q

Jean Mello

Jornalista, especialista em Planejamento de Mídias Digitais (FGV) e Web Analytics (Google Academy).

Poesias

Diariamente busco com afinco as palavras mais próximas de resumir sentimentos, acontecimentos, realidades, fantasias, premissas observadas pela sensibilidade afiada que o ato de escrever e de ler o que está em cada esquina de minha existência só faz crescer, multiplicar em meu ser.


 

 

 

 

 

 

A Aurora chega à periferia de braço dado com o poeta, vibra, Lira Periférica.

Amanhece o dia.
O dia amanhece na periferia.
Abrem-se as janelas, das casas e barracões,
de tábuas e alvenarias,
E começa um novo dia.

O bar e mercearia do Seu Joaquim!
Já de portas abertas, pra vender pãozinho francês.
Dona de casa sai pra comprar o pão.
O ocioso, já com copo de álcool no balcão.
Homens e mulheres se enfrentando
nos pontos, à espera de lotação.
Uns já atrasados, outros já cansados.
Todos assalariados.

A religião é a porta aberta pra dor…

Raiz de males perdidos,

Pensei até em estar ouvindo a voz perfeita

Quando percebi estava novamente no fundo do mar

Palavras doces, sorrisos belos,

Apenas fruto das mais astuta ilusão

Os homens apreciam leis imperfeitas

E tentam nos convencer de que é fruto do mais puro amor, da mais sublime perfeição

 

Quando isso vai acabar?

Não precisamos nos entregar para o fim…