q

Jean Mello

Jornalista, especialista em Planejamento de Mídias Digitais (FGV) e Web Analytics (Google Academy).

Sol e chuva me inspirando!

Nesse dia eu estava correndo no Parque Villa Lobos. Sei lá, deu vontade de ir lá e correr. Não moro perto, estava de passagem. Tinha trabalhado o dia inteiro.

Entrei, andei pelo parque. Vi pessoas brincando, namorando, sentadas, conversando, dando risada, lendo, cantando. Estava bem bonito o dia. Eu estava muito observador. Pensativo, mas observando tudo. Coisa de quem escreve. Não procuro algo que me inspire. Tudo me inspira. Muitas coisas são encantadoras. As pessoas são, as paisagens também, as músicas do cotidiano, a vida.

Os sonhos também são, ainda mais as realizações em torno daquilo que está apenas na imaginação. Leveza, tudo como a pena da escrita do passado. Sinto-me como os clássicos, dediquei-me muito para lê-los. Meu sentimento é parecido com o deles. Não por me achar genial. Apenas por tê-los como alicerce da escrita. Filósofos são minha base. Educadores também. Psicólogos, muitos. Jornalistas, aos montes. Blogueiros…

Tudo isso quando percebo que são apoiados no passado imemorial ou registrado, não tendencioso, em busca da plena verdade. Acho que no parque eu estava buscando alguma verdade. Fora, mas sei que na verdade o que eu buscava estava dentro de mim. Então fui correr… Correr e pensar!

Mas precisei ver algo que estava ao meu lado esquerdo. O sol… Ele estava gritando, pedindo para ser fotografado. Mesmo com a vista da Selva de Pedra… Mais um Final de Tarde em minha vida. Todos que me leem sabem o quanto isso é caro para mim. Coloque na parte dedicada a pesquisa de conteúdos antigos dessa página e verá quantas vezes aparece Final da Tarde.

Naquele dia era pra ser assim. E agora que consegui registrar. Quantos foram os dias que você não conseguiu registrar, mas realmente foram de suma importância? Procuro registrar todos. Isso é mais importante que qualquer quantia financeira.

Acho que é por isso que escrevo. Para compartilhar registros fidedignos do real. A vida é um conjunto de registros de tristezas e alegrias, sensações e reflexões, realidades e fantasias, pensamentos e mais pensamentos. Passado, presente e porvir.

Novamente eu no Final da Tarde. Nada de rancor. Sorrisos… Eu olhando para o sol. Pude pensar não apenas naquele final do dia, mas nos recomeços da vida. Já parou pra pensar nisso?

Mas teve outro dia… Esse não registrei com imagens! Está apenas em meu pensamento e em poesia musicada. Uma chuva inspiradora.

Créditos: Marcos Nascimento

Estava em casa e peguei o violão que estava de lado. Eu sabia que nasceria uma nova música.

De tempo em tempo a esperança. A sua história é sua beleza em mim. Mesmo as tristes misérias do passado… Hoje posso senti-las como impossível amanhã.

Não era simples chuva. Ela foi gatilho para belos pensamentos. Essa é ainda uma música inédita para o grande público. Não quero deixar nenhum tempo fugir. Todos eles têm registro.

Qual herança está deixando para quem chegar um pouco depois? Herança não é apenas para quando você se for. Os pequenos te imitam, se espelham em seus acertos e erros. Já parou pra pensar nisso?

PS – Minha trilha sonora para escrever essas palavras foi o álbum Economy, de John Mark McMillan.

Posts Relacionados

Leave a Comment

Your email address will not be published.

*

CommentLuv badge

%d bloggers like this:
Read previous post:
Saudade Poética!

Saudade também é gatilho para inspiração. Essa é minha trilha sonora de agora. Podemos sentir saudade do ontem. Sentir saudade...

Close