q

Jean Mello

Jornalista, especialista em Planejamento de Mídias Digitais (FGV) e Web Analytics (Google Academy).

Blog

Resenha Crítica da obra Fim de Tarde, de Jean Mello
(Constructo de Alba Atróz – 29 de maio de 2016)

O meu trabalho como resenhista tende a valorizar o autor e sua obra, mas, sobretudo, digo que viso despertar a vontade de ler e adquirir conhecimentos através desse importante ato. Desta vez, trago à tona “Fim de tarde”, de Jean Mello. Uma obra que clareia com profunda e amparadora luz literária uma parte muito escurecida da cidade, infelizmente; dormitando, por assim dizer, no entorno, à margem, num submundo que anseia ser visto e amparado pela superfície de um contraditório mundo, e que, sem dúvida, tem muito a ensinar e aquecer os frios da alma.

Nova interpretação, instrumental tocante, poesias soltas no ar para combater qualquer mal que nos assola desde tempos não alcançados por qualquer memória histórica.

Dez anos depois do lançamento da versão original de Ainda há tempo, Criolo nos presenteia novamente. Música muito conhecida pelos fãs. Uma das mais famosas.

Intouchables (Intocáveis),  filme francês. Um dos mais sensíveis que já assisti. Não tenho palavras para descrever. Compartilho o release oficial.

Considerado um fenômeno mundial, ´Intocáveis´ traz a história de um aristocrata que contrata um jovem para ser o seu cuidador após um acidente de parapente, o que o deixou tetraplégico. O que era para ser um período experimental, acaba virando uma grande aventura. Amizade, companheirismo e confiança são os elementos que transformam esse filme tocante e inesquecível.

Ao fundo, várias imagens me remetem aos ares milenares dos mundos. Em minha frente, veículos passando, não apenas particulares, mas públicos, demonstrando que, realmente, os movimentos da cidade não cessam.

Ar poluído, registrei algumas poucas árvores restantes da selva que, hoje em dia, se transformou em puro concreto.