Como calcular produtividade: 6 passos (com imagens)

(Clique no player para o ouvir a narração do nosso post sobre como calcular a produtividade de um funcionário! Deixe nos comentários o que achou.)

  • Uma boa gestão de recursos humanos em uma empresa é essencial para conseguir se manter competitivo em um mundo onde a concorrência está cada vez mais acirrada.
  • E, para isso, conseguir avaliar os resultados de cada colaborador é primordial para definir estratégias e mudanças para alcançar melhorias em seus negócios.
  • Mas, você sabe mesmo como calcular a produtividade de um funcionário?

O que é produtividade?

Antes de descobrir como calcular a produtividade de um funcionário, é preciso compreender melhor a definição de produtividade.

Como Calcular Produtividade: 6 Passos (com Imagens)

  1. O conceito, basicamente, diz respeito à relação entre o que foi produzido e os recursos utilizados para sua confecção.
  2. Assim, a partir dessa ideia, você conseguirá estabelecer o quanto sua empresa está sendo produtiva.
  3. Muitos acreditam que esse conceito está apenas associado a quantidades, mas se esquecem de considerar outro fator importante: a qualidade.
  4. Por isso, antes de afirmar que uma empresa está sendo produtiva, é preciso também definir qual a qualidade que se deseja oferecer a seus clientes.

De maneira análoga, a produtividade dos funcionários também pode ser assim relacionada. Para isso, considere fatores como a quantidade de horas gastas para realizar uma função, bem como seu valor de produção.

  • Afinal, um colaborador que entrega tarefas de maneira muito rápida, mas com diversos erros, não pode ser considerado um modelo de produtividade.
  • E outro que consegue entregar com qualidade, mas com extremos atrasos ou com custos altos, também apresenta problemas de produtividade.
  • Como definir esse cálculo, então?

Como calcular a produtividade de um funcionário?

Ao considerar o ambiente empresarial, a produtividade pode (e deve!) deixar de ser apenas um conceito a ser definido com base apenas em números frios.

Você pode usar uma fórmula geral:

  • PRODUTIVIDADE = quantidade de produtos ou serviços produzidos / quantidade de recursos utilizados = output / input

Existe uma variação, de caráter mais financeiro:

  • PRODUTIVIDADE = receita total ÷ pelo custo total
  1. Partindo desses dois princípios, você pode ainda adaptar a fórmula para diversos campos em sua empresa.
  2. Ou seja, será possível mensurar a eficiência de um maquinário utilizado e também calcular a produtividade de um funcionário, por exemplo.
  3. Ao avaliar sua equipe, você pode ainda adaptar a fórmula acima de acordo com as atividades desempenhadas e funções específicas de cada colaborador dentro da empresa.
  4. É possível ainda combinar mais de um índice – todos resultantes desse cálculo – para fazer uma análise mais profunda.
  5. Por exemplo: quer avaliar a produtividade de um funcionário responsável pelo atendimento ao cliente?
  6. Poderiam ser definidos dois índices.
  7. Um índice que considera o número de atendimentos realizados por hora. Nesse caso, foram analisados João e Pedro:
  • João atendeu a 12 pessoas em 8 horas de trabalho durante um dia. Sua produtividade, portanto, nesse caso, é de 1,5 pessoas/hora.
  • Pedro conseguiu auxiliar 16 clientes em 8 horas de trabalho no mesmo período. Ou seja, sua produtividade foi de 2 pessoas/hora.

Aparentemente Pedro é mais produtivo que João, no entanto, veja este outro índice de produtividade estipulado, um pouco mais refinado, que considera os atendimentos realizados com avaliação de qualidade satisfatória pelo cliente:

  • João atendeu a 8 pessoas de maneira satisfatória em 8 horas de trabalho. Sua produtividade é de 1 atendimento de qualidade/hora.
  • Já Pedro atendeu 6 clientes de forma satisfatória no mesmo período. Ou seja, sua produtividade foi de 0,75 atendimento de qualidade/hora.

Portanto, a situação de inverte, e João pode ser considerado mais produtivo que Pedro no período e caso analisado, se a qualidade for usada como um indicador de performance importante em sua empresa.

Ainda nesse exemplo, você poderia combinar os resultados obtidos com outro índice: a quantidade de reclamações sobre o atendimento.

Basta dividir o número registrado pelas horas trabalhadas no mesmo período. Assim, você conseguiria avaliar qual colaborador está gerando maior satisfação aos clientes.

Portanto, é muito importante definir o que é importante para os objetivos estratégicos da empresa antes de definir os índices de produtividades dos funcionários.

Passo a passo para a avaliação de produtividade de um funcionário

Antes de sair colocando em prática a metodologia aprendida acima, é importante seguir alguns passos de como calcular a produtividade de um funcionário de forma objetiva e assertiva:

  1. Entenda seu negócio, seus funcionários, suas funções e atividades dentro da empresa;
  2. Determine o que deve ser valorizado no trabalho de seus colaboradores, ou seja, qual será o foco de sua avaliação;
  3. Escolha um limite temporal para medir tais fatores (Uma hora? Um dia? Um mês? Um semestre?);
  4. Defina as duas grandezas e analise-as (atendimento/horas; vendas/funcionário; etc.) para ver se retratam algo relevante para o negócio.

Alguns cuidados ao calcular a produtividade

Antes de realizar seus cálculos e análises, é muito importante ter cuidado com alguns aspectos:

1- Nem todos os fatores importantes para definir se um funcionário está sendo ou não produtivo são mensuráveis

  • Por exemplo, questões como o nível de satisfação psicológica de um colaborador, o risco de acidentes, a qualidade do relacionamento entre a equipe e a identificação com a marca, apresentam impacto na produtividade dos funcionários de uma empresa.
  • Entretanto, esses são fatores que não podem ser quantificados em números, mas mesmo assim, não deixam de ser relevantes.
  • Por isso, não desconsidere tais aspectos no momento de avaliar a produtividade de um funcionário.

2- Realize um acompanhamento frequente

É preciso acompanhar os dados de maneira frequente, afinal, as informações que determinarão como calcular a produtividade de um funcionário precisam ser coletadas de maneira fiel e atualizada.

3- Use a tecnologia a seu favor

conseguir os dados necessários, bem como realizar um acompanhamento constante dessas informações, demanda muita atenção, tempo e trabalho.

Por isso, procure opções (como softwares de registro de dados, planilhas eletrônicas, aplicativos, etc.) capazes de auxiliar a confiabilidade dos dados registrados e otimizar o tempo gasto nessas tarefas.

Como avaliar a produtividade de um funcionário é importante para a empresa

  1. Como visto, os recursos humanos em uma empresa são peça central para garantir que os negócios alcancem os resultados esperados.
  2. Para isso, é essencial manter uma equipe formada por profissionais engajados, motivados e produtivos.

  3. Por isso, saber como avaliar a produtividade de um funcionário, a partir de dados comprovados e fugindo de “achismos” ou de preferências pessoais, poderá proporcionar aos gestores decisões mais acertadas sobre quem manter e substituir na equipe.

  4. Além disso, ao saber como calcular a produtividade de um funcionário corretamente, você poderá detectar possíveis problemas de eficiência e adotar estratégias para diminuí-los.

Ainda, vale ressaltar que a produtividade de um funcionário está muito relacionada ao quanto ele se sente valorizado em seu trabalho.

Apenas medir a produtividade e não elogiar os que se mostram mais eficientes, pode afetar todos os esforços da empresa na busca de melhores resultados.

Gostou do conteúdo? Então fixe o que aprendeu assistindo nosso vídeo sobre o assunto!

  • A Siteware trabalha com o STRATWs One, um Software de Gestão da Performance Corporativa robusto e muito intuitivo de usar, proporcionando a união dos colaboradores com a operação e a estratégia, o que traz mais produtividade para as empresas.
  • Revolucione a gestão da sua empresa com o STRATWs One
  • Como Calcular Produtividade: 6 Passos (com Imagens)
  • Baixe este e-book gratuito e aprenda ainda mais: Como ser um Profissional mais produtivo

Como Calcular Produtividade: 6 Passos (com Imagens)

Daniella DoyleJornalista e Publicitária de formação, está no mercado há mais de 15 anos com foco em gerar resultados para empresas B2B por meio de estratégias online e offline. Adora uma nova tendência e trabalhar com métricas e metas. É gerente de marketing na Siteware e, quando sobra um tempinho, aproveita para tricotar e pintar!

Saber como calcular produtividade é um conhecimento muito importante para empresários e gestores. Afinal, sem saber medir a eficiência do que se está produzindo, sejam serviços ou produtos, não é possível avaliar se os resultados são adequados em função dos recursos empregados, nem comparar seu desempenho com outras empresas e com o mercado.

Aproveitando e organizando o relacionamento com seus clientes para vender mais e melhor

Mas afinal, o que é produtividade? Produtividade é uma relação entre o que foi produzido e os recursos empregados para se atingir esse objetivo. A produtividade mede a eficiência da produção em seu negócio.

Em uma visão simplória, poderia se dizer que quanto mais se produzir com menos recursos, maior a produtividade. Mas é preciso levar em conta a qualidade. Produzir mercadorias ou oferecer serviços em grandes quantidades com um equipe reduzida e insumos deficientes não significa alta produtividade, necessariamente.

Leia também:  Como caminhar com elegância: 15 passos (com imagens)

Como Calcular Produtividade: 6 Passos (com Imagens)

Defina corretamente os melhores indicadores para calcular a produtividade

É preciso fazer um balanço entre a quantidade e a qualidade desejada, tanto do que é produzido quanto do que é utilizado na produção, para se definir adequadamente como calcular o índice de produtividade correto para sua empresa.

Por exemplo: um restaurante que tenha um garçom por mesa com certeza terá um nível de atendimento bem melhor que outro que utilize um garçom para cada 4 mesas. Mas e os custos que advirão dessa decisão?

Assim, antes de pensar em como calcular a produtividade e eficiência em sua empresa é preciso definir o que seu cliente valoriza e determinar como atingir esse resultado com a qualidade desejada e a menor quantidade de recursos possível, sem desagradar seu público nem arruinar suas finanças ou as margens de lucro.

Se você quer medir sua produtividade é porque deseja ser ainda mais produtivo, certo? Saiba mais sobre o assunto baixando nosso e-book: Guia: como ser mais produtivo e eficiente em vendas.

Como calcular produtividade e eficiência em sua empresa

Como comentamos, não adianta definir dezenas de índices de produtividade sem ter um objetivo específico e uma visão clara do que você está analisando com eles.

O primeiro passo é definir o diferencial de sua empresa, aquele benefício oferecido para seus clientes que os faz escolher seus produtos e serviços em lugar dos produtos e serviços dos concorrentes. É esse diferencial que agrega valor ao seu produto!

Aí sim, sabendo disto, veja como calcular índice de produtividade que retrate essa parte importante de seu processo! Não que outras etapas do processo não devam se medidas, mas esta é a mais importante!

Por exemplo: Digamos que seus clientes valorizem muito o pós-venda de sua empresa e o atendimento oferecido sempre que necessário.

Como Calcular Produtividade: 6 Passos (com Imagens)

A produtividade é uma relação entre o que é produzido e um recurso empregado

  • Lembre-se: a produtividade será a relação entre uma entrega e um recurso usado para se conseguir essa entrega.
  • Portanto, é preciso definir esses elementos adequadamente para saber como calcular produtividade e eficiência para esse caso específico, criando uma relação representativa para seu negócio.
  • Digamos que se você escolhesse assim, no caso da produtividade do pós-venda:
  • Entrega: número de clientes atendidos em um mês
  • Recurso: número de funcionários trabalhando nesse mês

Índice de Produtividade 1 = Número de clientes atendidos / Número de funcionários

Você dividiria o número de atendimentos pelo número de funcionários e teria um índice que mediria a eficiência em atender muitos clientes. Mas esse número refletiria um valor relevante para seus clientes? Não foi dito que eles valorizam a qualidade do atendimento e não sua velocidade ou quantidade?

  1. Não que esse índice deva ser simplesmente abandonado, mas existem maneiras de como calcular a produtividade e eficiência (nesse caso da qualidade do atendimento) de uma forma mais útil para se analisar o desempenho da equipe em relação a algo que agrega mais valor no processo da empresa e é valorizado pelo cliente.
  2. Por exemplo:
  3. Tempo médio de atendimento por cliente:
  4. Índice de Produtividade 2 = Número de clientes atendidos / Horas trabalhadas no período

E nesse caso, talvez seja interessante impor um limite mínimo, abaixo do qual a qualidade no atendimento esteja sendo deixada de lado em prol da velocidade de atendimento. Poderia ser definido um intervalo ideal, nem tão rápido nem tão demorado (e improdutivo) no atendimento.

Mas será que não poderíamos melhorar isso ainda mais? E se pudéssemos medir a satisfação dos clientes em relação às horas trabalhadas? Nesse caso, não seria preciso nem definir um tempo mínimo para cada atendimento, pois apenas os resultados satisfatórios é que entrariam na conta.

É claro que para isso teria que ser feita uma pesquisa de satisfação após cada atendimento ou por amostragem. Ou, caso não seja viável fazer isso, é possível usar o número de reclamações acerca do atendimento e do pós-vendas em relação às horas de atendimento disponibilizadas. Veja como calcular produtividade no atendimento usando essas duas sugestões:

Índice de Produtividade 3 = Número de atendimentos satisfatórios / Horas trabalhadas no período

Índice de Produtividade 4 = Número de reclamações sobre atendimento / Horas trabalhadas no período

Perceba que não há como calcular a produtividade usando esses índices sem levar em conta que são inversamente proporcionais, isso é, quanto maior o número de atendimentos satisfatórios por hora (índice de Produtividade 3) melhor a produtividade. Já, para o índice de Produtividade 4, quanto menos reclamações por hora, menor o resultado do índice, indicando uma produtividade melhor.

Portanto, é preciso se certificar, em cada caso, como calcular produtividade da maneira correta para aquele ponto do processo produtivo de sua empresa. E mais, você pode usar vários índices. Apenas não exagere no número para não se perder na hora de controlar os resultados.

Como Calcular Produtividade: 6 Passos (com Imagens)

Os melhores índices de produtividade estão relacionados à satisfação do cliente

Veja a seguir um pequeno resumo de todo o processo:

Como calcular produtividade e eficiência na empresa passo a passo

  1. Entenda quem são seus clientes.
  2. Determine o que eles valorizam em suas saídas, isso é, o que eles querem ver em seus produtos ou serviços (diferenciais competitivos).
  3. Analise em que parte do processo isso pode ser medido.

  4. Defina duas grandezas a serem mediadas: um recurso que entra e um resultado que sai.
  5. Analise a relação entre essas grandezas.

Você conhece uma boa maneira de medir a satisfação de seus clientes? Então confira: Tudo sobre NPS e modelo de pesquisa de satisfação pronto!.

As 5 melhores ferramentas de gerenciamento de tarefas

Organizar o dia, cuidar das obrigações pessoais, saber exatamente o que precisa ser feito no trabalho. Se você resolveu conduzir sua carreira por conta própria, sabe o quanto gerenciar tarefas pode ser difícil.

Quem nunca se afundou em trabalhos que pareciam intermináveis? Planejamento e gerenciamento de tarefas fazem parte do escopo de trabalho de quem é freelancer ou dono de sua própria empresa. Tentar fazer tudo ao mesmo tempo é uma das maiores armadilhas da procrastinação.

Ao se ver mergulhado em uma pilha de trabalhos, é bem provável que aquele sentimento de deixar tudo para depois apareça.

Como Calcular Produtividade: 6 Passos (com Imagens)

Manter o foco é uma das atitudes mais desafiadoras. A produtividade está totalmente ligada a forma como lidamos com a quantidade de tarefas e o tempo disponível. Realizar projetos por pequenas etapas vai deixar tudo mais fluído, com aquela sensação boa de realização. Os famosos baby steps ajudam a colocar em ordem nossa vida pessoal, profissional e, por que não, os relacionamentos?

Selecionamos as 5 melhores ferramentas de gerenciamento de tarefas para você nunca mais sofrer na hora de organizar seu trabalho. E o melhor é que todas são gratuitas.

1. Trello

Trello é um ótimo companheiro de trabalho. Com ele, você cria quadros que indicam a fase na qual o seu projeto está em desenvolvimento. Por exemplo: “Para fazer, em produção, finalizado, etc”. O Trello é muito intuitivo.

Assim, existe uma curva de aprendizagem do uso da ferramenta que precisa ser respeitado. Se você não for uma pessoa lá muito paciente, certamente desistirá do Trello. Mas garantimos: vale a pena experimentar e insistir no uso até se adaptar.

Ele é muito dinâmico e traz a facilidade de arrastar os quadros de tarefas rapidamente. Você pode adicionar membros e atribuir tarefas a eles.

Criar fluxos de atividades com o Trello é prazeroso e leve, desmistificando aquela ideia de que a fase de planejamento do trabalho é uma atividade pesada e maçante. A ferramenta permite colocar etiquetas coloridas para definir as prioridades. As tarefas mais importantes podem em vermelho, por exemplo, com o objetivo de serem localizadas rapidamente.

O Trello é um excelente gerenciador de tarefas muito utilizado por startups e empresas de pequeno e médio porte.

2. Quire

Como calcular e aumentar a eficiência do chão de fábrica com OEE na prática

Blog Industrial Nomus » Como calcular e aumentar a eficiência do chão de fábrica com OEE na prática

Atualizado em 12/12/19 – Escrito por João Pimenta na(s) categoria(s): Gestão de capacidade produtiva / Gestão do chão de fábrica (MES) / Produção

Um dos objetivos mais recorrentes para implantação de qualquer sistema que vise o controle do chão de fábrica é o aumento da produtividade, mas o que significa produtividade? Neste artigo mostramos isso, assim como o OEE na prática.

  • A produtividade pode ser definida de uma forma simples: a relação entre a produção e os recursos utilizados para produzir determinado produto.
  • Mas vamos lá, qual o tipo de relação estamos falando e o que podemos considerar como recursos produtivos?
  • Recursos produtivos são as pessoas, máquinas ou até mesmo os materiais utilizados na produção. Dependendo do recurso podemos escolher vários tipos de relação para calcular a produtividade:
  • Matéria prima – perdas no processo produtivo
  • Pessoas – velocidade na produção
  • Máquinas – disponibilidade para uso
Leia também:  Como aplicar formatação condicional no excel

Então, com isso podemos tirar um conceito ou objetivo mais elaborado para o nosso chão de fábrica, diminuir perdas, aumentar a velocidade de produção e melhorar a utilização da capacidade da máquina.

Parece complicado? Vamos simplificar sem perder nenhuma dessas valiosas formas de calcular produtividade. Para isso, vamos utilizar o conceito da eficiência geral de equipamento, conhecido como OEE.

Baixe a versão em PDF clicando abaixo:

OEE – Overall Equipment Effectiveness – Eficiência geral de equipamento

OEE é um conceito criado por Seiichi Nakajima para avaliar a eficiência de uma operação produtiva qualquer. Essa métrica surgiu dentro do conceito TPM (Total Productive Maintenance) para garantir boas práticas produtivas.

O OEE possui 3 pilares principais para avaliar a produção da empresa, das máquinas ou das pessoas. Esse já é um ponto positivo, esse conceito pode ser aplicado individualmente ou para a fábrica inteira. Os 3 pilares são:

1. Disponibilidade ou Utilização

  1. A disponibilidade leva em consideração as paradas não planejadas no processo produtivo.
  2. O tempo em produção ou capacidade utilizada equivale ao tempo em que a máquina está produzindo ou realizando alguma atividade planejada.

  3. Normalmente as paradas não planejadas mais usuais são:
  • Falta de mão de obra;
  • Falta de matéria-prima;
  • Falta de ordem de produção;
  • Manutenção corretiva;
  • Falta de Luz;

E as planejadas:

  • Produção
  • Setup
  • Manutenção preventiva

Acha impraticável controlar essas paradas? Utilize a seguinte fórmula para este controle:

Onde capacidade disponível normalmente é equivalente 85% da carga horária praticada pela empresa. no índice de 15% entram as paradas planejadas.

2. Desempenho ou Performance

  • O desempenho leva em consideração a perda de velocidade no processo produtivo e pode ser calculado da seguinte forma:
  • O tempo produto ideal é o tempo esperado para fabricação de determinado produto em circunstâncias ideais.
  • Naturalmente para conseguir controlar o desempenho é preciso fazer um estudo para definição do tempo ideal de fabricação dos produtos em cada uma das etapas do processo produtivo.

3. Qualidade

Equivale a relação entre o tempo produtivo total e o tempo investido em peças com defeito. Podemos calculá-lo através da fórmula:

Essa análise pode gerar vários relatórios que podem ser úteis para tomada de decisão no curto,médio e longo prazo. Exemplos: problemas mais recorrentes, máquinas/operadores com menor índice de qualidade, produtos com maior número de defeitos, etc.

Exemplo de cálculo do OEE

  1. Mas e agora, como aplicar este cálculo na prática da sua indústria?
  2. Repare que cada um dos pilares gera um índice em percentual.

    Para calcular o OEE basta multiplicar os índices:

  3. Vamos pegar um exemplo prático e bem simples de um dia de produção:
  • Para fabricar 10 unidades do produto x são necessárias 7 horas e 30 minutos no Recurso X.
  • O Recurso X opera 8 horas por dia (já descontando os 15%) – Capacidade disponível.

Registros coletados na produção:

  • Apontamento para o produto X no Recurso X de 7 horas e 45 minutos para produção de 10 unidades
  • Registro de não conformidade de 1 unidade do produto X

Calculando OEE em 4 passos

  • 1. 
  • A capacidade disponível da máquina é de 8 horas, porém só foram registrados apontamentos totalizando 7 horas e 45 minutos em capacidade utilizada.
  • 2.  
  • O tempo ideal de produção da máquina é de 7 horas e 30 minutos, porém o tempo de produção real foi de 7 horas e 45 minutos.
  • 3. 
  • Das dez peças registradas uma não foi aprovada no teste de qualidade.
  • 4.  
  • Exemplo do OEE em um sistema de gestão:

Na imagem acima podemos ver todas essas informações tratadas anteriormente em um relatório do sistema Nomus PCP. Já está achando mais fácil ?

Informações básicas para um controle eficiente de chão de fábrica

Todas as informações utilizadas no nosso exemplo foram extraídas de um controle de chão de fábrica simples, veja:

Calendário de produção

Defina os horários que seu recurso vai funcionar:

Roteiro de produção por produto

  1. No roteiro de produção registramos o tempo ideal de fabricação de todas as operações do processo produtivo de um produto.
  2. Cada operação tem um tempo diferente e pode ser relacionada ao recurso em que está deve ser executada.
  3. Uma operação pode ser feitas em diversos recursos diferentes, cada um com seu tempo.

Registro de não conformidade

Indique os produtos não aprovados pela qualidade com os motivos da reprovação e as não conformidades encontradas.

A operação/ordem em que a não conformidade ocorreu garante a rastreabilidade de qual máquina/operador gerou a não conformidade.

Apontamento no chão de fábrica

Registre com precisão tudo que é feito no chão de fábrica. Hora de início e fim dos apontamentos, qual funcionário realizou o processo produtivo em qual recurso, a atividade realizada (setup, parada, produção) e qual a ordem de produção foi atendida.

Veja funcionando na prática

Chegou a hora de ver na prática como um sistema de apontamento do chão de fábrica pode auxiliar a gestão da sua fábrica. Para começar é muito fácil, basta assistir uma demonstração do Nomus ERP Industrial e gerar uma proposta comercial customizada para sua indústria.

Compartilhe esta matéria:

Como contar passos e criar metas no celular Samsung

A ideia é que, com ajuda do software, o telefone possa virar um aliado na busca por uma vida mais saudável – e o melhor, sem precisar recorrer a apps de terceiros para alcançar objetivos. Veja no tutorial como contar passos, criar metas de exercícios e usar outras funções do app da Samsung.

1 de 10
A prenda a contar passos usando o app Samsung Health — Foto: Divulgação/Samsung

A prenda a contar passos usando o app Samsung Health — Foto: Divulgação/Samsung

Passo 1. Ao abrir o Samsung Health pela primeira vez, aceite os termos de uso para iniciar o monitoramento no celular.

2 de 10
Configure o primeiro uso do Samsung Health — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Configure o primeiro uso do Samsung Health — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Passo 2. Em seguida, acesse o menu “Perfil” e preencha os formulários com suas informações. À medida que usar o Samsung Health, a tela exibirá um resumo de atividades ao longo do tempo. É importante ter uma conta da Samsung logada no celular para sincronizar os dados na nuvem e não os perder ao trocar de aparelho.

3 de 10
Alimente seu perfil no Samsung Health — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Alimente seu perfil no Samsung Health — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Passo 1. O Samsung Health começa a contar passos sozinho depois do primeiro acesso. Por padrão, o app determina uma meta de 10 mil passos diários, mas é possível alterar esse objetivo ao tocar no item para abrir mais informações.

4 de 10
Edite suas metas de passos diários no Samsung Health — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Edite suas metas de passos diários no Samsung Health — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Passo 2. Em seguida, basta abrir o menu “Definir objetivo” e mudar a meta de passos na barra de progresso.

5 de 10
Altere a quantidade de passos diária no Samsung Health — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Altere a quantidade de passos diária no Samsung Health — Foto: Reprodução/Paulo Alves

O Samsung Health permite medir níveis de batimentos cardíacos, saturação de oxigênio (SpO2) e estresse. Essas funções são integradas em alguns celulares que contam com sensor específico.

Nesses casos, basta acionar o recurso desejado e posicionar o dedo sobre o emissor de luz vermelha na parte de trás do telefone, próximo à câmera.

O Samsung Health guarda a informação e permite configurar o estado atual (repouso, após exercício e outras opções) para comparar mais tarde.

Essas funções (assim como o registro de glicose e pressão sanguínea) também podem ser usadas em celulares que não contam com sensor integrado, desde que o usuário faça a medição manualmente usando um aparelho adequado.

6 de 10
Registre medições de batimentos, concentração de oxigênio e mais no Samsung Health — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Registre medições de batimentos, concentração de oxigênio e mais no Samsung Health — Foto: Reprodução/Paulo Alves

A definição de metas do Samsung Health não se limita ao contador de passos.

Passo 1. Toque no botão com símbolo de lâmpada na parte superior, o aplicativo exibe uma lista com três categorias de metas de vida: “gerenciamento de peso”, “seja mais ativo” e “sentir-se mais descansado”.

7 de 10
Crie metas de acordo com estilos de vida — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Crie metas de acordo com estilos de vida — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Passo 2. Em cada uma delas, o usuário pode selecionar um tipo de objetivo para cumprir. Em “Seja mais ativo”, por exemplo, o Samsung Health define minutos diários de atividade ideais para se manter saudável. A meta definida fica em destaque na tela inicial.

8 de 10
Acompanhe a meta estabelecida no Samsung Health — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Acompanhe a meta estabelecida no Samsung Health — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Passo 1. Na primeira tela do Samsung Health, toque em “Gerenciar itens” para adicionar os tipos de exercícios que você planeja realizar, como caminhada, corrida, ciclismo e outros.

9 de 10
Configure os tipos de exercícios rastreados pelo Samsung Health — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Configure os tipos de exercícios rastreados pelo Samsung Health — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Passo 2. Antes de realizar a atividade, localize o atalho relacionado ao exercício e toque em “Iniciar” para começar a monitorar. Embora o Samsung Health mantenha a detecção de movimentos sempre ligada, as funções específicas a cada tipo de exercício tornam o monitoramento mais preciso.

10 de 10
Ative o rastreamento do Samsung Health antes de cada sessão de exercício — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Ative o rastreamento do Samsung Health antes de cada sessão de exercício — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Gestão da produção industrial: 5 passos para calcular a capacidade produtiva na indústria

Uma boa gestão da produção industrial exige um bom cálculo da capacidade produtiva da empresa. Aprenda agora como fazer o seu!

Para o ramo da indústria é muito importante que a gestão da produção industrial receba uma atenção especial. Nesse sentido, há uma constante busca de diversos segmentos dentro da indústria em efetivar o aumento da capacidade produtiva. A boa notícia é que o cálculo da capacidade produtiva pode e deve ser feito por todo tipo de indústria.

Em resumo, calcular a capacidade produtiva faz com que não ocorra a demanda sobrepor o que a indústria pode atender, ou então que haja uma produção maior do que o que é comercializado. Caso alguma dessas situações aconteça, o resultado principal é: prejuízos financeiros.

1 – Gestão da produção industrial: calculando a capacidade do maquinário

No primeiro momento, você precisa entender a capacidade produtiva das máquinas que a indústria possui. Nessa primeira etapa de gestão da produção industrial você trabalhará com cálculos hipotéticos a fim de dar um norte para o cálculo real.

Vamos ao exemplo! Imagine uma ervateira em que possui em sua planta a capacidade 5 máquinas que são operadas por um período de 15 horas diárias. Diante disso, você multiplica as 15 horas pelas 5 máquinas, o que significa que a capacidade máxima de operação é de 75 horas, com as ressalvas de possíveis problemas ou intervalos dentro desse período.

2 – Determine quanto tempo é necessário para produzir o produto de forma individual

Depois você precisa calcular a capacidade produtiva de cada produto que a indústria oferece. Para realizar essa etapa de gestão da produção industrial você vai precisar determinar quanto tempo demora para produzir a unidade do produto a ser calculado.

O próximo passo é analisar e eficiência da produção. Vamos imaginar que 1% dessas embalagens não estão de acordo com o padrão da empresa, ou estão com problemas. Isso significa dizer que 900 pacotes por dia são descartados.

Em seguida, divida a capacidade diária da planta em horas (resultado obtido na etapa anterior) e divida-a pelo tempo gasto para produzir a unidade do produto.

Por exemplo, a fábrica de erva-mate leva meia hora (0,5 horas) para produzir um pacote de erva e como já calculamos, o maquinário possui uma capacidade máxima de operação de 75 horas diárias.

Nesse caso, considerando que as máquinas não param durante este processo, a capacidade máxima de produção destas máquinas é de (20 pacotes/min X 60 min x 7,5 horas X 2 períodos X 5 máquinas = 90.000 pacotes/dia).

Imagine que 1 embalagem custa R$ 0,50 centavos contando todo o processo, já com mão de obra e com a matéria prima, isso significa dizer que (900 X 0,50 = R$ 450,00 reais por dia são perdidos devido a qualidade da embalagem). Isso multiplicado por 22 dias de trabalho, teremos um valor de R$ 9.900,00 reais/mês de prejuízo com embalagens inadequadas.

3 – Defina o tempo necessário para produzir um “lote” do mesmo produto

Agora imaginemos que a precisão de pesagem de estes equipamentos também não é eficiente, ou seja, a variação de peso é de 5 gramas por pacote, ao invés de ser de no máximo (1 a 2 gramas). Temos que (10 gramas X 90.000 pacotes = 900.000 gramas de produto serão enviadas ao cliente por falhas no processo, por dia).

Transformando isso para KG (450.000/1000 = 450 Kg/dia de produto desperdiçados) agora multiplicando por 22 dias de trabalho, temos que (450 Kg/Dia x 22 dias = 9.900 Kg/Mês de produto que está indo para o cliente sem ser cobrado). Imaginemos que o custo de venda deste produto seja R$ 6,00 temos que (9.900 X R$ 6,00 = 59.400 reais/mês de prejuízo).

Com isso podemos enfatizar a importância de utilizarmos um dosador que trabalha com uma precisão alta, aumentando assim a eficiência e da produção e baixando os prejuízos.

4 – Calcule a capacidade efetiva de produção

Sabemos que uma máquina não pode trabalhar 24 horas por dia, 7 dias por semana sem parar. Uma boa gestão de produção industrial exige um cálculo de quanto tempo ela vai ficar parada durante o processo, seja por ociosidade ou manutenção preventiva, por exemplo.

Por isso, para que os cálculos fiquem mais próximos da realidade, é necessário que se faça um planejamento para tornar a gestão da produção industrial efetiva. Insira no seu planejamento as possíveis perdas no processo baseando-se em situações anteriores e a partir disso faça uma manutenção preventiva, por exemplo.

Vamos para o cálculo! Somando todos os prejuízos devido à perda com embalagens e perda com imprecisão na pesagem temos que (59.400,00 + 9.900,00 = 69.300) de prejuízos somente com estes dois problemas por mês.

5 – Gestão da produção industrial: capacidade final de produção!

Podemos analisar de outra forma agora. Imaginemos que para melhorar o sistema, eu tenha que substituir todas as máquinas por equipamentos mais modernos que terão mais eficiência na pesagem e que o índice de pacotes perdidos é bem menor. No ano eu terei prejuízo de R$ 831.600,00.

Se eu comprar 5 equipamentos mais modernos, com dosadores que possuem mais precisão, vamos imaginar que o valor deste equipamento é de R$200,000,00 isso quer dizer que vou gastar R$1.000.000,00 em investimento, mas que o retorno deste investimento será em (1.000.000,00 / 831.000,00 = 1.2 anos). Portanto, tudo o que eu obter a partir desta data será lucro.

Se quisermos ainda pode-se fazer uma análise sobre o tempo parado das máquinas, pois estamos trabalhando com elas a 100% de carga. Caso o tempo parado somando as cinco máquinas seja de 1 hora, temos que (1,5 horas X (20 pacotes/min X 60 min) = 1800 pacotes por dia não serão empacotados.

Sem considerar as horas extras para pagar os funcionários para chegar a meta de 90.000 pacotes/dia, temos que (1200 pacotes/dia X R$ 6,00 = R$ 7200,00 é o prejuízo diário) X 22 dias = R$ 158.400,00 que a empresa deixou de ganhar devido a manutenção falha do equipamento ou problemas de operação).

Conclui-se que vale a pena ter um equipamento reserva parado, para atender a demanda quando os equipamentos falharem. Pois o investimento inicial é de R$ 200.000,00 e o dinheiro que a empresa está deixando de ganhar é 158.400,00, com isso, o equipamento se paga em: 200.000,00/158.400,00 = 1,27 meses). O restante é apenas lucro.

Vale lembrar também sobre a importância de possuir sistemas eficientes: aqueles que são confiáveis não deixam a empresa na mão no momento que mais precisa, que é na hora da produção. Atente-se a esse fator, procure conhecer clientes que já utilizam o mesmo equipamento.

Veja também: Sua estratégia de gestão de custos na indústria funciona?

Agora que você aprendeu a calcular a gestão de produção industrial, continue acompanhando nossos conteúdos aqui no blog. Temos sempre novidades aguardando você!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*