Como calcular o volume de concreto: 14 passos

Atualizado em 14 de Abril de 2020, por Matheus Carvalho

O que é uma Viga de Concreto Armado?

A Viga de Concreto Armado é um dos elementos que compõe a estrutura da edificação, juntamente com lajes e pilares, sendo dimensionada no Projeto Estrutural. Sua função é distribuir cargas aos pilares, que então irão transmití-las à fundação.

Como Calcular o Volume de Concreto: 14 PassosDetalhamento de Viga de Concreto Armado em 3D

Quanto custa uma Viga de Concreto Armado?

Para responder essa pergunta vamos precisar aprender como orçar uma viga de concreto armado de acordo com uma infinidade de fatores que serão abordados neste artigo. Iremos calcular a quantidade de materiais, serviços e o custo de mão de obra utilizando o Sistema Nacional de Pesquisas de Custos de Índices na Construção CivilSINAPI.

O custo total da viga é dado pela soma de todos insumos e mão de obra necessária para execução de cada etapa, sendo elas:

  • Montagem de Formas
  • Armação
  • Concretagem
  • Desmontagem de Fôrmas

Para realizar os cálculos a seguir utilizaremos a viga da figura abaixo:

Como Calcular o Volume de Concreto: 14 PassosDetalhamento de Viga de Concreto Armado

Fôrma

Material

O cálculo da área de fôrmas para vigas é bastante simples, basta encontrar seu perímetro e multiplicar pela extensão. Lembrando que, para obter um resultado mais preciso, é necessário descontar a altura das lajes adjacentes, pois a própria laje fará o fechamento do topo da viga.

Como Calcular o Volume de Concreto: 14 PassosDetalhamento da Fôrma para Viga em 3D

Para calcular a área de fôrma basta fazer ((2 x altura) – (0,1 x N) + largura) x comprimento de vão livre, sendo N o número de lajes adjacentes.

A viga exemplo possui um vão livre (distância entre a face dos apoios) de 3,15 metros, 14cm de largura, 30cm de altura e duas lajes adjacentes.

Portanto, Área de Fôrma = ((2 x 0,3) – (0,1 x 2) + 0,14) x 3,15 = 1,70m².

O cálculo do custo da fôrma é um pouco diferente pois é o único insumo que pode ser reutilizado. Sendo assim, cada novo uso reduz o custo total.

De acordo com a SINAPI, para cada m² de forma são utilizados 0,913 metros de tábua 2,5 x 20cm, que custa R$10,90 por metro.

Dessa maneira, se utilizarmos a fôrma uma única vez, o custo será 1,7 * 0,913 * 10,90 = R$16,92.

Material e Execução

A composição para montagem de fôrmas também inclui, além da tábua e mão de obra, a fabricação e colocação de escoras, fabricação das fôrmas, desmoldante e pregos.

Existem diversos fatores a serem analisados para a escolha correta da composição, sendo eles: número de utilizações, tipo de fôrma, tipo de escora, tipo de madeira e altura do pé-direito.

Como Calcular o Volume de Concreto: 14 Passos

Para calcular o custo basta multiplicar a área de fôrma, encontrada anteriormente, pelo custo da composição. Sendo assim, o custo da montagem da fôrma será 1,70 x 103,27 = R$175,26

Concreto

Material

Para calcular o volume de concreto de uma viga é ainda mais simples. Basta multiplicar sua altura, largura e metro linear.

Sendo assim, utilizando o as informações da nossa viga, temos que Volume de Concreto = 0,3 x 0,14 x 3,15 = 0,1323m³.

O concreto usinado custa R$275 por m³, de acordo com a SINAPI. Portanto apenas o concreto de nossa viga custaria R$36,39.

Como Calcular o Volume de Concreto: 14 Passos

Material e Execução

Para saber o custo total de nossa viga é basta multiplicar seu volume (0,1323m³) pelo custo da composição (R$513,30), portanto nosso gasto para concretar essa viga seria de R$67,90.

Perceba que a composição indica um concreto usinado de FCK = 20MPa. Para diferentes tipos de concreto é necessário alterar seu preço.

Armadura

Material

Para o aço basta somar o comprimento de cada barra e multiplicar pelo seu custo, de acordo com a bitola (diâmetro). No site da TaQi é possível encontrar vergalhões de 12 metros pelos seguintes valores:

  • 5mm – R$9,34, portanto R$0,78 por metro.
  • 8mm – R$22,94, portanto R$1,91 por metro.

Somando todos os aços desta viga encontramos:

  • 5mm – 20,25 metros
  • 8mm – 9,58 metros

Sendo assim, assumindo que haverá um aproveitamento do aço restante, o custo da ferragem é igual a 20,25 x 0,78 + 9,58 x 1,91 = R$34,10.

Execução

A execução da armadura possui duas composições semelhantes: Corte e Dobra da FerragemArmação do Elemento Estrutural. Porém não devemos utilizar as duas simultaneamente, pois a composição de armação já inclui a composição auxiliar de corte e dobra.

Para evitar esse tipo de confusão é importante sempre verificar a composição analítica, que detalha cada insumo, serviço e composiçao auxiliar utilizada na formação do preço; e também o caderno técnico, que explica os critérios e considerações feitas para quantificar insumos e tempo de serviço.

Apesar de não incluir o custo do aço, a composição já considera os espaçadores e arame recozido utilizados na montagem.

Como Calcular o Volume de Concreto: 14 Passos
Como Calcular o Volume de Concreto: 14 Passos

Antes de conseguir orçar o custo de execução, é necessário ainda descobrir quantos kg de cada bitola nossa viga possui. Alguns programas, como o Eberick, já fornecem essa informação automaticamente, mas como não temos, vamos calcular.

No site da Gerdau é possível encontrar as especificações técnicas dos vergalhões. Descobrimos então que os vergalhões de 5mm e 8mm possuem 0,154kg por metro e 0,395 kg por metro, respectivamente.

Portanto, multiplicando a metragem de aço pelo seu peso linear, teremos:

  • 5mm – 20,25 x 0,154 = 3,12kg
  • 8mm – 9,58 x 0,395 = 3,78kg

Agora sim, podemos encontrar o custo da armação:

  • 5mm – 3,12 x 11,30 = R$35,25
  • 8mm – 3,78 x 9,08 = R$34,32

Total da Armadura

Agora basta somar os valores encontrados!

  • Material: R$34,10
  • Mão de Obra, Espaçadores e Arame Recozido: R$69,57
  • O custo total dos materiais e execução da armadura da viga é R$103,67

Total

O custo total da nossa viga de concreto armado, considerando apenas materiais, fica em torno de R$87,41.

Já o custo total incluindo mão de obra é de R$346,83, sendo assim, para encontrarmos o custo da viga por metro basta dividir seu custo (R$346,83) pela sua dimensão (3,15m), que será igual a R$110,10 por metro.

Referências

Estrutura de Concreto Armado: saiba tudo sobre Colunas ou Pilares!

As colunas ou pilares ficam acima do solo e fazem parte da estrutura de concreto armado que dá sustentação a casa.

Cada coluna é um bloco retangular ou cilíndrico feito de concreto armado dimensionado para suportar e distribuir o peso das vigas para as fundações. As colunas ou pilares são elementos estruturais, por isso devem ser dimensionadas por um engenheiro capacitado e fazem parte do projeto estrutural.

Como Calcular o Volume de Concreto: 14 Passos

Geralmente as colunas são posicionadas no encontro das paredes, ou no meio quando o vão é superior a 4 metros. Na maioria das vezes as colunas possuem a mesma largura da parede sem revestimento. Por isso ficam escondidas quando a casa fica pronta.

Para dar forma de bloco ao concreto é necessário a utilização de fôrmas. Geralmente as fôrmas são ser feitas com tábuas e sarrafos de madeira e amarradas com parafuso borboleta ou arame.

Quer saber mais sobre colunas e pilares e ainda ter um check-list com o passo a passo? Baixe agora mesmo o nosso Guia Definitivo sobre Colunas. É grátis.

Como Calcular o Volume de Concreto: 14 Passos

Como fazer uma coluna ou pilar?

Posicionamento da coluna de aço

Geralmente o posicionamento das colunas é determinado na construção da fundação. Por isso, durante a construção das colunas você deve verificar se os diâmetros (bitola) das colunas de aço estão iguais ao projeto estrutural.

Como Calcular o Volume de Concreto: 14 Passos

Um ponto muito importante é que não se deve passar nenhum tipo de duto, principalmente eletrodutos, no meio das colunas. Exceto quando previsto no projeto. Caso contrário, a resistência da coluna é prejudicada e ela pode ser danificada por cortes em manutenção futuras.

As colunas de aço devem ser amarradas aos arranques feitos na etapa da fundação. Confira se as barras de aço estão fixas e bem presas.

Caixarias

Verifique também se as caixarias estão firmes e alinhadas verticalmente (aprumadas) e horizontalmente (niveladas). Neste etapa você deve checar se as medidas estão iguais ao projeto. Após a aplicação do concreto não podem haver vazamentos.

Leia também:  Como baixar uma playlist do youtube em um dispositivo android

Como Calcular o Volume de Concreto: 14 Passos

Concretagem

Após centralizar as colunas de aço nas caixarias, é colocado o concreto. Este pode ser comprado pronto ou pode ser feito na obra, saiba mais aqui. Durante a aplicação observe se o concreto está pastoso e homogêneo.

Como Calcular o Volume de Concreto: 14 Passos

Após a secagem, cerca de 7 dias, o concreto deverá ter uma cor homogênea e não possuir furos que permitam ver as estruturas de aço. Depois de construir as colunas ou pilares, o próximo passo é fazer as vigas.

Quer saber mais sobre colunas e pilares e ainda ter um check-list com o passo a passo? Baixe agora mesmo o nosso Guia Definitivo sobre Colunas. É grátis.

Como Calcular o Volume de Concreto: 14 Passos

Como calcular os materiais de construção?

Concreto

Primeiro você deve calcular o volume de cada pilar, para isso basta multiplicar a largura x comprimento x altura do pilar. Depois multiplique o volume da coluna individual pela quantidade de colunas para obter o volume total.

Se você optou em comprar o concreto pronto, não precisa fazer mais nenhum cálculo. Já se optou por rodar o concreto da obra, o próximo passo é escolher o traço do concreto para dai saber o rendimento (quantidade cimento, areia e pedra para produzir 1 m3). Depois, multiplique o rendimento pelo volume para saber a quantidade de cada material.

Aço

Já as colunas de aço podem ser compradas por peso (kg) conforme especificado no projeto estrutural. Neste caso o cálculo é feito pelo engenheiro responsável e você só informa o peso por diâmetro e tipo de aço para a loja.

Outra opção é comprar colunas prontas, neste caso você deverá escolher uma das dimensões disponíveis no mercado e multiplicar pela quantidade de colunas da sua obra.

As colunas de aço também podem ser feitas na obra, neste caso você deverá calcular a metragem linear dos vergalhões (barras de aço) que irão compor os ferros e estribos em metros e dividir por 12 metros (tamanho padrão da barra de aço) para saber quantos vergalhões irá comprar.

Como Calcular o Volume de Concreto: 14 Passos

Tipos de argamassa, diferenças do cimento e mais: saiba como fazer o cálculo da argamassa!

Você saberia dizer o que é e como realizar o cálculo da argamassa?

Se um especialista tivesse que explicar para um leigo, resumidamente, o que é argamassa, ele diria que se trata de uma espécie de cola para a construção civil.

Por que isso? Porque esse material, de fato, age como um elemento que promove a aderência entre outros materiais em uma edificação. Aliás, ele está presente em várias etapas da obra.

Agora, em termos mais técnicos, a argamassa é uma massa homogênea feita de agregados e aglomerantes inorgânicos. Ou seja, areia, cimento ou cal e água.

Aditivos ou adições contendo propriedades de aderência e endurecimento também podem ser acrescidos à mistura. A proporção de cada um desses itens é o que os pedreiros chamam de “traço”.

Há um tipo de argamassa – ou de “traço” de argamassa – diferente para cada trabalho que esse profissional pode realizar. Todas têm propriedades únicas.

Algumas são mais magras ou moles e com menor capacidade de aglutinação ou aderência. Já outras são mais gordas e têm aglomerantes em abundância.

No geral, assim como o concreto, as argamassas vão endurecendo e ganhando mais resistência com o passar do tempo. Sua mistura é feita manualmente ou com o uso de uma betoneira.

O cal e os aditivos vão conferir mais maleabilidade a massa, além de melhorar a sua manipulação em estado fresco. Mas o desempenho final da nossa “cola de construção” vai depender da qualidade de todos os componentes e da soma de água.

Como Calcular o Volume de Concreto: 14 Passos

Cálculo da argamassa: Mistura dos materiais

Para mais informações, uma dica é consultar a NBR13.276 e a NBR13.281 da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas –, dentre outros textos.

Quer mais dicas como essa? Confira no blog:

Para que serve a argamassa?

A argamassa serve sobretudo para o assentamento de pedras, tijolos, azulejos, ladrilhos, cerâmicas, tacos de madeira e outros revestimentos; ou para o revestimento de alvenarias.

Também serve para a regularização e impermeabilização de paredes, pisos e tetos. E até para dar um acabamento diferenciado a superfícies – sendo liso, áspero, rugoso ou texturizado –, constituindo seu acabamento final.

Como Calcular o Volume de Concreto: 14 Passos

Cálculo da argamassa: Uso da argamassa em acabamento de superfície (grafiato)

A argamassa contribui não apenas com a estética dos interiores das edificações, mas também, em casos específicos, com a proteção de suas fachadas.

Ela pode auxiliar na vedação predial, melhorando o isolamento termoacústico e evitando a entrada de água e gases nocivos.

Quais são os tipos de argamassa?

É possível dividir os tipos de argamassa em três. São eles:

  • de assentamento;
  • de impermeabilização;
  • de revestimento.

O primeiro é utilizado quando se precisa assentar blocos e tijolos. O segundo serve para proteger paredes e tetos. E o terceiro para aplicar sobre as superfícies recém-construídas, nivelando-as.

Só que, na hora da compra, não é assim que o cliente vai encontrar o material especificado.

Como Calcular o Volume de Concreto: 14 Passos

Cálculo da argamassa: argamassa de assentamento

Nas embalagens de argamassa pronta, aparecem alguns códigos que resumem para o que o produto deverá ser destinado. São quatro classificações diferentes. Confira!

AC-1

Indicado para interiores – com exceção de saunas, estufas ou ambientes com acabamentos diferenciados. Tem característica de elevada resistência às solicitações mecânicas e termo-higrométricas.

AC-2

Indicado para exteriores. Tem característica de boa aderência e elevada resistência à ação da chuva, do vento e de cargas decorrentes do movimento de pessoas e equipamentos leves, além dos ciclos de flutuação térmica e higrométrica.

AC-3

É o tipo de argamassa com a maior resistência de todas. Indicada para o uso em fachadas, saunas, piscinas e espaços do gênero – e que não recebam insolação direta.

Tem característica de boa aderência e elevada resistência às tensões de cisalhamento entre materiais, como massa colante e placa de revestimento.

Como Calcular o Volume de Concreto: 14 Passos

Cálculo da argamassa: Argamassa AC-3

AC-3E

Este ‘E’ do seu nome é de ‘Especial’. Isso porque essa argamassa, diferente da anterior, é indicada para casos de insolação direta. Para mais, reúne as características dos tipos AC-1 e AC-2 – só que com maior tempo de duração.

Veja também: Você sabe quantos tijolos por metro quadrado irá usar em sua obra? Descubra agora!

Qual a diferença entre cimento e argamassa?

Como vimos antes, são tantas as especificidades e nomenclaturas atribuídas à argamassa que até é normal que surjam algumas dúvidas sobre as suas finalidades.

E mesmo com todas as informações colocadas pelos fabricantes nas embalagens, os clientes ficam confusos sobre a diferença desse material para os outros.

O cimento, por exemplo, é um dos materiais de construção mais básicos. Assim como a argamassa, ele também tem vários tipos e finalidades.

Ambos podem fazer o assentamento de blocos e o acabamento de superfícies. Porém, só o cimento pode participar da elaboração da massa do concreto e do reboco.

Assim como só a argamassa pode fazer a aderência das peças de revestimentos em pisos e paredes.

Como Calcular o Volume de Concreto: 14 Passos

Cálculo da argamassa: Uso da argamassa na aplicação de revestimentos

Como fazer o cálculo da argamassa?

Depois de todo esse resumo, a pergunta que fica é: como calcular argamassa para piso e outras superfícies?

O consumo da argamassa é medido em kg/m² para revestimentos cerâmicos e em gramas/m² para rejuntamento.

A dosagem de seus componentes pode ser feita in loco. Porém, é comum que grandes construtoras recorram a fábricas, adquirindo delas uma argamassa industrializada – chamada de polimérica.

Contudo, o rendimento desse material deve variar dependendo até dos dentes da desempenadeira usada pelos operários.

Em obras menores, não vale a pena – analisando pela questão custo x benefícios – os profissionais adquirirem uma argamassa direto da indústria.

Leia também:  Como aplicar creme de testosterona: 9 passos

Eles podem, por exemplo, comprar um saco de mistura pronta. Estima-se que um saco com 20 kg cobriria uma área de aproximadamente 4 m². Mas esse dado também pode variar de acordo com o uso dado à massa e sua espessura quando aplicada à parede.

E se o profissional resolver, então, calcular cada um dos itens da argamassa para estimar melhor o seu gasto?

Bem, não há nenhuma fórmula mirabolante para isso. Na verdade, o processo é bem parecido com aquele que é feito para calcular o concreto.

O primeiro passo é simples, basta achar o volume da área a ser preenchida com o material. Depois, multiplica-se o número encontrado pelo traço do material.

  • Por exemplo, imagine a seguinte situação: um ambiente tem 5 metros de largura por 7 metros de comprimento e o cliente quer fazer um contrapiso.
  • Então, nesse caso, como o arquiteto ou engenheiro faz o cálculo da argamassa para o local?
  • Bem, a primeira etapa é multiplicar a área que a massa deve cobrir pela espessura de sua camada – por exemplo: 5 x 7 x 0,05.
  • E seguindo uma proporção adequada de traço, já se tem a resposta.

Sabe-se que o volume do contrapiso é de 1,75 m³. E que para um traço de 1:0:12, o rendimento do cimento é 5, da areia é 1,78 e do cal é 0. Ou seja, são necessários 9 sacos de cimento de 50 kg, 3,5 m³ de areia e 2 sacos de 20 kg de cal.

Agora, se houvesse uma mistura pronta que rendesse 4 kg por m³, o cliente precisaria comprar 7 kg do produto. Vamos entender melhor o caso com o cálculo todo discriminado:

  • Área do ambiente = 5 m x 7 m = 35 m²;
  • Espessura da camada de argamassa no contrapiso = 2 cm ou 0,02 m;
  • Volume do contrapiso = 5 x 7 x 0,02 = 1,75 m³;
  • Traço escolhido para o contrapiso = 1:0:12;
  • Rendimentos estimados para cada um dos materiais = 5 para cimento, 1,78 para areia e 0 para o cal;
  • Volume estimado de cada material = 8,75 para cimento, 3,115 para areia e 1,75 para o cal;
  • Quantidade estimada de material = 9 sacos cimento de 50 kg, 3,5 m³ de areia e 2 sacos de 20 kg de cal;
  • Rendimento do saco de mistura pronta = 4 kg/m³;
  • Valor estimado de argamassa = 4 x 1,75 = 7 kg.

Agora que você aprendeu a fazer o cálculo da argamassa, que tal outra dica?

Se você tem dificuldade em calcular o rejunte de sua obra, aprenda como fazer e escolher a cor que mais combina com o seu revestimento.

Esse post foi escrito pela Ceusa Revestimentos Cerâmicos, a única empresa que garante assentamento junta seca, com produtos monotom, monocálibre e textura flossy.

Saiba como calcular material de construção na prática

Você deve saber tão bem quanto eu, em uma obra, comprar material de construção a mais é tão ruim quanto comprar em quantidade insuficiente. Além de ser imprescindível para o orçamento, é importante saber como calcular material de construção por dois motivos principais.

E tenho certeza de que você vai gostar dos benefícios que vou te apresentar:

Primeiro, para evitar desembolsos e, consequentemente, desperdícios, desnecessários. Depois, porque a falta de material pode deixar sua obra parada. Pior do que isso, você corre o risco de, em caso de falta, não encontrar mais do produto que precisa.

Isso é especialmente preocupante quando se tratam de materiais de acabamento. Afinal, no caso de revestimentos cerâmicos, por exemplo, a tonalidade pode variar de lote para lote. Já pensou ter um banheiro ou cozinha em que é nítida a diferença entre as cores? Você certamente enfrentaria problemas com o cliente da sua construtora.

É para evitar problemas como esse que você precisa saber como calcular material de construção corretamente.

E é justamente disso que vamos tratar nos próximos parágrafos!

Você vai aprender a calcular passo a passo as quantidades de diversos materiais comuns em canteiros de obras! Ao aplicar as dicas desse post você nunca mais vai ter problemas com quantidades de materiais!

Confira!

A importância do levantamento quantitativo

Como calcular materiais de construção é uma das etapas do levantamento quantitativo, podemos dizer que é uma tarefa determinante para o orçamento da obra. É que o ponto de partida do levantamento qualitativo é a análise detalhada de todos os projetos da obra. E nessa etapa é quando são observadas as especificações técnicas feitas pelos projetistas.

Isso inclui, é claro, os materiais a serem utilizados na construção.

É também o levantamento quantitativo que determina quais e quantos equipamentos, máquinas e operários serão demandados. Os custos indiretos da obra também fazem parte desta importante documentação.

O levantamento de quantitativos é ainda mais importante no caso de licitações e contratos da administração pública. Isso porque a lei 8.666, a chamada lei das licitações, estabelece que os quantitativos de uma obra, deverão ser fornecidos pelo contratante. O objetivo final é promover a absoluta igualdade de condições entre os participantes da concorrência em questão.

  • Sobre Obras e Serviços, veja o que diz a Lei de Licitações:
  • “É vedada, ainda, a inclusão, no objeto da licitação, de fornecimento de materiais e serviços sem previsão de quantidades ou cujos quantitativos não correspondam às previsões reais do projeto básico ou executivo.”
  • Com tudo isso, você deve estar imaginando que dá um trabalho enorme fazer o levantamento quantitativo de cada projeto?

A boa notícia é que o levantamento quantitativo de materiais de construção pode ser totalmente feito com uso de sistemas informatizados. Nesse caso, entram em cena tecnologias como o CAD e o BIM, por exemplo. A economia de tempo pode chegar a mais de 80% na maioria dos casos.

Além de economizar muito tempo, esse tipo de solução acaba por proporcionar informações muito mais precisas. O resultado? Economias que podem chegar a 20% para a sua construtora.

Confira como calcular material de construção na prática

De um modo geral, há estimativas que permitem saber aproximadamente qual será o consumo de cada material. São valores médios baseados no consumo de obras genéricas. Esses dados servem apenas como referência inicial e em hipótese alguma devem ser usados para gerar pedidos.

A premissa básica para acertar a mão em como calcular material de construção é seguir as orientações expressas por projetistas e arquitetos. São esses profissionais que informam, em seus projetos, as dimensões da edificação. Logo, é com base nesses documentos que você vai calcular todas as quantidades de materiais de construção a serem comprados.

Em geral, todos os materiais de construção são calculados partindo do princípio da área a ser construída. Ou seja, independente do material, é preciso calcular o tamanho de paredes a serem construídas, áreas a serem pintadas ou revestidas, elementos estruturais, dentre outros.

Na prática, isso significa que a quantidade de material é determinada pela relação entre as dimensões do produto e a área a ser construída. No caso de tintas, o fator determinante é a capacidade de cobrimento e a quantidade de demãos necessárias para o acabamento.

Outro ponto recorrente nas orientações sobre como calcular material de construção diz respeito ao desperdício.

Ou seja, à quantidade de material adicional que precisa ser adquirida para compensar eventuais perdas. Isso porque uma parte do material acaba se estragando devido a problemas no transporte ou erros na execução.

No caso de revestimentos cerâmicos, por exemplo, é preciso considerar os recortes para cantos.

Uma margem de segurança usualmente adotada é de 10% além do que seria efetivamente necessário. Esse índice é válido para itens como blocos de alvenaria, revestimentos e argamassas, por exemplo. O ideal, no entanto, é sempre verificar quais são as orientações de cada fabricante para determinar a margem de segurança adequada.

Confira alguns exemplos de como calcular material de construção:

Leia também:  Como cancelar os planos com um amigo: 13 passos

Parede de alvenaria

Se você precisa saber como calcular material de construção para construir uma parede de alvenaria, precisa primeiro determinar a área. Nesse caso, multiplique o comprimento pela altura. Definida a área a ser construída, verifique as dimensões do bloco especificado pelo projetista e o tamanho das juntas horizontais e verticais.

Para esse cálculo, é recomendável considerar um acréscimo de entre 5 e 10% nas quantidades.

A quantidade de blocos por metro quadrado é determinada pela fórmula: Blocos (B) = 1 / (b1 + e) x (b2 + e). Considere que:

  • b1 = comprimento do bloco
  • b2 = altura do bloco
  • b3 = espessura do bloco
  • e = espessura das juntas entre os blocos

O volume de argamassa é determinado pela seguinte fórmula:

  • Volume de argamassa (V) = [1 – (B x (b1 x b2))] x b3

Atente para o fato que o cálculo resulta em valores em metros cúbicos. Como argamassas industrializadas são vendidas por peso, é preciso converter as unidades. Isso é feito por meio da multiplicação do volume de argamassa por 1 m³, que equivale a 1.000.000 cm³.

Depois, basta multiplicar o valor obtido pela massa específica da argamassa apresentado pelo fabricante.

Para simples referência, confira alguns consumos médios de cada tipo de tijolo:

  • Bloco de concreto: 9x19x39 cm / 14x19x39cm = 12,5 unidades por m²;
  • Bloco cerâmico em pé em parede com 10cm de largura = 23 unidades por m²;
  • Bloco cerâmico deitado em parede com 20cm de largura = 46 unidades por m²;
  • Tijolo comum em parede com 10cm de largura = 92 unidades por m²;
  • Tijolo comum em parede com 20cm de largura = 184 unidades por m².

Tinta

Mais uma vez, o passo inicial é determinar as dimensões da superfície a ser pintada. Para tanto, multiplique a altura pelo comprimento. Lembre-se, no entanto, de descontar a área ocupada por portas e janelas. Afinal, nesses espaços não será consumida tinta. O valor final obtido deve ser multiplicado pela quantidade de mãos recomendada pelo fabricante da tinta.

É também junto ao fabricante – em geral, na embalagem – que você vai encontrar informações sobre o rendimento da tinta. Em resumo, quantos metros quadrados cada litro de tinta é capaz de cobrir. Com essa informação, basta dividir um valor pelo outro para saber quanto de tinta será necessário para pintar cada ambiente.

É normal o rendimento do produto variar de acordo não apenas com a marca, mas também com o tipo de tinta.

Sabia que o rendimento é diferente para tintas látex, PVA, acrílicas etc.?

Pois é! Varia bastante! Além disso, a situação do substrato também influencia. Mais porosidade geralmente resulta em maior consumo. Para esse tipo de situação e para eventuais retoques, é recomendável considerar de 5 a 10% a mais de material.

Na maioria dos casos, especialmente quando se trata de materiais de boa qualidade, galões  de 3,6l são suficientes para 18m². Logicamente, latas de 18l cobrem 90m². Ao optar por tintas com cores especiais, com fórmula personalizada, a atenção deve ser redobrada. Dificilmente os fornecedores conseguem chegar exatamente ao mesmo tom em novas misturas.

Impermeabilização

O primeiro passo é, mais uma vez, medir a área total do elemento a ser impermeabilizado.

É importante considerar todas as superfícies.

Considerando o uso de argamassa polimérica para impermeabilização de fundações, por exemplo, veja quais são as orientações do fabricante. Esse é sempre o primeiro passo!

Daí, determine a espessura da camada de impermeabilização para obter o volume de argamassa a ser consumido por metro quadrado. São esses valores que permitem saber como calcular material de construção para impermeabilização.

O passo seguinte é multiplicar a área pela espessura do revestimento. Em seguida, converter o valor para litros. Por fim, multiplicar pela área total.

Sabendo o consumo final de argamassa pronta, é preciso decompor a conta para chegar ao consumo de cada componente. Ou seja, o consumo de areia, cimento e aditivo. Para isso, você precisa ter acesso ao traço da argamassa especificada pelo projetista e aplicar as proporções necessárias. Não esqueça de converter as unidades!

Cimento e areia

Por falar em cimento, o cálculo do consumo desse material depende da proporção dele no traço. Para simplificar o exemplo, vamos considerar uma relação de uma parte de cimento para três de areia.

Considerando 20 l de areia, teremos 6,66 l de cimento por m². Numa obra em que serão construídos 40 m², o consumo final de cimento será de 266,4 l. Entretanto, o cimento é comercializado por kg e não por litro.

Logo, é preciso converter.

Os fabricantes indicam qual o volume de cada saco. Considerando que seja de 40 l a cada 50 kg, basta dividir o valor total em litros por 40 para obter a quantidade de sacos de cimento a serem comprados.

Ou seja, 266,4 / 40 = 6,66. Para essa obra serão necessários 7 sacos de cimento.

No caso da areia, serão consumidos 20 l x 40 m² = 800 l. Convertendo para m³, que é a unidade de medida para venda da areia, serão 0,8 m³ de areia.

Pisos e revestimentos

Após determinar a área da superfície a ser revestida, consulte a embalagem ou o site do fabricante para saber o rendimento de cada caixa. Ao dividir um número pelo outro, você vai quanto vai precisar comprar.

Uma dica importante sobre como calcular material de construção para pisos e revestimentos diz respeito às dimensões das peças. Quanto maior, maior a perda com recortes para os cantos.

Então, como fazer?

A orientação geral diz que, para peças com medidas de até 15 cm, a margem de segurança é de 5%. Peças com 30 cm ou mais exigem acréscimo de 10%.

Ah, e não se esqueça, ainda, de considerar a área dos rejuntes. Quanto maior a área a ser revestida, maior a influência das juntas no consumo final.

Telhas de barro

O cálculo da área a ser coberta deve considerar os beirais e o fator de correção referente à inclinação. Além disso, uma margem de segurança de 5%.

Como Calcular o Volume de Concreto: 14 Passos

Tabela dos fatores de correção (FC) correspondente às inclinações da arquiteta Luciana Paixão

Ao multiplicar a área em planta pelo fator de correção você vai encontrar a área inclinada. O passo seguinte é multiplicar esse valor pelo consumo da telha a ser usada. É o momento de consultar o catálogo de produtos.

Caso o consumo seja, por exemplo, de 16 telhas por metro quadrado, é preciso multiplicar a área por 16. O resultado deve ser acrescido de 5%.

Caixa d’água

A capacidade do reservatório de água de uma edificação depende da quantidade de pessoas que a ocupam e da sua finalidade de uso. É o que determina a NBR 5626. Para residências unifamiliares, é usual adotar um volume de 150 l de água por pessoa por dia. Para apartamentos, devido à pressão, a referência são 200 l diários por pessoa.

O mínimo recomendável é que o reservatório supra as necessidades de um dia. Logo, se a obra é uma residência para cinco pessoas, o reservatório precisa ter, pelo menos, 750 litros de capacidade. Lembre-se que, quanto maior o volume, maior a carga sobre a laje. Por isso, em alguns casos pode ser interessante dividir o armazenamento em reservatórios menores.

Conclusão

Viu como calcular material de construção não é tão complicado!

O melhor de tudo é que, ao saber como calcular material de construção para sua obra você aumenta a precisão do seu planejamento. Com isso, reduz desperdícios que impactam não apenas seu lucro no momento da compra, mas também ao descartar o que não foi consumido. Além disso, controla a produtividade da sua equipe e contribui com a preservação do meio ambiente.

O que você achou desse conteúdo? Comente aqui caso ele tenha sido útil para você! Compartilhe com seus amigos!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*