q

Jean Mello

Jornalista, especialista em Planejamento de Mídias Digitais (FGV) e Web Analytics (Google Academy).

Um poema nosso… A força de uma palavra qualquer…

Quando nasce uma poesia junto com ela vem o sentimento, alegre ou triste;
Simplista meu detalhamento acerca dos sentimentos não é? São apenas palavras…
As palavras se juntam e dá pra ler ainda mais que o que está no papel,
Não se restringe ao que está escrito, dito, compartilhado
Diz muito mais que as palavras impressas, fala até mais que o poeta
Não precisa de rima e nem de algumas regras desnecessárias,
O que não pode ficar de fora é a alma no papel
Sem o que vem de dentro não tem poesia, sobra simplesmente a técnica
Nasce aqui um militante poeta, ou um poeta militante?
Surge o que faz parte de uma história anterior nunca antes registrada.
Alguém indignado com as injustiças sociais, discriminação de qualquer natureza
Um ser humano que vê o mundo repleto de desumanidades,
Que são atitudes humanas, sem brilho e com muita maldade,
De gente que insiste em derramar sangue,
Multidão que não vê cada vida escoar pela calçada,
Também não ouve o ecoar das vozes…
Nada, nem sequer uma abertura para novas opiniões,
Apenas o que passa e nada constrói, apenas destrói o que um dia cresceu.
Num tempo distante, com ideias jogadas lá no horizonte
Quase ninguém sabe de que lugar vem a tristeza que aparece sem avisar
Sobra a poesia, apenas para espantar o medo
Ou fazer entender por qual motivo ele chega
O que importa é que a poesia vai se formando e tomando forma…
Quem sabe você não entende? Já parou para observar?
Não! Tantas perguntas apenas confundem os tolos…
Quais foram os dias? Quais sonhos ficaram pra trás?
Não dá pra dizer… Aqui não! Quem sabe em um lugar qualquer…
Enquanto não chega a hora, fique pensando em o que fazer
Sobra a inspiração que chegou e está quase indo embora,
Tudo baseado naquilo que foi vivido ou naquilo calcado no tempo presente,
Uma música pode desencadear qualquer processo de criação artística,
Um choro, qualquer lembrança, a vida que passa de qualquer forma…
Nem sei ao certo se o que aqui escrevo é mesmo um poema,
Pra mim é e nem passou por revisão para ser publicado,
É o que é e sempre será… É o que me foi entregue…
É o que sempre foi… Apenas ideias, sem pretensão de alcançar o mundo
Um encontro desencontrado, alguns goles de vinho tinto…
Palavras que encontram seu destino, presença pelo que se apresenta,
O que se apresenta é real em meus dias, alegria quero sentir em saber que é real pra você…
Sentar pra escrever e ver nascer algo é o gozo do escritor…
O que acontece quando se vê um escrito influenciando a realidade?
Pode responder essa pergunta… Qualquer sentimento se transforma em algo visível…

2 Comments
  • Que texto delicioso! A alma do escritor traduz os belos momento e pedaços da sua vida.

    “Viver sem filosofar é o que se chama ter os olhos fechados sem nunca os haver tentado abrir.”
    (René Descarts)

    Outubro 12, 2011
  • adoro poesia nossa me amaro muito

    Agosto 5, 2012

Leave a Comment

Your email address will not be published.

*

CommentLuv badge

%d bloggers like this:
Read previous post:
Sarau Virtual… [entrevista com André Luiz dos Santos e Angélica Rente]

Angélica Rente e André Luiz dos Santos são meus amigos de faculdade, de quando estudava na Universidade São Marcos. É...

Close