Como carregar uma bateria arriada (com imagens)

Mercado conta com diversos modelos de carregadores portáteis para uso residencial – conversamos com especialistas para saber como usá-los

Tem se encontrado no mercado muitas ofertas de carregador de bateria de carro. O aparelho é portátil e se propõe a recarregar uma bateria arriada, salvando o motorista quando seu veículo se recusa a ligar. Mas será que esse aparelho é seguro?

LEIA MAIS:

“Esse aparelho, considerando seu custo, pode ser uma comodidade. Seu carro ou moto não pega, e você pode resolver isso sozinho. Não vejo grandes riscos em utilizá-lo”, analisa Ricardo Takahira, engenheiro elétrico membro da comissão técnica de Veículos Elétricos e Híbridos da Sociedade de Engenheiros da Mobilidade (SAE) do Brasil.

O especialista aponta, entretanto, que não é normal a bateria de um carro se descarregar. Quando isso fica acontecendo com frequência, é porque o veículo tem um defeito e deve ser levado a uma oficina.

Apesar disso, para o engenheiro, não há grandes riscos envolvidos no uso do carregador de bateria de carro. Na análise de Takahira, esses aparelhos já são voltados para um usuário leigo, e impedem que se cometa um erro grave.

E a Baterias Moura concorda com o engenheiro. Contudo, apesar da aparente simplicidade do dispositivo, ambos apontam precauções que devem ser tomadas ao utilizá-lo.

Leia o manual

Em primeiro lugar, Takahira recomenda que se leia, com atenção, o manual do carregador de bateria de carro antes de utilizá-lo. Existe mais de um tipo à venda, e cada um terá um especificidade.

Como Carregar uma Bateria Arriada (com Imagens)Carregador de bateria de carro portátil: foto ilustrativa, pois modelos vendidos no Brasil para o público leigo têm aparência um pouco diferente e costumam ter o medidor digital

Todos eles funcionam ligados a uma tomada, então, esse é o segundo cuidado, de acordo o engenheiro: certifique-se de que a voltagem do dispositivo é a mesma que a da tomada (110 v ou 220 v), caso ele não seja bivolt (funciona em qualquer uma das duas).

Como saber que a bateria foi carregada?

  • Outra coisa que é diferente de acordo com o modelo são as funções do carregador de bateria de carro.
  • Alguns equipamentos vão ter uma luz que indica quando a bateria está carregada, outros têm um mostrador digital que indica a tensão alcançada pela bateria, e outros desligam sozinhos quando ela está carregada.
  • Por causa disso, é importante ler o manual.

Caso o modelo indique apenas a tensão da bateria, espere ela chegar entre 12 v e 14,8 v. Com essa tensão, o motor já consegue funcionar, enquanto 14,8 v é a tensão máxima de todas as baterias do mercado, explica Takahira.

A Baterias Moura também faz recomendações na hora de escolher o tipo do carregador de bateria de carro. De acordo com a fabricante, ele deve ter tensão constante e corrente variável, modelo conhecido como “carregador inteligente”.

Se for preciso programá-lo, a fabricante indica a tensão de 14,8 v.

Não é recomendado carregadores com corrente constante. Esse tipo de equipamento requer uma especialidade quanto ao uso”, completa a fabricante.

Corrente do carregador de bateria de carro

Outro detalhe importante na hora de comprar e usar o aparelho é saber a corrente necessária para recarregar a bateria do seu carro.

“A corrente deve ser de, no máximo, 25% da capacidade nominal da bateria. Por exemplo, se a bateria é de 80 Ah, a corrente máxima deve ser de 20 A”, orienta a Baterias Moura.

Cada carro tem uma bateria com amperagem específica. Por isso, é importante também consultar o manual do veículo ou olhar na própria bateria qual é sua capacidade.

Como Carregar uma Bateria Arriada (com Imagens)Carregador de bateria de carro deve ter corrente compatível com o modelo da bateria

O engenheiro elétrico da SAE, Ricardo Takahira, reforça a orientação.

“A recomendação é sempre trabalhar com uma corrente baixa, caracterizando uma carga lenta, pois há menos chances de você se acidentar com um choque e vai prolongar a vida útil da bateria”, explica ele.

A carga lenta é quando a bateria é recarregada com uma corrente baixa. Isso requer mais tempo, mas garante que ela não seja danificada. Quando recebe uma carga rápida, sua temperatura sobe e isso prejudica seus componentes químicos, reduzindo sua vida útil.

Não inverta os polos do carregador de bateria de carro

Mais um cuidado que o usuário deve ter na hora de usar um desses aparelhos é com os fios. Da mesma forma que na “chupeta”, quando outro carro é utilizado para acionar o arranque, eles devem ser ligados em seus respectivos polos na bateria.

Primeiro, o fio vermelho deve ser conectado ao polo positivo (+) da bateria. Depois dele, o fio preto deve ser conectado ao polo negativo (-).

Essa ordem não deve ser alterada, assim como as cores dos cabos devem, obrigatoriamente, ser ligados nesses polos. Caso contrário, podem haver danos.

“O ideal é que o carregador tenha um sistema de proteção contra inversão de polaridade. Caso o consumidor inverta a ligação no momento da conexão com a bateria, isso evita danos, tanto ao carregador quanto ao veículo”, acrescenta a Baterias Moura.

Riscos ao usar o carregador

O único grande risco é de o usuário causar um curto circuito na bateria, aponta a Baterias Moura.

Isso só pode ocorrer se ele conectar o polo positivo ao polo negativo da mesma, na hora de ligar o carregador ou se estiver usando alguma ferramenta de metal. Por isso, tome cuidado para isso não acontecer.

Além disso, só é preciso se atentar para não inverter os fios e não deixar a bateria esquentar, como explicado acima.

Como Carregar uma Bateria Arriada (com Imagens)Ordem de conexão e cor dos cabos não devem ser confundidos na hora de conectar o carregador à bateria do carro

Outras precauções na hora de manusear uma bateria são de proteger os olhos com um óculos, pois ela contém ácido que pode se vaporizar. Esse líquido também pode vazar dela caso esteja muito velha, podendo queimar a pele.

Também é uma boa ideia remover anéis ou pulseiras de metal na hora de mexer com equipamentos elétricos no geral, incluindo o carregador de bateria de carro.

Em último dos casos, se o usuário levar um choque por descuido, ele não corre grande perigo. Takahira, engenheiro elétrico da SAE, garante que a corrente da bateria e do carregador não é forte o suficiente para matar uma pessoa.

Como usar carregador de bateria de carro?

Agora que você já sabe quais são os riscos e as precauções a serem tomadas na hora de comprar e utilizar esse tipo de equipamento, veja o passo a passo de como usá-lo:

  1. Prefira comprar um carregador do tipo inteligente, especialmente se não tiver experiência com a recarga de baterias
  2. Certifique-se, também, de que o produto tem a amperagem correta para a sua bateria
  3. Se for preciso, regule a corrente para no máximo 20% da amperagem da sua bateria
  4. Mantenha o carro desligado, e certifique-se de que todos os seus componentes elétricos (faróis, luzes internas, som ou central multimídia) também estejam desligados
  5. Ligue o cabo vermelho no polo positivo
  6. Ligue o cabo preto no polo negativo
  7. Conecte o carregador de bateria de carro na tomada
  8. Mantenha o carro desligado até que o aparelho indique que a bateria está carregada; alcance entre 12 v e 14,8 v; ou desligue sozinho
  9. Desligue o carregador da tomada
  10. Desconecte os cabos do carregador da bateria
  11. Dê a partida no carro
Leia também:  Como alterar a senha no pinterest: 9 passos (com imagens)

Se o carro não pegou mesmo assim, tente dar a partida de novo. Se com duas tentativas ele não funcionar, refaça o processo com o carregador de bateria de carro, recomenda Takahira, da SAE.

Quando o carregador não deve ser usado

Por fim, existem algumas situações em que usar um carregador não é uma boa ideia.

“Ele não deve ser utilizado nos casos em que a bateria estiver com característica de seca. Isso pode ser verificado pelo visor, quando ele estiver amarelo ou incolor”, aponta a Baterias Moura.

Outra situação é se, ao utilizar o carregador de bateria de carro, ela começar a esquentar muito, passando de 60º C. “Isso pode indicar que a bateria tem um defeito, e ele pode ser provocado devido ao longo tempo em que ficou parada”, indica a fabricante.

Por fim, Takahira lembra que utilizar o carregador não resolve defeitos no carro. “Usá-lo não vai eliminar a necessidade de levar o carro na auto elétrica, só vai resolver aquela situação ruim de não conseguir ligar o carro na hora”, explica o engenheiro elétrico da SAE.

Assim, uma vez que a bateria for recarregada, leve o veículo a uma oficina para identificar a razão do problema, recomenda o especialista.

Confira o comentário de Boris Feldman sobre a bateria arriada:

Aprenda a fazer chupeta e não fique a pé se a bateria descarregar

Como Carregar uma Bateria Arriada (com Imagens) Clique para ampliar e saber como fazer o procedimento (foto: Arte EM)

  • ALTERNATIVAS
  • 3ª – Solicite auxílio a uma loja de baterias: muitas delas têm um serviço de emergência para socorrer automóveis com ela “arriada”.

“Arriar a bateria” é um dos imbróglios mais incômodos para o dono do carro. Para evitar esse “abacaxi” existem duas soluções de prontidão para o carro funcionar novamente: acionar o reboque (ou seguro) ou uma ligação direta (“chupeta”) entre a bateria de um veículo funcionando com o outro que está arriado. Não apele para empurrar o carro e pegar no “tranco”, pois pode danificar o catalisador ou a correia dentada.1ª – A primeira opção é acionar o seguro. Se você tiver esse serviço, ligue para a seguradora e espere o auxílio para o reparo do veículo.2ª – A segunda opção é bem simples. É necessário um carro auxiliar, motor ligado e dois cabos elétricos para alta amperagem.

CONEXÃOAntes de conectar as baterias pelos cabos, desligue tudo que consumir energia nos dois carros. Conecte primeiro o polo positivo com positivo e depois negativo com negativo. Dê a partida no carro “arriado” que ele voltará a funcionar normalmente. E na retirada faça o inverso: primeiro o negativo.

RECARGA

Retire os cabos. Mas lembre-se de que a bateria não recupera carga imediatamente, só depois de rodar alguns quilômetros. Se ela não recarregar, é porque tem algum problema: ou na própria bateria, e a solução é substituí-la; ou no alternador, encarregado de voltar a carregá-la. Como Carregar uma Bateria Arriada (com Imagens) Clique para ampliar e saber como fazer o procedimento (foto: Arte EM)

DICAS IMPORTANTES:

– Não insista na partidaSe a conexão dos cabos na bateria do outro automóvel não foi suficiente para virar o motor de arranque, não insista: o problema pode ser outro.

– Pegar no tranco? Jamais!

Em carros com câmbio manual, você corre grandes riscos de danificar a correia dentada ou o catalisador. Em carros com transmissão automática não é possível pegar no tranco.

  1. – Previna-se
  2. – Cuidado com os polos

O descarregamento da bateria ocorre com relativa frequência (quem não esquece os faróis ligados enquanto vai ao cinema?). Por isso, tenha cabos auxiliares adequados no porta-malas. Fique precavido com os polos positivo e negativo do cabo de carregamento. Se no processo de retirá-los da bateria do carro, eles se encostarem, vai ocorrer um curto-circuito e prejudicar a bateria do carro “doador”. Nunca deixe o cabo positivo encostar na lataria do carro, pois pode provocar curto-circuito.

Como carregar uma bateria de carro

Quando uma bateria descarrega, ou fica arriada, como dizem por aí, fazer uma chupeta é apenas paliativo, ou emergencial. Já falamos sobre isso em alguns posts do Mãos ao Auto. Muitos clientes questionam o fato de  sua bateria não suportar mais ser carregada, ou sugerem um defeito de fábrica com essa alegação.

Como carregar uma bateria de carro é algo além de uma chupeta, como a da foto abaixo. Esperar que o carro carregue uma bateria é o mesmo que tentar encher sua caixa d’água vazia com um balde. Teoricamente seria uma questão de tempo para enchê-la. Mas, se o consumo de água não parar, é óbvio que o esforço vai ser em vão. O mesmo se dá com a bateria do seu carro.

 Carregar uma bateria é algo além de uma chupeta, como a da foto .

Como carregar uma bateria

A palavra “mágica” nesse caso é: descanso.

Ou, ainda fazendo uma comparação, fechar todos os registros e torneiras de sua casa enquanto um mangueira fornece água constantemente até que a caixa transborde de água.

Em outras palavras: uma bateria descarregada precisa de uma carga lenta e solitária. Somente assim ela irá ficar como saiu de fábrica, com carga plena, e em condições normais de uso.

Sair dirigindo seu carro, que precisou de uma chupeta na bateria, é algo arriscado. A chance dela descarregar novamente é grande, a emergência vai acontecer novamente.

Mas você vai precisar de muito mais do que um “balde” para encher sua bateria novamente de energia. O  tal descanso tem ser com um carregador de baterias como o da foto ao lado.

Se o leitor pensou na famosa carga lenta de 24 horas, acertou em cheio. Somente ela vai deixar sua bateria nova em folha. Mas isso não significa que a bateria vai ficar um dia inteiro em carga constante.

Leia também:  Como baixar aplicativos previamente comprados num iphone

Isso vai depender da descarga que ela sofreu, da sua amperagem hora, e do carregador de baterias que vamos usar.

Fica óbvio que, para descarregar uma bateria sem defeitos, algo tem ficar ligado e esquecido, ou o carro ficar mais parado do que funcionando. Nesse caso vai levar dias para uma primeira descarga e parece que a chupeta resolveu a situação. Mas mesmo assim também é questão de tempo para acontecer de novo.

Carregador de lâmpada.

O carregador de lâmpada é um dos mais antigos que existe no mercado. A facilidade de construir um, ou o preço baixo de mercado, o fizeram bem popular. Mas ele é ineficiente.

Em alguns casos, como o de uma bateria totalmente descarregada, ele não consegue entrar na bateria, sequer vai fazer “cócegas” nela.

O ideal é um carregador de no mínimo 10A, para uso doméstico, ou levar a bateria até uma loja especializada onde um carregador profissional vai resolver o problema.

Como carregar uma bateria.

Em uma firma especializada, a sua bateria deve ficar 24 horas em “tratamento”. Serão 10 horas constante de carga, um descanso de mais 10 horas, um teste de descarga, e o complemento, se necessário, da carga.

Tudo isso exigindo do carregador constantes 6A e 13,5 volts. Um serviço desse é eficiente, não estraga a bateria, e vai evitar surpresas desagradáveis que quase sempre acontecem em lugares e horários estranhos.

O preço é irrisório se comparado com uma compra imprevista de uma bateria nova.

Você precisa de um seguro de automóvel que seja bom, eficiente, mas que não custe os olhos da cara? O Mãos ao Auto tem uma parceria com a Compara Online, site que faz a comparação, em minutos, dos preços e coberturas das principais seguraduras e acha o melhor custo/benefício para seu carro. Para isso, basta clicar aqui e seguir o passo a passo.

Relacionado

Quantos quilômetros deve-se rodar para carregar uma bateria arriada?

Recarga na bateria, só se for a lenta Ivan Carneiro/Quatro Rodas

Se o carro ficar uma semana parado, quantos quilômetros deve-se rodar para recarregar a bateria?– Gilberto Braz Botelho, Itajubá (MG)

Depende do nível de carga, mas se ela chegar a ficar descarregada o ideal é rodar pelo menos uma hora em estrada com o mínimo de equipamentos elétricos (como faróis e rádio) ligados.

“O alternador, que gera energia elétrica, supre primordialmente as necessidades dos componentes essenciais (como injeção eletrônica e direção eletroassistida) e o que sobra vai para a recarga da bateria.

Ou seja, quanto mais dispositivos elétricos ativos, menos corrente sobra para a bateria”, observa Marcos Randazzo, engenheiro de aplicação da Johnson Controls, empresa proprietária da fabricante Heliar.

Na prática, dirigir com o ar-condicionado, rádio e faróis ligados faz com que o processo de recarga seja mais lento.

Continua após a publicidade O ar-condicionado é um dos vilões do sistema elétrico Divulgação/Toyota

  • E a recíproca é verdadeira: se seu carro está com alguma pane elétrica, como falha no alternador, o ideal é desligar tudo o que for possível para poupar o máximo de energia.
  • Mas o especialista alerta que, quando a bateria ficar sem carga, o ideal é que o processo de recarga seja feito por uma oficina, usando um equipamento para a chamada “recarga lenta”.
  • Esse processo, que pode levar de 15 a 20 horas, permite que o acumulador recupere a capacidade máxima sem que haja danos na bateria.

Sem carga, só que não

Uma falha no gerenciamento da bateria permitia que as baterias do Tesla Roadster virassem “tijolos” Divulgação/Tesla

Uma curiosidade é que as baterias de íons de lítio (que são diferentes das tradicionais de 12V, que usam chumbo-ácido) nunca ficam totalmente descarregadas.

Continua após a publicidade

Mesmo quando os smartphones — e carros elétricos — indicam 0% de carga, as baterias ainda possuem um nível mínimo de energia.

Isso acontece porque esse tipo de acumulador conta com uma proteção para manter um nível mínimo de energia armazenado. Caso essa proteção não exista e a bateria, de fato, chegue a 0%, ela não pode ser mais recarregada e se torna inútil. Em inglês essa situação é chamada de “to brick”, ou “virar um tijolo”.

Isso porque a bateria descarregada possibilita uma formação química interna dentro de suas células que podem ocasionar um curto-circuito durante o processo de recarga.

  • Carro elétrico
  • correio técnico
  • eletricidade
  • energia

Como Recarregar uma Bateria Sem um Carregador

Alguma vez você já esteve com uma bateria descarregada em sua câmera justamente no momento em que mais precisou dela? Pior ainda é um celular descarregado em uma situação de emergência. E você não pode sempre levar um carregador com você. Para quem gosta (ou precisa) improvisar, estas recomendações podem ser úteis.

Método 1 de 2: Usando uma pilha para carregar uma bateria

1 – Remova a bateria do dispositivo.
Você vai precisar de acesso aos pontos de conexão da bateria. Tenha em mente que a bateria não foi projetada para ser acessada em certos modelos de telefone celular, por isso saiba o que pode ser feito com o modelo que você tem. Na maioria (mas não todos) dos celulares Android e Windows Phone, a parte de trás pode ser removida com uma quantidade apropriada de pressão apenas no ponto certo. Não tente isso com a maioria dos produtos da Apple.

2 – Encontre algumas pilhas AA, AAA ou de 9 volts.
Ao contrário da corrente fornecida pela tomada de parede (corrente alternada), a corrente em baterias comuns de casa não são diferentes da que é utilizada pela bateria de seu telefone celular ou câmera.
• Talvez você esteja perplexo de que alguém queira sugerir o uso de uma bateria para carregar outra.

Talvez você estivesse esperando algum truque de mágica que permitisse a você adicionar carga para a bateria sem ter que encontrar uma fonte alternativa de energia elétrica. Na verdade, isso não é realmente possível. Uma das leis fundamentais da física (a lei da conservação de energia/conservação da massa) deixa claro que você não pode obter algo do nada. Lide com isso.

• Recomenda-se que você carregue a bateria ao invés de tentar colocar os fios em seu dispositivo eletrônico e utilizar as baterias alternativas diretamente. Utilizar a quantidade inadequada de amperagem ou tensão pode danificar circuitos complexos, de modo que arriscar um desses métodos, obviamente, não vale a pena.

3 – Identifique os conectores positivos e negativos em cada bateria.
Nas pilhas AA e outras pilhas de uso doméstico, estes serão claramente identificados.

Leia também:  Como calcular produtividade: 6 passos (com imagens)

Para a maioria das baterias de telefone celular, o conector positivo será o mais próximo da borda, enquanto que o conector negativo será usualmente o mais distante dela (pode haver três ou quatro conectores, mas os do meio são usados para a regulação de temperatura e outras funções).

4 – Consiga dois pedaços de fio de metal.
Idealmente, estes serão envolvidos em isolamento de plástico, exceto nas extremidades expostas.

5 – Prenda com fita ou aperte os fios à pilha que irá fornecer uma carga e à bateria que requer uma carga.
Estes fios podem ficar quentes (embora muito provavelmente eles não vão, se você estiver fazendo isso corretamente). Eles também irão demorar muito tempo para transferir a carga. Você não quer ficar segurando-os o tempo todo.

• Se você está usando pilhas AA e AAA, pode querer conectar uma à outra “em paralelo” antes de anexá-las à bateria que requer uma carga. Isso significa usar um fio para conectar o lado negativo de todas as pilhas pequenas ao conector negativo da bateria que precisa de uma carga, e o mesmo para o lado positivo.

6 – Depois de algum tempo, a bateria deve estar carregada.
Tenha em mente que ela provavelmente não vai ser totalmente carregada, mas você deve ter pelo menos algum uso do dispositivo que precisava.

Método 2 de 2: Usando o truque de esfregar

1 – Remova a bateria do dispositivo eletrônico.
Segure-a em suas mãos.

2 – Esfregue a bateria fortemente usando ambas as mãos para gerar atrito e calor suficiente.
Continue a fazer isso de 30 segundos a vários minutos.

• Nota: a bateria não está realmente sendo recarregada. Uma série de usuários da internet tem sugerido que esfregar a bateria realmente fornece a ela uma carga adicional, talvez por gerar eletricidade estática.

Esta interpretação é completamente incorreta.

• Células de íons de lítio, como todas as baterias de verdade, liberam energia elétrica como consequência de reações químicas. Como previsto na equação de Arrhenius, essas reações se tornam mais e mais poderosas quando as temperaturas aumentam. Essencialmente, você está melhorando a condutividade da bateria ao aumentar sua temperatura.

3 – Coloque a bateria de volta no dispositivo eletrônico.
Você pode só ter alguns momentos de vida útil da bateria, então aproveite-os ao máximo.

AVISOS

• Certifique-se de desligar o dispositivo eletrônico antes de remover a bateria, ou você pode alterar as configurações do dispositivo.
• Você só deve tentar carregar baterias recarregáveis. Nunca faça uma tentativa com pilhas alcalinas ou outras destinados a um uso limitado.

• Não sobrecarregue as baterias. As baterias de lítio são potencialmente explosivas se sobrecarregadas.

FONTE: wikiHow
FONTE DA IMAGEM: Baixaki/Tecmundo

Coronavírus: como preservar bateria e não ficar a pé na volta da quarentena

Em tempos de coronavírus, a recomendação para sair de casa apenas em caso de necessidade deixou as ruas bem mais vazias.

Em cidades como São Paulo, que está em regime de quarentena, a quantidade de veículos circulando despencou. Até montadoras têm recomendado deixar o carro das próprias marcas em casa.

Porém, automóvel é feito para rodar e não gosta de ficar muito tempo parado. O componente que sofre primeiro é a bateria: dependendo do tempo de inatividade, ela poderá estar “arriada” quando chegar a hora de voltar a rodar.

  • Mesmo com o motor desligado, o componente continua descarregando para manter ativas algumas funções essenciais do veículo, que precisam estar acionadas o tempo inteiro, explica Antônio Júnior, diretor de engenharia do Grupo Moura.
  • Para prevenir a descarga, o especialista recomenda manter o cabo negativo desconectado por um período máximo de dez a 30 dias, dependendo da vida útil restante da bateria.
  • Depois desse prazo, o recomendado é reconectar o cabo e dar a partida no motor pelo menos uma vez por semana, deixando-o ligado durante um período de 15 a 30 minutos para que o alternador recupere parte da carga perdida.
  • Sempre em um ambiente arejado, que permita a circulação e a saída dos gases de escape, por motivo de segurança.

Descarga espontânea

Antônio Júnior explica que é necessário dar essa carga semanal porque nem mesmo a retirada do cabo negativo evita a fuga de energia.

“A bateria automotiva é um aparato eletroquímico e possui uma característica chamada descarga espontânea. Naturalmente há perda de poder de partida do veículo com o decorrer do tempo, mesmo com o cabo negativo desconectado”, ensina.

  1. “Quanto mais nova a bateria for, mais devagar acontece esse fenômeno e mais tempo ela pode ficar desconectada”, complementa.
  2. O detalhe é que, ao desligar a bateria do sistema elétrico, vários ajustes do veículo, como data e hora, são “zerados” e é necessário reconfigurá-los depois.
  3. Júnior também destaca que o local onde o carro fica estacionado também deve ser levado em conta.

“Desconecte o cabo negativo caso o veículo se encontre em um lugar seguro, para possa ficar sem o alarme ativo durante esse período. Além disso, quanto menos exposto ao sol o veículo estiver, menor será a velocidade de descarga”.

Quando a bateria deve ser trocada?

Bateria tem de dois a três anos de vida útil; se não mantiver mais a carga, é hora de substituí-la

Imagem: Shutterstock

  • A durabilidade do componente vai de dois a três anos, de acordo com fabricantes como a Moura.
  • Antônio Júnior aponta alguns sinais de que chegou a hora de substituir a bateria:
  • 1 – Motor de partida não arranca: no momento de girar a chave, são ouvidos apenas sons de cliques emitidos pelo motor de partida.
  • 2 – O pistões do motor giram devagar: ao girar a chave, o motor demora a pegar e é percebida uma certa lentidão em seu acionamento.

3 – Indicador de carga da bateria está apagado: a maioria das baterias possui um indicador de carga na parte superior da mesma. Se a luz estiver verde, significa que a bateria está boa para uso; se estiver apagada, pode significar que a bateria já está no final de vida útil ou está apenas descarregada.

O especialista lembra que nem sempre a bateria é a origem de alguma falha. “É importante consultar um profissional especializado para certificar-se de que o problema é na bateria, Às vezes, os sintomas são decorrentes de outro defeito no sistema elétrico”.

Viu um carro camuflado ou em fase de testes? Mande para o nosso Instagram e veja sua foto ou vídeo publicados por UOL Carros

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*