q

Jean Mello

Jornalista, especialista em Planejamento de Mídias Digitais (FGV) e Web Analytics (Google Academy).

Blog

Poucas pessoas param para pensar e discursar acerca do impacto que as revoluções tecnológicas causa no cotidiano.

Enquanto fenômeno de caráter social – quando penso no número de informações que as pessoas acessam no cotidiano – os acessos à internet, de qualquer lugar, dinamiza e muito a visão que as pessoas passam a ter da realidade. São versões diversificadas de um mesmo acontecimento. Agora não apenas de algumas mídias oficiais, centradas apenas em compromissos com patrocinadores, chegam as notícias.

Diariamente busco com afinco as palavras mais próximas de resumir sentimentos, acontecimentos, realidades, fantasias, premissas observadas pela sensibilidade afiada que o ato de escrever e de ler o que está em cada esquina de minha existência só faz crescer, multiplicar em meu ser. Entre as inúmeras...

Qual é o preço que todos os seres humanos pagam pelas injustiças que vemos no mundo afora? Quem faz as regras? Garanto que os que estão longe do chamado poder não conseguem determinar o que é chamado de hegemônico. Espero que caminhemos um dia para um...

Meu último texto do ano… Só o Rap mesmo para me fazer sentar e escrever – mesmo quando tinha prometido me concentrar na finalização da gravação de meu disco – para fechar com chave de ouro.

São várias belezas nas quebradas, principalmente as musas de pele preta. Nossos olhos adultos, carregados de vivências, não conseguem enxergar. Mas como enxergávamos as coisas quando éramos criança? Tudo, até as maldades, como víamos?

Não, elas não complicam, simplesmente andam em direção à confiança que elas depositam nos adultos. Ou vão, simplesmente, de encontro ao que o coração diz. Imagine este mundo atual interpretado pelo olhar infantil? Não o infantilizado, mas o perfeito, simples, puro, herança de um reino que longe está de nós todos.

Aos olhos de uma criança

Foi o que o novo som de Emicida nos mostrou. Aos Olhos de uma Criança, trilha sonora do filme O Menino e o Mundo, constitui-se em uma chuva de palavras e imagens que só faz com que a saudade da infância aumente. Não se trata de saudosismo, nem de arrependimentos por falta de aproveitamento da fase.

Tempo 2

Tempo de liberdade e de prisão condicionada.

Sofisticados pensamentos, cansaço! Exaustão, percepção, metáforas, uma pausa para um pouco de café e de vida.

Um filme, alguns acordes de guitarra, empunhado de música e poesia estou mais perto da impossível liberdade.

Certo e ao mesmo tempo incerto, com os olhos ao longe da solidão e da falta de amor tão sem razão.

Preciso e pessimista, coloquial e prolixo. Ainda crendo no amanhecer periférico e que estas ideias serão propagadas por lugares que nunca esperei.
Olhando para as imagens com desconfiança e admiração. Não me iludindo com os contrastes sociais.

Percebendo nos faróis da metrópole meninos e meninas com o rosto marcado e clamando por um trocado.