Como calcular o vpl: 10 passos (com imagens)

Como Calcular o VPL: 10 Passos (com Imagens)Você acabou de sair de uma reunião onde foram discutidos alguns investimentos para os próximos meses. Como responsável pelo planejamento financeiro empresarial, na hora que isso foi mencionado você já pensou em números. Meses atrás, a equipe já havia discutido sobre a análise do tempo de retorno de investimento em um outro projeto. Na época, os cálculos do ROI e do Payback sinalizaram bandeira verde e o tal projeto saiu do papel.

Agora, com a necessidade de novos investimentos em vista, você começa a verificar suas armas. No seu arsenal estão os indicadores de rentabilidade e de risco. Com eles você se sente seguro para dar um panorama à alta diretoria sobre a viabilidade de tais investimentos.

Para iniciar, você decidiu calcular o VPL, ou Valor Presente Líquido. Já que estamos acompanhando seu trabalho, que tal entendermos melhor sobre este indicador? Nossa sugestão é fazermos uma pausa nos cálculos e falarmos um pouquinho sobre o VPL.

Então, antes de acessar planilhas e software, dá uma espiada neste artigo que preparamos para você.

O que é Valor Presente Líquido (VPL)?

Também chamado de Valor Líquido Atual, o Valor Presente Líquido é um método que consiste em trazer para a data zero todos os fluxos de caixa de um projeto de investimento e somá-los ao valor do investimento inicial, usando como taxa de desconto a Taxa Mínima de Atratividade (TMA) da empresa ou projeto.

Como Calcular o VPL: 10 Passos (com Imagens)O VPL é um dos métodos mais conhecidos quando o assunto é análise da viabilidade de projetos de investimento.  Com o cálculo do Valor Presente Líquido é possível fazer os ajustes, descontando as taxas de juros para obter a verdadeira noção do valor do dinheiro no futuro.

Por esse motivo, o VPL não faz apenas uma comparação do investimento com o retorno que dele se espera. Indo além disso, como o Valor Presente Líquido leva em consideração a valorização do capital ao longo do tempo, com ele calcula-se o ganho real de investimento.

Resumindo: O VPL traz ao valor presente um valor futuro. Ele representa a diferença entre os recebimentos e os pagamentos de um projeto de investimento em valores monetários atuais (de hoje).

Valor Presente Líquido em Contabilidade

Em contabilidade gerencial, o cálculo de VPL é utilizado também como um dos métodos para calcular o Goodwill, ou Patrimônio de Marca. Este nada mais é do que os elementos não materiais de uma empresa que valorizam sua reputação. Para obter o Goodwill, utiliza-se do fluxo de caixa descontado.

Ainda em contabilidade, o Valor Presente Líquido é utilizado para separar de um determinado valor os efeitos da inflação e das alterações de câmbio.

Valor Presente Líquido em Finanças

Em finanças, o VPL é amplamente utilizado para planejar investimentos a longo prazo. Como sabemos, um projeto só deve prosseguir se o valor atual de todas as entradas de caixa menos o valor atual de todas as saídas de caixa for maior que zero.

Calculando o VPL

Antes de vermos as vantagens e desvantagens do Valor Presente Líquido, vamos ver como funciona seu cálculo. Para fins de esclarecimento, a fórmula do VPL aborda:

  1. Definição do valor do investimento inicial;
  2. Definição do período de análise;
  3. Definição da estimativa de entrada de caixa para cada período;
  4. Definição da taxa de desconto apropriada;
  5. Entradas de caixa descontadas;
  6. Soma das entradas de caixa descontadas e subtração do investimento inicial;
  7. Definição da viabilidade do investimento.

O Valor Presente Líquido de um fluxo de caixa é o valor monetário de todo o fluxo no tempo atual ou ao iniciar um investimento. Para ter este valor, é necessário somar as receitas líquidas futuras descontadas ao valor presente com uma taxa de desconto (ou taxa mínima de atratividade).

Mas o que é essa taxa de desconto? Bom, a taxa de desconto tem uma relação com a taxa de lucratividade do projeto. Em outras palavras, é o retorno mínimo que se espera para um projeto ser aceito.

Ok! Então agora, vamos ao que interessa:

Como Calcular o VPL: 10 Passos (com Imagens)

Onde:

VPL = Valor Presente LíquidoFC = fluxo de caixat = momento em que o fluxo de caixa ocorreui = taxa de desconto (ou taxa mínima de atratividade)n = período de tempo

Exemplo prático em 4 passos

Vamos imaginar uma empresa que esteja pensando em investir em cota de fundo imobiliário que paga 0,7% ao mês por 2 anos. O valor dessa cota é de R$ 15.000,00.

#01 – Como primeiro passo, definimos o fluxo de caixa:

Como Calcular o VPL: 10 Passos (com Imagens)

#02 – Feito isso, vamos definir a taxa de desconto, ou taxa mínima de atratividade. Como fundos imobiliários oferecem mais risco quando comparados aos títulos de governo, utilizaremos uma taxa de 12,1% ao ano.

#03 – Em seguida, calcularemos o valor presente de cada um dos fluxos:

Como Calcular o VPL: 10 Passos (com Imagens)

#04 – Por fim, conforme a fórmula apresentada, somaremos os valores. No nosso exemplo, teremos que:

Como Calcular o VPL: 10 Passos (com Imagens)

Interpretando o resultado do cálculo de VPL

  • VPL Negativo = despesas maiores que as receitas, ou seja, o projeto é inviável;
  • VPL Positivo = receitas maiores que as despesas, ou seja, o projeto é viável;
  • VPL Zero = receitas e despesas são iguais, ou seja, a decisão de investir no projeto é neutra.

Seguindo nosso exemplo, a pergunta é: vale a pena o investimento? Com um resultado negativo os administradores nem precisam gastar saliva para defender a ideia.

E isso faz todo o sentido, considerando que o investimento rende 8,7% ao ano e a taxa de desconto adotada foi de 12,1% a.a.

  • Dica: para mais exemplo sobre cálculo de VPL (inclusive na calculadora financeira), dá uma espiada no nosso e-book gratuito Indicadores para Análise de Projetos de Investimentos:
  • Como Calcular o VPL: 10 Passos (com Imagens)
  • Além do VPL, no material você encontrará outros indicadores como VPLa, ROIC, Payback, e muitos outros!
Leia também:  Como carregar seu iphone com um cabo de força não oficial

Atenção! Mantenha distância das armadilhas!

Como Calcular o VPL: 10 Passos (com Imagens)

Como você percebeu, o cálculo do VPL é baseado em algumas suposições. É exatamente aí que temos que manter os olhos bem abertos para não cair em armadilhas.

A primeira delas: temos o investimento inicial. Você realmente sabe quanto o projeto custará? Dependendo do projeto fazer o cálculo de investimento não é tão fácil assim. Imagine, por exemplo, o investimento para mudar um sistema. Será preciso estimar o investimento em recursos, o tempo a ser despendido, timeline do projeto, entre outros.

A segunda armadilha: a tal taxa mínima de atratividade e seus riscos. Como apresentamos no exemplo de cálculo de VPL, a taxa de hoje (12,1%) foi aplicada aos retornos futuros. Você vai concordar que existe uma possibilidade de no mês 20 as taxas de juros dispararem. Isso significará que o retorno planejado para aquele ano será menor que o planejado.

Por fim, a terceira armadilha. Sabemos que as projeções para o retorno do investimento tendem a ser otimistas, mas é fundamental que ao analisar o VPL você não cometa erros nestas projeções. Projeções muito otimistas podem causar perda de uma quantia considerável de dinheiro.

Vantagens do Valor Líquido Atual

Uma das maiores vantagens em se utilizar o método VPL está em verificar se o projeto irá aumentar o valor da empresa. Projetos com VPL negativos diminuirão a rentabilidade de uma organização.

Além disso, o Valor Líquido Atual considera o valor temporal do dinheiro. Toda vez que uma organização utiliza o dinheiro de hoje para um retorno futuro, o método VPL aparece como uma boa escolha para análise de viabilidade do investimento.

Isso porque ele permite à empresa levar em consideração o valor do dinheiro no dia em que ele sai do caixa e no dia em que voltará (O VPL traz ao valor presente um valor futuro, lembra?).

Aqui no blog já falamos também sobre os métodos de ROI e Payback, muito utilizados devido a sua facilidade de cálculo. Comparando com Valor Presente Líquido, o ROI e Payback acabam perdendo peso justamente por não considerarem que o poder de compra do dinheiro hoje é muito maior que o poder de compra da mesma quantidade no futuro.

Como Calcular o VPL: 10 Passos (com Imagens)

Então, para a lista de vantagens podemos acrescentar que o Valor Presente Líquido revela em quanto tempo um projeto produzirá renda e qual o valor da mesma. Com isso é possível analisarmos se o investimento aumentará o valor da empresa (no fim tudo se resume ao ROI, não é mesmo?).

Já que o VPL nos traz um valor numérico que se reflete no presente, uma projeção desfavorável significa que o projeto nem deve ser iniciado. Isso poupa tempo de todo mundo e evita as frustrações que poderiam vir com uma iniciativa inconsistente financeiramente.

Desvantagens do Valor Presente Líquido

Uma das principais limitações do cálculo de VPL é quando se comparam dois projetos de tamanhos diferentes (como por exemplo um projeto com um custo de R$ 1 milhão, o qual terá um VPL muito maior que um projeto com R$ 500 mil de investimento). Isso porque como a resposta é em valores monetários, a saída de VPL é determinada pelo tamanho da entrada.

Exemplificando: os projetos, mesmo que de diferentes tamanhos e com investimentos bem diferentes, serão comparados tendo como base as saídas. Para comparar projetos com tamanhos e horizontes diferentes, o ideal é utilizar o VPLa. Abaixo falamos um pouco dele e logo teremos um post para tratar desse assunto exclusivamente!

Falando ainda sobre limitações do método de Valor Presente Líquido, para muitos sua maior desvantagem é a necessidade de trabalhar com o custo de capital da empresa. Explicando melhor: ao assumir que o custo de capital é muito baixo os investimentos serão igualmente baixos. Do contrário, ou seja, assumir que o custo de capital é muito alto resultará em deixar passar bons investimentos.

Como Calcular o VPL: 10 Passos (com Imagens)

Imagine que sua empresa desenvolverá um novo produto. Conforme vimos, o Valor Presente Líquido é baseado em estimativas de custos e receitas. O custo para desenvolver o produto é desconhecido e as receitas com a venda do produto não são tão fáceis de estimar, especialmente em um período maior de tempo.

Por último, sozinho, o método VPL não consegue fornecer os ganhos e perdas de um projeto. Para verificar a viabilidade de um investimento são utilizados outros indicadores complementares, como a Taxa Interna de Retorno (TIR).

E o tal de VPLa, o que é?

VPLa significa Valor Presente Anualizado. Assim como o VPL ele também representa a expectativa de ganho em um investimento. A diferença é que quando temos projetos de longo prazo o VPL pode não ter uma interpretação muito fácil para comparação.

Quando o período de execução é longo, a melhor maneira de avaliar a viabilidade do investimento é tendo em mãos uma informação de ganho por período, ou seja, anual. Tem-se então que se o Valor Presente Líquido concentra os valores do fluxo de caixa na data zero, no Valor Presente Líquido Anualizado o fluxo de caixa do projeto transforma-se numa série uniforme.

Assim ao tratar de investimentos de longo prazo, fica mais fácil aos administradores analisarem em termos de ganho por período.

E caso você queira ver um exemplo prático, não esqueça da nossa dica.

Concluindo

O Valor Presente Líquido é internacionalmente aceito por profissionais de finanças, então já entendemos que ele tem um certo respeito.

Falando sobre a teoria, o VPL é o resultado da diferença entre o valor investido e aquele que será resgatado ao fim do investimento, trazidos ao valor presente. Fácil de entender, certo? Igualmente fácil é a interpretação de seu resultado.

Com VPL positivo o valor investido retornará com ganho. Se o VPL for zero a decisão de investir é aquela velha frase: Tanto faz como tanto fez. Já o VPL negativo sinaliza bandeira vermelha e o investimento não terá um bom resgate monetário ao final.

Como tudo nessa vida, o VPL tem suas vantagens e desvantagens. Na lista de pontos positivos está o fato de que todos os capitais de fluxo de caixa fazem parte dos cálculos, como vimos no exemplo.

Além disso, como ele utiliza a Taxa Mínima de Atratividade (TMA) leva em consideração o risco das estimativas futuras no fluxo. Através do VPL também é possível saber se o investimento trará um bom retorno, aumentando assim o valor da empresa.

Leia também:  Como ajudar uma criança autista a lidar com transições

Falamos em TMA, certo? Bom, esse item também entra na lista de pontos negativos, já que para calcularmos o VPL temos que conhecer a Taxa Mínima de Atratividade, um valor que em algumas situações pode ser subjetivo. Somado a isso, o Valor Presente Líquido não retorna uma taxa de juros, e sim um valor monetário. Isso pode dificultar as comparações entre dois ou mais investimentos.

Ficou claro para você? Esperamos que este artigo tenha auxiliado sua compreensão sobre o VPL e que você possa utilizá-lo em suas próximas avaliações de viabilidade de investimento.

E se esse artigo foi útil para você, não deixe de compartilhar com seus colegas! Até a próxima!

VPL, TIR e Payback na Hp-12c – Método Simples e Rápido

  • Olá, tudo bem
  • Neste artigo você vai aprender a calcular o valor presente líquido (VPL), a taxa interna de retorno (TIR)  e o  payback simples em um estudo de caso de análise de investimentos.
  • Você vai acompanhar o cálculo desses três indicadores de desempenho de projetos, ou de Investimentos, utilizando a calculadora financeira Hp-12C 
  • Vamos então para o nosso problema do artigo.
  • Vamos inicialmente apresentar de forma gráfica,  através de um diagrama de fluxo de caixa.

Como Calcular o VPL: 10 Passos (com Imagens)

Veja que na situação acima nós temos um investimento de R$ 100.000,00 que irá gerar retornos anuais de R$ 40.000,00 por cinco anos.

Neste caso temos uma situação de fluxo de caixa regular. Chamamos de fluxo de caixa regular aqueles fluxos de caixa que possuem um investimento inicial seguido por uma série de resultados,  fluxos de caixa, iguais e sucessivos.

Veja também que nós temos i igual a 10% ao ano.  O que significa que nossa taxa de desconto, também chamada de taxa mínima de atratividade (TMA),  a ser utilizada no cálculo do valor presente líquido VPL, é de 10%.

A partir desses dados nós queremos então calcular  a TIR, o VPL e o payback.

 Vamos iniciar então com o cálculo da TIR

Como calcular a taxa interna de retorno (TIR)

  1. Existem várias formas para se calcular a taxa interna de retorno na calculadora Hp-12c.
  2. Aqui neste exemplo vamos fazer da forma mais simples possível.
  3.  Vamos utilizar o simulador contido na primeira linha da calculadora Hp-12c.

  4. Como Calcular o VPL: 10 Passos (com Imagens)
  5. Veja que na imagem acima temos na primeira linha as seguintes teclas:
  •  n – que representa o número de períodos
  •  i – para entrarmos a taxa de juros,  ou para calcularmos a taxa interna de retorno
  •  PV- o investimento inicial
  •  PMT – para entrarmos os fluxos anuais
  •  A tecla FV não vai ser usada neste tipo de cálculo
  •  e o CHS –  onde trocamos o sinal dos números de positivo para negativo, ou  de negativo para positivo

Vamos então ver os dados que nós temos no nosso exemplo.

Como temos  um investimento inicial de R$ 100.000,00, devemos entrar ele no PV . Só tem um detalhe, este investimento inicial deve ser negativo.

Temos os fluxos anuais que são de R$ 40 mil,  onde deveremos entrar no PMT

Temos também o número de períodos, que são 5 anos.  Devemos  entrar no n.

Para calcular a taxa interna de retorno,  após entrar todos esses dados, basta clicar na tecla i.

 O  passo-a-passo ficaria então o seguinte:

  1. tecle 5 e depois n
  2. tecle 100000  depois CHS e depois PV
  3. tecle  40000 depois PMT
  4. por fim tecle i que  a calculadora irá retornar a taxa interna de retorno
  • Seguindo  esses 5 passos acima, a TIR  que a calculadora vai lhe retornar  será de 28,65
  •  Ou seja será de 28,65% ao ano.
  •  Aí você pode questionar, esse projeto é viável pelo critério da TIR?
  • A resposta é sim, pois  temos  um retorno de 28,65% ao ano, que é superior a nossa taxa mínima de atratividade  de 10% ao ano.
  •  Isso significa que o projeto está retornando mais do que  você deseja obter por ele.
  •  Portanto ele é aceitável a partir deste critério.
  •  Vamos agora  calcular o valor presente líquido VPL.

Como calcular o valor presente líquido

Podemos  aproveitar os dados que nós já entramos na calculadora para calcular o valor presente líquido ou iniciar um novo cálculo. Vamos ver como fazer das duas formas.

  1. Continuando do cálculo anterior, vamos aproveitar os valores:  5 para o n e  40000 para o PMT. 
  2. Devemos entrar  a taxa mínima de atratividade na tecla i,  Ou seja tecle o valor de 10 e clique na tecla i
  3. Em seguida clique em PV que a calculadora e irá retornar os fluxos de caixa de 40 mil por ano trazidos todos a 10% para o valor presente.

A calculadora deverá retornar o seguinte valor -151631.47.

Esse valor significa que o projeto está retornando no total, sem descontar investimento inicial, o valor de R$ 151.631,47. Esse sinal negativo é somente convenção da calculadora, pois o valor do PV deve ter sinal contrário do FV.

Para calcularmos  o valor presente líquido basta reduzir esse valor do investimento inicial.

Ou seja 151631.47 – 100000

Isso vai dar um valor presente líquido de R$ 51.631,47.

Outra forma de se fazer  é iniciar do zero o cálculo do VPL,  sem aproveitar o cálculo anterior.

Leia também:  Como aplicar base e pó (com imagens)

.O passo-a-passo ficaria então o seguinte:

  1. tecle 5 e depois n
  2. tecle  40000 depois CHS e depois em PMT
  3. tecle 10 e depois em i
  4. Tecle PV e depois em CHS
  5. Por fim tecle 100000 de depois em  –

Se você seguir esses passos acima a calculadora irá apresentar na tela 51631.47,  que é o valor presente líquido (VPL) desse projeto.

  • Aí você pode perguntar,  esse projeto é viável?
  • A resposta é sim, é viável pois o valor presente líquido  foi positivo.
  • Por fim vamos calcular o payback.

Como calcular o  payback (tempo de retorno)

Para  calcular payback nessa situação é bastante simples,  pois temos fluxos regulares de caixa.

Neste caso basta dividirmos o investimento inicial pelos fluxos anuais.

 Teremos então payback igual a 100000 dividido por 40.000.

Payback = 100000/ 40000 = 2,50 anos

Assim, o retorno do investimento inicial de R$ 100.000,00 vai ocorrer em dois anos e meio, ou dois anos e seis meses.

  1.  O projeto é viável ou não sob esse critério?
  2. Nesse caso não podemos dizer nem se é viável ou inviável em função do payback.
  3. Porque vai depender  dos administradores da empresa, quais critérios eles utilizam para a rejeição ou aceitação de projetos em termos do tempo de retorno (plaback).

Se o payback máximo aceitável for de dois anos, por exemplo, esse projeto vai ser recusado. Se for de até 3 anos iremos aceitar o projeto.

  • Veja logo abaixo um vídeo com a resolução desse problema em detalhes:
  • E se você quiser aprender mais sobre análise de investimento recomendo a leitura deste nosso livro:
  • Análise de Investimentos Fácil: As 5 técnicas mais utilizadas pelos administradores financeiros para avaliar investimentos
  • Como Calcular o VPL: 10 Passos (com Imagens)
  • Recomendo também este outro artigo onde mostramos como fazer esses cálculos no Excel
  • Espero que você tenha gostado deste nosso artigo.
  • Se você gostou deixe um comentário e compartilhe ele com com seus colegas e amigos.
  • Muito obrigado,
  • Bons estudos,
  • Até a próxima! 

Como Calcular o VPL: 10 Passos (com Imagens)

Entenda o que é e como calcular a taxa de retorno interna

Calcular a taxa de retorno é uma tarefa necessária para avaliar se os gastos para a implantação de um negócio valerão a pena. Usando o método da Taxa Interna de Retorno (TIR), é possível analisar o investimento de um projeto específico. Com o cálculo, iguala-se o valor presente líquido com os retornos futuros ou saldos de caixa.

A análise de investimentos é uma missão da administração da empresa, pois seu objetivo é criar valor para a empresa. Para fazer o cálculo da TIR, é fundamental projetar um fluxo de caixa que mostre as entradas e saídas de dinheiro.

Com o cálculo da Taxa Interna de Retorno é possível saber se o investimento será vantajoso e lucrativo. Foto: iStock, Getty Images

A importância da taxa de retorno

As empresas devem estar, cada vez mais, preparadas para enfrentar impactos e competições junto à concorrência. Para isso, é fundamental fazer investimentos em diversas áreas e estar ciente que haverá essa necessidade de gastos quando um negócio é planejado.

Além disso, um bom gerenciamento analisará o custo-benefício da empresa, considerando se o retorno obtido compensará o investimento a ser feito. Para haver o cálculo da Taxa Interna de Retorno e avaliar a viabilidade do projeto, é preciso projetar o fluxo de caixa, que irá mostrar não só o investimento inicial, mas também os resultados que se espera obter.

Quando falamos em TIR, é importante, também, entendermos o que é o Valor Presente Líquido (VPL). Esse é um cálculo de quanto os futuros pagamentos, somados a um custo inicial, valeriam atualmente. Um exemplo: R$ 1 milhão não valeria a mesma coisa daqui um ano, pois o custo de oportunidade de colocá-lo na poupança renderia juros e, assim, agregaria valor.

A diferença básica entre o cálculo do VPL e da TIR é que o primeiro tem seu resultado expresso em valores monetários, já o segundo em percentuais. Os autores Stephen Ross, Rondolph Westerfield e Jeffrey Jaffe afirmam no seu livro Princípios de Adminitração Financeira, que “a TIR de um investimento é o retorno exigido que resulta em VPL nulo, quando usado como taxa de desconto”.

Com essas análises, será possível saber se o negócio é vantajoso, ou seja, trará lucro, ou se o mesmo dinheiro que seria investido valeria mais se aplicado na poupança ou um investimento diferente.

Como calcular a Taxa Interna de Retorno

Para calcular a taxa de retorno e avaliar a viabilidade do negócio, basta usar a função TIR do Excel ou usar uma calculadora científica. O cálculo será baseado no investimento inicial e acompanhado de uma série de fluxos de caixa positivos.

  • Para facilitar o entendimento, siga o exemplo:
  • Um investimento de R$ 100 mil inicial, que terá R$ 60 mil de retorno no primeiro ano e mais R$ 60 mil no ano seguinte. Como não sabemos a Taxa Interna de Retorno desse negócio, fazemos os seguintes cálculos, iniciando por igualar o VPL a zero:
  • VPL=0 = -R$100+R$60/ (1+TIR) + R$60/(1+TIR)²
  • Para calcular a TIR, a única maneira será por tentativa e erro, usando uma calculadora ou Excel.
  • Na tentativa a uma taxa de 10%, o cálculo seria:
  • VPL=0 = -R$100+R$60/ 1,1 + R$60/ 1,10² = R$ 4,13.
  • A tentativa a uma taxa de 15% seria:
  • VPL=0 = -R$100+R$60/ 1,15 + R$60/ 1,15² = – R$ 2,46.

Ou seja, para um Valor Presente Líquido equivalente a zero, a taxa deverá ficar entre 10% e 15%, assim a taxa de retorno desse projeto deve estar entre algum ponto desse intervalo. Fazendo os cálculos, chega-se a uma TIR de 13,1%, ou seja, se o retorno exigido do projeto for inferior a 13,1, o projeto deve ser aceito; caso seja maior, o projeto deve ser rejeitado.

Se você tem dúvidas ou sugestões sobre o assunto, deixe um comentário abaixo e colabore com a troca de ideias. Não esqueça de compartilhar o artigo com seus seguidores nas redes sociais.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*