q

Jean Mello

Jornalista, especialista em Planejamento de Mídias Digitais (FGV) e Web Analytics (Google Academy).

Não existe amor em São Paulo

 

Você também acha que essa cidade favorece aspectos da solidão e não valoriza sua efervescência cultural? 

Quero sim um gole de vida em uma cidade que agoniza pela falta de amor e pelo isolamento social. Sei que os desenhos estampados nas paredes gritam de vontade de expressar que a cidade do potencial econômico tem de valorizar mais seu universo cultural.

Ainda bem que existe algumas alternativas, em saber que  alguns, através da cultura e da educação, querem ver nascer um lugar diferente e que nada têm de ligação com os interesses bancários, aqueles em que nas avenidas ou em lugares inusitados tratam as pessoas pelo valor de crédito que elas têm. Quando é que nos daremos conta de que os artistas estão gritando e dizendo verdades através da arte e poucas pessoas estão dando ouvidos?

Vá num Centro Cultural… Um sarau em algum lugar que é classificado como cultura periférica te espera! Em centenas de blogs e sites você pode ver assuntos em tempo real sobre a cidade da exclusão social.

As letras das poesias e das músicas tocadas em bares é que dão um pouco da vida para almas vazias que estão esperando alguma novidade. Estamos em um labirinto místico em que pessoas perdidas caminham em vários becos de solidão. São muitos os que reagem, mas ainda não é suficiente – efeito colateral do sistema, aos poucos o grito de cada excluído vai tomando corpo em extremos e centro da cidade.

Não agonize junto com o egoísmo dos nossos governantes – da cidade e do estado – que dão risada com a repressão do Pinheirinho e outras violências como as que vem ocorrendo na Universidade de São Paulo, por exemplo, que a velha mídia, comprada pelos donos do capital financeiro, insiste em dizer que floresceu em decorrência da maconha.

5 Comments

Leave a Comment

Your email address will not be published.

*

CommentLuv badge

%d bloggers like this:
Read previous post:
A juventude que não é levada a sério..

  Conheço muitos jovens que gostam de caminhar de noite, encontrar nestas idas e vindas a liberdade. Mas não me...

Close