar a velocidade do metabolismo e ajudar o organismo a queimar calorias em excesso. Ele está presente em variedades como a pimenta dedo-de-moça, biquinho e caiena.

Você pode acrescentá-las a sopas, molhos e pratos de arroz para aumentar o potencial de queima de gordura da sua dieta.

2. Vegetais crucíferos

Os vegetais crucíferos como o brócolis, couve, espinafre, repolho, alface, couve-flor e acelga são carregados de vitaminas e minerais importantes para o organismo. Além disso, oferecem saciedade e têm pouquíssimas calorias, evitando exageros e ajudando no emagrecimento.

Eles contam ainda com um fitonutriente chamado sulforafano, que estimula uma enzima que, quando liberada, orienta nossas células a queimar mais gordura.

3. Chá verde

  • Além de conter uma quantidade significativa de cafeína, que ajuda a queimar mais gordura, o chá verde possui uma substância conhecida como epigalocatequina galato, que comprovadamente é capaz de acelerar o metabolismo de forma temporária.
  • Este poderoso antioxidante faz com que um determinado hormônio envie um sinal para que o corpo quebre células de gordura usando a energia estocada.

4. Gengibre

Além de oferecer inúmeros benefícios para o organismo e para a saúde, com suas propriedades anti-inflamatórias e antivirais, o gengibre ainda pode ser um grande aliado na luta para queimar gordura.

Ele atua como um termogênico natural que acelera o metabolismo e aumenta o gasto calórico. Além disso, tem uma leve ação inibidora do apetite e ajuda a regular o processo digestivo.

5. Castanha-do-pará

Esta oleaginosa é uma verdadeira “queimadora de gordura”. Ela acelera o metabolismo por converter os hormônios da tireoide para a sua forma ativa.

Além disso, a castanha é capaz de se aderir a toxinas e contribuir para eliminá-las, uma ajuda inestimável já que, caso contrário, elas se alojariam em células de gordura e poderiam causar celulite.

A recomendação é consumir uma ou duas castanhas-do-pará diariamente para obter seus desejados benefícios.

6. Óleo de coco

  1. O óleo de coco é a melhor fonte de triglicerídeos de cadeia média, tipo de gordura saudável que o corpo usa preferencialmente como energia, dando menos oportunidade para que seja estocada.

  2. Estudos mostram que o consumo de óleo de coco pode ajudar principalmente na redução da gordura na região abdominal, local onde a maioria das pessoas quer perdê-la.

  3. Para incorporá-lo à dieta, use-o para cozinhar, substituindo o azeite de oliva (mantenha este último para temperar a salada, pois ele oferece outras vantagens).

7. Semente de chia

Este verdadeiro superalimento é carregado de fibras, ômega 3 e proteínas, e oferece uma sensação duradoura de saciedade, além de aumentar o metabolismo. As sementes ainda estimulam a liberação de glucagon, um hormônio que ajuda na queima de gordura.

Antes de consumi-las, deixe-as de molho por 15 minutos para que elas inchem (podem chegar a até 10 vezes seu tamanho original).

8. Aveia

A aveia é riquíssima em fibras. Para conseguir quebrá-las, o organismo gasta muitas calorias durante o processo de digestão, contribuindo também para a queima de gordura.

Este alimento também ajuda a regular os níveis de açúcar no sangue, prevenindo picos de fome que podem causar a ingestão exagerada de calorias.

9. Ovos

Incluir ovos na dieta é uma das melhores maneiras de reduzir medidas e perder peso. Eles oferecem uma mescla única de nutrientes, vitaminas e minerais que promovem saciedade, além de possuírem uma combinação incomparável de aminoácidos essenciais para o organismo.

Os ovos também são ricos em vitamina B12, que é usada pelo nosso corpo para metabolizar a gordura. Dessa forma, sua ingestão é muito benéfica para a eliminação das células adiposas.

10. Salmão

Este peixe saboroso é ideal para reduzir medidas e queimar gordura abdominal. Rico em ômega 3, seu consumo regular ajuda a melhorar a sensibilidade do organismo à insulina, contribuindo para encolher as temidas células de gordura que temos no abdômen.

O salmão também ativa o hormônio da tireoide e, portanto, ajuda a acelerar o metabolismo e potencializar ainda mais a queima de gordura.

Pode interessar a você…

Como realmente acelerar o seu metabolismo

Sim, você realmente pode acelerar seu metabolismo, embora provavelmente não seja com pílulas dietéticas, chá verde ou qualquer outro produto de solução rápida. Só existe uma maneira real de fazer a diferença na maneira como seu corpo queima calorias: aumentando sua massa muscular magra.

Para entender o porquê, você precisa entender um pouco da ciência por trás do metabolismo. Sua taxa metabólica é essencialmente a velocidade com que seu corpo gasta energia e depende de muitos fatores diferentes.

 Sua idade, peso, histórico de saúde, função de órgãos, capacidade de oxigênio e até sua altura podem influenciar quantas calorias você queima durante o exercício, mas também (e mais importante) durante períodos sedentários do dia.

A maior parte do seu metabolismo em repouso é absorvida pelos seus órgãos – cérebro, coração, fígado, etc. Mas o maior fator que afeta o seu metabolismo que você pode controlar é a proporção de gordura corporal e massa muscular magra.

 “O músculo queima mais calorias do que o tecido adiposo, porque exige mais energia para manter”, diz Harold Gibbons, diretor da Associação Nacional de Força e Condicionamento do Estado de Nova York.

 “Quanto mais gordura você tiver, mais lento será o seu metabolismo.”

+ Musculação e aeróbico no mesmo dia, pode? Veja a resposta!

Apenas perder quilos provavelmente não ajudará, já que a maior parte da perda de peso é uma combinação de gordura e tecido muscular. “Geralmente, quando as pessoas perdem peso, seu metabolismo diminui”, diz Kim Sasso, nutricionista do Sistema de Saúde da Universidade Loyola.

 Isso faz sentido; você não precisa de tanta comida para manter um peso corporal mais baixo.

 Mas se seu objetivo é simplesmente aumentar o seu metabolismo, diz Sasso, “não é até você começar a diminuir sua porcentagem de gordura corporal e a substituí-la pelo aumento da massa muscular, você começa a ver uma diferença na sua taxa metabólica em repouso”.

Você pode ver para onde isso está indo: para acelerar seu metabolismo, você precisa treinar com força. E como os dois maiores músculos do corpo são os glúteos e as coxas, exercícios na parte inferior do corpo, como agachamentos e afundo, são um ótimo lugar para começar, de acordo com Sasso.

“Apenas aumentando sua massa muscular nessas duas áreas, você pode queimar mais energia ao se exercitar”, diz Sasso.

Além disso, exercícios de força têm um benefício adicional que acelera o metabolismo.

Como esse tipo de treinamento anaeróbico envolve a quebra e a recuperação do tecido muscular, o corpo precisa queimar mais calorias nas 24 a 48 horas após cada sessão – um fenômeno conhecido como consumo excessivo de oxigênio pós-exercício, EPOC ou informalmente, “pós-combustão”. No entanto, atualmente os pesquisadores estão debatendo quão intenso é realmente o pós-combustão.

+ Três segredos para elevar a sua performance no esporte

Cardio ainda é importante também. “A função respiratória é outra grande parte do metabolismo e, para aumentar isso, você precisa aumentar regularmente sua frequência cardíaca”, diz Sasso.

 Ela recomenda longos períodos de caminhada, corrida ou alguma outra forma de atividade aeróbica moderada a intensa, bem como treinamento em circuito de peso corporal sem descanso entre as séries.

 Gibbons salienta que os exercícios aeróbicos geralmente queimam mais calorias durante os exercícios do que o treinamento de força – também importante se seu objetivo geral é perda de peso ou manutenção de peso.

Quanto aos alimentos e suplementos, nada demonstrou ter um impacto significativo na taxa metabólica.

 “O chá verde tem a reputação de ser um impulsionador do metabolismo porque possui compostos como a cafeína, mas o efeito é tão pequeno que é insignificante”, diz Sasso.

 A proteína também é marcada como estimulante do metabolismo, porque o corpo usa mais energia para digeri-la do que para gordura e carboidratos. Mas esse efeito é apenas temporário e, novamente, não é grande o suficiente para fazer uma diferença real por si só.

As más escolhas alimentares e de estilo de vida podem, por outro lado, retardar um metabolismo saudável. Especificamente, não comer a cada poucas horas ou consumir poucas calorias no geral, pode colocar seu corpo no modo de inanição, de modo que ele se apega à energia (e à gordura) enquanto for possível. Também não foi demonstrado que dormir o suficiente causa desregulação metabólica.

Conclusão sobre acelerar o metabolismo:

Reduza a gordura corporal, desenvolva massa muscular magra, durma bastante e não pule as refeições, para acelerar seu metabolismo e, assim, queimar mais algumas calorias em repouso. Se você estiver realmente interessado nos números, os testes metabólicos, que medem sua taxa metabólica em repouso, podem ajudá-lo a acompanhar seu progresso.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*