q

Jean Mello

Jornalista, especialista em Planejamento de Mídias Digitais (FGV) e Web Analytics (Google Academy).

Em um beco crianças jogando bola!

Em um beco, travessa da Yervant Kissajikian, zona sul de Sampa, Cidade Ademar. De dentro do busão, contemplei algumas crianças jogando bola. Foi pouco tempo, mas parece que durou a eternidade que o momento me permitiu. Tempo duradouro, livre.

A bola parecia velha e, mesmo assim, pude vê-los, meninos sorrindo, gargalhando. Não prestei atenção em mais nada em volta, nem se o ponto que eu ia descer estava chegando, apenas no simples ato de brincar.

É, mas não iria ficar estático, tinha de vir o movimento. Interrompido fui ao, depois de quase ter entrado em êxtase – é muito raro ver crianças brincando perto das movimentadas avenidas –, o contraste me obrigou a observar o bar lotado de pais de família, em plena luz do dia. Detalhe, a maioria composta de homens negros.

Existem várias discussões sobre estas questões. Mas nas periferias não precisa de dados estatísticos para perceber o efeito devastador que isso produz nas famílias e nas relações sociais. Óbvio, reduzir aos efeitos, e não tocar no assunto das causas, seria um caminho um tanto quanto irresponsável de minha parte. Faço uma reflexão em cima das origens em outro texto.

Todo mundo se cala, no assunto ninguém toca. Sério, preferia ter parado na cena das crianças brincando. Não por moralismo, e sim por saber da realidade. Estava bem melhor assim…

No Comments

Leave a Comment

Your email address will not be published.

*

CommentLuv badge

%d bloggers like this:
Read previous post:
O sonho de Luther King não virou pó!

 Ainda vivo, permanece nas atitudes e pensamentos de militantes, culturais ou políticos, mas, também, espirituais Como construir sonhos sem citar...

Close