Como calcular cotações: 11 passos (com imagens)

Como Calcular Cotações: 11 Passos (com Imagens)

Como Calcular Cotações: 11 Passos (com Imagens)

Depois de anunciar a novidade para todos seus entes queridos, começa a contagem regressiva para o seu casamento. É nesse momento que você deve elaborar o orçamento geral para toda a organização, que deve durar aproximadamente um ano. E, para isso, é preciso ter em mente que esse orçamento será entre R$ 60 mil e R$ 120 mil, tendo como base um casamento médio para 100 convidados em São Paulo. Portanto, não se engane e contrate apenas os serviços que você pode pagar. A partir deste ponto começa o planejamento e definição do orçamento, dividido em cinco passos.

Passo 1: Definir o número de convidados

Este ponto é fundamental para o desenvolvimento de todas as outras etapas do grande dia. O espaço escolhido dependerá do número de convidados e, claro, a escolha do buffet e dos cardápios, sempre pensando no quesito qualidade e preço.

Confirmações

Sempre falamos muito sobre o tema convidados aqui no Zankyou. Dependendo do orçamento disponível, talvez você tenha que se libertar do sentimento de convidar pessoas por obrigação, fato que apenas engorda o preço final, mas isso depende de você. O número médio de convidados é de 150 pessoas.

Buffet

Normalmente o investimento com o buffet equivale a 25% do orçamento total do casamento.A partir daí, cada casal decide se manter esse valor, reduzi-lo ou ultrapassá-lo.

Outros gastos

As lembrancinhas para os convidados também devem ser consideradas no momento de definir o orçamento, já que pode variar de acordo com o número de pessoas. Outro serviço que também depende dos convidados é o transfer. Muitos casamentos disponibilizam veículos para transportar grandes grupos, e é preciso pensar no gasto que essa opção supõe. É preciso pensar em todos esses detalhes.

salvarComo Calcular Cotações: 11 Passos (com Imagens)Foto: Lucas Dumphreys Fotografia

A diferença entre o vestido da noiva e o traje do noivo são consideráveis como por exemplo o preço. O vestido da noiva sempre teve uma maior importância e a sua confecção depende de vários aspectos, como o cuidado dos tecidos e a imensa quantidade de detalhes.

Opções

Além disso, os estabelecimentos dedicados aos vestidos são mais especializados e variados, com lojas e o ateliers como referências principais. No caso do noivo, os trajes (fraque, meio-fraque, fraquete, smoking) podem ser comprados ou alugados, mas suas confecções são mais simples e não precisam de muito tempo de antecedência. O preço muda dependendo dessa escolha.

salvarComo Calcular Cotações: 11 Passos (com Imagens)Something Blue Haute Couture – Foto: Divulgação

Existem milhares de fornecedores para casamentos. Alguns são fornecedores de itens básicos, mas existem outros que também são importantes e muitas vezes passam despercebidos.

Assessoria

Contratar uma assessoria é essencial para o desenvolvimento de um evento com essas características. Como organizadores, decoradores e assessores profissionais, seu conhecimento faz com que os noivos tenham menos preocupações. Esse profissional pode contar também com empresas parceiras para contratar itens como flores, iluminação, aluguel de materiais e outras necessidades.

Fotografia e vídeo

O fotógrafo e o videomaker são outros dos grandes protagonistas do grande dia, uma vez que a função deles consiste em capturar os momentos que vão se transformar nas lembranças mais bonitas para os próximos anos. Para isso, recomendamos que você destine 10% do orçamento total do casamento para a contratação desses profissionais.

Não sabe por onde começar a organizar o seu casamento? Baixe o nosso eBook.

salvarComo Calcular Cotações: 11 Passos (com Imagens)

É importante que uma parcela do orçamento geral do casamento seja destinada para as surpresas. Os extras quase nunca estão incluídos no preço final e é uma boa ideia falar com os fornecedores para fechar pacotes com tudo o que vocês precisam.

Extras e dúvidas

O open bar é um dos exemplos mais claros. Às vezes pode sair de graça ao contratar os serviços do espaço, às vezes é um gasto extra com o qual já contamos. O DJ e a música também devem ser levados em consideração. Recomendamos que você veja quais as opções oferecidas pelo espaço escolhido, assim como as atrações e diferentes espetáculos que podem animar a noite.

Novos serviços

Existem serviços especiais que começaram a ser incluídos no casamentos nos últimos anos. Um exemplo sao os os food trucks com gastronomia especial, totens de fotografia ,backdrop, fogos artificiais e outras inovações que têm animado os últimos casamentos.

Todos esses extras invadem pouco a pouco o orçamento e é preciso tê-los em conta na soma final. Por tanto, é positivo ser realista e não se deixar levar pelos caprichos. Se for assim, dedique boa parte do orçamento a possíveis emoções extras, como as citadas acima.

Imprevistos

Por outro lado, acrescente um valor destinado aos imprevistos como mudanças, inclusões repentinas, (mais convidados, cuidadores de crianças, animadores…) e qualquer coisa que possa surgir. Evite possíveis sufocos com um orçamento mais folgado.

salvarComo Calcular Cotações: 11 Passos (com Imagens)Foto: Bruno Mattos Fotografia

A lua de mel também deve estar incluída no orçamento total do casamento. É claro que o valor varia de acordo com o destino escolhido.

Nesse sentido, você deve levar em conta se você viaja em alta ou baixa temporada, a demanda do lugar que deseja e os descontos que você pode conseguir ao contratar  pacotes de viagem.

As agências de viagens especializadas em lua de mel geralmente acompanham a viagem durante todo o processo de planejamento, mas tudo isso também é pago. No entanto, este ponto é importante porque a viagem deve ser segura e, acima de tudo, deve ser aproveitada ao máximo. É um momento único nas suas vida!

salvarComo Calcular Cotações: 11 Passos (com Imagens)TM Travel – Foto: Divulgação

Faça o teste e descubra quanto o casamento de vocês pode custar:

Confira mais dicas no nosso vídeo:

Como Atualizar Cotações no Excel em Tempo Real

Podem inventar o que for, mas o melhor amigo do investidor ainda vai se chamar Microsoft Excel por um bom tempo. Não conheço um único investidor que nunca precisou de cotações no Excel, seja para criar as mais mirabolantes fórmulas, ou somente para atualizar as cotações das ações em carteira.

Pela versatilidade e enorme quantidade de recursos, acaba sendo a maneira mais fácil de realizar muitas tarefas que são impossíveis em outras ferramentas.

Agora imagine ter as cotações da bovespa diretamente no seu Excel e em tempo real!

“Cotações em tempo real na planilha de Excel?!”

Sim, amigo investidor! Além de possível, é extremamente fácil de ser feito.

Existe uma solução chamada Link RTD, um componente que você instala em seu computador e ele cria a função de receber o sinal de cotações da Bovespa em tempo real , alimentando as cotações no Excel.

Veja na imagem um exemplo de planilha recebendo o sinal de um Link RTD:

Como Calcular Cotações: 11 Passos (com Imagens)

Você pode utilizar estes valores para atualizar qualquer fórmula de sua planilha, e como você já deve estar imaginando, as possibilidade são infinitas.

Alguns dos usos mais comuns são:

  • atualizar preço de ações
  • atualizar valor do portfólio
  • montar fórmulas de arbitragem
  • precificar e investir em opções
  • montar posições long & short
  • alimentar trading systems

Como instalar o RTD com cotações no Excel

Aqui na Bússola do Investidor, utilizando a estrutura do nosso sistema de cotações em tempo real, conseguimos desenvolvemos um link RTD de alto desempenho, que atende absolutamente à todos os investidores: desde os mais exigentes, até os mais sem dinheiro (e tem gente que é os dois…).

Rápido de instalar e fácil de usar

Como havia dito, instalar o Link RTD é bem fácil e você pode faze-lo agora mesmo:

1. Faça o download do RTD compatível com a sua versão do Microsoft Office do seu Excel:

Download para Office 32 bits (mais comum – versões de Excel a partir de 2002)

Download para Office 64 bits (menos comum – para algumas versões de Excel a partir de 2010)

Obs: se não souber a versão do seu Office, recomendo que instale a versão para “32 bits”. Caso não funcione, desinstale o RTD pelo “Painel de Controle” do seu computador e instale a versão de “64 bits”.

2. Abra o arquivo e siga os passos para concluir a instalação

3. Atualize Seu Excel verificando se você possui a versão framework 4.5 (instale o framework aqui para tudo funcionar corretamente).

4. Já no Microsoft Excel, para receber atualizações de um ativo, basta digitar a fórmula correspondente ao Link RTD:

=RTD(“bussola.rtd”;;”[CODIGO ATIVO]”;”[INFORMAÇÃO]”)

Substituindo:

    • CODIGO ATIVO pelo código de um ativo negociado na Bovespa, ex.: PETR4
    • INFORMAÇÃO por uma das opções abaixo:
      • DATA – data última transação
      • NOME – nome do ativo
      • ULT – último preço
      • MIN – maior preço do dia
      • MAX – menor preço do dia
      • ABE – preço abertura
      • FEC – preço último fechamento
      • QUANT – quantidade de ações no trade
      • NEG – quantidade de negócios no dia
      • VARP – variação percentual
      • VARV – variação em valor
      • VOLT – volume de títulos no dia
      • VOLF – volume financeiro no dia

Disponibilizamos uma planilha de Excel como modelo: você pode fazer o download aqui.

4. Informe seus dados de Login: ao digitar o primeiro campo, aparecerá uma janela onde você deverá informar seus dados de acesso ao Bússola do Investidor (seu username e senha) e clicar em “Conectar”:

Como Calcular Cotações: 11 Passos (com Imagens)

Módulo do RTD desconectado.

Como Calcular Cotações: 11 Passos (com Imagens)

Módulo do RTD conectado.

O RTD está disponível para os assinantes dos planos TEMPO REAL e FULL, mas você pode ativar o teste gratuito por 7 dias aqui.

Qual a diferença entre o link DEE e o RTD?

Se você já conhecia este sistema de atualizar cotações no Excel, pode estar se perguntando qual é a diferença entre o DDE e o RTD?

Leia também:  Como calcular produtividade: 6 passos (com imagens)

Na realidade o link DDE é a versão antiga desta tecnologia, sendo o link RTD muito mais poderoso e versátil.

O RTD já foi criado com o objetivo de receber atualizações em alta-frequência e portanto é muito mais rápido. Além disso, a fórmula do RTD é igual qualquer outra fórmula do Excel, dando maior flexibilidade e permitindo que você faça referências à outras células dentro da própria função RTD.

Como Calcular Cotações: 11 Passos (com Imagens)

Como calcular seguro auto em 10 passos

Aprenda a calcular seguro auto  da forma certa, seguindo os nossos 10 passos.

Se você sabe da importância de ter um seguro auto com certeza não vai abrir mão dele, afinal ninguém quer ficar correndo riscos e depois ter que arcar com o prejuízo caso acontece alguma coisa com o veículo. Mas será que sabe da importância de fazer a cotação da forma certa?

Preencher as informações verdadeiras na hora de calcular seguro auto será fundamental para que o valor seja calculado corretamente e você não pegue a mais por isso. Mas para conseguir isso é preciso preencher todos os dados corretamente, por isso veja como fazer.

Como Calcular Cotações: 11 Passos (com Imagens)

Imagem: Getty

10 passos para calcular seguro auto

1 – Selecione a marca do veículo

Esse será o primeiro passo para calcular seguro auto, então escolha a marca correta para depois encontrar o modelo.

2 – Selecione o modelo do veículo

Na hora de escolher o modelo é preciso muita atenção, pois errar em pequenos detalhes como quantidade de portas ou versão fará com que o valor final fique todo errado. Se tem dúvidas é sempre bom conferir na documentação do carro.

3 – Ano de fabricação

Escolha o ano de fabricação, só cuidado para não confundir com o ano da compra ou versão. Novamente se tiver dúvida verifique os documentos.

4 – Dispositivo antifurto

Saber se o veículo possui alarmes, rastreadores ou bloqueadores irá informar a seguradora que se tem uma proteção extra e dessa forma diminuirá o risco. Portanto, se tiver qualquer um desses equipamentos não deixe de informar, pois ao final eles podem fazer com que o valor do seguro reduza bastante quando a seguradora calcular seguro auto.

Anote nossas dicas para cotar o seu seguro auto e receba uma simulação online. 🙂

Simule o preço do seu seguro auto em nosso formulário.

5 – Blindagem do veiculo

Veículos blindados costumam ter o seguro mais caro, isso porque o reparo deles vai exigir uma mão de obra mais especializada. Porém ter esse tipo de proteção e não informar vai te deixar desamparado na hora que mais precisa. Por isso se o carro for blindado não oculte essa informação e contrate um seguro auto para carro blindado.

6 – Placa/chassi

A placa e chassi apesar de serem opcionais podem te dar um desconto no valor final do seguro, isso porque quando o veículo não tem sinistros registrados, a tendência é de que o valor caia.

7 – Uso do veículo

Se o carro é usado para ir ao trabalho, aula ou somente para lazer influencia na forma de utilização e nos riscos envolvidos. Quanto mais o veículo é utilizado maior o risco envolvido, mas mentir as informações pode fazer com que o seu seguro seja cancelado.

A quilometragem percorrida segue a mesma lógica, afinal quanto mais se anda, mais se corre riscos. Isso também serve para avaliar o desgaste do veículo e a necessidade de troca e reposição de peças e a frequência da manutenção.

Se o carro fica estacionado em uma garagem e o tipo de segurança envolvido também influenciam no valor. Um carro que fica parado na rua durante a noite, terá um seguro maior do que um que fica dentro da garagem, ainda mais se tiver porteiro ou portão eletrônico.

8 – Dados pessoais

Preencha seus dados pessoais como nome completo e CPF, esses dados serão uados para avaliar o seu perfil e pode ser um diferencial no valor. Não se preocupe com a segurança das suas informações, elas serão usadas única e exclusivamente para fazer o cálculo do seguro auto.

A idade também tem influência e quanto mais jovem for o motorista, mas caro será o seguro devido à falta de experiência ao volante. O sexo do condutor será avaliado conforme indicadores de pesquisas. Como as mulheres se envolvem menos em acidentes, elas tendem a pagar menos no seguro.

O CEP é necessário para identificar o local de residência e avaliar o risco da área, então para não ter problemas preencha o seu em que reside e não de uma chácara ou outro imóvel.

Já os seus dados de contato servirão para enviar as cotações por e-mail e para que um corretor entre em contato para lhe apresentar as melhores opções de seguro.

9 – Tipo de seguro

Corresponde a cobertura que deseja ter, se prefere um seguro mais completo que te proteja contra roubo, furto, colisões e outros, escolha a cobertura total. Já se a ideia for se proteger apenas contra roubo e furto a cobertura parcial é a indicada.

Escolha com atenção essas informações para garantir que irá garantir toda a proteção que precisa para se sentir mais seguro.

Que tal alguns segredos revelados sobre como economizar na cotação do seguro auto.

O melhor é que mesmo precisando de todas essas informações para fazer o cálculo do seguro auto, todo esse processo é feito em apenas alguns minutos. E ao finalizar de inserir as informações, receberá em pouco tempo tudo o que precisa de informações para escolher o melhor seguro.

Depois de fazer o cálculo do seguro auto e verificar as opções, a contratação pode ser feita na sequência. Assim sem sair de casa e sem perder tempo, conhecerá as melhores opções do mercado e garantirá a proteção do seu carro em pouco tempo.

10- Faça sua cotação

Sim, por mais que o passo a passo seja o mesmo, sua cotação será única, então faça a sua personalizada e qualquer dúvida que tiver, podemos te ajudar. E não se esqueça de contar com o site da Susep para saber se a seguradora não está cobrando um valor abusivo.

Outras dúvidas sobre como calcular seguro de carro

É muito comum que você tenha mais dúvidas e saiba que estamos aqui para saná-las. Entre as principais dúvidas sobre como calcular seguro de carro, os motoristas querem saber se deve escolher o modelo de carro pelo preço do seguro, por exemplo. Mas para responder, considere que o tipo de veículo que você vai comprar, precisa estar de acordo com suas necessidades.

Ainda tem dúvida se fazer cotação online é seguro? Leia esse artigo e tire suas dúvidas. 😉

Se o seu intuito principal é economizar, então a resposta é sim. Considere o fato de que o valor do seguro varia também dentro de uma mesma categoria de carro. Por exemplo, se você quer um veículo 1.0, faça diferentes cotações. Vou te dar um exemplo, um Gol 1.0 2014 tem o valor do seguro R$ 200,00 acima do Celta mesmo ano.

Para não errar na escolha ao calcular seguro auto, veja com o seu corretor como calcular seguro de carro. É claro que a seguradora vai considerar outros aspectos também ao calcular o valor do plano. Nesse exemplo acima, é fato que a manutenção do Celta é mais baixa do que a do Gol. Esse é outro fator que determina o valor mais baixo do seguro.

Como Calcular a Arbitragem em Forex

X

Este artigo foi escrito em parceria com Michael R. Lewis. Michael R. Lewis é um executivo aposentado, empreendedor e assessor de investimentos no Texas. Possui mais de 40 anos de experiência em Negócios e Finanças. Foi Vice-Presidente da Blue Cross Blue Shield do Texas. É formado em Administração Industrial pela University of Texas at Austin.

Há 6 referências neste artigo. Você pode encontrá-las ao final da página.

  1. 1

    Entenda o mercado de câmbio. O mercado de câmbio, também conhecido como Forex, é uma bolsa de valores internacional voltada para negociações de moedas. Ele permite que investidores (de grandes bancos a pequenos investidores individuais) negociem uma moeda contra outra.

    Cada negociação representa uma compra e uma venda, já que uma moeda é vendida para que outra seja comprada. Essa dualidade significa que cada moeda sempre é cotada em relação a outra moeda.

    Em outras palavras, o dólar americano possui um preço em relação à libra esterlina, ao iene japonês, ao peso mexicano ou a qualquer outra moeda nacional.[1]

    • O mercado de Forex também possibilita a venda de instrumentos financeiros, incluindo contratos futuros, swaps, opções e outros. Essas negociações são mais complicadas do que um simples câmbio de moedas e podem envolver diversas outras táticas de negociação.[2]
  2. 2

    Aprenda tudo sobre arbitragem. Arbitragem é a prática de comprar um ativo em um mercado e imediatamente vendê-lo a um preço um pouco maior em outro lugar. Na teoria, uma moeda deveria ter a mesma cotação em mercados diferentes.

    No entanto, ineficiências do mercado (muitas vezes causadas por dificuldades de comunicação) podem resultar em preços diferentes em locais diferentes ao mesmo tempo. A arbitragem tira proveito dessas ineficiências em benefício do investidor.

    • Por exemplo, se um investidor reconhecer que uma moeda pode ser comprada por menos em um mercado e vendida por mais em outro, ele deve fazer essas negociações e ficar com a diferença entre a compra e a venda.
  3. 3

    Saiba utilizar arbitragem para obter lucro em suas negociações. Negociantes de Forex se aproveitam de pequenas diferenças de preço comprando moedas onde elas valem menos e as vendendo onde elas valem mais. Isso geralmente envolve múltiplas negociações de moedas intermediárias.

    Moedas intermediárias são outras moedas utilizadas para expressar o valor da moeda que você está negociando. Você não vai apenas comprar e vender dólares americanos, por exemplo. Você pode comprar euros com seus dólares e vendê-los por libras, com as quais você pode, por fim, comprar dólares.

    • Para entender melhor, imagine se você usasse 2 dólares americanos ($) para comprar 1 libra esterlina (£), em seguida usasse essa libra para comprar 1,50 euros (€) e, por fim, usasse os 1,50 euros para comprar $2,50. Negociando dessa forma, você ganharia $0,50 apenas explorando as diferenças entre os preços.
    • No mundo real, tais diferenças nunca seriam tão extremas. Na verdade, normalmente são apenas frações de um centavo. Investidores ganham dinheiro negociando grandes volumes. Dessa forma, é possível obter lucro suficiente para compensar as taxas de transação.
    • Além disso, os investidores devem entender que oportunidades de arbitragem podem durar apenas alguns segundos, pois os mercados se ajustam para corrigir a diferença de preço. Investidores institucionais utilizam computadores e negociações automáticas para que possam comprar e vender moedas rápido o bastante para sempre superarem os mercados.
  4. 4

    Aprenda a ler os preços das moedas. Os preços das moedas são expressos de uma forma bem específica. Como já mencionado, as moedas são cotadas em relação a outras moedas. O dólar americano (USD) é geralmente usado como moeda base ao determinar os valores. Por exemplo, o valor do iene japonês (JPY) será expresso em uma cotação de dólares para ienes (USD/JPY).

    • Os valores relativos das moedas são geralmente expressos com quatro casas decimais. Por exemplo, a cotação euro dólar deve ser expressa como 1,1156 EUR/USD. Isso significa que, a um dado momento, seriam necessários 1,1156 dólares para comprar um euro.
  1. 1

    Determine quais moedas usar. Para obter uma arbitragem triangular, você deve comparar a taxa de câmbio de três “pares de moedas” para fazer negociações entre elas.

    Um exemplo disso é EUR/USD (euro/dólar), EUR/GBP (euro/libra esterlina) e GBP/USD (libra/dólar).

    Assim como em qualquer combinação triangular, há três moedas envolvidas, e cada moeda é emparelhada separadamente com cada uma das outras duas.

  2. 2

    Obtenha a taxa de câmbio atual para cada par. Você pode encontrar a taxa de câmbio no software da sua corretora de Forex (se você tiver uma corretora) ou em sites que listam as taxas de câmbio atuais. Para ilustrar, admita as seguintes taxas de câmbio para euro (EUR/€), libra esterlina (GBP/£) e dólar americano (USD/$).

    • A taxa de câmbio de EUR/USD é 1,2238, o que significa que você deverá gastar cerca de $1,22 para comprar €1.
    • A taxa de câmbio de GBP/EUR é 1,1910, o que significa que você pode comprar £1 por cerca de €1,19.
    • A taxa de câmbio para GBP/USD é 1,4650, o que significa que você pode comprar cerca de $1,47 por £1.
  3. 3

    Calcule a arbitragem. A arbitragem é formada ao comprar e vender as moedas correlacionadas, comparando cada uma delas com as outras duas. A moeda é negociada com o que chamamos de “lotes”. Lotes padrão são blocos de 100.000 unidades de uma moeda, e mini-lotes são blocos de 10.000 unidades.[3]

    • Imagine que você tem a possibilidade de fazer uma negociação alavancada com $500.000. Uma negociação alavancada é feita, na maior parte, em débito.
    • Gaste os seus $500.000 para comprar euros. Como USD é a base da cotação (EUR/USD), divida os $500.000 pela taxa de câmbio. Portanto $500.000/1,2238 equivaleria a cerca de €408.560.
    • Venda os euros por libras esterlinas. Como euro é a base dessa cotação (GBP/EUR), nós dividimos a quantidade de euros pela taxa de câmbio para obter a quantidade de libras. Portanto, ao dividirmos €408.560 por 1,1910, nós obtemos cerca de £343.040.
    • Venda as libras esterlinas por dólares americanos. Aqui, GBP está no topo da cotação (GBP/USD), portanto nós multiplicamos a quantidade de libras pela taxa de câmbio para obter a quantidade de USD. Logo, £343,040 multiplicados por 1,4650 geram cerca de $502.550.
    • Determine o seu lucro. Você começou com $500.000 e agora tem $502.550 após algumas negociações simples. Seu lucro foi de $502.550 – $500.000, ou $2.550.
  1. 1

    Acesse uma plataforma ou um software de negociação de Forex. Corretores e investidores que negociam com arbitragem não calculam a arbitragem manualmente. Eles usam programas que são capazes de identificar oportunidades no mercado e calcular a arbitragem em segundos.

    O software pode ser configurado para comprar e vender no exato momento em que a oportunidade surgir. Você pode acessar plataformas on-line parecidas e negociar no mercado de Forex.

    Faça uma busca por “negociar forex online” para ver quais tipos de software estão disponíveis atualmente.

    • Tome cuidado, pois muitas dessas plataformas cobram uma taxa de negociação. Tal taxa reduzirá (ou até mesmo eliminará) o seu lucro em cada negociação, principalmente se você estiver negociando com um capital limitado.[4]
  2. 2

    Tome cuidado com programas de arbitragem falhos. Há diversos programas de arbitragem em Forex para venda on-line.

    Antes de utilizar esses programas com uma conta real, teste-os com uma conta de demonstração primeiro. Isso impedirá que você perca dinheiro utilizando um software com problema.

    Peça recomendações de software e plataformas de negociação para um investidor experiente em arbitragem.

  3. 3

    Busque oportunidades de arbitragem. Algumas plataformas de negociação de Forex oferecem calculadoras ou programas automatizados que buscam oportunidades de arbitragem. Aproveite esse serviço caso a sua plataforma de negociação o ofereça.

    • Você também pode usar uma calculadora de arbitragem para Forex independente para determinar se há uma oportunidade de arbitragem. Essas ferramentas estão disponíveis on-line, e há versões gratuitas e pagas. Faça uma busca por “calculadora de arbitragem” para encontrar uma ferramenta do tipo.[5]
  4. 4

    Não hesite. Não leva muito tempo para os mercados se corrigirem quando surge uma oportunidade de arbitragem. Você deve agir rapidamente para fazer uma negociação antes que a chance seja perdida. Assim que você notar uma diferença de preço, aproveite-a imediatamente.

    • A realidade é que com o atual nível tecnológico e a facilidade de comunicação ao redor do mundo, a arbitragem em Forex geralmente só é lucrativa para grandes instituições financeiras, devido ao uso de sistemas de negociação velozes e eficientes. Isso porque, na maioria das vezes, oportunidades de arbitragem desaparecem em questão de segundos.[6]
  • Nunca negocie em uma plataforma on-line sem certificação. Se você não tiver certeza, tome cuidado e não se arrisque.
  • Admitindo que o software utilizado está funcionando adequadamente, arbitragem em Forex (seja com moedas ou outros ativos) geralmente não apresenta riscos para o investidor. Apesar disso, recomenda-se que o investidor aprenda o máximo possível sobre o processo antes de aplicar dinheiro de verdade.
  • Se você estiver considerando o uso de alavancagem (débito) para fazer negociações em Forex, lembre-se de que isso pode aumentar muito as suas perdas. Tome cuidado, pois você pode perder uma quantidade significativa de dinheiro se as suas negociações não derem certo. Em outras palavras, não utilize alavancagem até saber exatamente o que está fazendo.
Leia também:  Como ajudar refugiados: 15 passos (com imagens)

Empreendedor e Assessor Financeiro

Este artigo foi escrito em parceria com Michael R. Lewis. Michael R. Lewis é um executivo aposentado, empreendedor e assessor de investimentos no Texas. Possui mais de 40 anos de experiência em Negócios e Finanças. Foi Vice-Presidente da Blue Cross Blue Shield do Texas. É formado em Administração Industrial pela University of Texas at Austin.

Categorias: Investimentos e Comercialização

  • Imprimir
  • Agradecer aos autores

Esta página foi acessada 1 715 vezes.

Aprenda como fazer uma cotação de frete eficiente em 7 passos

Colocar um preço no produto vendido ou serviço prestado não é uma tarefa fácil. Sabendo que esse valor é o que determinará a rentabilidade do negócio, todos os aspectos devem ser estudados e planejados cautelosamente, para que a precificação seja correta, justa e atrativa para os clientes.

Quando falamos de empresas que prestam serviços de transporte, definir um valor a ser cobrado é ainda mais complicado, visto a quantidade de variáveis que devem ser consideradas na cotação de frete.

 Para complicar ainda mais a situação, grande parte dos custos envolvidos não são estáveis, mudando a cada frete solicitado e dificultando a vida dos transportadores — que ficam impossibilitados de criar um padrão a ser utilizado para todas as cotações.

Está com dificuldades ao fazer a cotação de frete para sua empresa? Então, continue lendo e siga estes sete passos para aprender de vez a precificar corretamente cada serviço prestado!

1. Defina o tipo de carga

Cada tipo de produto tem uma especificação diferente para o transporte. Algumas cargas têm a necessidade de maior cuidado com o manuseio, como os produtos mais frágeis.

Outras demandam maquinários específicos para carga e descarga, como produtos pesados que precisam ser carregados e descarregados por munks.

Cargas perecíveis têm prazos mais curtos e, muitas vezes, precisam de veículos refrigerados para não estragarem durante o frete. Cada novo detalhe que a carga necessita tem um custo a mais para o transportador.

2. Identifique os tributos incidentes

A tributação é uma das variáveis que não podem ser controladas pelos transportadores. O principal tributo que incide sobre o serviço de transporte é o ICMS, que é o Imposto de Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços.

Leia também:  Como aliviar a dor de garganta: 12 passos (com imagens)

A alíquota é definida pelo governo estadual, e pode variar dependendo do produto transportado: alguns itens podem ter redução na base de cálculo, tendo, assim, uma porcentagem diferente a ser cobrada. Para saber se o produto transportado se enquadra nesse cenário, basta acessar o site da Secretaria da Fazenda.

3. Levante os custos de transporte

Os custos que agregam o valor da prestação de um serviço de transporte vão muito além dos impostos incididos. Durante a cotação de frete, o responsável deve ter em mente todos os gastos que terá durante o transporte, que podem englobar:

  • combustível;
  • pedágios;
  • taxa GRIS;
  • taxa de restrição ao trânsito (TRT);
  • custos extras por manuseio.

Os custos variam a cada frete, afinal, cada serviço tem uma origem, pesos, dimensões e destinos diferentes. Portanto, quanto mais informações solicitadas aos clientes, mais preciso será o valor final a ser cobrado.

4. Faça o cálculo de cubagem da mercadoria

O valor do frete é, em diversas empresas, determinado pelo peso, por meio da utilização de tabelas que já tem valores predeterminados para o cálculo. Sendo assim, é a informação sobre o peso que determina a base do valor do transporte.

Dessa forma, é possível fazer a cobrança pelo peso informado pelo cliente (que é o peso bruto, dado pela pesagem da carga), ou pelo peso cubado. O ideal é que a conta seja feita pelo maior valor de peso.

A cubagem pode ser calculada pela multiplicação do comprimento, largura e altura da carga, multiplicados novamente por 300. Tomando como exemplo uma carga que tenha 0.8 metros de altura, 0.6 de comprimento e 0.3 de largura, o cálculo seria feito da seguinte maneira:

Peso cubado = 0.8 x 0.6 x 0.3 x 300 = 43,2 kg

​5. Analise a carga

Analisar a carga influencia na definição do tipo de transporte (se aéreo, marítimo ou rodoviário) e também no veículo a ser utilizado pela transportadora para o frete — o que será refletido no custo, diretamente. A pergunta que deve ser feita ao cliente no momento da cotação de frete é: qual a urgência da carga? E quais as dimensões exatas?

Um exemplo prático: vamos imaginar que o cliente é um fornecedor de uma montadora de veículos, e precisa fazer uma entrega para evitar uma parada de linha.

A urgência é muito grande e, dependendo da localização, um frete rodoviário não atenderá o prazo.

Com essa análise, a transportadora poderá oferecer ao cliente a opção de frete aéreo, que embora seja mais caro, consegue atender prazos curtos.

Falando das medidas da carga, quanto menor o veículo, menor será o custo. Hoje, muitas transportadoras têm escolhido trabalhar com vans, pois são veículos que têm a possibilidade de transportar pallets, mas que, ao mesmo tempo, são menores e mais ágeis, excelentes para cargas leves.

6. Defina corretamente a distância percorrida

Ter informações precisas sobre o destino da carga também é um dos principais pontos para uma cotação de frete eficaz.

Ao planejar a rota e verificar a quilometragem, busque saber o número do endereço e encontrá-lo no mapa, antes de iniciar qualquer viagem.

Isso porque a quilometragem do frete reflete na quantidade de combustível que será gasto. Quanto mais longe o destino, mais alto será o custo do frete.

Ao ter uma informação exata do destino da carga, transportadoras que trabalham com fretes fracionados têm maior facilidade de fazer o planejamento das entregas. Quanto mais produtos utilizarem uma mesma rota, melhor será para todos os clientes.

7. Saiba o valor da mercadoria

O valor da mercadoria influencia em um ponto relevante da prestação de serviços de transporte: o Ad Valorem, que é uma taxa a ser cobrada para garantir o seguro da carga. O custo de tal taxa se dará por uma porcentagem, definida por uma tabela de fretes.

A porcentagem pode também ser determinada por meio do nível de risco que a carga corre, quando, por exemplo, a distância percorrida é muito longa, o destino da entrega tem níveis altos de roubo, o produto apresenta mais chances de avaria ou se o valor total é muito elevado. A conta, nesse caso, é bem simples: depois de ser definida a porcentagem, ela deverá ser multiplicada pelo valor total da nota fiscal.

Além de saber fazer a cotação de forma correta, é essencial que o gestor faça uma gestão adequada dos custos da operação, para que com as negociações com seus fornecedores e seguradores, possa oferecer ao cliente realmente a melhor opção de preço.

O responsável pela cotação de frete precisa ter em mente que a lucratividade e o resultado da empresa dependem diretamente dessa atividade, sendo então, a mais importante para qualquer transportadora. Diante da grande quantidade de concorrentes disponíveis no mercado, o valor não pode ser muito alto, mas também não pode ser algo estimado sem a análise prévia de todas as variáveis.

Lembre-se que custos baixos não conquistam clientes, mas sim a qualidade do serviço prestado. De nada adianta um valor bom para o cliente, se você não tiver os recursos necessários para oferecer um serviço de qualidade.

5 passos para calcular o TCO de aplicativos

Por Fábio Barnes*

Conhecer o TCO (Custo Total de Propriedade, na sigla em inglês) de aplicativos é um diferencial de mercado para qualquer empresa que quer administrar os custos envolvidos na propriedade de um aplicativo e, principalmente, saber o momento em que aquele aplicativo precisa ser atualizado, remodelado ou substituído.

Um exemplo prático: quando você decide comprar um carro, avalia os custos de aquisição – consumo de combustível, seguro, manutenção, valor da revenda e até o tamanho da garagem.

Depois de alguns anos, o carro começa a exigir manutenções cada vez mais caras. Isso significa que seu automóvel já está desatualizado, enquanto os modelos mais novos têm opções de desempenho e conforto melhores que o seu.

Em algum momento, os custos de manter seu carro passam a ser mais caros do que adquirir um novo.

O mesmo vale para os aplicativos de sua empresa. Mas como avaliar o TCO deles? A seguir, um guia rápido e prático que o ajudará nessa missão.

TCO é um conceito financeiro e existem várias metodologias no mercado para fazer este cálculo. Aqui vamos falar sobre calcular TCO de um aplicativo com o objetivo de avaliar a viabilidade econômica de uma nova forma de gestão dele.

Passo 2: Definir quais custos são relevantes para a análise

Leve em conta os custos com licenças do aplicativo e outros softwares – como banco de dados (suporte anual)-, salários e benefícios dos funcionários envolvidos na gestão do aplicativo (analistas de sistemas, DBAs, programadores, suporte help desk) e serviços de terceiros (suporte, manutenção, desenvolvimento, entre outros).

Passo 3: Levantar os custos relativos aos itens do passo anterior

É importante identificar os custos que incorrem regularmente em todos os meses e também aqueles que são sazonais ou temporários. Outro item importante a levantar são os custos que irão incorrer no futuro, como atualização tecnológica, serviços de atualização de versão do aplicativo e de banco de dados. Para ajudar, é interessante buscar como esses custos ocorreram no passado.

Aqui vale uma observação, existem alguns custos muito difíceis de aferir. Por exemplo, o custo do downtime (paradas, interrupções) ou má performance.

Quando acontece uma parada do aplicativo, pode existir algum custo adicional para restabelecer a operação.

Além disso, a interrupção causa problemas ao negócio, como uma demora na emissão de Nota Fiscal, recepção de mercadoria, emissão de uma ordem de produção, entre outros que gerarão gastos extras.

Passo 4: Organizar os custos levantados ao longo do tempo

Agora chegou o momento de inserir os itens de custo que levantou até aqui em uma linha do tempo, a ideia é definir pelo menos um ciclo para cada um deles. Avalie o período que cada item de custo ocorre. Por exemplo, salários ocorrem mensalmente, já uma atualização tecnológica, a cada três anos. O maior período será o escolhido para análise do TCO.

Organize os custos futuros e passados. Assim você conhecerá o TCO (em x anos) do passado e do futuro. Para conhecer o TCO mensal, é só somar o custo de todos os meses e dividir pelo número de meses da análise.

Como o objetivo deste estudo é avaliar a viabilidade econômica de uma nova forma de gestão do aplicativo, agora você pode:

  1. Saber se a gestão do seu aplicativo está eficiente, comparando com outras alternativas;
  2. Avaliar se essa gestão traz vantagem competitiva para sua empresa;
  3. E avaliar alternativas para melhorar a gestão de custo do aplicativo.

Uma alternativa para a redução do TCO em TI é a modalidade SaaS (Software as a Service). O SaaS engloba alguns custos diretos e indiretos da gestão de aplicativos, permitindo assim uma forma diferente da tradicional de gerir os custos de aplicativos, além de utilizar os recursos de forma mais eficiente.

Para finalizar, ressalto que a análise de TCO é um dos itens que influenciam a escolha de um novo aplicativo ou forma de gestão. Contudo, outros fatores como retorno de investimento (ROI), time to value (TtV) e arquitetura tecnológica também são importantíssimos e devem ser considerados antes de uma decisão.

*Fabio Barnes é Diretor Executivo da Engine, companhia especializada no modelo SaaS (Software as a Service) que oferece soluções de gestão empresarial.

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*